segunda-feira, 3 de novembro de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.


Random Funny Pic















.
.
.

 O QUE NÓS

  "CONTRATAMOS"!








.
.
COITADO





















.
.
.

EGONEGONEGON 
 INTÉRPRETES 

KRIZTIÁN GERGYE

NIKOLETTA GRESÓ
COREOGRAFIA
KRIZTIÁN GERGYE


.
.
.

HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Contas da troika apontam para 
défice acima dos 3% em 2015

Tanto a Comissão Europeia como o FMI estão mais pessimistas do que o Governo. Defendem que os cortes de despesa não estão especificados e que as previsões de receita fiscal são optimistas.
 .
Os peritos do FMI e da Comissão Europeia, que estão em Lisboa a passar as contas públicas a pente fino no âmbito da monitorização pós-programa, não acreditam que o Governo consiga cortar o défice orçamental para um valor abaixo dos 3% do PIB.

Tendo em conta o pacote de medidas inscrito no Orçamento do Estado para o próximo ano (OE/2015), e o cenário macroeconómico esperado, as contas apontam para um valor acima dos 3% do PIB, apurou o Diário Económico.

* É cada vez mais frequente estas  "inteligências" financeiras cometerem  erros de avaliação, é melhor esperar sentado para ver o descalabro.

.
.
.

FORÇA AÉREA
PORTUGUESA

PILOTO DE COMBATE




* Uma reportagem RTP de Novembro de 2013



.
.

HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Mais 166 milhões para pareceres

A despesa do Estado com estudos, pareceres, projetos e consultoria vão crescer este ano 166 milhões de euros, o que, segundo a a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), significa um aumento de 40 por cento face a 2013. 


No entanto, para o próximo ano, o Governo tenciona dar um golpe de 507 mil milhões nos consumos intermédios, ou seja, as chamadas gorduras do Estado. Deste total, 179 milhões respeitam aos estudos pareceres, 138 milhões às tecnologias de informação e comunicação e 190 milhões à rubrica "outras medidas setoriais".
Segundo a UTAO, o Estado gastou 624 milhões de euros com estudos e pareceres em 2011 (boa parte atribuídos a sociedade de advogados); 471,1 milhões em 2012; 414,1 milhões e em 2013; e em 2014 está orçamentado 580 milhões. A cumprirem-se os cortes prometidos para 2015 nos consumos intermédios (menos 6,5%), será um regresso aos níveis de 2013.
Para alcançar este objetivo, no Orçamento do Estado para 2015, ficou estabelecido (artigo 75º da proposta de lei aprovada no passado fim de semana na Assembleia da República) que a contratação de empresas de consultoria técnica ou estudos de consultoria jurídica "só será autorizado nos casos em que fundamentadamente não exista capacidade de recursos humanos nos serviços para os realizar".
No mesmo documento, só serão excecionados do parecer prévio, a celebração ou renovação de contratos de aquisição de serviços até ao montante de 5 mil euros.

* Com tanto dinheiro malbaratado em pareceres, não deixa de parecer que o governo não governa.

.
.

 MINUTOS DE

CIÊNCIA/20


COMO CONTAR
O INFINITO




.
.
HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"


Albino Aroso, 
o “pai do planeamento familiar” 
Livro de homenagem apresentado amanhã 

Um livro de homenagem a Albino Aroso, o médico que ficou conhecido como “pai do planeamento familiar” e que foi um dos principais responsáveis pela redução da taxa de mortalidade infantil em Portugal, é apresentado na terça-feira, no Porto. 

 Com o título “Albino Aroso - um homem à frente do seu tempo”, o livro conta com vários textos elaborados por familiares, amigos e colegas que com ele tralharam e conviveram, entre eles o ministro da Saúde, Paulo Macedo, e o bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva. 
 .

Desenvolvida pela organização Hospital do Futuro, a obra pretende “recordar e homenagear Albino Aroso, ginecologista, antigo Secretário de Estado da Saúde e propulsor das consultas de Planeamento Familiar em Portugal”. “O especialista foi um defensor das mulheres, na medida em que lhes conferiu poder de decisão quanto à sua saúde sexual e reprodutiva, permitindo que ‘mandassem no seu corpo’, ao terem filhos quando e se desejassem”, referem os responsáveis pela obra, em comunicado enviado às redações. 

