sexta-feira, 18 de novembro de 2016

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.

12-A ASCENÇÃO

 DO DINHEIRO

O que também grandes banqueiros
e prestigiados políticos não querem
que se saiba acerca do dinheiro


* Veja também "O DINHEIRO COMO DÍVIDA" editado nas 5 semanas anteriores ao do início  desta série neste mesmo horário.

** As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS 

DA MADEIRA"


Castro Marim entregou 6.500 euros para
. vítimas dos incêndios na Madeira

A Câmara Municipal de Castro Marim entregou hoje à Associação de Desenvolvimento de Santo António (ASA), no Funchal, um cheque de 6.500 euros destinado à recuperação das habitações danificadas pelos incêndios de Agosto passado. O donativo foi entregue pelo vereador com o pelouro da Protecção Civil de Castro Marim, Nuno Pereira.
.

Aquando dos incêndios de Agosto, aquele município algarvio decidiu que seria cancelado o programa de fogo-de-artifício de um dos seus maiores eventos culturais - a Festa em Honra de Nossa Senhora dos Mártires e Dias Medievais – e que a verba em causa reverteria para ajuda às famílias do Funchal.

A Câmara Municipal de Castro Marim decidiu entregar o donativo à ASA pois é uma entidade que tem a responsabilidade de recuperação das habitações com danos parciais. No momento da entrega do donativo, o presidente da ASA, Ilídio Castro, agradeceu o gesto de apoio e garantiu que o valor seria bem aplicado.

* Ideia exemplar a da Câmara Municipal de Castro Marim, já agora visite a belíssima e histórica vila, ficará deslumbrado.

.
.

O futuro da

Caixa Geral de Depósitos



CLIQUE EM "Programa OLHOS NOS OLHOS"

Se no dia do programa, 16 de Novembro, não teve oportunidade de ficar mais esclarecido sobre o tema, dispense-se tempo para se esclarecer agora, este programa é extenso mas terrivelmente claro e polémico.
Fique atento às declarações do Dr. Arlindo de Jesus.

.
.
HOJE NO
  "JORNAL DE NEGÓCIOS"

Centeno não confirma acordo escrito
com António Domingues

O ministro das Finanças foi questionado sobre a existência de um acordo escrito com a administração da CGD que dispensava estes gestores a entregarem declaração de rendimentos. Centeno não confirmou, mas também não negou de forma categórica.

Existiu ou não um compromisso escrito do Governo a dispensar a nova administração da Caixa Geral de Depósitos, presidida por António Domingues, da entrega da declaração de rendimentos no Tribunal Constitucional? O ministro das Finanças, Mário Centeno, foi directamente questionado sobre o assunto ao início da tarde, no final de uma reunião com o comissário Pierre Moscovici, e disse que o único compromisso do Governo foi manter a CGD na esfera pública.
.
"O compromisso do Governo é que a CGD se manterá um banco público, um banco capitalizado de maneira a desempenhar todo o papel no sistema financeiro, e um banco competitivo", preferiu dizer. "Esse compromisso foi assumido de forma muito clara, é esse o único compromisso que temos". Ou seja, Centeno não negou de forma cabal que tenha existido um acordo, embora dê a entender que ele não existiu.

Centeno acrescentou que "todos os actores envolvidos no processo, quer a CGD, quer o Governo, estão comprometidos com este objectivo último, de a CGD ter papel muito relevante na economia portuguesa". E depois reiterou um pedido. "As instituições funcionam em Portugal. É tempo de deixar as instituições funcionarem e toda esta situação se vai clarificar", pediu, mostrando-se confiante numa Caixa "mais forte e competitiva".

No final do encontro com Pierre Moscovici, o comissário europeu responsável pelos assuntos económicos, Mário Centeno mostrou-se confiante com a evolução da economia e disse que havia seis boas notícias. "Portugal cumpriu com a acção efectiva de forma a controlar a despesas pública em 2016"; por isso, "a Comissão decidiu suspender o procedimento por défices excessivos".

