sábado, 28 de janeiro de 2017

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.

XXI-SEM VERGONHA


2 -AME OU DÊ VEXAME

video


ATÉ AO PRÓXIMO SÁBADO

A NOSSA FICÇÃO
A MÓNICA MOREIRA LIMA, jornalista de profissão não chegavam as notícias comezinhas do quotidiano, nem que fosse uma bomba de neutrões.
Pensou, pensou, engendrou equipa tão louca como ela, baratinou os maiorais da TV GUARÁ e "amadrinhou"o "SEM VERGONHA" programa despudorado tão ao nosso gosto, cheio de pimenta por todo o lado, sem qualquer grosseria e divertido.
Ela só pode ser inteligente e boa!

O QUE DIZ A AUTORA
O Sem Vergonha é o programa mais polémico e irreverente da TV brasileira. Já rendeu vídeos para os quadros Top Five do CQC e Passou na TV do Agora é Tarde, ambos da BAND. Foi tema de uma matéria de duas páginas na maior revista de circulação nacional, a VEJA. E culminou com uma entrevista antológica ao Rafinha Bastos, no Agora é Tarde. Todos os programas estão disponíveis no blog e no YouTube. Não recomendo sua exibição para menores de 18 (anos ou cm) para evitar traumas futuros. Falo de sexo sem pudor, sem frescuras, sem meias palavras, sem eufemismos e com muito bom humor. Advertimos que o Sem Vergonha pode provocar ereções involuntárias e uma vontade irreprimível de dar, sem restrições de orifícios.


FONTE: TV GUARÁ

.
.


6-TRANSLUZENTES


.
.
ODEIO BICHAS MODERNAS
A Artista Brasileira

video


FONTE: PROGRAMA "ESTADO DE GRAÇA"  RTP/1

.
.


5-TRANSLUZENTES


.
.

8-TERAPIA DE REPERFUSÃO
NO INFARTO AGUDO
DO MIOCÁRDIO


Trombólise e Terapia Trombolítica I

video


Uma interessante série conduzida pelo  Dr. António Luiz da Silva Brasileiro, Mestre em Cardiologia pela UERJ, Chefe do Ambulatório de Adultos do Instituto Nacional de Cardiologia.

* Uma produção "CANAL MÉDICO"

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.


4-TRANSLUZENTES


.
.

ORDEM DOS
ASSASSINOS

video


FONTE: Nerdologia

.
.


3-TRANSLUZENTES



.

SANDRA CLEMENTE

.






As marchas das mulheres

O Presidente dos Estados Unidos assinou, esta segunda-feira, um decreto que proíbe o financiamento público americano de organizações internacionais de cuidados de saúde que promovem o planeamento familiar, quando nele incluem qualquer tipo de aborto.

O aborto propriamente dito não pode ser financiado por dinheiro federal americano desde 1973 em qualquer parte do mundo, incluindo em países em que é legal. Portanto, o corte é sobretudo nos cuidados de saúde reprodutiva, que previnem muitos abortos, sendo os Estados Unidos o maior financiador do mundo dos cuidados de saúde para mulheres nos países pobres.

A fotografia da assinatura na Sala Oval tem oito homens. Eu, que não penso que o aborto seja só uma questão de autonomia das mulheres, acho que isto é demais. Mas nem o decreto é uma novidade, a Mexico City policy começou com Reagan, que aprecio, e o decreto é sempre ressuscitado pelos Presidentes republicanos desde então e revogado pelos democratas; nem o facto de os decisores políticos estarem apenas rodeados de homens é uma novidade pelo mundo fora, Portugal que o diga, e nisto não há factos alternativos que nos valham. Mas estamos em 2017 e, lá por ter sido sempre assim, não significa que continue a ser. Certo que Trump ganhou as eleições com um programa pró-vida, certo também o direito de o criticar porque talvez a vida não seja aquilo que esta lei mais protege.

A OMS estima que 225 milhões de mulheres nos países em desenvolvimento gostariam de adiar a maternidade, mas não usam contracepção por vários motivos, incluindo a falta de acesso. O corte afecta o cuidado a crianças grávidas por causa de casamentos precoces, outras resultantes de violações de guerra, abortos clandestinos, mortes prematuras, problemas de saúde irreversíveis, ostracização. A embaixadora que Trump escolheu para as Nações Unidas opõe-se ao aborto, mas apoia o financiamento da contracepção nos programas de ajuda internacionais. Talvez se ela tivesse sido uma das protagonistas da fotografia na Casa Branca, a violência que esta decisão impõe a muitas mulheres e crianças não fosse decretada.

