terça-feira, 24 de março de 2015

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.













.
.


A CÂMARA ESTAVA LÁ















.
.

IGUALDADE DE GÉNERO











.
.
.

GRANDES LIVROS/2

AUTORES PORTUGUESES


2-PEREGRINAÇÃO

 
FERNÃO MENDES PINTO





* Uma extraordinária produção da RTP/2



* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
. 
HOJE NO
 "DIÁRIO ECONÓMICO"

Estado não cumpre prazos 
para pagar aos contribuintes

Contribuintes que ganham processos fiscais podem ficar anos à espera dos pagamentos do Estado, dizem os fiscalistas. A alternativa é recorrer novamente aos tribunais.
.
A 15 de Junho de 2014, um tribunal anulou uma liquidação de cerca de 600 mil euros que o Fisco tinha feito a uma empresa. Como a empresa tinha pago o valor em questão, o Estado tem de devolver o montante e com juros.

Mas o dinheiro ainda não foi entregue, apesar de o prazo para o Estado o fazer ter terminado em Setembro de 2014. Só em juros indemnizatórios a contabilização já ultrapassou os 25 mil euros.

* Não se caia no erro de dizer que o Estado não é pessoa de bem, quem não é pessoa de bem é quem   domina o aparelho do Estado. Há quem diga que os cofres estão cheios de dinheiro.

.
.

11.Os IMPRESSIONISTAS





* Uma história verdadeira, baseada em documentos históricos, produzida pela BBC

 ** A semana passada ocorreu uma falha humana que passamos a explicar; o pensionista de serviço editou o episódio de hoje no dia 17/03, isto é saltou uma inserção, já é idoso temos de contemporizar.
O que decidimos: repor a sequência, assim, caro visitador, pedimos-lhe para ir a 17/03 visualisar  a inserção correcta e depois saltar para esta e fica tudo em dia. Se quiser tem um outro caminho, clica na etiqueta "HISTÓRIANAPEIDA"  e tem todos os episódios desta série, devidamente alinhados.
As nossas desculpas e obrigado por nos aturar.



***As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.


.
.
HOJE NO
 "CORREIO DA MANHÃ"

Autarquias e Saúde cooperam 
na luta contra a tuberculose

Acordo para o aumento de diagnósticos e tratamentos.

A Direção-Geral da Saúde e as Câmaras Municipais de Lisboa e Porto estudam algumas medidas para a luta contra a tuberculose, com vista a um aumento dos casos de diagnóstico e tratamento. O anúncio foi feito esta terça-feira, Dia Mundial da Tuberculose. Raquel Duarte, diretora do Programa Nacional da Tuberculose, da Direção-Geral da Saúde, referiu que se pretende "aumentar o acesso" dos doentes aos tratamentos. 
.
Segundo a responsável, os distritos de Lisboa e Porto são os que registam o maior número de casos a nível nacional. Raquel Duarte referiu ainda que há "poucos casos" de doentes que não se deslocam às unidades de saúde para a toma direta dos medicamentos por falta de meios, mas é necessário assegurar a medicação aos pacientes. "As autarquias poderão ajudar na questão das deslocações dos doentes aos tratamentos", referiu.

António Diniz, diretor do Programa Nacional de HIV/Sida e Tuberculose, explicou que é necessário evitar que haja doentes "a interromper a terapêutica", o que é um risco para o desenvolvimento de resistência aos medicamentos e a uma cadeia de contágio de novos casos. Portugal registou uma diminuição do número de novos casos de doença. Em 2014, registaram-se 20 casos por 100 mil habitantes. 

* A tuberculose contagia e mata.

.
.


1-JOSÉ MUJICA



(CONTINUA PRÓXIMA TERÇA)

José Alberto Mujica Cordano, conhecido popularmente como Pepe Mujica (Montevidéu, 20 de maio de 1935), é um agricultor e político uruguaio e Presidente da República Oriental do Uruguai entre 2010 e 2015.

Mujica teve importante papel no combate à ditadura civil-militar no Uruguai (1973-1985). Na guerrilha, coparticipou de assaltos, sequestros e do episódio conhecido como Tomada de Pando, ocorrido em 8 de outubro de 1969, quando os tupamaros tomaram a delegacia de polícia, o quartel do corpo de bombeiros, a central telefônica e vários bancos da cidade de Pando, situada a 32 quilômetros de Montevidéu.

