quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.















.
.


 21-ACIDEZ 
FEMININA

TODA A MULHER TEM UMA

MARIA GASOLINA

DENTRO DE SI


video


A IMPRESCINDÍVEL TATY FERREIRA 


* Uma produção "ACIDEZ FEMININA" - BRASIL


.
.
 INFALÍVEL




















.
.
A JANELA
video



.
.
 HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS
DA MADEIRA"

Madeira é a região com maior percentagem de eco-escolas

O Eco-Escolas, com mais de mil estabelecimentos e maior percentagem de adesão na Madeira, pediu este ano trabalhos sobre agricultura biológica, mar ou mobilidade sustentável, disse hoje a sua coordenadora.
 .

"Até ao momento estão registadas 1.220 escolas no projecto Eco-Escolas, em todo o país, envolvendo cerca de 350 mil alunos", revelou à agência Lusa Margarida Gomes, acrescentando que o programa para promover comportamentos sustentáveis entre os jovens está em todos os distritos, em cerca de 230 concelhos.

Este ano, os assuntos propostos são "a agricultura biológica, o mar ou a mobilidade e em torno destes desafios as escolas desenvolvem diversos projectos de forma a trabalhar estes temas, como hortas biológicas e são já mais de 500 as instaladas nas eco-escolas", segundo Margarida Gomes.

A responsável pelo programa falava a propósito do Seminário Nacional Eco-Escolas 2015, que se inicia na sexta-feira, em Monção, uma iniciativa do Agrupamento de Escolas do concelho, da autarquia e da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), que gere o projecto em Portugal.
Nos projectos de mobilidade sustentável, os alunos podem destacar a importância da deslocação a pé para a escola ou de aumentar a eficiência energética, por exemplo.

A Região Autónoma da Madeira, onde cerca de 60% dos estabelecimentos de ensino são eco-escolas, regista a maior percentagem de adesão, avançou.

Margarida Gomes explicou, no entanto, que os distritos de Lisboa e Porto "são aqueles que têm maior número de eco-escolas, o que não quer dizer que tenham maior percentagem, já que são as regiões onde há mais escolas".

Assim, "em termos absolutos, será Lisboa e Porto [com maior presença do Eco-Escolas], em termos relativos distingue-se a Região Autónoma da Madeira", porém, "mais de 80% das escolas mantém-se e continuam no programa para o ano seguinte", resumiu.

As eco-escolas têm de tratar temas da gestão do espaço escola, relacionados com os resíduos, água e energia, e em cada ano o projecto solicita a escolha de um destes assunto para ser desenvolvido.
A edição de 2015 tem novidades como o início de um projecto que pretende ligar eco-escolas do país e todos os municípios e integra "a passagem de um testemunho de escola em escola, feito de forma sustentável, a pé ou a cavalo", por exemplo, e "ao mesmo tempo [realiza] um levantamento das condições de mobilidade em torno da escola, depois entregues à câmara municipal", explicou Margarida Gomes.

O programa abrange todos os graus de ensino, desde jardins de infância a estabelecimentos do ensino superior, que actualmente são seis, a que se juntam outros como universidades da terceira idade, centros educativos ou escolas profissionais.

As eco-escolas de todo o mundo têm em comum a metodologia de trabalho, inspirada na Agenda 21 local e água, resíduos e energia são as actividades repetidas em cada uma, a que se juntam temas anuais.

* Já que os adultos insistem em ser predadores sebosos do ambiente, que se sensibilizem os jovens para dar o exemplo.


.
.
XXV- O UNIVERSO
 
1- A CAÇADA DE

 PLANETAS COM ANÉIS


video


.
.
 HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Cristina Vaz Tomé 
assume pelouro das Finanças da RTP

Gestora junta-se à equipa já formada por Gonçalo Reis e Nuno Artur Silva. Supervisor da empresa quer que a nova administração entre em funções "o mais rápido possível". 

O futuro conselho de administração (CA) da RTP já está fechado. Cristina Vaz Tomé é o elemento que faltava para completar a equipa. A gestora, com carreira na KPMG, vai assumir o pelouro financeiro e o seu nome já recebeu parecer positivo do Ministério das Finanças.
 .