 Secretário de Estado da Saúde por duas vezes, o médico, que morreu em dezembro de 2013, aos 90 anos, esteve na base da legislação que foi determinante para alterar o panorama da saúde materna e infantil em Portugal. Foi um dos principais responsáveis pela inversão da taxa de mortalidade infantil, que passou das piores para uma das melhores do mundo em poucos anos. A obra, que será apresentada na secção regional do norte da Ordem dos Médicos, conta com vários textos elaborados por familiares, amigos e colegas que com ele tralharam e conviveram. 

Algumas das personalidades que participaram com textos em memória de Albino Aroso são Paulo Macedo, ministro da Saúde, Manuel Ferreira Teixeira, secretário de Estado da Saúde, Eurico Castro Alves, presidente do conselho diretivo do Infarmed, Francisco George, diretor geral de Saúde, José Manuel Silva, bastonário da Ordem dos Médicos, e Germano Couto, bastonário da Ordem dos Enfermeiros. 

* Um grande português e porque era grande, discreto.

.

COMENDADOR MARQUES DE CORREIA

.








A salvação segundo
São Paulo (Portas)

Mais uma grande revelação da única coluna alternativa a todas as colunas alguma vez feitas ou por fazer - Paulo e Pedro no deserto encontram Sócrates num oásis

Ia ele, na estrada poeirenta, apoiado no seu cajado, quando São Pedro (Passos) lhe perguntou:
- Paulo, fizeste a reforma da nossa salvação?
- Sim, Pedro, está descansado. São 13 pergaminhos com uma letra enorme para que se possa ler bem.
- E que é feito da reforma?
- Está com os outros. Os ministros da nossa religião, ou quer dizer, do nosso Governo.
- Mas por que razão não está nada feito?
- Isso é com eles.
Pedro ficou pensativo, sem a salvação da reforma pouco podia fazer para tentar ganhar o céu em 2015. Quem diz o céu diz 30 por cento, vá lá... Mas assim, sem os pergaminhos com a letra enorme... Que fazer? - pensava... - Que fazer?
Foi então que chegaram a um oásis, o oásis de São Bento onde muita gente berrava hossanas porque um homem, de nome Ferro, havia ressuscitado Sócrates.
E Pedro indagou.
- Paulo, este Sócrates será aquele que...
Logo Paulo atalhou:
- Este Sócrates é a nossa reforma do Estado. Utilizamo-lo como exemplo do que isto era antes...
- E o depois?
- O depois está no pergaminho!
- E onde está o pergaminho?
- Está com os ministros!
- Paulo, estás a enganar-me - disse Pedro desgostoso, vendo que tudo não passava de um expediente.
- Eu? - Indignou-se Paulo - Nunca enganei ninguém! Nunca! Ofendes-me com essa desconfiança. Já não quero saber dos pergaminhos, nem da reforma nem de nada. Os outros que a façam! Isto é, como tudo o que faço, irrevogável!
- Olha e se a gente deixasse andar - perguntou Pedro conciliador.
- Também pode ser boa ideia - rematou Paulo reconciliado.
- Mas sem reforma não temos salvação - lamentou-se Pedro...
- Temos, sim! Temos! Vamos passar o resto do ano a dizer que o Santo António (Costa) anda com o menino Sócrates ao colo.
- E isso pega?
- Não sei... Tens melhor?
- Não...
- Então, pronto. Fica assim. Eis a nossa salvação.
- Ó Paulo - disse o Pedro com admiração - não há dúvida que és inteligente.
Mas nessa altura Paulo já ia a falar ao telemóvel com Sócrates.

 IN "EXPRESSO"


.
.
.


322.UNIÃO


EUROPEIA












.
.

HOJE NO
"DIÁRIO  DE NOTÍCIAS"

Corrupção domina política espanhola com 
. mais de 1700 investigações a 500 políticos

Outubro foi o mês com mais arguidos (141), num momento em que decorrem no país mais de 1700 investigações judiciais envolvendo 500 dirigentes políticos. 

