sexta-feira, 15 de julho de 2016

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.
.

36.O QUE NÓS

"APRENDEMOS"!


SNOW BOARD


video



* Depois de mais de três dezenas de modalidades olímpicas explicadas em vídeo, é altura de aprendermos regras de outros jogos que o "olimpismo" de verão não consagra.

..
.

11-De onde nasceu


o Dinheiro?


video

(ÚLTIMO EPISÓDIO)

* Estamos num mundo onde 1% da população mundial detém mais de 40% da riqueza, o dinheiro é a mais tenebrosa das religiões!

.
.


HOJE NO 
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Exército turco anuncia tomada do poder

O primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildirim, denunciou na sexta-feira ao início da noite uma "tentativa ilegal" de golpe de Estado por parte de um grupo militar. Uma hora depois, pelas 22h de Lisboa, o Exército do país anunciou a tomada do poder.

Citado pela agência France Press, o primeiro-ministro turco denunciou uma "tentativa ilegal" de golpe de Estado por parte de um grupo de militares.

A BBC News avança que há forças de segurança a bloquear as duas principais pontes de Istambul sobre o Bósforo, o estreito que separa os lados europeu e asiático da cidade, havendo também relatos de tiroteios em Ancara, capital do país.
 .

Segundo a agência pró-governo Anadolu, citada pela AFP, o Chefe de Estado-Maior, general Hulusi Akar, foi feito refém dos militares golpistas.

Há também informações de helicópteros e aviões militares a sobrevoarem a capital turca, refere a Reuters citando uma testemunha.

Entretanto, o Exército turco anunciou em comunicado de imprensa que tomou o poder no país, salientou a agência Lusa. "O Exército assumiu totalmente o poder para restaurar a democracia. Todos os nossos acordos internacionais estão em vigor. Esperamos manter as boas relações com todos os países", refere, no comunicado, o Estado-Maior do Exército.

Diz a AFP que o comunicado do Exército decreta ainda o recolher obrigatório e a instauração da lei marcial [todas as leis das autoridades civis do país serão substituídas por leis militares].

A estação de televisão turca TRT dá conta de tanques militares destacados na zona exterior do aeroporto Ataturk, em Istambul - onde a 28 de Junho ocorreu um atentado.

"Trata-se de um grupo dentro do Exército que se rebelou", afirmou entretanto o primeiro-ministro, citado pela Lusa. Binali Yildirim admitiu que aqueles militares cercaram alguns dos principais edifícios e a agência turca Dogan assinalou que várias ambulâncias foram para o quartel central do Estado-Maior, onde, segundo testemunhas, houve tiroteios.

A CNN Turk avançou que o presidente Recep Tayyip Erdogan está "em segurança" mas não deu mais pormenores. Os militares cercaram o palácio presidencial, em Ancara, mas Erdogan não se encontra no edifício.

Erdogan falou à CNN Turk, via telemóvel, e declarou que esta acção é obra de uma "estrutura paralela" que receberá a "resposta necessária". O presidente apelou ainda a que a população saia à rua para se opor a esta sublevação militar.
Uma fonte presidencial disse que esta acção "é uma tentativa de golpe por parte do Movimento Gülen", acrescentando, citado pelo The Guardian, que "os perpetradores violaram a cadeia de comando".

O Movimento Gülen é um movimento da sociedade civil que começou como um grupo de serviço comunitário - composto por estudantes, professores, pais e proprietários de pequenas empresas - afecto ao académico turco e pregador Fethullah Gülen, na cidade de Izmir. Este grupo é chamado agora de Movimento Gülen, especialmente pelos académicos ocidentais, devido à sua principal fonte de inspiração. Contudo, é frequente os seus membros referirem-se-lhe como Hizmet ou Serviços Voluntários (Movimento). Quanto ao próprio Fethullah Gülen, prefere referir-se ao grupo como "movimento de seres humanos unidos em torno de valores humanos elevados."

