segunda-feira, 28 de julho de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

 A JUMENTINHA



Esta aconteceu no Rio Grande do Norte
Um garotão 25 anos, boa pinta, passou no concurso  para Juiz Federal e foi mandado para uma
cidadezinha lá no sertão.
Ao chegar na cidade, foi logo avisado:
- Doutor, aqui tem um problema. Não tem mulher na cidade Quando o senhor quiser afogar o ganso, tem que ir lá para beira do rio, "pegar a jumentinha".

O jovem juiz, mantendo a pose, disse que não havia necessidade.  Passados três meses o tesão foi aumentando e o juiz não agüentou.
Botou a sua melhor roupa e foi para beira do rio. Chegando lá, deparou-se com uma fila de homens e uma jumentinha.
Ante a presença do juiz, o povo abriu caminho:
- Olha o doutor aí, pode passar doutor
Diante de tanta gentileza e tamanho tesão, o juiz não titubeou, abaixou as calças e crau na pobre jumentinha.

Foi quando escutou um oooohhh vindo da fila e um homem exclamou:
- Doutor, a jumenta é só para atravessar o rio, a casa de meninas é do outro lado!



.
.
.


O QUE NÓS

REPUDIAMOS!

145 mil refugiadas sírias são chefes
 de família e lutam para sobreviver


video



.
.




FÉZADA




















.
.


JOAQUÍN 
CORTEZ


video


 O Maior Bailarino de Flamenco de sempre


.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Suspeito de abusar de menina
. na cabina de um carrossel aguarda
. julgamento em liberdade

A PJ anunciou, esta segunda-feira, a detenção de "um homem que abusou sexualmente de uma menor de oito anos", em Gaia, "no interior da cabina de um carrossel instalado no largo de uma igreja". Ouvido em tribunal, o homem espera julgamento em liberdade. 
 .
Em comunicado, a PJ revela que o homem está indiciado pela prática de crime de abuso sexual de uma criança.

De acordo com esta força policial, "os factos ocorreram no interior da cabina de um carrossel instalado no largo de uma igreja, para onde o suspeito atraiu a criança, com o pretexto de lhe mostrar como funcionava o carrossel".

A PJ acrescenta que o detido, de 27 anos e sem ocupação laboral tem "antecedentes policiais por crime da mesma natureza".

O indivíduo foi presente a um primeiro interrogatório judicial e ficou proibido de contactar a vítima entre outras medidas de coação, como, por exemplo, não poder frequentar parques de diversões.

* Um indíviduo com antecedentes anda à solta?



.
.


 FORÇA AÉREA

PORTUGUESA

4-FORMAÇÃO DE PILOTO


video



PRODUÇÃO: TV RECORD



.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Argentina tenta evitar bancarrota 
a menos de 24 horas do prazo final

Buenos Aires joga o tudo ou nada na reunião de terça-feira com o mediador apontado por tribunal norte-americano. Argentina pode entrar no quarto incumprimento desde 1982. Credores que recusam reestruturação de dívida exigem 1,33 mil milhões de dólares.
 .
É uma última cartada por parte da Argentina para tentar evitar a sua segunda bancarrota no espaço de 13 anos. A segunda maior economia da América do Sul pode vir a entrar em incumprimento de pagamentos na quarta-feira.

O governo argentino vai reunir-se na terça-feira com Daniel Polack, o mediador apontado pela justiça norte-americano para fazer a ponte entre Buenos Aires e os credores que recusam aceitar a reestruturação de dívida. Este vai ser o quinto encontro entre as duas partes no espaço de um mês, que terminaram até agora sem resultados práticos.

UM CALOTE E TANTO
"Eu apelo novamente a conversações directas, frente-a-frente, com os detentores de dívida, mas isso não vai acontecer amanhã", disse Daniel Polack em comunicado, citado pela agência Reuters.

A Argentina pretende ganhar tempo para negociar com os fundos de investimento que apelida de "abutres", enquanto procede ao pagamento aos credores que aceitaram as reestruturações de dívida em 2005 e 2010.

O prazo para pagar a estes credores termina na quarta-feira, dia 30 de julho, após um período de graça de 30 dias. No final de Junho, Buenos Aires falhou o pagamento de um cupão de 832 milhões de dólares (619 milhões de euros) aos credores que aceitaram o "haircut", quando o juíz norte-americano Thomas Griesa impediu este reemboloso.

