sexta-feira, 13 de março de 2015

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.
.


O QUE NÓS


APRENDEMOS

 
PROFESSOR





.
.

7- O FIM DO JOG0


Como menos de 1% da população mundial escraviza o resto do mundo



* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores. 


.
.
HOJE NO 
"DESTAK"

EUA e Cuba reúnem-se a partir 
de segunda-feira, embaixadas 
podem abrir em abril

Os Estados Unidos e Cuba começam na próxima segunda-feira em Havana uma terceira ronda de negociações para restabelecer relações diplomáticas e "acelerar" o processo de normalização, para poderem abrir embaixadas em abril, anunciou hoje o Governo norte-americano. 
 .
A subsecretária de Estado dos EUA para a América Latina, Roberta Jacobson, parte no domingo para Havana para começar, no dia seguinte, uma terceira ronda de negociações com a diretora-geral para os Estados Unidos do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Cuba, Josefina Vidal, informou o departamento de Estado.

A visita de Jacobson já não tem o caráter histórico que teve a viagem a Havana de 21 e 22 de janeiro, quando se converteu na primeira personalidade oficial dos Estados Unidos a estar em Cuba em mais de 50 anos. 

* Histórico é o reatamento das relações, tudo o resto são procedimentos, também históricos!

.
.

 2- SEGREDOS DA NASA





.
. 
HOJE NO  
"i"

Apenas 8% dos portugueses 
consegue poupar todos os meses

Um estudo sobre a literacia financeira dos portugueses mostra que actualmente apenas 8% dos portugueses consegue poupar todos os meses. Um valor que fica abaixo do que foi registado em 2014, que estava na ordem dos 30%.

Quase metade da população portuguesa não consegue fazer qualquer tipo de poupança revela uma análise feita pela Cetelem. Além disso, quem poupa prefere o mealheiro tradicional e não as transferências para contas a prazo. 
 .

Entre os inquiridos, 30% admitem poupar sempre que sobra algum dinheiro ao final do mês, enquanto 9% poupa de forma pontual, nomeadamente, com os subsídios de férias e de Natal. 
Em 2013, apenas uma minoria dos portugueses (9%) afirmava não ter o hábito de economizar, valor que em 2014 aumentou para 22% e agora alcançou os 45%. 
O estudo sobre a Literacia Financeira foi realizado entre os dias 12 e 17 de Fevereiro, através de 500 entrevistas telefónicas a portugueses de ambos os sexos, com idades entre os 18 e os 65, todos residentes em Portugal. 

* A cruel realidade a que este governo nos sujeita.

.
.
 HAITI

DAS RUÍNAS AO 


DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL





* Uma produção "ONU"


.
.
.
HOJE NO  
"A BOLA"

Portugal conquista quatro medalhas 
na estreia nos Europeus de atletismo

A seleção portuguesa conquistou, esta sexta-feira, quatros medalhas, incluindo uma de ouro, naquele que foi o primeiro dia do 7.º Campeonato da Europa de atletismo em pista coberta para atletas com deficiência intelectual. 
 .
Lenine Cunha arrecadou a medalha de ouro em pentatlo e bronze no salto em comprimento, já Érica Gomes conquistou, na mesma prova, mas em feminino, a medalha de prata com um salto de cinco metros, estabelecendo, assim, o novo recorde nacional.

Cristiano Pereira, nos 1500 metros, obteve a quarta medalha do dia para Portugal, terminando a prova no terceiro lugar e arrecadando o bronze .

O torneio decorre em São Petersburgo, na Rússia, e conta com a presença de 150 atletas de 10 países: Portugal, Espanha, Estónia, França, Holanda, Itália, República Checa, Suécia, Turquia e Rússia.

* Muito nos honram estes atletas, a maioria do governo português não.


.

RUI HORTELÃO

.


