sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.


.




 O QUE NÓS


  "VIOLENTAMOS"!

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA


.
.

CASAL METRALHA


















.
.

3- O FIM DO JOGO


Como menos de 1% da população mundial escraviza o resto do mundo


* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores. 

.
.
  HOJE NO 
  "JORNAL DE NOTÍCIAS"   

Palácio do Bolhão reabre 
no Dia Mundial do Teatro

O Palácio do Conde do Bolhão, no Porto, vai reabrir após oito anos de obras no Dia Mundial do Teatro, em março, confirmaram, esta sexta-feira, os responsáveis da Academia Contemporânea do Espetáculo (ACE)/Teatro do Bolhão, entidade que dinamizará o espaço

Ultrapassada uma empreitada "espinhosa" e "muitas vicissitudes", como descreveu à Lusa o diretor da ACE/Teatro do Bolhão, António Capelo, esta companhia e escola serão as responsáveis por "devolver" o Palácio do Conde do Bolhão à comunidade do Porto. 

A abertura do espaço, que inclui um auditório construído nas traseiras do edifício principal, está marcada simbolicamente para 27 de março, data em que se comemora o Dia Mundial do Teatro.

 A ACE/Teatro do Bolhão pretende assinalar a passagem para estas instalações situadas mesmo no "coração" da cidade do Porto, na Rua da Formosa, com a reposição da peça "Édipo". 
 .

 "Queremos abrir o espaço à cidade e fazer dele um espaço de usufruto de toda a comunidade da cidade do Porto e seus visitantes", prometeu António Capelo. 

 O Palácio do Conde do Bolhão foi adquirido pela câmara do Porto mas cedido, em regime de comodato, por um período de 50 anos à ACE/Teatro do Bolhão, que se responsabilizou pelas obras de restauro e adaptação, cujo custo ronda os 2,5 milhões de euros. 

De acordo com António Capelo, a obra contou com apoios "oficiais", destacando-se a autarquia do Porto, o Ministério da Educação, o extinto Ministério da Cultura, mas também "pessoas anónimas" que aderiram a uma campanha feita nas redes sociais. 

A iniciativa de angariação de fundos visava a reabilitação das salas, bem como o restauro da escadaria, estando previsto que os nomes dos mecenas e patronos fiquem inscritos nos degraus. 


 A passagem da ACE, que atualmente ocupa instalações da Universidade do Porto (UP) na Praça Coronel Pacheco, para o Palácio do Conde do Bolhão será "faseada", indicou António Capelo, lembrando não ser viável fazer a transferência total a meio de um ano letivo. 
Para já, manter-se-á na Coronel Pacheco sobretudo o curso de cenografia para aproveitar as oficinas e os espaços exteriores. 


 Quanto ao palácio, espaço classificado como Monumento de Interesse Público, este foi a residência de António Alves de Sousa Guimarães, barão e, posteriormente, conde do Bolhão, um local procurado para a realização de bailes e festas entre a burguesia do século XIX.

* Poderá ser uma festa continuada para a  cultura portuguesa.

.
.


TERRA 2100


2-A TERRA EM 100 ANOS 

E O SIMULADOR TERRESTRE




.
.
 HOJE NO 
"JORNAL DE NEGÓCIOS"   

UTAO: 
Dívida pública entre 127,9% e 128,7%, 
acima da meta do Governo

A dívida pública portuguesa deverá ter superado as previsões do Governo para 2014, situando-se entre os 127,9% e os 128,7% do PIB, segundo as contas da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO).
 .
De acordo com uma nota da UTAO, a que a Lusa teve hoje acesso, a dívida pública na óptica de Maastricht, a que conta para Bruxelas, "ascendeu a 224,5 mil milhões de euros no final de 2014, um valor que em termos nominais ficou acima do previsto" e que, a confirmar-se, "representa um aumento de 5,3 mil milhões de euros em termos nominais face ao final de 2013".

Em percentagem do Produto Interno Bruto (PIB), a estimativa da UTAO aponta para que o rácio da dívida pública se situe num valor "entre 127,9% e 128,7% do PIB [Produto Interno Bruto]", acima da última previsão oficial, incluída no Orçamento do Estado para 2015, que apontava para os 127,2%.
 .
"Para este diferencial concorre não apenas o desvio verificado ao nível da dívida em termos nominais, mas também a eventualidade de vir a ser apurado um PIB nominal inferior ao previsto", apontam ainda os técnicos que apoiam o parlamento, acrescentando que a previsão de crescimento económico do Governo (de 1%) era ligeiramente superior à divulgada hoje pelo INE - Instituto Nacional de Estatística (de 0,9%).

