sexta-feira, 28 de novembro de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.





.
.

.


  5-ARQUIVOS


EXTRA-TERRESTRES



ÚLTIMO EPISÓDIO


* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.


.
.

HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

O código postal é tão importante como
 o genético: onde se morre mais 
de cancro em Portugal

Direção-Geral da Saúde vai avaliar se há diferenças de tratamento por região que condicionem a mortalidade. Peritos dizem que os estilos de vida e os rastreios têm mais peso. 
 .
Pode a zona do País afetar o número de casos de um tipo de cancro ou a taxa de mortalidade? Os especialistas dizem que sim. No Norte, há mais casos e mortes por cancro do estômago, seja porque se consome mais sal e enchidos, dizem alguns peritos, seja por razões genéticas ou maior sensibilidade a uma bactéria específica.

 Nos Açores e no Algarve, fuma-se e morre-se mais por cancro do pulmão. Há muitas razões além dos estilos de vida a explicar diferenças regionais: fatores genéticos, diferenças em termos de rastreio e de tratamento. As autoridades de saúde esperam saber mais em breve.

*Importante esta investigação


.
.


1 - O AVANÇO 


DO MAR





.
.

HOJE NO
"RECORD"

Stephanie Gilmore 
campeã mundial pela sexta vez

A australiana Stephanie Gilmore sagrou-se campeã mundial pela sexta vez, na praia de Honolua, em Maui, Havai. Gilmore, campeã em 2007, 2008, 2009, 2010, 2012, 2014, entrava para a prova havaiana a "correr" ao lado da compatriota Sally Fitzgibbons para o título mundial. 


A australiana ganhou o frente a frente e reforçou o estatuto de melhor surfista da atualidade. A agora hexacampeã mundial foi eliminada nos quartos de final, mas Fitzgibbons seguiu o mesmo caminho na bateria seguinte, facilitando a tarefa de Gilmore, que este ano ganhou três das dez etapas do ASP World Tour.

Na prova de despedida, ganhou uma surfista da "casa", a havaiana Carissa Moore, que bateu na final a australiana Tryler Wright. 

* Fabulosa. em oito edições ganhou seis.

.
.

  2-QUANDO A EUROPA

SALVA OS BANCOS,

 QUEM PAGA?





.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Criminalização do enriquecimento ilícito está no horizonte de Passos Coelho 

 A deputada do PSD Teresa Leal Coelho salientou quinta-feira que o primeiro-ministro mostrou que tem "no horizonte" a criminalização do enriquecimento ilícito e a criação de "todos os instrumentos" para o "desincentivo ao desvio de recursos financeiros". 
.
"Não só o enriquecimento ilícito está no horizonte do primeiro-ministro, como a criação de todos os instrumentos que puderem ser lançados no debate parlamentar ou governamental para criar condições de desincentivo ao desvio de recursos financeiro, seja no âmbito dos atores financeiros, bancários ou políticos", afirmou a deputada social-democrata, falando aos jornalistas no parlamento sobre a entrevista de Pedro Passos Coelho à RTP.
A deputada disse que a criminalização do enriquecimento ilícito é um projeto do PSD que "vem de trás" e que "tem sido sempre recusado pelo PS" e que, já nesta legislatura, um projeto de lei nesse sentido foi declarado inconstitucional pelo Tribunal Constitucional.

Teresa Leal Coelho disse que a "profunda reforma no sistema de justiça" levada a cabo nesta legislatura permite "ao primeiro-ministro e também aos portugueses poderem dizer que confiam na justiça, que há uma justiça que pode atingir todos".

"Não há ninguém acima da lei. Naturalmente que a justiça não foi introduzida em Portugal nos últimos três anos, mas há uma reforma que tem produzido resultados", declarou.

Para a deputada social-democrata, esta foi a entrevista de um primeiro-ministro que "está num patamar para além das questões orçamentais e financeiras".

"Foi a entrevista de um primeiro-ministro sereno, confiante, e com otimismo no futuro. Um primeiro-ministro determinado a continuar a recuperação de Portugal e a empreender as reformas necessárias, muito empenhado em trazer o PS ao ímpeto reformista que a coligação tem levado a cabo", disse.
Teresa Leal Coelho disse ainda que Passos Coelho colocou apenas como hipótese teórica a necessidade de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos como efeito indireto pela intervenção no BES.