A informação foi avançada pelo presidente do Conselho Geral Independente (CGI), esta quarta-feira na RTP Informação, lembrando que o parecer das Finanças "é prévio e vinculativo" e confirmando que estas não colocaram qualquer objecção à escolha.

António Feijó sublinhou a experiência da gestora que, além da KPMG, foi vice-presidente do Instituto de Investigação Científica Tropical e exerceu funções num fundo estrutural europeu.
Cristina Vaz Tomé junta-se assim a Gonçalo Reis, ex-administrador da RTP agora indicado para a presidência da empresa, e a Nuno Artur Silva, que assumirá a área dos conteúdos. O presidente do CGI revelou ainda que o fundador das Produções Fictícias abandonará a administração da produtora e que esta fica impedida de ter qualquer contacto comercial com a RTP até ao final do mandato. Nuno Artur Silva deixará também o cargo de 'publisher' no Inimigo Público e a apresentação do programa "Eixo do Mal" da SIC.

O objectivo do CGI é que a nova administração entre em funções "o mais rápido possível", para que seja possível dar estabilidade à empresa, referiu.

Após a renuncia do CA liderado por Alberto da Ponte, anunciada esta quarta-feira, a nova administração poderá ser indigitada. António Feijó não quis, no entanto, avançar com uma data para a conclusão do processo, uma vez que será preciso cumprir ainda algumas formalidades que não dependem do CGI.

Nomeadamente, o Governo terá ainda de convocar a assembleia geral que vai formalizar a destituição e os três elementos da futura administração terão de responder aos deputados em audições parlamentares que ainda não estão agendadas.

* Temos de dar ao novo trio gestor o benefício da dúvida, têm perfil e curriculum para fazer bom trabalho.


.
.



3-MANIPULAÇÃO E
CONTROLE MENTAL 

video




A grande luta do cidadão no sec XXI é evitar que religiões, filosofias,teorias económicas e políticas, lhe dominem a mente.


* Um excelente trabalho editado pela "SIC"



.
.
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Aguiar-Branco 
critica militares do passado 

Ministro da Defesa rejeita a compra equipamento "para exibir em paradas". 

O ministro da Defesa criticou esta quinta-feira os militares "do passado recente" que agora "militam na opinião publicada" contra o Governo e defendeu que as Forças Armadas têm de ser eficientes, rejeitando comprar equipamento "para exibir em paradas". 
 .

"Entre o ponto de partida e o dia desta quinta-feira aconteceram as pressões, as manifestações, as críticas e os protestos próprios do legítimo inconformismo, mas a verdade é que o Governo nunca se poupou e nunca demitiu de fazer o que tinha de ser feito, mesmo quando era mais confortável não o fazer", afirmou José Pedro Aguiar-Branco no Parlamento. 

Durante a discussão na generalidade da Lei de Programação Militar (LPM) e da Lei de Programação de Infraestruturas Militares (LPIM), o governante adiantou que o cancelamento de programas como o dos helicópteros NH90, das viaturas Pandur e dos navios de patrulha oceânicos permitiu poupar 1300 milhões de euros. 

* O sr. ministro da Defesa esqueceu-se na sua alocução de dizer que os militares "do passado recente" tinham o "amen" do  seu actual vice-primeiro ministro. Oportuna falta de memória.


.

CARLOS MIGUEL ALVES CATARINO

.


Black Thursday

Na passada quinta-feira, dia 15, aconteceu algo de extraordinário e, para alguns, desastroso. O franco suíço valorizou como nunca se tinha visto nos últimos tempos. O franco suíço foi sempre apreciado pelos investidores por ser a moeda de um país política e economicamente estável.

O facto de a suíça ser um país pequeno faz com que o seu mercado interno seja reduzido e acaba por obrigar a maioria das empresas a ter que exportar parte dos seus produtos e serviços. Em 2013 a suíça exportava bens e serviços equivalentes a 72% do PIB (dados do banco mundial).

Assim sendo, um franco suíço caro prejudica gravemente a economia da suíça, uma vez que os importadores dos bens suíços têm que pagar numa moeda que vale menos que o franco, logo encarece o preço da importação.

