sexta-feira, 25 de julho de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

 LÚCIA 

DOS OLHOS AZUIS


video


É ANTIGA MAS CHEIA DE GRAÇA,
O MACHO LEVOU P'RA CONTAR

.
.
.


A QUEM NÓS

NOS "VERGAMOS"!






.
.
BANQUEIROS















.
.


12 FACTOS SOBRE 

 ROUPA INTERIOR


video



.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

O "superjuiz" que mandou deter
 o ex-banqueiro

Chamam-lhe "superjuiz". E a razão é simples: nos últimos anos, os chamados crimes de "colarinho branco" que maior notoriedade pública registaram contam com intervenções do juiz Carlos Alexandre. É este o homem que, na quinta-feira, mandou deter e interrogou o antigo presidente do BES, no âmbito do processo conhecido por Monte Branco.
 .
Como magistrado judicial responsável pelo Tribunal Central de Investigação Criminal, Carlos Alexandre está associado a casos de grande impacto público, como o já referido Monte Branco, mas também as operações Furacão, Portucale, Face Oculta, BPN ou Remédio Santo.

No mundo da advocacia, há quem o admire, mas também quem o odeie. Alguns dos actores da Justiça que lidam ou já lideraram com Carlos Alexandre chamam-lhe "Mourinho da Justiça", por causa da sua obstinação. Há porém quem prefira, de forma pejorativa, designá-lo como o "Garzón português", acusando-o de gostar de protagonismo.

O juiz espanhol Baltazar Garzón, conhecido mundialmente pelo arrojo em desafiar os mais poderosos, teve também a seu cargo a responsabilidade de conduzir processos relacionados com crimes de "colarinho branco" mediatizados no país vizinho.

No caso do "superjuiz" foram também intervenções em processos relevantes de criminalidade económica e financeira as causas directas do protagonismo que alcançou. Ele que se iniciou no mundo da Justiça, depois de completar a licenciatura na Faculdade de Direito de Lisboa, na Polícia Judiciária Militar.

Carlos Alexandre optou, contudo, por seguir a carreira da magistratura judicial, desempenhando funções, nomeadamente, na comarca de Sintra. Chegou ao Tribunal Central de Investigação Criminal, o conhecido "Ticão", em 2004. Era então titular a juíza Fátima Mata-Mouros. Dois anos depois passou a responsável máximo daquele tribunal.

Sportinguista assumido, Carlos Alexandre é também um católico devoto que gosta de regressar às origens. Participa habitualmente nas comemorações da Páscoa em Mação, a localidade da Beira Baixa onde nasceu há 52 anos.

Pese embora o acusem de procurar protagonismo, a verdade é que foram raras as vezes em que se expôs na comunicação social. Indirectamente, através de um conterrâneo, o antigo assessor do Partido Socialista António Colaço, foi possível ver, há dois anos, no blogue Ânimo, Carlos Alexandre na celebração pascal de Mação. Mais do que o lado do devoto, ganharam força as afirmações do magistrado judicial, então transcritas no "Diário de Notícias".

"No contexto de uma diligência em que se procurava tomar contacto com documentação, foi-nos dito por uma pessoa com importância na praça que estava ali a mando de alguém para acompanhar aquele acto, porque quando o dinheiro falava, a verdade calava. Comigo a verdade falará sempre mais alto", sentenciou o juiz.

* Fazem muita falta mais magistrados como Carlos Alexandre.


.
.
 2.A VIDA DESCONHECIDA
DE JESUS CRISTO

video




.

HOJE NO
"DESTAK"

Romance inacabado de Saramago 
vai ser publicado em outubro 

O romance inacabado de José Saramago "Alabardas, alabardas, Espingardas, espingardas", será publicado em outubro, anunciou hoje a revista digital Blimunda, no seu editorial. 


O editorial é assinado pela presidente da Fundação José Saramago, a viúva do escritor, Pilar Del Río, que afirma que a publicação do texto "será mais uma forma de repúdio à violência". 

