sábado, 23 de agosto de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.



 .
.

O QUE NÓS

NOS INDIGNAMOS!


A TORMENTA DO POVO YAZIDI



* Uma notícia do "EURONEWS"
.
.

TV ARGENTINA



As cadeias de televisão da Argentina também são pródigas em concursos excitantemente radicais que chegam a perturbar o apresentador, dois  concorrentes feéricos.



.
.

 6-SIDA - HISTÓRIA

DA EPIDEMIA


EFEITOS ADVERSOS

 

Uma interessante série conduzida pelo Prof. Dra. Marcia Rachid, especialista em doenças infecciosas e parasitárias.

.
.


 V-VOZES CONTRA


A GLOBALIZAÇÃO



4- O CAMINHO PARA
A EXTINÇÃO




A Série Vozes Contra a Globalização combina as filmagens em diferentes lugares do mundo, com arquivos documentais, crônicas de informativos, trabalhos cinematográficos de diretores como WinWin Wenders, Avi Lewis, Pino Solanas, Jorge Drexler, poemas de Mário Benedetti e a atuação de Loucas de Pedra, de Pernambuco/Brasil.



Outras das vozes da série são os economistas Jeremy Rifikin (EEUU), ecologistas como o espanhol Ramon Fernandez Duran, o relator das Nações Unidas para a Fome no Mundo, Jean Ziegler, o ex-portavoz do Fórum Social de Gênova, Vitório Agnolletto, o Prêmio Príncipe de Astúrias, de Ciências Sociais, Giovanni Sartori, o especialista em Química Atmosférica, James Lovelock, o Analista Social José Vidal Beneyto, entre outros.

O caminho para a extinção


Enquanto nos preocupamos com as vígaras incidências dos banqueiros portugueses, esta aldeia global suicida-se dia a dia...




NR: Muito procurámos para tentar obter o visionamento desta série em língua portuguesa, a voz off está em francês e as legendas em espanhol, foi o que conseguimos.


.

JOSÉ ANTÓNIO LIMA

.


 Marinho Pinto 
na Casa dos Segredos

Dois meses depois de ter sido eleito para o Parlamento Europeu, Marinho Pinto veio revelar que abandonará o cargo já em 2015, cumprindo apenas um dos cinco anos do seu mandato.

«Tenciono candidatar-me à Assembleia da República, onde faço mais falta para resolver os problemas políticos dos portugueses», confessa com a sua habitual modéstia. «Isto sem prejuízo de, depois, poder também candidatar-me às presidenciais» que ocorrem logo daí a três meses, avisa Marinho. E fica a sensação de que poderá ainda concorrer à presidência da Liga de Futebol, que está vaga, ou a um lugar de destaque na Casa dos Segredos. Qualquer coisa que lhe dê notoriedade, audiências e visibilidade pública. Sabe-se que o ex-bastonário dos advogados gosta de subir a qualquer palco e de se mostrar ao povo.

Ora, Estrasburgo tem palco, mas não lhe dá grandes hipóteses de protagonismo, sendo ele apenas mais um no meio de 751 figurantes que compõem o PE. Ao perceber isso, Marinho Pinto ainda mal chegou e já está de saída. À primeira vista, faz lembrar as eurodeputadas socialistas Ana Gomes e Elisa Ferreira que, em 2009, concorreram em simultâneo às europeias e às autárquicas, sabendo que só poderiam cumprir um desses cargos.

Mas, num segundo momento, Marinho torna inevitável a comparação com Fernando Nobre. Que deixou uma votação presidencial episódica subir-lhe à cabeça e, apesar de encher os seus discursos de proclamações éticas e declarações de princípios, viria a desistir do seu lugar de deputado mal viu que não conseguia ser eleito presidente da AR e que não teria o protagonismo prometido.

Tal como Nobre, Marinho tem feito a sua curta carreira na política à base de um posicionamento pseudo-independente, supostamente antissistema, em tom justiceiro e de cariz populista, sem ideias políticas mas com muitas denúncias de interesses e injustiças. Rende dividendos e dá votos, mas esgota-se e esvazia-se em pouco tempo.

Marinho Pinto argumenta que vai abandonar o seu lugar em Estrasburgo porque «os problemas nacionais são mais graves que os europeus». Sem esquecer, claro, no seu caso, que os problemas pessoais ainda são mais graves que os nacionais.


IN "SOL"
18/08/14


.
.
TARTARISTÃO



* Produção "EURONEWS - LIFE"
.
.

 Janis Joplin

Cry Baby




.
.
O EUROPEU MAIS FORTE

NOVO RECORDE 461 Kgs

.
.


2.OS MARADOS!















.
.




261.
Senso d'hoje


CAMILO LOURENÇO
JORNALISTA E ECONOMISTA
ACERCA DO BES


“Um único banco pode dar cabo de uma economia. É bom que os políticos que andam a dizer balelas sobre o BES não se esqueçam disso!”

.

.


BOM DIA


.