"Só num cenário muito pessimista, ao qual o primeiro-ministro respondeu porque lhe foi perguntado, é que o primeiro-ministro levantou as hipóteses teóricas sobre esta questão", disse.

* Não é preciso andar muito informado para e saber que as leis do país já contemplam regras suficientes  sobre o assunto em causa. Mais legislação só serviria para complicar. O Ministério Público precisa de mais meios técnicos ehumanos para combate ao crime.Se o Tribunal Constitucional chumbou o projecto lei inventado nas bancadas PSD e CDS é porque o mesmo era inconstitucional.


.

SÍLVIA MARTINS

.




A montanha que pariu um rato

Enquanto cada um de nós não fizer dentro do pouco que podemos, o melhor que conseguirmos, de nada nos vale andar a pregar aos peixinhos e a rezar aos santinhos por um mundo melhor.

Enquanto dentro das portas de nossa casa não forem cultivados a boa moral e os bons costumes, em desuso no país, de nada nos vale pôr o nariz fora da porta e dizer que cheira mal.

Enquanto a ética e o rigor que exigimos aos outros não a exigirmos a nós próprios, todos os dias e em cada ação desempenhada, de nada vale, dizer que a dos outros não presta e que a sociedade anda mal.
Os políticos são corruptos, pois serão alguns, se não muitos. A justiça é lenta, pois será, quando o peso pesa e faz os pés arrastar.

E enquanto os juízes continuarem a ser ameaçados com armas junto às fotos dos filhos e os advogados tiverem mulheres que vêm para as redes sociais ou jantares da sociedade, cometer inconfidências dos processos do conjugue, de nada nos vale rogar por melhores sistemas, por melhores justiças.

Devo confessar que todo o aparato deste caso Sócrates, mais um, me deliciou com todos os seus contornos de telenovela, mas agora a seco, com algum tempo já para uma reflexão mais séria e cuidado, devo confessar que receio que esta seja só mais uma montanha a parir um rato.

Que o impacto mediático se esfume no ar e que este se torne um episódio semelhante aquele da missa da catequese da minha filha, em que depois de meia hora de sermão do padre, o abençoado senhor se tenha esquecido do mais importante: a conclusão, o fim, a moral da história.

Novelas aparte, toda esta hecatombe a que parece estar submetida nos últimos tempos a nata da sociedade portuguesa, onde se encontram sediadas algumas das figuras públicas mais influentes do país nos últimos tempos, faz-me lembrar aquela velha máxima que diz que: zangando-se as comadres, se descobrem as verdades.

Desfeitos alguns compadrios do mundo financeiro, não tardaram em “rolar cabeças”.
E nós, povinho, que aprendemos nós com isto?!

Muitos dirão, pois nada, que isso são outros mundos, outras rodagens, outras andanças. Outros dirão que o seu único lamento é que com tanta “luva”, nenhuma lhe tenha aquecido ainda as mãos. E outros tantos, mais sensatos, verão esta situação com verdadeira preocupação.

Com a queda da máscara destas figuras, concretiza-se todo um desencanto, todo um descrédito, cada vez mais generalizado, gravoso e agravado das figuras que lideram o país. Já não há bons exemplos na política. Os homens de negócios têm na sua palavra o seu lixo mais tóxico e o trabalhador honesto, continua na sombra, deixando as coisas importantes para trás, pois está até ao pescoço de coisas urgentes para fazer e resolver.

Há uns largos anos, lembro-me de ter discutido de forma acesa com o meu pai, quando ele me atirava em jeito de conclusão a seguinte afirmação: “não é a trabalhar que se ganha dinheiro”. É claro que eu, acabadinha de receber o meu primeiro ordenado, estava determinada a provar-lhe que ele não tinha razão… não! Que o valor, o mérito, a dedicação, acabam sempre por dar os seus frutos e que um dia, um dia, ainda lhe ia fazer ver que estava errado.

Trabalhei, horas a fio, feriados, fins de semana, aniversários, Páscoas, Natais. Tentei poupar, fui regrada, empenhada, estudei, trabalhei mais um pouco, paguei impostos, segurança social, deixei a minha filha doente na creche, ou com terceiros, para me puder empenhar mais e mais e mais. Passei noites em branco a moer preocupações laborais, fiz do meu trabalho o meu sangue, suor e lágrimas. Fiz de tudo um pouco, nunca disse que não a nada. Tentei ser sempre correta, honesta, regrada. Ainda assim, fiz questão de mostrar o meu valor, como faço, todos os dias, fazendo o melhor que consigo, com o melhor que posso… mas continuo à espera do dia em que lhe irei conseguir provar, que ele não tinha razão.

