sábado, 17 de outubro de 2015

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

Macho, mas mesmo macho, ... é assim.


Um homem de 55 anos vai ao médico fazer o famoso exame do "TOQUE RECTAL" para controlo da próstata.
 
Entra no consultório com uma arma na mão, vira-se para o médico e diz:

- “És tu que me vais meter o dedo no cu?”
 
- “Sim, sou eu”, diz o médico já a tremer.

Nisto o homem coloca a arma na secretária do médico repete:
 
- “És mesmo tu que me vais meter o dedo no cu?”

- “Sim, sou eu”, responde o médico quase em pânico!

E o homem diz:
 
- “Se vires que estou a gostar DÁ-ME UM TIRO..!”




.
.

O QUE NÓS

"VIAJAMOS"


5-NADA TENHO DE MEU
UM DIÁRIO DE VIAGEM NO
EXTREMO ORIENTE


HANOI-VIETNAME




* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
12-FANTASIA


.
.

AntiCrise

"Jô Soares entrevista Goucha"


.
11-FANTASIA


.
.


3-DISTÚRBIO ANDROGÉNICO


DO ENVELHECIMENTO MASCULINO


FISIOPATOLOGIA

Uma interessante série conduzida pelo Prof. Dr. João Luiz Schiavini, professor catedrático em Urologia 

* Uma produção "CANAL MÉDICO"

** As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.
10-FANTASIA


.
.
V-ATRAVESSANDO A AMAZÓNIA

1-TRÁFICO
DE FÓSSEIS




* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.


.


9-FANTASIA

.

FREDERICO DUARTE CARVALHO

.



“Costa Concórdia” 

Como defendi na semana passada, António Costa venceu as legislativas. E diz o povo: ele agora tem a faca e o queijo na mão. Costa pode cortar quando e como quiser. O problema vai ser a partilha. A quem irá ele dar mais queijo?

À coligação PSD/CDS ou à esquerda? Afinal, estamos a falar do líder de um partido que fez o “Orçamento do Queijo Limiano” com um deputado do CDS. É possível que agora seja o “Orçamento do Costa Concórdia” com o BE. Sou da opinião de que o PS beneficiou com as eleições gregas, pois foi graças ao facto do Syriza se ter revelado um partido “responsável” e ter conseguido manter a Grécia no Euro que houve uma transferência de votos do PSD para o… BE.

Graças a essa transferência, a coligação perdeu a maioria absoluta, logo Costa beneficiou com o crescimento do BE, uma vez que dificilmente esses eleitores iriam votar PS. A lógica do voto “extra” no BE reside, na minha opinião pessoal, num factor: são eleitores cansados e esclarecidos que acham que PSD, CDS e PS são todos “farinha do mesmo saco” e votaram no BE porque sabiam que, apesar de radicais, são menos organizados e menos “perigosos” do que o PCP. Não votaram, por exemplo, no Livre de Rui Tavares porque ainda se lembram do que este partido fez a monárquicos como eu: não lhes deu liberdade.

O BE tem ainda aquele condão de poder “irritar” os poderes há muito estabelecidos. Fundamental neste último caso foi a prestação da deputada Mariana Mortágua no embate com Zeinal Bava na comissão do BES. Aquilo arrancou sorrisos em capitalistas que depois não se importaram de votar BE no dia 4 de outubro. António Costa pode fazer de conta que não está a fazer “bluff” nas negociações com BE.

Mas, calcula-se o mais provável: Costa quer concórdia e vai negociar até ao limite. Se não entrar num governo de “salvação nacional” com PSD e CDS, não vai inviabilizar o governo de coligação e mantém a “rolha” à esquerda. Se arriscar um governo com o apoio do BE, vai arriscar muito mais. Assim, espera-se até janeiro, altura da eleição de Marcelo para Belém – que aproveita assim com a divisão do PS entre Nóvoa e Maria de Belém.

Depois dessa eleição, há que esperar pela tomada de posse do novo Presidente da República, o que está previsto para Março. Como Marcelo não pode convocar novas eleições nos primeiros meses do seu mandato e como estas têm de ser convocadas com antecedência, logo só poderemos ter eleições antecipadas lá para o fim do Verão de 2016. Há assim todo um tempo de espera e de jogos políticos que têm de mobilizar outros partidos.

A campanha eleitoral para as próximas eleições já começou. Acredito que PSD, CDS e PS estão esgotados de soluções. Não há mais imaginação nem pessoas capazes de transmitir moral política. A Nação está exaurida nas finanças e nos homens e mulheres que poderiam permitir a recuperação social.