O franco suíço teve sempre a tendência para valorizar ao longo do tempo, em relação às principais moedas como o euro e o dólar. Com a crise da dívida soberana na Europa e os receios à volta das políticas do Banco Central Europeu (BCE) para a sua resolução e, sendo o franco suíço um ativo de refúgio de referência, este valorizou bastante nos últimos anos e o Banco Nacional da Suíça foi obrigado a tomar medidas.

Em 2011, o Banco Nacional Suíço (SNB) revelou preocupações em relação à valorização do franco, principalmente face ao euro. Perante isto, decidiu estabelecer um limite para a valorização do franco, sendo esse limite 1,20 euros. Para defender este nível, o Banco Nacional da Suíça aumentou bastante o seu balanço e usou o seu poder para criar francos iniciando a compra de milhões e milhões de moeda estrangeira.

Entretanto o BCE vendo a inflação e o crescimento extremamente baixos na União Europeia, partilhou com o mercado o facto de poder vir a implementar políticas monetárias mais expansionistas. Nas últimas semanas criou-se a expetativa de essas políticas virem a ser desvendadas na reunião do BCE, dia 22 de janeiro, o que fez o Banco Nacional Suíço perceber que já não tinha capacidade para continuar a gastar milhões e a defender aquele nível com que se tinha comprometido. Então, na quinta-feira dia 15, de manhã, sem aviso prévio e, numa reunião de emergência, o banco decide que a economia se tinha adaptado ao nível de cotação do franco e que não ia continuar a defender aquele nível em relação ao euro. Além disso, desceu o valor médio da Libor a 3 meses, uma taxa de juro de referência, de menos 0,25% para menos 0,75%. 

Este comunicado apanhou o mercado desprevenido e provocou uma explosão no preço do franco, o que afetou todos os pares cambiais e fez com que alguns deles tivessem variações que não eram vistas desde 1971, assim como o principal índice bolsista da Suíça que neste mesmo dia caiu mais de 10%.

Este movimento, extremamente violento dos pares cambiais, provocou uma falta de liquidez, principalmente junto das corretoras online que não foram capazes, em alguns casos, de exercer as ordens dos clientes ao preço pretendido, levando a grandes perdas por parte destes e das próprias corretoras. A forte alavancagem da generalidade dos clientes foi outro fator que contribuiu para que houvesse perdas avultadas e, devido á falta de liquidez, as corretoras não conseguiram fechar as posições dos clientes em tempo útil, a fim de evitar um descalabro. Tudo isto levou a uma situação extremamente precária de uma famosa corretora online – Alpari – que chegou a publicar oficialmente no seu site que tinha entrado em insolvência, retirando essa informação no dia seguinte, encontra-se neste momento em conversações para a sua venda. 

Levou também, a que a FXCM, uma das maiores corretoras do mundo, tivesse que ser comprada, por cerca de 300 milhões de dólares, para ser salva.

A quinta-feira negra, dia 15 de Janeiro de 2015 será falada por muitos anos e marcará para sempre a memória de todos os que negoceiam no mercado cambial.

Estudante na Universidade Europeia

IN "OJE"
20/01/15


.
.


401.UNIÃO


EUROPEIA



 .
.

HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Mais uma vítima mortal de violência doméstica 
Mulher assassinada 
já tinha apresentado queixa 

A mulher que foi assassinada em casa pelo próprio marido, na zona de Vanicelos, em Setúbal, já tinha apresentado queixa por violência doméstica, mas a situação foi considerada de baixo risco, revelou a PSP local. 

 "A PSP confirma a existência de uma denúncia por violência doméstica, no âmbito de um processo de divórcio, que foi avaliada nos termos do risco e de acordo com a vontade expressa pela senhora no momento em que se deslocou às instalações policiais", refere, em comunicado, a PSP.
 .

 "Face ao baixo risco da situação, esta apenas ficou para acompanhamento e a vítima regressou por vontade expressa da mesma para a sua residência", acrescenta o comunicado. Amigos da família revelaram, entretanto, que a vítima teria apresentado queixa por violência doméstica na última quarta-feira, alegadamente depois de ter sido alvo de agressão ou de ameaças por parte do marido, poucas horas antes de ter ocorrido o homicídio. 

