domingo, 1 de março de 2015

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.


.
.


O QUE NÓS 

"MAPEAMOS"




NOVA TECNOLOGIA PARA
MAPEAR CÉREBRO DOS BÉBÉS



* Uma produção "EURONEWS"

.
.





6-PINTINHAS
 

.

DEMOCRATICAMENTE















.
.
  
ARTE DA
 PROTUBERÂNCIA


enviado por J. COUTO


 .
.





5-PINTINHAS
 


.
.

 SÓ  QUERIA AJUDAR...





.
.





4-PINTINHAS

 


.
Laura Boushnak


Para essas mulheres,

ler

é um ato de ousadia

Em algumas partes do mundo, metade das mulheres não é capaz de coisas básicas, como ler e escrever. As razões são diversas, mas, em muitos casos, a alfabetização não é incentivada pelos pais, maridos e até pelas mães. A fotógrafa e bolsista TED Laura Boushnak viajou para países como Yemen, Egito e Tunísia para dar visibilidade a mulheres corajosas: jovens estudantes, ativistas políticas, mães de 60 anos de idade, que vão de encontro às estatísticas.
.
.





3-PINTINHAS
 


.

ALFREDO BARROSO

.




Por que razão decidi
desfiliar-me do PS

António nunca devia ter dado este passo por uma questão de coerência e dignidade, e por respeito pelas centenas de milhares de desempregados e pelos milhões de portugueses no limiar da pobreza

1. António Costa, secretário-geral do PS, tem acumulado nas últimas semanas declarações que, a meu ver, põem em causa a credibilidade do PS como principal partido de oposição. 

O secretário-geral do PS – confesso que, hoje, tenho muita dificuldade em escrever por extenso Partido Socialista – já declarou, nomeadamente, que considera o «incontornável» advogado de negócios António Vitorino um excelente candidato a PR. Este ainda não disse que não, mas, entretanto, já aceitou ser presidente da assembleia geral da «chinesíssima» EDP (mais um «tacho» na privada) e, portanto, membro do respectivo conselho geral, presidido pelo «incontornável» Eduardo Catroga. 
Eu diria – para que a imagem do actual PS ficasse completa – que agora só faltaria António Costa apoiar a candidatura do «incontornável» Jorge Coelho ao cargo de futuro primeiro-ministro. 

2. Todavia, o passo fatal que António Costa nunca devia ter dado foi admitir que o país está hoje numa situação «bastante diferente daquela em que estava há quatro anos» – ou seja, para melhor, porque, apesar da sua ambiguidade aparente, a declaração não admite outra interpretação. 

E digo que António nunca devia ter dado este passo por uma questão de coerência e dignidade, e por respeito pelas centenas de milhares de desempregados e pelos milhões de portugueses no limiar da pobreza, vítimas da brutal política de austeridade levada a cabo, com crueldade e insensibilidade, pelo governo de direita ultraliberal de Passos Coelho e Paulo Portas, com a conivência de Cavaco Silva. 

3. A afirmação do actual secretário-geral do PS (o anterior, António José Seguro, deve estar a rir de mim a bandeiras despregadas) foi proferida há poucos dias, em 19 de Fevereiro, no Casino da Póvoa, perante uma plateia de chineses radicados em Portugal, a pretexto da celebração do Ano Novo Chinês – o Ano da Cabra, caramba! 

Depois de elogiar «a relação e forma extraordinária como a comunidade chinesa se tem integrado» no nosso país, o actual presidente da Câmara Municipal de Lisboa reconheceu o «apoio» que «os chineses e os investidores chineses» deram nestes últimos anos a Portugal. 

Palavra de António Costa: «Como nós dizemos em Portugal, os amigos são para as ocasiões. E numa ocasião difícil para o país, em que muitos não acreditaram que o país tinha condições para enfrentar e vencer a crise, a verdade é que os chineses, os investidores chineses, disseram ‘presente’, vieram e deram um grande contributo para que Portugal pudesse estar hoje na situação em que está, bastante diferente daquela em que estava há quatro anos atrás». E agradeceu à China «todo o apoio que nos deu». Prestou assim desnecessária e humilhante vassalagem à cruel ditadura comunista e ultraliberal que continua a imperar na República Popular da China. 

