sábado, 29 de outubro de 2016

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.
.

XV-SEM VERGONHA


ENTRE QUATRO PAREDES

GAROTO MÍDIA

video


ATÉ AO PRÓXIMO SÁBADO

A NOSSA FICÇÃO
A MÓNICA MOREIRA LIMA, jornalista de profissão não chegavam as notícias comezinhas do quotidiano, nem que fosse uma bomba de neutrões.
Pensou, pensou, engendrou equipa tão louca como ela, baratinou os maiorais da TV GUARÁ e "amadrinhou"o "SEM VERGONHA" programa despudorado tão ao nosso gosto, cheio de pimenta por todo o lado, sem qualquer grosseria e divertido.
Ela só pode ser inteligente e boa!

O QUE DIZ A AUTORA
O Sem Vergonha é o programa mais polémico e irreverente da TV brasileira. Já rendeu vídeos para os quadros Top Five do CQC e Passou na TV do Agora é Tarde, ambos da BAND. Foi tema de uma matéria de duas páginas na maior revista de circulação nacional, a VEJA. E culminou com uma entrevista antológica ao Rafinha Bastos, no Agora é Tarde. Todos os programas estão disponíveis no blog e no YouTube. Não recomendo sua exibição para menores de 18 (anos ou cm) para evitar traumas futuros. Falo de sexo sem pudor, sem frescuras, sem meias palavras, sem eufemismos e com muito bom humor. Advertimos que o Sem Vergonha pode provocar ereções involuntárias e uma vontade irreprimível de dar, sem restrições de orifícios.


FONTE: TV GUARÁ

.
.



6-NOCTURNAS


.
.

6-Filho da Mãe
1ª Temporada

 Situações

desagradáveis 

video


.
.



5-NOCTURNAS


.
.

ALERGIA ALIMENTAR


1- DIAGNÓSTICO CLÍNICO/III

video

Uma interessante série conduzida pelo  Dr. Aderbaldo Magno Sabrá, Membro Titular Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Membro da Academia Nacional de Medicina,Professor de Pediatria, Gasteroenterologia e Alergia Alimentar.

* Uma produção "CANAL MÉDICO"

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.


4-NOCTURNAS


.
.


HIPNOSE

video


FONTE: Nerdologia

.
.



3-NOCTURNAS


.

JOSÉ ANTUNES DE SOUSA

.



O profeta

Não, não é da telenovela brasileira que falo, ainda que muitos dos desencontros que a sua trama comporta se devam ao mesmo dom certeiro que nós tão arrebatada e diligentemente exaltamos – o da profecia, justamente. Tão-pouco é da famosa obra de Khalil Gibran que desejo ocupar~me, apesar de nela se encontrar o receituário eficaz para esta impenitente maleita que nos obsidia – a de ver sempre as nuvens ameaçadoras em vez do arco-íris. Permitam-me que aponte mais para baixo – para o dedo do pé!

Permitam-me que seja mais prosaico, limitando-me ao exercício raso da pura verificação: nós somos doentiamente fixados no lobo mau! Acima de tudo, eis o que procuramos: vermo-nos confirmados na popular arte de prever o pior. Sim, que é em nós prioridade absoluta satisfazer essa compulsiva necessidade - a de se ter razão! “Eu não te disse, meu filho? Eu bem que te avisei, eu sabia que, mais dia menos dia, isto (acidente) ia acontecer” Ou seja, e traduzindo o ínvio e secreto contentamento da mãe à cabeceira do filho , na enfermaria do hospital: “Estás a ver, meu filho, o amor que a mãe te tem que; sempre preocupada contigo, previu ( e criou!) tudo isto para ti?”

Veja-se como estamos viciados na triste sina de ver mal – que mesmo quando desejamos o melhor, é sempre o pior que vemos: o nosso olhar desvia-se invariavelmente para o contrário daquilo que queremos ver. A isto se chama o vício percepcional da dissociação – desejamos uma coisa mas empenhamo-nos no seu contrário. Vício em que todos somos useiros e vezeiros – como os nossos treinadores, de futebol e demais modalidades.