A UTAO refere também que, considerando o aumento de dívida pública acima do previsto, "para que a previsão do Ministério das Finanças ainda se pudesse concretizar (...) seria necessário um aumento do PIB nominal face a 2013 superior a 3%, cenário que não é entendido como provável".

Comparando com a estimativa mais recente do executivo, de 127,2%, a previsão da UTAO para o valor da dívida pública portuguesa "representa um diferencial de 1,2 mil milhões de euros".

Os técnicos independentes referem que "para este desvio terá contribuído a menor utilização de depósitos em amortização de dívida e um efeito cambial desfavorável que deu origem a um aumento do 'stock' da dívida quando avaliada em euros".
A UTAO salienta ainda que, a confirmar-se a sua projecção, a dívida pública aumentou entre 2013 e 2014, não entrando numa trajectória de queda, como previa o Governo.

"A confirmarem-se as projecções da Comissão Europeia, de 128,9%, e o valor central da projecção da UTAO, de 128,3%, a dívida pública em percentagem do PIB terá aumentado em 2014, ainda que muito ligeiramente", afirmam os especialistas.
Em relação à dívida líquida de depósitos da administração central, a UTAO estima que tenha aumentado para os 207 mil milhões de euros, "mais 5,7 mil milhões de euros do que o registado no final de 2013".

O Governo previa que a dívida pública se situasse nos 127,2% do PIB em 2014, uma estimativa mais optimista do que as dos credores internacionais: o Fundo Monetário Internacional (FMI) estima que o rácio da dívida seja de 127,8% e a Comissão Europeia aponta para os 128,9%.

* Nós, pensionistas deste blogue, sempre nos reconhecemos obviamente incompetentes para governar o país, mas somos sérios, não percebemos como  pessoas tão obviamente incompetentes como nós,  assumem o  compromisso de apadrinhar a corrupção e afundar o país.

.
.

 A vibração de Beethoven no

despertar de crianças surdas



.
.
HOJE NO 
"DESTAK"


Idanha-a-Nova vai ser palco de
 congresso sobre as ciências do oculto 

 Numerologia, cultos e ritos, quirologia e plantas medicinais vão estar em destaque, de dia 20 a dia 22 de março, em Penha Garcia, no concelho de Idanha-a-Nova, num congresso sobre as ciências do oculto.


 "Esta iniciativa esteve a ser preparada durante bastante tempo [dois anos], porque pretendemos que tenha uma perspetiva de qualidade e que não seja desvirtuado do que é essencial e importante", disse hoje o presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, durante a apresentação do congresso. 

O I Congresso das Ciências do Oculto, Crenças e Superstições vai juntar durante três dias em Penha Garcia, no concelho de Idanha-a-Nova, vários especialistas e investigadores sobre a temática das ciências ocultas. 

* Solicitamos aos especialistas e investigadores do oculto o favor de "ocultarem" este governo para todo o sempre.
Se for a Penha Garcia arranje tempo para percorrer a "Rota dos Fósseis" é espectacular.


.

PEDRO MARQUES LOPES

.



O desemprego, 
o FMI e a Grécia

O Governo português congratulou-se com os números do desemprego de 2014. A taxa média anual ficou nos 13,9%. Segundo os responsáveis governamentais nota-se que há uma recuperação, um sinal de que estamos no caminho certo.

Nessa mesma semana, o FMI publicou um relatório em que afirma que, se contarmos com os desencorajados (pessoas que desistiram de procurar emprego, mas que estão disponíveis para trabalhar) e os que trabalham a tempo parcial (pessoas que trabalham a meio tempo porque não conseguem arranjar trabalho a tempo inteiro), a taxa passa, aproximadamente, para os 20,5%. Lembra ainda que essa mesma taxa, em 2008, era de 9,5%. Mais, salienta que se não fosse a emigração em massa, sobretudo desde 2011, estaríamos a falar de outros números. Eu ajudo: de 2011 a 2013 saíram de Portugal cerca de 350.000 portugueses. Como é fácil de perceber, estes nossos compatriotas são gente na força da vida, cerca de 8% da população ativa.

Parece, aliás, que os dados da emigração não preocupam ninguém no Governo, que é natural as pessoas fugirem da sua "zona de conforto".

