sábado, 5 de novembro de 2016

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.


XVI-SEM VERGONHA


VIRGINDADE FEMININA

video


ATÉ AO PRÓXIMO SÁBADO

A NOSSA FICÇÃO
A MÓNICA MOREIRA LIMA, jornalista de profissão não chegavam as notícias comezinhas do quotidiano, nem que fosse uma bomba de neutrões.
Pensou, pensou, engendrou equipa tão louca como ela, baratinou os maiorais da TV GUARÁ e "amadrinhou"o "SEM VERGONHA" programa despudorado tão ao nosso gosto, cheio de pimenta por todo o lado, sem qualquer grosseria e divertido.
Ela só pode ser inteligente e boa!

O QUE DIZ A AUTORA
O Sem Vergonha é o programa mais polémico e irreverente da TV brasileira. Já rendeu vídeos para os quadros Top Five do CQC e Passou na TV do Agora é Tarde, ambos da BAND. Foi tema de uma matéria de duas páginas na maior revista de circulação nacional, a VEJA. E culminou com uma entrevista antológica ao Rafinha Bastos, no Agora é Tarde. Todos os programas estão disponíveis no blog e no YouTube. Não recomendo sua exibição para menores de 18 (anos ou cm) para evitar traumas futuros. Falo de sexo sem pudor, sem frescuras, sem meias palavras, sem eufemismos e com muito bom humor. Advertimos que o Sem Vergonha pode provocar ereções involuntárias e uma vontade irreprimível de dar, sem restrições de orifícios.


FONTE: TV GUARÁ

..
.


6-ESPARTILHO



.
.

7-Filho da Mãe
1ª Temporada

O Final

video

.




5-ESPARTILHO


.
.

ALERGIA ALIMENTAR


2- TRATAMENTO MEDICAMENTOSO

video

Uma interessante série conduzida pelo  Dr. Aderbaldo Magno Sabrá, Membro Titular Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Membro da Academia Nacional de Medicina,Professor de Pediatria, Gasteroenterologia e Alergia Alimentar.

* Uma produção "CANAL MÉDICO"

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.




4-ESPARTILHO



.
.

Ao encontro duma
criminosa sem face 

video



FONTE: NERDOLOGIA


.



3-ESPARTILHO



.

ROSÁRIO GAMBOA

.



Luz de outono

Como se faz uma cidade? Como se religa, comunica, diferencia e anima uma comunidade plural em torno de uma referência comum cujo corpo é volátil, instável, uma identidade aberta em permanente procura de si? Toda a cidade é um lugar que ultrapassa o lugar físico e material onde se inscreve. 

Toda a cidade é um cosmos e uma constelação de um cosmos maior onde a célula mais pequena tem uma relação de pertença com o corpo, sem mimeticamente se confundir com ele. 

Na aurora do inverno, o Porto debate no Fórum do Futuro as Ligações.
Ligar o quê a quê? Porquê? Como? Não há uma resposta objetiva e clara; não há um centro único de discussão; não há sequer o desejo de uma conclusão, "mesmo que provisória". Há, sim, ligações, e as ligações são a essência da cidade.

Discutir ligações "é um grito contra a incomunicabilidade que cresce e, sem darmos por isso, se instala no tumor social" (Tolentino de Mendonça, "Expresso", 3 set, 2016), é inventar pontes imprevisíveis comunicando saberes, disciplinas (as neurociências com a arte, a arquitetura com a divindade), misturar linguagens e abordagens numa visão horizontal, estar no veio da ligação, "entrelugares", "é ousar, arriscar, agarrar o espírito do tempo (o zeitgeist) e não glosar outros tempos" (Paulo Cunha e Silva, 1999:18) para articular em conjunto, em voz alta, interrogações como as que inquietam Dominique Wolton: será que o fim da distância física revela a extensão da distância cultural? E como é que num mundo onde tudo é visível, mas onde cada indivíduo continua cioso da sua identidade cultural, pessoal e comunitária, pode corresponder ao desafio deste início de século evitando a guerra e reconhecendo realmente a diversidade, a aceitação dos deveres de uns e outros e organizar a sua coabitação cultural?" (in, programa Fórum do Futuro). Ali Smith recorda que "nunca existimos num só tempo, nem temos uma identidade fixa" e para Laraaji o segredo está no riso: "rir mantém o corpo aberto, vulnerável", exposto ao Mundo, e esta abertura é condição essencial para o encontro com outro; encontro autêntico, vivido e refletido.

