quinta-feira, 25 de setembro de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.



.
.


4-ACIDEZ 
FEMININA
6 REGRAS PARA
SOBREVIVER À TPM
(TENSÃO PRÉ MENSTRUAL)











.


TRAQUE 3D


















.
.

 A MINHA AMIGA ANA




Realização e Produção: LAURA TUREK

Intérpretes: NASUNA STUART ULIN
                   JESSICA MALKA



.
.
 
HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Lhuzie
 é a primeira bebé com 
nome próprio mirandês

Chama-se Lhuzie, nasceu em Lisboa há um mês e promete fazer história ao tornar-se na primeira criança com nome próprio mirandês, pelo menos desde o reconhecimento como segunda língua oficial de Portugal, há 15 anos.

A atribuição do nome teve de passar por um pedido especial que foi aceite há dias e que abre as portas a quem quiser dar nomes em mirandês aos filhos.

Lhuzie, equivalente a Luzia em português, é neta do principal estudioso da atualidade da língua mirandesa, Amadeu Ferreira, um mirandês levado para Lisboa pelo êxodo transmontano, que empurrou também o filho e a nora, pais da bebé.
 .
"É um orgulho o primeiro registo em mirandês ser da minha neta", afirmou à Lusa, embora a ideia nem tenha sido dele. Foi da mãe de Lhuzie.

O mirandês, falado junto à fronteira num recanto de Trás-os-Montes, é desde 1999, a segunda língua oficial de Portugal, mas até aqui apenas há registos de nomes de pessoas coletivas, nomeadamente associações.

Relativamente a pessoas individuais, Amadeu Ferreira garante que "é a primeira vez, é um feito histórico".

A atribuição de nome em Portugal obedece a regras muito estritas e só podem ser atribuídos a cidadãos portugueses os nomes próprios constantes de uma lista onomástica.

O de Lhuzie foi agora acrescentado a esta lista, mas foi necessário um pedido especial e uma sustentação jurídica para convencer os serviços dos Registos e Notariado de que ele existe e não traz qualquer prejuízo ao portador por poder ter conotações negativas.

O pedido foi fundamentado com o direito ao nome reconhecido na Constituição, a lei que reconhece os direitos linguísticos dos mirandeses e outros documentos históricos como uma publicação de vocabulário mirandês do padre Moisés, onde consta o nome, como explicou à Lusa o pai de Lhuzie, José Pedro Ferreira.

Os pais entenderam que "era muito importante passar a língua para a próxima geração e o que melhor senão o próprio nome".

José Pedro acha que a filha não vai estranhar o nome e se for falante do mirandês e de outras línguas, como os pais esperam que seja, não estranhará.

Uma feliz coincidência é Lhuzie ter nascido próximo do Dia Europeu das Línguas, que se assinala, 26 de setembro, e que para os pais tem "um sentido especial" por serem bilingues.
O registo do nome acaba por ser para este pai "mais um passo em direção ao uso natural do mirandês em todos os contextos do quotidiano".

Para José Pedro Ferreira, que é investigador no Instituto de Linguística Teórica e Computacional - ILTEC, "a aceitação do registo pode ser um feito muito importante para o mirandês", uma língua "ameaçada, minoritária, mais usada em casa, no âmbito familiar e de trabalho, sobretudo no campo e na pastorícia".

O estatuto de segunda língua oficial de Portugal impulsionou a generalização do ensino em mirandês, embora apenas no concelho de Miranda do Douro e como disciplina opcional. Ainda assim, metade dos alunos estuda mirandês.

Outros passos positivos apontados são a comunicação bilingue na Câmara de Miranda do Douro e a refundação da Associaçon de la Lhéngua i Cultura Mirandesa, no âmbito da qual está a ser criado na cidade de Miranda do Douro um centro de documentação, a Casa de la Lhéngua, e uma plataforma virtual que albergará ferramentas essenciais, como um dicionário e corretores ortográficos para o mirandês.

O passo seguinte, defende, deve passar pela assinatura pelo estado português da Carta Europeia das Línguas Regionais ou Minoritárias do Conselho da Europa, que enquadraria as práticas políticas do país para as línguas minoritárias, como o mirandês.