Façamos, por uma vez sem exemplo, um esforço para não nos lembrarmos desses escorraçados - e um, ainda maior, para não perder a cabeça com os responsáveis governamentais por não nos falarem claramente destes factos. Ora, não contando com eles, usando as projeções de crescimento económico do Governo e do FMI, em 2019 conseguiremos atingir uns extraordinários 18% de desemprego e subemprego reais. Ou, nas palavras do Governo, estamos no bom caminho. Claro está que esta triunfal caminhada terá mais alguns problemas. Prevê-se uma emigração ainda maior e um aumento do desemprego de longa duração causado, entre outros aspetos, por o normal desajustamento dos trabalhadores às novas exigências do mercado de trabalho.

Não é necessário tentar explicar o que significa termos uma comunidade em que o melhor horizonte que tem para os seus cidadãos é de ter daqui a cinco anos um desemprego e subemprego real de cerca 18%, que viu, vê e verá centenas de milhar de pessoas a saírem do país e que vê a pobreza crescer dum modo brutal - uma em cada quatro crianças portuguesas é pobre, há dois milhões de portugueses pobres e em 5 anos há mais 800.000 portugueses pobres. Basta apenas dizer que uma comunidade sem esperança é uma comunidade à beira da morte.

Não estaria a ser justo se afirmasse que o cenário que temos perante nós se deve unicamente à ação deste Governo. Como também seria redutor dizer que todos os males por que passamos se devem às presentes políticas europeias. Nem não fizemos, como comunidade, o suficiente para estarmos a salvo dos terramotos que aconteceram, nem os erros europeus na resposta à crise explicam todas as nossas maleitas. Mas é absolutamente transparente que as respostas que os decisores europeus - que os nossos governantes tão fervorosamente abraçaram e continuam a defender com unhas e dentes - têm para os problemas que atravessamos estão absurdamente erradas. Apetece perguntar, como é possível alguém pensar que a única solução viável para os nossos problemas é gerar agora e no futuro uma multidão gigante de desempregados, emigrantes e pobres?

Não sei se a solução que o novo governo grego pretende para tentar resolver os seus problemas é a melhor. Sei que, qualquer que ela seja, tem de ser negociada e que tem de ir muito para lá da relação entre a Grécia e a Europa: o problema está longe de ser apenas grego, é da Europa como um todo, das soluções encontradas e dos vários desenhos institucionais. Mas há dois aspetos essenciais que os novos governantes gregos - de que, tenho a certeza, vou discordar muito no futuro - trouxeram e que eram e são essenciais: o declarar alto e em bom som que o caminho seguido vai destruir a sua comunidade - e o resto das europeias e a própria ideia da União Europeia, digo eu - e o de porem a discussão no único plano possível, o da política.

Ou seja, o que há para discutir não é se há perdão da dívida ou não, se o pagamento da dívida se deve subordinar ao crescimento económico ou não, se as obrigações perpétuas são viáveis ou não. A questão é: pode uma comunidade manter-se minimamente coesa com taxas de desemprego como as que Portugal ou a Grécia têm (se os dados oficiais portugueses dizem 13,9% e os reais estão estimados em mais de 20%, imagine-se os gregos que oficialmente têm 25% da população desempregada...) e com os níveis de pobreza conhecidos? É a democracia sustentável sem esperança num futuro melhor?

Varoufakis, o ministro das finanças grego, durante a sua estadia na Alemanha, resumiu bem o problema quando disse que ninguém como os alemães conhece melhor os problemas que uma economia severamente deprimida, um povo humilhado e a ausência de esperança pode provocar numa comunidade. É, de facto, isso que está em causa, na Grécia e em grande parte da Europa.
Política, apenas política.

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
08/02/15


.



422.UNIÃO


EUROPEIA



 .
.
HOJE NO 
"i"

Stalking
O lado negro da fama

Maria Botelho Moniz é perseguida e ameaçada há três anos. Entrou com um processo em tribunal mas o stalker ainda não foi identificado. "Sinto-me estupidamente conformada", conta ao i

O “Curto Circuito” vive muito dos comentários feitos pelos telespectadores em directo durante o programa da SIC Radical. As duplas de apresentadores já se habituaram a ignorar alguns dos conteúdos menos próprios que surgem nos ecrãs do estúdio, como ameaças, insultos ou propostas sexuais. Havia no entanto um comentador assíduo que chamou a atenção de Maria Botelho Moniz pelas mensagens repetitivas dirigidas só a ela. Inicialmente não passavam de insultos como, por exemplo, “és feia” ou “não tens talento”, mas depressa passaram a ameaças que se estenderam também à família: “Uma vez publiquei uma fotografia com a minha sobrinha e ele comentou a dizer que esta era a prova da pedofilia que eu praticava, aliado ao facto de apresentar um programa para público juvenil”, recorda.
.
As mensagens, conta, passaram a ser às dezenas. Maria sentiu-se cada vez mais insegura e decidiu contactar a polícia. Entrou com um processo no Ministério Público no final de 2012, mas até agora a investigação não teve qualquer avanço, apesar de estar constantemente a actualizar o dossiê com as novas investidas do perseguidor. A identidade do stalker ainda é desconhecida, mas Maria Botelho Moniz desconfia tratar-se de um homem pelo teor das mensagens.