Mujica passou 14 anos na prisão, de onde só saiu no final da ditadura, em 1985

 Já foi deputado, ministro da Pecuária, Agricultura e Pesca e, durante a juventude, militou em atividades de guerrilha, como membro do Movimento de Libertação Nacional-Tupamaros.

 Mujica é ateu. É casado com a também ex-militante Lucía Topolansky, sua companheira há quase 40 anos.

 Mujica recebe 12.500 dólares mensais por seu trabalho à frente do país, mas doa 90% de seu salário para ONGs e pessoas carentes. Mora em sua pequena fazenda nos arredores de Montevidéu e para ele o restante que sobra do seu salário (cerca de R$ 2.800,00 ou 900 €) é o suficiente para se manter. “Este dinheiro me basta, e tem que bastar  porque há outros uruguaios que vivem com bem menos”, diz o presidente..

IN "WIKIPÉDIA"

* Esta entrevista do CANAL LIVRE (BAND) ocorreu no último ano do seu mandato como presidente, consideramo-lo um homem exemplar, a sua filosofia de vida confirma-o.

.
.
HOJE NO
 "OBSERVADOR"
Num momento a vida ficou 
virada ao contrário. 
E agora?

A Novamente lança o movimento Tudo ao Contrário, para recordar a importância da epidemia silenciosa - que é vivida, e sofrida, por dois testemunhos importantes.

António, na altura com 22 anos, esteve em coma induzido durante duas semanas. Perdeu a capacidade de falar, de comer, de andar. “Não sabíamos se ele nos conhecia ou não”, lembra a mãe. Era como se, a partir daquele momento, tivessem de o fazer renascer.
.
Ficou #tudo ao contrário. A expressão é o mote da campanha da Associação Novamente, que apoia as famílias e as vítimas de Traumatismos Cranianos Graves. A “epidemia silenciosa”, como é apelidada pela Organização Mundial de Saúde, pode provocar perda de memória, descontrolo emocional, alterações de linguagem e de visão, mas tudo depende de caso para caso.

António estava no Hospital de São José em Lisboa. Recebia a visita de umas amigas que, depois das aulas, seguiam para o hospital. Faziam um trabalho de estímulo para que António começasse a reconhecer os pais, os irmãos e os mais próximos. Tiraram fotocópias a fotografias da família e dos amigos em papel A4 e penduraram-nas nas cortinas ao lado da cama. Depois, apontavam para as fotografias e repetiam os nomes das pessoas que lá estavam. Fizeram ainda um quadro com frases básicas, como “tenho sede”, “tenho fome”, “quero comer”, “quero falar”.

As quedas e os acidentes rodoviários são as maiores causas de Traumatismo Craniano Grave nos adultos jovens. Foi precisamente um acidente de automóvel que mudou a vida de Andreia João. Em 2011, era modelo e viajava de carro com Marta, também modelo. Iam a caminho de um trabalho no Alentejo. Marta ia a conduzir, ultrapassou um traço contínuo e bateu contra uma carrinha. O acidente aconteceu em Benavente. Ela partiu a bacia e teve um ligeiro traumatismo, Andreia teve um TCE grave com muitas sequelas.

Esteve dois meses em coma. “Quando acordei não sabia nada, não reconhecia familiares, nem sabia quem eu era”. A memória é o que nós somos. Perdê-la é perder parte de nós. Hoje, muitos dias depois, vai recuperando a pouco e pouco fragmentos do passado. “Só me lembro de coisas de quando era mesmo pequenina. Se vir alguma das gravações que fiz para novelas ou filmes de desfiles, consigo ir buscar essas memórias”. Andreia nunca sabe quando vai recuperar mais um bocadinho de si. “Já me aconteceu passar num sítio e lembrar-me de coisas passadas lá. É inesperado”.

O lado esquerdo do corpo sofreu bastante com o traumatismo. Agora, tudo o que seja necessário fazer com as suas mãos é uma tarefa complicada, como “atar os atacadores”, exemplifica. Nota também dificuldades na fala, mas essas dificuldades lutam com o esforço que Andreia faz para que o seu discurso seja percetível. Andreia conversa connosco ao telemóvel a partir do Hospital Santa Maria, em Lisboa. O TCE é persistente. Quatro anos depois, está de volta ao hospital para ser submetida a uma nova cirurgia ao crânio.

A campanha da Associação Novamente quer “dar uma oportunidade a quem precisa de começar novamente” e ajudar à reintegração social das vítimas. Até 29 de março, os responsáveis convidam as pessoas a tirar uma fotografia, virá-la ao contrário, usar a hashtag #tudoaocontrario e partilhá-la nas redes sociais. O objetivo máximo é a sensibilização para a causa.

