terça-feira, 25 de agosto de 2015

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

SÃO PRECISAS PALAVRAS?


.
.
A PRIMEIRA
 MASTURBAÇÃO


Tatia Pileva, fotógrafa, pediu a 20 pessoas que não se conheciam que se beijassem pela primeira vez. O resultado é um filme que editámos a 12/03/14, que se tornou viral na NET e parecia ser uma ideia engraçada, mas, oh preversidade, aquilo era o preâmbulo dum anúncio, a Pileva, não sabemos aonde, aldrabou toda a gente.

Vai daí, gente manhosa mas com graça começou a plagiar o filme mas com outras intenções, assim apresentamos o filme cujo título nos abstemos de repetir porque a memória não ajuda. E assim, a "Pi leva" nos fagotes.

.
.


FORMAÇÃO DE BOMBEIROS

NO COMBATE A INCÊNDIOS



* Este vídeo foi editado no princípio de JULHO/2015

** Uma produção "FALA PORTUGAL"

.
.


 HOMOSSEXUALIDADE

 NA HISTÓRIA HUMANA




.
.


VII-CIDADES 
OCULTAS

1- OS SUBTERRÂNEOS

VIKINGS 




* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.

FERNANDA CÂNCIO

.




Cabeça de cartaz

Sim, o grande tema destas legislativas são os cartazes. É compreensível; discutir se são bonitos ou feios, se modelos são portugueses ou estrangeiros, se os partidos pagaram pelas imagens e se as pessoas que neles figuram têm alguma coisa a ver com as mensagens, é muito mais giro e dá bué menos trabalho que ler programas, compará-los com os anteriores e como estes foram (in)cumpridos, ver se têm contas (não é suposto as contas serem o mais importante?) e se estas batem certo, etc. 

O interesse pelo que está antes, durante e depois dos cartazes é aliás tão raro que foi possível ao diretor da campanha do PS Ascenso Simões acabar demitido por causa de outdoors sem que alguém parecesse reparar que defende publicamente ideias que contradizem não só o património histórico como o programa atual do partido do qual é (ainda) cabeça de lista em Vila Real. E, no entanto, fez disso alarde num artigo no Sol, em Junho, intitulado "Pelo fim dos contratos de trabalho." Onde se lê que Mário Centeno, principal autor do cenário macroeconómico do PS, é "ainda muito recuado". E que "as leis do trabalho só são motivo de conversa entre associações de patrões, sindicatos funcionalizados, especialistas marxistas do Direito do trabalho e amanuenses da concertação social." Porque "o contrato de trabalho cristaliza a dicotomia tradicional da luta de classes. Mas, se olharmos para a vida de hoje, essa luta de classes é cada vez mais um passado distante." 

Sem dúvida. Nem se passou 2014 a debater O Capital no Século XXI, obra na qual o francês Thomas Piketty defende rumar-se uma situação de desigualdade social comparável è espelhada nas obras de Hugo e Dickens, com imensa riqueza nas mãos de meia dúzia e restante socieadade na miséria. Nem estamos a observar, em Portugal (e não só), com a pressão de um brutal desemprego, tal diminuição salarial que o PS propõe atribuir um subsídio aos trabalhadores que auferem menos de 411 euros. Não, a situação está de tal modo equilibrada que Ascenso quer "que se avance para a consagração do contrato livre, com regras de protecção bilateral da relação entre as partes." 

Entendamo-nos: Ascenso, grande apologista da "ordem natural das coisas", na qual inclui a emigração ("A minha filha adolescente sabe que o mundo dela é o mundo em que se transita de acordo com interesses dos promotores"), tem direito a pensar e dizer o que entender (e a formar um Tea Party luso em consonância). Mas vê-lo, mês e meio após o citado artigo, declarar ao Observador que "a maioria fala muito em bancarrota mas a atual é pior porque é uma bancarrota social, com o desemprego, a emigração, a incapacidade de fixar os jovens no nosso país" deixa qualquer um confuso. Afinal, que pensa Ascenso? A cara dele dá com que frases? Ou será que, como aos trabalhadores da Junta de Arroios retratados nos malfadados cartazes, não houve ninguém no PS para lhe explicar o básico, ou seja, que não é só posar para a foto?

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
21/08/15

.
.
.

609.UNIÃO


EUROPEIA



.
PORTUGUÊSMENTE
Confusão entre verdadeiros
 TUGAS na Ponte 25 de Abril 
(Agosto 2015)



.
.

4 - O pesadelo dos

Resíduos Nucleares




* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.


.
.
Anna Tatangelo

Inafferrabile


.
.

SÓZINHOS EM CASA



.
.


APENAS 50 ANOS


Situação: O fim das férias.
Ano 1964:
Depois de passar 15 dias com a família atrelada numa caravana puxada por um Fiat 600 pela costa de Portugal, ou passar esses 15 dias na praia do Castelo do Queijo, terminam as férias. No dia seguinte vai-se trabalhar e os miúdos para as aulas.
Ano 2014:
Depois de voltar de Cancún de uma viagem com tudo pago, terminam as férias. As pessoas sofrem de distúrbios de sono, depressão, seborreia e caganeira.

Situação: Chega o dia de mudança de horário de Verão para Inverno.
Ano 1964
:
Não se passa nada.
Ano 2014:

As pessoas sofrem de distúrbios de sono, depressão e caganeira.