* Congratulamo-nos com o salutar direito à diferença. 
BEM VINDA LHUZIE

.
.
XX- O UNIVERSO
 
1- O FIM DA TERRA
 




.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Branson vai dar férias aos funcionários. 
Todas as que quiserem.

O patrão do grupo Virgin quer acabar com o controlo sobre o tempo que os funcionários passam na empresa. Por isso, instaurou uma nova regra para quase 200 trabalhadores: tirem as férias que quiserem, quando quiserem. Mas há uma condição. O trabalho tem de estar feito. 
 .
Richard Branson, fundador do grupo Virgin, voltou esta quinta-feira a ser notícia pelo que muitos estão a considerar a nova excentricidade do empresário. Depois dos planos para levar os clientes ao espaço, com a Virgin Galactic, Branson quer agora levar os trabalhadores de férias. E por tempo ilimitado.
 .
De acordo com a imprensa internacional, o empresário disse a 170 funcionários que podem gozar a quantidade de férias que queiram, desde que isso não prejudique o negócio. No seu site explicou: "O trabalho flexível tem revolucionado o como, onde e quando todos nós fazemos o nosso trabalho. Se trabalhar das nove às cinco já não se aplica, então por que devemos ser rígidos com a política de férias anuais?".

O patrão da Virgin explica que foi inspirado pela Netfix, o serviço de ‘streaming’ de vídeo com sede nos Estados Unidos, que tem uma política semelhante, de não controlar as férias dos funcionários. E os resultados parecem ser positivos. De acordo com os responsáveis da empresa, o bem-estar, a criatividade e a produtividade do pessoal aumentaram desde a introdução desta "não-política".

A indefinição das fronteiras entre a vida profissional e a vida familiar, causada pelos avanços na tecnologia móvel, fez com que as empresas deixassem de ser capazes de "controlar com precisão o tempo total que os empregados passam no local de trabalho", justifica Richard Branson, acrescentando que não há necessidade de a sua equipa pedir autorização para passar tempo fora da empresa.

"Cabe ao empregado decidir sozinho se, e quando, quer tirar algumas horas, um dia, uma semana ou um mês de folga. O pressuposto é que só irão fazê-lo quando se sentirem 100% confortáveis que eles e a sua equipa estão actualizados em todos os projectos, e que sua ausência não irá, de qualquer forma, prejudicar o negócio e as suas carreiras ", acrescenta o empresário.

Segundo o Financial Times, as novas regras aplicam-se a 170 funcionários que trabalham nos escritórios centrais da Virgin no Reino Unido e Estados Unidos. Quanto ao grupo, no seu conjunto - que emprega cerca de 50 mil pessoas em todo o mundo nas áreas dos transportes, aviação, tecnologia e sector bancário - não vai adoptar a mesma política. Ainda.

"Vamos incentivar todas as nossas subsidiárias a seguirem o mesmo caminho, o que vai ser extremamente emocionante de assistir", concluiu Branson. 

* À atenção do "managére" da CIP que não se sabe porquê foi sindicalista.


.
.
LICENÇA PARA
ESPIAR





.
.

HOJE NO
"DESTAK"

Conselho Económico e Social 
defende nova política para
 a Administração Pública 

O Conselho Económico e Social (CES) defende uma mudança de politica para a Administração Pública, orientada para a qualificação dos seus quadros e para um melhor acesso dos cidadãos aos serviços públicos, refere um projeto de parecer hoje aprovado. 


"O CES recomenda fortemente que haja uma mudança de política orientada para a qualificação dos quadros da administração Pública e da melhoria do acesso dos cidadãos aos serviços públicos", diz o projeto de parecer sobre as Grandes Opções do Plano (GOP) para 2015, aprovado pela Comissão Especializada em Política Económica e Social (CEPES) do CES. 

No documento, que será ainda alterado para ser discutido e aprovado pelo plenário do CES na terça-feira, o Conselho manifesta a sua preocupação pela ausência, na proposta do governo, "de qualquer tipo de medidas que permitam a entrada de recursos qualificados na Administração Pública", para colmatar, pelo menos em parte, o "elevado número de saídas verificadas nos últimos anos". 

* O governo é duma surdez militante, não tem capacidade para ouvir um bom conselho.


