quarta-feira, 28 de outubro de 2015

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.











.


  COMO NÓS


  "RECORDAMOS"!


3-CINCO DESTINOS


video

ÚLTIMO EPISÓDIO


* Uma notável  reportagem SIC, recentemente premiada.

.
.


IMPOSTOS:

O PRESENTE E O FUTURO



CLIQUE EM "Programa OLHOS NOS OLHOS"

Se no dia do programa, 27 de Outubro, não teve oportunidade de ficar mais esclarecido sobre o tema, dispense-se tempo para se esclarecer agora, este programa é extenso mas terrivelmente claro e polémico.
Fique atento às declarações do Dr. Tiago Caiado.

.
.

HOJE NO
"A BOLA"

Atletismo
Ultramaratonista Carlos Sá 
tenta travessia da Gronelândia
O ultramaratonista português Carlos Sá vai participar na travessia da Gronelândia em maio de 2016, tendo previsto completar 800 quilómetros sob temperaturas entre 30 a 40º negativos.

Para o desafio, que tem uma duração de dez dias, Carlos Sá vai estar acompanhado por outro português e dois noruegueses, entre os quais Harald Hauge, que já cumpriu este percurso 12 vezes. 
 
* Quando a coragem se amantiza com a loucura...admiramo-lo.

.
.



CHANEL

HAUTE COUTURE
OUTONO/INVERNO
2015/2016
video



video



video



.
.
HOJE NO
"AÇORIANO ORIENTAL"
Açores com associação para
 promover produção de café

Um grupo de produtores de café da ilha Terceira acaba de formar uma associação regional visando transformar e comercializar o produto através da criação de uma unidade industrial, com recurso a fundos comunitários.
 
Em declarações à agência Lusa, o porta-voz da Associação de Produtores Açorianos de Café, Jorge Tiago, referiu que existem cerca de 100 produtores associados ao projeto e que cerca de 20 têm áreas de cultivo de alguma dimensão no único local da Europa - o arquipélago - onde é produzido café.

Jorge Tiago referiu que os produtores de café não se sentiam muito incentivados em cultivar a planta que lhe dá origem em grandes quantidades, porque não têm como transformá-la e comercializá-la, acabando por promover culturas meramente domésticas, também com fins de jardinagem.
 .
Referindo que foram já criados os estatutos e que a associação foi registada este mês, o porta-voz explicou que o levantamento feito aponta para cerca de uma centena de produtores na ilha Terceira, havendo um grupo que pretende aumentar a sua área de cultivo para os mil, dois mil ou mesmo quatro mil metros quadrados.

"Como bons produtores, vamos contar com 20 a 30, o que é bastante significativo", declarou o responsável pela associação, que refere que a introdução da planta do café nos Açores data "toda da mesma altura".

De acordo com Jorge Tiago, a introdução da planta do café resulta da ligação de vários açorianos às antigas colónias portuguesas. Em 1975, houve por parte das entidades oficiais uma tentativa de incremento da cultura do café nos Açores, que não resultou.

Em São Jorge existe uma maior produção de café porque esta foi sendo mantida devido à escassez de bens essenciais na ilha, contrariamente ao que aconteceu na Terceira e noutras zonas do arquipélago, como São Miguel, de acordo com o porta-voz da associação.

Jorge Tiago - que salvaguardou que "as espécies da planta são as mesmas" do que as de São Jorge - referiu que vender o grão do café verde não seria uma dificuldade, uma vez que qualquer operador de grande dimensão exterior aos Açores "não se importaria de ficar com ele, comercializando-o depois".
Contudo, pretende-se com a constituição da associação, a que todos os produtores da região podem aderir, criar no arquipélago valor acrescentado, com refação (processo de transformação) e embalagem do café para comercialização.

"A associação também aparece porque as ações de descasca, fermentação e secagem - que não pela via da refação, mas através da exposição ao sol - são procedimentos mais ingratos. Havendo a associação e uma indústria transformadora, haverá mais interessados em plantar o café, que poderão deixar a seu cuidado a transformação do produto", explicou.

