terça-feira, 25 de outubro de 2016

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.
6- ENSAIOS FOTOGRÁFICOS


ELENA DELLE DONNE

video


FONTE: ESPN The Magazine

.
.

GRANDES LIVROS/29

AUTORES DO MUNDO

1- OS NÚS E OS MORTOS


NORMAN MAILER


video


* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.

HOJE NO
  "CORREIO DA MANHÃ"

PJ não descarta hipótese de Pedro Dias
. estar a ser ajudado

O diretor-adjunto da Polícia Judiciária, Pedro do Carmo, admitiu em entrevista à RTP que o homicida de Aguiar da Beira, Pedro Dias, ainda se encontra em Vila Real e estará a ser ajudado por terceiros. 
 .
SE O VIR DENUNCIE
Pedro do Carmo afirmou que não é possível saber se Pedro Dias se ausentou daquela região do país, mas sublinhou que "foram acionados imediatamente todos os mecanismos de alerta e cooperação internacionais, em especial com Espanha". 

O responsável da Polícia Judiciária não excluiu a hipótese do homicida de Aguiar da Beira ter sido ou continuar a ser ajudado por terceiros e recordou que as autoridades procuram o fugitivo numa área com cerca de 40 quilómetros de diâmetro, "pouco povoada, com muitas zonas florestais e caminhos difíceis". 

O diretor-adjunto da PJ reconheceu ainda que as informações divulgadas pelos órgãos de comunicação social podem ter ajudado Pedro Dias. "Foram recolhidos indícios, não apenas numa casa, mas em várias habitações, em que o suspeito pode ter entrado e permanecido. Numa dessas habitações havia uma televisão, por isso temos que admitir como possível, eu diria ate provável, que o suspeito tenha obtido informação sobre a atuação das autoridades para localizá-lo e detê-lo", afirmou. 

* Em Portugal é normal dar ajuda a assassinos, pedófilos e vigaristas.

.
.

II-O ENCANTO DO
AZUL PROFUNDO


4-Austrália e Oceania


video

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.
.
.
HOJE  NO  
"OBSERVADOR"

Tribunal aprecia despedimento 
de advogada acusada de 
chamar “alheira” a bastonária

A menos de um mês das eleições, Ordem dos Advogados senta-se no banco dos réus para justificar despedimento de uma funcionária. Advogada é acusada de chamar "alheira" a bastonária Elina Fraga.

A Ordem dos Advogados (OA) começa esta terça-feira a ser julgada no Tribunal do Trabalho de Lisboa para justificar porque despediu uma funcionária sua, na sequência de um processo disciplinar. Ana Vieira da Silva foi despedida com justa causa por negligência e por tratar a bastonária Elina Fraga por “alheira” — por ela ser natural de Mirandela — e o presidente do Conselho Superior, Menezes Leitão, por “porcão”. O julgamento acontece a menos de um mês de eleições na OA.
.

A advogada Ana Vieira da Silva trabalhava há cerca de uma década na OA, quando foi promovida a chefe de serviço pelo então bastonário Marinho Pinto. Corria o ano de 2012 e coube-lhe ir liderar o departamento dos processos disciplinares. Segundo fonte próxima do processo explicou ao Observador, a funcionária foi substituir um colega que se aposentou, mas quando chegou ao departamento para pôr mãos às obras, reinava o “caos”.

A pendência de processos era demasiado elevada e alguns suportes em papel desses processos nem se encontravam fisicamente ali. Foi na sequência do processo de reorganização que Ana Vieira da Silva acabou por descobrir uma série de processos por resolver e tramitar já guardados em arquivo, na Avenida Duque d’Avila. Entre esses processos, estava um movido contra a então candidata a bastonária, Elina Fraga. Elina Fraga foi acusada por uma cliente de ter recebido dinheiro para interpor uma providência cautelar que nunca entregou em tribunal. O processo valeu-lhe uma sanção de censura, mas Elina Fraga recorreu para o Tribunal Administrativo de Mirandela que lhe anulou a sanção disciplinar.