.

CRISTINA ESTEVES

.



Ajustes por medida

Não me refiro propriamente a alfaiataria, embora haja sempre um paralelismo à arte de ajustar, nem mesmo ao pronto-a-vestir, na medida que uma carapuça serve a todos.
 .
Esta semana foi proferida uma decisão judicial inédita que condenou por crime de prevaricação por titular de cargo político uma ex-ministra da Educação, um ex-secretário-geral do Ministério da Educação e um advogado, irmão de um ex-ministro.

Independentemente do mérito ou não do acordão, não me pronuncio quanto às pessoas ou à prova de facto, até porque o caso ainda não transitou em julgado, já há recursos anunciados e a presunção de inocência tem de prevalecer, sempre.

Mas sobre o que já foi amplamente divulgado na comunicação social, e partindo do concreto para o abstracto, as questões sucedem-se no que concerne a afinidades e relações pessoais, políticas e partidárias instituídas na base de uma gestão pública que não se pretende amoral.

Haverá resquícios do que se diz à boca pequena, mas que nunca se assume, raramente se denuncia e dificilmente se prova? Certo é que há uma ilação premente a tirar pelos portugueses, e detentores de cargos públicos em particular, sobre a qual se terá de ser consequente em nome da transparência: a incongruente gestão da coisa pública - de governos a autarquias, do sector empresarial do Estado aos institutos públicos - por meio de ajustes directos.

Quando a esmagadora maioria de obras feitas pelo Estado e os pareceres, consultorias ou auditorias contratualizados, é por ajuste directo é caso para dizer que os concursos públicos, mesmo se ajustados, fazem da regra excepção. E é aqui que reside o busílis da questão: as propaladas "gorduras do Estado" que todos vociferam à distância parecem ‘fillet mignon' à medida da proximidade. Nem o novo mapa judiciário escapa aos ajustes.

Obviamente que a gestão corrente nem sempre se compadece com concursos públicos burocráticos, morosos e desprovidos da confiança indispensável entre partes para a execução do que é a mera persecução de objectivos de contornos políticos ou ideológicos, pelo que o ajuste directo é também um meio incontornável. Mas a justificação prévia pela razoabilidade da externalização em detrimento de serviços internos, a obrigação na consulta ao mercado para um mínimo de propostas a fim de minimizar a sobrevalorização ou o imperativo por um clausurado estanque eficaz na proteção e ressarcimento do Estado no incumprimento é simplesmente imperativo. A transparência nos ajustes directos não pode ser opaca.

Como há quem não entenda os ataques à Justiça, já não por haver uma para ricos e outra para pobres, e sim por haver uma à medida de poderosos e políticos. Mas esta politização na interpretação das sentenças, e nas suas "causas", prenuncia outros ajustes, de executivo em executivo, de partido para partido.

IN "DIÁRIO ECONÓMICO"
19/09/14


.
. .
.


283.UNIÃO


EUROPEIA











.
.

HOJE NO
"i"

52 detidos em Portugal em operação policial europeia contra crime organizado

A operação permitiu também comprovar a identidade de mais de 10.000 imigrantes indocumentados, o que levou “à detenção de 170 criminosos envolvidos na imigração ilegal”
 .
Mais de 50 pessoas foram detidas em Portugal no âmbito de uma “mega operação” que envolveu 34 países contra o crime organizado na Europa, indicou hoje o Gabinete Coordenador de Segurança. 
 .
 A operação ”Arquimedes”, coordenada e apoiada pelo serviço europeu de Polícia Europol, realizou-se entre 15 e 23 de setembro e envolveu as autoridades policiais de 34 países, tendo resultado em mais de 1.000 detenções, adianta uma nota do gabinete da secretária-geral do Sistema de Segurança Interna, Helena Fazenda.

Em Portugal, a operação envolveu 3.863 elementos da GNR, PSP, PJ, SEF, Autoridade Tributária e ASAE, que realizaram ações conjuntas em “dezenas de locais e alvos previamente definidos”, como aeroportos, pontos de passagem de fronteira, portos, estabelecimentos, mercados e feiras.

