quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.




.
.

  DO QUE NÓS


  "NOS ORGULHAMOS"!



O Discurso de Saramago 
 Palácio Real de Estocolmo

"Cumpriram-se hoje exactamente 50 anos sobre a assinatura da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Não têm faltado comemorações à efeméride. Sabendo-se, porém, como a atenção se cansa quando as circunstâncias lhe pedem que se ocupe de assuntos sérios, não é arriscado prever que o interesse público por esta questão comece a diminuir já a partir de amanhã. Nada tenho contra esses actos comemorativos, eu próprio contribuí para eles, modestamente, com algumas palavras. E uma vez que a data o pede e a ocasião não o desaconselha, permita-se-me que diga aqui umas quantas mais.

Neste meio século não parece que os governos tenham feito pelos direitos humanos tudo aquilo a que moralmente estavam obrigados. As injustiças multiplicam-se, as desigualdades agravam-se, a ignorância cresce, a miséria alastra. A mesma esquizofrénica humanidade capaz de enviar instrumentos a um planeta para estudar a composição das suas rochas, assiste indiferente à morte de milhões de pessoas pela fome. Chega-se mais facilmente a Marte do que ao nosso próprio semelhante.

Alguém não anda a cumprir o seu dever. Não andam a cumpri-lo os governos, porque não sabem, porque não podem, ou porque não querem. Ou porque não lho permitem aquelas que efectivamente governam o mundo, as empresas multinacionais e pluricontinentais cujo poder, absolutamente não democrático, reduziu a quase nada o que ainda restava do ideal da democracia. Mas também não estão a cumprir o seu dever os cidadãos que somos. 

Pensamos que nenhuns direitos humanos poderão subsistir sem a simetria dos deveres que lhes correspondem e que não é de esperar que os governos façam nos próximos 50 anos o que não fizeram nestes que comemoramos. Tomemos então, nós, cidadãos comuns, a palavra. Com a mesma veemência com que reivindicamos direitos, reivindiquemos também o dever dos nossos deveres. Talvez o mundo possa tornar-se um pouco melhor.

Não esqueci os agradecimentos. Em Frankfurt, no dia 8 de Outubro, as primeiras palavras que pronunciei foram para agradecer à Academia Sueca a atribuição do Prémio Nobel da Literatura. Agradeci igualmente aos meus editores, aos meus tradutores e aos meus leitores. A todos torno a agradecer. E agora também aos escritores portugueses e de língua portuguesa, aos do passado e aos de hoje: é por eles que as nossas literaturas existem, eu sou apenas mais um que a eles se veio juntar. Disse naquele dia que não nasci para isto, mas isto foi-me dado. Bem hajam portanto."
José Saramago

Estocolmo, 10 de Dezembro, 1998



.
.

S.PEDRO HUMILDE















.
.

O TRATADO
ORÇAMENTAL




CLIQUE EM "Programa OLHOS NOS OLHOS"

Se no dia do programa não teve oportunidade de ficar mais esclarecido sobre o tema, dispense-se tempo para se esclarecer agora, este programa é extenso mas terrívelmente claro e polémico.
Fique atento às declarações do Prof. João Ferreira do Amaral


.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Falha de segurança marca
 entrega do Nobel da Paz

A polícia norueguesa apresentou desculpas pelo incidente que perturbou, esta quarta-feira, a cerimónia de entrega do Prémio Nobel da Paz à paquistanesa Malala e ao indiano Kailash Satyarthi.

O homem que se identificou como estudante mexicano colocou-se frente a Malala ao indiano Kailash Satyarthi exibindo uma bandeira do México.
 .
Breves instantes após a interrupção da cerimónia as forças de segurança tomaram contra do incidente, na câmara municipal de Oslo.

"Foi uma falha da segurança pela qual pedimos desculpa e que não deveria ter acontecido", disse John Fredriksen em conferência de imprensa na capital norueguesa.

A intrusão do estudante mexicano é considerada como um incidente sério visto que a Malala continua a ser um alvo dos extremistas islâmicos, depois de ter sobrevivido a uma tentativa de assassinato no dia 9 de outubro de 2012.

A família real da Noruega e membros do governo de Oslo, incluindo a chefe do Executivo, Erna Solberg, também se encontravam junto do homem que perturbou a cerimónia.

"Nada disto deveria ter acontecido. Deveríamos ter garantido uma melhor segurança" acrescentou o responsável pela polícia.

De acordo com as autoridades de Oslo, o estudante mexicano chegou à Noruega no dia 26 de novembro tendo pedido asilo político na quinta-feira passada.