Apesar das dificuldades de acesso às redes sociais, há cidadãos que estão a conseguir passar mensagens, especialmente através do Instagram, onde têm sido colocados vídeos que mostram o clima que se vive, como é o caso do seguinte vídeo onde se percebe que um helicóptero dispara - neste caso, em direcção ao palácio presidencial.
. "Há muita tensão lá fora"
Ao Negócios, Ibra diz que consegue aceder em condições ao Facebook. Foi, aliás, através dessa rede que se estabeleceu contacto com este jovem sírio que fugiu para a Turquia há dois anos.

Ibra vive em Gazi-Ayintap e está bastante preocupado com o que está a acontecer. "O governo está a perder o controlo", contou, relatando que está muita gente a ir para as ruas, tal como Erdogan pediu, mas que o ambiente está cada vez mais tenso. "As pessoas estão a recusar este golpe", acrescentou.

Para que aqui, deste lado, percebamos melhor, Ibra envia um áudio onde pode ouvir-se muito ruído, vozes alteradas e buzinadelas. Há muitas pessoas na rua.

"Todos os políticos, e mesmo os principais opositores do actual governo, rejeitaram este golpe dos militares. Eles defendem a democracia", prossegue o jovem Ibra, que fugiu da Síria para a Turquia em busca da paz que lhe faltava na terra onde vivia - mas que hoje, uma vez mais, ouve sons que desejava já ter esquecido.
Militares disparam sobre a população

A AFP dava conta, pelas 00:15 de Lisboa, que os soldados turcos estavam a disparar sobre as pessoas nas ruas de Istambul e que havia registo de feridos. E avançava que caças F-16 abateram um helicóptero dos golpistas.

Facebook, Twitter e YouTube "em baixo"  
O acesso na Turquia ao Facebook, Twitter e YouTube foi cortado quase logo a seguir às primeiras notícias do golpe militar, segundo dois grupos de monitorização das actividades na Internet citados pelo The Guardian.

A Reuters reportou que o Turkey Blocks, grupo que monitoriza cortes de Internet no país, e o Dyn, que analisa o desempenho da Internet e do tráfego a nível mundial, afirmaram que estava a ser difícil ou mesmo impossível aceder aos serviços de media sociais na Turquia.

Recorde-se que Erdogan já decretou, noutras ocasiões, a restrição do acesso a algumas plataformas de "social media".


* É melhor aguardar por próximas notícias, não deixamos de considerar Erdogan um bandido e se o golpe for o 25deAbril de Ankara.......


.
.


1- ICEBERGS


Alerta Global

video


.
.
HOJE NO
"DESTAK"

Governo admite prolongar pesca da sardinha 
até fim de outubro e aumentar capturas

O Governo admitiu hoje o prolongamento da pesca da sardinha "até final de outubro" e que "as capturas podem aumentar" em relação ao previsto no início do ano, antecipando ainda que, em 2017, "haverá novo aumento das capturas". 
 .
Em comunicado hoje emitido, após uma reunião com a Comissão Alargada da Sardinha - que inclui operadores do setor, associações ambientalistas e cientistas -, o Ministério do Mar escreve que "considera possível prolongar a pescaria até final de outubro, com uma recuperação de 'stock' estimada em 4%".

De acordo com a tutela, esta recuperação estimada do 'stock' de sardinha está "dentro dos princípios de aproximação precaucionária" e tem em conta "as necessidades sociais e económicas previstas no regulamento comunitário". 

* Seria bom para gastronomia e obviamente para a economia.

.
.
Pelo fim da mutilação
 genital feminina

video



FONTES: UNFPA, UNICEF

.
.
HOJE NO 
"i"

Herbalife paga 200 milhões para evitar acusação de esquema em pirâmide

Segundo o Wall Street Journal, a Herbalife vai pagar 200 milhões de dólares, cerca de 180 milhões de euros, para evitar ser classificada como um esquema em pirâmide nos Estados Unidos.



O acordo foi feito com a Comissão Federal de Comércio (FTC), onde a empresa se compromete a mudar algumas práticas comerciais.
.



