sábado, 4 de julho de 2015

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.
 











.
.


 O QUE NÓS 

"PROCURÁMOS"


 A VIDA EM BALI ANTES
DA IDA MASSIVA
DE TURISTAS

video




.
.


6-BICIKLISTAS




.
.
 SUBMARKETING












.
.

Mete a Colher

TERMINEI POR CAUSA DO PASSADO DELA

video

.
.


5-BICIKLISTAS


.
.
.

I-RADIOLOGIA VASCULAR


INTERVENCIONISTA

5-PEDIATRIA

video


Uma interessante série conduzida pelo  Dr. Marcelo Guimaraes, professor assistente na Universidade Médica da Carolina do Sul, USA.
  .

* Uma produção "CANAL MÉDICO"


** As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.


.
.


4-BICIKLISTAS




.
.


 E S A

9-QUANDO O TEMPO

PASSA A CLIMA

video



 * Uma produção "EURONEWS"



** As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.


3-BICIKLISTAS




.

ZURAIDA SOARES

.




Do apeadeiro à ilegalidade

Ora vamos lá trocar algumas impressões sobre a tão desejada e idolatrada concorrência, a tal que, só por si, é capaz de diminuir preços aos consumidores, aumentar a qualidade da oferta e proporcionar níveis de comodidade nunca antes vistas...

É sabido que os aviões avariam. Razões diversas – umas mais graves, outras menos – podem fazer com que os ‘pássaros’ das nossas autoestradas se vejam obrigados a permanecer, por tempo indeterminado, em terra. É sabido que este tipo de situações provocam (quase sempre) transtornos de monta a quem se vê, subitamente, impossibilitado/a de fazer a viagem programada e à qual se seguiria um conjunto de compromissos, nem sempre fáceis de recalendarizar. E é sabido que estas avarias não se anunciam, pelo que, de forma inesperada e a desoras, podem acontecer.

Sendo assim, algumas coisas estão a funcionar mal, no serviço que a EasyJet nos está a prestar. A semana passada, um voo que deveria sair de Ponta Delgada às 9h25, com destino a Lisboa, acabou por só se realizar no dia seguinte, pelas 8h00. Pondo de lado alguns episódios incompreensíveis e até caricatos (para uma companhia com tão larga experiência), reconhecendo a simpatia dos/as funcionários easyjetianos/as, não é possível desvalorizar a razão objetiva que obrigou 160 passageiros a permanecerem 6 horas seguidas, no aeroporto, tendo, depois, que ir embora e regressar, no dia seguinte, de manhãzinha.

A razão do adiamento, por vinte e quatro horas, deste voo específico, não foi o ‘choque’ ocorrido, entre o nariz do avião e uma ave. Não foi a impossibilidade de corrigir os estragos feitos. Não. Isso foi feito em pouco mais de duas horas. O motivo pelo qual o avião (e os/as passageiros/as) tiveram de esperar para o dia seguinte – e de acordo com as informações que nos foram prestando - foi o facto do técnico superior, responsável pela ‘assinatura’ que autorizaria o avião a levantar voo...não estar, nem em S. Miguel, nem em nenhuma das ilhas dos Açores e, alegadamente, nem sequer no continente! Por isso, foi preciso dar-lhe tempo para chegar a Ponta Delgada.

Partindo do princípio de que os Açores não são um apeadeiro de 2ª (e não são!), é absolutamente inaceitável esta situação, a qual tem de ser corrigida com a máxima urgência.

Mas para que ninguém se fique a rir sozinho, temos outra ‘anedota’ para contar, desta vez com a Ryanair e esta bem mais grave do que a anterior.

Alguém compra, nesta companhia, um bilhete Lx-PDL-Lx, via net, pagando-o com cartão de crédito. Obviamente, mais tarde desloca-se ao Terminal 2, pedindo a respetiva fatura, afim de ser ressarcido pela entidade patronal do bilhete pago por si. Resposta: ‘Aqui, não passamos faturas. Tome lá um papelinho com o número de telefone da sede da companhia, na Irlanda. Ligue, peça lá a fatura e não se esqueça de falar em inglês’!

No meu vocabulário esta situação tem um nome muito feio: chama-se fuga ao fisco, descarada, consentida e abençoada! No mesmo país onde é obrigatório passar fatura de um simples café, sob pena de ser multado!