A voz do Presidente 
da República 
Cavaco Silva

"A voz do Presidente tem de ser uma voz serena e de verdade, que seja escutada pelos agentes políticos", Cavaco Silva, in Roteiros V, de 2011. Sim, quem escreveu esta frase é a mesma personalidade que nesta última semana, por duas vezes consecutivas, se colocou no centro de todas as atenções. Primeiro, por ter reduzido o problema da dívida de Pedro Passos Coelho à Segurança Social a uma questão de polémica político-partidária, com cheiro a campanha eleitoral; e depois, por ter decidido traçar o perfil ideal do seu sucessor, salientando a grande importância que é este ter experiência em política externa.

Se com a primeira intervenção, Cavaco Silva prejudicou o primeiro-ministro e deu novo fôlego aos adversários do PSD; na segunda o Presidente da República entrou, por iniciativa própria, numa discussão que, nesta altura, é de mera natureza político-partidária, e voltou a penalizar, acima de tudo, o PSD e a direita, já que são os potenciais candidatos de esquerda – António Guterres e António Vitorino – que, à excepção de Durão Barroso, melhor se enquadram no ideal de Cavaco Silva.

Não parece, porém, crível que esta seria a forma escolhida se o objectivo fosse declarar apoio ao ex-presidente da Comissão Europeia. E muito menos que a intenção fosse ajudar os socialistas a ganhar terreno para as Presidenciais. Excluídas as intenções construtivas, resta a destrutiva, ou seja, a de dificultar o caminho aos que Cavaco Silva gostaria de ver excluídos à partida.

Dois deles – Marcelo Rebelo de Sousa e Pedro Santana Lopes – reagiram de imediato. Rui Rio não terá ficado menos incomodado, mas optou pelo silêncio e, dessa forma, distinguiu-se dos seus concorrentes e do próprio Presidente da República.

Cavaco Silva é livre de apoiar e reprovar quem bem entende para a corrida a Belém, mas fazê-lo nesta altura e através do prefácio de um Roteiro, uma das mais institucionais ferramentas de comunicação que tem utilizado desde que foi eleito, é uma opção que atropela por completo a imagem que Cavaco tanto se tem esforçado por afirmar. E que legitima, inclusive, uma nova interpretação para a frase que abre este texto, porque afinal o mais importante parece ser que a voz do Presidente "seja escutada pelos agentes políticos".

Infelizmente, esta contradição não foi a única do Presidente da República nesta semana. Também a dualidade de critério na felicitação a Nelson Évora pela medalha de ouro no Campeonato da Europa de Atletismo e a ausência de qualquer palavra para os atletas João Costa e Joana Castelão, também eles campeões europeus, dá força a todos quantos têm criticado Cavaco Silva pelos elogios públicos arbitrários que este tem feito na área do desporto, em particular o olímpico. E, desta vez, nem sequer estava em causa uma condecoração – ou a ausência da mesma –, que também já no fim do ano passado tinha motivado crítica de Emanuel Silva, vice-campeão olímpico e mundial e campeão europeu de canoagem.

Compreende-se que o Presidente da República, talvez por estar a entrar na recta final do mandato, se sinta mais liberto para ser ele próprio, mas colocar-se deliberadamente no centro de polémicas e discussões como estas não só afecta a sua imagem pessoal como também a da própria instituição Presidência da República.

Este comportamento é ainda mais difícil de compreender, quando numa década – entre Janeiro de 2000 e Abril de 2011 –, Cavaco Silva e as equipas que o coadjuvam sabem que foi o primeiro Presidente a ter um saldo negativo de popularidade num barómetro da Marktest, pois nunca antes um Chefe de Estado tinha tido mais opiniões negativas do que positivas neste estudo. E que, desde então, nunca conseguiu libertar-se dessa impopularidade.

Director

IN "SÁBADO"
12/03/15


.



450.UNIÃO


EUROPEIA






.
.
HOJE NO 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS
 DA MADEIRA"

Grécia vai usar arquivos do exército nazi para solicitar indemnização alemã

A Grécia vai usar documentos militares nazis para pressionar a Alemanha a pagar as reparações de guerra relativas ao período da ocupação, revelou hoje o Ministério da Defesa do executivo de Atenas.
 .