A corrupção está a dominar o debate político em Espanha, depois de outubro ter sido o mês com mais arguidos (141), num momento em que decorrem no país mais de 1.700 investigações judiciais envolvendo 500 dirigentes políticos.
 .
Iñaki Urdangrin
 Os casos de corrupção são tantos, de tal dimensão e sucedem-se tão rapidamente que a procuradoria anti-corrupção já solicitou mais meios, com o número de denúncias a duplicarem desde 2012, segundo vários indicadores consultados pela agência Lusa.

Casos de corrupção têm vindo a ser descobertos particularmente nos últimos quatro anos, tocando as principais forças políticas do país e forçando a dezenas de demissões em cargos na administração central, regional e local.

Em outubro, o número de casos e a sua dimensão atingiu um nível sem precedentes com uma média de cinco arguidos por dia, envolvendo políticos, sindicalistas e empresários nos três níveis da administração.

Um mês em que estalaram o caso dos cartões de crédito opacos, da Caja Madrid, a operação Púnica - com 50 detidos, incluindo seis presidentes de câmara (alcaides) e um ex-dirigentes do PP em Madrid - a detenção de Oleguer Pujol, filho do ex-presidente catalão, Jordi Pujol e a constituição de arguido do ex-responsável do PP Angel Acebes.

A dimensão do problema foi destacada, já este ano - e antes destes novos casos - pelo procurador-geral, Eduardo Torres Dulce, que considera faltarem meios legais, materiais e humanos para combater a corrupção.
Rodrigo Rato

Legislação insuficiente, ações lentas, problemas com as prescrições, indultos a corruptos, leveza das penas e ausência de medidas para recuperar dinheiro roubado são algumas das queixas ao sistema.
Estas são opiniões ecoadas pela opinião pública, com as sondagens a apontarem que a corrupção é hoje o segundo maior problema do país, depois do desemprego.

Uma lista interminável de casos, para os quais os 110 procuradores anticorrupção não chegam, com cada vez mais denúncias (434 em 2013), mais diligências prévias - para verificar a informação - e uma maior dimensão dos casos.

A maior fatia das investigações atualmente em curso - 540 de 1.700 - concentram-se na região da Andaluzia, sendo que há 17 que têm cariz nacional e 302 que são considerados megaprocessos.
 .
Narcis Serra
 Globalmente, há já mais de 1.900 arguidos em processos de corrupção, tendo, só na última legislatura, sido condenadas 170 pessoas, ainda que a maioria não esteja em prisão, ou porque não teve este tipo de pena ou porque ainda estão em processo de recurso.

Além de políticos que ocuparam cargos em todos os níveis da administração pública, há empresários, advogados e sindicalistas, que entre si contam com delitos de corrupção (principalmente urbanística), fraude fiscal, contratação irregular de pessoal, branqueamento de capitais, fraude e burla, entre outros.

Entre os arguidos estão nomes sonantes, como Miguel Blesa (ex-presidente Caja Madrid), os empresários Juan Miguel Villa Mir e Luis del Rivero, o ex-presidente da patronal CEOE, Gerardo Diaz Ferran, e o ex-presidente do FC Barceona, Josep Lluis Núnez.

Magdalena Alvarez
Destaca ainda para o ex-vice-presidente do Governo (e ex-presidente do FMI) Rodrigo Rato, o ex-vicepresidente do Governo Narcis Serra, os ex-ministros Magdalena Alvarez (PSOE) e Angel Acebes (PP), a infanta Cristina e o seu marido, Iñaki Urdangrin, a ex-senadora Elena Diego, o delegado do Governo em Murcia, Joaquin Bascuñana, ex-alcaides e vários alcaides e o ex-tesoureiro do PP.

* Em Portugal abundam suspeitos prenhes de "inocência"


.
.
DA IGREJA PARA AS 
ARTES PERFORMATIVAS,
PADRES E FREIRAS TALENTOSOS




.
.


21- A HISTÓRIA



DO AUTOMÓVEL



MAIS HISTÓRIAS NA HISTÓRIA




ATENÇÃO SRS./AS VISITADORES/AS


Esta série foi difundida pela TVE, Rede Minas, em 1986, é portanto muito datada. No entanto até à data indicada, o seu conteúdo tem rigor histórico.