A operação resultou na detenção de 52 pessoas, das quais 13 por suspeita de crimes de furto, oito por suspeita de detenção ilegal de arma e seis por mandado de detenção, e na apreensão de 144 armas, 1.113 munições, 10.000 euros em dinheiro e 25.000 artigos contrafeitos, além de três homens que foram constituídos arguidos por suspeita do crime de burla informática, refere a nota.

Segundo a Europol, a operação teve como principal objetivo o combate ao crime organizado e suas estruturas implementadas na União Europeia.

Mais de 300 “ações individuais” foram realizadas em uma centena de localidades europeias contra setores do crime organizado como o tráfico de seres humanos, o tráfico de heroína e cocaína, o cibercrime e a organização de imigração ilegal.

Essas ações levaram à detenção de 1.027 pessoas, ao resgate de 30 crianças romenas a traficantes de seres humanos e à apreensão de 599 quilos de cocaína, 200 quilos de heroína e 1,3 toneladas de canábis.

A operação permitiu também comprovar a identidade de mais de 10.000 imigrantes indocumentados, o que levou “à detenção de 170 criminosos envolvidos na imigração ilegal”.

Mais de 2.000 membros das forças de segurança dos 28 Estados membros da União Europeia (UE) participaram na operação, que decorreu entre 15 e 23 de setembro e envolveu os serviços de informações dos 28, mas também da Noruega, Estados Unidos, Austrália, Suíça, Sérvia e Colômbia, e outras agências como a Eurojust, a Frontex e a Interpol.

* Ainda bem que prenderam estes intermediários do crime organizado, por que os patrões dessa nobre actividade são cidadãos acima de qualquer suspeita, como  Ricardo Salgado, por exemplo.

.
.

O PRECONCEITO ABOMINÁVEL





.
.

(IN)CONSCIENTE 
COLECTIVO/4





.
.
HOJE NO
"A BOLA"

Hope Solo e as fotos íntimas divulgadas na internet:
 «Ultrapassa todos os limites 
da decência humana»

A guarda-redes da seleção feminina norte-americana, Hope Solo, é uma das vítimas das fotos íntimas roubadas e publicadas na internet. A jogadora, considerada uma das mulheres mais bonitas do mundo do desporto, já reagiu de forma indignada.

«É extremamente triste que os direitos de tantas mulheres tenham sido violados pela divulgação não autorizada de fotografias privadas. Esse ato ultrapassa os limites da decência humana e, por isso, junto-me a todas as mulheres afetadas e estou a explorar todas as opções para proteger a minha privacidade», escreveu a jogadora na sua página de Facebook .

Além de Hope Solo, o caso das fotos roubadas inclui, entre outros, os nomes da atriz Jennifer Lawrence, da modelo Kate Upton, da ‘socialite’ Kim Kardashian e da cantora Rihanna. 

* Concordamos com Solo no que lhe diz respeito, mas há por aí tanta celebridadezinha que contrata paparazzis para tirarem fotos indiscretas...até em Portugal.


.
.

Alter Bridge


Broken Wings

.
.

HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS
DA MADEIRA"

Souto de Moura é relator de processo
 da Ordem dos Advogados 
contra Passos Coelho

O antigo procurador-geral da República Souto de Moura é o relator do processo da Ordem dos Advogados que corre no Supremo Tribunal de Justiça contra o primeiro-ministro e ministros que aprovaram o novo mapa judiciário, segundo o STJ. 

Em causa está uma queixa-crime apresentada pela Ordem dos Advogados (OA) na Procuradoria-Geral da República contra os membros do Governo presentes nas reuniões do Conselho de Ministros que aprovaram a reorganização judiciária, que entrou em vigor a 01 de setembro. 


A OA fundamenta a queixa com o que considera ser "um atentado ao Estado de Direito". Segundo a página do STJ na internet, um dos denunciados é o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e as ministras da Justiça e das Finanças, Paula Teixeira da Cruz e Maria Luís Albuquerque, respetivamente. 

Contactada pela agência Lusa, a bastonária da Ordem dos Advogados disse que ainda não foi notificada da distribuição do processo decorrente da queixa-crime apresentada na PGR, a 01 de setembro. 