O homem que não se encontrava armado "está preocupado com os acontecimentos políticos no México", explicou Fredriksen.

O desaparecimento de 43 estudantes mexicanos tem sido motivo de manifestações de indignação em vários pontos do México, denunciando atos de violência que não são evitados ou resolvidos pelas forças da ordem.

O estudante interpelou Malala em inglês pedindo-lhe para "não se esquecer dos estudantes do México" referindo-se aos jovens mexicanos que desapareceram misteriosamente no final de setembro, no sul do país.

Não tendo convite para entrar no edifício da câmara municipal, o estudante conseguiu entrar, supostamente, como jornalista.

A adolescente paquistanesa Malala Yousafzai, ícone da luta pelo direito à educação das mulheres, prometeu hoje lutar até que a última criança seja escolarizada, ao receber o prémio Nobel da Paz.
"Vou continuar esta luta até que eu veja todas as crianças na escola", declarou Malala que, aos 17 anos, tornou-se na pessoa mais jovem a receber esta distinção, que este ano foi igualmente atribuída ao ativista indiano Kailash Satyarthi, de 60 anos, dos quais 35 foram dedicados ao combate do trabalho infantil.

* A falha é grave, gravíssima, se em vez do el estudantito mexicano fosse um "jhiadista" enrolado em bombas teria sido uma carnificina. Nós gostamos imenso da Noruega, do seu povo, da seriedade, dos  seus hábitos anti-consumistas, mas cautela, mesmo muita cautela.

.
.




VICTORIA'S


   SECRET/1


2014





.
.


HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Petróleo afunda mais de 4%
 para novos mínimos

Os preços do petróleo continuam em queda acentuada, tendo chegado a perder mais de 4% para mínimos de Julho de 2009. A revisão em baixa das estimativas da OPEP sobre a procura desta matéria-prima, o corte nas previsões de preços dos EUA e do Irão são os principais responsáveis pelo comportamento.
.
O Brent, negociado em Londres e de referência para Portugal, cai 3,89% para 64,24 dólares tendo chegado a deslizar mais de 4% para 63,56 dólares, o que corresponde ao valor mais baixo desde Julho de 2009. É mesmo a primeira vez que o barril deste petróleo recua para um nível abaixo dos 64 dólares desde então.
.
Já o West Texas Intermediate (WTI), transaccionado em Nova Iorque, está a descer 4,32% para 61,06 dólares, tendo tocado nos 60,42 dólares, o que corresponde ao valor mais baixo desde Julho de 2009.

Os preços do petróleo têm vindo a cair nos últimos meses, sobretudo devido à especulação de que os países exploradores e fornecedores desta matéria-prima pudessem abrir uma guerra relativa aos preços. A Arábia Saudita, por exemplo, reduziu, no início de Novembro, o preço de venda do barril para os Estados Unidos, como forma de manter a sua quota neste mercado e enfrentar a concorrência do Canadá, México, Venezuela ou dos produtores de petróleo de xisto.

Entretanto o petróleo começou a acentuar as quedas. Entretanto, a Organização dos Países Exportadores dePetróleo (OPEP) reuniram-se, no final de Novembro, tendo mantido as quotas de produção. O que também contribuiu para que a matéria-prima mantivesse a tendência de fortes quedas nos mercados internacionais.

Esta quarta-feira, 10 de Dezembro, a OPEP emitiu um relatório com as previsões para o mercado petrolífero,revendo em baixas as projecções para a procura pelos seus barris no próximo ano. Justifica o corte com a economia, mas também com o petróleo de xisto dos EUA.

Antes deste relatório, o Irão emitiu as suas previsões, apontando para que o petróleo recue para os 40 dólares,  caso se verifique uma guerra de preços ou se surgirem divisões no seio da OPEP.

Já os EUA cortaram em 15 dólares previsão para o preço médio do petróleo. A Agência de Energia dos EUA aponta o dedo à decisão da OPEP para a revisão em baixa da estimativa para os preços da matéria-prima no próximo ano.

Os maiores produtores de petróleo começam assim a trocar acusações entre si para explicarem a queda abrupta dos preços desta matéria-prima. Desde o início do ano o Brent já cai 42% e o WTI quase 38%.

* As mafias "petroleiras" da Russia, deserto, América Latina e África, que sempre ligadas ao poder mantém à décadas regimes ditatoriais, estão a levar um safanão, já se zangam umas com as outras, festejemos.


.
.