Jurista

IN "JORNAL DE NEGÓCIOS"
27/01/17

.
.


1125.UNIÃO



EUROPEIA



.

2-TRANSLUZENTES


.
.
OS DEUSES
video


FONTE: CICLISTASEMDEUS


.
.
XII-VIDA SELVAGEM
1- URSO PARDO
Predadores Selvagens

video

.
.


1-TRANSLUZENTES


.
.
RECORDANDO


Mireille Mathieu

Une Place Dans Mon Coeur

video

.
.
HOJE  NO
"A BOLA"
Ténis
Serena bate irmã na Austrália 
e vai recuperar o nº1 Mundial

A norte-americana Serena Williams venceu este sábado o seu 23.º título de Grand Slam ao bater a irmã, Venus Williams, no Open da Austrália, por duplo 6-4.


Serena passa assim Steffi Graff como detentora de títulos individuais nas provas principais (22) e aproxima-se do recorde da australiana -Margaret Court 24.

A tenista vai recuperar o número 1 mundial depois de Angelique Kerber, atual número 1 e detentora do título, ter sido eliminada nos oitavos de final.

* Ela não é imbatível, mas quase.

.
.

ESTA SEMANA NA 
"GERINGONÇA"

ÚLTIMA HORA 
PSD já tem candidato para Lisboa 
A escolha é surpreendente e promete agitar a campanha, descubra quem é o candidato neste exclusivo em primeira mão. Foram muitos meses de espera e vários os nomes anunciados na comunicação social, mas…

TENTE MAIS QUE UMA VEZ

* EH! EH! EH!

.
.
Todos os exoplanetas 
que estão por conhecer

video


FONTE: EURONEWS


.
.

HOJE 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Decreto de Trump impede realizador
.iraniano de ir aos Óscares

Asghar Farhadi, realizador do aclamado filme "O Vendedor", que está nomeado para o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, não vai poder estar presente na cerimónia dos prémios 

O realizador, que fez história em 2012 quando o seu filme a separação foi o primeiro filme iraniano a vencer um Óscar, é natural do Irão, um dos países cujos nacionais estão proibidos de entrar nos EUA. Asghar Farhadi já confirmou que não vai poder estar presenta na cerimónia para dar a cara pelo filme que realizou. "O Vendedor" conta a história de um professor (Shahab Hosseini) que enceta uma vingança após a sua mulher (Taraneh Alidoosti) ser atacada no apartamento do casal. 
 .

Entretanto, uma família iraquiana foi impedida hoje de voar do Cairo para Nova Iorque após o Presidente norte-americano ter assinado um decreto proibindo a entrada no país de cidadãos de sete países muçulmanos, indicaram responsáveis do aeroporto.
O casal com dois filhos, que tinha reservado bilhetes num voo da companhia EgyptAir e possuía vistos para os Estados Unidos, foi informado de que não podia embarcar devido às novas regras em vigor, disseram os responsáveis à agência France Presse.
A Casa Branca anunciou na sexta-feira ter proibido durante três meses a entrada de cidadãos de sete países muçulmanos: Irão, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iémen. As exceções são os cidadãos com vistos diplomáticos e oficiais e os que trabalham para instituições internacionais.
O Presidente, Donald Trump, justificou a controversa medida, muito criticada pelos democratas e por organizações de defesa dos direitos cívicos e dos direitos humanos, com o argumento de que visa lutar contra os "terroristas islâmicos radicais".
Segundo um responsável da EgyptAir, a empresa não foi oficialmente informada das novas regras e o seu 'site' não atualizou a informação relativa às viagens para os Estados Unidos.
A família iraquiana foi barrada depois de um manifesto do voo ter sido enviado para o aeroporto Kennedy em Nova Iorque, que em resposta deu instruções para ela não embarcar.
A Qatar Airways, uma das maiores companhias aéreas do Médio Oriente, informou no seu 'site' que os cidadãos daqueles sete países podem viajar para os Estados Unidos se tiverem uma autorização de residência permanente.

* Os americanos escolheram para presidente um facínora, irão pagar por isso.