.
.
HOJE NO
"RECORD"

PSP deteve suspeito de 
ter esfaqueado adeptos

A Polícia de Segurança Pública (PSP) deteve esta segunda-feira o principal suspeito de agressões com arma branca a dois adeptos do Sporting, na noite de sexta-feira, após o jogo de futebol entre o V. Guimarães e o clube leonino. 
 .
Em nota enviada à agência Lusa, a PSP afirma que "desenvolveu um conjunto de diligências policiais, conduzidas pela Esquadra de Investigação Criminal do Comando da PSP de Braga - Divisão Policial de Guimarães, que levaram à detenção do principal suspeito". A PSP sublinhou que o detido é "um cidadão português, residente em Guimarães, com 20 anos de idade", que "não pertence a qualquer grupo organizado de adeptos, estando referenciado pela PSP por outras práticas delituosas". Na altura da detenção, a PSP apreendeu a arma branca usada nos confrontos e "já referenciou outros cidadãos envolvidos neste episódio".

Violência
Alexandre Figueiredo, de 21 anos, recebeu alta horas após o incidente mas o amigo Alfredo Alves, de 37 continua internado em Guimarães, depois de ambos terem sido vítimas de esfaqueamento.

Estes dois adeptos leoninos deslocaram-se especialmente de Mirandela, onde fazem parte de um núcleo sportinguista, para assistirem ao jogo. Alexandre é membro da Juve Leo, Alfredo não. Apesar de terem visto a partida juntamente com a claque, viajaram por conta própria. E foi precisamente no caminho de regresso ao carro que o pior aconteceu.

“A polícia escoltou-nos até certa altura. Depois seguimos para o carro, que estava uns metros mais à frente, até sermos emboscados por adeptos do V. Guimarães. Começámos logo a ser agredidos. Nem uma boca mandámos! Entrei em pânico”, explicou Alexandre, que escapou com ferimentos ligeiros.

Alexandre sofreu “duas facadas nas costas” antes de fugir. Foi tudo tão rápido que só se apercebeu de que estava a sangrar quando chegou ao carro. Mais difícil ainda é identificar os agressores. “Reparei que um deles tinha um cachecol do V. Guimarães. Não quero acusar os White Angels [n.d.r.: claque dos vimaranenses], já têm má fama que chegue. Nem sei quantos eram, mas era um grupo organizado”, asseverou.

* As claques "praxam" os "inimigos", são frustrações acumuladas convertidas  em violência gratuita, Desmond Morris escreveu há mais de trinta anos no livro "A Tribo do Futebol".
Como somos um povo mal  educado, parecemos bonzinhos porque ainda somos "submissos" esta situação tem como pedagogia sanções pesadas para o criminoso, sem atenuantes.


.
.

Sara Tavares

World Music Winners-Female Guitar Virtuoso


Fazem agora 20 anos que este prodígio de voz e generosidade nos delícia. Um "Bem Haja" por ser genuína!


.
.
HOJE NO
"JORNAL  DE NOTÍCIAS"

Elementos da PJ que trabalharam
 no Citius refutam acusações 

Os dois elementos da Polícia Judiciária que estiveram em comissão de serviço no Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos de Justiça refutaram esta segunda-feira as acusações de terem ocultado informações sobre a plataforma Citius. 
 .
Em comunicado citado pela agência Lusa, Hugo Tavares e Paulo Queirós asseguraram que, "enquanto dirigentes no IGFEJ, desempenhando funções, respetivamente, como diretor e como coordenador do Departamento de Arquitetura de Sistemas, executaram, em coordenação com as demais entidades e responsáveis do referido IGFEJ, o que lhes foi pedido e ordenado".

Os dois afirmaram a "convicção, firmemente presente até ao respetivo afastamento", em finais de outubro, "de que o trabalho desempenhado e as respetivas circunstâncias de desempenho haviam sido consideradas mais do que suficientes, no que ao seu departamento respeitou".

Os elementos da PJ, que cessaram serviço no IGFEJ por deliberação do conselho diretivo daquele organismo sob tutela do Ministério da Justiça, sublinharam que "não faltarão, provavelmente, testemunhas" para "comprovar os factos ocorridos" no período em que participaram no Projeto Mapa Judiciário - Citius.

"A forma como o projeto foi levado a cabo encontra-se profusamente informada e documentada no Ministério da Justiça, cujos responsáveis, não duvidamos, fornecerão a totalidade da documentação nos processos que desencadearam e noutros que poderão vir a ter lugar", salientam.