 "São poucos capítulos, mas o tema fica claro, o texto tem unidade", explica Pilar Del Río, tradutora para espanhol da obra do Nobel português.

* Saramago o Nobel que o PR baniu, prefere apertar a mão a Obiang.


.
. . .


19-UM POEMA

POR SEMANA
  
ANTÓNIO ALEIXO




TREMEM DE MEDO


OS TIRANOS



video


dito por


VITOR DE SOUSA



.
.
HOJE NO
"i"

Nove ONG pedem a Junker que 
extinga “inexplicável” cargo de Conselheiro Científico da UE

As ONG afirmam, por exemplo, que nunca conseguiram saber daquele órgão em que situações, no passado, o presidente solicitou pareceres do conselho.
 .
Nove organizações não-governamentais (ONG) enviaram uma carta ao presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, a pedir a extinção do cargo de Conselheiro Científico Principal daquela instituição, que consideram “inexplicável, polémico e que carece de transparência”. 

 O cargo, atualmente ocupado por Anne Glover, foi criado pela primeira vez pelo antecessor de Juncker, Durão Barroso, em 2011, e o presidente da Comissão Europeia está a fazer auscultações para indicação do novo responsável pelo pelouro.

Na carta citada pela revista “Sciencebusiness”, publicação vocacionada em matérias de inovação na União Europeia, as nove ONG consideram que “o cargo de Conselheiro Científico Principal é fundamentalmente problemático”.

A missiva é assinada por Jorgo Riss, diretor da Unidade Europeia da Greenpeace, Hans Muilerman, da Rede da Ação de Pesticidas, Christoph Then (Testbiotech) Jamie Page (Cancer Prevention and Education Society), Claire Robinson (GM Watch and Earth Open Source), André Cicolella (Réseau Environnement Santé) Anne Stauffer (vice-diretora da Health & Environment Alliance), Nina Holland (Corporate Europe Observatory) e Christophe Morvan (Fondation Sciences Citoyennes).
Segundo as organizações, o pelouro “concentra muita influência numa pessoa e mina em profundidade a pesquisa científica e avaliações realizadas por ou para as direções da Comissão”.

Quando José Manuel Durão Barroso anunciou o cargo pela primeira vez referiu que o papel do conselheiro era o de “fornecer aconselhamento especializado independente sobre qualquer aspeto da ciência, tecnologia e inovação, conforme solicitado pelo presidente” da Comissão Europeia.
Mas, os signatários da carta consideram que “enquanto as opiniões da atual Conselheira Científica Principal do presidente da Comissão Europeia foram muito presente nos meios de comunicação, a natureza do seu Conselho permanece desconhecida”.

As ONG afirmam, por exemplo, que nunca conseguiram saber daquele órgão em que situações, no passado, o presidente solicitou pareceres do conselho.

Recentemente, o gabinete de imprensa do executivo comunitário disse à Lusa que o processo de escolha da Conselheira Científica da Comissão Europeia vai demorar muito tempo e que o presidente pretende definir qual o formato que irá estabelecer para o cargo.

No entanto, no lugar de um conselheiro, os autores da missiva sugerem que o executivo comunitário procure aconselhamento científico a partir de uma "variedade de fontes independentes, multidisciplinares, com foco no interesse público”, refere a publicação.

Na carta, os signatários criticam a atual Conselheira Científica da Comissão Europeia, por discordarem das recentes opiniões de Anne Glover sobre os organismos geneticamente modificados.
As organizações dizem que, em declarações recentes, Anne Glover “apresentou opiniões parciais num debate sobre o uso de organismos geneticamente modificados na agricultura, afirmando reiteradamente que não havia um consenso científico sobre a sua segurança”.

Segundo a Sciencebusiness, no passado Durão Barroso considerou, a propósito da questão dos organismos geneticamente modificados, que o Conselho Científico da Comissão Europeia tem um papel na estimulação de debates da ciência na sociedade.

* Mais uma barrosada a confirmar a vulgaridade da sua actuação enquanto mordomo da sra. Merkel.