A PSP de Setúbal escusou-se a revelar quando foi apresentada a queixa por violência doméstica, confirmando apenas a existência da referida queixa. No comunicado divulgado, a PSP de Setúbal refere que foi alertada, através de uma chamada para o número nacional de emergência (112), para um possível crime de homicídio em Vanicelos, cerca das 4h45, e que foram enviados de imediato meios policiais para o local. 

 De acordo com a PSP, uma equipa do INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica) ainda tentou, sem êxito, reanimar a mulher, que apresentava "sinais de violência e vestígios de sangue". A PSP esclarece ainda que, após mediação verbal com psicólogos do INEM, foi possível retirar uma arma branca ao suspeito, que apresentava diversos golpes de faca no corpo. O presumível homicida, que foi transportado, sob detenção, ao Hospital de São Bernardo, permanece internado mas não corre risco de vida. 

* Mais um bandido de baixo risco, quem faz estas avaliações?

.
.


EUROPA


2012-2100


video



.
.

 II-TERCEIRO REICH


6 - A QUEDA


video


A História não se repete, acontece. Para sabermos mais de nós, enquanto passageiros da terra, não podemos ignorar os momentos mais felizes(?) ou os mais tenebrosos da história do homem.

* Contém imagens pesadas


* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.
 


.
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS/
/DINHEIRO VIVO"

BCE injeta 1,14 biliões de euros 
em dinheiro fresco na zona euro


A zona euro vai receber uma injeção de dinheiro novo, anunciou hoje o Banco Central Europeu (BCE). Mario Draghi, o presidente do banco central diz que a instituição vai fazer "compras combinadas" de 60 mil milhões de euros por mês de março de 2015 até, pelo menos, setembro de 2016. Total: 1,14 biliões de euros. Comprará aos bancos dívida pública e privada que estes têm no seu balanço, esperando depois que os bancos emprestem mais dinheiro à economia, designadamente às empresas.
.
Com o objetivo de fazer subir a inflação (que hoje é negativa. menos 0,2% na zona euro), o BCE vai "lançar um programa expandido de compra de ativos, que inclui os atuais programas de compras para dívida garantida (ABS) e obrigações garantidas", disse Draghi.
O programa de compras "começa em março de 2015 e inclui obrigações do Tesouro da zona euro classificadas com grau de investimento".

Programa sem final definido
As operações ocorrerão no mercado secundário e o valor total das compras combinadas será de "60 mil milhões de euros por mês, a ser levada a cabo até, pelo menos, o final de 2016". O programa começa em março deste ano. Total: 1,14 mil milhões. Portanto, há uma data de referência para o seu final, mas no fundo é ilimitado. Este alívio monetário ou quantitative easing (QE) ficará ativo até a inflação se encaminhar para a fronteira inferior dos 2%.

Banca portuguesa pode receber até 28,5 mil milhões de euros em dinheiro fresco
Portanto, a dívida pública e privada a ser comprada não poderá considerada lixo por todas as agências de rating e "as compras serão baseadas nas participações dos bancos centrais nacionais na chave de capital do BCE". O Banco de Portugal tem 2,5% da instituição, logo, os bancos portugueses poderão vender ao BCE um máximo de 28,5 mil milhões de euros.
Portugal tem pelo menos uma agência (DBRS) que classifica a dívida portuguesa com grau de investimento. Portanto os bancos nacionais entram neste jogo.
O Dinheiro Vivo avançou ontem à noite um valor muito próximo: 27 mil milhões de euros.
Outra novidade, é que será o "o conselho de governadores a controlar todos os aspectos do programa e o BCE a coordenar as compras de modo a salvaguardar a unicidade da política monetária".