IN "AÇORIANO ORIENTAL"
28/11/14


.
.


347.UNIÃO


EUROPEIA





 .
.
HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Directores do Novo Banco que
 são arguidos lideravam gestão 
financeira do BES

Os dois directores do Novo Banco que foram constituídos arguidos no âmbito do caso BES tinham responsabilidades no departamento financeiro desta instituição. Isabel Almeida, antiga responsável da direcção financeira do BES, e um seu subordinado directo, estavam sob a tutela do antigo administrador financeiro, Amílcar Morais Pires.
Isabel Almeida, antiga responsável máxima da direcção financeira do Banco Espírito Santo, e um seu subordinado directo que desempenhava funções neste departamento são os dois directores do Novo Banco que foram constituídos arguidos no caso que investiga indícios de actuação criminosa no colapso do BES, apurou o Negócios.
.
Os dois responsáveis estavam sob a tutela do antigo administrador financeiro do BES, Amílcar Morais Pires, que segundo a imprensa foi, tal como Ricardo Salgado, um dos visados pelas buscas realizadas esta quinta-feira pelo Ministério Público a 41 locais. Aliás, Isabel Almeida constava da lista de propostos a administradores de Morais Pires, quando foi escolhido pela família Espírito Santo para suceder a Ricardo Salgado.

Entretanto, o Expresso e o Diário Económico avançam que o nome do segundo arguido é António Soares, quadro do banco. Nenhum dos dois visados exerce, actualmente, funções de cariz executivo no Novo Banco.

"Foram constituídos dois arguidos. Esta constituição não está relacionada com a actividade desenvolvida por estes arguidos no Novo Banco", garantiu fonte oficial da Procuradoria-Geral da República, ao Negócios, escusando-se a prestar outros esclarecimentos, dado que "as investigações relacionadas com o universo Espírito Santo se encontram em segredo de justiça".

O raide do Ministério Público destinou-se a investigar "suspeitas dos crimes de burla qualificada, abuso de confiança, falsificação de documentos, branqueamento de capitais e fraude fiscal". Como o Negócios noticia esta sexta-feira, um dos alvos das buscas foi o esquema de emissão fraudulento que o BES usou para se financiar, através da emissão de obrigações, e para assumir a responsabilidade por parte da dívida do Grupo Espírito Santo.

A descoberta deste estratagema, que gerou perdas de pelo menos 1.500 milhões de euros, foi possível graças à colaboração de Isabel Almeida, em Julho, já depois de Ricardo Salgado e Amílcar Morais Pires terem sido afastados da gestão do BES.

* Surreal, surreal, é o Banco de Portugal!


.
.


O SEGREDO 
DAS COISAS

 3 -PÃO DE FORMA




.
.
.


I -JAPÃO

A MEMÓRIA DO IMPÉRIO SECRETO


3 -O ESTILO DO SAMURAI




* As nossas séries por episódios são editadas no mesmo dia da semana à mesma hora, assim torna-se fácil se quiser visionar episódios anteriores.


.
.

HOJE NO
"DESTAK"

Possível visita de António Costa a José
. Sócrates em Évora já é aposta online

 Casa de apostas online dá mais euros (considera a hipótese menos provável) a quem apostar que António Costa não irá visitar José Sócrates a Évora. 
 .

 O mundo das apostas online não vive só de poker, futebol ou outro tipos de desportos. Uma das casas de apostas com iniciativas menos comuns criou agora uma aposta sobre se o ex-primeiro ministro, José Sócrates, vai ou não receber a visita do líder do Partido Socialista, António Costa. A acontecer terá de ser no estabelecimento prisional de Évora, onde o ex-primeiro ministro está preso preventivamente desde segunda-feira. 

Quem apostar que o atual secretário-geral do PS irá visitar José Sócrates, se acertar, pode ganhar 1,50 € por cada euro apostado. Se a viagem de António Costa a Évora não se realizar, quem apostar nessa hipótese ganha 2,70€ por cada euro apostado. A iniciativa é da Unibet. 

* Coerentemente António Costa sempre se disse amigo de José Socrates, natural portanto visitá-lo na cadeia. Isto não impede que Costa presida às exéquias políticas do amigo.


.
.