.

SARA BEJA

.


Queridos Avós

No dia 26, comemora-se o Dia Mundial dos Avós que, na minha opinião, não deve ser encarado pela sociedade como “mais um dia de consumismo” mas sim, um dia de grande e merecida homenagem aos familiares mais velhos que além de serem por norma uns queridos (os meus são), representam um papel de louvar na sociedade contemporânea.

O dia dos avós é comemorado dia 26 de Julho, porque é o dia de S. Joaquim e Santa Ana, pais de Maria e avós de Jesus, sendo estes os padroeiros dos avôs e das avós.

Já la vão os tempos em que os mais velhos da família viviam sob o mesmo teto das gerações sucessoras de genes e apelido.

As avós por norma, eram viúvas porque a esperança média de vida de um homem nos anos 50 era de 60 anos. Elas, eram as chamadas matriarcas e tudo o que se passava na família ou à volta da mesma, não podia decorrer sem o seu consentimento. Eram detentoras de um respeito que se conseguia sobrepor à figura masculina mais velha (filho ou genro) devido à idade. Ou seja, a idade era estatuto.

As crianças e jovens que assistiram e viveram nesse, hoje em dia, adultos ou gerontes, supunham talvez que o mesmo lhes fosse suceder, ou seja, ainda havia algo de positivo em chegar a uma certa idade e ser avô ou avó perante uma família que trata com o maior respeito e dignidade possível.
O cenário da atualidade mudou e apesar da grande autoridade e respeito que se perdeu, os avós estão mais flexíveis e tolerantes com os netos e restantes familiares. Por norma, os avós cedem com mais facilidade aos netos do que cediam aos próprios filhos e aproveitam a oportunidade de ser avós para corrigir algumas falhas que admitem ter cometido com os filhos. Os avós são também uma fonte inesgotável de sabedoria que surpreende a curiosidade dos netos e como também costumam ter mais paciência que os pais, transmitem-lhe muitos e importantes valores que são levados com os jovens para a vida.

Além de educadores, que são em muitos casos, os avós têm um papel preponderante na sociedade em geral. São simultaneamente alicerces e telhado de crianças e jovens em risco e evitam em muitos casos, que os netos vão para orfanatos, que passem fome e outras necessidades, ou que não vão à escola, ou que comecem a trabalhar precocemente.

Na maioria dos casos, os avós dedicam uma boa parte da sua reforma a tomar conta dos netos que, atualmente passaram a deixar de contar com a presença maternal permanente devido à emancipação feminina e à entrada da mulher no mercado de trabalho e em muitos casos, de progressão na carreira profissional. Assim, na ausência dos pais, os avós são os adultos responsáveis e chegam por vezes a ser sobrecarregados com várias responsabilidades inerentes, tornando-se em alguns casos, “escravos” dos próprios filhos.

É por estes motivos e por mais uns quantos que não foram referidos, que devemos o maior respeito a todos os avós. E sobretudo, lembrarmo-nos (não só no dia dos avós, mas sempre) de que a companhia, o carinho e o afeto são gratuitos e constituem a melhor forma de pagarmos tudo o que os avós fazem pelos netos e pela família em geral.

Licenciada em  Animação Sociocultural - Pós-graduação: Gerontologia

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS DA MADEIRA"
24/07/14


.

.


252.UNIÃO


EUROPEIA
















.
.
HOJE NO
  "A BOLA"

«Mentiria se dissesse que nada aprendi com Van Gaal» - Mourinho

Catorze anos depois de terem trabalhado juntos no Barcelona, José Mourinho e Louis van Gaal vão estar agora em lados opostos da barricada na Premier League. O aprendiz dá as boas-vindas ao mestre.
.
«Trabalhámos juntos, depois cada um seguiu o seu caminho profissional. Mas mantemos uma relação fantástica. Gosto muito dele e sei que ele também gosta muito de mim», disse Mourinho, em declarações à Imprensa inglesa.