2.OS SEGREDOS


DA MAGIA





.
.
HOJE NO
"DESTAK"


Combatentes do Ébola foram eleitos
. 'Pessoa do Ano 2014' 

 Os combatentes do vírus do Ébola foram escolhidos para 'Pessoa do Ano 2014', na votação realizada pela revista TIME. 

A editora da publicação, Nancy Gibbs, revelou o vencedor no programa Today, que é emitido na NBC, esta quarta-feira de manhã. «Estes homens e mulheres fizeram o trabalho difícil e perigoso de tratar os pacientes e proteger-nos a nós», afirmou a editora, que aplaudiu estas pessoas, por demonstrarem uma «uma excepcionalmente grande dose de coragem, gentileza e bravura.» 

 Outros finalistas para Pessoa do Ano incluíam nomes como o presidente russo Vladimir Putin, a cantora Taylor Swift, o comissário da NFL, Roger Goodell, o CEO da Apple, Tim Cook ou o presidente da região curda do Iraque, Massoud Barzani. 
 .

 Um dos médicos homenageados com este prémio foi o Dr. Kent Brantly, o médico americano que contraiu Ébola enquanto tratava pacientes na Libéria. Este profissional da saúde esteve no programa, onde se sentiu honrado com a distinção. «Este não é simplesmente um evento histórico que estamos a recordar», afirmou. «Ainda está a acontecer. Os combatentes do Ébola não são só pessoas que fizeram algo corajoso. Eles ainda estão nas trincheiras a combater esta guerra, enquanto falamos.» 

Escolhidos pelos editores da publicação todos os anos, a 'Pessoa do Ano' da TIME é um individuo ou um grupo de indivíduos que tiveram o maior impacto nas notícias desse ano. Vencedores anteriores incluem nomes como o Papa Francisco ou o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg. A revista revelou também que o primeiro ministro indiano, Narenda Modi, foi o vencedor deste prémio, na votação realizada pelos leitores. 

* Justíssimo prémio.

.

MÓNICA FERRO

.




Dia Internacional dos
 Direitos Humanos 

Os direitos das mulheres 
são direitos humanos

Sabiam que todos os dias casam 39.000 crianças? E que, por ano, à volta de 70.000 adolescentes morrem de causas relacionadas com a gravidez e o parto? Sabiam que não tem que ser assim?

Sim, eu sei que desde 1993, desde a Conferência Mundial de Direitos Humanos de Viena, que há a afirmação inequívoca de que os direitos das mulheres são direitos humanos e, logo, universais, indivisíveis e inalienáveis. 

Sim, eu sei que os direitos humanos das mulheres estão plasmados, garantidos e protegidos em inúmeros tratados de direitos humanos internacionais, instrumentos regionais e legislação nacional, cuja monitorização é garantida por Comissões, Comités e vários outros organismos.

Sim, eu sei que hoje é Dia Internacional dos Direitos Humanos, de todos os direitos de todos os seres humanos, e que algumas pessoas poderão achar redutor eu me centrar nos direitos das mulheres, de metade da população.

Mas sabiam que uma em cada três mulheres relata que, ao longo da sua vida, foi vítima de uma das várias formas de violência contra as mulheres? Com taxas de prevalência que revelam que esta violência ocorre em todas as latitudes, em todos os patamares de desenvolvimento nacional, tornando-a numa verdadeira pandemia? E que essa violência inclui seleção pré-natal do sexo, infanticídio de meninas, mutilação genital feminina, casamentos forçados precoces, crimes de honra, crimes relacionados com o dote, assédio sexual, perseguição, violação como arma de guerra, discriminação no acesso à educação, à saúde, ao crédito, e outras discriminações e violências?

Sabiam que todos os dias, todos os dias, morrem 800 mulheres e raparigas por causas ligadas à gravidez, parto e pós-parto? Que a esmagadora maioria destas mortes é evitável com acesso a serviços e cuidados de saúde sexual e reprodutiva? E que 99% destas mortes acontecem no mundo em desenvolvimento? E que esses cuidados e serviços custam apenas cerca de 25 dólares por pessoa, por ano? E que todos os dias 20.000 raparigas com menos de 18 anos dão à luz?

Sabiam que dados do Fundo das Nações Unidas para a População nos dizem que mais de 140 milhões de meninas, raparigas e mulheres foram submetidas a um dos tipos de mutilação genital feminina e que, a manter-se a tendência atual, até 2030 mais 86 milhões de meninas serão vítimas desse crime? Sabia que não há justificação religiosa, de saúde ou outra aceitável para a MGF?