Após ter sido anunciado o acordo, as ações da Herbalife subiram cerca de 14% esta sexta-feira.
A empresa vende suplementos nutricionais através de uma rede de vendedores que funcionam como distribuidores independentes. O método, no entanto, faz com que algumas pessoas consigam mais dinheiro por recrutar novos distribuidores do que em vendas.

Para Robert FitzPatrick, que formou o Pyramid Scheme Alert em 2000 para monitorizar esquemas em pirâmide, o acordo será difícil de implementar.

* E em Portugal, o esquema não é o mesmo?


.

JOÃO LEMOS ESTEVES

.





Sanções a Portugal: 
Cavaco Silva ajuda Marcelo

As sanções e a rédea curta de Bruxelas permitirão a Marcelo Rebelo de Sousa, quando julgar ser o momento oportuno, iniciar um novo ciclo político, afastando o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista da maioria parlamentar de suporte ao Governo, deslocando o eixo da vida político-partidária para o centro.

1.Confirma-se: o Ecofin (o Conselho de Ministros das Finanças dos Estados-Membros) decidiu aplicar sanções a Portugal e a Espanha por violação das regras orçamentais previstas no Tratado Orçamental, devidamente aprovado pelas autoridades nacionais dos Estados que se encontram a ele vinculados. António Costa já se veio opor publicamente à decisão do Conselho, utilizando uma argumentação simultaneamente política e jurídica.

2. No entanto, parece que até o Primeiro-Ministro português já se conformou com a aplicação das sanções: restará agora tentar, por via político-diplomática, que seja uma sanção pífia (a tal sanção-zero) ou que a aplicação das sanções esteja dependente da condição suspensiva de incumprimento das metas orçamentais pelo actual Governo de coligação parlamentar entre o extremo-PS e a extrema-esquerda. Esta resignação de António Costa a Bruxelas (lembram-se dos tempos em que o candidato da vitória poucochinha prometia “bater o pé” à Europa?) significa que o líder do PS português não quer enfrentar os seus camaradas do Partido Socialista europeu, que votaram maioritariamente a favor das sanções contra Portugal e Espanha. Afinal, o socialismo tem pátria e tem fronteiras!

3.Já o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa há muito que se conformou com a aplicação de sanções contra Portugal. Note-se que Marcelo nunca afrontou, nem mesmo criticou ainda que subtilmente, a aplicação de sanções por incumprimento das metas orçamentais contra o nosso país. Marcelo apenas realçou que as instituições da União Europeia deveriam ter em conta – apesar do incumprimento de Portugal –o esforço do anterior Governo e a dedicação do Governo actual em cumprir as regras dos Tratados e as orientações de Bruxelas. Se Portugal não conseguiu mais – é porque seria impossível fazer melhor.

3.1. Os sacrifícios dos portugueses seriam eloquentes para demonstrar o nosso compromisso com as regras do Tratado orçamental. Num segundo momento, Marcelo Rebelo de Sousa passou a dar como certa a aplicação de sanções, pese embora desvalorizando-as: assim, a sanção seria apenas uma sanção simbólica ou uma sanção-zero. Um “puxão de orelhas” público e mais formal – nada mais.

4. Ontem, no Conselho de Estado, o anterior Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, defendeu, em termos abstractos, que os Estados quando concordam com determinadas regras e a elas se vinculam – têm que as cumprir, sob pena de o incumprimento gerar consequências patrimoniais negativas. Para os Estados e para os cidadãos: o cumprimento das regras (segundo Cavaco Silva, num regresso ao seu registo professoral e de reencontro com a sua vocação académica) defende os Estados da insolvência e os portugueses da miséria. Aparentemente, Aníbal Cavaco Silva quebrou a unanimidade nacional contra as sanções – e criticara implicitamente o seu sucessor, o Presidente da República em exercício, Marcelo Rebelo de Sousa.