Assim, caros/ leitores/as, é muito fácil fazer concorrência, seja a quem for e sair, largamente, a ganhar. Até eu, que não percebo nada de negócios, era bem capaz de ter sucesso! Se isto é a marca do ‘espírito empreendedor’ de que tanto se fala...estamos bem tramados/as!

IN "AÇORIANO ORIENTAL"
03/0715

.
.
.

557.UNIÃO


EUROPEIA




.


2-BICIKLISTAS


.
.


DROGAS LEGAIS


LIDAR COM O PERIGOSO

DESCONHECIDO 


video


* Uma produção "EURONEWS"


.
.

XX-TABU


AMÉRICA LATINA


2.Canibalismo


video


* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.
.
.


1-BICIKLISTAS




.
.
RECORDANDO

Cândida Branca Flor

Trocas e Baldrocas

video

.
.

HOJE NO
 "OBSERVADOR"

“Há ainda muitos inéditos de Amália
 por revelar”, garante investigador 

 O investigador Frederico Santiago disse à agência Lusa que será editada em setembro em CD a festa de homenagem ao fadista Filipe Pinto, na qual a intérprete participou.

O investigador Frederico Santiago disse à agência Lusa que “há ainda muitos inéditos” de Amália Rodrigues, e revelou que, em setembro, será editada em CD a festa de homenagem ao fadista Filipe Pinto, na qual a intérprete participou.

video
ALDINA DUARTE
FADO MEIA NOITE

“Há ainda muitas coisas inéditas de Amália, que nunca se editou mesmo, e conto, até 2020, quando ela completaria 100 anos, que grande parte da obra de Amália Rodrigues deva já estar sistematizada”, disse Frederico Santiago, responsável pela edição do cinquentenário do álbum “Fado português”, que é publicada na próxima sexta-feira.

A edição, em duplo CD, sistematiza todas as sessões de gravação da fadista naquele período temporal, incluindo várias gravações inéditas, nomeadamente de ensaios, e uma versão nunca antes editada do “Fado português”, gravada em 1967.

O investigador salientou, referindo-se aos ensaios agora revelados, que “nestas sessões vê-se Amália a trabalhar, temos Alain [Oulman] ao piano, e os guitarristas, é um documento inédito”.

Nestas gravações, Amália é acompanhada entre outros, pelos músicos Raul Nery, Domingos Camarinha e José Fontes Rocha (guitarra portuguesa), Martinho d’Assunção, Júlio Gomes e Castro Mota (viola), Joel Pina (viola baixo), e ainda por uma orquestra dirigida por Jorge Costa Pinto.

Esta edição em CD foi ‘remasterizada’ por Nelson Carvalho, a partir da gravação original, por Hugo Ribeiro, em mono.

Quanto ao CD, que é editado, pela primeira vez, em setembro, regista a festa de homenagem ao apresentador de fados e fadista Filipe Pinto (1905-1968), autor do “Fado meia-noite”, realizada no Teatro Tivoli, em Lisboa, em 1962.

“Amália encerrou a festa de homenagem, que contou com a participação, entre outros, de Alfredo Marceneiro, Lucília do Carmo e Fernando Farinha”, adiantou à Lusa Frederico Santiago.

Filipe Pinto apresentou várias vezes a fadista, nomeadamente no Café Luso, em Lisboa, e frequentava a sua casa.

Frederico Santiago enfatizou que “Amália, de facto, tal como ela dizia, nasceu para cantar o fado”, mas “procurava sempre mais e nunca se dava por satisfeita, pois tinha um elevado grau de exigência de si própria”.

“Ela, só por intuição, faria uma obra-prima, mas não se contentava com o muito bom, queria mesmo o excecional”, declarou.

* Amália era em si mesma uma obra prima.


.
.
UM GALGO DO MAR
video

Este é o barco mais rápido do mundo.
.
.
HOJE NO
 "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

"Espetáculo de beija-mão a Miguel
. Relvas" indigna Catarina Martins

Porta-voz do Bloco de Esquerda diz que "tal deferência para Relvas e tem em Dias Loureiro" revela que Passos é um primeiro-ministro de um "governo que faz tudo menos defender o interesse o público"

A porta-voz do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, acusou hoje o Governo de ter dado um espetáculo de "beija-mão" a Miguel Relvas e de fazer tudo menos defender o interesse público.
 .
"Ontem [quinta-feira] vi um espetáculo de todo um Governo ao beija-mão a Miguel Relvas", afirmou Catarina Martins, aludindo à presença de vários membros do executivo na apresentação do livro "O Outro Lado da Governação", da autoria do ex-ministro social-democrata e do ex-secretário de Estado Paulo Júlio.