4. Este autêntico tiro de canhão no coração do PS foi imediatamente aproveitado pela direita portuguesa, por via de um dos políticos mais reaccionários do CDS-PP, o eurodeputado não-cónego Nuno Melo, que se apressou a reclamar que António Costa «agradecesse da mesma forma aos portugueses que o tornaram possível». Uma humilhação e uma vergonha para todos os socialistas (pelo menos os que o são mesmo!), através de um vídeo que, ao que parece, se tornou viral, graças a um dos mais populares blogues da direita portuguesa, o «Blasfémias», que intitulou o vídeo «Portugal está diferente». 

5. Sou um dos fundadores do PS – em 1973 – e, neste momento, o militante número 15 do partido (com as quotas em dia). Mas já chega! Nunca me passou pela cabeça que um secretário-geral do PS se atrevesse a prestar vassalagem à ditadura comunista e ultraliberal da República Popular da China, e se atrevesse a declarar, sem o menor respeito – repito – por centenas de milhares de desempregados e cerca de dois milhões de portugueses no limiar da pobreza, que Portugal está hoje melhor do que há quatro anos. 

Mas, para além da inqualificável «chinesice» do actual secretário-geral do PS, não é difícil encontrar fundamentos ideológicos e políticos da minha atitude no livro que publiquei em 2012, sobre «A Crise da Esquerda Europeia», assim como nas conferências que fui fazendo e nos ensaios que fui publicando, regra geral no «i». 

Por isso, enviarei à direcção do PS, ainda esta semana, uma carta muito simples, sem considerandos e/ou justificações, solicitando, pura e simplesmente, a minha desfiliação do partido. Tenho 70 anos e quero acabar a minha vida com alguma dignidade e coerência. O que não é manifestamente possível continuando a militar neste PS. 

Não, não vou aderir a qualquer outro partido! Mas vou votar, muito provavelmente, no Bloco de Esquerda, tentando contrariar o oportunismo daqueles que se tornaram dissidentes do BE e se aproximaram do PS de António Costa, porventura à espera de um «lugarzinho» na mesa do orçamento, ou seja, na distribuição de cargos num futuro governo. 

Não duvido das miseráveis campanhas que a «ralé» que tomou conta do «aparelho» do PS é capaz de desenvolver contra mim. Mas eu sou dos que passaram pela política – na Administração Pública, no Governo e na Presidência da República - sem qualquer propósito de se governarem. E é certo que não me governei. Ainda bem. Orgulho-me disso!

Cronista, jornalista, ex-deputado e ex-secretário de Estado português

IN "i"
27/02/15


.



438.UNIÃO


EUROPEIA



.





2-PINTINHAS
 
 



.
.
 OS RISCOS ASSOCIADOS
 À INTELIGÊNCIA ARTTIFICIAL



* Uma produção "EURONEWS"


.
.
.
6-HISTÓRIA
ESSENCIAL
DE PORTUGAL
VOLUME IV



O professor José Hermano Saraiva, foi toda a vida uma personalidade polémica. Ministro de Salazar, hostilizado a seguir ao 25 de Abril, viu as portas da televisão pública abrirem-se para "contar" à sua maneira a "HISTÓRIA DE PORTUGAL", a 3ª República acolhia o filho pródigo. Os críticos censuraram-no por falta de rigor, o povo, que maioritariamente não percebia patavina da história do seu país, encantou-se na sua narrativa, um sucesso. Recuperamos uma excelente produção da RTP.

 
 
FONTE: SÉRGIO MOTA     


* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores. 


 .
.