A forma desassombrada como Van Gaal falou na primeira conferência de Imprensa como treinador dos red devils não foi uma surpresa para o português:

«Foi igual a si próprio, foi o Louis sincero e pragmático que conheço. Muitas vezes confunde-se honestidade com arrogância».

«Louis é Louis e Mourinho é Mourinho, cada um é único. Não há pontos de comparação entre nós. Bem, aprendi com ele sobre metodologia e filosofia de treino. Também desenvolvi as minhas próprias ideias, mas mentiria se dissesse que nada aprendi com Louis, porque, de facto, aprendi», reconheceu.

Mourinho e Van Gaal têm encontro marcado na Premier League a 26 de outubro, em Old Trafford, e a 18 de abril, em Stamford Bridge. 

* Os  mestres de excelência "fabricam" alunos extraordinários.


.
.


 3-A CASA E 


A CIDADE



o apartamento



video



 Apartamento:Este episódio aborda o sentido do "apartamento" ou da casa colectiva como lugar urbano inescapável. Mas o apartamento não é apenas o espaço interior, é uma peça da cidade, a última gradação do espaço doméstico privado. Michel Toussaint é o arquiteto convidado.
Coordenação Científica de Ricardo Carvalho

Estando, todos nós, mergulhados em arquitectura (boa ou má, não há construção que não tenha a sua arquitectura); sendo a arquitectura uma das disciplinas em que os portugueses mais têm marcado pontos internacionalmente; sendo a arquitectura uma das actividades que mais polémica gera no espaço público é particularmente RELEVANTE a produção da série A CASA E A CIDADE. Uma encomenda da RTP2, com a Parceria da Ordem dos Arquitetos, à Produtora Pop Filmes. Em seis episódios, de 30 minutos cada um, são tratados seis temas nevrálgicos que explicam, de forma simples e direta, as implicações da arquitetura nas nossas vidas e as implicações dos nossos valores e comportamentos na arquitetura. A partir de uma ideia original da Professora de Arquitetura Ana Tostões e com o acompanhamento científico dos arquitetos Ricardo Carvalho e Nuno Grande, que desenharam os guiões e escolheram o elenco de entrevistados, Graça Castanheira realiza uma série inteligente e inteligível, elegante e pedagógica.

Uma série cujo tempo de vida ultrapassará em muito as seis semanas em que esteve em exibição na RTP2.

www.reabitar.pt - Reabi(li)tar



.
.

HOJE NO
  "AÇORIANO ORIENTAL"

Mais de 30 empresas de lacticínios autorizadas a exportar para a China

O vice-primeiro ministro, Paulo Portas, revelou que a China certificou 31 empresas de lacticínios portuguesas, possibilitando assim que estas passem a exportar para o mercado chinês.
 
Paulo Portas discutiu hoje com o presidente da China, Xi Jinping, o reforço das relações económicas entre os dois países, na ilha Terceira, nos Açores.

"Abordámos temas internacionais e também matérias da nossa relação bilateral, com especial enfoque para o reforço da nossa cooperação económica", frisou o vice-primeiro-ministro, numa declaração aos jornalistas, sem direito a perguntas, no final do encontro.

Paulo Portas destacou que a China publicou na semana passada "a certificação de 31 empresas portuguesas que estarão, a partir de agora, em condições de exportar para o mercado chinês leite e laticínios", alegando que essa medida "constitui uma grande oportunidade", e acrescentou que "outras negociações no âmbito agroalimentar vão a bom ritmo".

O governante realçou também o crescimento das exportações portuguesas para a China, que passaram "de 220 milhões de euros, em 2009, para 660 milhões de euros, em 2013", frisando que "no primeiro trimestre deste ano, o crescimento foi ainda mais espetacular".

O vice-primeiro ministro lembrou que tanto no setor público como no privado, a China "tem feito investimentos vultuosos em Portugal", dando como exemplo as parcerias no setor energético, que já ultrapassam os "15 mil milhões de euros".