Entre os vários estratagemas que arranjou para se aproximar da apresentadora, um deles foi certeiro. Criou um perfil falso no Facebook, de Conceição Lino, e adicionou vários amigos de Maria Botelho Moniz: “Uma deles caiu na esparrela e deu-lhe o meu número de telefone.” A partir daí acabou-se o sossego. “Chegou a ligar-me de três em três minutos durante duas horas seguidas.” De cada vez que atendia, silêncio absoluto: “E eu contei histórias, pus música, perguntava coisas, mas nunca me respondeu.”

Sem perceber o que se estava a passar, a única explicação que Maria obteve foi através de uma mensagem publicada nas redes sociais: o assédio acontecia simplesmente “por gozo pessoal”. Actualmente o contacto é mais esporádico e a apresentadora sente-se, nas suas palavras, “estupidamente conformada”, por achar que nunca vai acontecer nada ao homem que a persegue há três anos.

Nestes casos de stalking, as figuras mediáticas são alvos fáceis de perseguições, conta a psicóloga Tânia Paias: “Como parte das suas vidas é pública, o perseguidor começa a fantasiar possibilidades, acabando por acreditar que faz parte dessa realidade.” O stalking é igualmente comum entre ex-namorados, principalmente em situações em que um deles não concorda com o fim da relação.

“Está provado que os perseguidores têm uma química cerebral diferente”, explica a psicóloga. Dessa diferença faz parte a dificuldade em aceitar uma rejeição. “É frequente no fim de um relacionamento haver da parte de quem é rejeitado uma ou duas tentativas de reaproximação.” Mas será também normal o afastamento, após o desinteresse da outra parte. Os stalkers, contudo, são incapazes de aceitar a rejeição, conta Tânia Paias. Além do descontrolo dos comportamentos, costumam ter também em comum características como o pensamento ruminante – que leva a actos repetitivos – e uma elevada auto-estima: “Um dos argumentos comuns a quem persegue é achar que a pessoa está melhor na sua companhia.”
 .
Ana Sousa, 29 anos, não está no grupo dos famosos nem das ex-namoradas, mas isso não a impediu de viver uma perseguição durante vários meses: “Comecei a receber chamadas com teor sexual de madrugada. Depois passou a ligar-me a qualquer hora, podiam chegar às dezenas de chamadas por dia.” O perseguidor, que até hoje permanece desconhecido, dava a entender que estava observá-la em várias situações do dia-a-dia.

O culminar desta perseguição deu-se na manhã em que entrou no carro e encontrou uma flor, a mesma que, por brincadeira, tinha arrancado e deitado ao chão momentos antes. “Contactei a polícia, que me aconselhou a marcar um encontro, para que ele fosse apanhado em flagrante.” O perseguidor apercebeu-se do plano e não parou o carro no local combinado. Apesar de não ter servido para desmascarar o stalker, o episódio pôs fim a uma insistência que durou mais de dois meses.
Maria e Ana cometeram um dos erros mais comuns entre as vítimas. “Nunca se deve responder às tentativas de contacto. A ausência de resposta e o tempo tendem a apaziguar sentimentos”, explica Tânia Paias, acrescentando que, na mente de um stalker, “qualquer resposta pode ser interpretada como um sinal de aceitação”.

Desde Setembro do ano passado que o stalking é crime em Portugal. PSD, CDS, PS e Bloco de Esquerda levaram a debate projectos-lei que acabaram na criminalização da perseguição contínua, com penas que podem chegar aos três anos de prisão. A criminalização, que até ao ano passado só poderia ser punida se o agressor cometesse outro tipo de crime, como a agressão, por exemplo, surge como consequência da ratificação da Convenção de Istambul, em defesa da prevenção e do combate contra a violência de género, que entrou em vigor em Agosto de 2014.

* Infelizmente não é ficção, António Manuel Ribeiro, vocalista dos UHF sofreu um assédio semelhante durante anos, nem sabemos se está resolvido, no caso dele foi uma stalker, afirmou-o no programa "Alta Definição" do Daniel Oliveira/SIC.
Estranha-se é a incapacidade de as autoridades, todas, resolverem este problema, quase conferindo uma moldura de impunidade a este enegúmenos.


