segunda-feira, 16 de junho de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.



















.
.


O QUE NÓS


PERCEBEMOS



TAL COMO EM

PORTUGAL







.
.


NO REINO DO ZEDU






.
.


 4-STOMP


LITLE BROOMS AND HOSEPIPES






.
.
HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

84.ª Feira do Livro de Lisboa regista novo recorde
Mais de meio milhão de visitantes

A Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL), organizadora da Feira do Livro de Lisboa, que terminou no domingo, admite ter sido ultrapassado o meio milhão de visitantes, recorde registado no ano passado.

 Bruno Pacheco, secretário-geral da APEL, afirmou que apesar dos “últimos quatro dias, devido ao calor, terem ficado aquém das expectativas e do que é normal, ter-se-á ultrapassado os 500 000 visitantes”.


 A 84.ª Feira do Livro de Lisboa realizou-se de 29 de maio a 15 de junho no Parque Eduardo VII, tendo estado presentes 537 editoras e chancelas. Bruno Pacheco afirmou, sem citar números, que “as vendas, regra geral estiveram acima da média, em alguns casos com aumentos na ordem dos dois dígitos, o que foi reduzindo nos últimos três dias”.

Com vários números por apurar ainda, Bruno Pacheco fez um “balanço muito positivo” da 84.ª edição da Feira e referiu que a aposta feita na área da restauração “valeu a pena, na medida em que muitas pessoas dividiam a hora de almoço entre a Feira e a refeição, e assim puderam mais descansadamente usufruir da Feira e almoçar”.

As previstas mil atividades terão sido alcançadas, segundo Bruno Pacheco que afirmou que “até três dias antes estavam contabilizadas 930 iniciativas em torno do livro e da leitura”. Na Feira, em dois contentores, foram colocados livros usados ou novos, para crianças até aos 12 anos, que vão ser oferecidos através do Banco de Bens Doados.

Sobre esta iniciativa Bruno Pacheco afirmou não dispor de dados seguros, mas adiantou que dias antes do fecho, no domingo passado, foram contados dois mil livros. Esta edição estreou pavilhões dos quais "não houve qualquer queixa, pelo facto de ter chovido num dia, fez-se o teste, e não se registaram quaisquer infiltrações".

O responsável salientou ainda que os novos pavilhões "trouxeram mais alegria à Feira, são mais cómodos, permitiram uma melhor exposição dos livros, e agradaram a editores e visitantes".

* A magia da leitura trouxe meio milhão de mágicos ao parque Eduardo VII.


.
.


 TORDESILHAS


( O TRATADO/2)




.
.
 HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Godinho vai quebrar o silêncio

Manuel Godinho vai quebrar o silêncio, em tribunal, pela primeira vez, no âmbito do processo Face Oculta, confirmou o DN.

Manuel Godinho vai quebrar o silêncio, em tribunal, não para falar das acusações de associação criminosa e corrupção, entre outros crimes, que lhe são imputadas, mas sim das medidas de coação a que está sujeito, a mais limitadora das quais proibe a saída da área de residência (Esmoriz, Ovar), salvo por motivos de saúde.


A produção de prova do julgamento terminou no inicio de abril passado. A leitura do acordão está prevista para 5 de setembro. 

Segundo o DN apurou, a defesa do empresário do ramo da sucata requereu a extinção das medidas de coação, "porque ultrapassaram os prazos".

No entanto, o Ministério Público (MP) pediu para ouvir Manuel Godinho por entender que devem ser substituídas por outras.

A decisão final está nas mãos da juíza titular do processo em Ovar, Raquel Ferreira Neves.

Em Abril do ano passado, o tribunal agravou as medidas de coação de Manuel Godinho, exigindo o pagamento de uma caução no valor de 100 mil euros depois do sucateiro ter sido apanhado a almoçar com um arguido, e seu funcionário, violando a proibição em vigor.