António passou por vários hospitais. Recuperou a memória de tudo o que se passou antes do acidente, já escreve “perfeitamente” português e inglês e está a estagiar na Faculdade de Engenharia do Porto. Hoje, a rotina do rapaz de 27 anos passa por fazer fisioterapia duas vezes por semana, terapia da fala duas vezes por semana, motricidade fina e cognitiva uma vez por semana.

Faltam dois anos para terminar o curso de engenharia. Dois anos são mais do que dois anos para António. “Ele quer acabar o curso, mas é uma incógnita porque tudo isto é uma incógnita: os médicos não lhe davam esperança nenhuma, diziam que o assunto era gravíssimo e ele ainda agora acabou de chegar da natação, tomou banho sozinho, vestiu-se a arranjou-se sozinho e agora está lá em cima sentado a ler”, conta-nos a mãe Teresa, de 62 anos, ao telefone.

Andreia já passou por várias fases. Conta com o apoio de família e amigos. Agora diz estar “confiante” mas não esquece as fases mais complicadas. As queixas que têm não são do seu corpo ou da sua mente. Queixa-se, sim, mas dos outros. “Quando eu andava de cadeira de rodas, as pessoas não tinham noção. Parece que pensavam que como eu estava sentada, podia bem esperar. As pessoas não são respeitadoras, sabe?”

* Quando temos um amigo com traumatismo crânio encefálico devemos tomar consciência que seremos os "médicos" permanentes.

.

ELISABETE MIRANDA

.




Decapitações no Fisco 
e cobardia VIP

Paulo Núncio é mais um membro deste Governo a evidenciar uma extraordinária dificuldade em assumir as suas responsabilidades políticas. Quando se trata de facturar sucessos, quer o palco todo para si – faz as vezes de secretário de Estado, de director-geral e até de chefe de finanças de bairro. Quando é preciso dar a cara pelos fracassos não sabe, não conhece, não foi informado, foi até enganado.

Paulo Núncio é mais um membro deste Governo a evidenciar uma extraordinária dificuldade em assumir as suas responsabilidades políticas. Quando se trata de facturar sucessos, quer o palco todo para si – faz as vezes de secretário de Estado, de director-geral e até de chefe de finanças de bairro. Quando é preciso dar a cara pelos fracassos não sabe, não conhece, não foi informado, foi até enganado.

A polémica "lista VIP" já fez duas baixas nas cúpulas da Autoridade Tributária e Aduaneira. Atingiu dois altos quadros, com carreiras sólidas e provas dadas, que, embora com estilos de gestão mais ou menos controversos, são activos valiosos. Numa altura em que o Fisco se encontra descapitalizado, com o abandono precoce de muitos dos seus antigos dirigentes para a reforma antecipada ou para o sector privado, onde são mais que bem-acolhidos, as demissões de Antonio Brigas Afonso e de José Maria Pires são especialmente preocupantes.

Paulo Núncio sabe-o bem, mas, por qualquer razão inexplicada considera que os seis meses que lhe restam até às eleições são mais preciosos do que a carreira de dois funcionários e mais importantes do que a estabilidade na gestão de um dos importantes organismos da Administração Pública.

Brigas Afonso e José Maria Pires são decapitados para amainar uma polémica que não teria chegado a ganhar lastro se, de início, tivesse havido uma política de comunicação transparente por parte do ministério da Finanças. O que fazem e como fazem para garantir o sigilo fiscal de todos os cidadãos? Se não há lista, filtro, mecanismo ou pacote, chamem-lhe o que quiserem, e não se refugiem na semântica, como se justificam tantos processos disciplinares relacionados com o alegado acesso indevido ao cadastro de figuras públicas? São perguntas simples, que requeriam respostas directas, mas que receberam sucessivas reacções esquivas.

Num País onde se é mais lesto a demitir do que a prestar esclarecimentos cabais, se alguém tem de ser sacrificado não são os bons técnicos. São os maus políticos.


IN  "JORNAL DE NEGÓCIOS"
19/03/15

.



461.UNIÃO


EUROPEIA






 .
.

HOJE NO
 "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Há 11 mil aviões no ar a cada minuto. 
Veja os céus da Europa

O tráfego aéreo no mundo não para. No ano passado, pela primeira vez, ultrapassou-se o número de 100 mil voos diários. Vídeo mostra todo o "trânsito" que normalmente circula nos céus da Europa.