Bancos nacionais ficam com 80% do risco
Mas o risco será distribuído pelos bancos centrais nacionais, uma regra que terá sido a forma de comprar alguma simpatia junto dos alemães do Bundesbank para avançar com este QE.
Sgundo Draghi, "as compras de ativos a instituições europeias (12% das compras adicionais) serão sujeitas a partilha de perdas". "O remanescente das compras não será sujeito a partilha de perdas."
O BCE ficará apenas "com 8% das compras adicionais de ativos", o que "implica que 20% das compras de ativos serão sujeitos a um regime de risco partilhado". Isto é, apenas em 20% do valor do QE o risco será mutualizado.
Logo, o risco associado a 80% do valor do QE será imputado a cada banco nacional de acordo com a sua chave de capital no BCE. Dito de outra forma, 80% do risco ou das perdas caem diretamente nos países. Algo que a Itália e a Irlanda nunca viram com bons olhos.

Compras de dívida com até 30 anos de maturidade
Este programa de alívio monetário poderá ir além de setembro de 2016 "até vermos um ajustamento sustentado na rota da inflação" e, explicou Draghi, as compras incidirão sobre títulos que podem ter maturidades "de dois a 30 anos". "É muito tempo", frisou o economista italiano.
Existe uma imposição de uma regra de risco partilhado neste QE (20% apenas) porque o conselho de governadores quis "mitigar preocupações sobre eventuais consequências orçamentais" ou seja, financiamento monetário dos défices públicos.
Draghi revelou ainda que "houve consenso na questão da partilha de risco de 20/80%".

Grécia não está fora do programa
A Grécia tem dívida classificada como lixo ou não-investimento, mas poderá, mais tarde, aderir a esta QE do BCE. "Não temos uma regra especial para a Grécia, mas há algumas condições que precisam de ser cumpridas. Depois da amortização de obrigações gregas em julho, as compras [do BCE] poderão ocorrer se algumas condições forem cumpridas". Não disse quais.

A Grécia vai a eleições no próximo domingo. A troika suspendeu as avaliações ao programa de ajustamento e o pagamento das respetivas tranches do empréstimo oficial.

* Uma excelente notícia para os países periféricos, onde a maioria das empresas estão descapitalizadas. As concepções de Coelho e Portas banalizadas pelo BCE, com o conhecimento e concordância de Merkel.


.
.

Alejandro Sanz

Desde Cuándo

video

.
.
HOJE NO
"RECORD"

Portugal vai organizar 
Europeu de natação adaptada

O Comité Paralímpico Internacional (IPC) atribuiu esta quinta-feira a Portugal a organização do campeonato europeu de natação adaptada de 2016, que irá decorrer no Funchal, anunciou a Federação Portuguesa de Natação (FPN).
 .
Para o presidente da FPN, o evento que decorrerá entre 24 de maio e 4 de junho poderá ser "um motor de desenvolvimento da prática da prática desportiva e consequente aumento do número de nadadores com deficiência" e uma forma de "afirmar Portugal como organizador de grandes eventos desportivos".

Em declarações reproduzidas pela FPN, António José Silva considera que a prova "servirá também como culminar do processo da inclusão da natação para pessoas com deficiência na sua estrutura organizativa".

A prova, que será a última de apuramento para os Jogos Paralímpicos Rio'2016, deverá juntar no complexo olímpico de piscinas da Penteada cerca de 500 praticantes e mais de 300 elementos de staff.

No último Europeu de natação adaptada, realizado em Eindhoven, na Holanda, Portugal conquistou duas medalhas de bronze por intermédio de David Grachat nos 400 metros livres S9 e por Nelson Lopes nos 50 metros costas S4. A edição de 2015 disputa-se em julho, na cidade escocesa de Glasgow.

* Uma boa notícia.


.
.
SEM PRECONCEITOS

video

Para as crianças não há o que os adultos veêm e muitos até repugnam

.
.
HOJE NO

"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Juíza sem provas de que livro sobre Maddie "destruiu" os pais

Uma juíza do Palácio da Justiça de Lisboa considerou, esta quarta-feira, que o casal McCann não sofreu danos por causa da publicação do livro "A verdade da mentira", da autoria de Gonçalo Amaral, onde o ex--coordenador da PJ defende a responsabilidade de Kate e Gerry no desaparecimento da filha. 
.
A juíza Emília Melo e Castro, na apreciação dos quesitos do processo cível intentado por Kate e Gerry McCann a Gonçalo Amaral pela publicação do livro "Maddie, a verdade da mentira", diz, no despacho a que o JN teve acesso, que "não foi feita prova de que os autores Kate e Gerald McCann se encontrem destruídos dos pontos de vista moral, social e ético", com a publicação do livro

Reconhecendo que o casal britânico sentiu "raiva, desespero e angústia", a magistrada diz não ser possível, "a partir da prova disponível, discernir" se os alegados danos imputados a Gonçalo Amaral sejam "consequência do desaparecimento de Madeleine" ou "efeito do livro".