Sabiam que o tráfico de seres humanos movimenta todos os anos cerca de 24 mil milhões de euros e vitima mais de 2,4 milhões de pessoas por ano? E que as mulheres e raparigas contabilizam cerca de 80% das pessoas traficadas? E que 79% dessas raparigas e mulheres serão traficadas para fins de exploração sexual?

Sabiam que todos os dias casam 39.000 crianças? Sabia que todos os dias 20.000 raparigas dão à luz no mundo em desenvolvimento? E que, por ano, à volta de 70.000 adolescentes morrem de causas relacionadas com a gravidez e o parto?

Sabiam que por todo o mundo existem 780 milhões de adultos e 126 milhões de jovens que não têm as competências fundamentais para exercerem uma profissão e que mal sabem ler? E que mais de 60% dessas pessoas são mulheres?

Sabiam que a média global de mulheres nos Parlamentos é de 21,8%, que 4 parlamentos nacionais não têm sequer uma mulher parlamentar e que outros 4 países têm apenas uma? E que em 2014 as mulheres ocupavam 17,2% das pastas ministeriais e que apenas 36 países tinham 30% ou mais de mulheres ministras?

Sabiam que as mulheres, embora constituam mais de metade da população universitária – e na União Europeia detenham cerca de 60% dos diplomas universitários – , apenas 15,8% dos cargos de direção na UE são ocupados por mulheres? E que nas 100 maiores empresas da União 96 têm homens presidentes?

Sabiam que embora o último relatório do Fórum Económico Mundial sobre o Global Gender Gap nos diga que há mais igualdade no mundo, alerta para que no mercado laboral essa igualdade será atingida apenas em 2095?

Sabiam que em cada momento de cada dia há uma mulher vítima de violência doméstica? Que no espaço do amor, dos afetos, encontra medo, violência, dor e até a morte?
Mas sabiam que não tem que ser assim?

Sabiam que temos dias internacionais da mulher, da rapariga, para a eliminação de todas as formas de violência contra as mulheres, de tolerância zero para a mutilação genital feminina, contra o tráfico de seres humanos, dos direitos humanos que hoje se celebra? Que esses dias alertam consciências e constroem defesas contra esta pandemia? Que todo/as nós temos um papel nesta luta? Combatendo os estereótipos, a discriminação, negando uma cultura de consentimento a estas e outras violências e denunciando-as.

No dia internacional dos direitos humanos pratiquemos o que mais humano há: a empatia. Digam basta às violências contras as raparigas e mulheres porque são violações dos direitos humanos, porque são violências contra todo/as nós.

Vice-presidente do grupo parlamentar do PSD; Coordenadora do Grupo Parlamentar Português sobre População e Desenvolvimento; Membro do Comité Executivo do Fórum Europeu de Parlamentares sobre População e Desenvolvimento

IN "OBSERVADOR"
09/12/14



.
.


359.UNIÃO


EUROPEIA












.
.

HOJE NO
"i"

Mesmo na prisão, a vida é mais confortável 
.para quem tem dinheiro ou poder

A lei trata os reclusos da mesma maneira, mas a vida na cadeia é mais confortável para quem, cá fora, tem dinheiro, poder ou status social. Especialistas explicam como os ricos têm acesso a melhores condições

A lei é igual para todos e não admite excepções. Mas, na prisão, a vida é mais confortável para os reclusos que, cá fora, têm dinheiro ou poder. A cadeia, explica o professor de História do Direito Miguel Romão, é um “prolongamento” das desigualdades que existem na sociedade e um recluso que tenha suporte familiar, um círculo de amizades, influência ou dinheiro terá uma vida mais fácil atrás das grades.
.
A começar pelas visitas. Um preso integrado socialmente é mais visitado do que um recluso proveniente de um estrato social inferior. “Os familiares de detidos com menos posses, muitas vezes, não têm dinheiro para poder deslocar-se à cadeia”, exemplifica o psicólogo forense Rui Abrunhosa Gonçalves, que trabalha há anos com reclusos. Pode parecer um detalhe, mas as visitas são importantes para o bem-estar e o equilíbrio de quem está detido. “Ajudam o recluso a alimentar o sentimento de que não morreu cá fora”, acrescenta Miguel Romão. Recebendo mais visitas, um recluso com dinheiro terá maiores possibilidades de acesso a objectos pessoais e bens alimentares, levados pela família e amigos. “O que parece uma discriminação não é mais do que a organização das cadeias. Presos com mais posses económicas têm acesso a bens que outros reclusos não têm, como televisão, livros ou determinados bens alimentares”, acrescenta o especialista.