 Jazz em português


João Freitas Trio



.
.

HOJE NO
"i"

Passos elogia empreendedores que são
. "melhor qualidade" para país vencer 

O chefe do Governo sublinhou que a adversidade pode muitas vezes ser “um desafio que aguça o engenho” e considerou que o Douro é disso “um bom exemplo”

O primeiro-ministro elogiou hoje, em Vila Real, os empreendedores e as empresas portuguesas, considerando que são a “melhor qualidade” para vencer os desafios do Douro, da cidade e do país. Pedro Passos Coelho participou na gala do Prémio Douro Empreendedor, que decorreu na Universidade de Vila Real.
.

"Os nossos empreendedores, as nossas empresas são sem dúvida nenhuma a nossa melhor qualidade e o nosso melhor material para poder vencer enquanto país, entanto cidade e, neste caso, também enquanto Douro”, salientou.

O chefe do Governo sublinhou que a adversidade pode muitas vezes ser “um desafio que aguça o engenho” e considerou que o Douro é disso “um bom exemplo”.

Passos Coelho destacou as condições excepcionais da região, às quais, defendeu, é preciso associar a “inovação, o saber e o valor”.

Na edição deste ano do Prémio Douro Empreededor foram entregues cinco prémios e o produtor de vinhos Dirk Niepoort, 50 anos, foi distinguido como a “Personalidade do Douro”.

“Algo me diz que o Douro vai entrar numa moda fantástica pela sua beleza e qualidade de vinho. Temos obrigação de usar essa moda positivamente”, afirmou o Dirk Niepoort, após receber o galardão e também um tributo do primeiro-ministro.

A melhor empresa com menos de dois anos é a Douro Skin Care. Com a marca DVine, a empresa desenvolve e comercializa produtos de cosmética feito á base de matérias-primas do Douro, como o Vinho do Porto.

A distinção de empresas com mais de dois anos foi para a Lavradores de Feitoria, um projecto com 14 anos que resultou da união de 16 produtores, proprietários de 20 quintas, somando uma área total de vinha superior a 600 hectares. 

Já a Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo, da área de enoturismo, que inclui um restaurante, uma adega, uma loja, um ‘wine bar’, circuitos pedestres e piscina entre vinhas, foi considerada o melhor projecto de Turismo Internacional.

A vertente criativa Douro Empreendedor, uma novidade na edição deste ano, distinguiu o cartaz “Mãos de Ouro” de João Costa e na categoria venceu o vídeo promocional do evento “Trail Run Réccua Douro Ultra-Trail” de João Marinho, o atleta de Amarante que está desaparecido nos Picos e que foi alvo de uma grande salva de palmas durante a cerimónia.

O prémio Douro Empreendedor foi lançado pela Rede Empreendouro, iniciativa impulsionada pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), envolve mais de entidades públicas e privadas e pretende apoiar a criação de emprego no território.

*  O Douro é um manacial de riqueza humana, tudo o que se diga bem do Douro é pouco e temos de muito respeitar os investidores nacionais  e estrangeiros que por lá criaram raízes e riqueza.

** Alguns nomes de vigorosos empreendedores que não criaram riqueza no Douro e ligados ao PSD, Duarte Lima, Oliveira e Costa, Dias Loureiro, Arlindo Carvalho, Vitor Raposo, Isaltino Morais.



.
.


EXCÊNTRICA

 Lady Gaga em Paris

.
.
HOJE NO
"A BOLA"

Platini, Rummenigge e Collina em 
Portugal para discutir temas do futebol

A Federação Portuguesa de Futebol irá promover, no âmbito das comemorações do centário do organismo, uma série de conferências sobre temas relevantes da atualidade do futebol, que terá lugar no Centro de Congressos do Estoril, entre 13 e 15 de janeiro de 2015.
.
A Football Talks irá reunir alguns dos mais conceituados especialistas nas várias áreas de interesse do desporto rei. Michel Platini, presidente da UEFA, Karl-Heinz Rummenigge, presidente do conselho executivo do Bayern e da Associação Europeia de Clubes, e Pierluigi Collina, antigo árbitro italiano e atual responsável da UEFA para a arbitragem, serão alguns dos nomes mais sonantes a marcarem presença no Estoril, num evento que promete centrar as atenções do mundo do futebol em Portugal.