5. Puro engano analítico: as considerações de Aníbal Cavaco Silva, ontem no Conselho de Estado, bem como a aplicação de sanções contra Portugal pelas instituições europeias, favorecem a posição política de Marcelo Rebelo de Sousa. Porquê? Fácil. Por duas razões essenciais:
A aplicação de sanções e o crescente escrutínio de Bruxelas face às medidas orçamentais aplicadas pelo Estado português debilitam António Costa e tornam ainda mais precário o acordo das esquerdas. A geringonça torna-se ainda mais geringonça: a partir de agora, António Costa, dia após dia, terá um dilema permanente de optar entre agradar a Bruxelas ou agradar à extrema-esquerda anti-europeísta. Perante a instabilidade da maioria parlamentar e o consequente equilíbrio político do Governo, qual é o único órgão de soberania estável, com autoridade e protagonismo pessoal?
A Presidência da República. Marcelo Rebelo de Sousa surge, pois, como o centro da vida política portuguesa: o semipresidencialismo português reforça, nesta conjuntura, a sua vertente presidencialista. Pela primeira vez, o sistema de governo nacional identifica-se com um semipresidencialismo de pendor presidencial, que até se tende a reforçar em prejuízo da centralidade do Governo e até da Assembleia da República;

As sanções e a rédea curta de Bruxelas permitirão a Marcelo Rebelo de Sousa, quando julgar ser o momento oportuno, iniciar um novo ciclo político, afastando o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista da maioria parlamentar de suporte ao Governo, deslocando o eixo da vida político-partidária para o centro. Aqui, todos sabemos que o desejo de Marcelo Rebelo de Sousa passa pela constituição do “Bloco Central”, com o PS no Governo e o PSD a apoiar o executivo em matérias centrais para a democracia portuguesa;

No ponto anterior, Marcelo Rebelo de Sousa acaba por “repescar” a teoria defendida durante quatro anos pelo então Presidente Aníbal Cavaco Silva. Por outro lado, a voz dissonante de Cavaco Silva no Conselho de Estado é muito útil a Marcelo: como todos sabemos, Marcelo aprecia muito aparentar uma ideia de distanciamento crítico, de independência e imparcialidade. Marcelo Rebelo de Sousa nunca escolhe um lado numa discussão: fica sempre a pairar ou então lateraliza o jogo, par evitar alienar o apoio de um dos lados. Marcelo Rebelo de Sousa nunca mata – antes, mói até (se e quando) matar. É o que Marcelo fará com a geringonça – vai moer, moer, moer até que PCP e BE (e já agora, Passos Coelho) saiam.

Depois, sempre dirá que o seu Conselho de Estado pronunciou-se em termos críticos, representando o pluralismo da sociedade portuguesa, quanto à capacidade da actual composição parlamentar responder com êxito aos desafios do futuro de Portugal – reiterando a história dos cogumelos. Marcelo é o cogumelo maior que segura o cogumelo menor (o Governo); e o cogumelo maior tem de estar sempre ao centro, nunca se comprometendo com nada, nem ninguém. Cavaco Silva fez, pois, um favor a Marcelo Rebelo de Sousa.

IN "SOL"
23/06/16

.
.


929.UNIÃO


EUROPEIA


HOJE SOMOS TODOS FRANCESES


.
.
HOJE NO 
"A BOLA"

Liga
Sorteio não admite Gil Vicente na Liga

Realizam-se esta tarde (19.30 horas), no Europarque, em Santa Maria da Feira, os sorteios das competições da Liga em 2016/2017 - Liga, Liga 2 e Taça da Liga. A cerimónia foi adiada uma semana, por culpa do impasse à volta da integração imediata do Gil Vicente no principal escalão, mas, escreve A BOLA, tudo se passará de forma normal.
.

Haverá 18 equipas em competição e sem qualquer alteração aos quadros competitivos. A BOLA sabe que a Direção da Liga chegou a ter um plano B pensado caso o impasse se arrastasse, mas a confirmação da entrega do recurso do Belenenses - a semana passada - fez com que se tornasse desnecessário traçar mais do que um cenário para o sorteio. 
.
* O que vale a justiça?

.
.

4-PROJECTO VÉNUS
 2016
A ESCOLHA É NOSSA

video


As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.