Esclarecem ainda que "os pormenores" quanto aos factos "deverão ficar em breve clarificados por via da divulgação dos resultados dos inquéritos em curso, para cuja celeridade se desencadearão todos os mecanismos ao dispor, de forma a que os meios de execução de justiça agora em curso não possam ser usados como instrumentos de política menor, mais do que até aqui já o foram".

Hugo Tavares, destacado para o IGFEJ desde 2008, e Paulo Queirós, desde 2013, salientaram que trabalharam para "a concretização das mudanças necessárias" na plataforma de gestão processual Citius e "em função de uma temporalidade pré-determinada, até aos primeiros dias de setembro de 2014".

"Enquanto ali trabalharam, colaboraram como especialistas em projetos de desenvolvimento de bom governo, com base em sistemas de tecnologias de informação, produzindo resultados que só podem ter sido considerados muito positivos", escreveram.

Hugo Tavares e Paulo Queirós justificaram a elaboração de um comunicado para "minimizar os indescritíveis danos já provocados na saúde, na vida pessoal e nas carreiras profissionais" e para "proteger todas as pessoas que, tendo sido já, ou vindo a ser, tocadas pelos efeitos colaterais da guerra que contra ambos foi desencadeada".

A plataforma de gestão processual - de novo operacional há pouco mais de uma semana - bloqueou no arranque da nova reorganização judiciária, em vigor desde 1 de setembro último, impedindo a sua utilização pelos tribunais e advogados.

* Nós não acreditamos que os elementos da PJ estejam implicados em alguma vigarice ou fábula conspirativa, é folclore governativo.


.
.


UM BOM CONSELHO



.
.


HOJE NO
"JORNAL  DE NEGÓCIOS"


Sabia que os semáforos pagam
. contribuição audiovisual?

A Associação Nacional de Municípios insurgiu-se esta segunda-feira contra a cobrança da taxa audiovisual à energia consumida por semáforos ou bombas de água. Manuel Machado qualifica este custo como “exótico”. As queixas já vêm de 2005.
 .
O presidente da Associação Nacional de Municípios denunciou, esta manhã, "o esoterismo de um determinado tipo de leis", devido ao pagamento da contribuição audiovisual por… semáforos. Durante a audição dos autarcas no âmbito do Orçamento do Estado para 2015, Manuel Machado disse que há não só "semáforos" como também "bombas de rega dos jardins" que "pagam taxa audiovisual". A polémica não é de agora, mas só vai mudar se houver "alteração legislativa".
 .
À margem da audição, e em declarações aos jornalistas, Manuel Machado especificou. "Ao pedir uma baixa de electricidade à EDP, na factura de energia vem a taxa audiovisual", garantiu. Apesar de não conseguir detalhar quanto custa a taxa audiovisual dos semáforos, "é um valor significativo".

"O que isto mostra é o esoterismo de determinado tipo de leis, em que isto é desatendido. A bomba de água do jardim, dos patos, paga taxa audiovisual e os patos nem gostam de televisão", ironizou. E para haver mudanças, "só por alteração legislativa".

Mudança da lei pôs câmaras a pagar em 2005
Esta é uma polémica que se arrasta desde 2005, altura em que o Governo alterou a lei, passando a incluir o pagamento da contribuição audiovisual nas facturas da electricidade de câmaras municipais e de consumidores não domésticos (como empresas). O pagamento da taxa audiovisual, como também é conhecido este pagamento, incide sobre cada contador que as câmaras possuam.

De acordo com um parecer da ANMP datado de 2007, e citado pelo Público, existem contadores "na iluminação pública, nas instalações semafóricas, nos furos de captação de água, nos painéis de informação, nas casas de banho públicas" ou "nas fontes luminosas". Esta taxa está actualmente cifrada em 2,65 euros mensais (2,81 euros com IVA).

Já em 2012, o actual autarca da Maia, Bragança Fernandes, insurgiu-se em declarações ao JN: "mas faz algum sentido o cemitério pagar taxa de audiovisual?". "É um escândalo", acrescentou.

De acordo com a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), só "os consumidores cujo consumo anual fique abaixo de 400 kWh estão isentos do pagamento desta contribuição".