"Um primeiro-ministro que tem uma tal deferência para Miguel Relvas e tem em Dias Loureiro o seu exemplo como empresário, como já afirmou publicamente, é um primeiro-ministro de um Governo que faz tudo menos defender o interesse o público", acrescentou.

Exemplo disso é, para a deputada do Bloco de Esquerda, "o relatório do Tribunal de Contas à primeira auditoria a uma privatização [da EDP e da REN], a dizer-nos que a energia foi vendida ao desbarato, sem garantias de interesse público, com o BESI a trabalhar no Estado para avaliar e depois a assessorar os contratos financeiros dos privados, sem que tenha existido a mínima transparência".
E este, acrescentou, é apenas "o primeiro relatório das privatizações que este Governo fez, sempre com as mesmas características".

A dirigente bloquista recordou que o relatório foi conhecido "num momento em que o Governo quer vender a TAP exatamente da mesma forma em que o oceanário também é entregue a privados, em que os transportes coletivos de Lisboa e do Porto estão também a ser concessionados a privados".
Neste sentido, considerou ser "o momento para o país exigir explicações muito claras a um Governo que tem feito tudo para desbaratar os recursos do país". E para que "nos levantemos a dizer que Portugal não está à venda", concluiu.

Catarina Martins falava em Torres Vedras onde hoje visitou a Feira de S. Pedro que decorre no pavilhão de exposições da Promotorres até domingo.

* Catarina Martins tem razão, se nós tivéssemos passado à porta onde decorreu o lançamento do opúsculo, teríamos vomitado de nojo.


.
.


 O QUE NÓS


  "FESTEJAMOS"!!!




O primeiro número da ONDA POP explica quase tudo, os primórdios, os conceitos, a paginação e artigos publicados demonstram o trabalho destes rapazolas nos idos de 60.

Hoje sábado 04/07 foi para o ar o nº38 da edição impressa, e começa a página com a referência a um grande conjunto italiano dos anos 60 o "I CINQUE DI ROMA" que abrilhantavam as noites da boite do "Hotel Polana".
Destaque também para a banda de Moçambique "RENATO SILVA"

"Nos ares de Lisboa/Um passarinho enganador" nas vozes de ELBA RAMALHO e CARMINHO, obrigatório ouvir.

Os "THE BEDROCKS" interpretam a betleniana ""Ob-La-Di, Ob-La-Da", ao ritmo jamaicano, versão curiosa.

Dos "THE SMALL FACES" rockeiros de sucesso na peugada dos eternos 'Rolling Stones', dois temas para ouvir

A "ÉPOCA DE OURO DO ROCK" continua a desfilar na passerele da "ONDA POP" que em boa hora o João Pedro e o Zé Couto trouxeram para a web,se alguém quiser contribuir com assuntos não se acanhe.

No "ABRACADABRA" desta semana fala-se do Reino de Crimson, um fenómeno do rock psicadélico.



Cantem com a "ONDA POP" e com o "CLIFF RICHARD" "Good times, better times". Sabiam que este senhor produz vinho de muita qualidade no Algarve?


A "ONDA POP" está cheia de informação verdadeira, bem elaborada e metódica, sem folclores, sinceros parabéns.

Neste blogue, na coluna da direita tem um link directo.
OBRIGATÓRIO IR VER!!!
ABJEIAÇOS

.
.
HOJE NO
 "RECORD"

Andorinha homenageia CR7 
no dia do 90.º aniversário

O internacional português, Cristiano Ronaldo será homenageado pelo seu primeiro clube, o CF Andorinha, a 17 de julho, dia em que o emblema madeirense celebra 90 anos de existência. A direção do clube insular, decidiu conceder ao futebolista madeirense, do Real Madrid, o título de sócio honorário e, na ausência do jogador, a insígnia será entregue à progenitora, Dolores Aveiro, que já confirmou a sua presença na cerimónia.
 .
A direção do clube de Santo António, no Funchal, conta receber nesse dia a visita do presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, entre outras individualidades.