Sob a luz dourada do outono os dias alongam-se no corpo contínuo das ligações. Passar de um Mundo centrado sobre si (uma cidade ou uma vida recolhida, escondida sobre si) para o espaço cósmico onde cada célula vive é restaurar, no debate livre, o sentido político de uma cidade que se pensa e faz cosmopolita.

* PRESIDENTE DO POLITÉCNICO DO PORTO

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
04/11/16

.
.


1042.UNIÃO


EUROPEIA







2-ESPARTILHO


.
.
Em caso de catástrofe, 
conta-se com o Walk-Man

video


FONTE: EURONEWS

.
.
IX-VIDA SELVAGEM
1- O Dragão da Comodo
video






1-ESPARTILHO



.
.
RECORDANDO

Beatriz Costa

Aldeia da roupa branca

video

.
.
HOJE   
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Juncker quer mudar código de ética 
da Comissão por causa de Barroso

Atual presidente da Comissão Europeia propõe estender até aos três anos período que obriga a pedir autorização para ir para o privado

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, quer alterar o código de ética da Comissão Europeia, na sequência da vaga de indignação depois de Durão Barroso, seu antecessor, anunciar que iria ser presidente não-executivo da Goldman Sachs.
.
Em entrevista ao jornal belga Le Soir, publicada este sábado, Juncker - que foi amplamente criticado pela reação tardia ao anúncio do novo cargo de Barroso, já que só em setembro foi conhecido que esta nomeação, ocorrida em julho, iria ser analisada por um comité de ética da Comissão - admitiu que "é preciso alterar do código de ética" e mexer no dever de reserva dos antigos comissários.

Em termos de medidas concretas, o presidente do executivo europeu quer estender até aos três anos o período pelo qual os líderes da Comissão Europeia mantêm obrigatoriedade de solicitar uma autorização ao antigo empregador para aceitar cargos em grupos privados.

Durão Barroso respeitou o período de 18 meses atualmente em vigor, tendo no final do mês de outubro o comité de ética da Comissão decidido que o presidente entre 2004 e 2014 não tinha violado as regras ao ir para a Goldman Sachs, mas demonstrara falta de "sensatez".

Para Juncker, é necessário ainda aumentar este tempo de espera, até assumir novos cargos, também para os comissários, para propõe apenas 24 meses, já que o presidente da Comissão, por ter o dever de vigilância, deve ficar numa "posição diferente".

"Se o colégio [de comissários] não aceitar esta posição, direi publicamente que não aceitarei emprego em qualquer banco ou empresa durante três anos", frisou. Recorde-se que Juncker já tinha admitido, numa entrevista anterior na France 2, que não teria feito o mesmo que Barroso.

A proposta de alteração do código de conduta da Comissão, feita agora por Juncker, vem no seguimento do relatório do comité de ética, ao qual o presidente solicitou parecer ao abrigo do artigo n.º 245 do Tratado de Funcionamento da União Europeia, que exige aos comissários e ex-comissários "o total respeito pelos princípios de discrição e integridade".

O organismo assinalou que Barroso não violou qualquer disposição legal mas deveria ter tido noção de que, ao aceitar o cargo, iria "provocar criticismo e arriscava causar danos de reputação à Comissão e à União de uma forma mais geral".

A ida de José Manuel Durão Barroso para a Goldman Sachs suscitou muitas críticas, incluindo de líderes europeus como o presidente francês, François Hollande, e uma petição impulsionada por funcionários das instituições europeias, que reuniu mais de 150 mil assinaturas, a reclamar "medidas fortes" para pôr fim à chamada "porta giratória" em Bruxelas -a passagem de antigos comissários para cargos no setor privado que coloquem em causa a reputação das instituições da UE.

* O que importa na notícia é a desfaçatez de Juncker. Notícia do "OBSERVADOR", (02/11), leia em baixo,  o presidente da Comissão é conivente na "burla" de Hollande contra os países cumpridores da UE, que moral tem?
Fez bem Marisa Matias em perguntar-lhe um dia se não tinha vergonha do que andava a fazer.

####////####
.

O2/11/16
 "OBSERVADOR"

França fez “acordo secreto” com
 a Comissão Europeia para 
não cumprir o défice

Dois jornalistas investigaram durante cinco anos a presidência de Hollande e revelam agora, num livro, que o presidente francês fez um "acordo secreto" com a União Europeia para não cumprir o défice.