1-PINTINHAS
 

.
.
(Luciano Pavarotti

La Donna È Mobile

Rigoletto-Ópera de Giuseppe Verdi

.
.
ESTA SEMANA NO
"EXPRESSO"

Morreu Amadeu Ferreira,
 amante da língua mirandesa

Amadeu Ferreira foi um dos maiores divulgadores da língua mirandesa. Morreu hoje aos 64 anos. Era também, poeta e escritor e editou em duas línguas : mirandês e português. Jurista era vice presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários

Natural de Sendim, concelho de Miranda do Douro, Amadeu Ferreira, morreu de doença prolongada. Lutador por natureza foi sempre um homem de convicções e princípios. Na doença lutou até ao fim, sempre com a energia que o caracterizava. Uma energia positiva. Escreveu vários livros e chegou a traduziu varias obras para mirandês, como Os Lusíadas, de Luis de Vaz de Camões, Mensagem de Fernando Pessoa, entre outras obras, como dois volumes de Astérix. 
 .

Era presidente da Associaçon de la Lhéngua i Cultura Mirandesa, presidente da Academia de Letras de Trás - Os -Montes, vice presidente da CMVM e professor convidado da Faculdade de Direito da universidade Nova de Lisboa. Desde 2004 comendador da Ordem De Mérito da Republica Portuguesa. A sua biografia, Belheç/Velhice, tem lançamento agendado para dia 5 de março, na Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa. A mesma contou com vários testemunhos de pessoas com quem ao longo da sua carreira conviveu. Cumprindo a sua vontade não haverá cerimónias fúnebres. Serão, contudo, realizadas duas homenagens em sua memória: uma na terça-feira na Casa de Trás-os-Montes, a partir do meio da tarde e outra na quarta -feira à tard , na Casa de Sendim, onde os quem quiser, em particular os amigos poderão prestar lhe homenagem. 

 O Conselho de Administração da CMVM em comunicado sublinha o "empenho, competência, companheirismo e dedicação à CMVM", referindo ainda que o desaparecimento de Amadeu Ferreira "representa uma grande perda pessoal e institucional". A CMVM apresenta também os sentimentos à família "de profundo pesar e de sinceras condolências". 

O presidente da CMVM, Carlos Tavares, escreve uma mensagem pessoal expressando "nesta hora tão difícil, todo o meu respeito e a minha admiração pela pessoa e pela obra do Dr. Amadeu Ferreira e recordar aquilo que sobre ele escrevi no livro biográfico "O Fio das Lembranças", que será publicado no dia 5 de março: 

 "A vida do Amadeu, quase já se confunde com a da CMVM que ele abraçou desde o seu nascimento há 23 anos. Nela, ele foi quase tudo, desde técnico, director, membro do Conselho Directivo e vice-presidente. Sem esquecer o seu papel na Associação dos Empregados da CMVM onde chegou a ser o condutor do seu grupo musical. Por tudo isto, tenho de agradecer ao Amadeu Ferreira em nome da CMVM, o contributo essencial para a tornar na instituição respeitada que é". 

* Um homem honrado e notável.

.
.

 ANIMAIS


.
.

ESTA SEMANA NA
"EXAME INFORMÁTICA"

Tribunal manda barrar acesso ao
 Pirate Bay em Portugal

Para os aficionados do Pirate Bay, chegou a hora de dizer adeus: na sequência de uma providência cautelar interposta pelas associações Audiogest e GEDIPE, o Tribunal da Propriedade Intelectual (TPI) determinou que a Cabovisão, a Meo, a Nos e a Vodafone deverão passar a impedir os internautas portugueses de acederem ao endereço thepiratebay.se e também a outros 29 domínios sucedâneos do mais famoso site de partilha de cópias piratas de filmes, vídeos, software e música. Caso não cumpram a sentença num prazo de 30 dias, os operadores de telecomunicações incorrem numa sanção pecuniária de 2500 euros por cada dia em que o barramento não seja aplicado. Tendo em conta que a sentença foi proferida a 25 de fevereiro, tudo leva a crer que o dia 27 de março será o último dia de Pirate Bay em Portugal.