O regulamento das prisões mudou há cerca de dois anos e deixou de ser permitida a entrada de produtos como tabaco – que os presos têm agora de comprar dentro dos estabelecimentos prisionais. Mas o grau de controlo tem servido, garante o presidente do sindicato dos guardas prisionais, para aumentar ainda mais o fosso entre ricos e pobres. Jorge Alves explica que agora só quem tem dinheiro pode ter acesso a cigarros ou bens alimentares como cereais de marca, salsichas ou latas de atum. Culpa das restrições, o tabaco tem vindo a assumir-se, cada vez mais, como “uma importante moeda de troca”. Além disso, os reclusos deixaram de usar uniformes. Por isso, os presos mais endinheirados têm roupas melhores e mais quentes – igualmente providenciadas pelas famílias.

A segurança Numa mesma cadeia juntam-se histórias, contextos sociais e percursos de vida distintos. E o sistema, acredita Miguel Romão, “procura adaptar--se às características de cada recluso”. Até por uma questão de segurança das próprias cadeias. Não é à toa que os presos considerados mais perigosos são isolados ou que há cadeias especiais – como aquela em que José Sócrates está detido, reservada a elementos das forças de segurança.

Os presos com mais dinheiro podem inspirar maiores cuidados no que à segurança diz respeito. Dentro das cadeias há hierarquias estabelecidas entre os reclusos. Os violadores e pedófilos ocupam os lugares mais baixos e são, frequentemente, alvo de agressões. E os condenados por crimes de colarinho branco, explica Rui Abrunhosa Gonçalves, vêm logo a seguir. “Os outros presos consideram que estão detidos porque a sociedade não lhes deu uma oportunidade e não vêem com bons olhos a chegada de pessoas que foram poderosas cá fora”, explica. O quotidiano destes reclusos acaba, assim, por ser diferente: raramente são colocados em celas comuns, por exemplo. Jorge Alves acrescenta, porém, que ter dinheiro pode ser sinónimo de mais segurança. “Há casos em que os reclusos mais violentos se oferecem para fazer segurança privada aos detidos com mais dinheiro, na expectativa de ganhar alguma coisa com isso, e alguns até têm quem lhes limpe a cela e faça recados”, conta o guarda prisional.

Ainda assim, a adaptação à vida da cadeia é sempre mais difícil para um preso com status social ou dinheiro. “Um recluso que tenha vivido numa subcultura de violência adapta-se melhor às adversidades da vida em reclusão”, garante o psicólogo forense.

As profissões na cadeia Porém, os presos com mais dinheiro e escolaridade acabam por ser poupados e destacam--se quase sempre na hora da distribuição de tarefas dentro das cadeias. A psicóloga Sofia Gomes constatou, numa tese de mestrado apresentada no ISPA em 2012 sobre “A pessoa reclusa em contexto prisional”, que a maioria dos reclusos portugueses vem “de classes sociais desfavorecidas” e apresentam características como “escassa escolarização, alto índice de fracasso escolar, deficiente qualificação profissional e ausência de hábitos laborais”. De uma maneira geral, a maioria dos presos foram trabalhadores não qualificados e manifestam “modos de pensar e agir determinados pelas vicissitudes culturais e económicas próprias dessas camadas sociais”.

Por isso, a um preso que tenha habilitações superiores são dadas tarefas diferentes. “Um detido que tenha sido professor acaba muitas vezes a dar aulas aos outros reclusos ou a trabalhar na biblioteca”, exemplifica Miguel Romão. Rui Abrunhosa Gonçalves concorda e sublinha que, por norma, os presos de colarinho branco ficam “a salvo” de trabalhos mais pesados. Já os reclusos sem posses acabam frequentemente como faxineiros. Jorge Alves acrescenta que os ricos são privilegiados até no que toca à reinserção social: “Os técnicos dão mais atenção e maior acompanhamento aos detidos com mais dinheiro, porque acreditam que têm maiores hipóteses de a reinserção funcionar.”

Até à década de 1950, o sistema prisional previa o pagamento de taxas para o acesso a melhores condições dentro das cadeias. Passaram mais de 60 anos e a troca de dinheiro foi abolida – ainda durante o Estado Novo. No entanto, no mundo das prisões, ricos e pobres continuam a ter tratamentos diferentes.

* Uma enorme injustiça o exercício da justiça nas cadeias portuguesas.

.
.
 NOBEL DA PAZ
2014






.
.