Dois jornalistas do Le Monde escreveram um livro sobre a presidência de François Hollande. Na obra, já considerada “um suicídio político” do presidente francês, revelam que Hollande fez um “acordo” com a Comissão Europeia para não cumprir o défice.
MERKEL, RENZI, JUNKER E HOLLANDE
Segundo o livro “Un président ne devrait pas dire ça…” (“Um presidente não deveria dizer isso”), Hollande fez um “acordo secreto” com a União Europeia para não cumprir as metas do défice, apresentando sempre previsões orçamentais falsas. O acordo acontece desde que Hollande foi eleito, em 2012, e segundo os autores vigora até 2017. Foi assim que a França escapou a qualquer processo de sanções por incumprimento do défice.

A obra é fruto de cinco anos de investigação — de dois jornalistas do Le Monde, Gérard Davet e Fabrice Lhomme — que realizaram 61 entrevistas e recolheram mais de 100 horas de gravações de conversas com o presidente francês.
O Presidente Hollande afirmou, citado no livro:
É o privilégio dos grandes países (…) nós dizemos: nós somos a França, nós protegemos-vos, temos umas forças armadas, uma força de dissuasão, uma diplomacia (…) Eles, os europeus, sabem que precisam de nós e portanto isso paga-se”, avança o DN.
O Expresso leu a obra e refere que a promessa de França à Comissão Europeia de manter o défice abaixo dos 3% do Produto Interno Bruto (PIB) foi “uma mentira pura e simples, aceite por todas as partes“, tanto no período da presidência de Durão Barroso como na atual presidência de Jean-Claude Juncker.
Diversos dirigentes dos socialistas franceses vieram já mostrar a sua indignação para com a situação e o comportamento do seu Presidente e até o primeiro-ministro Manuel Valls garante a “vergonha e cólera” sentidas pelos militantes socialistas.
Podemos escrever que, durante todo o quinquénio, as autoridades francesas apresentaram previsões do défice intencionalmente falsas, e isso com a aprovação das próprias autoridades europeias”, lê-se no livro citado pelo Expresso.
François Hollande não desmentiu quaisquer das informações, nem mesmo as relativas a política interna. A poucos meses das eleições presidenciais francesas, tais revelações podem muito bem ditar a derrota dos socialistas.

* Este é o verdadeiro papel dos profissionais de comunicação social, desmascarar as tramóias dos grupos de poder.


.
HOJE 
"RECORD"

ATLETISMO 
Seis mil a correr no Porto

As grandes competições regressam a Portugal com a realização, amanhã, da Maratona do Porto, este ano tendo anunciado um total de inscrições superior a 6 mil corredores. A prova aposta em quatro portugueses que poderão surgir nos lugares da frente.
.

Em femininos, Filomena Costa, que ficou fora da representação olímpica, aposta agora num resultado forte tendo em vista os Mundiais de 2017. Tem como concorrente a agora individual Catarina Ribeiro, que fará a estreia na competição. Mas as favoritas serão as etíopes Guteni Shone (2:23.32h como recorde pessoal) e Belaynesh Shifera Yizegu (2:31.08h).

Nos homens, as apostas portuguesas recaem em Alberto Paulo e José Moreira. Os favoritos são o eritreu Yonas Kifle (2:07.34h); os quenianos Samuel Mwaniki, Pius Kirop, Patrick Muriuki e Gilbert Maina, todos com marcas abaixo das 2:10.33h; e o japonês Yuki Kawauchi (2:08.14h).

* Uma grande festa será!

.
.
SUDÃO DO SUL
 A MAGIA DA ESCOLA

video


FONTE: UNICEF

.
.
HOJE NO 
"CORREIO DA MANHÃ"

Hugo Ernano paga a pai 
que levou filho para assalto

Cinquenta e cinco mil euros. Foi este o valor que o militar da GNR Hugo Ernano entregou esta sexta-feira, no Tribunal de Loures, referente a uma indemnização. 

O caso remonta a agosto de 2008 quando, no decorrer de uma perseguição, matou acidentalmente com um disparo um adolescente de 13 anos que foi levado para um assalto pelo próprio pai, em Santo Antão do Tojal, Loures. 

Ernano foi condenado a pagar 44 mil euros à mãe do menor e 11 mil ao pai. Uma onda de solidariedade juntou-se ao militar e, em 71 dias, seis mil pessoas conseguiram juntar 55 mil euros. 
.
video
ESCUTE MOITA FLORES

"Sinto-me a Santa Casa da Misericórdia. Acabei de entregar um terceiro prémio do Euromilhões. Agora que façam o que quiserem com ele", referiu o militar. Acompanhado por amigos, agradeceu aos que contribuíram: "As pessoas que ajudaram fizeram-no por todos os que passam situações como esta. Estou a pagar pelo meu trabalho". 