"Manifestámos o nosso empenho em conseguir abrir o mercado chinês, certamente entre os maiores do mundo, a mais empresas, marcas e produtos portugueses e a nossa abertura ao investimento estrangeiro, porque sem investimento não há crescimento e sem crescimento não há criação de emprego", frisou.

Paulo Portas destacou ainda ao presidente chinês a importância de se estabelecer uma ligação aérea direta entre a China e Portugal, que poderia ter uma "enorme valia para o turismo e para os negócios".
O vice-primeiro-ministro realçou também a "cooperação com a China no âmbito da economia do mar", tendo informado o presidente chinês sobre "a significativa conferência internacional sobre o mar e os oceanos" que Portugal vai organizar em 2015.

Portas disse ainda que deu conta a Xi Jiping do fim do programa de assistência financeira a Portugal e do "regresso do crescimento económico" ao país, destacando o valor que a China dá a Portugal.
"A República Popular da China valoriza o papel da lusofonia no século XXI, bem como a experiência muito importante de Portugal, não apenas no contexto europeu, mas também no estabelecimento de pontes e de compromissos e de cooperações entre a Europa, África, América latina e Ásia", frisou.

 Segundo Paulo Portas, a escala de Xi Jinping na ilha Terceira e o encontro realizado hoje "assinalam a importância estratégica da vocação marítima e atlântica de Portugal".

"Portugal é um dos poucos países membros da União Europeia que dispõe de uma parceria estratégica com a República Popular da China. A intensidade e a frequência das visitas de chefes de Estado e de governantes dos dois países confirma essa maturidade do nosso relacionamento", frisou.

* Entendemos a mensagem, para o sr. vice-primeiro-ministro o enfoque está na relações económicas entre Portugal e a China, morrem diáriamente naquele país mais de mil pessoas vítimas da ditadura chinesa, mas parece-nos que isso não tem importância nenhuma.



.
.


Mayra Andrade


Kenha ki ben ki ta bai

video

.
.
HOJE NO
  "DIÁRIO ECONÓMICO"

Saiba como fazer valer
 os seus direitos durante as férias

Problemas com companhias aéreas, agências de viagens, documentos, meios de pagamento ou de saúde são alguns dos principais imprevistos para os quais se deve preparar. Muitos portugueses preparam-se para partir de férias. Mas como os azares não escolhem mês ou hora para acontecer, aquelas que à partida poderiam ser umas férias de sonho facilmente se podem transformar num pesadelo. 


Problemas com companhias aéreas, agências de viagens, documentos, meios de pagamento ou de saúde são alguns dos imprevistos com que se pode deparar. A pensar nisso, o Diário Económico reuniu em nove pontos alguns dos principais contratempos que podem ocorrer durante as suas férias de Verão e explica-lhe como proceder para defender da melhor forma os seus interesses.

‘Overbooking'
Em caso de ‘overbooking' - situação em que são vendidas mais passagens do que os lugares disponíveis - a lei prevê alguns mecanismos de protecção dos viajantes. As companhias aéreas são obrigadas a procurar primeiro voluntários que cedam o lugar a troco de benefícios. Caso não consiga lugar, pode optar entre ser reembolsado e regressar ao local de partida ou ser encaminhado para o destino noutro voo. Segundo informação do Instituto Nacional de Aviação Civil (INAC), terá ainda direito a uma indemnização entre 150 e 600 euros, valor que é calculado consoante a distância do voo e o número de horas em atraso na chegada. Sempre que o cliente optar pelo encaminhamento, a companhia aérea também tem de proporcionar assistência (chamada telefónica, bebidas, comida, alojamento, transporte para o alojamento).

Cancelamento de voos
A indemnização é idêntica à oferecida no ‘overbooking'. Tal só não acontecerá caso o passageiro tenha sido informado do cancelamento pelo menos 14 dias antes do voo, reencaminhado para um horário próximo do previsto ou se a companhia aérea conseguir provar que o cancelamento se deveu a circunstâncias extraordinárias (ex: greves ou condições meteorológicas adversas). A companhia é obrigada ainda a oferecer a opção entre o reembolso do bilhete no prazo de sete dias ou o reencaminhamento para o destino final com condições semelhantes e, se necessário, prestar assistência.