Esta é a melhor hora para acordar. Este período de “Costa Concórdia” pode ser um autêntico “Titanic” para os partidos que beneficiaram com o golpe de teatro da NATO que ficou conhecido entre nós como 25 de Abril e foi ratificado a 25 de Novembro de 1975. Entre os partidos que precisam de começar a trabalhar para atrair futuros políticos capazes de produzir soluções credíveis e viáveis, sérias e ponderadas, concretizáveis e benéficas, nacionais e não nacionalistas, patrióticas e não separatistas, está o MPT.

Este partido aguentou o embate da polémica de Marinho Pinto. Conseguiu limpar-se da imagem deixada pelo triste exemplo cívico do ex-bastonário da Ordem dos Advogados – e que lhe valeu não conseguir eleger um único deputado. Acredito que, nas próximas eleições, aqueles votos do PSD que foram para o BE podem ir para o MPT. Trabalhe-se para isso enquanto se assiste ao naufrágio do “Costa Concórdia”.

Jornalista e escritor

IN "OJE"
13/10/15


.
.
.

662.UNIÃO


EUROPEIA



EM PORTUGAL TAMBÉM 


.


8-FANTASIA

.
.

  ROBOTS INTERVINDO NOS ARMAZÉNS



* Uma produção"EURONEWS"

.
.
7-PROSPERAR


Num período tão conturbado como o actual FOSTER GAMBLE propõe-nos uma viagem de esperança, pensamos que nos faz bem.


.
.


7-FANTASIA


.
.
RECORDANDO

Vasco Santana

Fado do Estudante


.
.
HOJE NO
"RECORD"

Maratona lisboeta procura recordes

É já amanhã que o Parque das Nações se encherá de animação e de praticantes da corrida (a organização fala em 24 mil), com a realização das Rock’n’Roll Maratona (entre Cascais e Lisboa, às 8h30) e Meia-Maratona (partida da Ponte Vasco da Gama às 10h30), esta conjuntamente com a habitual caminhada e a meia-maratona para deficientes em cadeira de rodas, que reunirá alguns dos melhores especialistas mundiais. 
 .

Embora na conferência de imprensa de ontem Carlos Móia, líder da organização do Maratona Clube de Portugal, tenha realçado a importância dos 98 por cento dos concorrentes que não lutam pelos primeiros lugares ("o êxito das provas deve-se a eles"), as atenções estarão também centradas nos primeiros. Na maratona, que terá a sua 3.ª edição, o objetivo será não só bater o recorde do número de concorrentes classificados (4.041 na Maratona do Porto do ano passado – a de Lisboa havia tido 2.865) como conseguir recordes do percurso, que o mesmo é dizer melhores marcas em território nacional (embora não se possam bater recordes, já que a prova é ponto a ponto e não em circuito). 

Há um ano, Samuel Ndungo conseguiu 2:08.21h e Visilime Jepkesho (que voltará a estar presente) 2:26.47. Na linha de partida estarão, como detentores dos melhores tempos, os quenianos Lawrence Kimayio, 3.º em 2014 (2.07.01 em Kosice’2012), e Margaret Agai (2:23.28 em Daegu’2013), havendo na lista de partida oito africanos com recordes pessoais até 2h10 e duas com tempos até 2h30. Estão inscritos cerca de 5 mil concorrentes, a maioria estrangeiros.

No que respeita à meia-maratona, a grande figura é a campeã mundial da maratona de Pequim’2015, a etíope Mare Dibaba, que, naturalmente, não se apresentará nas melhores condições. "Ela tem festejado muito o título e está ‘assim-assim’ em termos de forma", explicou o seu treinador, que aponta uma nova maratona para abril, antes dos Jogos do Rio, agora o grande objetivo da atleta. No sector masculino, são sete os atletas sub-60 minutos à partida, com destaque para Atsedu Tsegay, com 58.47m em 2012. Objetivo: o recorde do percurso (não tão rápido como o da ‘meia’ lisboeta de março), que está em 1:00.19 desde 2013.

Já em relação a atletas nacionais o panorama continua pobre. Na maratona, estão inscritos Carlos Silva (GDR Reboleira) e Rosa Madureira, ambos sextos (e melhores portugueses), em 2014, com 2:24.29 e 2:48.03, respetivamente.