O empresário, o único arguido que esteve em prisão preventiva (nove meses), ficou ainda sujeito a apresentações diárias às autoridades policiais, em vez de apresentações bissemanais. E encontra-se proibido de sair da área de residência, o que impede, nomeadamente, a deslocação à sede do grupo de empresas, na localidade vizinha de Arada.

O MP pediu a condenação do principal arguido do processo Face Oculta a 16 de anos de cadeia. A defesa entende que deve ser absolvido em toda a linha.

O processo está relacionado com uma alegada rede de corrupção, que teria como objectivo o favorecimento do grupo empresarial do sucateiro , nos negócios com empresas do sector empresarial do Estado e privadas.

Entre os arguidos estão personalidades como Armando Vara, antigo ministro e ex-administrador do BCP, José Penedos, ex-presidente da REN, e o seu filho Paulo Penedos.

* Afinal não vai falar da trafulhice, dos comparsas, vai pedir para atenuarem as medidas de coacção, a lei permite, às vezes até parece que lei facilita a vida aos criminosos.


.
.

 MINUTOS DE


CIÊNCIA

4-A MATEMÁTICA DA

SENSAÇÃO TÉRMICA





.
.
 HOJE NO
"RECORD"

AMA recorre ao TAS para ampliar penas
 a Johan Bruyneel e dois espanhóis

A Agência Mundial Antidoping (AMA) apresentou esta segunda-feira um recurso ao Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) para aumentar as penas ao diretor desportivo Johan Bruyneel e dois espanhóis pelo caso de doping que envolveu o ex-ciclista norte-americano Lance Armstrong. 

A 22 de abril, a Associação de Arbitragem Americana (AAA) suspendeu o belga Bruyneel por 10 anos, o médico Pedro Celaya e o preparador físico José Martí por oito "pela sua implicação numa conspiração de doping na equipa US Postal", na altura de Armstrong.

A AAA considerou que estes elementos "cometeram múltiplas violações do regulamento antidoping durante muitos anos, tendo afetado muitos ciclistas".

Com este recurso, apoiado pela União Ciclista Internacional (UCI) e Agência Antidoping dos Estados Unidos (USADA), a AMA pretende "uma melhor proteção dos desportistas e assegurar a limpeza no ciclismo". 

* O negócio no desporto é vampiresco, sacrifica as cobaias a que se chama atletas, exigem-se resultados e ganham muito dinheiro.

.

VICENTE JORGE SILVA

.




Palavras no vazio

Os discursos presidenciais de 10 de Junho parecem condenados a ser meros exercícios de retórica no vazio de uma efeméride que merecia, sem dúvida, outra celebração mais imaginativa, empenhada e mobilizadora.

Mas talvez nunca como este ano as palavras de Cavaco Silva terão revelado uma distância tão grande – e patética – da realidade política nacional.

De que serve apelar a um «entendimento partidário de médio prazo», sobre a sustentabilidade da dívida pública e as reformas para estimular a competiti- vidade económica, quando as condições para esse entendimento se mostram mais longínquas do que alguma vez estiveram? 

Pode argumentar-se, claro, que Cavaco se limita a fazer o que lhe é permitido, no quadro das suas atribuições, para lembrar aos partidos a urgente necessidade de um compromisso político. Mas o que se torna também cada dia mais evidente é que a leitura minimalista e autodesculpabilizante dos seus poderes acaba por transformar o chefe do Estado numa desoladora redundância institucional, retirando-lhe progressivamente a confiança dos portugueses, como atestam as sondagens mais recentes.

Além disso, o Presidente da República não pode nem deve ignorar as circunstâncias concretas em que faz esse apelo – ou seja, que ele se destina a cair em saco roto e em tornar ainda mais vagos, inúteis e inconsequentes os poderes presidenciais. No limite, se o que parece é, Cavaco estará sobretudo preocupado em sacudir a água do capote e guardar para memória futura as propostas e avisos que foi deixando – a exemplo de outros discursos passados – como se isso servisse para absolvê-lo da sua impotência política.