Atualmente, existe nos Açores uma produção de café em São Jorge, na Fajã dos Vimes, que tem uma produção suficiente para abastecer o Café Nunes, por onde passam inúmeros turistas só para provar o expresso local, devido às suas características.

A plantação de Manuel Nunes, 63 anos, fica nas traseiras do seu café e, ao todo, tem hoje entre 350 e 400 plantas. Quando comprou o primeiro terreno, há 35 anos, havia apenas "meia dúzia", mas foi aumentando a área de plantação e todos os anos a produção aumenta.

Os proprietários do café da plantação de Manuel Nunes acabam de registar o seu produto no Instituto Nacional da Propriedade Industrial, visando proteger a sua origem.

* Mais empresários subsídio/dependentes.

.
.


9-TERRÁQUEOS


A DITADURA DA ESPÉCIE


video
.



10-TERRÁQUEOS


A DITADURA DA ESPÉCIE


video

ÚLTIMO EPISÓDIO


* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

CMVM aplica multa de 500 mil euros
 a corretora canadiana por 
manipulação de mercado

A CMVM aplicou uma coima de 500 mil euros à corretora canadiana Biremis Corp. e uma outra de cem mil euros à empresa sueca Neonet. No entanto, a corretora escandinava conseguiu com que a penalização fosse suspensa. Em relação à Biremis Corp., entidade que já havia sido penalizada pelo regulador financeiro norte-americano, a CMVM considerou que violou, a título dolos, o dever de defesa do mercado.
.
DIAGRAMA DA MANHOSICE

Esta empresa inseria ofertas fictícias no sistema de negociação “de montantes cumulativamente elevados, cancelando-as em massa segundos depois – processo que repetiu ora de um lado ora de outro do livro de ofertas – provocando a alteração das condições normais da oferta e da procura daqueles títulos nas referidas sessões de negociação, assim perturbando o processo de formação de preços e afectando a regularidade, a transparência e a credibilidade do mercado”, referiu a CMVM.

Essas operações ocorreram em 2008 e 2009 e envolveram acções da Semapa, da Brisa, da Zon, da Mota-Engil e da Altri. Em 2012, a Biremis Corp. viu a sua licença revogada pela norte-americana SEC, por utilizar os mesmos esquemas de manipulação de mercado. Segundo o regulador dos EUA, os ‘traders’ da empresa utilizaram essa táctica entre 2007 e 2010.

Além da Biremis, a CMVM aplicou também uma coima de cem mil euros à empresa de serviços de execução de acções sueca Neonet, “pela violação, a título negligente, do dever de defesa do mercado”. O regulador refere que a Neonet permitiu “a inserção no sistema de negociação, por parte da Arguida Biremis, de ofertas fictícias de montantes cumulativamente elevados, cancelando-as em massa segundos depois”.

No entanto, o Conselho de Administração da CMVM acedeu “à suspensão total da execução da coima aplicada, pelo prazo de dois anos”. Justifica essa decisão com os “esforços da Arguida Neonet posteriores à ocorrência dos factos no sentido de adequar a sua estrutura interna e os seus procedimentos de modo a permitir detectar este tipo de situações e impedir que as mesmas se repitam no futuro”. 

* O mundo está mais desigual por causa da ditadura dos fundos financeiros, do oportunismo das corretoras e da permissividade das entidades fiscalizadoras.

.

DULCE MARIA CARDOSO

.




Pecados da Lusofonia 

A escritora portuguesa Dulce Maria Cardoso é uma das convidadas dos Encontros da Lusofonia, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Paris. Este é o texto que leu esta quarta-feira.

Conta a minha mãe que em pequena aprendi quimbundo em vez de português. Conta ainda a minha mãe que eu não só falava quimbundo como gostava de comer funje e de dançar com as lavadeiras dos vizinhos. Os meus pais nada sabiam de quimbundo portanto não sei até que ponto eu me expressei em quimbundo, possivelmente repeti algumas palavras que ouvi aos filhos das lavadeiras com quem brincava e pouco mais. Lembro-me no entanto de me aperceber mais tarde de que havia um conflito entre a nossa língua e as línguas deles.