Em tom de brincadeira, Manuel Machado disse que, com esta denúncia, não quer "estimular" câmaras a colocarem "televisões nos semáforos".

* A este governo nada falta para ser ridículo. Rogamos para não porem as caras dos ministros nos semáforos dos peões.


.
.

DE "HOT" 


 PARA  "WHAT?"



  Britney Hot


 Britney What?


 Brooke Hot


 Brooke What?


 Christina Hot


 Christina What?


 Courtney Hot


 Courtney What?


 Jordan Hot


 Jordan What?


 Kirstie Hot


 
Kirstie What?




.
.
HOJE NO
"DESTAK"

Portugal recebe garantia de que proibição do português "não é verdade" 

Portugal pediu esclarecimentos ao Luxemburgo sobre as "alegadas proibições no uso da língua portuguesa em escolas do Luxemburgo" e recebeu a "garantia" de que isso "não é verdade", informou hoje o Ministério dos Negócios Estrangeiros. 
 .

A agência Lusa noticiou, no domingo, que estabelecimentos públicos de ensino no Luxemburgo, como creches e ateliês de tempos livres (ATL), estão a punir as crianças que falam português, o que está a preocupar a comunidade portuguesa emigrada naquele país. 

Em sequência, o Ministério dos Negócios Estrangeiros disse hoje, em comunicado, que diligenciou "junto do Ministério da Educação do Luxemburgo, no sentido de esclarecer a existência de normas que pretensamente proibissem a utilização da língua portuguesa nas creches e escolas daquele país". 

* "Tá-se" a ver, os pais das crianças repreendidas por falarem português, são todos uns grandes mentirosos...

.
.
Steven Spazuk
PINTANDO COM O FOGO

.
.
HOJE NO
"i"


Luz. 
Saiba se compensa mudar para o novo mercado liberalizado

Tem até ao final de Dezembro de 2015 para mudar para o mercado livre. Até lá, fica sujeito às revisões trimestrais de tarifas impostas pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos

Já mudou para o mercado liberalizado de electricidade? Tem até ao final de 2015 para fazer essa mudança, mas se optar por ficar no mercado regulado prepare--se para pagar mais já no próximo ano. A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) apresentou uma proposta de aumento de 3,3% das tarifas do mercado regulado para os consumidores domésticos a partir do dia 1 de Janeiro. Feitas as contas, representa uma subida de 1,14 euros numa factura mensal de 35 euros.
 .
Caso no próximo ano continue sem negociar um novo contrato no mercado livre vai continuar a sofrer uma "penalização", já que as tarifas vão ser revistas de três em três meses até 31 de Dezembro de 2015 pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Neste momento, estão no mercado regulado de electricidade cerca de 2,7 milhões de consumidores e no de gás natural cerca de 600 mil. O que é certo, dentro deste universo, é que cerca de um terço não mudou para o mercado liberalizado por considerar que a diferença de preços não compensa o esforço. A conclusão é de um estudo realizado pela Proteste.

O facto de "não valer a pena" deixar o mercado regulado é a principal razão apontada pelos inquiridos (40% na electricidade e 32% no gás natural) para ainda não terem transitado para um fornecedor do mercado liberalizado. Há ainda quem admite "insegurança" face a outros fornecedores e "satisfação com o fornecedor actual" para justificar a manutenção em mercado regulado, com as tarifas a serem actualizadas trimestralmente.

Entre os que já mudaram para um fornecedor de electricidade no mercado liberalizado, apenas 54 em cada 100 está satisfeito com a empresa. "Embora não varie muito entre os cinco fornecedores analisados, a EDP Comercial consegue clientes um pouco mais satisfeitos", diz a publicação da Associação de Defesa do Consumidor (Deco).

Já a Galp On e a Endesa são as empresas que "menos agradam", sobretudo no que se refere às iniciativas para incentivar o consumo eficiente e aos balcões de atendimento ao cliente. No entanto, o índice de satisfação com os fornecedores de gás natural é superior ao da electricidade, com a Goldenergy, que ganhou um dos leilões da Deco, a ser a mais bem cotada entre os inquiridos (70% de satisfação), mas também a que mereceu mais reclamações.

Apenas 19% dos inquiridos que estão no mercado liberalizado optaram por juntar o fornecimento de gás e electricidade na mesma empresa.