Os operadores de telecomunicações ainda poderão recorrer da sentença, mas essa hipótese não chega para turvar o ânimo dos representantes da indústria que interpuseram a providência cautelar: «Pela primeira vez, houve uma decisão de um tribunal dirigida aos operadores. Já tinha havido decisões de barrar sites que transmitiam jogos de futebol detidos pela Sport TV, mas essa sentença foi aplicada contra desconhecidos e não contra os operadores. No caso do Pirate Bay, o juiz decidiu responsabilizar os operadores, que passam a incorrer numa pena pecuniária», comenta Paulo Santos, diretor da Associação para a Gestão de Direitos de Autor, Produtores e Editores (GEDIPE).

Na sentença do TPI é possível confirmar que os operadores de telecomunicações opuseram-se, desde o início, ao barramento do site que é usado por mais de 63 mil portugueses que descarregam, anualmente, cerca de 10 milhões de cópias de ficheiros (a larga maioria delas sem autorização). 

Oposição dos operadores
Durante as audiências, os quatro operadores questionaram se a GEDIPE e a Associação para a Gestão e Distribuição de Direitos (Audiogest) seriam os legítimos representantes dos autores e produtores e alegaram mesmo a falta de eficácia dos mecanismos de barramento que, «além dos sites visados, afetam e prejudicam terceiros e o tráfego normal da Internet e implicam grandes custos».

Os argumentos dos operadores não terão sido suficientes para se sobrepor aos testemunhos de peritos da indústria e a uma lista de cópias ilegais, que continha músicas de Tony Carreira, Muse, Pedro Abrunhosa, One Direction, e também os filmes  “12 anos escravo”, “007: Skyfall” e “Gravidade”.
Paulo Santos admite que o eventual barramento do Pirate Bay não acaba com os acessos a todos os sites piratas em Portugal. Até porque os sites piratas costumam contornar os filtros aplicados pelos operadores com ligeiras mudanças de endereço ou o uso de sinónimos e termos relacionados que facilitam as pesquisas dos aficionados por pirataria.

O responsável da GEDIPE diz que a solução terá de passar pela autorregulação: «Os operadores de telecomunicações não são nossos inimigos. E se combaterem os sites piratas estarão também a defender os seus negócios no que toca à distribuição de conteúdos. Chegou o momento de sentarmo-nos à mesma mesa e negociar formas de barramento que não exijam o recurso ao tribunal. Se os operadores não quiserem enveredar por essa solução, teremos de avançar, nos tempos mais próximos, com providências cautelares para barrar várias dezenas de sites que promovem a partilha de conteúdos piratas».

Domínios que vão ser barrados
Alguns dos domínios barrados são apenas derivações do endereço original, outros estão camuflados por endereços que não contêm referências ao Pirate Bay, mas que acabam por direcionar os internautas para o site da pirataria. Eis 30 domínios que terão de ser barrados por ordem do TPI: 
thepiratebay.org; 
www.thepiratebay.org; 
thepiratebay.com; 
thepiratebay.net; 
thepiratebay.se, 
piratebay.org; 
piratebay.net;  
www.thepiratebay.com;  
www.thepiratebay.net; 
www.thepiratebay.se; 
ikwilthepiratebay.org ; 
www.piratebay.org; 
www.piratebay.net; 
tpb.partipirate.org; 
pirateproxy.net; tpb.me; 
kuiken.co; 
dieroschtibay.org; 
bayproxy.org; 
tpb.cryptocloud.ca; 
proxie.co.uk; come.in; 
proxybay.net; 
tpb.ninja.so; 
proxy.rickmartensen.nl; 
malaysiabay.org; 
lanunbay.org: 
tpb.dbpotato.net; 
pirateproxy.se; 
pirateshore.org. 

* À atenção dos internautas.

.
.


 O QUE NÓS


  "FESTEJAMOS"!!!





O primeiro número da ONDA POP explica quase tudo, os primórdios, os conceitos, a paginação e artigos publicados demonstram o trabalho destes rapazolas nos idos de 60.