As línguas deles nunca eram usadas oficialmente. Nas escolas, nos hospitais ou nas repartições públicas só se falava português e a maioria dos colonos ridicularizava os negros por não serem capazes de pronunciar algumas palavras portuguesas e por não usarem devidamente as regras gramaticais. Para a maioria dos colonos essa incapacidade era sinónimo de pouca capacidade intelectual e prova irrefutável de que eles não saberiam governar-se sozinhos. Chamavam por isso matumbos aos negros. Os brancos usavam muitas vezes palavras da língua deles para os insultarem. O uso da língua deles limitava-se praticamente a isso. Porque só o que é familiar pode ferir profundamente mais.

O facto de a maioria dos brancos não saber das línguas deles mais do que meia dúzia de insultos não era visto como sinal de pouca capacidade intelectual, era apenas sinal de que a língua deles não tinha interesse e ainda que os brancos desconfiassem que eles conspiravam na língua deles nem assim perdiam tempo com isso. Os negros e as línguas deles não eram uma ameaça perante o poder que os brancos e, consequentemente a língua dos brancos, tinham.

Segundo a wikipédia, a Lusofonia é o conjunto de algumas identidades culturais existentes em países, regiões, estados ou cidades falantes da língua portuguesa, como Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Macau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste, Goa, Damão e Diu, e também por diversas pessoas e comunidades em todo o mundo. Alguns teóricos que a estudam advogam que temos de entender a lusofonia no presente, isto é, sem o peso dos factos históricos que lhe deram origem.

Creio não ser possível pensar na lusofonia sem ter em conta os cinco séculos de Império e Portugal como colonizador. A lusofonia é fruto do Império. Desfizemo-nos do Império como se fosse uma camisa velha, no dizer do Professor Eduardo Lourenço. Penso que o mais correcto será dizer que quisemos desfazer-nos do Império como se fosse uma camisa velha mas que nunca o conseguiremos fazer porque o Império nos moldou enquanto povo, no passado, tal como a falta dele nos vai moldando o presente. Talvez por isso seja difícil fazerem-se ouvir vozes lúcidas sobre o Império. Renegamo-lo ou exaltamo-lo consoante as nossas perspectivas de vida e credo político, mas raramente conseguimos abordar com profundidade o que foi efectivamente o Império e o que dele restou.

Dizia que cresci testemunhando que uma língua pode ser uma arma muito poderosa e verifiquei que a língua dos mais fortes ganha. Por ser uma criança, não me pude aperceber de que a língua portuguesa em Luanda expressava o domínio de uns e a submissão de outros, e quando muitos anos mais tarde comecei a pensar no que tinha testemunhado era já ponto assente que o Império Português nunca deveria ter existido e que uma das grandes conquistas da Revolução de Abril tinha sido acabar com esse crime da Pátria.

Poucas vezes terei ouvido que a marca mais visível, ou melhor, mais audível desse crime é exactamente a língua. A língua portuguesa é a marca mais permanente da colonização que Portugal empreendeu. Aquando da descolonização, para os novos estados independentes era demasiado tarde ou demasiado cedo para escolherem outra língua que não o português como sua língua oficial. Lembro-me de algumas canções que os negros cantavam e que tinham palavras portuguesas pelo meio. Um dia perguntei a razão e explicaram-me que não havia uma palavra em quimbundo para o que queriam dizer. Uma dessas palavras era «identidade». Outra dessas palavras era «documento».

IN "PÚBLICO"
21/10/15

.
.
.

673.UNIÃO


EUROPEIA



.
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Polícia britânica reduz investigação ao desaparecimento de Madeleine McCann 

Autoridades britânicas reduzem equipas na operação. 