Em pomposa conferência de imprensa de lançamento (termo interessante, este!) do jogo que se segue, eles são quase todos unânimes e síntonos na arte coral de prever: exibem o tímido e reverencial desejo de ganhar, mas o tempo todo é passado a identificar e a exaltar as ameaçadoras qualidades do adversário, alertando para uma certeza absoluta: “vai ser muito difícil”. O mecanismo profético funciona assim: o conductor do carro, em íngreme subida, carrega, ao mesmo tempo, no acelerador e no travão! Resultado? Pois é…. A isto chamam os psicólogos a “profecia auto-concretizada”. E isto acontece todas as semanas e em todas as jornadas internacionais. E. já agora, acontece-nos o pior porque é na experiência do pior que mais calhados estamos.

Mas o mais bizarro de tudo isto é que ser profeta da desgraça é socialmente percepcionado como sinal de sagacidade técnico-tática, de competência profissional. Tal facto se deve ao seguinte: por vício cultural, estamos todos atolados no mesmo pecado original – o de, fascinados, apenas considerarmos o mundo exterior, desprezando a nossa realidade interior – como se tudo se resolvesse a partir dos esquemas desenhados na prancheta por quem nunca, como eu, foi capaz de desenhar um pobre vaso na escola.

Não, há toda uma miríade de ingredientes, subtis e imprevisíveis; que concorrem para o desfecho sincrónico de um determinado evento. E um desses elementos, o mais importante, é o pensamento intencional que, por sua vez, veicula uma emoção: cria-se acolhendo o já criado. (Gregg Braden). Se houver treinadores, um que seja, que aceite receber esta mensagem já me considero recompensado. Em troca, prometo: a sua vida vai melhorar!

Porque é realmente comovente esse zelo beneditino em prever a desgraça – e, depois, lamentam como é incerta a vida de treinador! Sim, porque a quem não quer receber más notícias não basta trocar a caixa de correio- de nada valerá se o conteúdo das mensagens continuar sendo o mesmo. Mais assertivamente: recebe-se de volta a notícia que se envia! Quem quer receber boas notícias só tem uma coisa a fazer: esperá-las sinceramente, em vez de enviar maus presságios e ficar, à esquina, assobiando, na vã esperança de que talvez se possa ter enganado. Não, nós criamos a nossa própria realidade (Allan Wolf) – e uma das maneiras mais eficazes de algo criar é ter medo: a implícita aceitação de que isso que se teme nos pode mesmo derrubar.

Enfim, quem lança as sementes no mau solo só pode esperar colher abrolhos e escalracho. Ganha quem se sente vencedor - como o verdadeiro profeta!

Doutor em Filosofia pela Universidade Católica Portuguesa, professor visitante na Universidade de Brasília e professor convidado na Universidade Pedro de Valdívia, no Chile

IN "A BOLA"
25/10/16

.
.


1035.UNIÃO


EUROPEIA



.



2-NOCTURNAS


.
.
MUTILAÇÃO GENITAL FEMININA

FALA-SE POUCO DESTE CRIME

video


FONTE: EURONEWS


.
.
VIII-VIDA SELVAGEM
4- Os suricatas do Namibe

video


.
.



1-NOCTURNAS


.
.
RECORDANDO

AS DOCE

Amanhã de ManhA

video


.
.

HOJE
"RECORD"

Nelinha Querido:
 «Fui muito bem recebida»

Não partilha o balneário, de resto é como se fosse um deles. Nelinha Querido, de 23 anos, vai jogar esta época na equipa do Famalicense, na 2ª Divisão. Como é isto possível? A federação alterou os regulamentos e este ano permite que as mulheres possam integrar equipas seniores masculinas nas 2ª e 3ª divisões. A guarda-redes, que esteve para jogar no Vila Boa do Bispo, na 1ª Divisão feminina, acabou por ficar no clube onde o pai, o conhecido José Querido, é treinador e onde ela fez toda a pré-época.
.


Manuela (‘Nelinha’ para os amigos) conta-nos como tudo se processou. "Percebi que no Vila Boa do Bispo não ia lutar por grandes objetivos e decidi abandonar a competição, ficando apenas a treinar. Mas uma semana depois o vice-presidente do Famalicense perguntou-me se queria integrar o plantel e aceitei", recorda a guarda-redes. "Fui muito bem recebida pelos jogadores, aliás, de início havia algum receio da parte deles quando eu estava na baliza, mas o meu pai disse-lhes que eu era apenas mais um e a partir daí tudo correu bem. Fiz três jogos na pré-época", explica, orgulhosa.