O CF Andorinha foi o primeiro clube de Cristiano Ronaldo, sendo que, então, o pai do internacional português cumpria no clube as funções de técnico de equipamentos.

* É justo, ter um futuro melhor jogador do mundo no seu plantel é uma honra.


.
.
SALTOS LOUCOS

video

.
.

HOJE NO
 "CORREIO DAMANHÃ"

Julgamento de Duarte Lima em risco 

Confusão com carta rogatória dita atraso no processo. Por Magali Pinto Em maio passado o juiz Ricardo Machado Pinheiro do Tribunal de Saquarema, Brasil, decidiu levar Duarte Lima a julgamento pelo homicídio de Rosalina Ribeiro, em 2009. 
 .

Dois meses depois, há o risco de esta decisão perder o prazo de validade e o julgamento ficar em risco. A data ainda não foi marcada porque a carta rogatória que intima Duarte Lima em Portugal ainda não foi devolvida às autoridades brasileiras. Ainda assim, o juiz diz querer levar o caso a julgamento brevemente. 

No processo, Ricardo Pinheiro refere que "tem dúvida em certificar a preclusão da sentença de pronúncia (perda de prazo de validade), tendo em vista que a carta rogatória para intimar o réu ainda não foi devolvida". 

As autoridades portuguesas garantem que não chegou qualquer carta rogatória. Este impasse põe em risco a realização do julgamento em que Duarte Lima é acusado de homicídio qualificado, arriscando uma pena pesada. 

Recorde-se que, apesar de o juiz decretar a preventiva ao ex-deputado do PSD, Duarte Lima nunca esteve preso ao abrigo do homicídio no Brasil. Mas as atenções da polícia brasileira concentraram-se logo em Duarte Lima, uma vez que era advogado de Rosalina, que foi assassinada a tiro e o corpo largado num descampado. A vítima era ex-secretária do milionário Tomé Feteira.

* Será possível que Duarte Lima saiba onde paira a carta, perguntar ofende???

.
.

 JARDIM BOTÂNICO
MONTREAL



















.
.

HOJE NO
 "i"

Atropelamentos. 
Passadeiras são pontos críticos
  em Lisboa e Porto

Importância dada aos carros empurrou os peões para passeios “desconfortáveis e perigosos”.

Desde 2011 que o número de mortes entre peões tem vindo a diminuir, mas ainda há muito a fazer. Sobretudo nas cidades. A maioria dos acidentes acontece nas ruas e as principais vítimas são os idosos acima dos 75 anos, segundo os dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.
.
As estatísticas mais recentes mostram que em 2013 foram atropelados 5499 peões e os casos verificados na capital concentraram mais de 12% do total nacional. Em Lisboa, as principais vítimas são as mulheres e os atropelamentos aconteceram entre as 16h e as 19h. Segundo o Plano de Acessibilidade Pedonal, quase um terço destes acidentes ocorreram nas freguesias de Alvalade, Avenidas Novas, Arroios e Benfica.

Boa parte da explicação para este fenómeno está nas “alterações do espaço público, que têm sido extremamente penalizadoras para os peões”, defende Mário Alves, da Associação de Cidadãos Auto-Mobilizados. Nas últimas décadas, as faixas de rodagem empurraram os peões para as margens da rua, “encostando- -os às fachadas dos edifícios em passeios estreitos, desconfortáveis e perigosos”, denuncia.

A maioria dos atropelamentos no Porto ocorreram nas passadeiras e, em Lisboa, os acidentes também aconteceram enquanto o sinal estava verde para os peões: “Os tempos dos semáforos foram calibrados de forma a favorecer o tráfego automóvel, muitas vezes não cumprindo os mínimos aceitáveis de verde para o atravessamento de peões”, acrescenta, deixando um alerta: “Há muito trabalho a fazer. É óbvio que Lisboa e Porto não estão a ser pensadas para os peões.”

A prioridade passa por verificar quais as condições objectivas nos locais mais perigosos, explica ao i o vereador João Afonso. E é esta a tarefa que a Câmara de Lisboa diz a estar a fazer em articulação com as juntas de freguesia e outras entidades, “se as passadeiras se mantêm e como estão os sinais”. Mas “os acidentes ocorrem nos locais de maior segurança. Logo, é preciso mais do que isto”. O plano passa por alterar as condições estruturais: “Não basta ter um sinal, são precisas medidas como estreitar as vias, medidas de acalmia de tráfego e de abrandamento de velocidade”, que podem passar pela utilização de lombas sonoras. 