.
.
HOJE 
"RECORD"
Usain Bolt devolve medalha de Pequim'2008: «Regras são regras»

O jamaicano Usain Bolt lembrou na sexta-feira que "regras são regras", embora diga estar desiludido por ter de devolver a medalha de ouro da estafeta 4x100 metros dos Jogos Olímpicos Pequim'2008.
 .
"Não estou totalmente satisfeito com a situação, mas regras são regras", disse Bolt, que perdeu um dos seus nove títulos olímpicos, devido a um teste antidoping positivo do compatriota Nesta Carter.

O velocista, que venceu os 100, 200 e 4x100 metros em Pequim'2008, Londres'2012 e Rio'2016, lembrou que Carter e as autoridades jamaicanas vão recorrer, mas garantiu que esta situação não faz esquecer tudo o que fez na sua carreira.

"Estou desapontado por ter perdido uma medalha, mas isso não apaga o que fiz durante a minha carreira, porque venci as minhas provas individuais e isso é o mais importante", referiu Bolt, que devolveu na sexta-feira a medalha.

Bolt, Carter, Asafa Powell e Michael Frater compunham a equipa que foi desqualificada, depois de uma reanálise da amostra recolhida em Pequim'2008 ter detetado uma substância proibida em Carter.

* Confiança traída aguarda confirmação.

.
.
CHUPA CHUPA

video



.
.

HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

ASAE doou no ano passado 4,4 toneladas
.de bens alimentares a instituições

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) doou no ano passado 4,4 toneladas de bens alimentares e mais de 14.000 bens económicos a 70 entidades de 47 concelhos de 18 distritos de Portugal continental.

De acordo com dados da ASAE, a que agência Lusa teve acesso, no ano passado foram apreendidos em fiscalizações produtos alimentares avaliados em 20.971 euros e produtos não-alimentares no valor de 240.667 euros, num total de 261.637 euros.

Segundo os dados, foram apreendidas 4,4 toneladas de bens alimentares, 72 embalagens e 532 unidades de produtos alimentares. Foram também apreendidas 14.034 peças de vestuário e complementos e outros: 250 unidades de sprays, 42 brinquedos, 30 consolas, duas caldeiras/esquentadores e 44 têxteis domésticos.

Entre as 97 doações efetuadas em 2016, estão produtos como carnes e produtos cárneos, pescado e produtos da pesca, cereais em natureza, chocolates, géneros alimentícios vários (salsichas, pão e queijos), mel, vestuário e complementos, sprays, brinquedos, consolas, caldeiras/esquentadores e têxteis domésticos.
 .
Os distritos de Faro, Lisboa, Santarém e Coimbra foram os distritos onde houve mais instituições a receber bens doados, mais de 10 entidades. De acordo com os dados da ASAE, entre as entidades que receberam doações estão instituições públicas e reinserção social, de apoio à família e comunidade, de apoio a crianças e jovens, apoio na velhice, invalidez, de conservação das espécies e habitats, apoio na deficiência e incapacidade, de resposta social de instituição religiosa local, de apoio e defesa dos animais e de resposta social de instituição de âmbito nacional.

Inspetor-geral faz apelo às empresas 
O inspetor-geral da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), Pedro Portugal Gaspar, apelou este sábado às empresas que ainda se opõem à doação de artigos económicos apreendidos, a aderirem a esta forma de contributo social.

Em declarações à agência Lusa, Pedro Portugal Gaspar adiantou que no ano passado foram apreendidas 4,4 toneladas de bens alimentares, 72 embalagens e 532 unidades de produtos avaliados em 20.971 euros.

No ano passado foram também apreendidas 14.034 peças de vestuário, 250 unidas de spray, 42 brinquedos, 30 consolas, duas caldeiras/esquentadores e 44 têxteis avaliados em 240.667 euros.

Destes bens, 97 foram doados a 70 entidades beneficiárias de 47 concelhos de 18 distritos de Portugal continental, um aumento relativamente a 2015. "Este ano queremos continuar a manter esta equidade, manter a política de doação. Para combater o desperdício queremos continuar a doar não só na área alimentar como na económica através do incentivo", disse.

De acordo com o inspetor-geral da ASAE, o que se pretende é inverter uma situação de ilícito numa lógica de contributo social. "Na área económica é que há mais dificuldades e ainda temos margem para atuar e progredir. Desejamos que as empresas que ainda se opõem em termos de doação possam ser progressivamente convencidas a aderir a este movimento. Passa por haver uma publicitação positiva daquelas que neste momento têm uma política amiga das doações", sublinhou.