Nelinha é a 3ª guarda-redes da equipa, provavelmente não chegará a ser utilizada, mas se for chamada, garante que estará a postos. Porque se há coisa que não tem é medo. "Claro que o jogo dos homens é muito mais rápido, o remate é mais potente, mas não tenho medo", sublinha a jogadora que, por absurdo que possa parecer, pode defrontar uma equipa da 1ª Divisão (por exemplo o OC Barcelos, do mano Luís) na Taça de Portugal. "Seria inédito...", reconhece, com um sorriso.

E como é ter o pai como treinador de equipa? "Por acaso comentei isso com o dirigente, não quero interferir no trabalho dele, podem surgir comentários... Mas o Sr. Alves disse-me que estavam sem 3º guarda-redes e eu era uma boa opção", frisa a atleta, que começou a jogar em Espanha, no Liceo da Corunha.

Coragem
"Ela sempre foi muito corajosa", assegura-nos o pai, José Querido. "Nunca teve medo da bola, portou-se muito bem nos jogos de pré-época. E se tiver de jogar não será por ser filha do José Querido, mas pelo seu valor", garante o técnico que foi campeão pelo OC Barcelos.

E é no OC Barcelos que joga outro elemento do clã Querido. "Esta mudança de regras ajudou-a a concretizar um sonho, ela está nas nuvens. Sempre quis jogar numa equipa sénior, mas fazê-lo com homens dá-lhe um nível de competitividade bem mais elevado", sublinha, orgulhoso, o mano Luís.

* Viva a NELINHA!

.
.

HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Medição de ereções 
dá concurso de televisão

Um popular programa de televisão na Coreia do Sul está a dar que falar. No ‘Ajae Game Show’, foi criado um concurso em que os concorrentes ganham… uma valente ereção. 


No vídeo, que já faz furor nas redes sociais, um grupo de modelos em biquíni massaja o pénis dos concorrentes, um a um, com os pés, até que este tenha uma ereção. Outra modelo está depois encarregue de medir o tamanho do órgão sexual de cada concorrente. 

Caso este não se mostre excitado (ou apenas menos excitado do que os outros), leva uma reguada no traseiro. Apesar do sucesso do programa, que é transmitido de madrugada e no qual é habitual haver concursos e brincadeiras de cariz sexual, não há prémio para os vencedores, que, neste caso, veem apenas o tamanho do seu pénis ser tornado público. 

* Notícia à maneira  para sábado, há programas que conseguem ser piores que o da Teresa Guilherme.

.
.
Realidade virtual e realidade aumentada 
As duas grandes tendências tecnológicas

video


FONTE: EURONEWS

.
.

ESTA SEMANA NO
  "OJE/JORNAL ECONÓMICO"

Mar 2020 pode estar completo
 em 5% ainda em 2016

O ministério do Mar anunciou esta sexta-feira que pretende executar 5% do Programa Mar 2020, até ao final do ano. A informação foi transmitida pela responsável pela pasta do Mar no governo, Ana Paula Vitorino, durante a apresentação do programa operacional. “Fixei o objetivo de ter um nível de compromisso de 10% e uma taxa de execução de 5% até ao final do ano”, afirmou Ana Paula Vitorino, em relação à verba dos investimentos e à despesa realizada, respetivamente.
 .
A gestora do recente programa, Teresa Almeida, divulgou à comunicação social dados que indicam que foram apresentadas 226 candidaturas, das quais 33 foram já aprovadas. Estas candidaturas envolvem um investimento elegível de 12 milhões de euros e um apoio público de 11,2 milhões.

No que diz respeito ao Promar, o programa que antecedeu o atual e que funcionou entre 2017 e 2013, a ministra do Mar referiu que espera fechá-lo com uma taxa de execução de 98 a 100%.

Ana Paula Vitorino sublinhou ainda a importância do Fundo Azul, o instrumento financeiro para apoiar áreas que não são abrangidas pelo programa de fundos comunitários e que pretende captar capital de risco. A ferramenta em questão vai apoiar áreas como a biotecnologia, a nanotecnologia ou as energias renováveis e entrará em vigor no início do próximo ano.

Sobre o Fundo Azul, a ministra do Mar assegurou já ter recebido “manifestações de interesse” de “dois fundos americanos” e por parte de investidores, durante a visita que fez à Noruega, na semana passada.