A advogada Ana Vieira da Silva até chegou a ouvir uma testemunha no âmbito desse processo disciplinar. E isso terá sido o rastilho para uma azeda relação entre ela e o braço direito de Marinho Pinto, Elina Fraga. Assim que ganhou as eleições e foi eleita bastonária, diz a mesma fonte, a sua relação com a a chefe do departamento dos processos disciplinares deteriorou-se. Vieira da Silva queixa-se, mesmo, do tom ameaçador de Elina Fraga. A má relação entre as duas acabaria por refletir-se numa discussão que Ana Vieira da Silva teve com um dos quatro funcionários que trabalhavam sob sua responsabilidade.

A discussão, ainda no início do ano de 2014, acabaria num processo disciplinar. O seu trabalho foi considerado “negligente”, contrariando as referências que a levaram a ser escolhida por Marinho Pinto. Mais. O funcionário com quem discutiu acabou por denunciar, no âmbito do processo, que era habitual que a também advogada, Ana Vieira da Silva, se referisse à bastonária como “alheira” e ao vice-presidente do Conselho Superior da OA, Menezes Leitão, como o “porcão”. Para tal, juntou ao processo algumas alegadas publicações da chefe na rede social Facebook, com um tom crítico relativamente a Elina Fraga.

Ana Vieira da Silva acabaria por ser suspensa de funções enquanto decorria o processo disciplinar. Mandaram-na para casa e impediram-na de entrar na sede da OA, no centro de Lisboa, mas continuavam a dar-lhe ordenado. Na altura, foi o advogado Jerónimo Martins — um dos principais opositores de Elina Fraga e que agora concorre contra ela — que a representou. A advogada nega ter escrito qualquer comentário no Facebook em relação à bastonária e jura a pés juntos nunca ter usado a linguagem de que é acusada quando se referia aos seus superiores hierárquicos.

Provas para lá e para cá, algumas aceites, outras rejeitadas, e Ana Vieira da Silva acabaria por ser notificada da decisão final. Seria despedida. A notificação chegou a 24 de dezembro de 2014, mais de dez meses depois do início do processo disciplinar.

Não conformada, a advogada recorreu ao Tribunal do Trabalho para apreciar a legalidade do seu despedimento. Ana Vieira da Silva considera-o ilegal e diz que deve ser reintegrada na OA. Mais uma vez, é o advogado Jerónimo Martins a representá-la. E diz, em comunicado, que o faz gratuitamente. Tanto de um lado, como de outro, foram arroladas cerca de dez testemunhas. Nenhuma delas é Marinho Pinto ou Elina Fraga.

* Aconselhamos a Ordem dos Advogados a comprar uma máquina de lavar roupa, certamente encontrarão um cantinho para a colocar.

.
.

 8-O ESTRUPO

DA EUROPA


video


* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
HOJE NO
  "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Governo continua a esconder rendimentos
. dos novos gestores da Caixa

Executivo admite que "não foi lapso" isentar os novos gestores da CGD do dever de apresentar declarações de rendimentos no Tribunal Constitucional.

O Governo assumiu hoje, através de uma nota do gabinete do ministro das Finanças, que "não foi um lapso" os novos gestores da CGD ficarem isentos do dever de apresentar no Tribunal Constitucional declarações de rendimentos.
 .
"A ideia é a CGD ser tratada com qualquer outro banco. Essa foi a razão para que fosse retirada do Estatuto do Gestor Público. Está sujeita a um conjunto de regras mais profundo, como estão todos os bancos. Não faz sentido estar sujeita às duas coisas. Não foi lapso. O escrutínio já é feito.", lê-se na mesma nota.

Segundo acrescenta, "há um reforço das políticas de governo internas da CGD" porque os seus corpos gerentes "têm que prestar contas ao acionista e aos órgãos de controlo interno". Ou seja: os novos gestores "estão assim disponíveis para revelar essa informação ao acionista".

A situação foi denunciada domingo, na SIC, por Luís Marques Mendes. Segundo contou, "os gestores públicos, todos eles, estão obrigados, no início de funções, a fazer três declarações: uma para o Tribunal Constitucional (declaração de rendimentos), outra para a procuradoria-geral da República (sobre incompatibilidades e impedimentos) e uma terceira para a Inspeção Geral de Finanças (sobre participações que detenham em qualquer empresa)".

Ora, ao serem colocados fora do Estatuto do Gestor Público - o que o Governo fez para os libertar de tetos salariais - o Executivo "desobrigou" os gestores da Caixa daquelas três exigências.