Com esta decisão, o magistrado pretende que o executivo de Cristina Fernández Kirchner chegue primeiro a acordo com os credores que recusam cortes no valor da dívida e só depois proceda ao pagamento dos 832 milhões de dólares.

Buenos Aires declarou que quer manter "um diálogo que estabeleça condições de negociações justas para todos os credores", disse Jorge Capitanich, chefe do gabinete de ministros argentinos, citado pelo jornal Clarín.

O responsável sublinhou que "todas as negociações demoram o seu tempo" e que no encontro com o mediador será retomado o diálogo sobre "obrigações financeiras não contraídas" pelo actual governo do país.

O juíz Thomas Griesa decidiu em 2012 obrigar a Argentina a pagar 1,33 mil milhões de dólares (990 milhões de euros) aos credores que rejeitam cortes na dívida. A decisão foi confirmada recentemente pelo supremo tribunal norte-americano.

Os fundos Elliott Management Corp e Aurelius Capital Management LP compraram dívida argentina a preço de saldo após o incumprimento de 100 mil milhões de dólares em 2001 e recusaram negociar uma reestruturação.

Até ao momento, Buenos Aires recusou encontrar-se directamente com estes credores, argumentando que os fundos preparam-se para fazer um lucro de 1680% no espaço de seis anos com a dívida argentina.

* Socrates também nos  encaminhou para a banca rota embora com números mais pequenos, quanto  a António Costa, seu dilecto vassalo, poderá ter a agulha apontada para o mesmo desvario.
Alguém já ouviu Costa criticar fortemente a "socrática desgovernação"?

.
.


MINUTOS DE


CIÊNCIA/10


100 SEGUNDOS DE CIÊNCIA


video



.
.
HOJE NO
"DESTAK"

Oposição da Guiné Equatorial felicita
. saída da CPLP de ONG portuguesas 

A Coligação para a Restauração de um Estado de Direito (CORED) na Guiné Equatorial felicitou a Plataforma Portuguesa das Organizações não-governamentais para o Desenvolvimento pela decisão de suspender o estatuto de observadora consultiva da CPLP. 
 
JÁ ERA...
No passado dia 23, a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) aprovou a entrada da Guiné Equatorial na organização, uma reivindicação antiga do Governo, liderado desde 1979 pelo Presidente Teodoro Obiang, e contestada por várias organizações da sociedade civil, que alegam o facto de poucos falarem português e acusam o regime de várias violações de direitos humanos. 

Em nota a que a Lusa teve hoje acesso, a CORED considera de "corajosa" a decisão da Plataforma Portuguesa das Organizações não-governamentais para o Desenvolvimento, tomada na sexta-feira, após a CPLP ter admitido a Guiné Equatorial como membro de pleno direito.

* Esta foi a maior velhacaria que fizeram à língua portuguesa, nem o acordo ortográfico é tão velhaco.


.

BAPTISTA BASTOS

.




A sinistra 
relação das coisas

As coisas parecem indicar que, no próximo dia 23, a CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), na cimeira de Timor, vai ter o seu requiem. Cabisbaixos e servis, os governos dos países que constituíam aquela vasta sociedade abandonaram os princípios, as normas e os valores morais dos fundadores e cederam aos grandes interesses dos negócios. 

As manobras de bastidores estavam, há anos, em movimento, e o que era uma ideia límpida e um conceito nítido de colaboração entre países de fala igual foi tripudiada friamente. A entrada da Guiné Equatorial, antiga colónia espanhola, cujos costumes, cultura, ideologia, política e comportamento são contrários, e até opostos, aos da comunidade, não é só absurda: possui as características de uma usurpação. Nem o facto de quem manda no país ser antidemocrático, ou ademocrático, como queiram, impediu o resto da comunidade de se opor ou sequer recalcitrar.

O capitalismo desconhece a história, as características, os padrões específicos das nações, nem isso está nos seus objectivos, mas tem de existir um contrapoder que permita a existência, simultânea, da soberania e do desenvolvimento económico, cultural e social. O que está em causa, com a inserção da Guiné Equatorial na CPLP é a imposição do axioma neoliberal, e dos abusos mais sintomáticos de uma violência sem paralelo nos nossos dias.