"Este arquivo contém mais de 400.000 páginas... e será usado para apoiar a exigência grega de que a Alemanha cumpra as suas obrigações relativas ao período 1941-44", sublinhou o ministro-adjunto da Defesa, Kostas Isichos.

De acordo com o governante, que afirma ter obtido o acervo junto de arquivos norte-americanos, estes papéis "não apenas fundamentam a verdade histórica - eles são os documentos da própria Wehrmacht (Forças Armadas do III Reich), a força de ocupação".

Entre os documentos estão "diários, relatórios dos oficiais aos seus superiores, que não foram escritos como publicidade, antes constituindo sobretudo documentos secretos", acrescentou.

Perante a resistência da Alemanha aos pedidos de renegociação do resgate, o novo Governo grego intensificou a pressão sobre Berlim no que respeita à controversa questão das reparações de guerra.

O ministro da Justiça grego revelou esta semana que vai ativar uma decisão do Supremo Tribunal Grego com 15 anos que autoriza a apreensão de bens alemães para pagar por danos de guerra.

Por seu lado, o Parlamento grego aprovou uma moção para reativar uma comissão dedicada a investigar indemnizações de guerra, o reembolso de um empréstimo de guerra forçado e a devolução de relíquias arqueológicas apreendidas pelas forças de ocupação alemãs.

Berlim argumenta que as indemnizações à Grécia foram liquidadas em 1960, no âmbito de um acordo com vários governos europeus.

Atenas espera que os documentos da Wehrmact lancem mais luz sobre aspetos do período de ocupação, como a realização de escavações arqueológicas ilegais e a ocorrência de pilhagens, "a fim de reforçar, não envenenar" as relações entre os dois países, afirmou Isichos.

"As universidades, os intelectuais e o povo alemães estão convidados a juntar-se a nós na descoberta deste tesouro histórico para fechar esta ferida aberta", concluiu o governante.

* A Grécia tem direito à indeminização, surpreende-nos que nenhum governo grego anterior a este a tenha reclamado, conluio de grandes potências e pressão sobre os "helenos"?


.
.



O SEGREDO 
DAS COISAS

 18 -PENSOS

RÁPIDOS






.
.



5-NASCIDOS 


EM BORDÉIS


CRIANÇAS DA LUZ VERMELHA 
DE CALCUTÁ


ÚLTIMO EPISÓDIO



UMA SÉRIE ANGUSTIANTE QUE NINGUÉM DEVE DEIXAR DE VER



* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.



.
.

HOJE NO 
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Conheça as novas obrigações
 dos senhorios

A reforma do IRS trouxe algumas alterações para os senhorios que implicam mais obrigações declarativas e que estão a gerar algumas dúvidas. Saiba o que muda.  

Senhorios passam a poder fazer mais deduções 
A reforma do IRS trouxe a possibilidade de os senhorios poderem deduzir mais despesas no IRS. Passam a ser dedutíveis todos os gastos com a necessários para a obtenção dos rendimentos prediais. 
 .

No entanto, o fiscalista da Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco), Ernesto Pinto, adverte que electrodomésticos, artigos de decoração e mobiliário excluem-se, tal como os encargos financeiros assumidos pelo proprietário junto do banco para pagar a casa. Além disso, passam a ser dedutíveis as obras de reparação e conservação feitas nos dois anos anteriores ao início do arrendamento e desde que o prédio não tenha sido utilizado para outros fins. Esta medida tem efeitos na declaração a entregar no próximo ano.