Mendes concluiu que "ou isto é um lapso e tem de ser corrigido, ou isto é intencional e é gravíssimo" porque "foi omitido até hoje por quem fez a lei", porque "passamos a ter um regime de excepção para a Caixa que ninguém compreende" e porque "é trocar a transparência pelo secretismo, o escrutínio pela opacidade".

PSD e BE já anunciaram intenção de legislar sobre o assunto, tanto para moderar os salários dos novos gestores como para lhes repor deveres de transparência pública.

* Mendes é um arauto da simulação, não são poucas as vezes que se contradiz, em suma um querubim da farsa. Uma coisa é certa os administradores da CGD são gestores públicos, têm de cumprir as regras, o sr. ministro foi mal aconselhado. Achamos ridículo discutir salário, transparência exige-se.

.

ANDRÉ MACEDO

.






As fatwas de Marques Mendes

Dizem por aí que o ministro da Economia vai ser corrido, deflacionado, vai ser deslocalizado, afastado por António Costa. Deve ser um problema da Economia, poucos lhe sobrevivem muito tempo, tenham ou não currículo para mostrar e algum trabalho feito no entretanto. Álvaro tinha apelido (Santos Pereira), não tinha era partido, não era militante do PSD, e então foi rapidamente chutado para França com a autoconfiança abalada. Felizmente, Paris opera maravilhas em qualquer alma, podia ter-lhe calhado destino pior.

Coube a Manuel Caldeira Cabral ocupar o mesmo lugar no governo seguinte. A acreditar no que diz Marques Mendes - no Marques Mendes que tem chapéu de comentador e outro de conferencista -, já não falta muito para acontecer a exoneração ministerial. Mendes não é o único a lançar a previsão, mas dita pela boca do antigo líder do PSD ganha outro peso. Acresce que entre os vários chapéus que ele acumula no armário, para usar consoante a ocasião e o interlocutor, há um que pertence ao Conselho de Estado, o Olimpo dos conselheiros do Presidente da República.

Deveria esta circunstância política, que também é uma enorme responsabilidade democrática, temperar-lhe um pouco as fatwas que lança? Um observador desinteressado diria que sim, mas Marques Mendes não parece preocupar-se muito. Pelo contrário, tira partido disso. Há ali, no que ele diz, uma sopa de letras com o perigo de acabar num refogado de interesses: algumas fatias de informação, um par de rodelas de opinião bem fininhas e meia colher de manipulação para apimentar.

O assunto pode ser a Galp, amanhã os bancos, o Europeu, o resultado de um jogo de futebol mais polémico - todos os temas populares são um bom acepipe. Ou então, com a maior candura do mundo, Mendes põe a prémio a cabeça de um ministro sem ter de citar qualquer fonte, sem situar a origem da informação, sem essas maçadas todas que teoricamente fazem da informação o que é suposto ela ser: factos pesquisados, verificados e documentados, não apenas ouvidos a meio de um repasto. Mendes tem uma espécie de licença para matar - matar reputações, moer outras, promover algumas pelo caminho.

Faça-se no entanto justiça. Há outros como Marques Mendes, alguns até com menos talento para comunicar e uns poucos ainda a coberto da Carteira Profissional de Jornalista. O nosso conselheiro de Estado é só a fruta da época e quem sabe onde ele chegará..., como ele próprio diria num comentário bem calibrado sobre alguém, deixando nas entrelinhas o veneno da dúvida.

Pois eu não sei nem quero saber quais são os objetivos políticos que Marques Mendes tem, se é que os tem, mas não deixo de notar o equívoco do que ele faz na área onde eu trabalho. Ele não esclarece os assuntos, posiciona os assuntos, fecha-lhes o ângulo de uma maneira muito especial e parcial. Dá a "notícia" e remata com a baliza aberta. 

Manuel Caldeira Cabral foi exonerado por Marques Mendes numa conferência que aconteceu nesta semana, não foi, portanto, na televisão, mas o estilo e o método são estes, só muda o cenário. A eficácia da mensagem é de elevado nível: muita gente acredita. Talvez isto seja apenas um espelho do país que somos. O jornalismo não fiscaliza o poder e os poderosos, serve de barriga de aluguer e também por causa disso enfraquece-se todos os dias.

Mas o mais interessante disto é que Mendes, acertando algumas vezes - e acertou em cheio na resolução do BES, o que diz muito sobre a irresponsabilidade de alguns dos nossos decisores políticos, línguas de trapo mesmo em assuntos tão delicados -, Mendes, escrevia eu, também falha. 