Mentalidades 
O objectivo é facilitar a vida de quem anda a pé na cidade. “Não penso que haja nenhuma cidade contemporânea que esteja preparada para peões”, diz o vereador com o pelouro dos Direitos Sociais, acrescentando que “houve uma inversão no século XX em que a prioridade passou a ser os carros e não os peões, que somos todos nós.”

É então precisa uma mudança de mentalidade. “Quando reclamamos, a tendência é fazê-lo enquanto automobilistas”, enfatiza João Afonso. Tem de se começar por intervir “em pontos onde há mais pessoas a andar a pé e onde já se verificaram acidentes”.

Na cidade do Porto, as estatísticas da câmara mostram que, de Janeiro de 2011 a Maio de 2015, registou-se um total de 1302 atropelamentos dos quais resultaram 1325 vítimas. Os atropelamentos fora das passadeiras fizeram sete mortos. Existem mais vítimas de atropelamentos em passadeiras, mas o número de mortes é apenas uma. As ruas onde ocorreram mais acidentes foram a Estrada da Circunvalação (55) e a Avenida de Fernão de Magalhães (50).

Ponto crítico 
A vereadora da Mobilidade explica ao i que a Fernão de Magalhães “é uma avenida de saída da cidade e tem uma largura muito grande”. O atravessamento das passadeiras nesta rua “é feito com pouca segurança porque têm muita área de exposição”. Há duas passadeiras mais problemáticas e, apesar de a câmara ter colocado sinalização LED, “são consideradas um ponto negro no plano da sinistralidade”. Cristina Pimentel afirma que a actuação ainda é reactiva: “Procuramos intervir nos pontos críticos quer pela colocação de sinalização LED, quer pela introdução de medidas de acalmia de tráfego.”

Contudo, assume que é necessária uma transição para medidas pró-activas. A câmara está a preparar um Plano Municipal de Segurança Rodoviária que espera fechar até ao final do ano e que pressupõe medidas mais generalistas que acautelem os acidentes. “Temos de ser mais preventivos e menos reactivos. Essa tem de ser a batalha, o passo que temos de tomar a seguir”, remata.

* Um gajo/a com carta que atropele, por absoluto desrespeito, um peão numa passagem é levemente penalizado, um tipo/a apanhado a conduzir sem respectiva habilitação mas sem acidentes, é um criminoso.


.
.
GRANDE CAROLADA

video

.
.
HOJE NO
 "A BOLA"

Tiago Machado e José Mendes foram os melhores portugueses no contrarrelógio

O australiano Rohan Dennis é o primeiro camisola amarela da 102ª edição da Volta a França, depois de vencer o contrarrelógio inaugural, de 13,8 quilómetros, na cidade holandesa de Utrecht.
.
CAMISOLA AMARELA
Os melhores portugueses foram Tiago Machado e José Mendes que terminaram a 1 minuto e 8 segundos do ciclista da BMC.
 
Classificação da primeira etapa e da geral individual:
1. Rohan Dennis, Aus (BMC), 14.56 minutos
2. Tony Martin, Ale (Etixx-QuickStep), a 05 segundos.
3. Fabian Cancellara, Sui (Trek), a 06.
4. Tom Dumoulin, Hol (Giant-Alpecin), a 08.
5. Jos Van Emden, Hol (LottoNL-Jumbo), a 15.
6. Jonathan Castroviejo, Esp (Movistar), a 23.
7. Matthias Brandle, Aut (IAM Cycling), m.t.
8. Adriano Malori, Ita (Movistar), a 29.
9. Wilco Kelderman, Hol (LottoNL-Jumbo), a 30.
10. Stephen Cummings, Gbr (MTN-Qhubeka), a 32.
(...)
69. Tiago Machado, POR (Katusha), a 1.08.
70. José Mendes, POR (Bora-Argon 18), a 1.08.
83. Rui Costa, POR (Lampre-Merida), a 1.13.
94. Nelson Oliveira, POR (Lampre-Merida), a 1.16.
125. Joaquim Rodriguez, Esp (Katusha), a 1.26.

* Que a volte os consagre como ciclistas de excelência


.
.


26PENSAMENTOS















.