Na meia-maratona, Sara Moreira é o nome mais sonante mas, a duas semanas da Maratona de Nova Iorque, fará a prova a ‘rolar’. Estarão José Rocha, Tiago Costa, Pedro Ribeiro e Eduardo Mbengani como principais candidatos aos 1.500 euros destinados ao melhor português.

* Uma festa da estrada, oxalá o tempo melhore.

.
.
 BAILADO EQUESTRE


Harmonia perfeita entre cavalo e cavaleira
.
.
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

GNR registou 455 roubos 
na via pública até agosto 

Menos 54 face a igual período de 2014.

 A Guarda Nacional Republicana (GNR) registou, entre janeiro e agosto deste ano, 455 roubos na via pública, em Portugal Continental, menos 54 face a igual período de 2014, segundo dados facultados este sábado à agência Lusa.
 .

 Os dados recolhidos pela GNR na sua área de intervenção, que abrange cerca de 90% do território nacional continental, revelam que nos primeiros oito meses de 2014 registaram-se 509 destes crimes, face aos 455 deste ano, o que representa uma diminuição de 10,6%. 

Em termos globais nacionais, a GNR registou, de janeiro de 2010 a agosto deste ano, nos 18 distritos do país, 5.006 roubos na via pública: 964 em 2010, 1.040 em 2011, 910 em 2012, 889 deste tipo de crimes em 2013, 748 no ano passado e 455 assaltos até agosto último.

 "O trabalho que tem sido feito tem contribuído decisivamente para reduzir este número de roubos, nomeadamente através de maior visibilidade das ações de patrulhamento dos militares da GNR nas zonas mais críticas", disse à agência Lusa fonte da GNR. 
Além disso, esta força de segurança tem também apostado "na prevenção criminal e na realização de ações de investigação criminal, que culminaram na detenção de diversos indivíduos que se dedicavam a este tipo de prática criminal", acrescentou a mesma fonte. 

* Os militares da GNR continuam a trabalhar bem apesar de mal pagos e não muito considerados  pela hierarquia.

.
.


 O QUE NÓS


  "FESTEJAMOS"!!!




O primeiro número da ONDA POP explica quase tudo, os primórdios, os conceitos, a paginação e artigos publicados demonstram o trabalho destes rapazolas nos idos de 60.

Hoje sábado 1/10 vai para o ar o nº53 da edição impressa, a curiosa história da copiosa ISABELLE DE FUNÉS, provavelmente saberá que é sobrinha do grande, grande LOUIS DE FUNÉS.

ADAMO um grande da música francesa dos anos 60 mas que ainda anda nos palcos.

Ah! ah! no concurso "SCHWEPPS" um quarteto que deu brado, estão um pouco mais velhos.

 MUNDO POP e LES PROBLEMS comum problema para Luís Rego, desertor anti-salazrista e preso político por pouco tempo. Em 1966 passam a denominar-se LES CHARLOTS.

A BRIGADA VITOR JARA, banda portuguesa excepcional, comemoram os 40 anos hoje no Porto, a 21 em Lisboa e terminam em Coimbra.Imperdível.
 .
GIRA DISCOS e capas impensáveis quase todas desconhecidas.

Cantem com a "ONDA POP"  com PAUL REVERE E THE RAIDERS e ainda JOE SOUTH.

TERESA GRAVES que voz, escutem-na
.
A "ONDA POP" continua cheia de informação verdadeira, bem elaborada e metódica, sem folclores, sinceros parabéns.Na net e em português tem o condão de informar e trazer ao presente um passado glorioso de música como ninguém faz. Temos o orgulho de dizer que os autores são nossos amigos mas não é por isso que estão na "PEIDA", é pelo valor e inteligência que demonstram.
 
Neste blogue, na coluna da direita tem um link directo.
OBRIGATÓRIO IR VER!!!
ABJEIAÇOS

.
.
HOJE NO  
"i"

Como fazer queixa do banco
Por vezes surgem problemas entre o cliente e o banco. Como deve agir nestas situações? Deve fazer queixa junto da instituição financeira.
.

* Um bom esclarecimento.

.

.
GRÉCIA
AUTOMÓVEIS ELÉCTRICOS EM TRIKALA
SEM MOTORISTA



* Uma produção "EUREONEWS"

.
.
HOJE NO
"A BOLA"

FIFA
Alemanha acusada de subornar a FIFA
. para a organização do Mundial 2006
 .
A Alemanha está a ser acusada de ter comprado votos à FIFA para poder organizar o Campeonato do Mundo de 2006. Quase uma década depois da competição, uma investigação do ´Der Spiegel´ revela agora que o Comité de Candidatura germânico está a ser investigado pelo alegado suborno.