Adicionalmente," existe a possibilidade real de a Comissão encerrar definitivamente em 2017", e pela "primeira vez desde 2009", o procedimento dos défices excessivos. Em consequência da tomada de acção efectiva, a Comissão decidiu "a não suspensão dos fundos comunitários". "Quinta boa notícia: tivemos uma avaliação positiva por parte da Comissão acerca das reformas estruturais colocadas no Programa Nacional de Reformas".

A acabar, a "aceitação do Orçamento do Estado para 2017, sem pedido de medidas adicionais".

"Portugal cumpre os seus compromissos"

Apesar de positivas, "essas boas notícias redobram a nossa responsabilidade, devemos dar continuidade a estes bons resultados em 2017 e nos anos seguintes", assinalou Centeno.

"Portugal é um país que cumpre os seus compromissos", que "têm sido reiteradamente afirmados", pelo "crescimento, emprego e consolidação das contas públicas". Centeno notou que os números do PIB "surpreenderam muitos analistas", mas o "enquadramento que vivemos hoje é muito mais positivo do que no início do ano", nomeadamente a "nível da confiança interna e externa".

"Portugal está num caminho de crescimento, credibilidade e cumprimento das metas e isso é importante de notar", resumiu Centeno.

* O caso dos administradores da CGD já cheira muito mal.

.
.


Grão Mogol

OS PRESÉPIOS DE PEDRA


.
.
HOJE  NO
"DESTAK"
Países lusófonos vão ter 
"plano de leitura CPLP"

Os países lusófonos vão ter, no próximo ano, um plano de leitura, uma proposta do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), que pretende dar a conhecer a "riqueza literária" da comunidade, anunciou hoje a diretora-executiva deste organismo da CPLP.
.
O NOVO PROFESSOR DE PORTUGUÊS DA CPLP

A proposta do "plano de leitura CPLP" (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) deverá ficar concluída no primeiro trimestre de 2017 e o projeto deverá arrancar ainda no próximo ano, adiantou Marisa Mendonça, em declarações à Lusa, à margem do congresso "Língua e Cultura Portuguesas - Memória, Inovação e Diversidade", organizado pela Universidade Lusófona.

Este plano de leitura será "uma mais-valia incontornável" para os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), "uma vez que não têm até este momento um plano nacional de leitura" e, assim, será "uma alternativa boa e mais alargada", referiu a responsável do IILP, no encontro.

* Ponham o ditador Obiang a ensinar a língua portuguesa.

.

JOÃO SANCHES

.



Pré-mercado

Vêm aí sete semanas nervosas - é o que nos sugerem Nuno, Vitória e Jesus

Sem bola, marcam-se à zona. O nosso campeonato conheceu uma pausa depois da jornada de clássico no Dragão e o periscópio virou-se para o desfile das seleções na passadeira FIFA, mas nem por isso os treinadores de FC Porto, Benfica e Sporting deixaram de ter intervenções públicas que soaram a recados e avisos.

Até ao fim do ano, as próximas sete semanas prometem animação, nervosismo e algumas definições nas diversas frentes competitivas em que os grandes sempre guerreiam - UEFA incluída. Mas com diferenças curtas e ainda mais de sete dezenas de pontos sem conhecerem dono, é para a Liga que olham Nuno Espírito, Rui Vitória e Jorge Jesus.

O técnico portista, com uma declaração duplamente pontiaguda, dizia há dois dias que "o melhor ainda está para chegar" - tenta antecipar um sinal à equipa para se "levantar rápido", mas também recicla a expectativa do adepto, subtraindo-lhe o que ainda há para diminuir no que diz respeito a tolerância.

Mas Nuno sabe que há pelo menos uma oportunidade, a exigir-lhe perfeição, para colher dividendos nas contas do título antes que o mercado de inverno nasça para todos: Benfica e Sporting vão defrontar-se na Luz.

