sábado, 7 de fevereiro de 2015

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.


IRAQUE



Um soldado chegou correndo a uma encruzilhada na estrada e encontrou uma freira. Sem fôlego, ele pediu:
- Por favor, irmã, posso esconder-me por baixo das suas saias por um momento, eu explico-lhe o motivo mais tarde.
.
Um instante após, dois soldados da Polícia do Exército chegam correndo e perguntam à freira:
- Irmã, a senhora viu um soldado por aqui, a correr?
A freira respondeu:
- Ele foi por ali!
Após os dois policiais desaparecerem na curva, o soldado saiu debaixo do hábito da Freira e disse:
- Não lhe posso agradecer o suficiente, irmã, mas é que eu não quero ir para o Iraque. A irmã responde:
- Acho que posso compreender inteiramente o seu temor.
O soldado então disse:
- Espero que a senhora não me ache impertinente ou rude, mas a senhora tem um belo par de pernas.
Ao que a freira disse:
- Se você tivesse olhado um pouco mais para cima, teria visto um belo par de ovos… É que eu também não quero ir para o Iraque…



.
.


O QUE NÓS 

"ESCALAMOS"
 





.
.




6-SHORTS


.
.


 EQUIVALÊNCIA













.
.
Divertics

ESCOLINHA DE CARNAVALESCOS

video


.
.




5-SHORTS




.
.


2-SÍNDROME


METABÓLICA 


video

ETIOPATOGENIA - 1


video

ETIOPATOGENIA -2


Uma interessante série conduzida pelo Prof. Dr. Amélio F. de Godoy Matos, Doutor em Pesquisa Clínica e Experimental em Endocrinologia


* Uma produção "CANAL MÉDICO"



* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.



.
.




4-SHORTS



.
.


3-O DESAFIO 

DO ATRITO


O DESAFIO PERPÉTUO


video


* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.

.
.




3-SHORTS


.

PAULO MORAIS

.



País a saldo 

 O executivo prepara-se para privatizar a TAP, mais uma pechincha. Passos irá passar à história como o privatizador

Passos Coelho privatiza tudo: BPN, EDP e REN, Fidelidade, ANA, EGF, e agora também a TAP. Aliena ao desbarato o património público, numa sequência de processos manchados pela promiscuidade entre decisores públicos que vendem e os adquirentes privados. 

A primeira venda em saldo foi a do BPN aos angolanos, à pressa e sob o falso pretexto de que a Troika impunha prazos curtos. Veio a seguir a EDP, entregue de mão beijada aos chineses. O conflito de interesses entre privados e públicos nem sequer foi disfarçado. Mesmo a comissão parlamentar responsável pela fiscalização do processo era constituída pelos próprios intervenientes: o deputado Frasquilho era quadro da BESI (do BES), entidade que assessorou os chineses na compra; Mesquita Nunes era jurista na sociedade de advogados encarregue do processo de privatização. Com a REN, passou-se o mesmo. Resultado: o estado chinês é agora um dos maiores patrões no nosso país e detém, em monopólio, um recurso estratégico vital, a rede elétrica. 

E a saga continuou. Na alienação da Empresa Geral de Fomento, líder na gestão de resíduos urbanos, o governo foi assessorado pela sociedade de advogados Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva. E o concurso foi ganho pela Mota-Engil, cujos advogados são os mesmos. Estranha foi ainda a privatização dos CTT. Em vésperas da venda, já o ministro Maduro anunciava a criação dos ‘balcões do cidadão’, serviço público pelo qual o Estado terá de pagar aos correios, agora privados. Lucros garantidos para o novo dono, a Goldman Sachs do social-democrata Luís Arnaut. 

O governo chegou ao ponto de entregar a ANA (Aeroportos e Navegação Aérea) ao grupo Vinci, que poderá exercer o direito de construir o novo aeroporto em Alcochete, onde apenas se pode aceder pela ponte Vasco da Gama, cujo proprietário é a própria Vinci. 

E, agora, em fim de mandato, o executivo prepara-se para privatizar a TAP, mais uma pechincha. Passos irá passar à história como o privatizador. Os empresários bafejados com a compra de monopólios em saldo agradecem. Mas os portugueses nunca lhe perdoarão a cumplicidade com este saque. 