Englobamento ou tributação autónoma? 
Os senhorios passaram a poder optar pelo englobamento ou por aplicar aos rendimentos ganhos com os prédios arrendados uma taxa de tributação autónoma de 28%. Cada caso é um caso, mas regra geral, a taxa de tributação autónoma é vantajosa para os proprietários com rendimentos mais altos (cuja taxa de IRS é superior a 28%). Se o contribuinte optar pela tributação autónoma, aos rendimentos ganhos serão deduzidas as despesas suportadas e será então aplicada a taxa de 28%. Por exemplo, se o proprietário receber 20 mil euros por ano de rendimentos prediais e tiver gasto oito mil euros com a casa, aplicam-se os 28% aos 12 mil euros. Logo, o IRS a pagar será de 3.360 euros. Já se a opção for o englobamento, os rendimentos prediais serão somados aos rendimentos de trabalho dependente ou pensões. Note-se que até aqui quem optasse pelo englobamento teria de somar também os outros rendimentos (capitais, mais-valias, etc.). Contudo, a reforma do IRS que terá efeitos práticos em 2016 alterou esta norma e os contribuintes podem agora escolher os rendimentos a englobar.

Declaração de englobamento 
Segundo a Deco, na declaração de IRS deste ano, relativa aos rendimentos de 2014, os senhorios podem optar, ou não, por englobar, os rendimentos sem terem de pedir aos bancos a declaração de retenções na fonte, os depósitos ou outras aplicações que possuam. A situação gerou confusão no ano passado, porque o prazo para pedir a declaração era 31 de Janeiro e poucos se aperceberam. Estes contribuintes tiveram então de escolher a tributação autónoma.

Declaração de rendas recebidas só em 2016 
Os proprietários com casas arrendadas passaram a ter de entregar ao Fisco através do Portal das Finanças uma declaração com o montante das rendas recebidas este ano. Mas este documento só têm de ser entregue em 2016, até 31 de Janeiro. A declaração será entregue com a informação sobre os valores anuais recebidos, individualizados com a identificação do imóvel e o número de contribuinte dos inquilinos, explica a Deco. É através desta informação que o Fisco terá acesso aos valores que os inquilinos vão depois poder deduzir quando preencherem a sua declaração de IRS. E caso os montantes não sejam comunicados às Finanças pelos senhorios, terão de ser os arrendatários a fazê-lo sob pena de não terem depois direito à dedução das despesas com a casa.

Arrendamento declarado na categoria B 
Os senhorios podem considerar os rendimentos prediais como rendimentos de categoria B (trabalho independente), mesmo que tenham rendimentos de trabalho por conta de outrem, de pensões ou outra actividade como trabalhadores independentes, explicou Ernesto Pinto. No entanto, a Deco alerta para o facto de esta possibilidade gerar ainda alguma confusão, já que a forma de apurar o rendimento não será a da categoria B - como é feito para a contabilidade organizada ou regime simplificado), mas para a categoria dos rendimentos prediais (da categoria F). O objectivo é, segundo a associação, que o Fisco conheça, em cada momento, os recibos passados.

* Retenha esta informação, pode ser-lhe útil.



.
.
 Otis Redding

Try A Little Tenderness


.
.


HOJE NO 
"CORREIO DA MANHÃ"

Subsídio até para lavar viaturas

O Governo revelou esta quinta-feira a lista de suplementos remuneratórios de todos os serviços da Administração Pública. E há de tudo, desde os habituais subsídios aos médicos em exclusividade, a outros mais invulgares, como subsídio de taxa de alojamento, por produção adicional ou subsídio de radiação. Mas há um suplemento que é transversal a toda a Função Pública: subsídio por lavagem de viaturas. 
 .
IGNORÂNCIA TEM SUBSÍDIO?
Na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo, há um suplemento para atender telefones, tal como no Centro Hospitalar de Leiria. Nos ministérios da Justiça e da Segurança Social, há um subsídio por trabalhar nas Lojas do Cidadão. Neste último ministério, paga-se até um "prémio de senioridade". 

Um estudo encomendado pelo Governo apontava para a existência de 270 tipos de suplementos, um número considerado exagerado pelo Executivo, que propôs então a criação de uma Tabela Única de Suplementos (TUS). O Governo admite que alguns dos subsídios sejam extintos na sequência da integração na TUS. Contudo, o trabalhador não perde os direitos. 

Os sindicatos têm cinco dias para apresentar propostas de inclusão e indicar os suplementos omissos. Calcula-se que todos os suplementos custem aos Estado 700 milhões por ano. 

