quarta-feira, 14 de maio de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

NA CONFISSÃO


Um homem depois de ter apanhado uma grande bebedeira vai roubar galinhas, no dia seguinte sente-se muito arrependido e vai ao confessionário e diz:

- Sabe senhor padre eu ontem não estava bem e fui roubar galinhas, o que é que eu hei-de fazer para remediar isto?

E o padre responde que ele deve dar 10 euros à primeira mulher que vir.
Ele sai da igreja ( a igreja até ficava numa esquina) e encontra uma mulher e diz:
- 10 euros!!
E a mulher responde:
- 25!!
E ele diz:
- Mas o senhor padre diz que são 10!!
- Mas o senhor padre já é cliente antigo!




.
.

 O QUE NÓS

RECORDAMOS!


video


Desde muito novo que Sérgio Peres tinha a coragem de ir para o mar com os seus amigos e, com escassos meios técnicos, concretizar as proezas que as fotos revelam.  Eu, meia dúzia de anos mais novo seguia com entusiasmo as suas façanhas. 
A garoupa de 200 kg, eu vi-a, nunca mais me esqueço. O Quartim e o Leong eram outros dois gloriosos malucos das águas da Inhaca e outros paraísos moçambicanos.


.
.

PARLAMENTO EUROPEU

ELEIÇÕES 2014


1º ELEMENTO DO CDS 
NA LISTA CONJUNTA COM PSD


.
.

A COMPETITIVIDADE
NA INDÚSTRIA




CLIQUE EM "Programa OLHOS NOS OLHOS"


Se no dia indicado acima não teve oportunidade de ficar mais esclarecido sobre "A COMPETITIVIDADE NA INDÚSTRIA", dispense-se tempo para se esclarecer agora, este programa é extenso mas terrívelmente claro e polémico.
Fique atento às declarações do Professor Clemente Pedro Nunes


.
.
HOJE NO
"RECORD"

Lisboa acolhe Campeonatos Nacionais

Lisboa vai ser palco dos Campeonatos Nacionais do Desporto Escolar de 16 a 18 de maio. 2.500 alunos atletas( masculinos e femininos) apurados regionalmente, vão disputar os títulos nacionais em 19 modalidades: Andebol, Atividades Rítmicas e Expressivas, Atletismo, Badminton, Basquetebol, Boccia, Canoagem, Desportos Gímnicos, Futsal, Natação, Orientação, Patinagem, Rugby, Surf, Ténis, Ténis de Mesa, Vela, Voleibol e Xadrez.

A cerimónia de Abertura dos Campeonatos Nacionais do Desporto Escolar decorre no dia 16 de maio, às 21h30, no MEO Arena – Parque das Nações, e vai contar com a presença do Secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, João Grancho, e com Paulo Bento, selecionador nacional e Embaixador do Desporto Escolar.

Sábado, no Estádio Universitário de Lisboa, Tomaz Morais, antigo selecionador nacional da râguebi e diretor técnico nacional da Federação, animará a festa escolar do Tag Rugby. No domingo será a vez de Jorge Braz, selecionador nacional de futsal, acompanhar a respetiva competição no pavilhão desportivo da Escola Básica Professor Delfim Santos. 

* Viva o desporto escolar


.
.



NAEEM KHAN

 SPRING/SUMMER
NEW YORK FASHION
2014
video




.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Há cada vez mais prostitutas em Portugal

A associação "O Ninho", que ajuda mulheres prostitutas, acusou esta quarta-feira o Estado de estar a obrigar as instituições a trabalharem com cada vez menos recursos, ao mesmo tempo que aumenta o número de portuguesas que se prostitui.

"O Ninho" tem hoje a decorrer o seminário "Dar voz ao silêncio", sobre o tráfico de pessoas, onde foram apresentados os resultados de um ano e meio de intervenção junto de mulheres que se prostituem, no âmbito do projeto "Falar claramente sobre violência de género".


Segundo o gestor do projeto, "o Estado deixa a missão de prevenção e de reinserção social às associações, mas cada vez com menos recursos".