49.O MELHOR
 DA ARTE

01.GRANDES PINTORES

PORTUGUESES



JÚLIO POMAR


O RISCO/1




"Júlio Pomar - O Risco" é um documentário biográfico sobre um dos mais importantes pintores portugueses contemporâneos. Ao longo de 59 minutos acompanhamos o percurso do artista através do seu testemunho na primeira pessoa e com depoimentos de pessoas de vários quadrantes da sociedade, entre eles António Lobo Antunes, Siza Vieira, Mário Soares, Vasco Graça Moura, vários críticos de arte, galeristas, entre outros.



FONTE:Panavideo Produções


.
.
HOJE NO
"A BOLA"

Estado Islâmico ensina combatentes
 a raptar e violar escravas

Os investigadores do Instituto de Investigação para o Médio Oriente, sediado em Washington, nos Estados Unidos da América (EUA), analisaram aquilo que acreditam ser um documento propagandístico do Estado Islâmico (EI). 
 .

Com 27 perguntas e respetivas respostas, o texto promove uma série de instruções para que os seus seguidores saibam como agir ao raptar e violar mulheres escravas.

As imposições praticamente colocam as reféns à mercê dos desejos de outrem. Numa resposta a uma das questões, por exemplo, pode ler-se:

«É permitido ter relações sexuais com a mulher imediatamente depois de esta ser raptada, desde que a escrava seja virgem. Se não for, o seu útero tem de ser purificado primeiro.»

Além disso, segundo o documento as menores podem também ser violadas desde que estejam aptas a ter relações sexuais. Qualquer mulher não muçulmana, sobretudo as judias e cristãs, pode tornar-se numa escrava, de acordo com os preceitos dos jihadistas. 

* Não sabemos quem está por detrás manigância, estamos no limiar da decisão selvagem, "ou nós ou eles".


.
.
 CARLOS MENDES
AOS FILHOS DA PITA


.
.

HOJE NO 
  "DIÁRIO DE NOTÍCIAS
DA MADEIRA"

Um bem alimentar para a Cruz Vermelha 
vale uma entrada no circo 
Circo Mundial reserva espectáculo
 sexta-feira para a solidariedade

Circo Mundial abre espectáculo de sexta-feira a 700 pessoas que levarem um bem alimentar para a Cruz Vermelha

Cerca de 700 pessoas poderão assistir ao espectáculo do Circo Mundial, esta sexta-feira na Praia Formosa, com entradas a um custo simbólico. Fruto de uma parceria com a delegação da Madeira da Cruz Vermelha Portuguesa, as entradas para o espectáculo das 21 horas do dia 12 serão entregues aos interessados que se apresentarem na entrada do circo com um bem alimentar. Esse bem reverte para a Cruz Vermelha que, por sua vez, o fará chegar às famílias carenciadas a quem já presta apoio.
 .
 A parceria, explica a delegação regional da Cruz Vermelha Portuguesa, pretende angariar ajuda alimentar com vista a proporcionar um Natal melhor a pessoas em dificuldades.

“O circo Mundial disponibilizou 700 bilhetes para o espectáculo do dia 12 de Dezembro às 21h00. Para obter o seu ingresso, basta comparecer à porta de entrada levando consigo um bem alimentar, em troca recebe um bilhete”, refere uma nota emitida pela Cruz Vermelha que explica ainda que cada entrada será entregue a troco de um artigo alimentar.

Além do agradecimento à empresa Mariani, responsável pelo Circo Mundial, a delegação regional da Cruz Vermelha “apela à generosidade” dos madeirenses que ao participar nesta iniciativa ajudam aquela instituição a apoiar pessoas em dificuldades na Região.

* Um gesto muito bonito da administração do Circo Mundial, numa época dedicada à família, embora haja membros de famílias respeitadísimas a morderem-se uns aos outros.


.
.
 
Grand Prix de Ulster


.
.
HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Machado da Cruz "não está fugido" 
e vai ser ouvido no Parlamento

O famoso ‘commissaire aux comptes' telefonou ao presidente da comissão de inquérito para dizer que "não está fugido" e manifestar a sua disponibilidade para ser ouvido. "Não está fugido, não está em parte incerta e mostrou a sua disponibilidade para ser ouvido quando quisermos", anunciou hoje Fernando Negrão, presidente da comissão parlamentar de inquérito sobre o caso BES, antes de Pedro Queiroz Pereira começar a ser ouvido.

Negrão anunciou depois que haverá uma reunião de coordenadores para que a audição seja marcada.