É lamentável que os países instituidores da comunidade não se tenham oposto a este enredo, que nada tem que ver com princípios de solidariedade e muito menos com relações de língua. De um modo mais simples, digamos que o capitalismo também neste caso sai vencedor, pela rendição, pela subserviência e pela nova categoria de negligência dos governos. Tem-se visto, um pouco por todo o mundo, a que conduz esta indiferença gelada, e às ameaças reais que pesam em todos. Parafraseando Sophia, nós sabemos, temos informações, assistimos ao caos, e não queremos assumir as responsabilidades de uma decisão.

Os tentáculos da ganância, a ausência de um ideal progressista que se lhe obste, continuam a desembocar em múltiplas incertezas. O espectro da guerra paira como endemia. A selvajaria dos conflitos locais só o é porque descuidamos da natureza do que oculta. O abatimento do avião da Malaysia Airlines não é, somente, uma ignomínia pavorosa: indica que o mundo actual não conhece limites, e está associado à assunção de um novo paradigma, que temos de combater com energia, porque a nossa sobrevivência ética está em questão. Como se lê n"Os Irmãos Karamazov, de Dostoievki, "se Deus não existe, tudo é permitido". Deus como acto moral, Deus como espessura e dignidade humanas. Não é abusivo estabelecer relações entre as coisas: todas elas estão ligadas e obedecem a leis muito próprias.

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
23/07/14


.

.


255.UNIÃO


EUROPEIA

















.
.

HOJE NO
"i"

DIAP de Lisboa assina abaixo-assinado
. para evitar debandada da 
investigação criminal

Em causa está norma que dita que procuradores-adjuntos do DIAP poderão ganhar até menos mil euros brutos que um colega em tribunal 
 .
Todos os procuradores do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, incluindo a directora, Maria José Morgado, assinaram um abaixo-assinado dirigido à Procuradora-Geral da República (PGR) e ao Provedor de Justiça reclamando ser inconstitucional uma norma do novo mapa judiciário que leva a que um procurador-adjunto a exercer funções de investigação criminal num DIAP venha a receber até cerca de menos mil euros brutos mensais que um procurador-adjunto com julgamentos de crimes de injúrias, conduções sem carta ou pequenas burlas. 

Ao que o i apurou, antes de ser enviado este abaixo-assinado, procuradores do DIAP de Lisboa e Coimbra já tinham enviado um primeiro documento ao Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) no início de Junho, na data em que este se iria reunir, pedindo para suspender a abertura de vagas em Setembro. 

Os procuradores alegavam que a sua liberdade de escolha poderia ficar condicionada por razões salariais. Face ao silêncio dos conselheiros, os procuradores do DIAP de Lisboa enviaram um segundo abaixo-assinado nos dias seguintes a essa reunião do CSMP mas desta vez dirigido à PGR.

* O modo subtil como o governo prepara a hemorragia de investigadores criminais  nos DIAP's  do país. Assim o "colarinho branco" ficará mais lavado.

.
.

.

VIZUALIZAÇÕES DE PÁGINA POR PAÍS

Basta um click para saber a estatística de visitas ao blogue no momento, no dia, mês, ano ou desde o início,  a consulta é fácil.
Tem ainda outros dados estatísticos para consultar, é um prazer tê-lo como visitador.

.
.


 7- A HISTÓRIA


DO AUTOMÓVEL



video


ATENÇÃO SRS./AS VISITADORES/AS

Esta série foi difundida pela TVE, Rede Minas, em 1986, é portanto muito datada. No entanto até à data indicada, o seu conteúdo tem rigor histórico.


.
.
HOJE NO
  "A BOLA"

Carlos Sá diz que terceiro lugar
 em Badwater «foi muito bom»
De regresso a Portugal, Carlos Sá falou das dificuldades que encontrou na ultramaratona Badwater 2014, prova disputada nos Estados Unidos que concluiu no terceiro lugar.

«Foi muito difícil. Viveram-se emoções muito fortes. Foi uma prova muito intensa. Passei por momentos muito complicados. Mas, felizmente, consegui superar», disse o atleta no aeroporto do Porto, sublinhando que, «apesar das dificuldades, o terceiro lugar foi algo muito bom».