Um porque vai cinco pontos à frente, outro porque vai cinco pontos atrás, Vitória e Jesus estão na mesma frequência do concorrente portista e fizeram ontem prova oral dos propósitos que os dominam - um porque deseja lesões enfim a léguas dos bons que lhe têm faltado, outro porque tem urgência na injeção de nova dose de crença nos adeptos que se fizeram resmungões.

IN "O JOGO"
12/11/16

.
.


1055.UNIÃO


EUROPEIA



.
HOJE  NO
"i"
Caso das Secretas. 
Silva Carvalho condenado por abuso de
. poder, violação de segredo de estado
.e acesso ilegítimo a dados

Nuno Vasconcellos, antigo presidente do grupo Ongoing, foi absolvido de corrupção passiva.

Jorge Silva Carvalho, antigo diretor do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED), foi condenado a uma pena de quatro anos e seis meses de prisão, com a possibilidade de a pena ser suspensa, pelos crimes de violação do segredo de Estado, abuso de poder e ainda devassa da vida privada, devido a um relatório sobre Pinto Balsemão.

O Superespião, como ficou conhecido, foi absolvido de corrupção passiva.
.
Também João Luís, ex-funcionário do Sistema de Informações de Segurança (SIS) e do SIED, Nuno Dias, também antigo funcionário do SIS, e Gisela Teixeira, ex-operadora da (então) Optimus, foram condenados por acesso ilegítimo a dados pessoais. O superespião e João Luís foram também considerados culpados de abuso de poder.

Silva Carvalho era acusado de se ter servido da sua antiga posição para espiar o telemóvel do jornalista do Público Nuno Simas, a quem terá de pagar uma indemnização de15 mil euros, enquanto Pinto Balsemão será indemnizado em 10 mil euros.

Também Nuno Vasconcellos, antigo presidente do grupo Ongoing, foi absolvido de corrupção passiva.

* Até parece fácil não se ser preso em Portugal, mesmo que se violem segredos de Estado.

.
.


III-HISTÓRIA DO SÉC.XX
1- OS TOTALITARISMOS
DE 1933 A 1939

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
IMAGINE


.
.
HOJE  NO
"A BOLA"

HOLANDA 
Luta bárbara entre adeptos 

Adeptos do Estrasburgo e Nancy enfrentaram adeptos do Feyenoord num bosque.

 O vídeo pode chocar os mais sensíveis.



* Isto é futebol.

.
.


Leonard Cohen

Dance Me to the End Of Love


.
.
HOJE  NO
"AÇORIANO ORIENTAL"
Investigadores concluem que
 ilha de Santa Maria 
está a erguer-se do fundo do mar

A ilha de Santa Maria, a mais antiga dos Açores, é a única no arquipélago que está a subir relativamente ao fundo do mar, um "fenómeno raro em ilhas oceânicas", concluiu uma investigação liderada pela Universidade dos Açores.
.
“O que os nossos dados indicam é que Santa Maria subiu nos últimos 3,5 milhões de anos uma média de 60 metros por cada milhão de anos, o que dá seis metros em 100 mil anos, 60 centímetros em dez mil anos e seis centímetros por cada mil anos”, afirmou, em declarações à agência Lusa, o investigador da academia açoriana Sérgio Ávila.
O biólogo marinho e especialista em moluscos marinhos, docente no departamento de Biologia da Universidade dos Açores, lidera há vários anos uma equipa de investigação multidisciplinar que se dedica ao estudo da evolução geológica da ilha de Santa Maria, com 6,1 milhões de anos.

Segundo Sérgio Ávila, a ilha de “Santa Maria é uma caixinha de surpresas”, que tem permitido aos investigadores obter “muitos dados e novidades científicas”, que são depois dadas a conhecer ao mundo através de artigos científicos publicados em revistas internacionais de geologia ou paleontologia. Para o investigador, a “única explicação razoável” para este “fenómeno raro em ilhas oceânicas” tem a ver com o facto de a “lava que vem das profundidades da crosta oceânica a uma determinada altura não conseguir chegar à superfície, e essas acumulações de magma criam uma espécie de calço debaixo da ilha, fazendo-a levantar”.