Ao CM, confessou que "voltaria a fazer exatamente o mesmo" e que "os agentes da autoridade não têm de ficar inibidos de trabalhar". Encontra-se suspenso de funções e recebe um terço do salário. 

* Mais do que uma vez referimos o nosso respeito e consideração pelos agentes da PSP e GNR.
A Justiça obrigou a indemnizar um casal de bandidos por o facínora do pai ter  levado o filho para o assalto onde em fase de perseguição policial a criança perdeu a vida.
Com este exemplo não faltarão mais exemplos de malfeitores que levarão para futuros crimes crianças como escudo.
Hugo Hernano foi alvo de outra justiça, a solidariedade, bonito de se ver.

.
.

ESTA SEMANA NO
  "OJE/JORNAL ECONÓMICO"

Start-up portuguesa prepara 
entrada na bolsa de Nova Iorque

A Farfetch, avaliada em mil milhões de dólares, vende os produtos de centenas de lojas multimarca de luxo distribuídas por todo o mundo, sobretudo na área do vestuário. 
 .
José Neves, 40 anos, 
fundador e CEO da Farfetch
A Farfetch é a primeira “start-up” portuguesa avaliada em mil milhões de dólares (cerca de 909 milhões de euros).

A empresa portuguesa de moda de luxo sediada em Londres, está a preparar a sua entrada na bolsa de Nova Iorque, segundo a agência Bloomberg, que refere que os responsáveis da empresa estão a proceder no sentido de preparar a dispersão das acções e a entrada em bolsa.

A empresa vende os produtos de centenas de lojas multimarca de luxo distribuídas por todo o mundo, sobretudo na área do vestuário com 420 mil clientes activos em mais de 150 países.

A decisão da entrada ainda não é definitiva e a empresa pode seguir a via de aguardar até 2018 para a entrada na bolsa.

* Uma bela notícias, só temos que desejar sucesso.

.
.
PÕE NA RODA
REVELAÇÕES

video


.
.
ESTA SEMANA NO 
  "A BOLA"

Ténis
Murray número um… sem jogar

Andy Murray nem precisou de ganhar a Milos Raonic para destronar Novak Djokovic como número um do mundo. 
 .

A desistência, por lesão, do canadiano coloca o escocês na final do Masters de Paris e na liderança do ‘ranking’ ATP.

Na final, Murray vai medir forças com o norte-americano John Isner que, na outra meia-final, eliminou o croata Marin Cilic por 6-4 e 6-3.

* Murray tem muito valor e a sorte bafejou-o.

.
.
ESTA SEMANA   
NA "GERINGONÇA"
Números desmentem oposição:
. Orçamento da Educação
 cresce 180 milhões

Há desde logo três conclusões se podem tirar do gráfico.

1. Entre 2012 e 2015, durante o governo PSD-CDS, a despesa com o Ministério da Educação caiu todos os anos. Em média, 118 milhões por ano.
.
O gráfico apresentado a 01/11 pelo ministro da Educação em entrevista à SIC e recuperado hoje pelo DN não deixa margem para dúvidas: a propaganda da direita sobre o alegado corte na educação não passa de (mais) uma tentativa de desinformação
2. Com a entrada em cena do governo apoiado pelas esquerdas há de facto um aumento da despesa no Ministério da Educação. Comparando o valor orçamentado, em 2016 cresceu 303 milhões face a 2015. Se compararmos a despesa efetiva, cresceu 197 milhões face ao ano passado.
 
3. Para 2017, o valor orçamentado cresce 180 milhões face a 2016.

O gráfico desmonta bem a patranha que a direita quis fazer passar: o alegado “corte” resultaria do valor orçamentado para 2017 ser inferior ao valor executado em 2016. Basicamente, comparar alhos com bugalhos e esperar que cole.

* PSD e CDS tiveram a maioria do exercício da mentira.

.
.


NEW YORK
JARDIM BOTÂNICO

ESCULTURAS EM VIDRO

video


.
.

1055
Senso d'hoje
MUHINYUZA
CLARE ALPHONSINA
CIDADÃ RUANDESA  
"Genocídio no Ruanda"

video

O genocídio em Ruanda aconteceu entre abril e julho de 1994, deixando mais de 800 mil mortos. Neste vídeo, produzido pela organização Survivors Fund, Muhinyuza Clare Alphonsina conta sobre essa terrível experiência. Clare faleceu em 2006 devido a problemas relacionados ao HIV.


FONTE: ONU Brasil

.

ESCOLHAS DE SÁBADO

.
COMPRE JORNAIS








.