Dívida pública e nova empresa 
Que fazer à dívida pública?
Deve ser parcialmente paga, de forma justa e sustentada. Devem-se honrar os empréstimos contraídos com juros decentes, que geraram investimentos socialmente úteis. O esforço de pagamento deve ser limitado a três por cento do PIB, à semelhança dos países cumpridores. E não o dobro, como agora acontece, à custa do sofrimento do povo. 

A criação da Infraestruturas de Portugal é uma boa decisão? 
Não. A entidade resulta da fusão da Estradas de Portugal com a Refer, detentora das linhas ferroviárias. Teme-se que a nova empresa não invista em ferrovia moderna, que permita transportes mais baratos e menos poluentes; para proteger detentores de PPP rodoviárias e algumas empresas transportadoras.

IN "CORREIO DA MANHÃ"
31/01/15

.
; .


416.UNIÃO


EUROPEIA



.
.




2-SHORTS



.
.



HERÓIS DE VERDADE







.
.


XIV-TABU


PELO MUNDO


1.TRABALHO SUJO

video


.
.




1-SHORTS



.
.
 HOJE NO 
"RECORD"

Rui Machado vence torneio no Sri Lanka 
PORTUGUÊS VENCEU O FUTURE DE COLOMBO

Rui Machado, 278.º do ranking mundial, conquistou na madrugada deste sábado o Futuro de Colombo, no Sri Lanka, ao bater em dois sets o checo Jan Satral, com duplo 6-3, naquele que é o 23.º título conquistado pelo algarvio em toda a carreira.
 .
Diante do 413.º da hierarquia masculina, Rui Machado não sentiu grandes dificuldades e facilmente "despachou" o oponente, conseguindo assim fechar com chave de ouro uma semana muito produtiva na Ásia.

* É preciso que Rui Machado cresça, subindo no ranking.


.
.

 AMBIDESTRO

video


.
.
HOJE NO 
  "CORREIO DA MANHÃ"

Maioria chumba mães solteiras 

Deputados contra alargamento da procriação medicamente assistida a todas as mulheres.

A maioria PSD/CDS-PP, a que se juntou o PCP, rejeitou ontem as alterações à lei sobre procriação medicamente assistida, como propunham os projetos de lei do PS e do BE. 
 .

As mudanças recaíam no critério para aceder às práticas da medicina para poder ter um filho, contemplando mulheres solteiras e casais do mesmo sexo que pretendessem constituir família. 

As propostas acabaram chumbadas na votação de ontem na Assembleia da República, apesar de alguns deputados terem quebrado a indicação de voto da bancada. 

No PSD, Teresa Leal Coelho, Mónica Ferro, Simão Ribeiro e Sérgio Azevedo votaram a favor do projeto do PS. No CDS-PP, Teresa Caeiro e João Rebelo abstiveram-se na votação do projeto socialista. 

* PSD, CDS E PCP definem como seu voto contra que há mulheres mais mulheres que outras. Dos partidos da maioria não admira, do PCP também não.


.
.


 TROCARAM-SE


ANGELINA JOLIE E BRAD PITT

MONICA AND CHANDLER

PAM HALPERT E JIM BEASLY

KRISTEN JAYMES STEWART E ROBERT PATTINSON

TAYLOR SWIFT E JUSTIN BIEBER

KRISTEN STEWART E ROBERT PATTINSON

KATY PERRY E RUSSEL BRAND

MEGAN FOX E SHIA LABEUF

BRITNEY SPEARS E JUSTIN TIMBERLAKE

EMMA STONE E ANDREW GARFIELD

TAYLOR SWIFT E TAYLOR LAUTNER

VICTORIA E DAVID BECKHAM

MICHELLE E BARACK


.
.
HOJE NO
"i"

Portugal. 
Governo quer bloquear sites radicais

Estratégia nacional prevê reintegração de jovens portugueses que desistam de campos de treino e aposta em polícias infiltrados em redes

Apostar na reintegração de jovens portugueses que estão em campos de treino, bloquear sites para travar o recrutamento de grupos radicais e apertar as regras para obter a nacionalidade portuguesa são algumas das medidas que o governo quer ver no terreno para combater o terrorismo. 
 .