Segundo apurou o Económico, Francisco Machado da Cruz foi ouvido recentemente pelo Banco de Portugal no âmbito do processo contra-ordenacional destinado a averiguar responsabilidades no que se passou no banco e que conduziria, em Agosto, à sua queda e resolução. Nesse depoimento voltou a defender que Salgado sempre soube de tudo o que se passada na ESI.


Francisco Machado da Cruz foi tema das audições de ontem de Ricardo Salgado e de José Maria Ricciardi. O presidente do BESI argumentou que as reuniões sobre as contas da ESI estavam circunscritas a Machado da Cruz, Ricardo Salgado e José Castella.

* A famiglia "espírito beato" quiz fazer de Machado da Cruz cúmplice, vigarista e por último  foragido a monte, aguardemos as suas revelações.


.
.
 27- GPS
















.
.
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Submarinos valeram 7,5 milhões à família 

Cada ramo dos Espírito Santo recebeu 1,5 milhões de euros do negócio dos submergíveis.

Ricardo Salgado revelou no Parlamento que os cinco ramos da família Espírito Santo receberam, no âmbito do negócio dos submarinos, mais do que os cinco milhões de euros referidos nas gravações das reuniões do conselho superior do Grupo Espírito Santo (GES). Ao que o CM apurou, o negócio terá rendido à família um total de 7,5 milhões de euros em comissões. 
 .

Salgado frisou ainda que a administração da Escom, empresa do GES que participou na elaboração das contrapartidas dos submergíveis, lhe garantiu que "não foram pagas comissões a ninguém da área política." Paulo Portas era, na altura, ministro da Defesa. Cada um dos cinco ramos da família Espírito Santo terá recebido em comissões pelos submarinos 1,5 milhões de euros e não um milhão de euros, como é referido na ata da reunião do conselho superior do GES de 7 de novembro de 2013. 

Numa das reuniões gravadas do conselho superior do GES, Manuel Fernando Espírito Santo disse ter recebido 1,8 milhões de dólares (1,5 milhões de euros). Ontem, em resposta a uma pergunta de Pedro Nuno Santos, deputado do PS, o antigo presidente executivo do BES foi categórico: "O montante recebido é superior aos cinco milhões de euros referidos [nas conversas na reunião do conselho superior do GES]". E para que não restassem dúvidas sobre esta assunto, Salgado acrescentou: "Isso [o valor das comissões] depois foi corrigido." 

O ex-líder do BES garantiu ainda que o GES entregou ao Ministério Público uma ata com os valores atualizados dessas comissões. Depois de anos de suspeitas em torno da compra dos submergíveis, que ainda está em investigação, Salgado assumiu ontem: "No meu entender cometemos um erro de julgamento ao termos entrado na operação dos submarinos." Sobre as reuniões da família, garantiu que não sabia que eram gravadas.

* É um fartar vilanagem!

.
.

Tomorrow World 2014



Em setembro de 2014, TomorrowWorld acolheu 160 mil visitantes de todo o mundo nos terrenos míticos de Chattahoochee Hills, Georgia. 
O conto de fadas continua em setembro 25-26-27 de 2015.

.
.
HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Rota do Românico do Tâmega e Sousa 
Congresso Internacional arranca amanhã 

 O II Congresso Internacional da Rota do Românico do Tâmega e Sousa, que se realiza amanhã e sexta-feira, em Amarante , propõe uma reflexão sobre os valores da memória e da identidade, avançou a organização. 

 "Deseja-se uma reflexão alargada, de caráter multidisciplinar e inovador, sobre a importância e o peso da memória na história de um território onde abundam elementos patrimoniais do românico", disse Rosário Machado. 
 .

Projetando os trabalhos, a diretora da Rota do Românico sublinhou que a reflexão terá em conta que aquele estilo arquitetónico da Idade Média, nos primeiros anos da nacionalidade portuguesa, esteve "patente na forma de viver, nos costumes e rituais de um povo", representando "um momento agregador e identitário que perdurou durante séculos". 

Rosário Machado prevê um congresso diferente do realizado em 2011, em Lousada, que esteve muito centrado nos conceitos do românico e na explicação da rota. "Havia então necessidade de produzirmos algumas reflexões e fazer um ponto da situação", recordou, acrescentando: "Este [segundo congresso] vai ser seguramente diferente.

 Os tempos e a conjuntura são também diferentes. A Rota do Românico foi evoluindo, ganhando alguma expressão". 

* Os portugueses precisam muito de romance, têm sido tão vigarizados nos últimos anos que precisam de emoções doces.