Pedro Araújo disse mesmo que "aos traficantes dão armas", enquanto às associações que trabalham no terreno com as mulheres que se prostituem ou que são traficadas tiram recursos.

"A nós tiram-nos orçamentos para fazer estes projetos e tiram-nos orçamentos para os técnicos continuarem a fazer o seu trabalho", disse, perante uma plateia de várias dezenas de pessoas presentes no Fórum Lisboa.

Na sequência do trabalho realizado durante mais de um ano e meio, Pedro Araújo adiantou que a associação "O Ninho" deu conta que aumentou o número de mulheres portuguesas que se prostituem.
O responsável apontou terem identificado dois grupos etários, um entre os 18 e os 30 anos, onde as mulheres são oriundas de meios familiares desestruturados, são analfabetas ou têm baixa escolaridade e viveram uma infância complicada.

Por outro lado, entre as mulheres com idade entre os 45 e os 70 anos, os motivos que as levam a prostituir-se estão relacionados com o desemprego, dividas e a impossibilidade de arranjar um emprego por causa da idade.

Pedro Araújo adiantou que, na sequência deste trabalho, a mulher mais nova que identificaram tinha 18 anos, enquanto a mais velha tinha 70 anos.
"É a prova de que a prostituição não escolhe idades", apontou.

Já no que diz respeito ao tráfico de seres humanos, o responsável de "O Ninho" disse terem dado conta da existência de várias redes, das quais destacou as romenas e as oriundas de países africanos.
Em relação às romenas, estão em causa mulheres com escolaridade entre o 9.º e o 12.º anos, que ficam pouco tempo em Portugal e que vem de famílias muito pobres, muitas vezes alvo das ameaças dos traficantes.

Já em relação às africanas, maioritariamente oriundas do Gana e da Nigéria, as idades variam entre os 25 e os 52 anos, há uma prevalência muito grande de analfabetismo, vêm de famílias muito pobres e acabam por ficar muito tempo em Portugal.

Como conclusão, o gestor do projeto "Falar claramente sobre violência de género disse que "todas as mulheres acompanhadas pelo ninho vêm de bolsas de pobreza".

"Têm histórias dramáticas e violentas para contar, têm traumas irreversíveis, existem histórias que configuram tráfico de seres humanos e as mulheres traficadas não querem colaborar com a polícia", adiantou.

Pedro Araújo disse ainda que "não há mulheres prostituídas felizes" e sublinhou que a prostituição não se reduz ao ato isolado de uma pessoa, mas envolvendo a tríade pessoas prostituídas, proxenetas e clientes.

* Para este governo as pessoas estão reduzidas  aos números fiscais dos impostos, a prostituição é uma desumanidade machista e a sociedade civil não se compromete, assobia para o lado.



.
.


 X-OS SUPER
  HUMANOS
 
3-O HOMEM LOBO 


video




.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Ordem dos TOC põe Fisco 
em Tribunal por mau funcionamento 
do Portal das Finanças

Em causa estão os problemas verificados no Portal das Finanças que, dizem, são recorrentes e estão a impedir os contribuintes de cumprir as suas obrigações fiscais. A Ordem avançou com uma Providência Cautelar para que o prazo de entrega das declarações, 31 de Maio, passe este ano para 15 de Junho.

A Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas (OTOC) entregou esta quarta-feira no Tribunal Tributário de Lisboa uma  Providência Cautelar para adiar o prazo final de entrega de declarações de 31 de Maio para 15 de Junho. Em causa, explicam e comunicado, está o facto de o Portal das Finanças apresentar problemas "recorrentes", impossibilitando o cumprimento dos prazos.

"Face à evolução dos problemas verificados recorrentemente com o Portal das Finanças, que impossibilita aos Técnicos Oficiais de Contas o cumprimento das obrigações fiscais declarativas a que se encontram vinculados", a OTOC "deu entrada no Tribunal Tributário de Lisboa uma providência cautelar, que visa alterar o prazo da entrega das declarações fiscais previstas para o mês de Maio [dos trabalhadores independentes], para 15 de junho próximo", refere o comunicado hoje divulgado.