A polícia britânica anunciou esta quarta-feira ter reduzido a equipa de investigação ao desaparecimento, em 2007 no Algarve, de Madeleine McCann, alegando estar só a seguir um pequeno número de linhas de investigação. 
 .
O número de agentes dedicados à "Operação Grange", iniciada em 2011, foi reduzido de 29 para apenas quatro, liderados pela inspetora-chefe Nicola Wall. "O inquérito não chegou a uma conclusão, ainda existem linhas focadas de investigação a serem seguidas", refere um comunicado hoje divulgado. Porém, as autoridades britânicas consideram ter sido concluído a principal parte do trabalho, que implicou reunir e analisar os processos de investigação das polícias portuguesa e britânica e dos investigadores privados contratados pelos pais da criança. 

Ao todo, foram revistos mais de 40.000 documentos, muitos dos quais tiveram de ser traduzidos para inglês, recolhidos 1.338 depoimentos e 1.027 objetos, determinadas 7.154 diligências e identificadas 560 linhas de investigação, tendo sido enviadas mais de 30 cartas rogatórias internacionais. 

A polícia britânica afirma também ter investigado mais de 60 "pessoas de interesse", considerado um total de 650 criminosos sexuais e averiguados testemunhos de 8.685 potenciais avistamentos de Madeleine em todo o mundo. Ao longo deste tempo recebeu, em média, duas centenas de emails por semana - só na sequência do apelo feito em outubro de 2013 em três países foram mais de 7.000 respostas. 

"A polícia portuguesa continua a liderar a investigação e nossa equipa vai continuar a apoiar o seu inquérito. Eles foram muito atenciosos com a 'Operação Grange' e mantemos uma estreita relação de trabalho. Eu sei que eles permanecem totalmente comprometidos a investigar o desaparecimento de Madeleine com o apoio da Polícia Metropolitana", disse o comissário adjunto da Scotland Yard, Mark Rowley.

* Desde que ressurgiu a hipótese deste patético casal estar implicado no desaparecimento da filha convém esfriar esta caldeirada, não esquecer que o papá é amigo de Gordon Brown, ex-primeiro ministro britânico.

.
.


3- OS NÚMEROS POR

OUTRAS PALAVRAS
HANS ROSLING
video



video


A Pordata fez cinco anos, e celebrou-os em grande, no Teatro Nacional D. Maria II, Lisboa. Intervenção de Hans Rosling, um médico e académico sueco da Fundação Gapminder, internacionalmente conhecido pelas suas apresentações criativas e didáticas de estatísticas variadas.

* Cada episódio desta extraordinária palestra foi subdividido em dois vídeos porque continha demasiado peso em bites não suportável pelo nosso programa de conversão. Pedimos um pouco de paciência, ao fim de visionar o filme de cima, não perca o vídeo de baixo.


* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

..
.


1- S N I P E R S


ATIRADORES DE ELITE

video



.
.
HOJE NO
  "OBSERVADOR"

Durão Barroso acumula 22 cargos
 após a Comissão

Mais de um terço dos comissários que fizeram parte do segundo executivo de Durão Barroso na Comissão Europeia aceitaram empregos em empresas e organizações que os colocam numa posição em que podem fazer lóbi à Comissão Europeia. Durão Barroso é quem acumula mais postos neste período pós-Comissão, pelo menos notificados, com 22 cargos em diferentes organizações.
 .

Empresas, bancos, seguradoras, há de tudo um pouco – embora a maioria seja honorífica ou pró bono e a lista reflita os cargos autorizados pela própria Comissão Europeia. Mesmo assim, segundo o Corporate Europe Observatory, um grupo de análise que tem como objetivo expor ligações entre as empresas e os seus lóbis ao processo legislativo europeu, Durão Barroso é quem mais cargos acumula, mais que qualquer um dos 26 comissários.

Na lista de Durão Barroso estão vários postos em universidades – na Califórnia, Nova Iorque, Nova Jérsia, Washington, Genebra, Lisboa, Leuven, Macau -, que incluem cargos de professor visitante ou para dar seminários e palestras. Durão Barroso aparece ainda como membro da administração da Ópera de Madrid, chairman da Fundação da UEFA para Crianças e da fundação das Belas Artes de Bruxelas.