Oradores convidados e respetivo tema:

Michel Platini (Presidente da UEFA)
– Governação

Karl-Heinz Rummenigge (Presidente da Associação Europeia de Clubes)
– Governação

Jan Ekstrand (Vice-presidente do Comité Médico da UEFA)
– Os Treinadores e os CEO’s são mais importantes do que os médicos para a situação médica de um clube de elite

Marcos Motta (Sócio fundador da Bichara e Motta Advogados)
– Os fundos dos jogadores no futebol

David Gill (Membro do Comité Executivo da UEFA)
– Os fundos dos jogadores no futebol

Giorgio Marchetti (Diretor de Competições da UEFA)
– UEFA Youth League

Pierluigi Collina (Responsável pela arbitragem da UEFA)
– Novas tecnologias vs. seis árbitros

Ulf Schott (Diretor da Federação Alemã de Futebol)
– Modelo de treino Alemão e as equipas de formação
.
Gala Quinas de Ouro para distinguir os melhores em Portugal

Além da Football Talks, a FPF irá promover a Gala Quinas de Ouro, destinada a premiar as grandes figuras da história do futebol português. O evento terá lugar no Casino Estoril, a 14 de janeiro do próximo ano, onde serão entregues vários prémios.

Os Prémios do Centenário irão distinguir os melhores jogadores e jogadoras, tanto no futebol como no futsal, além do treinador, seleção e árbitro do Centenário, além de um onze histórico entre 1922 e 2014. Haverá também lugares para distinções a clubes, dirigentes e médicos, influentes na história do futebol nacional.

* A fina flor do entulho com algumas excepções.



.
.
EXCITAÇÕES
AMERICANAS



O MEU SHAMPOO CHEIRA TÃO BEM QUE FICO EXCITADO SEMPRE QUE LAVO O CABELO

SEMPRE QUE TOMO UM DUCHE FICO EXCITADA

O MEU NAMORADO GOSTA DE SUGAR NAS MINHAS FEZES

MAIS ALGUÉM ACHA EXCITANTE A URINA?

CURTO SANGUE

MULHER QUE "SOPRA" EU CURTO

CURTO VER MULHERES A CORRER


SÓ  QUERO ENCONTRAR ALGUÉM COM UM CARRO RÁPIDO. É  MAU FAZER SEXO ORAL COMO RETRIBUIÇÃO?

GOSTO DE UMA RAPARIGA QUANDO "GINGA" DE MODO PROVOCADOR

CURTO A MINHA CABELEIREIRA


* Dos americanos já nada espanta, ainda ontem vimos na TV, Obama a abençoar um perú!

.
.


HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS
DA MADEIRA"


Novas regras para distribuição de seguros 
. devem ser aplicadas no início de 2016

O presidente da Associação Portuguesa de Seguradores (APS), Pedro Seixas Vale, afirmou hoje que as regras resultantes da nova diretiva comunitária sobre os distribuidores de seguros, que terá "implicações em Portugal", deverão ser aplicadas no início de 2016.
.
"É convicção, como foi aqui dito por parte do supervisor europeu e por parte da federação europeia, que as novas regras resultantes da aprovação da diretiva comunitária para a regulação da distribuição dos seguros deverão ser aplicadas no início de 2016", disse Pedro Seixas Vale à agência Lusa, no final da Conferência 'Distribuição de Seguros e Produtos Financeiros'.

A atual discussão que se está a fazer na Europa sobre a criação desta legislação comunitária, como indicaram o coordenador do departamento de defesa/proteção de consumidores da EIOPA, David Cowan, e o responsável do Mercado Único & Assuntos Sociais da Insurance Europe (Federação Europeia de Seguradores e Resseguradoras), William Vidonja, vai ter ainda de ser debatida pelos reguladores, pelas federações dos atores no mercado segurador e no Parlamento Europeu. Um processo que deverá terminar "provavelmente em meados do próximo ano", e nesse caso, "as regras deverão ser aplicadas no início em 2016", disse.

As principais alterações têm a ver, sobretudo, com a extensão da nova legislação a todos os distribuidores de seguros, com o facto de obrigar a determinados níveis de formação mais elevados para as pessoas desempenharem a função de distribuidores e com a mudança de algumas regras relativas aos modelos de remuneração dos distribuidores de seguros e a defesa dos consumidores.

Em Portugal, hoje em dia, há variadíssimos modelos de distribuição de seguros, desde a banca, corretores, mediadores até aos CTT -- Correios de Portugal. "Todo este conjunto de instituições, para distribuírem seguros, vão ter de cumprir com as novas regras", salientou Seixas Vale.