Ontem saíu o nº20 da edição impressa. Neste número o destaque vai para MARIA, uma portuguesa residente na África do Sul desde 1947 até à sua morte na década de oitenta, tinha uma belíssima voz.Veónica actriz e cantora é outro destaque, muito bonita e versátil Verónica morre prematuramente.
The Marmalade também são notícia mas o ponto alto desta ONDA POP, é a história do rock de 1955 a 1975, 1ª parte.Ana Maria Froes, nascida na Madeira completa a página. 

Muito bons motivos para ir já direitinho à ONDA POP, que, na actualidade é completamente elaborada pelo José Couto e João Pedro. Duarte Nuno e Luís Filipe façam alguma coisinha, renascer das cinzas é tarefa dura.

Neste blogue, na coluna da direita tem um link directo.
ABJEIAÇOS

.
.
ESTA SEMANA NO
"DINHEIRO VIVO"

Ecobook. 
Provavelmente, o último caderno 
que vai comprar na vida

Gastava demasiado papel a estudar matemática no 12.º ano e decidiu procurar uma solução para diminuir o desperdício. Com falta de opções no mercado, Pedro Lopes decidiu tratar ele do assunto.

A ideia deste negócio surgiu como surgem a maioria das ideias de negócio: por necessidade. Pedro Lopes, 18 anos, escrevia e apagava demasiadas vezes os cadernos de matemática, ao ponto de estes ficarem tão negros do carvão e manchados da borracha, que era difícil para o estudante conseguir perceber os próprios apontamentos.

À procura de uma alternativa que lhe permitisse escrever e apagar os exercícios tantas vezes quanto necessárias, começou a estudar num quadro branco, pendurado na parede do quarto de sua casa. A solução seria perfeita, não fosse a impossibilidade de levar o quadro para a aula para tirar as dúvidas com a professora. "Estudar assim era eficaz para mim mas muito cansativo porque tinha que estudar em pé. Além disso, era impossível levar os exercícios para que a professora os corrigisse na aula. Não podia levar o quadro. Comecei a trabalhar numa solução que pudesse transformar aquele quadro branco em algo portátil", conta ao Dinheiro Vivo o estudante do 1.o ano de Engenharia Eletrotécnica, na FEUP.

Ainda no 12.º ano, começou, em casa, a pensar e a pôr em prática o protótipo do primeiro Ecobook. E foi com esse primeiro caderno que construiu que procurou uma fábrica onde pudesse aperfeiçoar o produto e começar a produzi-lo para vender. Pedro transformou o quadro branco num caderno com a mesma função mas que pode levar-se para qualquer lugar.

"A ideia não era criar mas comprar algo assim. Só que, como não encontrei, com a ajuda do meu pai, que é vendedor, atirei-me de cabeça. Criámos uma campanha de crowdfunding que deu o impulso inicial. E conseguimos.", recorda.

Na campanha pedia 1250 euros, conseguiu 2300 para a primeira encomenda de Ecobook, fabricados em Viseu. "Produzimos os primeiros 150 cadernos, criámos a empresa e começámos a trabalhar em novos modelos."

A coleção de Ecobooks já conta com cadernos de dois tamanhos diferentes (A4 lisao e pautado e A5 liso) e uma edição especial dedicada ao Dia dos Namorados (enfeitada com corações vermelhos), mas, Pedro quer inovar nos formatos. São escritos a caneta e podem apagar-se as vezes que se quiser. Provavelmente, sempre que quiser. Para sempre.

B.I.
° Pedro Lopes criou o protótipo do Ecobook em casa. Foi com esse primeiro caderno que procurou uma fábrica para começar a produzir. ° De acordo com contas do ecobook.pt, o projeto já permitiu poupar quase 47 mil folhas de papel e quatro árvores. ° Os cadernos estão à venda online. Custam a partir de 6,99euro (caderno + caneta Staedtler).

* Sem palavras.