O próximo será dado na segunda-feira: a ministra da Administração Interna vai reunir-se em Lisboa com o homólogo espanhol. O encontro terá como ponto de partida a prevenção e o combate ao fenómeno e servirá para Anabela Rodrigues pôr Jorge Fernández Diaz a par dos esforços do governo português. A estratégia deverá passar, entre outras alterações, pelo aumento das penas dos crimes ligados ao terrorismo ou pela reintegração de jovens portugueses que se tenham alistado em campos de treino jihadistas e entretanto desistam da causa. 

O pacote de medidas foi amplamente discutido esta semana. Primeiro numa reunião do Conselho Superior de Segurança Interna - órgão de consulta presidido pelo primeiro-ministro e onde têm assento, entre outros, responsáveis das forças de segurança, das Forças Armadas e dos serviços de informação. Na terça- -feira a proposta voltou a estar em debate numa reunião do Conselho Superior do Ministério Público que aconteceu na Presidência do Conselho de Ministros. 
 .

Agora, e depois de recolhidos contributos de vários sectores, as alterações deverão ser aprovadas já na próxima semana em Conselho de Ministros. Depois disso terão ainda de passar pela Assembleia da República. As medidas, como o i adiantou esta semana, implicarão uma série de mudanças legislativas. 

Campos de treino  
No âmbito da prevenção, o governo quer apostar na reintegração de jovens que se tenham alistado em campos de treino de grupos radicais e entretanto desistam e queiram voltar atrás. Segundo o Observador, o governo defende que não há crime enquanto não forem cometidos actos terroristas - sendo, por isso, possível apostar na reabilitação em muitos casos. Outra das intenções passa por bloquear sites radicais, uma vez que a internet tem sido o principal veículo de recrutamento. Uma equipa do Gabinete Nacional de Segurança passará a dar maior atenção a perfis nas redes sociais e a mensagens que façam uma apologia do terrorismo - comportamento que, entretanto, será criminalizado. 

Está ainda previsto o aumento das penas para os crimes de terrorismo e de actos preparatórios - actualmente punidos com um a oito anos de prisão - e a clarificação do próprio conceito dos crimes de terrorismo, criminalidade organizada e actos preparatórios de terrorismo. Terão também de ser feitos acertos na lei de segurança interna, de modo a reforçar a articulação e a partilha de dados, no terreno, entre as várias forças de segurança e o Ministério Público. Por outro lado, e segundo o Observador, a lei de acções encobertas também deverá sofrer alterações - de maneira a facilitar a entrada de agentes infiltrados das polícias e dos serviços de informação em organizações terroristas. 
 .

Quanto à lei da nacionalidade, o governo quer introduzir apenas um novo critério para a concessão da naturalização: passará a ser obrigatório averiguar, antes de desencadear o processo, se a pessoa poderá constituir uma ameaça à segurança nacional. A medida deverá estender-se igualmente à atribuição dos vistos de residência e dos vistos gold. 

Por outro lado, a vigilância em fronteiras, portos e aeroportos será reforçada, com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) a desempenhar um papel importante neste âmbito. Além de uma aposta na prevenção e na vigilância, passará a ser mais fácil fazer detenções nas fronteiras e em aeroportos no caso de existirem suspeitas de que um determinado indivíduo vai viajar com a finalidade de integrar grupos terroristas no estrangeiro.

Manual de prevenção e combate ao terrorismo 

Todas as mensagens de apologia ao terrorismo nas redes sociais são investigadas?
Não necessariamente. A Polícia Judiciária (PJ) tem uma unidade vocacionada para o combate e a prevenção do terrorismo, que pesquisa regularmente fontes abertas na internet. Recentemente foi detido um homem nos Açores que anunciou nas redes sociais ser simpatizante da causa jihadista e que iria partir para a Síria. 

Os especialistas explicam, porém, que isto não basta para considerar alguém suspeito: é preciso cruzar estas informações com outras, como a participação em determinados circuitos online usados pelas redes terroristas.   