No que diz respeito à parte alimentar, Pedro Portugal Gaspar salienta que está sujeita a outros condicionantes. "Nunca se pode pôr em causa a segurança alimentar. Aqui tem de ser visto de forma casuística e em função da urgência e de quase imediatismo da doação. É possível fazer um trabalho planificado, não há é tanto tempo do nosso lado para poder atuar em virtude do produto a doar", disse.

Segundo o inspetor-geral, os bens alimentares carecem de perícia técnica e veterinária para assegurar que os bens podem ser doados e se não colocam em causa a saúde pública. Pedro Gaspar Portugal explicou que dependendo da perícia, os bens podem ser doados para instituições de solidariedade ou para doação para animais e no limite de rações para animais. "Na parte económica não se coloca esta questão, mas o grande desafio é as marcas não se oporem às doações confiando de facto que haja uma cadeia que assegure a descaracterização das marcas. O que está em causa é material apreendido resultante da contrafação e isso resulta de uma adulteração da marca que poderá ou não opor-se à doação", disse.

No que diz respeito a estes bens, o responsável disse que muitas vezes conseguem colocá-los em circuito fechado como estabelecimentos prisionais e de saúde mental, sem necessidade de descaracterização da marca. "Algumas das doações são previamente definidas pelos magistrados judiciais dos processos que determinam que tem de ser feita doação à entidade B ou C", disse. Na opinião do responsável, o balanço dos últimos anos em termos de doações "é positivo" e o objetivo futuro é "continuar numa lógica de equidade geográfica, de diversificação de utilizadores, de beneficiários e envolver cada vez mais as entidades económicas nessa política".

Em 2015, a ASAE tinha apreendido 25,7 toneladas de produtos alimentares e 5.325 produtos não alimentares, no valor total de 302.000 euros. Naquele ano foram feitas 67 doações a 49 entidade de 33 concelhos de 14 distritos.

* A outra boa face menos conhecida da ASAE.

.
.

ESTA SEMANA NO   
"OJE/JORNAL ECONÓMICO"

EPAL quer exportar 
fábrica de água 100% sustentável

ETAR da Guia é um projeto único, é a maior estação portuguesa de tratamento de águas residuais, autosuficiente em termos energéticos e um modelo que pode ser exportado.

A EPAL – Empresa Portuguesa das Águas Livres está a ponderar a exportação da tecnologia e do modelo da ETAR – Estação de Tratamento de Águas Residuais da Guia, em Alcabideche, nos arredores de Lisboa, para diversos mercados internacionais. Mas qualquer processo nesse sentido dependerá sempre da decisão política do ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, que exerce a tutela sobre esta empresa pública, segundo se depreende das declarações exclusivas que José Sardinha, presidente da EPAL, prestou ao Jornal Económico.
.

“Toda a tecnologia e métodos de trabalho utilizados para a prossecução e êxito deste projeto são perfeitamente suscetíveis de exportação para qualquer país de acordo e em consonância com as linhas definidas pelo Ministério do Ambiente para a internacionalização das competências portuguesas neste setor”, adiantou José Sardinha ao Jornal Económico.

A ETAR da Guia é a maior estação de tratamento de águas residuais portuguesa e a primeira ETAR nacional autossuficiente em energia, sendo uma das poucas no mundo com este nível de sustentabilidade ambiental, de acordo com as informações prestadas pela EPAL.

“Com um sistema de cogeração que se baseia no aproveitamento do poder calorífico do biogás, produzido pela digestão anaeróbia de lamas, para produzir energia elétrica, bem como a implementação de outras medidas, a ETAR [da Guia] passou de um consumidor intensivo de energia externa, para uma verdadeira fábrica de água, autossuficiente em energia, projeto realizado com base em recursos e capacidades dos trabalhadores da EPAL constituindo um exemplo da excelência da engenharia e tecnologia 100% portuguesa”, assegura a empresa liderada por José Sardinha.

Segundo a EPAL, “a energia é o principal custo operacional das entidades gestoras do ciclo da água, sendo que esta nova valência permitirá poupar cerca de um milhão de euros por ano” à empresa pública responsável pelo abastecimento de água à maioria da população residente na região da Grande Lisboa.