“Santa Maria é um caso muito curioso, que é raro em ilhas oceânicas. Está documentado em outras ilhas, como por exemplo em Cabo Verde, mas no caso dos Açores Santa Maria é a única ilha que tem essa história geológica particular”, adiantou o investigador, revelando que a sua equipa tem publicado uma média de dez artigos científicos por ano.

Esta semana foi publicado na revista norte americana “Eos”, dedicada às ciências da terra, um artigo Santa Maria, dando conta de que a ilha inverteu o movimento de descida e começou a soerguer-se dos fundos oceânicos que a rodeiam.

Sérgio Ávila destacou que Santa Maria é um “caso muito particular”, porque “já foi ilha duas vezes”, sendo que a primeira desapareceu devido à ação de erosão marinha, dando origem a um monte submarino de grandes dimensões.

“Durante cerca de um milhão de anos a ilha foi totalmente arrasada e desapareceu. Só reapareceu a segunda ilha por reativação da atividade vulcânica”, explicou Sérgio Ávila, acrescentando que a primeira ilha de Santa Maria “afundou-se a uma taxa média de cerca de 100 metros por cada milhão de anos”.

A história geológica e a história dos fósseis da ilha de Santa Maria pode ser vista num vídeo, com duração de cerca de 15 minutos, na Casa dos Fósseis, em Vila do Porto, ilha de Santa Maria, infraestrutura que abriu ao público em setembro deste ano para promover e divulgar “o rico espólio e património geológico e paleontológico de Santa Maria. 

 * O que se chama um "escândalo Geológico".
.
,
HOJE NO
  "CORREIO DA MANHÃ"
Proteção Civil alerta para chuva
 intensa, vento forte, queda de neve
 e agitação do mar 
.
O estado do tempo deve agravar-se em Portugal continental, até segunda-feira, com a previsão de aguaceiros intensos, vento forte, queda de neve e agitação do mar, avisou hoje a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC). 

Num aviso à população, a ANPC alerta para agitação marítima, a partir de hoje e até ao final da manhã de sábado, no litoral norte e centro e na região de Lisboa, com ondas de noroeste de quatro metros. A chuva, em regime de aguaceiros intensos, deverá ocorrer em todo o território continental a partir do final da noite de sábado, mantendo-se no domingo. 

* Abrigue-se e aos seus.

.
.

 NENHUMA SOCIEDADE
QUER QUE SEJAS SÁBIO!
LIBERTA-TE


.
.
HOJE  NO 
"OBSERVADOR" 

Petróleo. 
Governo ainda não desistiu de
 rescindir contrato com Sousa Cintra

Governo assegura que não está impedido de rescindir o contrato com a Portfuel para a pesquisa de petróleo no Algarve. Empresa de Sousa Cintra diz ao Público que prazo legal para rescindir já passou. 
 .
O Governo ainda não desistiu de rescindir o contrato de prospeção e pesquisa de petróleo assinado pelo anterior Executivo com a Portfuel, empresa de Sousa Cintra. Mas quer ter argumentos jurídicos que permitam avançar com a rescisão sem ter de pagar uma indemnização.

O jornal Público avançou esta sexta-feira com a informação de que o Governo tinha deixado passar o prazo legal para rescindir os contratos de concessão com a Portfuel para a pesquisa e exploração de petróleo no Algarve. O jornal citava o advogado da Portfuel. Segundo André Duarte Figueira, a secretaria de Estado da Energia desencadeou o processo de rescisão, tendo para isso invocado incumprimentos vários do contrato, mas deixou passar o prazo legal fixado pelo Código do Procedimento Administrativo de 180 dias, sem tomar a decisão. E ao falhar esse prazo, o procedimento caducou, concluiu.

Face a estas notícias, a secretaria de Estado da Energia esclareceu que o “Governo, e os serviços dependentes, não estão, de maneira nenhuma inibidos de rescindir o contrato que o anterior governo autorizou que fosse assinado com a Portfuel e que lhe concedeu, para efeitos de prospeção de petróleo e gás, quase metade do território do Algarve”.