Na Guarda, o Presidente afirmou: «O tempo de diálogo que se estende agora até à discussão do próximo Orçamento do Estado será o mais indicado para que as forças políticas caminhem no sentido da concretização do direito à esperança dos portugueses, numa perspectiva temporal mais ampla, situada além das vicissitudes partidárias ou cálculos eleitorais. É essa a responsabilidade das forças partidárias».

Ora, tudo isto não passa de uma piedosa abstracção que faz tábua rasa da crise política cada vez mais acentuada que, em várias frentes, se vive no país. Cavaco finge que os resultados das últimas eleições europeias podem ser rasurados do mapa – nomeadamente a pesada derrota da coligação de direita e a escassa vitória do terceiro partido do chamado arco da governabilidade, o PS, que, de resto, o precipitou numa grave convulsão interna sem fim à vista.

Ora numa situação de efervescência e debilidade política dos protagonistas partidários, com apelos recorrentes à antecipação das legislativas, como esperar um «tempo de diálogo» que ninguém parece interessado em promover ou aproveitar?

As «vicissitudes partidárias» e os «calendários eleitorais» condicionam a paisagem política nacional e tornam absolutamente remota ou mesmo inviável qualquer hipótese de diálogo e compromisso nos tempos mais próximos (como o foi, aliás, em tempos passados). Não sendo o Presidente o culpado directo por essa situação, o facto de limitar-se, porém, ao estatuto de espectador passivo, que insiste em apostar num cenário absolutamente irrealista, serviria apenas para alimentar falsas expectativas (o tal «direito à esperança») junto dos portugueses – se eles não estivessem já totalmente descrentes delas…

Perante o panorama que temos à nossa frente – agravado ainda pela controvérsia em torno dos últimos acórdãos do Tribunal Constitucional e das incertezas sobre os acórdãos que se seguem –, ao Presidente da República restava um papel energicamente pró-activo, assumindo a iniciativa política e não a deixando suspensa de um ambiente político-partidário apodrecido, em tudo contrário à hipótese do compromisso que Cavaco considera indispensável e apontando a uma «perspectiva temporal mais ampla».

Se as forças partidárias tendem a acantonar-se no curto prazo e no ‘salve-se quem puder’, se o risco de bloqueio e paralisia espreita as instituições, como garantir o «direito à esperança dos portugueses»? Não será esse, precisamente, o papel do primeiro magistrado da Nação?

Cavaco Silva recusa-se a ver o que se passa à sua volta, julgando que com isso preserva a sua coutada presidencial. Nada mais ilusório. Para além da conjuntura política imediata, estão também em causa a natureza e a substância dos compromissos que o Presidente desejaria ver concretizados, mas sobre os quais evita pronunciar-se. Depois de oscilar entre posições contraditórias, desde a denúncia da espiral recessiva até ao acomodamento com as posições governamentais e os dogmas da troika, Cavaco está prisioneiro no vazio do seu palácio e das suas palavras.


IN "SOL"
15/06/14


.
.


213.UNIÃO



EUROPEIA



























.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Quinze inventores competem pelo 
título de mais popular da Europa

Quinze pioneiros estão nomeados para a edição deste ano dos "Óscares Europeus da Tecnologia e Inovação", que premeiam as principais invenções. Dos inventores do 4G, às buchas para construção ou às suecas que inventaram o capacete invisível, conheça os nomeados. 

O "European Inventor Award" vai premiar, esta terça-feira, em Berlim, algumas das equipas responsáveis por ideias ou produtos que influenciam, de forma positiva, o nosso dia-a-dia. 
Os pioneiros, que foram escolhidos de uma lista de 300 candidatos, estão divididos em cinco categorias (Indústria, Pequenas e Médias Empresas, Investigação, Inventores de Países Não-Europeus e Prémio de Carreira) e atuam em áreas tão diversas como biotecnologia, construção, meio ambiente, mecânica, medicina ou telecomunicações.