.
.


O SEGREDO 
DAS COISAS

 14 -VIDRO 




.
.



1-NASCIDOS 


EM BORDÉIS


CRIANÇAS DA LUZ VERMELHA 
DE CALCUTÁ


UMA SÉRIE ANGUSTIANTE QUE NINGUÉM DEVE DEIXAR DE VER

.
.
 HOJE NO 
"A BOLA"

«Não corto relações com outros clubes por mera gestão de autoridade interna» 
- Luís Filipe Vieira

Tal com prometido, o presidente do Benfica quebrou o silêncio e falou sobre a polémica com o Sporting, desencadeada pelos episódios nos derbies de futebol e futsal, no último fim de semana.
Luís Filipe Vieira falou à margem da reinauguração da sede da Casa do Benfica de Leiria.

Eis o discurso de Luís Filipe Vieira:


Sobre o tema que dominou a actualidade esta semana, é chegado o tempo de esclarecer alguns pontos:
.
Primeiro: 
Em relação à tarja do nosso pavilhão: É lamentável. É injustificável.
Há um processo de investigação em curso para apurar quem foi o responsável. Não há conivência da Direcção do Benfica com gestos desta gravidade, mesmo havendo antecedentes e provocações. Nada justifica aquela tarja.
Lamento o que sucedeu.
Quis ser eu hoje a dizê-lo de viva voz, na minha primeira aparição pública depois do jogo.
Já sei que vão aparecer alguns a dizer que passaram 6 dias. Passaram mais de 3 anos depois do incêndio da Luz e ainda ninguém do Sporting repudiou ou lamentou aquele triste incidente!
Muita gente falou de forma irresponsável esta semana! Falaram do que não sabiam, e isso é sempre perigoso!
Para que fique bem claro para todos: No sábado, depois de ver a tarja e depois de perceber o que lá estava escrito, pedi ao nosso director de segurança que fosse retirada.

Foi entendimento da PSP e do nosso director de segurança que ter uma intervenção imediata para retirar a tarja poderia provocar problemas de segurança bem maiores, não apenas na zona da tarja, mas em todo o Pavilhão.
A tarja está na posse das autoridades e há um processo de investigação a decorrer. Será que podem dizer o mesmo das tarjas de Alvalade?
O Sporting não cortou relações por causa da tarja. A tarja foi um instrumento usado.
.
Segundo:
 A tarja do pavilhão da Luz entrou sem autorização e sem nosso conhecimento. Não foi preparada nos nossos Pavilhões, não foi pintada nas nossas garagens!
E as tarjas de Alvalade? Alguém pode explicar? Foram ou não pintadas na garagem do estádio? Foram ou não preparadas nas instalações do estádio de Alvalade? E as camisolas da Juve Leo não merecem condenação? Não foram essas camisolas o rastilho de tudo isto? Ou será que querem branquear uma parte da história deste fim-de-semana?

Para mim, o Sporting é um clube que merece todo o respeito. Por isso é que o Sporting, quando vai jogar ao Estádio da Luz, é tratado pelo nome. É Sporting, não é visitante. É Sporting, não temos esses complexos e não copiamos ninguém!

Quando os dirigentes do Sporting vêm à Tribuna Presidencial do nosso Estádio são bem recebidos, ninguém lhes diz que são “Personas non gratas”. São tratados com a dignidade e o respeito que merecem.
.
Terceiro:  
Nada justifica o ambiente, as tarjas e o tratamento dado à Direcção do SL Benfica no estádio de Alvalade. Mas sobre isso parece que alguns jornalistas e muitos comentadores tiveram um ataque de amnésia.
A razão não está do lado de quem grita mais! De quem fala mais, de quem escreve mais!

Não há bons de um lado e maus do outro! Há bons e maus em todo o lado!
A violência é um problema sério. É um problema de todos, mas a violência não se resolve com demagogia!

As tarjas, as tochas na bancada e no relvado, são um problema que devia ter sido resolvido em dois sítios: Na Liga e na Polícia. Não no facebook, em comunicados, em propaganda!
.
Quarto:

-Não corto relações com outros clubes por mera gestão de autoridade interna!

-Não processo sócios do Benfica apenas porque discordam de mim!

-Não digo que a bandeira nacional, símbolo do País, tem verde a mais!

-Não minto em relação a uma suposta conversa telefónica que nunca houve!
-Não minto em relação a um acordo que nunca houve!
-Quando dispenso um treinador assumo!!! Não me escondo!