A verba para o Mar2020, cujos fundos provêm do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas e de comparticipação nacional, está distribuída por sete núcleos principais:
  • Promoção da pesca (151 milhões de euros)
  • Promoção da aquacultura (79 milhões de euros)
  • Melhoria dos conhecimentos científicos e conservação dos recursos marinhos (67 milhões de euros)
  • Criação de emprego (41 milhões de euros)
  • Comercialização e transformação dos produtos da pesca e da aquicultura (132 milhões de euros)
  • Vigilância marítima e proteção do meio marinho (7 milhões de euros)
  • Assistência técnica (30 milhões de euros)
* Não temos razões para não acreditar em Ana Paula Vitorino, com ministra já teve boas prestações em dossiers que negociou.

.
.

ESTA SEMANA NO 
"A BOLA"

Bob Dylan aceita finalmente o Nobel
 .
Bob Dylan comentou pela primeira vez, desde o anúncio da Academia sueca no dia 13 de Outubro, a entrega do Nobel da Literatura, afirmando que se sente «muito honrado» pela distinção.

A Fundação Nobel informou que Dylan ligou para a Academia esta semana afirmando que as notícias sobre a entrega do prémio o deixaram «sem palavras».
«Se eu aceito o prémio? Claro», garantiu o músico na mesma conversa.

No entanto, Dylan não garantiu a presença na cerimónia oficial da entrega do prémio, que decorrerá em Dezembro, em Estocolmo, dizendo que se deslocará «se puder».

* Temos esperança que vá, os seus milhões de fãs merecem.

.
.


BELEZA


ALÉM DA VISÃO

video



.
.
ESTA SEMANA  NA "GERINGONÇA"

Défice melhora 300 milhões 
face a setembro de 2015

Foram ontem (25/10) conhecidos os dados da execução orçamental de setembro. A sua análise mostra que o défice apresenta um valor 300 milhões de euros abaixo do registado no mesmo período do ano passado. Este valor representa uma melhoria face a agosto, em que a diferença face a 2015 se situava nos 81 milhões de euros.
.
Esta melhoria da execução resulta de uma subida de 2,6% das receitas enquanto a subida da despesa se fica pelos 2%. O défice apresentado até setembro representa 53,2% do previsto para a totalidade do ano quando, no ano passado, este valor se situava nos 67,7%.

O saldo primário das administrações públicas, excluindos os juros, apresentou um excedente de 3 058 milhões de euros, mais 657 milhões que período homólogo de 2015. As contribuições para a Segurança Social continuam crescem 4,7%, ilustrando a recuperação do mercado de trabalho, também visível nas estatísticas do desemprego.

* PSD e CDS não cessam de degustar sapos.

.
.
HOJE 
  "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Mais de 20 procissões 
mudam de estrada para não pagar taxa

Autarcas da Área Metropolitana do Porto criticam as "taxas e taxinhas" cobradas pela Infraestruturas de Portugal. Empresa diz que só cumpre a lei, mas realça que não tem havido cobrança por eventos como procissões 
 .
Os autarcas da Área Metropolitana do Porto (AMP) criticaram ontem as "taxas e taxinhas" que a Infraestruturas de Portugal (IP) cobra nas estradas nacionais, defendendo a revisão da legislação para travar esta "injustiça". A Infraestruturas de Portugal (IP) esclareceu hoje que, em relação ao Estatuto das Estradas da Rede Rodoviária Nacional, se limita a cumprir o disposto na legislação, em vigor desde o ano passado.

O assunto foi novamente levantado pelo presidente da Câmara da Póvoa de Varzim, Aires Pereira (PSD), em reunião do Conselho Metropolitano do Porto (CmP), que afirmou que "a taxação das estradas nacionais continua em vigor" e há empresas que pagam 10 mil euros por um acesso, pelo facto de estarem implantadas junto a uma estrada nacional.

Mas também o autarca de Gondomar, Marco Martins (PS), chamou a atenção para este problema, referindo que "mais de 20 procissões religiosas alteraram este ano o seu percurso para não pagar" estas taxas.

"Só para cruzar a estrada uma comissão de festas tem de pagar 200 euros mais IVA e se percorrer a estrada nacional paga 500 euros", exemplificou Marco Martins.

Segundo o presidente do CmP, Hermínio Loureiro (PSD), "importa definitivamente resolver o problema", que se trata de "uma injustiça".

Hermínio Loureiro disse que a cobrança destas taxas, fixadas numa portaria dos ministérios das Finanças e da Economia publicada a 14 de outubro de 2015, "foi aliviada" depois de o anterior governo ter sido chamado a atenção, mas esse "alívio foi suspenso e a pressão continua a existir".