Contratos Mas nem tudo são facilidades.  Para quem ainda não optou por essa mudança, o melhor é reunir primeiro todas as ofertas disponíveis no mercado livre e respectivos preços para poder seleccionar a melhor proposta. Para isso terá de saber exactamente os dados de consumo anuais de energia de forma a escolher a potência adequada. Ou seja, evite ao máximo contratar potências demasiado elevadas para as suas necessidades, pois essa decisão encarece a factura final. O máximo de potência contratada deverá ser de 6,9 kVA. Não se esqueça que pode mudar de escalão sempre que pretender - existem 10 à disposição do consumidor - e a alteração é gratuita, mas quanto maior o valor da potência, mais se paga pelo aluguer do contador. Por exemplo, para 3,45 kVA de potência paga 6,56 euros (já com IVA incluído) e para 4,60 kVA, o escalão a seguir, paga 8,51 euros (já com IVA). 

Outro aspecto que deve ter em conta diz respeito aos contratos de fidelização. Há empresas que continuam a exigir um período de fidelização de pelo menos 12 meses, apesar desta tendência ter vindo a diminuir. A explicação é simples, no entender da Deco, "depois de termos exigido o fim dos períodos de fidelização nos contratos no primeiro leilão de electricidade, em Maio de 2013, os últimos estudos divulgados pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos já apontam para um abandono quase generalizado das condições de fidelização e penalidades por antecipação do fim de contrato".

Até aqui, os descontos que as empresas que operavam no mercado regulado ofereciam variavam entre os 2% e os 5% e só eram aplicados durante essa fidelização. Se por qualquer motivo o cliente quisesse desistir durante esse período sofria uma grande penalização. Um cenário que já foi ultrapassado para benefício dos clientes.

* Para o cidadão comum torna-se difícil avaliar ao pormenor as "subtilezas" dos contratos dos fornecedores de energia eléctrica. Nós optamos todos os anos, vamos no segundo, pela proposta da DECO, instituição que nos merece respeito e confiança.



.



18.ENRIQUEÇA A



SUA BIBLIOTECA














.
.

ONTEM NO
"A BOLA"

«É tempo de nos mostrarmos dignos deste clube» - Bruno de Carvalho

O presidente do Sporting manifestou o seu lamento pelos resultados deste fim de semana ao nível do futebol sénior do clube, com a equipa principal derrotada em Guimarães por 0-3 e os «bês» goleados pelo Atlético, por 0-5.
.
«Este fim-de-semana jamais poderá ser esquecido. Quer a equipa principal quer a equipa B brindaram os sportinguistas com péssimas exibições que não dignificaram o nosso clube e a nossa camisola. Não demonstraram garra nem vontade de vencer e isso é lamentável só nos restando pedir desculpa por não termos sido dignos do clube que representamos», referiu Bruno de Carvalho, através de mensagem publicada na rede social Facebook .

«Agora não é tempo de levantar a cabeça, é tempo de nos mostrarmos dignos deste clube e demonstrar que não são apenas os nossos sócios e adeptos que se esforçam ao limite das suas forças durante os jogos, mas que nós profissionais também somos capazes de o fazer em todos os jogos», vincou.

O líder do clube de Alvalade não deixou de agradecer o apoio recebido em Guimarães, dirigindo palavras de solidariedade para com os dois adeptos esfaqueados:

«Lamentamos também que continuem a existir situações de agressões graves nos estádios portugueses como foi o exemplo neste jogo de dois adeptos sportinguistas esfaqueados. Um deles já teve alta, mas o outro permanece internado apesar de já não estar em perigo de vida. A ambos o nosso desejo de rápidas melhoras. Para quem perpetrou estes actos que sejam apanhados e condenados e que consigamos de vez irradiar estes acontecimentos do futebol português.»

* O sr. Carvalho pensa que é o"messias" do Campo Grande, prosápia não lhe falta, trate os jogadores com respeito porque não consta que fizessem de propósito para perder. O sr. Carvalho foi votado para presidente do Sporting como o mal menor, os outros candidatos eram bem piores.
Nos últimos trinta anos o clube só teve dois presidentes com coluna vertebral, José Roquete e Dias da Cunha, todos os outros foram arremedos, o actual idem.

.