Atrasos nos voos
Outra queixa habitual entre os viajantes relaciona-se com atrasos nos voos. As regras estipulam que no caso de atrasos consideráveis os passageiros têm de ser compensados com algumas regalias gratuitas: refeições e bebidas, alojamento e hotel ou transporte para o local de alojamento. Estas regras aplicam-se em atrasos a partir de duas horas. Já se o atraso for superior a cinco horas e o passageiro optar por não seguir viagem, também tem direito ao reembolso do bilhete e a ser transportado de volta ao local de partida original. Pode ainda haver uma indemnização idêntica à do cancelamento de voos, se chegar ao destino final com um atraso de três horas ou mais. Isto só não acontecerá caso a companhia aérea consiga provar que o atraso se deveu a circunstâncias extraordinárias.

Contratempos com bagagem
A perda, danos e atraso de bagagens é um dos imprevistos alvo de mais reclamações. Fique a saber que nestes casos poderá ter mesmo direito a uma indemnização que pode chegar a cerca de 1.220 euros, segundo revela o site do INAC. Mas para tal é necessário apresentar uma reclamação por escrito à companhia aérea. Os documentos próprios (relatório de irregularidade de bagagem) encontram-se nas secções de Bagagem Perdida dos aeroportos. Pela bagagem danificada, a queixa tem de ser apresentada no prazo de sete dias após a recepção da bagagem. Pela recepção atrasada da bagagem, o período máximo são 21 dias. Evite, contudo, colocar na bagagem artigos valiosos ou frágeis, como jóias, material informático, máquinas fotográficas ou telemóveis, já que as transportadoras aéreas não se responsabilizam pelo transporte deste tipo de bens.
Quem pretenda fazer valer os seus direitos junto das companhias aéreas mas não esteja disposto a perder tempo também pode recorrer a empresas como a Airhelp ou a Reclamador que actuam como intermediários. Tem apenas de preencher um formulário que está disponível nos respectivos sites. Estas colocam advogados e especialistas a trabalhar no processo e, se o pedido for bem sucedido, cobram uma comissão de 25% sobre o valor da indemnização recebida.

Problemas com agências de viagens e pacotes de férias
A legislação europeia obriga os operadores e as agências de viagens que comercializam pacotes de férias a fornecer informações precisas e completas sobre os produtos reservados, bem como honrar os termos contratuais e proteger os passageiros em caso de insolvência do organizador. O recurso às agências de viagens pode ser, aliás, uma forma dos viajantes se precaverem de determinados riscos. Por exemplo, se reservar um quarto directamente num hotel e este não corresponder ao previsto, só pode resolver o problema com o hotel. Mas se o fizer pela agência, esta terá de encontrar uma solução e pode mesmo haver lugar a indemnização. Quem tiver razões de queixa, deve começar por apresentar no prazo de 30 dias uma reclamação no "Livro de Reclamações" que as agências de viagens devem disponibilizar para o efeito. As reclamações também podem ser dirigidas ao Turismo de Portugal, que se encarrega de chegar a uma resolução amigável do conflito entre as agências e os clientes. Existe ainda um fundo de garantia de viagens e turismo destinado a reembolsar os viajantes por despesas que tenham suportado devido a falhas na prestação de serviços das agências que integram a APAVT (Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo). Para accionar este fundo, deverá dirigir um requerimento ao Turismo de Portugal apresentando um dos seguintes três documentos: sentença judicial onde conste o montante da dívida exigível, a decisão favorável do Provedor do Cliente da APAVT ou um requerimento em que solicita a intervenção da comissão arbitral. Note que a reclamação ao Provedor do Cliente da APAVT (provedor@provedorapavt.com) deverá ser apresentada no máximo 20 dias úteis após a data do regresso, sob pena de já não poder ser apreciada.