«Para mim foi um grande resultado. Não estava a contar fazer esta prova este ano. Decidi três semanas antes regressar. Mas, dez dias antes da corrida, fiz a primeira experiência no triatlo e fiz uma rutura na coxa. A primeira subida da corrida fiz sem problemas, mas a descer comecei a sentir uma picada muito forte e pensei que estava tudo perdido. Na altura de mais calor tive problemas digestivos, não tinha energia, com vómitos e para terminar tive muitas bolhas nos pés. Pouco mais faltava acontecer», analisou o vencedor da prova em 2013.

A próxima prova está marcada para final de agosto e vai decorrer em Chamonix (França): «Agora quero tentar recuperar para daqui a quatro semanas tentar estar entre os dez melhores. Vai ser uma luta complicada, mas se estiver bem acredito que posso garantir um lugar entre os 10 primeiros ou, como já aconteceu, ficar entre os quatro primeiros.»

* Só um louco corajoso é capaz de fazer uma prova daquelas, não esquecer que foi o  vencedor o ano passado.


.
.

Ney Matogrosso


FASCINAÇÃO

video



.
.
HOJE NO
  "DIÁRIO DE NOTÍCIAS
DA MADEIRA"

Só pouco mais de 3 mil tigres 
vivem em liberdade no Mundo

No mundo restam pouco mais de três mil tigres em liberdade, mas há um século eram mais de 100 mil, alertou hoje o Fundo Mundial para a Natureza (WWF), um dia antes do dia mundial do tigre. 


A WWF advertiu que se nada for feito para mudar esta situação, os tigres poderão extinguir-se, não por causas naturais, mas pela falta de conservação e pela caça realizada a esta espécie. 

Estes felinos gigantes são muito valorizados porque várias partes dos seus corpos são usadas para produzir medicamentos prescritos na medicina popular asiática. 

Nos últimos 14 anos, foram confiscados 1.590 tigres mortos para que seus corpos fossem utilizados em medicamentos, denunciou a organização. 

A WWF afirmou dispor de dados sobre populações de tigres na Índia, Nepal e Rússia, mas desconhece o número de exemplares que ainda vivam em liberdade na Birmânia, Camboja, China, Indonésia, Laos, Malásia e Tailândia. 

A organização não governamental (ONG) de conservação apelou aos ditos países que contabilizem os seus tigres, para assim poder protegê-los. 

A ONG quer ajudar os países no seu trabalho de conservação, pretendendo dobrar o números destes felinos em liberdade até 2022, mas necessita de colaboração dos governos. 

* Quando só existirem 3 mil pessoas ...

.
.
 LEMBRANDO
1ª GUERRA MUNDIAL
video


Hoje, dia 28, completam-se cem anos do início da 1ª Guerra Mundial (1914-1918). O conflito foi o primeiro a envolver países dos cinco continentes e deixou cerca de 10 milhões de mortos e 20 milhões de feridos, além de resultar na queda de quatro impérios (Russo, Austro-Húngaro, Alemão e Otomano).

.
.
HOJE NO
  "DIÁRIO ECONÓMICO"

Telefónica e Santander lançam a maior
. plataforma de ensino superior gratuita

Cerca de 600 milhões de pessoas que falam português e espanhol no mundo são os potenciais utilizadores da Miríada X, uma plataforma online de ensino superior gratuita apresentada ontem no Rio de Janeiro.
 .
Sabia que já há mais pessoas a falar português e espanhol no mundo que a comunidade de falantes do mundo anglo-saxónico? São 600 milhões, o que faz como que "a afirmação de um espaço de conhecimento ibero-americano tenha um potencial enorme", sublinha Luís Reto, reitor do ISCTE- IUL.


O Santander e a Telefónica acabam de dar um passo gigante para concretizar esse sonho de construir um espaço ibero-americano de investigação e ensino superior. 

A plataforma online Miríada X foi apresentada pelos responsáveis máximos das duas empresas, Emilio Botín e César Alierta, ontem no Rio de Janeiro. Uma apresentação feita no arranque do maior encontro académico alguma vez realizado. Cerca de 1.100 reitores de 35 países estão reunidos no Rio de Janeiro para participar no III Encontro Internacional de Reitores Universia. 