Tenho bem consciente que já o vi atirar muitas vezes ao lado, horrivelmente ao lado, revelando-se incapaz de compreender o que aí vinha, mas ainda assim especulando com a assertividade dos eleitos que tudo podem saber com um par de telefonemas certeiros, até sobre geopolítica internacional.
Vivemos os anos dourados da opinião, não da informação. Esta coluna que escrevo é apenas um exemplo - espero que tenham alguma misericórdia ao lê-la -, embora venha embrulhada num jornal que o que tem mais são notícias, entrevistas e reportagens, doseando sensatamente tudo o resto para não perder a identidade e a vocação. 

A famosa Fox News e a MSNBC, canais de informação americanos, já estão para lá de Bagdade neste assunto. Oferecem metade do seu tempo aos comentários - o que não é o mesmo do que análise, exercício jornalístico qualitativamente diferente para melhor -, deixando para segundo plano a procura intensiva da informação. E o mais ridículo disto tudo é que já está provado que estes pundits, como lhe chamam os americanos, no fundo estes comentadores como Marques Mendes, confundem muitas vezes desejos com factos, fabricam uma narrativa que os impele a ignorar a realidade, não prestam atenção suficiente aos detalhes, não são flexíveis o suficiente para captar as zonas cinzentas, são pouco tolerantes com a complexidade. Têm uma agenda.

Resumindo: eu não acredito que António Costa substitua Manuel Caldeira Cabral.

* Director adjunto da RTP

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
22/10/16

.
.


1031.UNIÃO


EUROPEIA


E SE NOS PIRÁSSEMOS?


  .
.
HOJE  NO
"RECORD"

Roménia-Portugal, 1-1

A seleção portuguesa feminina qualificou-se pela primeira vez na sua história para o campeonato da Europa, ao empatar 1-1 na Roménia, após prolongamento, em encontro da segunda mão do playoff.  
.
Depois do empate a zero em Lisboa, a formação comandada por Francisco Neto adiantou-se em Cluj nos descontos da primeira parte do tempo extra, aos 105'+1 minutos, por Andreia Norton, com Laura Rus a restabelecer a igualdade, aos 111'.  

Portugal qualificou-se pelos golos fora, tornando-se a 16.ª e última seleção a marcar presença na edição 2017 do Europeu feminino, que se realiza na Holanda, entre 16 de julho e 6 de agosto.

* Bravo, valentes meninas!

.
.

103-BEBERICANDO

video


COMO FAZER
"PISCO PUNCH"


.
.

VI-EXPEDIÇÃO CIENTÍFICA
2- OS DINOSSAUROS

video

ÚLTIMO EPISÓDIO

FONTE: felipe de souza lima


.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Portugueses desconfiam
 do sistema judicial

Os portugueses confiam muito pouco na justiça e apesar de saberem "quase nada" sobre o funcionamento do sistema judicial não acreditam que seja independente, revela um estudo da Associação de Consumidores DECO.

Segundo o estudo, o desconhecimento e a desconfiança do sistema judicial estão ligados, em particular nas mulheres, nos cidadãos com idades compreendidas entre os 30 e os 44 anos e em pessoas com escolaridade média e baixa.
.

Numa escala de 01 a 10, o índice de confiança dos portugueses no sistema de justiça é de 3,4 e, mesmo no caso dos homens com mais de 45 anos, que se revelaram menos céticos e com escolaridade elevada (cujo patamar mínimo é o bacharelato completo), o índice de confiança situa-se abaixo de quatro.

Integrado num trabalho sobre a confiança dos cidadãos nas instituições e realizado por organismos congéneres da DECO em Espanha, Itália e na Bélgica, em Portugal o estudo foi elaborado a partir de 15.000 questionários enviados por correio para cidadãos com idades compreendidas entre os 30 e os 74 anos e que são representativos dos cerca de seis milhões de portugueses com esta faixa etária, disse à Lusa Carlos Morgado, responsável técnico do estudo.

O trabalho de campo foi realizado em fevereiro e março deste ano e os resultados foram elaborados a partir de 1.598 questionários considerados válidos, referiu.

* São os diversos intervenientes na Justiça os responsáveis pelo que os portugueses pensam sobre a JUSTIÇA.

.
.