Para além destas categorias, os inventores competem entre si pelo Prémio de Popularidade, o único galardão do certame decidido pelo público, que vota online para determinar qual é o inventor mais popular da Europa.

Indústria
Koen Andries, Jérome Guillemont: 


Esta dupla belga-francesa conseguiu diminuir de forma significativa o tempo de tratamento da tuberculose, alcançando uma cura completa de forma rápida. Para conseguir este feito, a equipa extraiu a molécula que fornece energia à bactéria responsável pela doença. Estima-se que este tratamento possa curar cerca de oito milhões de pessoas em todo o mundo.

Muhammad Kazmi, Stefan Parkvall: 


Esta equipa, constituída por pessoas da Suécia, Áustria e Alemanha, trabalha na Ericsson e foi decisiva no avançado da tecnologia LTE que permite aos nossos telemóveis usufruir de Internet de alta velocidade (vulgo 4G). Sem as mudanças implementadas neste campo, não seria hoje possível navegar na Internet a alta velocidade, via mobile.

Luigi Cassar: 


O italiano Luigi Cassar é responsável, juntamente com a sua equipa, por uma mistura de cimento inovadora que se limpa sozinha, enquanto aumenta a qualidade do ar das zonas circundantes às fachadas onde for utilizada.

Pequenas e médias empresas 
Terese Alstin, Anna Haupt: 


Estas duas inventoras suecas deram que falar ao conceberem o Hövding, uma espécie de capacete invisível com airbag para ciclistas que mais parece um lenço de usar ao pescoço. Este lenço especial, que se acciona em caso de acidente e se transforma num airbag em forma de capacete, já está no mercado e tem uma ligação especial a Portugal: a empresa responsável pela montagem final deste capacete invisível possui instalações de produção no nosso país.

Peter Holme Jensen, Claus Hélix-Nielsen, Danielle Keller: 


Da Dinamarca chega-nos uma invenção química que permite processar água na sua forma mais pura sem consumir muita energia. Através de uma membrana de filtração de água que utiliza a osmose entre células, é possível limpar a água de qualquer impureza, sistema que pode ajudar os 1.5 mil milhões de pessoas que não têm acesso a água potável.

Carles Puente, Carmen Borja e equipa: 
 Os telemóveis atuais já não incluem as grandes antenas de outros tempos, muito graças a esta equipa espanhola de inventores, que criou uma antena altamente eficiente... do tamanho de um grão de arroz. A antena multifunções que inventaram permite que hoje recebamos vários sinais, como Bluetooth ou GPS, nos nossos pequenos telemóveis.

Investigação 


Christofer Toumazou: O trabalho deste britânico tornou possível a análise de ADN de forma rápida, através de um microship que pode ser transportado numa pen USB. O teste de ADN que inventou não só deteta desvios ou problemas genéticos em minutos, como nem precisa de ser efetuado num laboratório para ser eficaz.
Thomas Tuschl: 
Quem também dá cartas no mundo da genética é este bioquímico alemão, que conseguiu desenvolver um processo que consegue "desligar" genes humanos que possam ser responsáveis por doenças. A sua descoberta pode significar um enorme avanço no tratamento de desordens genéticas graves.

Serge Cosnier, Philippe Cinquin e equipa: 


Oito anos depois de implantados, os pacemakers comuns ficam sem bateria e têm de ser substituídos. Este grupo francês quer terminar com esse procedimento, pelo que desenvolveu uma pequena estrutura que transforma o açúcar libertado pelo corpo em eletricidade.

Países Não-Europeus

Masahiro Hara, Takayuki Nagaya: 


Certamente já utilizou um QR Code. Se sim, a "culpa" é de Masahiro Hara e da sua equipa japonesa. Este novo código, de resposta mais rápida que o antigo código de barras, permite armazenar imensa informação e depressa ganhou terreno em diversas áreas, sendo facilmente reconhecido um pouco por todo o planeta.