O que faz a unidade contra o terrorismo da PJ?
É um trabalho invisível e silencioso e que consiste sobretudo na troca e partilha de informações com outras polícias, nacionais e estrangeiras. A partilha de informação é constante e boa parte do trabalho é feito em articulação com outras unidades da Polícia Judiciária. 

Quem coordena, em Portugal, a resposta ao terrorismo?
Em 2003 foi criada a Unidade de Combate Antiterrorismo (UCAT), composta por elementos de todas as polícias e serviços de informações. A cúpula da UCAT reúne ordinariamente uma vez por mês na sede da Polícia Judiciária (PJ). Nessas reuniões são feitos balanços e pontos de situação.  

Quando é que alguém passa a ser considerado suspeito?
É difícil dizer no plano teórico. As polícias poderão, por exemplo, considerar que dois árabes avistados a fotografar a Assembleia da República constituem um indício de situação suspeita? Não há uma resposta linear, até porque a segurança e a investigação esbarram nas liberdades, direitos e garantias dos cidadãos. 

É feita vigilância a pontos sensíveis?
Sim. A PJ costuma vigiar, por exemplo, movimentações em redor das mesquitas de Lisboa. 

Existe um perfil de suspeito? 
Não há um perfil do jihadista europeu. Sabe-se que são maioritariamente homens entre os 18 e os 35 anos, embora cada vez mais mulheres estejam a aderir à causa. 


As autoridades acreditam que, no caso português, existirá uma preponderância de cidadãos luso-franceses. Têm entre 18 e 40 anos e são recém-convertidos ao islão. A maior parte não viveu muito tempo em Portugal, embora tenham laços familiares em território nacional. 

Portugal é considerado um país de risco?
A posição geográfica de Portugal merece atenção em termos de segurança, por ser uma porta de entrada para a Europa e para o Espaço Schengen. No que diz respeito especificamente ao fenómeno do terrorismo, acredita-se que Portugal possa ser um local de recuo – descanso – e de passagem para eventuais terroristas. Além disso, poderá ser um vértice de financiamento a acções terroristas. 

Têm sido detectadas ameaças concretas?
Os últimos relatórios anuais de Segurança Interna têm apontado para o risco de ameaças reais e para o facto de Portugal poder servir para acolher estruturas de apoio a organizações terroristas. A questão pôs-se, durante muito tempo, com a ETA. Porém, a única situação concreta com que as polícias nacionais tiveram de lidar ocorreu em 2010: uma casa em Óbidos serviu de refúgio a dois etarras. Na altura, o Ministério Público entregou o caso à GNR e não à PJ – que tem a competência exclusiva para investigar o terrorismo.  

* Portugal não tem outra opção, o combate ao terrorismo é obrigatório.


.
.

Nunchakus com facas

video

.
.
HOJE NO
"A BOLA"

Pedro Proença pode ser candidato
 à Liga de Clubes

A BOLA noticia este sábado que o antigo árbitro Pedro Proença é nome que reúne fortes possibilidades de vir a ser indicado para uma candidatura à presidência da Liga, patrocinada pelos três maiores clubes portugueses, ainda durante este ano.
.
O antigo árbitro - abandonou a carreira a 22 de janeiro, depois de regressar do Campeonato do Mundo de Clubes - é bem visto por Luís Filipe Vieira, Pinto da Costa e Bruno de Carvalho e é com naturalidade que o seu nome entra num cenário de sucessão de Luís Duque, presidente que, apesar de ter sido eleito para o quadriénio 2014/2018, poderá estar de saída do cargo no final da temporada.

* Pelo que fez na arbitragem é um candidato justo e forte.


.
.
 ACREDITA EM FANTASMAS?











NÓS PREFERIMOS O PAI NATAL



.
.
HOJE NO 
  "OBSERVADOR"

Adeus madeixas, o que está a dar
 são píxeis no cabelo

 Os píxeis deixaram de ser uma palavra do vocabulário masculino e tornaram-se numa tendência de beleza capilar. Por favor, não tente fazer isto em casa.