Os 22 postos de Durão Barroso:
.
  • Membro do Institute of Public Policy de Belgrado
  • Chairman da UEFA Foundation for Children
  • Professor visitante da Universidade de Princeton
  • Membro do conselho consultivo da McDonough Shool of Business, da Universidade de Georgetown.
  • Membro do conselho internacional da Ópera de Madrid
  • Membro da administração do The Europaeum
  • Membro do Steering Group das Conferências de Bilderberg
  • Atividades no Fórum Económico Mundial
  • Professor honorário do Instituto Politécnico de Macau
  • Membro do conselho consultivo do Women in Parliament
  • Membro honorário da administração da Fundação Jean Monnet para a Europa
  • Seminários e palestras na Universidade Católica de Leuven
  • Professor Visitante da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa)
  • Eventos com o Speakers Bureau in Londres e Washington
  • Professor visitante da Universidade de Genebra
  • Seminários e palestras na Universidade de Genebra
  • Professor visitante do Graduate Institute of International and Development Studies de Genebra
  • Professor visitante na Universidade da Califórnia 
  • Co-Presidente honorário do Centro Europeu para a Cultura
Já os 26 comissários registaram 117 cargos diferentes, dos quais 98 foram aprovados formalmente. Destes, 37 passaram pela comissão de ética para aprovação.

Entre os cargos dos comissários que levantam dúvidas ao Observatório, está o cargo de Neelie Kroes (comissária para a Agenda Digital) no Bank of America Merrill Lynch, ou o posto de Joaquin Almunia (comissário responsável pela Concorrência) na Enel.
 .

No total, defende o Observatório, pelo menos quatro comissários têm (oito) postos que simplesmente não deviam ter sido autorizados.

* Cada vez se percebe melhor porque Zé Barroso deixou de honrar compromisso eleitoral com os portugueses e foi para mordomo de Angela Merkel. Acrescente-se a copiosa remuneração quando cessou funções a título de remuneração para integração e a choruda reforma que vai passar a ganhar. Este é um grande português de que nos devemos envergonhar. 
Os líderes do PSD e CDS embora mais pequeninos querem manter a todo o custo os cargos que ocuparam por não saberem fazer mais nada para além da demagogia corporativa.

.
.
JAZZLAND

Joana Machado

Do You Know

video

.
.

HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Cadáveres e órgãos humanos reais
. expostos na Cordoaria

Os corpos são de cidadãos que viveram na China, morreram de causas naturais e não foram reclamados

A exposição internacional "Real Bodies", que apresenta mais de 350 órgãos e corpos humanos reais e que permite perceber como funciona o corpo humano, inaugura no sábado na Cordoaria Nacional, em Lisboa.
"Real Bodies - Descubra o corpo humano" é apresentada como a "maior e mais completa exposição de órgão e corpos humanos reais", organizada por uma empresa norte-americana e que já foi exibida noutras cidades, somando mais de 15 milhões de visitantes.
.

Em 2007, Lisboa acolheu uma exposição semelhante - com 17 cadáveres e 270 órgãos humanos conservados segundo a técnica de polimerização - que chegava a Portugal com um rasto de polémica e dúvidas sobre a origem dos corpos utilizados.

"Real Bodies", que também conta com corpos reais inteiros, apresentará corpos em várias posições anatómicas, órgãos afetados por doenças e ainda corpos de atletas durante a prática desportiva.
Tendões, ossos, músculos, pele, os aparelhos urinário e respiratório, tudo será mostrado nesta exposição que, lê-se na página oficial, "é adequada para todos os públicos".

Segundo a organização, os corpos utilizados na exposição "Real Bodies" são de cidadãos que viveram na China, morreram de causas naturais e, por não terem sido reclamados, foram entregues para estudo e investigação científica.

* A exposição de 2007, apesar da controvérsia foi de inegável qualidade, desejamos que esta seja superior, não faltaremos. Eis o endereço na web:
http://www.realbodies.pt/Visitar/tabi/681/language/pt-PT/Default.aspx

.
.

ALGODÃO DOCE

video

.
.
HOJE NO
"RECORD"

COI
Suspende Comité Olímpico do Kuwait

O Comité Olímpico Internacional (COI) anunciou esta quarta-feira a suspensão do Comité Olímpico do Kuwait por considerar que existe "ingerência política" na sua gestão.