Documentos em ordem
Para evitar que lhe vedem o acesso a um país, tenha a documentação em ordem. Para circular livremente na União Europeia basta-lhe o bilhete de identidade ou cartão de cidadão. Mas se viajar para países não comunitários, é imprescindível ter o passaporte actualizado. Se necessário pode pedir um passaporte com urgência que fica pronto em 24 horas e pode ser levantado no aeroporto de Lisboa, na Loja do Passaporte. Funciona todos os dias, entre as 8 e as 20 horas. À chegada ao destino é aconselhável depositar os documentos originais, bem como os bilhetes de viagem, nos cofres do hotel, para evitar o extravio da sua documentação. Por prevenção faça também uma cópia dos documentos e que deve ser mantida junto de si. No estrangeiro, caso fique sem os documentos deve contactar com a maior brevidade as autoridades portuguesas mais próximas do local onde se encontra. Nomeadamente, os postos consulares e embaixadas de Portugal no estrangeiro. Para verificar se existe uma representação portuguesa no local de destino visite o site da Comissão Europeia dedicado à protecção consular (http://ec.europa.eu/consularprotection). Pode também recorrer a qualquer embaixada ou consulado de um Estado-membro da União Europeia para pedir assistência.

Clonagem de cartões de crédito
Os cartões de débito e de crédito podem ser valiosos aliados nas viagens em lazer, já que apesar de terem associados custos, são mais cómodos e seguros do que levar os bolsos recheados de dinheiro. Mas tenha muito cuidado na sua utilização de forma a prevenir que seja roubado ou alvo de clonagem. Sempre que efectuar pagamentos com cartão não o perca de vista e caso suspeite que este possa ter sido clonado ou se aperceba de movimentos anormais na conta bancária contacte imediatamente o seu banco para o cancelar. A legislação determina ainda que as fraudes que ocorram após a comunicação do roubo ou extravio do cartão passam a ser imputadas ao banco emissor.

Em caso de doença
Se adoecer ou sofrer um acidente num país da UE, Islândia, Liechtenstein, Noruega ou Suíça, tem direito a tratamento de emergência. Para beneficiar desta vantagem deve pedir antecipadamente o Cartão Europeu de Seguro de Doença. Este documento assegura a prestação de cuidados de saúde nos sistemas de segurança social desses países e nas mesmas condições dos beneficiários locais. O documento é gratuito e tem uma validade de três anos e, em regra, é enviado ao titular até sete dias úteis após o seu pedido. Pode requisitar este documento nos serviços da Segurança Social ou na loja do cidadão. Se o destino ultrapassar a União Europeia, é conveniente confirmar junto da embaixada ou do Departamento de Acordos Internacionais da Segurança Social se existe algum acordo de protecção na saúde. Tenha também em atenção que, caso adoeça na viagem, pode pedir uma suspensão das férias. Para tal deve contactar a sua entidade patronal a quem deve apresentar um atestado médico que comprove a doença.

Vale a pena fazer um seguro de viagem?
Se vai de férias nada melhor do que saber que no caso de doença, acidente ou determinados contratempos está protegido por um seguro de viagem. Mas nem sempre compensa subscrever um seguro com estas características. Se tiver comprado um pacote de férias numa agência de viagens, em princípio não terá de se preocupar com essa questão, já que estes programas incluem normalmente um seguro de viagem. Já se viajar por conta própria é conveniente contratar um seguro. Mas verifique antes se não está já protegido destes riscos para evitar a duplicação de coberturas. Por exemplo, se tem um seguro automóvel com a cobertura de assistência em viagem, esta pode ser accionada mesmo que não viaje de carro. Também se pagar a viagem com cartão de crédito, poderá activar a cobertura de responsabilidade civil durante as férias. A subscrição de uma garantia de cancelamento de viagem que lhe permite reaver o valor das despesas não reembolsáveis também pode ser útil caso reserve a viagem com muita antecedência e entretanto seja obrigado a desistir ou a regressar antes do previsto. Isto será particularmente conveniente caso viaje para destinos instáveis.