“Cabelo liso é coisa do passado, a moda agora é cabelo pixelizado.” Podia ser um bom slogan à nova tendência de coloração, mas a verdade é que a ideia e o conceito dispensam qualquer slogan. Só não dispensam explicação.


Partindo do significado de píxel — “o menor ponto que forma uma imagem digital, sendo que o conjunto de milhares de píxeis formam a imagem inteira” –, dá para ter uma ideia do que se trata. Imagine vários pontos pintados no seu cabelo e no efeito que o conjunto fará. A ideia é aplicar cores mais subtis, aproximadas à cor de cabelo de cada um, ou arriscar nas cores néon que, uma vez aplicadas em várias secções do cabelo, vão formar o tão desejado efeito gráfico.

Este fenómeno foi baseado nos jogos digitais, por isso qualquer semelhança com o Tetris não é pura coincidência. 
Apesar de parecer simples, Jose Luis Almendral, Marco Antonio Restrepo e Jorge Cancer, três empresários espanhóis, levaram vários meses a desenvolver a técnica. 
 .

O trio fundador da X-Presion Creativos – uma companhia de R&D (investigação e desenvolvimento) na área dos cabeleireiros, cuja função é levar inovação às marcas e aos próprios cabeleireiros — resolveu apostar na divulgação do chamado “Xpresionpixel” através do Instagram e o sucesso não se fez esperar. A prova disso é que a Revlon Professional decidiu recriar os looks na sua nova campanha.

Como todas as tendências, esta também não é para toda a gente. Além de ser preciso alguma coragem, o “Xpresionpixel” não se destina a todos os tipos de cabelo. O look funciona melhor em cabelos curtos, lisos e estruturados, já que o movimento e a textura são mínimos e os píxeis podem brilhar à vontade.

Com coragem para desafiar o seu cabeleireiro?

* Toca a "pixelar"

.
.
FLEXÕES!!!
video


.
.
 HOJE NO 
  "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Apelo ao Papa para que afaste 
da igreja recasados e gays

Documento assinado por 72 mil pessoas, entre elas D. Duarte Pio, duque de Bragança 

Uma petição ao Papa Francisco, para que afaste da Igreja os divorciados que voltaram a casar e os homossexuais, está a circular principalmente na Europa, na América Latina e nos Estados Unidos. Intitulado "Súplica Filial a Sua Santidade o Papa Francisco sobre o futuro da Família", o documento é a posição pública da ala mais conservadora da Igreja, conta já com 72 mil signatários, entre os quais se conta o Duque de Bragança e o cardeal Burke, conhecido por ser um dos mais críticos no Vaticano ao acesso dos recasados à comunhão; responsáveis de organizações ligadas aos movimentos pró-vida são também signatários do texto.


De acordo com o semanário Sol, os católicos em causa querem pressionar Francisco a tomar uma posição sobre estes temas no Sínodo da Família, a reunir em outubro. No ano passado, também em outubro e durante o primeiro encontro dos bispos, foi debatido o acesso ao sacramento da Comunhão dos católicos divorciados e recasados. E a maioria dos bispos votou a favor de uma reflexão aprofundada sobre a matéria.

Atualmente, os católicos que se divorciaram e voltaram a casar não podem comungar porque, aos olhos da Igreja, continuam unidos pelo sacramento do matrimónio, logo, estão a prevaricar.
No que se refere aos homossexuais, o Sínodo de Outubro demonstrou também uma abertura nova da Igreja. O próprio Papa tem revelado uma atitude de proximidade para com os homossexuais, sublinhando que a Igreja deve saber acolher todas as pessoas.

É contra toda estar abertura que surge o documento em causa que pede ao Papa para "reafirme de modo categórico o ensinamento da Igreja segundo o qual os Católicos divorciados e civilmente recasados não podem receber a Sagrada Comunhão e de que uniões homossexuais são contrárias às leis divina e natural".

* Um documento assinado por 72 mil imbecilidades xenófobas. E se um dia for descoberto que Cristo era bissexual???


.
.


A terra em

miniatura


PARA QUE NÃO ESQUEÇAMOS















enviado por O. VITÓRIA

.