* Gostaríamos saber que tipo de subsídios recebem os detentores de cargos públicos.

.
.
 O PARTIR DUM GLACIAR



Em 28 de maio de 2008, Adam LeWinter e o Diretor Jeff Orlowski filmaram  um rompimento histórico (por ter sido o maior alguma vez filmado) na geleira de Ilulissat, no oeste da Groenlândia. 
O evento durou 75 minutos e a geleira recuou um quilômetro completo numa face de  três milhas de largura. A altura total do gelo é de cerca de 3.000 pés (300-400 pés acima da água e o resto abaixo da água).
.


HOJE NO 
"OBSERVADOR"


Roubini
Cenário de Grexit é tão mau que Europa
. não vai permitir que Grécia saia

Para o economista americano, "até os alemães percebem" que a saída da Grécia terá impacto muito negativo para a zona euro. Comissário fala em catástrofe. Sondagem diz 52% dos alemães defendem Grexit 
 .
O cenário da saída da Grécia do euro (Grexit) não preocupa por aí além Nouriel Roubini. O economista americano que ficou famoso por ter previsto a crise financeira de 2008 foi ouvido pela Bloomberg sobre o impasse nas negociações entre o governo do Syrisa e as instituições europeias.
Roubini considera que um hipotético abandono da zona euro pelos gregos teria um “efeito de contágio tão massivo nos países da periferia”, que faria disparar os spreads da dívida e os custos de financiamento de Espanha, Itália e Portugal, que têm sido os mais beneficiados pelas medidas do Banco Central Europeu. E assim que um sair, “toda a gente vai perguntar que sem segue”. Por isso, defende, não faz sentido, económica e financeiramente, a Grécia sair. “E até os alemães percebem isso”.

A possibilidade da Grécia abandonar a zona euro voltou a ser tema de especulação, com vários analistas a admitirem que as autoridades na Alemanha e em outros países europeus estão agora mais dispostas a equacionar a hipótese. Ontem também o comissário europeu dos assuntos económicos foi claro na mensagem: “Todos nós na Europa estamos de acordo que o Grexit seria uma catástrofe – para a economia grega, mas também para toda a zona euro”. Em entrevista ao jornal alemão Der Spiegel, Pierre Moscovici, o comissário europeu dos assuntos económicos, reconhece que consequências seriam graves para todos, “mas estou convencido que vamos conseguir manter o país na zona euro – e de que podemos também insistir num programa de reforma abrangente”.

Mais de metade dos alemães defendem saída da Grécia do euro
Ainda esta sexta-feira, numa entrevista à televisão austríaca ORF, o ministro das Finanças, Wolfgang Shäuble admitiu que existe o risco da Grécia “sair acidentalmente” da zona euro, remetendo a responsabilidade do que acontecer para o governo de Tsipras e Varoufakis. As declarações coincidem com a divulgação uma sondagem da televisão alemã ZDF que revela um crescente sentimento anti-grego. Mais de metade, 52% dos inquiridos, estão contra a continuação da Grécia na zona euro, mais 9% do que no último barómetro.

O economista americano alerta ainda para as consequências geopolíticas de tal desfecho, na medida em que os russos estão a ficar mais agressivos, não só na Ucrânia, mas também no Báltico e nos Balcãs. A Grécia, sublinha, é um país ortodoxo e se saísse do euro “poderia ir parar às garras do urso russo”.

Conclui por isso, que mesmo do ponto de vista alemão não faz sentido a Grécia deixar a moeda única. O país, lembra, representa apenas 2% do Produto Interno Bruto da zona euro, mas pode provocar consideráveis danos económicos, financeiros e políticos. Apesar da preocupação dos mercados, Roubini está convicto de que “vai haver um compromisso entre as partes” para o défice, a dívida e as reformas estruturais, em troca de um novo pacote financeiro. “Não acredito que a saída da Grécia seja provável”.