.
.
ACIDENTE ACROBÁTICO



.
.

ESTA SEMANA NA
"SÁBADO"

Anulações de subsídios de 
desemprego deverão disparar

O número de anulações de subsídios de desemprego deverá aumentar "significativamente" este ano, invertendo a tendência que se verificou nos últimos três anos, prevê a Comissão de Recursos do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP). Isto porque o controlo das situações de incumprimento das obrigações passou a ser feito de forma automática e centralizada, deixando de estar exclusivamente dependente da iniciativa e do ritmo de cada centro de emprego.
 .
"No ano que agora se inicia, estando a funcionar em pleno o sistema de notificações centralizadas e automáticas" é "previsível um aumento significativo das anulações de desempregados subsidiados", refere o Relatório de Actividades de 2014 da Comissão de Recursos, a entidade responsável pela apreciação das queixas de quem considera que o subsídio foi retirado sem fundamento legal.

A iniciativa chegou a ser anunciada há cerca de um ano no Parlamento, pelo secretário de Estado do Emprego, Octávio Oliveira, que revelou que a alteração foi discutida com a troika, noutros termos. Mas só em Dezembro foi implementada, de acordo com o relatório da Comissão de Recursos.

"Os serviços do IEFP iniciaram um processo de automatização e centralização das notificações dos utentes incumpridores, mais célere e eficaz", que "só ficou operacional no final do ano", revela o relatório.

Antes da operacionalização deste novo procedimento, o número de anulações de subsídio caiu 50% em três anos (para 5,5 mil anulações no ano passado), o que pode estar relacionado com o facto de o IEFP ter deixado de fazer a primeira convocatória em carta registada (dificultando a prova da sua recepção).

"Parece claro que a forma de proceder às convocatórias, datada de meados de 2012, que passou a ser em correio não registado e determinando a necessidade de uma segunda convocatória, registada, para se procedeer à anulação da inscrição para emprego, veio influenciar os resultados, justificando esta descida significativa", lê-se no relatório. "Esta evidência não exclui que haja, da parte dos utentes, um maior índice de cumprimento das obrigações", acrescenta a entidade liderada por Cristina Rodrigues.

Nessa audição no Parlamento, há cerca de um ano, Octávio Oliveira, que também já foi presidente do Instituto de Emprego e Formação Profissional, explicou que as restrições ao envio de cartas em correio registado foram motivadas pela necessidade de conter custos.
 .
Foram 5.548 os desempregados que no ano passado viram o seu subsídio ser retirado por alegado incumprimento das obrigações previstas na lei. A falta de comparência a uma convocatória do centro de emprego e o incumprimento do dever de apresentação quinzenal continuam a ser os motivos mais frequentes, justificando 83% dos casos.

O número de pessoas que perdeu o subsídio por recusa ou desistência de trabalho socialmente necessário aumentou 28% ao longo do último ano, contrariando a tendência global, e tornou-se a terceira causa de anulação dos subsídios.

Este número representa quebra homóloga de 17% no número de anulações de subsídio, na sequência de outras quebras mais significativas. É praticamente metade do que foi registado em 2011, altura em que tinham sido anulados quase 11 mil subsídios.

Cerca de 10% dos desempregados que viram o subsídio cortado no ano passado recorreram para a condição de recursos, argumentando que a decisão não tinha fundamento legal.

E mais de um terço (37%) destas 553 pessoas que reclamaram conseguiram inverter a decisão. Esta taxa de 37% é mais alta que a do ano passado (32%) o que significa que apesar de terem sido registadas menos anulações e menos reclamações a Comissão deu razão a uma maior percentagem de desempregados. 

* Anulações de subsídio por incumprimento de quem o recebe não se discute. Discutível  é a confrontação brutal de pessoas que após o escasso período de "subsidiado" aterra num deserto de alternativas.

.
.

2-GOTAS DE ÁGUA














.
.