De acordo com a revista semanal alemã, tudo aconteceu quando Robert Louis-Dreyfus colocou, no ano 2000, cerca de 13 milhões de francos (mais de seis milhões e meio de euros) numa conta mascarada do comité de candidatura.

O valor terá servido como suborno ao comité para que os germânicos fosses os organizadores da competição da FIFA. Nesse mesmo ano, a 6 de julho, foi anunciado que a Alemanha tinha sido o país vencedor, mas os valores do «empréstimo» de Robert Louis-Dreyfus, na época executivo da Adidas, nunca apareceram nos orçamentos do comité.
.
O Der Spiegel revela que os cerca de 6,7 milhões de euros foram usados para comprar os votos de quatro representantes asiáticos, dentro do Comité Executivo da FIFA, que se juntaram aos representantes europeus no voto pela Alemanha. Já Charles Dempsey, representante neozelandês, absteve-se inesperadamente, o que valeu a vitória da Alemanha.

A mesma revista alemã adianta ainda que um ano antes do Mundial, em 2005, Robert-Louis Dreyfus pediu o «empréstimo» de volta e Franz Beckenbauer e Wolfgang Niersbach, presidente e vice-presidente do comité organizador, tentaram encontrar uma forma de devolver os fundos ilícitos sem levantar suspeitas.

Beckenbauer e Niersbach terão, na altura, contado com a colaboração da FIFA na devolução do dinheiro.

Entretanto, a Federação Alemã de Futebol (DFB) já se pronunciou sobre as acusações, admitindo o pagamento de 6,7 milhões de euros por parte do Comité Organizador do Mundial à FIFA, apesar de assegurar que o valor pago não era relativo à atribuição do Mundial de 2006 à Alemanha.

* Na "fantástica" Alemanha começa a revelar-se a sua prodigialidade em vigarices, ele é a Volkswagen, agora a Federação de futebol, o que virá a seguir...


.
.

MINISTRA DA CARNIFICINA


.
.

HOJE NO
  "OBSERVADOR"
Governo de Passos recoloca dezenas de
. membros de gabinete antes de sair

Passos Coelho garantiu que não haveria nomeações, mas o programa Sexta às 9, da RTP, encontrou vários casos de membros de gabinetes de governantes que foram colocados já depois de convocadas eleições.

O programa Sexta às 9 na RTP investigou as nomeações feitas pelo Governo de Pedro Passos Coelho depois de convocadas as eleições pelo Presidente da República e encontrou dezenas de nomeações de membros de gabinetes de vários ministérios e do próprio gabinete do primeiro-ministro, entre cargos na administração pública e cargos diplomáticos. Assim que as eleições foram marcadas, Passos avisara que os governantes “devem ter parcimónia e deve haver cuidado para não se utilizar os lugares públicos para fins de natureza partidária“.
.
Já João Bilhim, presidente da CRESAP, entidade que faz a seleção de pessoas para altos cargos da administração pública, disse ao Sexta às 9 que gostaria que “num mundo ideal os governos não tomassem as decisões tão próximas das eleições”, questionando a legalidade destas medidas. O académico afirma, no entanto, que apesar de não poder haver nomeações de forma definitiva, o Governo “pode nomear em regime de substituição”.