.
.
8.A GUERRA DA
DEMOCRACIA

video

DENÚNCIA DE COMO SOB A MÁSCARA DA DEMOCRACIA SE EXERCE A ESCRAVATURA MODERNA

* Na nossa procura sobre o tema, só encontrámos esta série subtitulada em espanhol.

* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
HOJE NO   
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS
DA MADEIRA"


Ginja e Doçaria são rainhas neste fim-de-semana no Curral das Freiras

 A XII Mostra da Ginja &Doçaria – III Arraial da Ginja decorre a partir de amanhã e até domingo, no Curral das Freiras, contando não só, com a exposição do produto mas também com a possibilidade de mostrar a criatividade e a possibilidade de desenvolver variadíssimas doçarias utilizando a ginja.


Além de um carácter gastronómico (típico madeirense), a Festa da Ginja apresenta ainda, pelo terceiro ano consecutivo, um carácter popular, um arraial dinâmico com vários artistas madeirenses convidados, como Miro Freitas, Vasco e os Galáxia, Saperoco e a banda musical Aoakaso.

Eugénio Vasconcelos, presidente da Casa do Povo do Curral das Freiras, pretende com este evento, criar um maior dinamismo a esta freguesia, “atraindo não só turistas mas também madeirenses e residentes na ilha e mostrar o que há de melhor no Curral das Freiras”.

Este é um evento que conta com o apoio da Junta de Freguesia do Curral das Freiras, Câmara Municipal de Câmara de Lobos e a Secretaria Regional Agricultura e Pescas.

* A doçaria madeirense é de grande qualidade bem como toda a gastronomia regional, vinhos generosos da Madeira não têm de provar nada, temos saudades duma bebida caseira chamada "tim tam tum".

.
.


Strella do Dia

Neo Medieval e Folk Music

video

.
.
 HOJE NO 
"DIÁRIO ECONÓMICO"

TAAG em "sérias dificuldades" 
para pagar a fornecedores

A transportadora aérea estatal angolana TAAG admitiu hoje que enfrenta "sérias dificuldades" para cumprir as "obrigações contratuais" com fornecedores e credores, devido à conjuntura em Angola, nomeadamente a falta de divisas.

A situação é admitida num comunicado divulgado hoje pela transportadora, confirmando a suspensão da compra, com recurso a moeda nacional angolana, o kwanza, de bilhetes para viagens com destino a Luanda e o início no exterior do país, que a Lusa noticiou na quinta-feira.
 .

"Tendo em consideração a crise económica que assola a República de Angola", que tem criado "desequilíbrios financeiros e contabilísticos de forma generalizada" e "bem notável e acentuada escassez no acesso e disponibilidade da moeda estrangeira, particularmente no setor da aviação civil", justifica a companhia.

"Os elevados custos operacionais no exterior do país", diz ainda a TAAG no comunicado enviado à Lusa, tem levado a companhia a "enfrentar sérias dificuldades em honrar com as obrigações contratuais junto dos fornecedores e credores".

Daí que a companhia espere aumentar as vendas em moeda estrangeira, como em dólares e euros, para fazer face às necessidades operacionais fora do país.

A Lusa noticiou na quinta-feira que a compra de viagens aéreas para Luanda, com início fora de Angola, em kwanzas, deixou de ser possível a partir, com a suspensão, desde aquele dia, dessas operações pela companhia de bandeira angolana, que desde o final de 2015 está sob gestão da Emirates.

A informação foi então confirmada à Lusa por fonte oficial da transportadora área estatal de Angola, que segue os passos de todas as restantes companhias internacionais que operam a rota de Luanda, incluindo a portuguesa TAP, que há vários meses deixaram de aceitar kwanzas na compra de passagens para viagens que não se iniciem na capital angolana, face à dificuldade em repatriar divisas.

Angola vive desde o final de 2014 uma profunda crise decorrente da quebra da cotação de petróleo no mercado internacional.
A portuguesa TAP aplicou a mesma medida em Janeiro de 2015, alegando a crise no acesso a divisas que já então se fazia sentir.
A espanhola Iberia deixou de voar para Luanda no final de maio e a moçambicana LAM desde o início de Julho.