No mesmo esclarecimento, o gabinete de Jorge Sanches Seguro recorda que foram pedidos esclarecimentos, ao Conselho Consultivo da Procuradoria Geral da Republica sobre a legalidade deste contrato, “para uma decisão que melhor defenda o interesse público”.

Mas o primeiro parecer da PGR considerou que não existia fundamento legal para rescindir o contrato de concessão de pesquisa e exploração de petróleo na Bacia do Algarve porque a adjudicação tinha sido feita ao abrigo do “poder discricionário” pelo anterior governo. No entanto, a secretaria de Estado da Energia enviou novas perguntas à PGR questionando a legalidade desta adjudicação. Não se conhece ainda o teor desta nova resposta, mas o Observador sabe que o objetivo do Executivo continua a ser o de rescindir, tendo como fundamento argumentos legais que evitem o pagamento de uma indemnização.

Para além da legalidade do contrato, existem outras formas para travar a pesquisa e exploração de petróleo, que é fortemente contestada pelas entidades locais. Para prosseguir, a Portfuel tem de ver autorizados os planos de trabalho junto da ENMC (Entidade Nacional do Mercado de Combustíveis), uma entidade que depende da secretaria de Estado da Energia. E desde que este Governo está em funções, não foi aprovado nenhum plano.

No esclarecimento, o “Governo garante que nada será feito que não cumpra a lei e salvaguarde o interesse público, nomeadamente do ponto de vista regional e financeiro. Foi, nesse sentido, que foram dadas instruções aos serviços para que sejam cumpridas todas as normas legais e as mais recentes recomendações da Assembleia da República”.

* Quem foi que no governo deu credibilidade ao ex-rei da água, ex-soba da cerveja e leão sem juba, futuro ex-régulo do "pitrol", QUEM?

.
.
HOJE  NO 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Concerto dissonante à porta do 
Governo em protesto pela situação
 no Conservatório

Um grupo de professores do Conservatório de Música – Escola das Artes realiza segunda-feira, a partir das 10h00, na placa central em frente à entrada do edifício do Governo Regional, um “concerto dissonante” “como forma de protesto pela falta de vontade que a Secretaria Regional de Educação tem demonstrado em dialogar com vista a encontrar uma solução para os problemas que têm vindo a afectar estes docentes”. A iniciativa foi anunciada num comunicado do Sindicato dos Professores da Madeira (SPM).
 .
De acordo com a nota do SPM, o “concerto dissonante” será antecedido de um plenário sindical que incluirá intervenções sobre a situação profissional dos professores do Conservatório, bem como a entrega na Secretaria chefiada por Jorge Carvalho de um abaixo-assinado/petição em defesa da instituição e dos seus professores. Na mesma oportunidade serão definidas novas formas de luta.

* - Professores! O governo não merece a vossa música.

.
.

OFICINA EMALADA


.
.

HOJE  NO
"RECORD"

Fernando Santos: 
«Sorte e milagres existem 
mas dão muito trabalho»

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro atribuiu esta sexta-feira o grau de Doutor Honoris Causa ao selecionador nacional Fernando Santos que dedicou a distinção à sua família.
 .
Na Aula Magna da universidade, em Vila Real, o técnico - que esteve acompanhando pela família e pelos seus adjuntos Ilídio Vale e Jorge Rosário, além de Humberto Coelho, João Vieira Pinto, Carlos Godinho e Tiago Craveiro - sublinhou que se tivesse de elaborar uma tese de doutoramento teria o título de "Como ganhar um Europeu de Futebol", mas ia precisar de várias horas. "Assim foi mais simples", referiu.

"Sou um gestor, um líder de toda uma equipa de trabalho", sublinhou perante os presentes, respondendo a quem continua a dizer que a conquista do Euro'2016 foi uma questão de sorte.