Vêm de universidades da América Latina, Portugal, Espanha e China. Em www.miriadax.net vai poder encontrar a primeira plataforma Massive Open Online Courses (MOOC). A última novidade tecnológica na área do ensino superior que disponibiliza cursos na internet gratuitos para todo o mundo. Mais de 750 mil alunos já estão inscritos nesta plataforma e mais de cem mil terminaram os seus cursos.

Este projecto é desenvolvido pela Telefónica Learning Services (TLS) e pelo Santander através do Universia, a maior rede online de universidades do mundo que fala espanhol e português. "Estamos perante uma oportunidade histórica para o sistema de ensino superior ibero-americano", afirmou Emílio Botin. Já o líder da Telefónica considerou que "há uma necessidade crescente de educação por parte de uma geração que aposta claramente na tecnologia". 

"A tecnologia e a digitalização são hoje essenciais para garantir a competitividade dos países", acrescentou César Alierta. Depois da impressão, "a transmissão de conhecimento através da internet é, talvez, a segunda grande inovação educativa" da história, disse o presidente do Santander.

"Ainda há um longo caminho a percorrer para concretizar o espaço ibero-americano de ensino superior", nota João Gabriel Silva, reitor da Universidade de Coimbra. "Mas muitos têm vontade de o percorrer e será muito interessante fazê-lo", acrescenta o responsável pela instituição portuguesa com mais estudantes da América Latina.

Para a preparação do encontro foram feitas cinco sondagens a mais de 20 mil estudantes, professores e funcionários da comunidade académica ibero-americana. E quase todos consideram que a criação de um programa ibero-americano de cooperação universitária seria muito importante.

Mas há muitos outros temas em cima da mesa quando falamos de políticas públicas de ensino superior. Por exemplo, "em tempo de crise, como encontrar novas formas de financiamento?", como questiona Pilar Lostao, vice-reitora de Relações Internacionais da Universidade de Navarra. Que estratégias de internacionalização deverão ser adoptadas? Até que ponto as Tecnologias de Informação obrigam as universidades a reinventar-se? Estas são apenas algumas das questões em discussão neste III Encontro Internacional de Reitores Universia, sob o tema "A Universidade do Século XXI - Uma reflexão da comunidade ibero-americana".

* Uma acção de excelência!


.
.


16.CARTAZES


URBANOS















.
.
HOJE NO
  "CORREIO DA MANHÃ"

Cavaco promulga revisão da lei
 do segredo de Estado 

 Presidente da República defende uma "reponderação" por parte dos deputados. 


O Presidente da República promulgou a revisão da lei do segredo de Estado, mas sugere aos deputados a "reponderação" de algumas normas para que sejam eliminadas "dúvidas ou equívocos interpretativos". 

Numa nota divulgada no 'site' da Presidência da República é referido que o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, promulgou o diploma, mas enviou uma mensagem à Assembleia da República. 

Na mensagem enviada ao Parlamento, Cavaco Silva defende uma "reponderação" por parte dos deputados em relação às normas sobre a desclassificação de matérias, documentos ou informações sujeitos ao regime do segredo de Estado e sobre a tipificação do crime de violação de segredo de Estado. 

* Em Portugal deve reponderar-se tudo, a começar em quem votarmos nas próximas eleições.


.
.
FOGE
video

.
.
HOJE NO
  "O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Paulo Macedo e o novo medicamento para a hepatite C 
"Preço totalmente imoral" 

O ministro da Saúde classificou hoje como “totalmente imoral” o preço pedido pela indústria para o novo medicamento para a hepatite C, fármaco que tem sido reclamado pelas associações de doentes. 

 “O Infarmed está a autorizar tudo o que são casos de ‘life saving’ [para salvar vidas]. 

E o que queremos é ter uma estratégia concertada com outros países que também não aprovaram o medicamento e que são a maioria. Para tentar baixar [o preço], porque obviamente o preço é totalmente imoral”, afirmou o ministro Paulo Macedo, questionado pelos jornalistas a propósito do Dia Mundial contra a Hepatite, que hoje se assinala. 