"Estamos a falar de taxas e taxinhas que vão desde a realização daquela procissão daquela festividade religiosa que todos gostam de ver, mas que se utilizar ou cruzar uma estrada nacional tem uma taxa adicional com alguma violência e de alguma dimensão, [mas que são] válidas para as empresas também, quando querem, por exemplo, reparar o muro das suas empresas", frisou o autarca.

Hermínio Loureiro adiantou que a AMP tem já uma reunião agendada com o ministro das Infraestruturas, Pedro Marques, a quem pretende chamar a atenção para o problema, defendo a necessidade de "haver uma revisão".

"Estamos a falar de uma injustiça e de um valor exorbitante que esta taxa representa, mas sabemos que tem conforto legal. Importa alterar a legislação para repor esta situação que nos aparece escandalosa", sustentou.

O autarca lembrou que esta medida "apanhou muita gente distraída" e que "sempre que é falada às tutelas há sempre uma surpresa manifestada no momento da sua apresentação".

"Tem de haver uma revisão, naturalmente se passar a uma taxa zero ainda melhor. Nós vamos também sensibilizar o Governo (...) numa atitude pedagógica e preventiva, mas [o que se pretende é] que se encontrem soluções para resolver estes problemas", disse.

Fonte oficial da IP explicou à Lusa que as normas aplicadas pela empresa pública decorrem do estatuto que entrou em vigor em julho do ano passado e da tabela com as respetivas taxas, só publicada em outubro, data a partir do qual a companhia passou a notificar os proprietários de imóveis abrangidos pelo regulamento em causa.

A mesma fonte sublinhou que a IP aplica o estatuto e que o que é pretendido pelos autarcas não está nas competências da empresa fazer, realçando a ideia de que não tem havido nenhuma fiscalização reforçada nos últimos meses nem nenhuma cobrança por eventos como, por exemplo, procissões.

A tabela prevê que "instalações industriais, comerciais e de serviços" paguem 0,3 euros "por cada metro quadrado de área coberta e descoberta, onde se desenvolva a atividade, incluindo zonas de estacionamento, servidas pelo acesso, e por ano", enquanto particulares pagam apenas o licenciamento do acesso entre a sua propriedade e a estrada.

O assunto tinha sido já levantado em reunião do CmP no início deste ano pelo presidente da Câmara da Póvoa, que apresentou o caso de um munícipe que quis rebocar o muro da sua casa, contígua a uma estrada nacional, e teve de pagar 846,5 euros de taxas à IP.

Na ocasião, Hermínio Loureiro considerou que esta portaria "apanhou muita gente distraída" por ter sido publicada num período de transição entre governos, mas que tinha de ser suspensa rapidamente.

A portaria em causa -- 357/2015 -- estabelece um pagamento de dois euros por ano por cada metro quadrado de área ocupada com obras de arte de uso privativo, por exemplo.

"Através da presente portaria determina-se que a administração rodoviária deve proceder ao acompanhamento e avaliação do impacto global dos resultados da aplicação da mesma, com vista à sua eventual alteração, devendo para esse efeito ter em consideração os contributos dos diversos beneficiários dos atos e serviços prestados pela administração rodoviária", lê-se no documento publicado em Diário da República.

As taxas são cobradas "pelos usos privativos do domínio público rodoviário do Estado, bem como pelas autorizações previstas no Estatuto das Estradas da Rede Rodoviária Nacional".

* A igreja católica pratica fuga ao fisco todos os dias do ano, a "massa" das missas não paga IRC e em todas as festas religiosas não se paga IVA, PORQUÊ??? 
Se esta colectividade religiosa pagasse IMI pelo património o imposto para o cidadão comum podia ser reduzido 50%.
Abençoados os que contribuem para esta burla legalizada.

.
.
A(R)TREVIMENTOS









.
.

1048
Senso d'hoje
NICOLAU SANTOS
ECONOMISTA 
SUB-DIRECTOR DO EXPRESSO 
“INTERVENÇÃO NA ABERTURA
DA CONFERÊNCIA OE2017
PROMOVIDA PELO B.E."

video


FONTE: ESQUERDA.NET

.

ESCOLHAS DE SÁBADO

.
COMPRE JORNAIS







.
.

IMITANDO OS HUMANOS

video

.