"Sorte e milagres existem, mas dão muito trabalho para conseguir. Os portugueses podem dizer com orgulho que somos campeões da Europa, mas atenção que ainda temos muito para fazer", concretizou.

* Não gostamos da sua estratégia em campo, mas foi com ela que fomos campeões da Europa, milagre não houve, nem sorte, trabalho sim, teimosia muita e só podemos estar-lhe gratos. Merece o "honoris"!


.
.
HOJE NO 
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Independentes apoiam Luísa Salgueiro
 e indicam Pinheiro para vice

Os independentes apoiaram, esta quinta-feira, por "larga maioria" o nome de Luísa Salgueiro como candidata a Matosinhos, que terá como "vice" Eduardo Pinheiro, disse ao JN Guilherme Pinto.
.
INTELIGENTE E BONITA
Na reunião que decorreu à noite e que contou com cerca de 150 pessoas, a negociação entre PS e os independentes para a candidatura que o partido apresentará nas próximas autárquicas recebeu luz verde. E Guilherme Pinto, presidente da Câmara eleito pelo movimento independente, conta que recebeu "carta branca para a escolha do cabeça de lista", tendo registado já na reunião desta quinta-feira "uma larga maioria claríssima a favor de Luísa Salgueiro".
Acertado ficou também que o número dois à Câmara e o candidato à Assembleia Municipal serão indicados pelos independentes. E, neste caso, "em princípio será Eduardo Pinheiro" a candidatar-se como número dois de Luísa Salgueiro, referiu o líder do movimento. Eduardo Pinheiro já é o vice-presidente de Guilherme Pinto e tinha sido defendido como cabeça de lista por alguns independentes. Para a Assembleia Municipal, Guilherme Pinto deixou claro que será candidata Palmira Macedo se esta autarca quiser.
Em entrevista ao JN, Guilherme Pinto já havia manifestado apoio à deputada socialista, registando que o PS não abriu mão de que o primeiro candidato à Câmara fosse um militante. E também Manuel Pizarro, líder da Distrital que avocou o processo, declarou apoio a Luísa Salgueiro, embora o nome tenha ainda de ser votado na Distrital. Por sua vez, Luísa Salgueiro disse ao JN estar disponível para ser candidata com a promessa de "reunificar o partido".
O presidente da Câmara sublinhou esta sexta-feira de manhã que foram quase inexistentes as intervenções contrárias à estratégia definida que passa pela apresentação de uma lista conjunta com o PS. Foram pelo menos duas, segundo fontes presentes.
"Pela primeira vez, vamos conseguir criar condições para que haja uma pacificação total na área do PS", destacou Guilherme Pinto ao JN, no âmbito do balanço da reunião. E insistiu que os independentes se manterão até ao final do mandato nesta condição, podendo depois regressar ao partido, como já foi defendido pelo PS.
"Matosinhos é socialista e durante muito tempo vivemos situações complicadas", recordou, referindo-se às sucessivas divisões internas.

* Como feministas somos a favor de mulheres inteligentes à frente das autarquias, de preferência bonitas.

.
.
 ORDINARECOS













.
.


1068
Senso d'hoje
IVAN PERNAR
DEPUTADO CROATA
"SOBRE A ADESÃO À UE E NATO"



FONTE : Eduardo Lima

.

NOTÍCIAS PARA HOJE

.
COMPRE JORNAIS












.
.

BOM DIA


.
.


1-SÉRIES
FORA "D'ORAS"

XXIV-BALLET ROSE


VIDAS PROÍBIDAS


Ballet Rose - Vidas Proibidas foi uma série de televisão portuguesa produzida pela NBP em 1997 e exibida pela RTP 1 em 1998, que tinha como cabeça de cartaz a actriz Sofia Alves, que protagonizava cenas íntimas na série. Esta baseava-se no escândalo que rebentou em 1967 em Portugal, em que diversos homens ligados às mais altas cúpulas do Estado Novo participavam em orgias com crianças entre os 8 e os 12 anos e em práticas de sado-masoquismo, as quais levaram à morte de, pelo menos, uma mulher.

..