Quando apresentou a queixa na PGR, a OA sublinhou que, face às funções que desempenham, exige-se que os membros do Governo português conheçam "perfeitamente os direitos, liberdades e garantias dos cidadãos previstos na Constituição". 

Alegou, na altura a OA, que com uma "experiência de, pelo menos, três anos de governação" os ministros devem respeitar os direitos, liberdades e garantias, "sem reservas, subterfúgios ou hábeis processos legislativos". 

Com a aprovação do mapa judiciário, a 27 de março de 2014, os ministros do Governo PSD-CDS/PP "desprezaram o critério da proximidade do cidadão no acesso ao Direito e à Justiça". 

O novo mapa judiciário divide Portugal em 23 comarcas, com sedes coincidentes com a dos distritos administrativos existentes e regiões autónomas da Madeira e Açores, exceto Lisboa, que se subdivide em três comarcas, e Porto, em duas. 

* A justiça tem cá uma "cruz"...

.
.
AMOR COM OS DEFEITOS


.
.

HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

BESI está à venda

Wall Street Journal avança que o Grupo Espírito Santo está em conversações iniciais para vender a banca de investimento, liderada por José Maria Ricciardi. 

O BES Investimento, que tem cerca de mil empregados, recebeu "manifestações de interesse" de várias entidades mas as negociações estão ainda numa fase muito inicial, reporta o jornal económico norte-americano, citando duas fontes oficiais do banco.


Uma das fontes adiantou ao WSJ que a mais forte manifestação de compra veio de um investidor estratégico do Médio Oriente, embora bancos chineses estejam também na corrida para adquirir o banco liderado por José Maria Ricciardi.
O jornal lembra que qualquer venda do negócio da banca de investimento do GES envolveria uma separação das operações regionais do banco. A Espirito Santo Securities India, por exemplo, onde trabalham cerca de 30 funcionários em serviços como research, corretagem banca de investimento, tem sido sondada por vários potenciais compradores, segundo um responsável daquela unidade indiana.

* Está à vista mais uma golpada da família "Espírito Beato", desceu na hierarquia, enquanto as autoridades portuguesas assobiam para o lado, a receita da venda devia reverter para o Estado já que o mesmo pôs no banco 4 mil milhões de euros.

.
.
.

DOUTRO SÉCULO


ALBERTO VARGAS

PINUPS



Vargas estava a pintar numa montra em Maio de 1919 quando um representante das Ziegfield Follies lhe pediu para mostrar o seu trabalho ao Sr. Ziegfield... iria se tornar o mais famoso e prolífico pin-up artista de todos os tempos. 

1940
http://www.thepinupfiles.com/vargas1.html#sthash.bGsY3hqZ.dpuf

Nascido a 9 de Fevereiro no Perú, Alberto Vargas era filho do famoso fotógrafo, Max Vargas, que  desde pequeno  o ensinou a pintar.


1920


1935
Em 1911, enquanto acompanhava Max numa viagem a Paris, Alberto descobriu a famosa revista La Vie Parisienne, e as suas sensuais capas de Raphael Kirchner causaram-lhe uma profunda impressão.


1941

1941


Estudou em Zurique e Genebra antes de deixar a Europa devido à guerra e chegou à Ellis Island em Octubro de 1916.


1941

1941


O primeiro encontro de Vargas com a América aconteceu na Broadway à hora de almoço quando de repente se viu rodeado pelas pessoas que iam almoçar. Arrebatado pela sua graça, sofisticação e beleza decidiu dedicar a sua vida a glorificar a Rapariga Americana.

1942

1945



O seu primeiro trabalho foi como desenhador de moda (quase tudo em aguarela , caneta e tinta) para a Adelson Hat Company e Butterick Patterns.



1946

1947
Em 1927, foi trabalhar para o departamento de arte da Paramount Pictures em Nova Iorque e foi escolhido para criar o trabalho artístico para o filme Glorificando a Rapariga Americana que estava a ser produzido por Ziegfield. O seu trabalho também apareceu no Paramount's 20th Anniversary Book, publicado em 1927 para as estrelas e executivos da empresa.



.
.
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

400 mil alunos sem professores
 
Fenprof afirma que há 30 mil docentes que ainda esperam colocação.