Os Deolinda

Fiscal do Fado

video

.
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS
DA MADEIRA"

Escola promove conferência 
sobre empreendedorismo

A Escola Gonçalves Zarco, no Funchal, realiza na quarta-feira uma conferência internacional sobre empreendedorismo intitulada “Entrepreneurship: a step to the future”, anunciou o estabelecimento de ensino.
.
A conferência tem a participação de representantes do CEIM - Centro de Empresas e Inovação da Madeira, de André Leonardo, estudioso do empreendedorismo, e representantes do IEM - Instituto de Emprego da Madeira e das start-ups regionais To do Shirt, Keepers of Intheris, Welp e Dobsware.

Nesta conferência, estarão também presentes professores de escolas da Lituânia, Itália, Turquia e Roménia, no âmbito do programa europeu de intercâmbios de práticas educativas entre escolas Erasmus.

* Oxalá a conferência corra bem embora o termo empreendedorismo seja completamente pindérico.

.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Supremo pede a Eduardo dos Santos 
que explique nomeação da filha

Tribunal Supremo dá dez dias ao presidente de Angola para se pronunciar sobre a nomeação da filha Isabel dos Santos para liderar os destinos da Sonangol.

O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, e a sua filha, Isabel dos Santos, têm oito dias para se pronunciar sobre a providência cautelar de suspensão da eficácia da tomada de posse da empresária como presidente do conselho de administração da Sonangol, a qual aconteceu a 2 de Junho deste ano.
.
O prazo começou a correr depois do Tribunal Supremo de Angola ter aceitado a providência interposta por um grupo de 12 advogados do país, os quais contestam a nomeação de Isabel dos Santos como líder da petrolífera nacional. Esta petição havia sido entregue em tribunal a 12 de Junho.

David Mendes, porta-voz do grupo de advogados, adiantou à agência Lusa que José Eduardo dos Santos terá sido notificado pelo Tribunal Supremo desta circunstância "entre 19 e 20 de Outubro".

"O Tribunal Supremo já citou o Presidente da República e Isabel dos Santos para, em oito dias, responderem à nossa contestação. Quer dizer que a providência cautelar não foi indeferida", sublinhou o jurista em declarações à agência Lusa.

Os advogados queixosos alegam que a nomeação feita por José Eduardo dos Santos da sua filha Isabel dos Santos viola a Lei da Probidade Pública, na qual se estabelece o princípio do exercício de funções públicas. Segundo estes advogados "a lei diz que o agente público não deve nomear ou permitir nomeações e contratos quando há intervenção de sua esposa, dos seus familiares em primeiro grau em linha recta e até ao segundo grau da linha colateral".

"Só o facto de o tribunal ter aceitado a providência, para nós já é um passo muito importante. Porque ao aceitar, no mínimo tem razoes bastantes para não a indeferir e pela primeira vez vamos ter a possibilidade de um tribunal indagar um presidente por um acto por ele praticado", explicou David Mendes à agência Lusa.

* zedu responderá assim: - porque me apeteceu!
Das duas três ou os juízes do Supremo se piram para parte incerta, ou morrem, ou dizem que se enganaram. Há a hipótese de esta notícia ser considerada falsa.

.
.


USA


O burro e o elefante 
símbolos dos principais partidos políticos

video


A eleição presidencial americana


video



.
.
HOJE  NO
"DESTAK"

Associação de pilotos considera
. "vergonhoso" ter que pedir ajuda
 para investigar acidentes

A associação de pilotos portugueses defendeu hoje que a falta de meios do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves põe em causa a soberania do Estado português, considerando "vergonhoso" ter que recorrer a congéneres de outros países.

"Uma das nossas preocupações é a tremenda falta de fundos do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves [GPIAA], que já transita do Executivo anterior", disse à Lusa o presidente da direção da Associação de Pilotos Portugueses de Linha Aérea (APPLA), Miguel Silveira. 
 .
Em declarações à Lusa, o porta-voz dos pilotos sublinhou que "é uma questão de soberania do Estado português, porque se acontecer um acidente com uma aeronave mais sério, o GPIAA não tem condições para fazer investigação", realçando que "muito mais importante do que investigação de acidentes e de incidentes, é a prevenção". 

* Não podíamos estar mais de acordo se o GPIAA não tem meios existe p'ra quê?