Depois de ter apresentado uma queixa contra o ministro das finanças alemão, o primeiro-ministro grego procurou dar sinais de desanuviamento, prometendo resolver os desentendimentos com os parceiros europeus. Alexis Tsipras falava esta sexta-feira em Bruxelas antes de uma reunião com o presidente da Comissão Europeia, Jean Claude Juncker. Após um encontro com o líder do Parlamento Europeu, Martin Shulz, Tsipras afirmou estar “muito otimista numa solução, porque acredito muito que está em causa um interesse comum. Penso que este não é só um problema grego, mas um problema europeu”.

As reuniões técnicas de Atenas com os credores internacionais, que incluem ainda o BCE e o FMI, arrancaram esta sexta-feira. No mesmo dia, a Grécia fez um reembolso de 350 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional. Mas o país terá de fazer novo pagamento ao FMI daqui a uma semana, para além da necessidade de refinanciar dívida do curto prazo no montante de 1,6 mil milhões de euros.

* Já há alguns dias referimos que a saída da Grécia do euro tinha reprecursões danosas para o resto do grupo. O facto de 52% dos alemães inquiridos serem a favor da saída da Grécia não significa ser a atitude inteligente, Hitler teve a anuência de mais de 90% dos alemães e foi o que se viu.

.
.


FAMÍLIA TEM-SE













AMIGOS ESCOLHEM-SE





.
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Inspetor da PJ acusado de envolvimento
. em fraude de 6,6 milhões de euros

Ao todo o processo tem 30 arguidos, incluindo ainda o então presidente da Associação de Comerciantes de Ourivesaria e Relojoaria do Sul, Paulo Martinho. 

O inspetor da Polícia Judiciária de Setúbal João de Sousa, em prisão preventiva, é um dos 30 arguidos acusados de uma fraude de 6,6 milhões de euros no negócio do ouro, revelou hoje a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).
 .

O Ministério Público decidiu acusar os suspeitos, cinco dos quais em prisão preventiva, da prática de diversos crimes: associação criminosa, branqueamento, fraude fiscal qualificada, corrupção ativa, recetação, falsificação e detenção de arma proibida.

Entre os 30 arguidos, além do inspetor da judiciária, está o então presidente da Associação de Comerciantes de Ourivesaria e Relojoaria do Sul (ACORS), Paulo Martinho, também ele a aguardar o julgamento em prisão preventiva.

De acordo com a PGDL, o grupo adquiria peças em ouro através de lojas próprias, e de fornecedores espalhados pela zona da Grande Lisboa e Alentejo, sem proceder à respetiva declaração fiscal e à comunicação, obrigatória, à Polícia Judiciária.

As peças de ouro eram depois fundidas e transformadas em barras, que eram transportadas de avião pelos arguidos e vendidas na cidade de Antuérpia, na Bélgica. Mais tarde, o grupo decidiu fazer o transporte de barras em ouro através de uma empresa especializada, por questões de segurança.
Segundo revela a PGDL, a organização terá vendido mais 1.600 quilos de barras de ouro na Bélgica, o que representa mais de 61,9 milhões de euros, e o valor da fraude está calculado em 6,6 milhões de euros.

O grupo foi desmantelado em março do ano passado, apesar de a investigação da Polícia Judiciária de Setúbal já decorrer há mais de um ano.

De acordo com a PGDL, os valores apreendidos em dinheiro (euros e moeda estrangeira), ouro, prata e diamantes, automóveis, barcos de recreio, ascendem a mais de 3,5 milhões de euros.

* No melhor pano pode caír a nódoa, mas existe a presunção de inocência, a PJ deve continuar a merecer-nos respeito!
O inspector João de Sousa tem um blogue, como reconhecemos em absoluto o direito ao contraditório e na comunicação social já está linchado, aqui deixamos o endereço:
https://dosdoisladosdasgrades.wordpress.com

.
.
Berezka

DANÇA FOLCLÓRICA RUSSA

.
.