Charles W. Hull: 


Uma das mais excitantes tecnologias a ganhar protagonismo internacional nos últimos tempos é a impressora 3D, utilizada em diversas áreas e com diversos fins. O trabalho de Hull com luzes ultravioleta nos anos 80 acabou por resultar na primeira impressora do género, servindo de base a todas as outras que agora surgem.

Cary L. Queen, Harold E. Selick: 
Esta dupla de biologistas moleculares norte-americana é considerada pioneira em tratamentos de cancro com anticorpos modelados, que apenas atingem áreas específicas do corpo. Graças ao seu trabalho, foi possível desenvolver diversos métodos de combate a doenças como o cancro, esclerose múltipla, artrite reumatóide e asma.



Prémio de Carreira

Artur Fischer: Fischer é um dos mais bem sucedidos inventores de todos os tempos. Aos 94 anos, soma mais de patentes e é, sobretudo, conhecido como o inventor das "buchas", usadas para fixar parafusos em furos.

Ingeborg Hochmair, Erwin Hochmair:  
Este casal é a razão pela qual nem todas as crianças que nascem surdas têm de o ser para o resto da vida. Através do implante coclear que esta dupla austríaca inventou, foi possível estimular eletronicamente os nervos auditivos e devolver a audição a mais de 200 mil pessoas.

Wieslaw L. Nowinski: 
Especialista em computação, o polaco Wieslaw L. Nowiski investiga o cérebro há mais de trinta anos. Com o que aprendeu, conseguiu criar uma imagem tridimensional do cérebro humano, que é usada na prática clínica desde então. Graças a esta invenção, é possível encontrar mais rapidamente diversas doenças ou desordens cerebrais e proceder a cirurgias de forma mais segura. 

* Quando uma notícia é um festival de inteligências, só podemos regozigar.


.
.


1- A HISTÓRIA
   
DO AUTOMÓVEL 





ATENÇÃO SRS./AS VISITADORES/AS
Esta série foi difundidada pela TVE, Rede Minas, em 1986, é portanto muito datada. No entanto até à data indicada, o seu conteúdo tem rigor histórico.


.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Anacom cria centro de reporte de falhas das redes e serviços de telecomunicações

A Anacom - Autoridade Nacional de Comunicações criou um centro de reporte ao qual os operadores deverão notificar as violações de segurança ou perdas de integridade das redes. 
 .
O regulador de telecomunicações, em comunicado, refere que "a informação tem que ser dada em tempo real e sempre que as falhas de segurança ou perdas de integridade afectem de forma significativa o funcionamento das redes e serviços de telecomunicações".

O novo centro funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, e o reporte é feito quando se verifica o incidente. A Anacom recorda que desde Dezembro já existia a obrigação de notificação, mas o reporte era mensal. 


"Devem ser notificadas todas as violações de segurança ou perdas de integridade que causem perturbações graves no funcionamento das redes interligadas ou nos serviços prestados aos utilizadores", detalhou a mesma fonte.

A obrigação de notificar existe, nomeadamente, a partir do momento em que ocorra uma perturbação que afecte pelo menos 1.000 utilizadores por um período igual ou superior a oito horas.

Os operadores também terão que notificar a Anacom sempre que os incidentes afectem a realização de chamadas para o 112, número de emergência europeu; ou, por exemplo, quando existam violações de segurança ou perdas de integridade nas redes e serviços oferecidos por uma empresa nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira, desde que durem pelo menos 30 minutos, independentemente do número de utilizadores afectados.

Além de notificarem a Anacom, os operadores terão também que informar o público, divulgando informação sobre os incidentes registados nos respetivos sites na internet.

As circunstâncias, o formato e os procedimentos aplicáveis às empresas obrigadas a notificar violações de segurança ou perdas de integridade, sempre que estas tenham impacto significativo no funcionamento das redes e serviço, foram definidos pela Anacom, por deliberação de 12 de Dezembro de 2013.