Há pessoas que ainda não perceberam que a mentira tem perna curta e que as palavras têm consequências.
.
Quinto: 
 Em Novembro de 2011, um grupo de arruaceiros incendiou-nos o Estádio. Não cortámos relações com ninguém, porque o Clube não pode ser gerido por impulso, tem de ser gerido com responsabilidade, não pode ser gerido com a sensibilidade e o querer de um adepto de bancada.

Desde Novembro de 2011, ninguém do Sporting lamentou ou pediu desculpas pelo acto. Não foi por isso que cortámos relações.
Não foi por isso que pus em causa o repúdio e a discordância daquele acto por parte do presidente Godinho Lopes!
É preciso ter memória, é preciso ter alguma ponderação. Algo que muita gente esta semana não teve. Alguns de forma intencional, outros de forma inconsciente.

Por mim, este assunto acaba aqui. O Sporting, enquanto instituição, merece respeito, e tem o respeito do Benfica, mas as pessoas que dirigem as instituições também devem ser responsáveis pelos seus actos e pelas suas atitudes.
Obrigado a todos e vamos concentrar-nos no que verdadeiramente importa que é o Benfica, os seus sócios e os nossos atletas!

* Como sportinguistas lamentamos que os sócios do Sporting tenham votado para  presidente num indíviduo que se põe em bicos de pés para ter visibilidade, já que a sua ética sofre de nanismo. Os litígios entre os dois clubes da 2ª circular só satisfazem os pacóvios das tribos de ambos os lados.



.
.

Toumani  &  Sidiki Diabate


É do inesgotável baú da música africana que chegam as primeiras confirmações da 17ª edição do Festival Músicas do Mundo (FMM), a decorrer em Sines e Porto Covo entre 17 e 25 de Julho.
.
.
HOJE NO 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS

DA MADEIRA"

Quercus exige que consumidores 
sejam esclarecidos sobre 
taxa dos sacos de plástico

A Quercus defendeu hoje um maior esclarecimento aos consumidores sobre os motivos ambientais da nova taxa dos sacos de plástico "leves", para que melhorem a sua reação à medida, que entra em vigor no domingo.
 .
"Temos estado a verificar que, para já, os portugueses não estão a reagir bem, não estão a encarar o taxamento dos sacos como uma medida ambiental, mas sim como uma forma que o Governo arranjou de ir buscar mais verba", disse Carmen Lima da associação de defesa do ambiente à agência Lusa.

Para os ambientalistas, "faltou um período de transição para apostar nas campanhas de sensibilização ambiental para que as pessoas percebam qual é o verdadeiro problema do mau uso dos sacos de plástico", uma posição partilhada por outras entidades.

Inserida na Fiscalidade Verde, a lei elaborada pelo Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia estabelece que todos os sacos plásticos "leves" passem a estar sujeitos a uma contribuição de oito cêntimos, acrescidos de IVA (imposto sobre valor acrescentado), ou seja 10 cêntimos no total, que será cobrado aos consumidores a partir de domingo.

Carmen Lima lembrou a libertação dos sacos no ambiente, no mar e nos solos, e a entrada na cadeia alimentar, que terá efeitos prejudiciais na saúde.

"A partir do momento em que as pessoas percebem que há um problema ambiental e de saúde associado ao uso excessivo de sacos de plástico, porque não vão parar ao sítio certo, percebem que esta medida acabará por ter um objetivo ambiental muito forte e, por isso, acabam por a aceitar de uma forma mais fácil", defendeu.

Assim, "é esta aposta na explicação e na sensibilização ambiental que tem estado a faltar a esta solução", através de campanhas de informação dirigidas aos consumidores, acrescentou a técnica.
A Quercus tem sido contactada por várias pessoas que põem a medida em questão, mas quando é explicada a razão do aparecimento da taxa, "acabam por aceitar mais facilmente que o saco não lhes seja oferecido".

Carmen Lima fez questão de explicar que "não há uma luta contra os sacos de plástico, mas sim contra o mau uso dos sacos de plástico e depois o encaminhamento para um destino inadequado, que devia ser a reciclagem e não o ambiente", recordando que 97% do lixo encontrado na costa portuguesa é plástico.

Os ambientalistas realçam ser "inevitável que, a partir do momento em que se deixa de oferecer sacos, as pessoas reduzam o uso e os reutilizem muito mais".

Outras entidades partilham a posição da Quercus na defesa de um melhor esclarecimento dos portugueses acerca da aplicação da taxa e de um período de transição de um ano para a adaptação à nova regra.