Pela primeira vez na história, o número de voos comerciais no mundo ultrapassou os 100 mil por dia - concretamente, houve uma média de 102.465 voos por dia, contra 99.700 no ano anterior. Os dados são do site especializado flightradar24.com, que permite acompanhar em tempo real os voos comerciais em todo o mundo.

A Europa tem um dos céus com maior tráfego, como se pode ver no vídeo abaixo, que condensa 38 horas de voos num dia "normal" em apenas um minuto:



* Uma brutalidade de movimento aumentando riscos de acidentes.


.
.
26-BEBERICANDO


GIN FIZZ


* Uma produção "PAPO DE HOMEM"


.
.


II-A ERA DAS 

UTOPIAS


1. UTOPIA 

CAPITALISTA


1.1-FAZENDO A

AMÉRICA




* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.


.
.
HOJE NO 
"RECORD"


Vanessa Fernandes: 
«Falta muito para os Jogos»

Correr apenas por prazer. Este é o lema de Vanessa Fernandes, de 29 anos, vice-campeã olímpica nos Jogos de Pequim em 2008.
.
A atleta do Benfica ajudou o clube a sagrar-se campeão nacional de corta-mato no início deste mês em Almeirim e pretende continuar a manter uma ligação ao atletismo sem pensar em grandes resultados.

A presença de Vanessa na Meia-Maratona de Lisboa, onde foi 13.ª, inseriu-se nessa filosofia. "Gosto de correr sem grandes compromissos e quero manter-me assim, feliz da vida", disse.

Questionada perante a possibilidade de fazer parte da representação nacional nos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro no triatlo, Vanessa Fernandes até brincou: "Triatlo? Acho que hoje há uma prova no Barreiro. Jogos no Rio em 2016? Ainda falta muito tempo. Se estou motivada para ir aos Jogos no Brasil? Quem me dera saber o dia de amanhã...."

Vanessa não quis comprometer-se com objetivos. E diz que anda de bicicleta de vez em quando perto de casa, para descontrair. "Por agora só corrida", vincou.

* Temos saudades da sua valentia, queremos que seja feliz.


.
.

Pedro Moutinho

Sem Sentido


.
.
 
HOJE NO
 "JORNAL DE NOTÍCIAS"

Movimento de Rui Moreira retira 
confiança a presidente de junta

O grupo de cidadãos "Rui Moreira: Porto, Nosso Partido", que venceu as eleições autárquicas de 2013, anunciou, esta terça-feira, ter retirado a confiança política ao presidente de Junta de Freguesia do Centro Histórico, António Fonseca, eleito por aquele movimento. 
 .
Para o movimento independente "Porto, Nosso Partido" António Fonseca "assumiu posições políticas" e "decisões executivas ao longo de um ano e quatro meses de governação que o afastaram dos princípios de lealdade e solidariedade", afrontando os valores definidos pelo grupo de cidadãos e sufragados na últimas eleições autárquicas.
"Nestes termos e com estes fundamentos, o grupo de cidadãos Rui Moreira: Porto, Nosso Partido retira a confiança política ao presidente de Junta António Fonseca", acrescenta o documento.

No comunicado divulgado hoje, o movimento ressalva que a maioria dos autarcas eleitos, "quer ao nível da Câmara, quer ao nível das juntas e das uniões de freguesia", tem sabido assumir "sem hesitações" os compromissos eleitorais. "Compromissos e valores que se prendem com a intransigente defesa dos cidadãos, acima de quaisquer interesses corporativos ou sectoriais".

* O excerto do comunicado é absolutamente opaco, desta opacidade pode forjar-se um folclore de tamanho desmedido, pode ir até ao S. João.
Lembramos que António Fonseca foi considerado insolvente em finais de 2012.

.
.

VICIADO EM ADRENALINA


A melhor altura para se fazer acrobacias e selfies é numa perseguição policial, claro!

.
.


HOJE NO
 "JORNAL DE NEGÓCIOS"

Novas acusações fazem adiar 
julgamento de Rafael Marques

Os generais angolanos que colocaram Rafael Marques em tribunal acrescentaram mais 15 acusações de difamação. Este facto novo fez com que o tribunal tenha decidido adiar o julgamento para 23 de Abril. 
.
UM HERÓI
 O julgamento de Rafael Rarques, jornalista e a activista angolano acusado de "denúnica caluniosa" por sete generais daquele país, que começou esta terça-feira, dia 24 de Março, foi adiado para o dia 23 de Abril.
O próprio Rafael Marques, numa nota escrita no Facebook do Maka Angola, dá conta desta decisão. Segundo Rafael Marques, o Tribunal tomou essa decisão devido ao facto de a acusação ter feito 15 acusações adicionais por difamação, que foram acrescentadas às nove antes efectuadas por denúncia caluniosa. "O julgamento foi adiado para o dia 23 de Abril por falta de notificação dessas novas acusações", explica o jornalista.