“A ETAR da Guia é considerada um projeto único que já conquistou um lugar de destaque como uma das maiores obras de engenharia do País e, agora, volta a posicionar-se como uma instalação verdadeiramente sustentável. A empresa tem tido um papel bastante ativo no que diz respeito à defesa do meio ambiente, sendo esta mais uma prova da sua atuação no sentido de atingir uma mudança de atitude na sua proteção”, destaca a administração da EPAL, que garante que a ETAR da Guia “é apenas a primeira, mas poderá constituir-se como um bom exemplo a replicar, em instalações similares, por todo o País”.

Em declarações ao Jornal Económico, José Sardinha sublinha que “o exemplo da ETAR da Guia tem um potencial enorme para ser replicado por outras unidades do Grupo Águas de Portugal e por qualquer unidade portuguesa ou internacional”.

“O sucesso deste exemplo terá procura no mercado nacional e internacional porque é um exemplo de sustentabilidade único nesta área do ambiente, permitindo, no caso da ETAR da Guia, evitar emissões na ordem de 6 mil toneladas de  CO2 [dióxido de carbono]/ano”, assegura o presidente da EPAL.
No entanto, José Sardinha explica que “nem todas as ETAR [da EPAL] têm uma dimensão ou uma conceção processual que lhes permita serem produtoras de energia a partir do biogás produzido nos processos de tratamento”.

“A ETAR da Guia possui a dimensão e a conceção para produzir energia. No contexto atual das ETAR produtoras de energia, a sua capacidade de auto-produção responde apenas por uma pequena parte do consumo total de energia da instalação. Na ETAR da Guia desenvolveu-se uma metodologia de trabalho de otimização processual e tecnológica que permitiu atingir-se a autossustentabilidade energética, caso único em Portugal e um dos poucos no mundo inteiro”, destaca o presidente da EPAL.

José Sardinha acrescenta que “a contínua aposta na qualificação dos recursos humanos da EPAL constitui o aspecto determinante para conseguir desenvolver soluções 100% portuguesas que permitiram que o investimento fosse de 400 mil euros, gerando uma poupança anual de cerca de um milhão de euros”.

José Sardinha revelou ainda que, “após o êxito do projeto na ETAR da Guia, a EPAL irá iniciar a sua replicação para outras unidades, resultando em investimento virtuoso, com retorno imediato”, mas sem quantificar valores.

* Um modelo de empresa na estrada do Guincho.

.
.

O constrangimento
do SPA

1. Olha para o aparelho que acabou de usar e vê que tem uma marca de suor bem do formato do rabo.


2. E a virilha suada  deixa aquela marca inconfundível na legging ou calção.


3. Pode ser óptimo para os glúteos, mas ficar de quatro levantando a perna para uma plateia é uma situação que vou te contar.

5. Não sabe ajustar a altura do aparelho e tenta fingir que queria  assim mesmo.

6. E quando a cuequinha entra onde não deve, bem no meio de um exercício.

7. Na rua pelo menos  está só, mas leve roupa folgada.

8.O treino nem foi tão pesado, mas no dia seguinte  geme de dor sempre que se levanta da cadeira.

QUE RIDÍCULO!


.
.


1140
Senso d'hoje

JAN PHILIPP

ALBRECHT
 EURODEPUTADO ALEMÃO
"O que muda com as novas
regras europeias da
proteção de dados na internet?

video


A 4 de maio do ano passado, os textos oficiais dos novos Regulamentos e Diretivas foram publicados no jornal oficial da UE em todas as línguas oficiais, incluindo claro o português.

As novas diretivas começaram a ser implementadas logo no dia seguinte. As novas regras era para começarem a ser implementados três semanas depois. Ambas têm de estar a ser respeitadas sem exceção a partir de maio deste ano.

O objetivo destas novas regras é o de devolver aos cidadãos europeus o controlo sobre os respetivos dados pessoais e simplificar o quadro legal dos negócios digitais. A proteção dos dados pessoais é um elemento chave do Mercado Único Digital, defende a Comissão Europeia.

Para aprofundarmos o debate sobre a proteção de dados, o tema da presente edição do nosso magazine Insiders, conversámos com o deputado europeu alemão e também relator da União europeia para a Regulamentação sobre a proteção de dados, Jan Philipp Albrecht.

FONTE: EURONEWS

.

ESCOLHAS DE SÁBADO

.
COMPRE JORNAIS







.
.
GATICES

video

.