.
.

DE CORTAR A
RESPIRAÇÃO 














.
.


HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

CIA mantinha presos sem dormir 
mais de uma semana

Programa de "combate ao terrorismo" revelou-se improdutivo e ineficaz. Agência pôs em prática uma série de procedimentos que violam elementares direitos humanos 

Presos forçados a permanecerem acordados por mais de 180 horas (uma semana), outros interrogados dias a fio, ameaças de violência sexual e de assassínio dos seus familiares, encenação de execuções, simulação de afogamentos, prática generalizada tortura - nada foi poupado pela CIA na "guerra contra o terrorismo" desencadeada após os atentados do 11 de setembro de 2001.

Estes e outros detalhes constam de um relatório de 528 páginas ontem divulgado pela Comissão para os Serviços de Informações do Senado dos Estados Unidos, onde se passa em revista o "programa de interrogatórios reforçados" posto em prática pela administração de George W. Bush após o ataque da Al-Qaeda em território americano.

Com mais de 35 mil notas de rodapé, o relatório, que apresenta partes censuradas, é a síntese de uma longa investigação de cinco anos condensada em 6300 páginas. Tudo indica que o relatório agora divulgado será a única informação a ver a luz do dia, pois os republicanos em maioria no Senado podem bloquear a publicação de toda a documentação em causa.

* A "ampla" democracia americana, nem Obama, um verdadeiro bluf, teve tomates para acabar  com Guantanamo.


.
.
 
FUTURO ALPINISTA


.
.

HOJE NO
"RECORD"

Tribunal aceita rever 
processo de Pistorius

O pedido do Ministério Público da África do Sul para que o processo do campeão paralímpico Oscar Pistorius, condenado a cinco anos de prisão pelo homicídio da sua namorada, fosse revisto, foi esta quarta-feira aceite pelo tribunal.

A decisão foi tomada pela juíza Thokozile Masipa e consiste em permitir que os magistrados do Supremo Tribunal sul-africano verifiquem se a sua sentença foi correta e aplicada de acordo com a lei. 
 .
ASSASSINADA
Oscar Pistorius foi condenado a prisão efetiva pelo homicídio involuntário - e não pelo assassinato - da sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp, que foi atingida por quatro balas de grande calibre disparadas através da porta da casa de banho.

"O nosso argumento é que [o atleta] devia ser acusado de assassinato e condenado a uma pena mínima de 15 anos, e é isso que pedimos", explicou à agência francesa de notícias AFP o porta-voz do Ministério Público sul-africano, Deanna Ncube, admitindo estar satisfeito com a decisão de hoje tomada pela juíza.

A questão centra-se em saber se o atleta paralímpico, vencedor de seis medalhas de ouro, tinha alguma intenção de matar e se agiu com malícia ou negligência. O Ministério Público considera que Oscar Pistorius não deve ser preso com base nas suas afirmações de que não tinha intenção de matar ninguém. Isso cria um precedente perigoso para a jurisprudência sul-africana até porque o país regista uma criminalidade elevada, argumentou o procurador Gerrie Nel, criticando a decisão de hoje do tribunal.

O atleta sul-africano, de 27 anos, foi declarado culpado, a 12 de setembro passado, pelo homicídio involuntário da sua namorada, de 29 anos, abatida a tiro a 14 de fevereiro de 2013. A juíza Thokozile Masipa ilibou o atleta da acusação de homicídio premeditado - como era solicitado pelo Ministério Público -, tendo considerado provado que Pistorius disparou intencionalmente através da porta da casa de banho da sua habitação em Pretória, mas sem a intenção de matar a pessoa que se encontrava no local.

O atleta foi condenado a cinco anos de pena de prisão efetiva pelo crime de homicídio involuntário, mas também a três anos de pena suspensa por uso de arma de fogo. Nessa altura, um tio de Oscar Pistorius afirmou que a família do atleta sul-africano aceitava o veredicto do tribunal. Também a família da modelo sul-africana Reeva Steenkamp afirmou na altura estar satisfeita com a sentença. O julgamento de Oscar Pistorius durou mais de sete meses.

O atleta sul-africano tornou-se, em 2012, no primeiro corredor com as duas pernas amputadas a disputar uns Jogos Olímpicos (em Londres), tendo conseguido chegar às meias-finais da prova de 400 metros.

* Nutríamos por este homem um respeito enorme pela sua determinação e capacidade de ultrapassar as adversidades físicas. Infelizmente hoje sentimos nojo.


.