Situação: O Pedro está a pensar ir até à mata depois das aulas, Assim que entra no colégio mostra uma navalha ao João, com a qual espera poder cortar uns ramos e fazer uma fisga.
Ano 1964
:
O professor vê, pergunta-lhe onde se vendem daquelas navalhas, e mostra-lhe a
 sua, que é mais antiga, mas que também é boa.
Ano 2014:
A escola é encerrada, chamam a Polícia Judiciária e levam o Pedro
 para um reformatório. A SIC e a TVI apresentam os telejornais desde a porta da escola.

Situação: O Carlos e o Quim trocam uns socos no fim das aulas.
Ano 1964
:
Os companheiros animam a luta, puxam por eles, e o Carlos ganha. Apertam as mãos e
 acabam por ir juntos jogar matrecos.
Ano 2014:
A escola é encerrada. A SIC proclama o mês anti-violência escolar.
 O Jornal de Notícias faz uma capa inteira dedicada ao tema, e a TVI insiste em colocar uma equipa de reportagem à porta da escola a apresentar o telejornal, mesmo debaixo de chuva.

Situação: O Jaime não pára quieto nas aulas, interrompe e incomoda os colegas.
Ano 1964:
Mandam o Jaime falar com o Director, e este dá-lhe uma bronca
 de todo o tamanho. O Jaime volta à aula, senta-se em silêncio e não interrompe mais.
Ano 2014:
Administram ao Jaime umas valentes doses de Ritalin. O Jaime
 parece um zombie. A escola recebe um apoio financeiro por terem um aluno incapacitado.

Situação: O Luis parte o vidro dum carro do bairro dele. O pai caça um cinto e espeta-lhe umas chicotadas com este.
Ano 1964:
O Luis tem mais cuidado da próxima vez. Cresce normalmente, vai à universidade e converte-se num homem de negócios bem-sucedido.

Ano 2014:
Prendem o pai do Luís por maus-tratos a menores. Sem a figura
 paterna, o Luís junta-se a um gang de rua. Os psicólogos convencem a sua irmã que o pai abusava dela e metem-no na cadeia para sempre. A mãe do Luís começa a namorar com o psicólogo. O programa da Fátima Lopes mantém durante meses o caso em estudo, bem como o Você na TV do Manuel Luís Goucha.

Situação: O Zezinho cai enquanto praticava atletismo, arranha um joelho. A professora encontra-o sentado na berma da pista a chorar  e abraça-o para o consolar.
Ano 1964:
Passado pouco tempo, o Zezinho sente-se melhor e continua a correr.

Ano 2014:
A professora é acusada de perversão de menores e vai para o desemprego. Confronta-se com 3 anos de prisão. O Zezinho passa 5 anos de terapia em terapia. Os seus pais processam a escola por negligência e a professora por trauma emocional, ganhando ambos os processos.
A professora, no desemprego e cheia
 de dívidas, suicida-se atirando-se de um prédio. Ao aterrar, cai em cima de um carro, mas antes ainda parte com o corpo uma varanda. O dono do carro e do apartamento processam os familiares da professora por destruição de propriedade. Ganham. A SIC e a TVI produzem um filme baseado neste caso.

Situação: Um menino branco e um menino negro andam à batatada por um ter chamado 'chocolate' ao outro.
Ano 1964
:
Depois de uns socos de parte a parte, levantam-se e vai cada um para sua casa.
 Amanhã são amigos.
Ano 2014:
A TVI envia os seus melhores correspondentes. A SIC prepara uma
 grande reportagem dessas com investigadores que passaram dias no colégio aaveriguar factos. Emitem-se programas documentários sobre jovens problemáticos e ódio racial. A juventude skinhead finge revoltar-se a respeito disto. O governo oferece um apartamento à família do miúdo negro.

Situação: Fazias uma asneira na sala de aula.
Ano 1964:
O professor espetava-te duas valentes lambadas bem merecidas. Ao chegar a casa o teu pai dava-te mais duas porque 'alguma deves ter feito'
Ano 2014:
Fazes uma asneira. O professor pede-te desculpa. O teu pai pede-te
 desculpa e compra-te uma Playstation última versão.

SEM COMENTÁRIOS


* Obrigado JOPE


.
.

'Hotel California'


Seis cubanos sem instrumentos

.
.
CAMALEÕES


.
.


625
Senso d'hoje

JOSH DUGGAR
Ex-presidente de um grupo conservador e defensor dos valores familiares, é um dos 37 milhões de utilizadores do Ashley Madison, um site de encontros para infiéis
HIPOCRISIA CONSERVADORA

"Sou o maior hipócrita de sempre"

"Enquanto defendia os valores da fé e da família, via secretamente pornografia na Internet há vários anos, o que se tornou num vício secreto e me fez tornar-me infiél à minha esposa"

"Nos últimos anos, e enquanto defendia publicamente a minha luta contra a imoralidade, escondia os meus próprios fracassos. Tenho vergonha da vida dupla que tenho vivido e lamento a dor e desgraça que o meu pecado causou à minha esposa, família e, sobretudo, a Jesus e a todos os que professam a sua fé em Deus" 

* Excertos de declaração no "website da família" 
  
** Como é habitual o conservadorismo ultra religioso acaba num perfil sem cama certa.


.

BOM DIA


.
.


14-CINEMA
FORA "D'ORAS" 

XIX-BOCA DO LIXO





Com REGINALDO FARIAS, ALEXANDRE FROTA, SÍLVIA PFEIFER e STÉNIO GARCIA entre outros, uma série produzida pela GLOBO.

.