 HOJE NO 
"RECORD"

Pistorius pode ver pena de prisão
. agravada para 15 anos

Em vez de cinco anos, Oscar Pistorius pode passar 15 na prisão. Os advogados do sul-africano recorreram do recurso apresentado pelo Ministério Público mas a sua intenção foi negada. 
 .
ASSASSINADA
O pedido do Ministério Público da África do Sul para que o processo do campeão paralímpico fosse revisto foi aceite pelo tribunal a 10 de dezembro de 2014 e desde aí a defesa do sul-africano tudo fez para alegar a sua inconstitucionalidade, o que não conseguiu.

Oscar Pistorius foi condenado a prisão efetiva pelo homicídio involuntário - e não pelo assassinato - da namorada, a manequim Reeva Steenkamp, que foi atingida por quatro balas de grande calibre disparadas através da porta da casa de banho.

"O nosso argumento é que [o atleta] devia ser acusado de assassinato e condenado a uma pena mínima de 15 anos, e é isso que pedimos", explicou, logo em dezembro, à agência francesa de notícias AFP o porta-voz do Ministério Público sul-africano, Deanna Ncube.

* 15 anos é pouco!

.
.

 COMPRAS PIROSAS
PELA NET




















.
.
HOJE NO 
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

"A minha função é atrair investimento estrangeiro", diz Paulo Portas

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, afirmou, esta quinta-feira, que a sua função é "atrair" investimento estrangeiro para Portugal e não contribuir para a criação de riqueza de países estrangeiros com regimes semelhantes aos vistos 'gold' português. 
 .
Paulo Portas falava no debate sobre as propostas de alteração do Governo sobre regime de Autorizações de Residência para a atividade de Investimento (ARI), também conhecidos por vistos 'gold', em que o Bloco Esquerda (BE) propõe o fim do programa.

Durante a sua intervenção a deputada do BE, Cecília Honório, apontou o processo de corrupção ligado ao regime dos vistos 'gold'.

Em resposta à deputada, Paulo Portas afirmou: "Queria lembrar-lhe o que, a meu ver bem, disse o secretário-geral do Partido Socialista num programa de televisão antes destes acontecimentos se darem: não é por haver um caso de corrupção na direção-geral de Viação que se acaba com as cartas de condução".

"Eu acrescentaria que não é por haver uma fraude numa avaliação que se acaba com os exames", acrescentou o governante, reiterando que em "caso de problema de legalidade" que a "lei e a justiça caiam em cima do problema e que se tirem as respetivas consequências".

Paulo Portas voltou a recordar que existem 14 países na Europa com um regime de vistos 'dourados' semelhantes ao português.

"O que eu não faria era entregar aos 14 países que concorrem com Portugal" com sistemas parecidos com os vistos 'gold' "a criação de riqueza que pode ser feita e deve ser feita em Portugal", disse.

"A minha função não é contribuir para a criação de riqueza de países estrangeiros é para atrair, nomeadamente, investimento estrangeiro para Portugal", sublinhou Paulo Portas.

O vice-primeiro-ministro destacou a dinamização que o setor do imobiliário teve na sequência do regime dos vistos 'gold' e defendeu que o Bloco de Esquerda deveria "afastar o preconceito" em relação a esta área.

"As casas não caem do céu, alguém tem de as construir", disse.

"O imobiliário estava parado, ganhou dinamismo, entre outros fatores, com o visto 'gold', e deixaram-se impostos nas autarquias e no Estado português", disse.

Paulo Portas citou um estudo recente da Associação Portuguesa de Resorts, segundo o qual os vistos 'gold' foram responsáveis pela criação de 20 mil postos de trabalho no turismo residencial em 2014.

As novas alterações abrem o leque da aplicação de investimento à ciência e cultura ou reabilitação urbana, que até agora estava concentrada na compra de imobiliário e transferência de capitais, por exemplo, a reforçam as medidas de fiscalização.

* Quantos vistos "purpurina" não estão ligados a branqueamento de capitais, alguém responde???

.
.