Caso a providência seja aceite "fica o Governo impedido de aplicar quaisquer coimas pela entrega das declarações até aquela data", explica ainda a OTOC.

Há já largas semanas que a Ordem tem vindo a denunciar problemas no sistema informático do Fisco, mas as Finanças têm afirmado que o problema estaria resolvido. Em Abril, recorde-se, o prazo final para a entrega das declarações da categoria A e pensões, as Finanças acabaram por prorrogar o prazo de entrega até 2 de Maio. A explicação então avançada foi a de que ainda faltavam cerca de 100 mil contribuintes e que , de "forma a permitir que estes contribuintes entreguem as suas declarações de IRS sem que seja posto em causa o pleno funcionamento do Portal dos Finanças", se optava por prorrogar o prazo.

No comunicado então emitido, as Finanças sublinhavam, no entanto, a "capacidade global de resposta do Portal das Finanças, não obstante a afluência anormalmente elevada de contribuintes nos últimos dias".

A OTOC não concorda e, afirma, "lamenta a forma irresponsável, mentirosa e inconsciente com que a Secretaria de Estado dos Assuntos Fiscais tem tratado este assunto, num desrespeito absoluto pela dignidade e direitos dos Técnicos Oficiais de Contas".

* Uma Ordem sem medo.



.

MARIA HELENA MAGALHÃES

.



Economistas aterrados,
transidos e varados

Portugal não vai sair da troika, mas a troika vai sair de Portugal. E a este trocadilho, seriíssimo, chama-se "saída limpa". Ora toma!
 .
Um dos livrinhos que tenho na mesinha de cabeceira, para ir debicando ao sabor das ocorrências, é o "Manifesto dos Economistas Aterrados", da autoria de Philipe Askenazy, Thomas Coutrot, André Orléan e Henri Sterdyniak, da associação francesa de economia política, publicado entre nós em 2012, com prefácio e tradução de João Rodrigues e Nuno Serra, co-autores do blogue de economia política "Ladrões de Bicicletas", passe a publicidade.

Feita a identificação da fonte, passo a transcrever o naco de prosa que se segue: " É necessário abrir o espaço das políticas possíveis e colocar em debate propostas alternativas e coerentes, capazes de limitar o poder financeiro e de preparar a harmonização, no quadro do progresso dos sistemas económicos e sociais europeus. (...) À medida que se tornem evidentes as consequências desastrosas das políticas actualmente adoptadas, o debate sobre as alternativas crescerá por toda a Europa. (...) É por isso que nos parece importante esboçar e debater, neste momento, as grandes linhas das políticas económicas alternativas, que tornarão possível esta refundação da construção europeia." Eleições europeias à vista.

Este manifesto foi assinado em Setembro de 2010 e contou com 630 signatários. Todos enganados, viu-se! O futuro encarregar-se-ia de demonstrar que a verdade deles seria trucidada pela mentira limpa dos seus detractores (??!!).

Nessa altura, ainda não tinha entrado em funções o actual governo. Corria o regabofe do executivo anterior e o actual primeiro-ministro, então líder da oposição, insurgia-se denodadamente contra as então já anunciadas medidas de austeridade. A que então se chamava PEC, e de PEC em PEC o torniquete ia rodando, e os portugueses arfando. Coisas do passado.

Hoje, volvidos três anos de troika e da respectiva receita de austeridade, seguida mais do que à risca, Portugal é visto como um caso de sucesso (??!!). Um verdadeiro "case study". A prova provada de que os "economistas aterrados" falharam completamente a sua premonição.