Alguns dos exemplos dados por este programa de assessores com nomeações recentes, são:
  • Joana Vallera, antiga adjunta do ministro Pedro Mota Soares,saiu do cargo a 15 de julho deste ano e nesse dia foi nomeada como diretora do Departamento de Gestão de Clientes do Instituto de Informática Segurança Social. Cargo que vai exercer durante mais de três anos.
  • Gabriel de Osório Barros, chefe de gabinete de Mota Soares até às eleições foi nomeado para Diretor do Instituto de Gestão Financeira do Ministério da Segurança Social
  • António Vilhena Moniz, diplomata de carreira e chefe de gabinete de Rui Machete, foi nomeado cônsul em Paris a 7 de agosto, mas mantém-se em funções até ao fim do impasse da crise política
  • Gilberto Jerónimo, diplomata de carreira e chefe de gabinete de Passos Coelho, foi promovido na carreira diplomática a 12 de maio, pelo próprio primeiro-ministro mas ainda se mantém ao lado do chefe do governo. O novo posto que lhe foi atribuído foi o lugar de embaixador na UNESCO que tinha sido suspenso durante esta legislatura e que entretanto foi reaberto;
  • Mário Gomes, diplomata e ex-adjunto de Rui Machete, foi exonerado a 31 de agosto e no dia seguinte foi nomeado como embaixador de Portugal na União para o Mediterrâneo. Até agora, Portugal não tinha qualquer representação permanente nesta organização e o lugar será ocupado por Mário Gomes nos próximos quatro anos;
  • Marcelo Vaultier Mathias, diplomata e ex-adjunto de Portas – exonerado a 2 de setembro -, foi nomeado diretor de Serviços do Médio Oriente e do Magrebe.
O programa fala ainda em duas dezenas de nomeações publicada em Diário da República feitas por parte do Ministério da Defesa. Em resposta, o ministério de Aguiar Branco afirmou que “os despachos em causa são da competência da Direção-Geral de Recursos da Defesa Nacional, que resultam da ampla reestruturação na estrutura do Ministério da Defesa Nacional”.

* E assim se mina a Administração Pública com a nomeação de "boys e girls", um sucesso de vigarice.

.
.
 QUANTAS VEZES TERÁ FALHADO?


.
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS/
 /DINHEIRO VIVO"

Ricciardi e Salgado 
atacam Banco de Portugal

Os primos Ricardo Salgado e José Maria Ricciardi estão, pela primeira vez em muitos anos, unidos e em sintonia.

No entanto, o motivo que junta os dois ex-administradores do BES não é mais do que um ataque em uníssono, tendo o Banco de Portugal (BdP) como principal alvo. Em causa está o processo de contraordenação relativo aos elevados financiamentos concedidos pelo BES ao BES Angola (BESA).
.
 Se Salgado acusa o regulador de "parcialidade" e de seguir "trâmites simplistas de coimas de trânsito", já Ricciardi culpa a instituição liderada por Carlos Costa de "camuflar responsabilidades". Ambos remetem o resultado final do processo para os tribunais.

"O processo de contraordenação é instaurado pela mesma entidade que desacreditou e tratou como "tóxica" a garantia soberana emitida pela República de Angola a favor do BESA, o que levou à sua revogação", afirmou a defesa de Salgado. Em comunicado a que o Dinheiro Vivo teve acesso, os advogados Francisco Proença de Carvalho e Adriano Squilacce lamentam que "ao contrário do procedimento que foi seguido pelo próprio Banco de Portugal em outros casos", desta vez o regulador "acusou sem manter as aparências de ouvir os envolvidos antes de os constituir arguidos".

Mas os ataques ao Banco de Portugal não ficam por aqui. Salgado considera que a instituição liderada por Carlos Costa "há muito que anunciou o seu pré-julgamento sobre o caso BES, o qual se tem vindo a "formalizar" em ditos processos de contra ordenação", e que o Banco de Portugal pretende "aplicar coimas de milhões de euros, seguindo tramites simplistas de coimas de trânsito". Por considerarem que "há manifesta parcialidade" do Banco de Portugal "para julgar em causa própria", os responsáveis pela defesa do ex-presidente do BES acrescentam que o "julgamento real" será em tribunal, "já que a fase administrativa do processo é conduzida pela entidade que assinou a destruição do BES".

BdP "acusador e justiceiro"
José Maria Ricciardi, primo de Salgado e o único membro do clã Espírito Santo que lidera um banco (Haitong Bank, ex-BESI), também reagiu à acusação do BdP. Pela voz do seu advogado, Pedro Reis, Ricciardi qualificou de "absolutamente falso" que tivesse conhecimento das irregularidades praticadas pelo BESA, até porque "não cabia o pelouro do relacionamento com o BESA, nem foi alguma vez chamado a intervir na atividade dessa subsidiária".

"Não é legítimo que o Banco de Portugal se arvore em acusador e justiceiro, atingindo todos os membros da Comissão Executiva do BES por igual, relativamente a uma área de atuação em que as responsabilidades que lhe são inerentes não podem ser silenciadas", ataca.

Além de argumentar que o Banco de Portugal "sabia há muito que não era possível proceder no quadro interno do BES a uma avaliação de risco sobre as linhas de crédito concedidas ao BESA", a defesa de Ricciardi acusa o regulador de fazer "uma gestão política dos processos contraordenacionais, visando camuflar as responsabilidade que lhe são atribuíveis, de forma a esconder que estava ao seu alcance determinar o afastamento do Dr. Ricardo Salgado, desde dezembro de 2013". Recorde-se que Ricciardi quis destituir Salgado da presidência do BES no final desse ano, altura em que surgiram notícias que levantavam dúvidas sobre a sua idoneidade.