CIVISMO EM PRÁTICA


.
.
 HOJE NO 
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Presidenciais: 
Rio e Rebelo de Sousa preferidos à direita
 e António Vitorino à esquerda

Entre os putativos candidatos às eleições presidenciais do próximo ano, Rui Rio e Marcelo Rebelo de Sousa são os nomes que, à direita, recolhem mais apoios. No entanto, entre o eleitorado que vota PSD ou CDS, o nome de Rebelo de Sousa é claramente o preferido. Já o candidato preferido da esquerda e também do eleitorado que vota à esquerda é, de forma destacada, o socialista António Vitorino. 
Não é um, mas dois. Rui Rio, ex-presidente da câmara do Porto, e Marcelo Rebelo de Sousa, professor de Direito e ex-líder do PSD, são os candidatos presidenciais preferidos à direita, segundo mostra a última sondagem da Aximage para o Negócios e Correio da Manhã. Entre os nomes do espectro político mais à esquerda, é o antigo comissário europeu António Vitorino que garante maior unanimidade.
.
A menos de um ano das eleições presidenciais de 2016, a corrida a Belém apresenta-se bem mais renhida à direita. Dos quatro nomes desta área política apresentados pela Aximage aos eleitores inquiridos, Rui Rio com 40,2% das intenções de voto, e Marcelo Rebelo de Sousa com 39,7%, surgem praticamente empatados nas intenções de voto como os nomes preferidos para protagonizar uma candidatura à presidência da República.

Já os antigos líderes social-democratas, Manuela Ferreira Leite e Pedro Santana Lopes, com 8,6% e 4,8% das intenções de voto, respectivamente, aparecem como nomes pouco galvanizantes para o eleitorado português.

Se Rui Rio e Ferreira Leite não confirmam nem desmentem possuir interesse numa hipotética candidatura a Belém, no decorrer desta semana, tanto Santana como Rebelo de Sousa pareceram confirmar essa vontade quando ambos se prontificaram a garantir possuir o perfil ideal definido nos Roteiros IX pelo Presidente da República, Cavaco Silva, para aquele que lhe venha a suceder.

À esquerda tudo parece mais consensual. Aparentemente retirado da equação o nome de António Guterres, agora é António Vitorino, ex-ministro da Defesa e antigo comissário europeu, aquele que de forma clara obtém maior consenso entre os potenciais candidatos à esquerda.

Dos quatro nomes considerados pela Aximage, Vitorino consegue assegurar 42,4% das intenções de voto, com uma larga vantagem para a anterior presidente do PS, Maria de Belém Roseira, que se fica pelos 21,1%.

Mais distantes aparecem os nomes do antecessor de António Costa na liderança dos socialistas, António José Seguro, com 13,4% e de Carvalho da Silva, ex-secretário-geral da CGTP, com 10,7%.

Tanto Vitorino como Maria de Belém já se pronunciaram a favor do nome de Guterres enquanto melhor candidato presidencial da esquerda, mas nenhum descarta vir a protagonizar uma candidatura a Belém, decisão que ambos afastam para depois das legislativas de Setembro/Outubro, eleição que estabelecem como prioridade para o PS e para o país.

Rebelo de Sousa é o preferido do eleitorado PSD-CDS
Se a preferência entre o total de inquiridos se divide entre Rui Rio e Rebelo de Sousa, o comentador da TVI é claramente o melhor candidato a Belém para o eleitorado que votaria no PSD ou no CDS. Rebelo de Sousa garante 49,8% das intenções de voto, quedando-se o ex-autarca portuense com 35,7%.

No que diz respeito aos eleitores que votariam no PS, CDU ou BE, verifica-se que António Vitorino (39,5%), mesmo recolhendo a maior parte das intenções de voto, deixa fugir parte do apoio para Maria de Belém (25,7%), uma figura que aparece como mais consensual entre o eleitorado de esquerda. Neste eleitorado, também Carvalho da Silva (20%) consegue ultrapassar António José Seguro (8,8%).

* ... "Perdoai as nossas ofensas, assim como nós não perdoamos a quem nos tem vigarizado e livrai-nos dos maus, todos, amen."

.