Melo e Castro adiantou que "do ponto de vista familiar a prova revelou um esforço bem sucedido de coesão" do casal. Considerou também que "do ponto de vista sentimental/emocional não é credível que as sequelas dos factos destes autos vão ao ponto da destruição ou muito para além da dor provocada pelo desaparecimento da filha dos referidos autores".

Já Gonçalo Amaral, disse ao JN estar satisfeito com a decisão da magistrada, salientando que "o que esteve em causa foi provar ou não factos".

O  casal McCann anda há anos na cruzada da vitimização, felizmente  há uma juíza  chamada Emília Melo e Castro que não embarcou em pieguices.



.
.

DOUTRO SÉCULO

"LUNETAS"
















.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Empresa de Fátima Lopes pede revitalização mas estilista promete continuar com colecções

"É uma empresa 100% para continuar". Se não fosse, a Fátima Lopes LDA teria pedido a insolvência. Mas não. A empresa da estilista pediu a entrada em Processo Especial de Revitalização, em que negoceia a salvação com os credores, entre os quais o BCP e o Banif.
.
Portugal entrou em crise e a moda de autor, como outros sectores, sofreu com isso. A Fátima Lopes LDA, empresa da estilista madeirense, não escapou aos problemas. Mas a empresa quer continuar a funcionar. Por isso, aderiu ao Processo Especial de Revitalização, o PER, em que vai negociar a sua salvação com aqueles a quem deve.
 .
"O PER é um instrumento de revitalização para as empresas que são viáveis mas que atravessam algumas dificuldades. É o caso da Fátima Lopes Lda", indicou Fátima Lopes em declarações ao Negócios. Foi publicado esta quinta-feira, 22 de Janeiro, o despacho de homologação do acordo de revitalização. Ou seja, este pedido já foi aceite pela justiça. O acordo contou com o apoio da Melo (Madeiras), empresa proprietária do edifício onde se encontra a empresa de Fátima Lopes na Rua da Atalaia, em Lisboa.

O entendimento foi feito com a Melo (Madeiras) entre outros credores mas a lista de entidades a quem a sociedade Fátima Lopes LDA deve inclui o BCP, o Banif e o Banco Popular. "A decisão agora publicitada vincula os credores, mesmo aqueles que não hajam participado nas negociações", indica a nota no site do Citius, que dá conta da entrada em PER da empresa.

"Não é surpresa para ninguém as dificuldades que a maior parte das pequenas e médias empresas têm enfrentado nos últimos anos em Portugal. Ora, em altura de crise, a moda de autor não é prioritária e fica para segundo plano. Com o decréscimo das vendas e as despesas fixas efectivas, as dificuldades aparecem", explica a estilista. Daí que a opção tenha sido passar por uma "reestruturação e a revitalização para continuar uma empresa que está no mercado há muitos anos". A Fátima Lopes LDA existe há 22 anos, com a sede na Rua da Atalaia, em Lisboa, há 16. Não foi possível saber quantos funcionários emprega.

Ao Negócios, Fátima Lopes explicou que a empresa, cujo destino das obras é sobretudo para o mercado nacional, é "100% para continuar". A "continuidade da marca" é referida várias vezes pela estilista que também tem outras sociedades.

Para o futuro, contudo, haverá "algumas alterações estratégicas, muita remodelação, mas com muita vontade de fazer cada vez mais e melhor". Certo é que as colecções irão "continuar normalmente", assegurou. Já se está a trabalhar para 2015 e 2016, disse. Se não fosse para manter a actividade, justificou Fátima Lopes, a opção tinha sido a insolvência. O que não aconteceu.

* Torcemos para que a empresa Fátima Lopes LDA recupere da crise em que se encontra, gostamos da louca genialidade das suas colecções e da  coragem em se aventurar num caminho difícil.