Na origem do processo está o livro "Diamantes de Sangue", publicado em 2011, onde o autor sustenta a existência de abusos contra os direitos humanos na Lunda Norte. Entre os queixosos encontra-se o general Hélder Vieira Dias ("Kopelipa"), ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, José Eduardo dos Santos. 

Rafael Marques nasceu em Angola em 1971 e actualmente dirige o site Maka Angola, onde expõe os problemas do regime angolano. "Maka" é uma palavra do dialecto kimbundu que significa problema. A editora Tinta da China, que publicou em Portugal "Diamantes de Sangue", já disponibilizou gratuitamente o livro na internet em solidariedade com o autor.

* Quando será que Angola vai deixar de ter criminosos a dirigi-la?

.
.

 PROVAVELMENTE MORRERAM



VIRGENS



ISAAC NEWTON
Nunca casou, nunca se lhe viu nenhum namorico e desde aquele 
encontro com a maçã não olhou para mais ninguém


Idade:   84 (1643-1727)
Terra natal: Woolsthorpe-by-Colsterworth, United Kingdom
Profissão: Matematico, Físico, Químico,Filósofo
Local de trabalho: The King's School, Grantham, Trinity College, 
Cambridge
Morreu em: Kensington, London, United Kingdom


MADRE TERESA
São poucos os que duvidarão do seu estado de graça, mas 
se alguém souber de alguma coisinha...

Idade: 87 (1910-1997)
Terra natal: Skopje, Yugoslavia
Profissão: Freira e professora
Local de trabalho: Loreto Abbey, Rathfarnham
Causa da morte: Doença cardíaca
Morreu em : Kolkata, India


ANDY WHAROL
Um homem das artes, absolutamente mundano, custa a crer que 
não tivesse uma experiênciazinha

Idade:  59 (1928-1987)
Terra natal: Pittsburgh, Pennsylvania, United States of America
Profissão: Escultor, Ilustrador, Pintorr,Produtor de cinema, Argumentista
Local de trabalho: Carnegie Mellon University, Schenley High School
Causa da morte: Arrítmiia cardíaca
Morreu em: New York City, New York, United States of America


ELISABETH I
Era conhecida como a raínha virgem, a última Tudor, 
mas não garantimos,  feia era!

Idade: 70 (1533-1603)
Terra natal: Palace of Placentia, London, United Kingdom
Profissão: Raínha
Morreu em: Richmond Palace, London, United Kingdom


LEWIS CARROL
Não acreditamos nem um pedacinho na sua virgindade. Ao autor de
 Alice no País das Maravilhas pode não se ter conhecido nenhum namoro 
mas tinha uma razoável colecção de fotos de meninas despidas
suas alunas, diziam que era pedófilo.

Idade:  66 (1832-1898)
Terra natal: Daresbury, Widnes, United Kingdom
Profissão: Matemático, Escritor, Clérigo
Local de trabalho: Christ Church, Oxford, University of Oxford,
 Rugby School, Richmond Boarding School, Richmond School
Causa da morte: Pneumonia
Morreu em: Guildford, United Kingdom


JOANA D'ARC
Com esta cara de insonsa e 19 anos damos-lhe o benefício da dúvida, 
mas consta que a soldadesca que a capturou não hesitou em 
demonstrar-lhe os argumentos da virilidade, ainda hoje isso 
acontece nos bárbaros conflitos conhecidos.

Idade:  19 (1412-1431)
Terra natal: Domrémy-la-Pucelle, France
Profissão: Líder militar religiosa
Causa da morte: Queimada viva 
Morreu em: Rouen, France



.
.
HOJE NO
 "DESTAK"

Amnistia Internacional 
denuncia repressão letal 
contra manifestantes venezuelanos

A Amnistia Internacional condenou hoje a repressão contra manifestantes na Venezuela, que provocou 43 mortos no ano passado, denunciando casos de pessoas mortas a tiro, eletrocutadas e agredidas sexualmente. 
.
A organização de defesa dos direitos humanos, com base em Londres, avisou ainda que, ao falhar na investigação e responsabilização dos responsáveis pelos abusos, a Venezuela "está a dar luz verde para que sejam cometidos mais abusos e violência".