O Presidente da Associação Portuguesa de Bancos (APB), Faria de Oliveira, outro dos oradores, referiu-se ao facto de o crescimento económico português poder ser "ainda débil" nos próximos anos.
"Se (...) o financiamento da economia depende fundamentalmente do crédito bancário, mas também do financiamento que pode ser proporcionado pelo mercado capitais e pelos investidores institucionais, o setor segurador, como investidor institucional, é o mais importante de todos", salientou.

Faria de Oliveira lembrou ainda que existem "muitas áreas de cooperação intensa" entre o setor bancário e o setor segurador, reportando-se à distribuição de seguros.
Assim sendo, "há todo o interesse em aprofundar este relacionamento", sublinhou.
Ambos os setores, banca e seguros, se integram "naquilo que acabará por ser concretizado, que é uma União Europeia Financeira ao nível da União Europeia", explicou à Lusa.
"Assim como temos uma união bancária e neste momento está a ser desenvolvido um projeto de união de mercado de capitais, seguramente que vamos caminhar no sentido de ter uma união financeira e, nesta, quer o sistema bancário, quer o segurador, desempenharão um papel crucial", disse.

Sobre o modelo de ´bancassurance` que deverá marcar uma tendência nos próximos anos, Faria de Oliveira considerou que "é uma modalidade de fortíssimo  interesse", tanto da banca, na medida em que "proporciona receitas adicionais importantes" para a sua atividade e "diversifica um bocadinho" a sua atuação, como para as seguradoras que "são o seu principal canal de distribuição [com um peso em Portugal de 60%]".

Além disso, o setor bancário contribui para que "o setor segurador não tenha necessidade de fazer fortes investimentos na sua força de vendas", frisou.

* A actividade seguradora em Portugal foi, até  há poucos anos, território fértil para manhosices, as novas regras europeias poderão clarificar procedimentos.
É importante termos um bom mediador de seguros que nos ajude a gerir a carteira, os bons mediadores conhecem bem os produtos que mais se adaptam às necessidades de cada tomador.


.
.

FILME OU REALIDADE?


.
.
HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Sem a Europa o Benfica 
procura outras receitas

Reis Mourão, professor de Economia, e o técnico Diamantino Miranda alertam para a necessidade de carreira vitoriosa em Portugal.
 .
Importante fonte de receitas na era Jesus, a participação do Benfica nas provas da UEFA "rendeu mais de dez milhões de euros só nas eliminatórias da Liga Europa das duas últimas épocas", lembra Paulo Reis Mourão, professor de Economia na Universidade do Minho. A eliminação a 100% "torna o treinador quase refém do seu discurso e obriga a uma campanha vitoriosa em Portugal", segundo o técnico Diamantino Miranda, algo que Reis Mourão também defende, bem como a procura de receitas que compensem a falta de mais verbas da UEFA.
 .

"Este afastamento precoce das competições europeias levará a que o Benfica tenha de, por uma via, ser muito eficaz nas provas nacionais, não descurando a luta pelo título, mas também muito prudente na saída de jogadores em Janeiro", resume o docente. "Há duas leituras para esta saída europeia - a visão do mundo benfiquista, marcada por uma certa desilusão em virtude de a situação não se coadunar com a tradição e o prestígio do clube à escala internacional; e outra, mais racional, tendo em conta os discursos de concentração na conquista do título. Neste caso, não é de estranhar a saída da Liga dos Campeões, mas, até por causa de dois percursos seguidos com presença na final, no mínimo deveria ser assegurada a continuidade na Liga Europa", opina Diamantino.

Saídas e o duelo com o Porto
Para compensar o facto de deixar de aspirar a mais do que 13,1 milhões de euros (cerca de 10 milhões abaixo dos proveitos nas últimas três temporadas), a saída de jogadores em Janeiro pode ser uma das alternativas. Mourão constata: "O Benfica ficará muito mais pressionado a deixar sair Gaitán, Salvio ou Enzo Pérez ou, então, a combinar a cedência de um leque alternativo de jogadores. Neste momento, tem de gerir a necessidade de manter as contas equilibradas e suportar a ambição na Liga. Mexidas profundas numa equipa muito dependente da estrutura anterior podem hipotecar o propósito de renovação do título. E, nestas contas, entra sobretudo a gestão que o Porto fará do próprio plantel e a capacidade deste em assumir a competitividade na Champions e na luta pelo título português. Se, por exemplo, sair um jogador influente do Porto, será muito mais simples a saída de um jogador como Enzo na Luz", diz.