.
.

AS LOUCURAS DE 2014

video

.
.
HOJE NO
"DESTAK"

A privacidade "morreu definitivamente" - professoras universitárias de Harvard 

 Um conjunto de professores da Universidade norte-americana de Harvard apresentou hoje aos participantes no Fórum Económico Mundial, que decorre em Davos, uma 'contra utopia', na qual a vida privada morreu definitivamente. 
 .

Imagine-se um mundo onde robots do tamanho de mosquitos voam à volta das pessoas e lhes retiram amostras do ADN ou uma grande superfície comercial que conhece todos os hábitos de compras dos clientes, sabendo até de gravidezes antes de as clientes as comunicarem à própria família. 

"Bem-vindos a este mundo. Já chegámos", disse a professora de ciência informática de Harvard Margo Seltzer, ao descrever esta assustadora 'contra utopia'. 

* Deixámos que a tecnologia transformasse a vida numa monstruosa imbecilidade, os "donos do dinheiro" gostam, convém-lhes gente amorfa.


.
.



TANTO  PARA APRECIAR
COMO PARA 
DEGUSTAR












FABULOSAS APRESENTAÇÕES
 DE SASHIMI


.
.
HOJE NO
"i"

Artrite reumatóide. 
Mais uma vitória da brigada do reumático 

Investigadores do CNC descobriram o que provoca a doença que afecta 40 mil portugueses

T CD8: para quem julga que é um código de uma operação policial, o tiro foi completamente ao lado. As letras e os números servem para designar as células do sistema imunitário produzidas pelo timo (órgão linfóide situado junto ao coração). Servem estas células para defender o organismo das infecções. No caso das pessoas com artrite reumatóide, as T CD8 ficam de tal forma adulteradas que são incapazes de cumprir a sua função, prolongando a doença, quer ao nível sanguíneo, quer ao nível das articulações. E essa foi a grande descoberta alcançada pela equipa de investigadores do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC), foi ontem anunciado pela Universidade de Coimbra.
 .
Cátia Duarte, José António Pereira da Silva, Helena Carvalheiro, Margarida Souto Carneiro fazem parte desta brigada. Durante a sua investigação descobriram que as T CD8 perdem a tolerância imunológica e começam a sabotar o sistema. Isto é, matam as células boas da articulação e, por outro lado, poupam as células erradas, que deveriam ser destruídas.

A conclusão foi retirada a partir de uma experiência que usou modelos animais. Ao observarem ratinhos, os cientistas perceberam que, quando retiravam as T CD8 do sistema, as cobaias apresentavam melhorias “muito significativas”. Constatando esse fenómeno, a equipa do CNC liderada por António Pereira da Silva decidiu na fase seguinte acompanhar 96 doentes com artrite reumatóide, seguidos no Serviço de Reumatologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. “Estes resultados abrem portas ao desenvolvimento de novos alvos terapêuticos com o foco nestas células, que estão a matar a células erradas porque perderam a capacidade de distinguir o que é estranho daquilo que faz parte do organismo”, explicou Helena Carvalheiro, primeira autora do artigo científico publicado no “Arthritis & Rheumatology”, revista internacional de referência da área.
Sendo a artrite reumatóide uma doença crónica que provoca a destruição das articulações e invalidez progressiva, a procura de novas respostas clínicas “continua a ser um objectivo nuclear, apesar dos notáveis progressos registados já na última década”, sublinha José António Pereira da Silva.

Financiada pelo programa Marie-Curie (bolsas atribuídas pela União Europeia) e por um laboratório de indústria farmacêutica, a pesquisa vai agora centrar--se em “seleccionar as vias moleculares intracelulares das T CD8 que podem ser modificadas geneticamente com fins terapêuticos”, conta a investigadora. Isto é, avaliar como funcionam os sinais dentro destas células, através da análise genética, identificar os que estão alterados e proceder à sua “reparação para que todas as peças da máquina voltem a funcionar em favor do doente”, explica Helena Carvalheiro. Estima-se que a doença afecte actualmente de 40 mil portugueses.

* Investigação científica portuguesa na vanguarda

.