"O Conselho Executivo do COI suspendeu o Comité Olímpico do Kuwait para proteger o movimento olímpico kuwaitiano de qualquer ingerência governamental indevida", refere o COI em comunicado, indicando que a suspensão entrou em vigor na terça-feira.

O COI garante que o comité kuwaitiano tem enfrentando sérios problemas para manter a sua autonomia, nomeadamente após as recentes alterações à legislação desportiva do país.
 .
O organismo que gere o movimento olímpico garante ter reunido a 12 de outubro com elementos do comité e do governo do Kuwait para tentar solucionar o problema, mas acrescenta que não foi possível um consenso.

O COI manifesta a esperança de que a sanção seja levantada o mais rápido possível, para que os atletas do país não sejam privados de participar em competições, nomeadamente nos Jogos Olímpicos Rio'2016.

Em 2012, o COI tomou medidas idênticas em relação ao Comité Olímpico do Gana e, em 2011, relativamente ao Comité Olímpico da Índia, que, entretanto, foram levantadas e não impediram os atletas dos dois países de participarem em Jogos Olímpicos.

* Nem percebemos como países em que o racismo  está presente no quotidiano podem participar em Jogos Olímpicos, não há um país árabe que não seja racista e xenófobo!

.
.
  
TANTO PARA RECORDAR
COMO
RESPEITAR
II-JOSÉ VILHENA

O HUMOR VIPERINO NA
 CULTURA PORTUGUESA










"O humor de Vilhena foi, em tempos de censura e prisão arbitrária por delitos de opinião, um acto de coragem".

(RUI ZINK)


.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Abertura legal para entrada de 
insetos na alimentação

Os eurodeputados votaram um relatório sobre o projecto de regulamento da UE sobre "novos alimentos", uma categoria que inclui aqueles que não foram consumidos em grande escala na União Europeia (UE) antes de 1997, e visa promover a inovação no sector alimentar.
 .
PARA OS CROQUETES
O diploma foi aprovado por 359 votos a favor, 202 contra e 127 abstenções. O documento vai agora para o Conselho da UE, onde os Estados membros estão representados. Em princípio, o regulamento entrará em vigor no próximo ano.

Segundo esta legislação, procedimentos de autorização para novos alimentos são centralizados a nível europeu através da Autoridade de Segurança Alimentar Europeia (EFSA), que será responsável por avaliar a entrada ou não desses alimentos.

Assim, a autorização passa diretamente pela AESA, em vez de ter que ser os Estados-Membros que cuidou do processo, de modo que os aplicativos serão simplificados e alimentos chegam ao mercado mais rapidamente. EFSA deve analisar cada caso para garantir que os novos alimentos não afetam a saúde humana.

Para a eurodeputada do Partido Popular Pilar Ayuso, este acordo "é necessário", uma vez que a legislação sobre o assunto, datada de 1997, está "ultrapassada" . O objetivo é classificar e autorizar novos alimentos que atendam às exigências da segurança alimentar. A eurodeputada sublinhou que este regulamento não é "sobre a clonagem de animais e nanotecnologia, mas para a favorecer a indústria ".

Das fileiras socialistas, Clara Aguilera disse que "certamente houve mudanças tecnológicas que devem ser levados em conta e adaptar as regras" e contam com "sistemas de segurança europeus". Em declarações à EFE, Aguilera sublinhou que a adopção deste relatório é "boa notícia" e sublinhou que nada mais é que "atualizar as regras para esta não estar separada da ciência".

"Há muitas expectativas no setor para o processamento de alimentos novos, e se um novo produto é licenciado é porque ele tem 100% de segurança alimentar garantida". As autorizações serão limitadas e tudo isto levará o seu tempo.

* Para o ano os dois milhões de portugueses pobres estarão autorizados a comer canja de varejeira, croquetes de larvas e ensopado de baratas, felizmente a fome vai acabar. Só não podem  comer presunto.

.