 O ministro já tinha sugerido uma aliança de vários países para tentar reduzir o preço dos novos medicamentos para a hepatite C, um novo grupo de fármacos que permite a cura definitiva em mais de 90% dos doentes tratados. Hoje, Paulo Macedo insistiu na ideia de uma estratégia concertada de vários países europeus, afirmando que Portugal quer, “de certeza, aceder à inovação”, mas com preços que tornem possível a sua comparticipação. 


O ministro, aliás, citou o exemplo de outro medicamento para a hepatite C que já desceu cerca de 60% o seu preço face à proposta inicial dos laboratórios. “Quando estamos a falar de negociações, de aceitar uma proposta/imposição num tempo ou noutro, e isso significa centenas ou dezenas de milhões de euros para os contribuintes, isso não admitimos”, concluiu. 

* Os donos do petróleo são também donos das indústrias do armamento, alimentar, da comunicação, da farmaceutica, etc., etc., são os "donos do dinheiro"!


.
.
BEBIDAS ENERGÉTICAS














.
.
HOJE NO
  "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Santos Pereira afirma: 
contrapartidas eram "imaginárias"

O ex-ministro da Economia Álvaro Santos Pereira assumiu hoje, no parlamento, que as contrapartidas negociadas pelos vários governos em nome do Estado português na compra de equipamento militar eram "imaginárias", devido ao seu grau de incumprimento generalizado.

O antigo membro do atual Governo da maioria PSD/CDS-PP admitiu ainda, durante o inquérito parlamentar, em sede de comissão, ter sido aconselhado a "não mexer no dossiê" por se tratar de um assunto com um grande "passivo reputacional".


"O modelo das contrapartidas foi desenvolvido para convencer a opinião pública de que a compra de material militar era neutra", justificou, classificando-as de "imaginárias".

Segundo Santos Pereira, "este tipo de contratos foi realizado em vários países, num determinado contexto, poucos anos depois da Guerra Fria, no qual investir na Defesa não era popular".
"Os multiplicadores (por exemplo, a transferência de tecnologia dos fabricantes para o país comprador) utilizados, na ordem dos 20, 30 ou 40... estamos a falar de contrapartidas sem base económica sólida, não realistas. Seria um autêntico milagre de multiplicação dos euros investidos. Uma autêntica falácia", disse, acrescentando que, "muitas vezes, o próprio preço é empolado pelos consórcios porque sabem que vão ter de dar as tais contrapartidas".

O responsável pelas pastas da Economia e do Emprego entre junho de 2011 e julho de 2013 disse ter sido confrontado com uma "baixíssimo grau de execução" das contrapartidas, mas que não hesitou em "pôr mãos à obra". 

"Recusei todas as opiniões que me diziam para não falar nem mexer neste dossiê, de pessoas ligadas ao meu gabinete, de amigos, diziam que este assunto tem grande passivo reputacional devido a ser uma questão polémica há muito tempo", reconheceu.

Santos Pereira afirmou que "o Governo definiu uma nova estratégia para garantir a rápida execução dos valores devidos, dando privilégio à exportação e à criação de emprego", através da "renegociação das diversas contrapartidas".


"O objetivo era aproveitar e tentar trazer benefícios para a economia portuguesa. Não tive problema algum em mexer porque nada tinha a temer", continuou, exemplificando com o projeto de remodelação de um empreendimento turístico no Algarve, o Alfamar, acordado com um dos parceiros do consórcio alemão com o qual o Estado português contratou o fornecimento de dois submarinos U-291.

Para o ex-ministro, sucedido entretanto por Pires de Lima, "há três tipos de contrapartidas: as diretas para a indústria da Defesa, as indiretas também relacionadas com setores da Defesa e as indiretas para a economia portuguesa".

Os deputados José Magalhães (PS), António Filipe (PCP) e João Semedo (BE) insistiram em saber quem teria aconselhado Santos Pereira a não "mexer no assunto submarinos", cujo contrato fora formalizado em 2004 pelo então ministro da Defesa, Paulo Portas, atual vice-primeiro-ministro, mas o antigo responsável apenas falou de seus colaboradores e pessoas próximas.

* O que Santos Pereira quer dizer é que  o actual vice-primeiro-ministro nos "ingrominou" à época com as falácias das contrapartidas e com a cumplicidade de Durão Barroso.
Gostaríamos que nos explicassem a quem pertence o "passivo reputacional".


.