ESTA SEMANA NA
"VISÃO"

Ciência por detrás da discussão das cores

A Internet divide-se diariamente a propósito dos mais variados (não) temas. Mas a discussão sobre a cor de um vestido chegou a um patamar pouco vulgar, com estrelas como Tailor Swift, Kim Kardashian ou Justin Bieber a comentarem a polémica. Ellen Degeneres sugere mesmo que, a partir de agora, o mundo vai ficar dividido entre as pessoas que vêem azul e preto e as que vêem branco e dourado.
.
AS HIPÓTESES
Para o caso de ainda não ter tropeçado no dito vestido esta sexta-feira, fica o resumo: Alguém publicou uma foto na plataforma de blogues Tumblr de um vestido, com o pedido de ajuda para resolver um impasse familiar: a peça é branca e dourada ou azul e preta? A Internet não se fez rogada e o tema é de tal forma viral esta sexta-feira, que uma pesquisa simplesmente por "vestido" no Google resulta numa lista de resultados encabeçada por notícias sobre a discussão.

Opiniões à parte, diz a ciência que a retina contém células denominadas foto-recetores. Estes convertem os raios de luz em sinais nervosos, que são depois processados pelas células nervosas no interior da retina, enviados ao cérebro e traduzidos como imagens.

Há dois tipos de foto-recetores: os bastonetes e os cones. Os primeiros são responsáveis pela visão periférica e noturna. Detetam a luminosidade e as sombras. Os cones são responsáveis pela visão diurna e perceção das cores. Escusado será dizer que os humanos têm uma maior concentração de cones do que de bastonetes. Dentro dos cones, há três tipos: um deteta comprimentos de onda de luz verde, outro vermelha e outro azul. Quando a luz atinge os nossos olhos, os recetores transformam estas cores em sinais elétricos enviados ao cérebro.
 .
O ORIGINAL
Ao vivo e (literalmente) a cores, o vestido é, claramente, preto e azul (e a marca já garantiu isso mesmo). Mas a luz na imagem está a baralhar os cérebros, fazendo com que a parte azul parece branca e a preta dourada.

Cedar Riener, professor numa escola de arte norte-americana, explicou ao BuzzFeed News que as diferenças na perceção da cor estão relacionadas com a forma como o nosso cérebro interpreta a quantidade de luz que atinge a nossa retina.

O Business Insider recorre à explicação do oftalmologista Andy Rexford, que concluiu que quem vê azul e preto signfica tem os seus cones da retina a funcionar melhor; Se, pelo contrário, vê branco e dourado, isso quer dizer que os olhos não reagem bem à luz fraca.

* Estamos sempre a aprender.

.
.

Massa com Atum Gratinada


De: Saborintenso
.
.
 ESTA SEMANA NO
"SOL"

Escola reduziu Chumbos de 40% para 3%

Nesta escola de Cascais a única diferença não é haver pontualmente dois professores na sala de aula. 
Aqui tudo é inovador: não há campainhas a indicar que está na hora de ir para a aula, as faltas e atrasos têm de ser justificados com um telefonema para os pais e são os alunos que preenchem as presenças e cuidam do livro de ponto. 
O treino para a autonomia começa cedo, no 1.º Ciclo, onde os alunos é que marcam o almoço junto dos funcionários.

Avaliação conteúdo a conteúdo
O projecto educativo foi repensado em 2003, quando o director Adelino Calado chegou à escola e se deparou com uma taxa de retenção de 40% e com cerca de 40 a 50 processos disciplinares por ano, 92% envolvendo alunos repetentes.
«Não acreditamos que a retenção seja a melhor solução para ensinar os alunos», explica ao SOL Adelino Calado, convicto de que transitar de ano é que pode ser visto pelos alunos como um «castigo», pois acarreta mais trabalho para acompanhar a turma. Depois de várias experiências de uma grande aposta na formação e trabalho dos professores, a taxa de retenção é agora de 3%.
 .