A Sociedade Ponto Verde (SVP), que gere a recolha de resíduos de embalagem, onde se inclui o plástico, é uma delas e o seu diretor geral, Luís Veiga Martins, disse à agência Lusa que seria necessário "um maior período de transição para que a medida fosse corretamente implementada e toda a cadeia de valor se adaptasse.

Luís Veiga Martins referiu ainda a questão "de garantir que esta taxa não traz desmotivação para continuar a selecionar o lixo, que não haverá um recuo" e lembrou que os sacos de plástico usados são utilizados para colocar o lixo separadamente, nos ecopontos.

* O governo não esclarece mas a fiscalidade verde vai compensar em dobro a magra redução no IRS que vai ser feita por motivos eleiçoeiros.


.
.

PRODUZINDO ÁGUA


Para funcionar, o sistema captura o ar ambiente, condensando as moléculas de água, passando-as por um filtro especial e  tratando-a com raios ultravioleta. 
A água produzida é tão pura que é usada até mesmo em tratamentos de hemodiálise. Para ser consumida, no entanto, ela passa por um segundo filtro, que adiciona os sais minerais necessários.
Vale mencionar que, para não deixar o ar do ambiente completamente seco, a máquina pára de funcionar quando detecta que a humidade está abaixo de 10%.
Tudo o que você precisa para ter água em casa, então, é de ar e de uma tomada.
Vale a pena conhecer esta invenção de mais um brasileiro criativo.

 .
.

HOJE NO 
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Islândia impõe condenação 
histórica a ex-banqueiros

O Supremo Tribunal da Islândia condenou quatro ex-banqueiros do falido Kaupthing Bank a penas entre quatro e cinco anos e meio por manipulação de mercado durante a crise financeira de 2008. 
 .

O Supremo Tribunal da Islândia acaba de impor uma condenação histórica a três antigos altos cargos e um accionista do Kaupthing Bank, que foi a maior instituição financeira do país antes do espoletar da crise financeira em 2008 e falir por acumulação de grandes dívidas.

A sentença considerou como provado que o Kaupthing Bank financiou a maior parte da compra de 5% das suas próprias acções, no valor de mais de 170 milhões de euros, através de uma sociedade ligada a um xeque do Qatar pouco antes do colapso da instituição financeira. As penas impostas oscilam entre os quatro e os cinco anos e meio.

Trata-se do veredicto mais pesado por fraude financeira na história da Islândia, classificaram os media locais. O Supremo Tribunal mantém assim a sentença de um tribunal de primeira instância proferida em Dezembro de 2013 e em alguns casos subiu mesmo as penas.

O ex-presidente executivo do banco, Hreidar Már Sigurdsson, sofreu a pena mais pesada - cinco anos e meio -, enquanto o ex-presidente do conselho de administração, Sigurdur Einarsson, foi condenado a quatro anos de prisão. Por sua vez, Ólafur Ólafsson, um dos principais accionistas do banco, e o director da subsidiária em Luxemburgo, Magnús Guðmundsson, tiveram penas de quatro anos e meio.

O encarregado do governo islandês que investigou os bancos locais no seguimento do abalo que atingiu o sistema financeiro mundial após a crise de 2008 afirmou ontem que a decisão do Supremo Tribunal é um sinal para que outros países avancem para casos semelhantes e de que nenhum indivíduo é demasiado importante para ser processado. "Este caso envia uma forte mensagem que irá levantar a discussão", declarou Olaf Hauksson à Reuters.

Nem todos os processos deste âmbito levados a cabo na Islândia tiveram o mesmo resultado. Contudo, o esforço que a Islândia tem levado a cabo no sentido de atribuir responsabilidades aos banqueiros locais parece diferir da realidade dos EUA e do resto da Europa em particular, onde poucos banqueiros têm sido chamados a assumir responsabilidades pelo colapso financeiro das instituições onde trabalhavam e das implicações sobre os próprios países.

* Um exemplo para Portugal.

.
.

GRAMMY AWARDS 2015

13 DOS PIORES VESTIDOS

Meghan Trainor

Jessie J Sports

Katharine McPhee

Ariana Grande


Miranda Lambert

Rita Ora

Kat Graham

Sia & Maddie Zieglar

Rihanna

Jeanie Mai

Lisa Harriton

Kim Kardashian

Madonna

.

.
HOJE NO
  "CORREIO DA MANHÃ"

Mata toxicodependente ao pontapé 

Ministério Público acusa homem por homicídio há três anos, em Vila Nova de Gaia. 