O secretário geral da Fenprof, Mário Nogueira, divulgou esta tarde, em Lisboa, que "há cerca de 400 mil alunos que não têm pelo menos uma disciplina, devido à ausência de docentes, enquanto há 30 mil professores que aguardam colocação".

Mário Nogueira acrescentou que "faltam preencher cerca de 4500 vagas de professores nas escolas, o que tendo em conta uma média de cem alunos por docente equivale a 400 mil alunos".

Segundo o dirigente para agilizar a colocação de professores é necessário uma intervenção da Assembleia da República.

Para que os deputados votem uma lei que coloque fim a esta dificuldades, a Fenprof irá apresentar uma proposta junto da comissão de Educação para que seja feito uma escolha de professores com base na reserva de recrutamento.

Mário Nogueira defende que com recurso a este mecanismo os professores inscrevem-se no prazo de dois dias, devendo o problema ficar resolvido em cinco dias.

O secretário-geral da Fenprof entende ser esta a melhor solução depois de há uma semana o ministro da Educação, Nuno Crato, ter assumido a existência de erros na bolsa de colocação de Escola.

* Tanto se falava das excepcionalidades do ministro quando foi nomeado e agora verifica-se que a montanha pariu um "c rato".

.
.

MONTE HUASHAN - CHINA



.
.
 
HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Verba referente ao anterior
 programa de fundos comunitários 
Portugal ainda tem 3600 milhões
 de euros disponíveis 

Portugal ainda tem 3600 milhões de euros do anterior programa de fundos comunitários, mas o ministro-Adjunto e do Desenvolvimento Regional acredita que não vai ser necessário devolver “um único euro a Bruxelas”. 

 “É dinheiro que vamos injetar na economia e no país, ao longo dos meses que permanecem até ao final de 2015 sendo a nossa convicção de que o país não irá devolver um único euro a Bruxelas”, afirmou Miguel Poiares Maduro no final do Conselho de Ministros onde foram aprovados os regulamentos dos programas do novo quadro de fundos comunitários (Portugal 2020). 


Sobre o anterior quadro (QREN), que continua em funcionamento até ao final de 2015, adiantou que tem uma taxa de execução de 82%, “a melhor taxa de execução da União Europeia”, o que dá mais razões “para estar confortáveis” com a convicção de que será possível “executar plenamente todos os fundos”. Poiares Maduro adiantou que vai ser possível conjugar a aplicação de fundos do QREN com os do novo Portugal 2020, cujo período de programação decorre entre 2014 e 2020 e conta com um envelope financeiro de cerca de 25 mil milhões de euros. 

 O secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Manuel Castro Almeida, salientou que os 3.600 milhões de euros ainda disponíveis no QREN não são um dinheiro remanescente: “Todo o dinheiro do QREN está comprometido e temos dinheiro comprometido acima das nossas disponibilidades (‘overbooking’)”. 

Acrescentou ainda que no caso de algumas empresas ou serviços públicos não executarem completamente os contratos que têm, o Governo comprometeu dinheiro acima das disponibilidades para ficar com uma folga que garanta que toda a dotação financeira é executada e que não haja dinheiro a ser devolvido a Bruxelas. 

“Esta folga está situada nos 6%” e corresponde a pouco mais de 1.200 milhões de euros, afirmou, adiantando que ainda estão a ser abertos “concursos como reservas para o caso destas folga se mostrarem insuficiente”. Castro Almeida salientou que “a experiência demonstra que a execução fica sempre abaixo do programado”, por isso há contratos feitos acima da dotação disponível, sendo a taxa de ‘overbooking’ autorizada em função do histórico dos quadros comunitários anteriores. 

Quanto ao novo Portugal 2020, estimou que os primeiros contratos de financiamento sejam assinados no início de 2015 e que o dinheiro comece a chegar às empresas a partir da primavera de 2015. O Governo pretende que o Portugal 2020 atinja uma taxa de execução de 5% no final do próximo ano, o que Castro Almeida considerou como um grande avanço face ao valor de 2% que foi executado no primeiro ano do anterior quadro, o QREN, que vigorou no período 2007-2013. 

* O sr. ministro é um homem de fé e acredita nos "deuses" da UE, mas quem manda é a Sta. Merkel e por lá não existem azinheiras para aterrar.