* Tome nota desta excelente informação e partilhe-a com amigos.


.
.
Airshow Budapest 2014

video


.

HOJE NO
  "CORREIO DA MANHÃ"

Teresa Guilherme arrisca 
perder 3 milhões 
Produtora tem títulos de dívida da Rioforte, 
sociedade do GES

 Teresa Guilherme está em risco de perder os investimentos que tem no Grupo BES e que rondarão os três milhões de euros, apurou o Correio da Manhã. 


A apresentadora e produtora de televisão, que se encontra fora de Lisboa, recusa-se, porém, a fazer comentários sobre a situação. "Não vou confirmar nada nem fazer qualquer outra observação", afirmou Teresa Guilherme ao CM. "Estou longe de Lisboa e não sei o que se passa. Um amigo enviou-me uma mensagem a dizer que Ricardo Salgado tinha sido preso e até pensei que se tratasse de alguma brincadeira", contou a apresentadora de ‘Juntos no Verão’ nas tardes de sábado da TVI. 

A produtora terá as suas poupanças investidas em títulos de dívida da Rioforte, a sociedade de investimentos do Grupo Espírito Santo (GES), depositados junto do Banque Privée Espírito Santo, na Suíça. Além da apresentação, Teresa Guilherme é produtora tendo-se iniciado nos anos 80 com a Teresa Guilherme Lda. 
Posteriormente, passou a Teresa Guilherme Produções que, por sua vez, em 2007, deu lugar à Terra do Nunca, sociedade nascida de um acordo com a SIC. À data, o canal de Carnaxide investiu 2,4 milhões de euros no negócio e a apresentadora manteve o controlo da sociedade através da Teresa Guilherme SGPS. A Terra do Nunca acabou por ser vendida, em 2009, à SP Produções por 1,7 milhões de euros. 

* A veracidade desta notícia não tem qualquer importância, grave é cidadãos e boas empresas portuguesas, não são muitas, arriscarem a perder as poupanças  conseguidas com os seus negócios, vítimas da ganância duma só família.
O desmoronamento do "GES" vai provocar um terramoto na economia portuguesa, já o escrevemos a semana passada!

.
.
PROTECTORAS SOLARES















.
.
HOJE NO
  "O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Operações de fiscalização rodoviária e 
de combate à criminalidade violenta
 Mais de 50 pessoas detidas 

Cinquenta e cinco pessoas foram detidas na quinta-feira pela GNR no âmbito de operações de fiscalização rodoviária e de combate à criminalidade violenta, 22 deles por condução sob efeito do álcool, segundo um comunicado hoje divulgado. 


O conjunto de operações decorreu ao longo de quinta-feira nos distritos de Lisboa, Porto, Aveiro, Braga, Bragança, Castelo Branco, Évora, Faro, Guarda e Leiria e foi “especialmente orientada para a prevenção da criminalidade violenta”. 

Num só dia a GNR deteve 55 pessoas em flagrante delito: 22 por condução sob efeito do álcool (foto), nove por conduzir sem carta, cinco por tráfico de estupefacientes, três por posse ilegal de arma e 16 por outros crimes. 

Além das detenções, foram apreendidas 5715 doses de haxixe, 10 doses de cocaína, 8,4 de heroína, mais de cinco mil euros, duas armas de fogo, entre outro material, de acordo com informação disponível no site da GNR. 

* Nenhuma desta pessoas tinha 3 milhões de euros para ir para o conforto do lar.
Estamos de acordo que tudo neste país possa ser fiscalizado, porventura quem estava armado foi sossegado para casa, talvez preparado para da próxima vez atirar a matar sobre um guarda.
Entretanto os criminosos de colarinho branco têm até possibiliaddes de ter um escritório particular num hotel.
É preciso estar atento ao que ontem disse  Carlos Tavares Presidente da CMVM sobre ajustiça em Portugal.
.
.

ESCORREGANÇOS

E QUEDAS


NA DISNEYLAND

video
.