Contactados pelo DV, nem Salgado nem Ricciardi quiseram fazer qualquer declaração, remetendo para os comunicados.

As reações de defesa surgem como resposta ao segundo processo de contraordenação do BdP no caso BES. O regulador acusa 16 ex-administradores, entre os quais Salgado e Ricciardi, de conhecerem e permitirem várias irregularidades na gestão do BESA. O BdP acusa os administradores de terem conhecimento de que o BES não tinha normas e "procedimentos que garantissem o acompanhamento reforçado das operações de crédito" do BESA, que não era feita a devida análise de risco das operações em Angola e que o BES não assegurou a implementação e o cumprimento das normas relativas a concessão de crédito, designadamente quanto ao número de administradores que deveriam aprovar as operações de crédito. Confrontado pelo DV, o BdP não quis comentar as reações de Salgado e de Ricciardi.

Os gestores têm 30 dias para apresentar a sua defesa, podendo ser punidos com coimas entre os mil e os 500 mil euros por caso, e com a possível inibição de exercer cargos de gestão na banca. Ao contrário de Ricciardi, que exerce funções no Haitong Bank, Salgado foi afastado do BES aquando da resolução imposta pelo BdP e, não havendo uma suspensão preventiva, o ex-banqueiro poderá voltar ao sector pedindo um novo registo de idoneidade ao supervisor.

Além de o pedido poder ser recusado, o resultado dos processos do BdP poderão ditar o afastamento de Salgado da banca.

* Nós sabemos que o desejo dos primalhaços era o BdP do sr. Carlos Costa  ter ficado quietinho como o BdP do sr. Vitor Constâncio ficou em relação ao BPN, portanto não comungamos das críticas mas temos outras. O sr. Carlos Costa falou demais e agiu de menos senão já tínhamos os primos a jogar à bisca atrás das grades.

.
.
OS NAMORADOS, 
TÃO ENGRAÇADOS













.
.


677
Senso d'hoje
 EDUARDO BARROSO
 CIRURGIÃO
HEPATO-BILIO-PANCREÁTICO
COMENTADOR DESPORTIVO
 A SAÍDA DO "PROLONGAMENTO"

“A minha dignidade não me permite sentar-me nesta cadeira à frente de pessoas como a do interlocutor do Benfica”

"[Quero] Pedir aos sportinguistas que me desculpem mas não me sinto com condições para continuar a defender o Sporting neste programa, com pessoas com este caráter e com esta qualidade humana, como eu tenho aqui representado por este senhor"

RECADO A FILIPE VIEIRA
“Pergunte-lhes se se revêem naquela defesa, sendo pessoas decentes como eu sei que são, se não sentem vergonha”

 * Excertos de comentários proferidos em diversos órgãos de comunicação social sobre a sua saída do programa "Prolongamento" da TVI


.

ESCOLHAS DE SÁBADO

.
COMPRE JORNAIS







.
.

BOM DIA


.
.


18-CINEMA
FORA "D'ORAS" 

I-IREI COMO 

UM CAVALO LOUCO


UM FILME DE 1973 
DE FERNANDO ARRABAL



CONTINUA PRÓXIMA MADRUGADA

SINOPSE
Segundo filme de Arrabal: Irei como um cavalo louco (J'irai comme un cheval fou) abandona a alegoria política presente em "Viva la Muerte" em prol de uma descoberta dramática da fé e religião organizada. 

Trata-se da história de Aden, interpretado pelo americano George Shannon, que foge da sociedade após a morte de sua mãe controladora. No deserto, descobre a beleza da natureza e, sob a tutela de um eremita, Marvek, torna-se um homem normal. 
Aden apaixona-se loucamente por Marvel, que pode se comunicar com animais, as nuvens e o sol. Após retornar à civilização, agora com Marvel, Aden torna-se consciente da natureza hipócrita e terrível da sociedade humana. 

"Irei com como um cavalo louco" é considerado uma obra prima do cinema surrealista, o filme mais delirante e diabólico de Arrabal, um retrato chocante tanto da beleza do mundo quanto de seu tormento interno.

* Não conseguimos película com legendas em português, cremos que a opção pela língua castelhana foi a melhor possível.

.