Só a TAP, segundo o relatório e contas da Parpública tinha depósitos em Angola no montante de 27,7 milhões de euros, no final de 2015, que estava com dificuldade de repatriar.

A Lusa noticiou a 3 de Junho que Angola é o quinto país do mundo com mais fundos retidos às companhias aéreas, que não paga há sete meses, acumulando dividendos de 237 milhões de dólares (213 milhões de euros) que as transportadoras não conseguem repatriar.

Os dados constam de um comunicado da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) que coloca Angola numa lista de países liderada pela Venezuela, com 3.180 milhões de dólares (16 meses sem transferir dividendos), seguida da Nigéria (591 milhões de dólares, sete meses), Sudão (360 milhões de dólares, quatro meses) e Egipto (291 milhões de dólares, quatro meses).

No mesmo comunicado, a IATA, que representa 264 companhias aéreas e 83% do tráfego global, afirma que pediu aos governos "que respeitem os acordos internacionais que os obrigam a garantir que as companhias aéreas sejam capazes de repatriar suas receitas".

* As contas bancárias de "zedu", família e sequazes estão tão obesas  quanto tísicas estão as contas do Estado.

.
.


MASSAGISTA PESSOAL

video

.
.
HOJE NO   
"CORREIO DA MANHÃ"
Ardeu o maior presépio do mundo 

Presépio da Cavalinho fica em São Paio de Oleiros. 

O presépio mecânico que a empresa Cavalinho vinha dinamizando em S. Paio de Oleiros, na Feira, e que detinha o recorde do Guiness de maior do mundo, foi esta tarde destruído pelo fogo em menos de uma hora. 
.

Manuel Jacinto Azevedo, mentor do projeto que surgiu em 2004 e que no Natal de 2015 terá recebido cerca de 750.000 visitantes em regime de entrada gratuita, declarou à Lusa que "ardeu tudo". Tínhamos lá mais de 10.000 peças, um património irrecuperável, e não sobrou nada", descreveu. 
.

Segundo informação disponibilizada pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Aveiro, o incêndio terá ficado a dever-se às elevadas temperaturas registadas esta tarde, pelo que o recinto de 4.000 metros quadrados do presépio ficou arruinado em pouco mais de 45 minutos. "É o suficiente para destruir tudo, dada a grande carga térmica dentro do pavilhão", garantiu a fonte do CDOS. Para isso contribuiu também o teor altamente inflamável dos materiais utilizados nos diversos cenários e áreas temáticas do presépio, constituído na sua maior parte por madeiras, tecidos, flores artificiais, pequenos brinquedos e peças de artesanato. 

Combatido por 83 bombeiros e 24 viaturas das corporações de Espinho, Esmoriz, Ovar, Feira, S. João da Madeira, Fajões e Lourosa, o fogo está agora controlado, mas, segundo o CDOS, as operações vão prolongar-se com o trabalho de duas retroescavadoras, para "ajudar ao arrefecimento do material". Manuel Jacinto Azevedo admite que "o fumo tóxico é um problema", mas, revelando que esse risco está a ser acautelado, afirma: "A única consolação disto tudo é saber que ninguém se aleijou. Além do mais, se fosse a fábrica [de carteiras, calçado e marroquinaria] a arder, ia ser muito pior, porque dela está muita gente dependente". 
 .

Quanto aos prejuízos, o empresário não adianta valores, mas garante: "Não há seguro que pague o que aqui ardeu. Era um espólio antigo, de peças únicas, criadas especificamente para nós, muitas por artesãos que já não existem, e esse património perdeu-se todo".

* Arder património nacional é uma tragédia, só desejamos que façam um novo, a empresa merece.

.
.

DIVIRTA-SE JOGANDO


Concentre-se e e teste os seus conhecimentos geográficos.