* Uma decisão acertada, falta ainda corrigir o grau de qualidade de sinal da WEB em algumas regiões do país, os clientes das operadoras não pagam menos por serem mal servidos.


.
.


OqueStrada


O Teu Murmúrio



.
.


HOJE NO
"DESTAK"

Michael Schumacher saiu do coma

 O antigo piloto de Fórmula 1 Michael Schumacher saiu do coma e abandonou o hospital francês de Grenoble, onde recebia tratamento desde dezembro de 2013, quando sofreu um acidente de esqui, disse hoje a porta-voz do alemão.
 .
 "O Michael deixou o CHU Grenoble para continuar a sua longa fase de reabilitação. Ele já não está em coma", afirmou Sabine Kehm, em comunicado.

O alemão, sete vezes campeão do Mundo de Fórmula 1, de 45 anos, estava internado num hospital de Grenoble depois do acidente sofrido a 29 de dezembro de 2013, quando esquiava numa estância de Meribel, nos Alpes franceses, em consequência do qual bateu com a cabeça numa pedra.

* Saúda-se esta novidade, mas gostar-se-ia saber em que estado se encontra.

.
.


OSSOS DO OFÍCIO



.
.
 HOJE NO
"i"

Administrações regionais de saúde não
. cumprem a lei, diz Ordem dos Médicos

O despacho fixa em 250 as vagas para medicina geral e familiar, 83 das quais na região Norte
 .
 A secção Regional do Norte da Ordem dos Médicos (OM) acusou hoje as administrações regionais de saúde de não cumprirem a lei por “nada ter sido feito” para a abertura de concursos para medicina geral e familiar.

Em causa está o despacho 700-A/2014, publicado em Diário da República no dia 28 de maio, que aponta um prazo máximo de cinco dias úteis a contar daquela data para que as ARS procedessem “à abertura do respetivo procedimento de recrutamento para a totalidade dos serviços e estabelecimentos de saúde situados na respetiva área geográfica de influência”.

“Até agora nada foi feito”, apesar do prazo ter sido ultrapassado, criticou o presidente da OM/Norte, Miguel Guimarães, acrescentando que as ARS, “incluindo a do Norte, não cumpriram a legislação e continuam sem cumprir a legislação”, sem que tenha havido “qualquer tipo de consequência”.

O despacho fixa em 250 as vagas para medicina geral e familiar, 83 das quais na região Norte.
“No entanto, existem 83 médicos internos que terminaram o respetivo internato em março e que podiam e podem concorrer a esse concurso”, salientou Miguel Guimarães.

O médico adiantou que “muitos destes” médicos que “estão à espera de lugar para exercer” já rescindiram contrato com o Serviço Nacional de Saúde (SNS) ou já “pediram declarações à OM no sentido de considerar a hipótese de emigrar”.

“Assim vai o nosso SNS”, afirmou, lamentando que a situação e criticando a contratação de médicos estrangeiros.

“Andamos nós a contratar médicos estrangeiros, por valores mais elevados, quando vamos empatando concursos, quando não há qualquer estímulo para as pessoas”, sublinhou.

Miguel Guimarães falava no âmbito de uma conferência de imprensa para apresentar publicamente um conjunto de denúncias relativas à prestação de cuidados de saúde no distrito de Bragança. 

* As afirmações são credíveis, o médico em referência  não seria tão peremptório se tivesse dúvidas no que disse.

.
.
TOP MODELS

HILLARY CLINTON



SARAH PALIN



ANGELA MERKEL



MICHELE OBAMA



KATE MINDLETON


CHRISTINE LAGARDE



LETICIA ORTIZ


RAINHA MÁXIMA



CARLA BRUNI

.
.