Mas a chave do sucesso está na avaliação conteúdo a conteúdo, considera o director deste agrupamento com mais de 2.600 alunos. Quando o professor termina uma matéria, verifica se os alunos assimilaram os conhecimentos. Pode fazê-lo através de um teste, trabalho, ou perguntas na aula.

«O objectivo da avaliação conteúdo a conteúdo é perceber se o aluno aprendeu aquela parte da matéria. Se não o fez, decide-se como actuar, por exemplo através de apoios personalizados», explica o director. Em cada turma de 30 alunos, cinco ou seis têm aulas de apoio, o que implica trabalhar pelo menos mais duas horas por semana. Depois, uma vez por trimestre há uma avaliação comum aos alunos do mesmo ano e disciplina para preparar a avaliação externa: o exame nacional.

Neste agrupamento, há ainda turmas especiais, onde se juntam alunos com dificuldades comuns. É o caso dos 16 alunos com dificuldades que não ficaram retidos no ano passado no 4º. ano e que integram agora um grupo especial do 5.º, onde vários professores podem partilhar a sala de aula. Se for necessário, podem até ser criados percursos curriculares alternativos, como prevê a lei e como acontece com duas turmas do 9.º ano. O director lança a questão: «Será que temos todos de aprender tudo ao mesmo tempo?».

A intervenção é precoce e ao mínimo sinal de dificuldade, explica o mentor do projecto, dando mais um exemplo: «Detectámos que os alunos do 5.º ano não sabiam fazer bem cambalhotas. Levámos os professores da sede de agrupamento às escolas do 1.º Ciclo para os formar».

Adelino Calado sublinha que a sua escola nem tem contrato de autonomia e que todas as alterações que constam no projecto educativo são enquadradas na lei.

* Que tal inscrever Nuno Crato como aluno, de certeza  que aprendia.


.


INTERNET
Formas mais comuns de ter dados pessoais roubados

Invasão 
Como acontece: 
1. Você baixa um arquivo em seu computador/celular/tablet ou acessa um site que tenha escondido o chamado Cavalo de Tróia. 
2. O Cavalo de Tróia se instala no equipamento, abrindo uma porta para que um hacker possa acessar seus dados. 
3.Daí em diante, sempre que seu aparelho estiver ligar e conectado a internet, seus dados (arquivos pessoais e até senhas) poderão ser acessados.

 Como evitar
1. Instalando sistemas de proteção. 
2. Se você tiver antivírus, o "Cavalo de Tróia" não conseguirá se instalar porque será barrado.
3.Se você já tiver um "Cavalo de Tróia" antes de ter o antivírus, assim que instalar o programa de segurança ele irá alertá-lo e apagar o programa, fechando a porta para o hacker.
4. Se você não tiver antivírus, mas tiver um software de proteção que criptografe os dados, seus arquivos só poderão ser acessados com senha. Nesse caso, mesmo que o hacker entre em seu computador, ele não conseguirá visualizar o conteúdo sem ter a senha. Manutenção de equipamentos
 .
Manutenção de Equipamentos
Se seu computador for para a manutenção e seus arquivos estiverem salvos sem nenhum sistema de segurança qualquer pessoa poderá copiá-los. 

Como evitar: 
1.O ideal, segundo especialistas, é fazer back up de arquivos em DVD ou pen drive e apagar qualquer arquivo da memória do computador. 
2.Mesmo que você apague os arquivos, eles continuam no HD e podem ser acessados por especialistas. Nesse caso, o ideal é utilizar programas de segurança que criptografam os dados e, dessa forma, só é possível acessar com senha.

Cuidados para escolher a senha 
Datas óbvias como aniversário devem ser evitadas; 
Para uma senha chamada "forte", o ideal é utilizar caracteres (como @, %, $), letras maiúsculas e minúsculas e números; 
É recomendado também trocar a senha periodicamente. Especialistas apontam que o mais seguro seria troca a senha uma vez por mês.

.

ESTE COMPRIMIDO AZUL 
FAZ MILAGRES

.
.

 PESCADOR ENGENHOSO


.