.
.
HOJE NO   
"OBSERVADOR"

Atividade económica estabiliza em junho 
e interrompe queda dos últimos 7 meses

O indicador coincidente da atividade económica estabilizou em junho, interrompendo a trajetória de redução dos últimos sete meses.

O indicador coincidente da atividade económica estabilizou em junho, interrompendo a trajetória de redução dos últimos sete meses, enquanto o indicador para o consumo privado manteve a tendência de diminuição iniciada em fevereiro, anunciou o BdP.
.
Segundo os dados divulgados esta sexta-feira pelo Banco de Portugal, o indicador coincidente para a atividade económica fixou-se em 0,1 em junho (o mesmo que em maio).

O indicador para o consumo privado passou de 1,9 em maio para 1,7 em junho, mantendo a redução iniciada em fevereiro após a estabilização observada desde meados de 2015.

Os indicadores compósitos procuram captar a evolução da variação homóloga do respetivo agregado macroeconómico.

No caso do consumo privado, avalia-se a evolução dos gastos das famílias em bens de consumo como alimentos, vestuário, lazer, educação, saúde, excluindo as despesas em bens duradouros como habitação, que são consideradas investimento.

Já o indicador coincidente da atividade económica reflete a tendência geral acerca dos desenvolvimentos económicos.

* A "Geringonça" funciona melhor que a aldrabice do governo anterior.

.
.
VAIS CONSEGUIR

video


.
.
HOJE NO    
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Marcelo levanta sigilo do Conselho de
. Estado para defender Cavaco

Lobo Xavier revelou que Cavaco Silva não defendeu a aplicação de sanções a Portugal na última reunião do órgão

O Presidente da República autorizou António Lobo Xavier a quebrar o sigilo do Conselho de Estado para esclarecer publicamente que Cavaco Silva não defendeu a aplicação de sanções a Portugal na última reunião do órgão.
.
A explicação foi dada esta sexta-feira pelo próprio Lobo Xavier, em declarações ao Expresso: para quebrar o regime de sigilo a que os conselheiros estão obrigados é sempre necessária a autorização expressa do Presidente, autorização essa que foi dada rapidamente depois de contactar Marcelo Rebelo de Sousa.

Foi só depois que o conselheiro Lobo Xavier revelou, no programa "A Quadratura do Círculo", que as notícias de que davam conta de que Cavaco teria feito uma intervenção que legitimava a aplicação de sanções a Portugal por não cumprir o défice não correspondiam à verdade.

No programa, Lobo Xavier explicou que pediu ao Presidente da República para lhe permitir levantar o sigilo porque lhe "fazia impressão que estivesse o Conselho de Estado de assistir impávido e sereno a declarações que não correspondem a nada". Para o conselheiro, tem de ser o chefe de Estado o "árbitro do que é segredo, do que não é segredo, do que é revelável ou não revelável".

Lobo Xavier questionou Marcelo "se achava que declarações não verdadeiras, injustas e contra a honra e contra o brio" podem manter-se assim em "nome do segredo de Estado". E então o Presidente libertou o histórico centrista para dizer que "o que é atribuído a Cavaco Silva, não se passou"".

O Expresso lembra que o pedido de levantamento do dever de sigilo a um conselheiro de Estado não é uma estreia e que a situação anterior envolve novamente o nome de Cavaco Silva. Em 2000, durante a Presidência de Jorge Sampaio, o então líder comunista Álvaro Cunhal disse que Cavaco Silva tinha uma posição sobre a independência de Timor Leste diferente da que publicamente defendia e Cavaco pediu a Sampaio para libertar a ata da reunião.

Foi na sequência desta polémica que Sampaio pediu pareceres jurídicos, em que se concluiu que o dever de sigilo é inultrapassável, exceto quando é o próprio Presidente a levantar esse dever.

* O sr. Cavaco Silva não gozou nunca da nossa simpatia, os seus procedimentos enquanto político justificam a nossa posição. Também não somos simpáticos para quem calunia, portanto o nosso grande reconhecimento ao sr. Lobo Xavier pelo voluntarismo em repor a verdade.

.