O Ministério Público (MP) acusou um homem de matar outro "fisicamente frágil, consumidor de estupefacientes e padecente de doenças debilitantes", em 2012, em Gaia, distrito do Porto, comunicou esta sexta-feira a Procuradoria-Geral Distrital do Porto na sua página. 
 .

Segundo a procuradoria, o MP considerou que o arguido assassinou o outro a 25 de junho de 2012, pelas 14h30, num pequeno jardim na Rua do Castro, em Vila Nova de Gaia, devido a uma dívida. 

"Desferiu socos na cara, derrubando-o ao solo, posto o que o pontapeou violentamente e, por várias vezes, na cabeça, pescoço, membros, região torácica e abdominal, provocando-lhe lesões que determinaram a morte", lê-se na nota. 

Neste momento, o suspeito de homicídio está em prisão preventiva. 

* Pede-se punição exemplar.

 .


ENCONTRO ÀS CEGAS


.
.
HOJE NO 
"OBSERVADOR"

Procuradoria alerta para iminente
 “rutura” em muitos tribunais do Porto

A Procuradoria Distrital do Porto manifestou preocupação com a situação de iminente "rutura" nos tribunais do Porto, no Relatório anual de 2014, noticiado esta sexta-feira pelo JN.

A falta de pessoal está a criar uma situação “dramática” nos tribunais de todas as comarcas do Distrito Judicial do Porto, avisa a Procuradoria Distrital. No Relatório anual de 2014, a procuradora geral Maria Almeida Ferreira, fala ainda da falta de condições de alguns tribunais.
 .

“O número de funcionários em falta ascende já a algumas centenas, sendo que em alguns núcleos apenas vem sendo dada resposta ao serviço urgente e mesmo esse só com o recurso a funcionários afetos a outras jurisdições”, pode-se ler no relatório divulgado na quinta-feira, que aponta ainda para a falta de magistrados. Num distrito composto por 77 comarcas, 438 magistrados é um número “manifestamente insuficiente”.

A procuradora deixa um alerta: “Se a tendência não se inverter rapidamente será de esperar, a breve trecho, que em muitos tribunais se atinjam situações de verdadeira rutura”.

Recursos humanos à parte, a procuradora chama ainda a atenção para as “condições indignas para o exercício da função judicial” em alguns serviços e tribunais. Os tribunais do Comércio de Vila Nova de Gaia e o de Família e Menores do Porto, por exemplo, funcionam há anos em instalações provisórias. Noutros há falhas no aquecimento dos edifícios, deficiências no acesso à Internet, entre outros problemas.

* A sra. ministra da Justiça irá arranjar "culpados" da mesma maneira que arranjou para o caso do "Citius", um festival de asneiras.

.
.


MY BODY
MY RIGHTS
CHOO-SAN

Choo-san é uma super talentosa pintora de corpo, bem conhecida pela sua hiperrealistica arte corporal.


As surpreendentes imagens que vai ver nesta postagem não são fotografia, tudo é feito à mão por Choo-san com tinta acrílica e as pinturas não são posteriormente modificadas.


Ela começou a pintar obras de arte hiperrealisticas em corpos porque estava cansada das fotografias de Photoshopped da indústria, e queria ver quão longe conseguia ir sem a tecnologia moderna.

A sua arte aparece desde sempre ligada a forte contestação social, nomeadamente
 no que se refere aos direitos humanos


Hikaru Choé o verdadeiro nome da artista que em 2014 aceitou o convite da Amnistia Internacional para um trabalho de body painting sob o título "My Body My Rights", das quais apresentamos em seguida algumas obras.

Tens o direito de viver livre de estupro e de violência sexual – O trabalho retrata uma cara emergindo duma concha estilhaçada, uma metáfora sobre a fragilidade que muitas vitimas de abuso sexual sentem, assim como, as cicatrizes emocionais com que têem de lidar.


Tens o direito de escolher o teu parceiro/a   Um efeito 'trompe l’oeil' retrata uma única face como dois perfis masculinos 'beijando-se'.


 Tens o direito de saberes e aprenderes acerca do teu corpo, 
saúde sexual e relacionamentos  – o projecto foca-se no acesso à informação e mostra livros que parecem estar incrustados nas costas do modelo.


Tens o direito de escolher se, ou quando, vais ter uma criança – uma simples fechadura e chave ilustram o direito ao controle do seu próprio corpo.


Tens o direito a serviços de saúde sexuais e de concepção – incluindo 
a contracepção – o projecto mostra uma ilusão de strip de pílulas contraceptivas, 
que parecem estar  incrustadas no braço.


.