Para Diamantino, "a saída de Enzo já parecia inevitável, mesmo que a continuidade na Europa fosse garantida, até porque o Valência tem sido referido como disponível para pagar a cláusula de rescisão. Fora da Europa, o Benfica terá de encontrar essa receita por outra via e a saída de jogadores é uma das alternativas. Parece-me é que, mesmo assim, as soluções com que o presidente dotou este plantel são suficientes para valer sucesso no plano interno".

Considerando "subjectivo" pensar que Jonas teria melhorado resultados se a sua inscrição fosse possível, Diamantino conclui: "A saída da Europa cria maior obrigação e pode gerar mais motivação interna. Jesus nada ganhou de extraordinário com excelentes plantéis que já teve. E, com condições que outros técnicos tiveram sem vencer, este é o ano para demonstrar que consegue resultados em situação mais adversa."

* Vão-se os anéis ficam os  dedos


.
.


PORTUGAL VISTO DO CÉU


AVEIRO

CASTELO BRANCO

COIMBRA

ÉVORA

GUIMARÃES

LISBOA

PORTO

SINTRA


SETUBAL

TAVIRA

VISEU


.
.

HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

OE2015: 
Bruxelas alerta que Portugal está em 
"risco de incumprimento" do défice 
 
A Comissão Europeia alertou hoje que Orçamento do Estado português para 2015 "está em risco de incumprimento" do Procedimento de Défices Excessivos, em particular, de não cumprir a recomendação de alcançar um défice inferior a 3% do PIB. 
 .
De acordo com o parecer de Bruxelas, "o risco advém sobretudo dos pressupostos favoráveis quanto ao impacto orçamental dos desenvolvimentos macroeconómicos e da falta de medidas estruturais que sustentem" o orçamento. 
 
 Para a Comissão Europeia, o esforço orçamental "falha claramente a recomendação e, por isso, revela a necessidade de mais medidas estruturais de consolidação significativas para 2015" de forma a garantir "uma correção credível e sustentada do défice excessivo".

 
*  So o PSD e CDS acham uma maravilha.

.
.

Stop Motion Parkour





.
.
HOJE NO   

"O PRIMEIRO DE JANEIRO"


Processo Homeland 
Duarte Lima condenado a
 10 anos de prisão 

O tribunal condenou hoje o antigo deputado do PSD Duarte Lima, no processo Homeland, relacionado com obtenção de crédito ao antigo BPN para aquisição de terrenos em Oeiras. O advogado de defesa do arguido já disse que vai recorrer da sentença. 

 O ex-dirigente social-democrata Duarte Lima foi condenado em cúmulo jurídico a dez anos de prisão efetiva, pelos crimes de burla qualificada e branqueamento de capitais, no processo Homeland, decidiu o Tribunal de Lisboa. Duarte Lima foi condenado a seis anos pelo crime de burla e a sete por branqueamento de capitais, tendo ficado em dez anos por cúmulo jurídico. 
 .

Apenas o filho de Duarte Lima, Pedro Lima, foi absolvido, enquanto quatro outros arguidos foram condenados. O sócio do ex-deputado social-democrata, Vitor Raposo, foi condenado a seis anos de prisão efetiva por um crime de burla qualificada. João Almeida e Paiva foi condenado a uma pena de quatro anos de prisão efetiva por um crime de burla qualificada e um crime de falsificação de documentos, O tribunal justifica que a pena é efetiva porque não mostrou arrependimento. 

 Pedro Almeida e Paiva foi condenado a dois anos e seis meses de prisão por um crime de burla qualificada e um de falsificação de documentos, embora a pena possa ser suspensa se pagar 50 mil euros ao Instituto Português de Oncologia. Francisco Canas, conhecido como o 'Zé das medalhas', foi condenado a quatro anos de pena efetiva por um crime de branqueamento de capitais. 

 Duarte Lima, Pedro Lima e Vítor Raposo constituíram o fundo Homeland com o antigo BPN, para a aquisição dos terrenos em Oeiras, em 2007, nas imediações do local onde esteve prevista a sede do Instituto Português de Oncologia (IPO), projeto abandonado mais tarde. 

* 10 anos para tanta malandragem.

.