 HOJE NO
"A BOLA"

Prometeu 12 horas de sexo se
 o Chile ganhasse... e cumpriu

O Chile enfrentou a Austrália na condição de favorito e venceu, sem surpresa, por 3-1. Mas houve quem desse motivação extra aos sul-americanos. Falamos de Marlen Doll, atriz pornográfica chilena, que fez uma proposta que poderá ser considerada indecente: em caso de vitória, a atriz prometia uma maratona de 12 horas de sexo.
.
«Se o Chile vencer, preparem os preservativos. Só para os fortes. Que venha o triunfo e a maratona de sexo», escreveu Marlen Doll na sua conta do Twitter, publicação à qual deu seguimento depois do 3-1 da passada sexta-feira. «Ganhámos! Vamos celebrar o triunfo do Chile com 12 horas de sexo em Viña del Mar», podia ler-se, juntamente com o número de telemóvel da atriz, que serviu para os seus seguidores na rede social a contactarem para cobrar a aposta.

Em relação às imagens que continuam disponíveis na conta de Marlen Doll e que provam que a maratona de sexo teve, de facto, lugar, o seu conteúdo não permite a A BOLA Online que sejam publicadas.

* O máximo...mulher séria, cumpre o que promete!


.
.

REALIDADE VIRTUAL



.

.

 HOJE NO
"AÇORIANO ORIENTAL"

Portugal perdeu quase
 60 mil habitantes em 2013

Portugal perdeu quase 60 mil habitantes em 2013 devido à redução de nascimentos e ao aumento do número de portugueses a emigrar, revelam as Estimativas da População Residente em Portugal divulgadas hoje pelo INE
 
Em 2013 a população residente em Portugal foi estimada em 10.427.301 pessoas (4.958.020 homens e 5.469.281 mulheres), o que representa uma diminuição da população residente de 59.988 habitantes face ao ano anterior.

Estes dados traduzem uma taxa de crescimento efetivo de menos 0,57%, mantendo a tendência de decréscimo populacional já verificada desde 2010, referem os dados do INE.

O INE explica que para o decréscimo populacional de 2013 concorreram um saldo natural negativo de menos 23.756 pessoas (menos 17.757 pessoas em 2012) e um saldo migratório, também negativo, de menos 36.232 (menos 37.352 pessoas em 2012), que resultaram, respetivamente, em taxas negativas de crescimento natural de 0,23% (-0,17% em 2012) e de crescimento migratório de -0,35% (-0,36% em 2012).

Pelo terceiro ano consecutivo, o saldo migratório manteve-se em valores negativos em 2013, resultado da conjugação de 53.786 emigrantes permanentes (que aumentou face aos 51.958 estimados para 2012) e de 17.554 imigrantes permanentes (que também aumentou face aos 14.606 estimados para 2012).

O imigrante é considerado permanente quando permanece em Portugal por um período igual ou superior a um ano e um “emigrante permanente” é a pessoa que deixou o país com a intenção de residir noutro país por um período contínuo igual ou superior a um ano.

Os dados observam que o número estimado de emigrantes temporários continua a ser superior ao de emigrantes permanentes, situando-se em 74.322, um aumento de 7% face ao valor estimado para 2012 (69 460).

“Por definição os emigrantes temporários fazem parte da população residente pelo que não integram o saldo migratório anual”, explica o INE.

Entre 2003 e 2013, o número de imigrantes permanentes em Portugal caiu, respetivamente, de 31.425 para 17.554 em 2013 (44%).

Relativamente aos “emigrantes permanentes”, o número estimado em 2003 era de 6.687 e dez anos depois esse valor aumentou oito vezes, situando-se nos 53.786.

Na última década, o saldo migratório (diferença entre o número de entradas e saídas por migração, internacional ou interna, para um determinado país ou região, num dado período de tempo) passou de 24.738 pessoas (2003) para um valor negativo de menos 36.232 pessoas em 2013.

O saldo natural também se manteve com valor negativo em 2013, sobretudo devido a um novo decréscimo do número de nados vivos.

* Quanto vale em milhões de euros o capital mais importante do país, os seus cidadãos?



.
.


 GIOCONDA


REVISITADA














.