.
.
HOJE  NO
"i"
Comandos. 
Quatro militares 
vão ser constituídos arguidos

Recorde-se que Dylan Silva e Hugo Abreu morreram na sequência de um treino dos Comandos no início de setembro 

Quatro militares foram constituídos arguidos no caso das mortes nos Comandos. 

De acordo com o Diário de Notícias, dois são oficiais e vão ser ouvidos como arguidos no processo disciplinar aberto pelo Exército. Outros dois são sargentos e foram chamados pelo DIAP de Lisboa para prestar declarações. Estes dois últimos são enfermeiros. 
 .

A investigação quer agora averiguar se ambos tinham formação profissional específica, quais os protocolos médicos existentes e que material tinham na tenda de campanha onde foram acolhidos os militares afetados pelos exercícios. Recorde-se que Dylan Silva e Hugo Abreu morreram na sequência de um treino dos Comandos no início de setembro. 

O Correio da Manhã escreve esta terça-feira que os dois militares estiveram quase duas horas sem receber assistência médica. 

* Quando a "rambonice" supera o bom senso.


.
.
ARTE EM AREIA

video

.
.
HOJE  NO
"A BOLA"

Fu Yu conquista a medalha de prata 
no Campeonato Europeu

A portuguesa Fu Yu conquistou este domingo a medalha de prata, na categoria singulares femininos, nos Campeonatos Europeus de ténis de mesa, em Budapeste, ao perder na final com a turca Malek Hu.
.
Fu Yu, 37.ª do `ranking´ mundial, perdeu por 4-1 (11-3, 11-2, 11-4, 10-12 e 11-7) e deixou escapar o título de campeã europeia para Malek Hu, 27.ª, na primeira final desta categoria com presença portuguesa.

Esta é a terceira medalha conquistada por portugueses nos Europeus de Budapeste, depois de João Monteiro ter conquistado ouro em pares mistos, juntamente com a romena Daniela Donean, sua mulher, e Tiago Apolónia e João Geraldo terem arrecadado o bronze em pares.

* Ténis de mesa, a modalidade  que na Europa fala português.

.
.
HOJE  NO      
"AÇORIANO ORIENTAL"

Vaticano proíbe dispersão de cinzas de mortos na natureza ou locais profanos

As cinzas dos defuntos devem ser mantidas em local sagrado, determinou hoje a Igreja católica, num documento aprovado pelo papa Francisco, que proíbe a dispersão das cinzas na natureza ou outros locais
  .
As novas práticas de sepultura e cremação foram consideradas "em desacordo com a fé da Igreja" e podem levar as autoridades eclesiásticas a negar a realização de um funeral, adverte o documento redigido pela Congregação para a Doutrina da Fé, a antiga Inquisição.

O documento ("Ad resurgendum cum Christo") afirma que a Igreja aceita a cremação, mas proíbe que as cinzas sejam espalhadas em qualquer lugar, ou divididas entre familiares, lembrando que devem ser mantidas em local sagrado, "ou seja, no cemitério, ou numa igreja, ou numa área especialmente dedicada para este fim pela autoridade eclesiástica competente".

"Para evitar qualquer equívoco panteísta, naturalista ou niilista, não é permitida a dispersão das cinzas no ar, terra, ou água, ou de qualquer outra forma, ou a transformação das cinzas em recordações comemorativas, em peças de joalharia ou em outros artigos", sublinha.

A Congregação para a Doutrina da Fé determina que "caso o defunto tenha pedido a cremação e a dispersão das cinzas na natureza por razões contrárias à fé cristã, as exéquias serão negadas".

Para a Igreja, "a conservação das cinzas num lugar sagrado ajuda a reduzir o risco de afastar os defuntos da oração e da lembrança dos familiares e da comunidade cristã", explicou o consultor da Congregação para a Doutrina da Fé, o espanhol Angel Rodriguez Luno, na conferência de imprensa de apresentação do documento.

Deste modo, "evita-se a possibilidade de esquecimento, falta de respeito e maus tratos, que podem acontecer especialmente passada a primeira geração, bem como práticas inconvenientes ou supersticiosas".

A Igreja católica permite aos fiéis, desde 1963, escolher a cremação do corpo, embora prefira a sepultação.

* vaticanalhas, católicos não aguentam tanto autoritarismo. Se a terra é concepção de Deus não é toda ela um lugar sagrado?

.