.
.


MAIS  PARA 
INTIMIDAR
QUE PARA
RELACHAR

(INSTAGRAM)

 ODIANDO O MOMENTO


 UGH! QUE FEIO SOU


 NÃO TENHO NADA DE BOM


 TÉCNICO DE SELFIE SERVE P'RA QUÊ?


 TANTO SE AGACHA QUE SE VÊ O RABO


 TÃO PREOCUPADA COM A FOTO 
QUE DEIXA DE SER NATURAL


 PROCURA O LUGAR MAIS DIFÍCIL
PARA FICAR NO GRUPO


 FOTO NO DIA DO DIABO


 JÁ ESTÁ, A SELFIE CORRE MUNDO


 OLHA A BARATA TONTA


NA REALIDADE SOU MAIS BONITO, UGH!



.
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

PGR arquiva denúncia anónima
 contra Passos

Ministério Público declara-se legalmente impedido de investigar o caso, uma vez que os factos em causa estão prescritos

A Procuradoria-geral da República anunciou, ao início desta noite, o arquivamento de uma denúncia anónima contra Pedro Passos Coelho. 


O documento que chegou ao Ministério Público afirmava que o atual primeiro-ministro foi remunerado pela empresa Tecnoforma, entre 1997 e 2001, ao mesmo tempo que era deputado em regime de exclusividade. Porém, a PGR declarou-se legalmente impedida de investigar o caso, uma vez que os factos denunciados estão prescritos.

Com efeito, verificando-se a extinção da hipotética responsabilidade criminal por via da prescrição, está legalmente vedado ao Ministério Público proceder a investigação com a finalidade de tomar conhecimento sobre a veracidade ou não dos factos constantes da denúncia", lê-se no comunicado da PGR.A denúncia chegou ao Departamento Central de Investigação e Acção Penal em junho deste ano, tendo sido aberto um inquérito autónomo.

 "Este inquérito foi arquivado nos termos do art.o 277o n.o 1 do Código de Processo Penal, por inadmissibilidade legal de procedimento", acrescenta a PGR.

* A prescrição legal é um facto mas a clareza e ética política não prescrevem sr. Primeiro-ministro.


.

.BOLAS..BOLAS!

.
.
HOJE NO
"RECORD"

Rui Costa: 
«Revalidar o título não é uma obcessão»

CAMPEÃO DO MUNDO FALOU EM CONFERÊNCIA IMPRENSA

Rui Costa chegou esta tarde a Lugo, quartel-gerenal da Seleção Nacional, e que fica a cerca de uma centena de quilómetros do palco dos Mundiais, Ponferrada.

E o primeiro compromisso do ainda campeão do Mundo foi dar uma conferência de imprensa para os jornalistas portugueses que fazem a cobertura da competição. E deixou claro que não está pressionado a vencer de novo.

"Revalidar o título não é uma obsessão. Mas levamos um país ao peito, queremos honrá-lo, por isso vou dar o meu melhor. E se assim for, a mais não serei obrigado", confessou Rui Costa, que coloca responsabilidades nos adversários.

 "Estou tranquilo, pois o trabalho está feito para chegar aqui nas melhores condições. Já ganhei um Campeonato do Mundo. Quem tem de ir à procura da vitória não sou eu mas sim quem nunca foi". Contudo, apesar de já conhecer o sabor da vitória,  o poveiro diz que não vai "dormir à sombra da bananeira".

E quem serão os maiores adversários de Rui Costa? "Veremos a meio da corrida a tática de seleções como a Espanha e a Itália, que têm homens muito fortes para a parte final". Espanha que tem Joaquin Rodriguez e Alejandro Valverde, a Itália de Vincenzo Nibali e Fabio Aru. Mas o suíço Fabian Cancellara, o belga Philippe Gilbert e o eslovaco Peter Sagan são também homens a ter em conta.

Mas também eles têm de contar com os seis portugueses. "Todos os ciclistas da Seleção Nacional são muito experientes, sabem o que é um Mundial. E estou certo que me vão ajudar muito", rematou Rui Costa.

A prova rainha do Mundial disputa-se domingo e tem quase 255 quilómetros.

* Pode não haver obcessão mas intenção sim!

.