"Na Venezuela, a maioria das violações dos direitos humanos não são investigadas, nem punidas", salienta a Amnistia num relatório divulgado hoje em Madrid.

* Nicolas Maduro é um facínora por quem o sr. Vice-primeiro ministro tem simpatia.


.
.

'UDAR'


O novo instrumento electrónico criado pelo japonês Michinobu Uda

.
.

HOJE NO 
"i"

Mais de 2 mil vítimas apoiadas pelo gabinete da APAV de Lisboa em 2014

Já dentro do apoio especializado destacou-se o apoio jurídico com 2.044 casos, seguindo-se o apoio psicológico com 225 casos.

> O Gabinete de Apoio à Vítima (GAV) de Lisboa apoiou, no ano passado, 2.008 vítimas directas que foram alvo de 4.601 crimes, a maioria de violência doméstica, segundo dados divulgados pela APAV. 
 .

Das 2.008 vítimas que reportaram crimes ao GAV de Lisboa em 2014, 84,8% eram mulheres com idades entre os 25 e os 54 anos (36,2%), adiantam os dados publicados no ‘site’ da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. 

No total, o GAV de Lisboa registou, em 2014, 4.129 processos de apoio com atendimentos, a maioria (79,7) relativa a crimes de violência doméstica, seguindo-se os crimes contra pessoas (14,2%), os crimes rodoviários (2,6%) e os crimes contra o património (2,4%). 

A APAV ressalva que os dados relativos à violência doméstica incluem, além dos crimes assinalados no código de processo penal (maus-tratos físicos e psíquicos), outros delitos em contacto doméstico, como violação de domicílio ou perturbação da vida privada, devassa da vida privada, violação de correspondência ou de telecomunicações, violência sexual, furto; etc. 

Em 48,6% dos processos apoiados (2.008) foi constatada a ocorrência de crime. 

Segundo a APAV, 32% das vítimas que beneficiaram dos serviços da associação eram casadas, 19,2% solteiras, 36,7% viviam numa família nuclear com filhos e 28% tinham uma relação de conjugalidade com o agressor. 

Os dados referem também que 35,2% das vítimas estavam empregados, 15,9% desempregadas e 24,9% tinham o ensino superior. 

As grandes zonas urbanas concentram o maior número de vítimas que recorrem aos serviços do GAV de Lisboa, residindo a maioria em Lisboa (18,9%) e em Sintra (6,5%). 

Foram registados 2.049 autores de crime, 80,9% dos quais eram homens, com idades entre os 25 e os 54 anos (19,8%), casados (31,3%) e empregados em 27,9% dos casos. 

Em 73,4% dos casos assinalados a vitimação ocorrida foi de tipo continuado. A duração perpetua-se, sobretudo, num espaço temporal entre os dois e os seis anos (14,5%), mas em 6% dos casos durava entre os 12 e 20 anos e em 5% das situações há mais de 20 anos. 

O principal local do crime assinalado foi a residência comum (entre vítima e autor do crime) com 45,9% das sinalizações. 

A APAV refere ainda que 36% das denúncias foram formalizadas junto das entidades policiais
O GAV de Lisboa tem disponíveis serviços de apoio genérico, emocional, jurídico, psicológico e social. 

Em 2014 o apoio genérico (como seja o prestar informações sobre outras instituições, o reencaminhamento de correspondência, o apoio emocional) destacou-se com um total de 2.034 registos, seguindo o apoio emocional (1.461 registos). 

Já dentro do apoio especializado destacou-se o apoio jurídico com 2.044 casos, seguindo-se o apoio psicológico com 225 casos. 

A APAV refere que “o trabalho com as entidades policiais e com a segurança social revelou-se crucial no apoio à vítima com registos na ordem dos 27,7% para os órgãos de polícia criminal e 11,7% para a segurança social”. 

A maioria dos utentes (74,7%) contactou a APAV pelo telefone, mas em 13,9% dos casos esse contacto foi presencial e 11% das situações foi por e-mail. 

Em 63,7% dos casos o contacto foi feito pela vítima. Os órgãos de polícia criminal encaminharam cerca de 7,2% utentes para os serviços da APAV. 

* Uma tragédia quando se sabe que grande parte dos agressores continua impune.


.
.

A ARTE DO ROSTO














.