Não que cá dentro não tivéssemos tido também um manifesto de economistas portugueses transidos (de preocupação), que foi acompanhado por um punhado de estrangeiros varados. Só por miopia mental incapazes de aquilatar o sucesso nacional e a dar razão aos franceses aterrados, in illo tempore ! Obviamente, o governo português, timonado por um iluminado coadjuvado por um estadista de gabarito a que se junta, sempre sorridente, uma economista de palmarés, segue o seu rumo, imperturbável. Aplaudido pelos credores, pelos financeiros, pelos parceiros europeus que já se tinham manifestado indisponíveis para mais programas de ajuda financeira - para nós, porque há outros à bica... -, mesmo se desta vez só programa cautelar (que ninguém parece saber ao certo o que é), pelo presidente (ainda) da Comissão Europeia e por outros interessados. Incompreensivelmente (será?), porém, em Portugal, as vozes discordantes persistem.

Do povo nem se fala, queixa-se de que a vida está pela hora da morte, mas é opinião que não conta. O que conta é o voto. Apenas.
Tivessem aqueles "economistas aterrados" imaginado o Portugal de hoje e outro seria o discurso. Dos arautos da desgraça interna não reza a História.
Portugal não vai sair da troika, mas a troika vai sair de Portugal. E a este trocadilho, seriíssimo, chama-se "saída limpa". Ora toma!

IN "I"
09/05/11

.
.



180.UNIÃO



EUROPEIA

ABC DA EUROPA
LETRA "D"

O Negócios lançou em parceria com a Universidade Católica uma nova ferramenta para nos ajudar a percorrer os caminhos da União Europeia e a descodificar o seu jargão.
 .
O trabalho foi coordenado pelos professores Armando Rocha e Luís Barroso, e pela jornalista Eva Gaspar, tendo envolvido directamente alunos da Católica.

Reproduzimos com o devido respeito


Desintegração (— política) -
Situação potencial que, motivada por vários fatores (ex. diferenças culturais ou históricas, ou expansão dos movimentos nacionalistas), poderá eventualmente conduzir ao desmembramento de uma comunidade política (ex. de um Estado ou da União Europeia). Trata-se, pois, da lógica inversa à da integração política.
.
Diplomática (Proteção —) -
Todos os cidadãos da União beneficiam, no território de países terceiros em que o Estado-Membro de que e´ nacional não se encontre representado, de proteção diplomática e consular por parte das autoridades de qualquer outro Estado-Membro, nas mesmas condições que os nacionais desse Estado.
.
Direito de estabelecimento -
Faculdade de os cidadãos europeus se instalarem noutro Estado-Membro para aí exercerem, com caráter permanente, uma atividade económica independente (i.e., não assalariada), nas mesmas condições do que os nacionais do Estado-Membro de estabelecimento. Comporta, ainda, a faculdade de constituírem empresas ou de criarem um estabelecimento secundário (i.e., filial, agência ou sucursal) noutro Estado-Membro.
.
Direitos fundamentais (Proteção de —)
Princípio proclamado pela jurisprudência do Tribunal de Justiça (a versão originária dos Tratados era omissa a este respeito), hoje inserido no corpo dos Tratados e desenvolvido pela Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia. Constitui um limite à atuação das instituições europeias, bem como à atuação dos Estados-Membros quando apliquem o direito da União.
.
Diretiva -
Ato legislativo que fixa objetivos normativos a atingir pelos Estados-Membros, deixando-lhes margem de escolha quanto ao meio e forma de os alcançar. Têm de ser transpostas para o direito interno dentro do prazo fixado na própria diretiva. Caso a legislação nacional já cumpra os objetivos da diretiva, o Estado-Membro deve informar a Comissão Europeia desse facto.



.
.
HOJE NO
"DESTAK"

Neto de comandante de Auschwitz faz
. campanha contra extrema-direita

Rainer Höss, que aos 12 anos soube que o avô era o comandante do campo de concentração de Auschwitz, está a fazer campanha numa associação sueca para convencer os europeus a votarem contra a extrema-direita. 


O rapaz não entendia porque é que o jardineiro do seu colégio interno, sobrevivente do Holocausto, era constantemente mau para ele, até ao dia em que um professor lhe explicou que o seu avô Rudolf Höss tinha sido o nazi responsável pela morte de mais de um milhão de inocentes. 

 Aos 48 anos, Rainer Höss fez do seu fardo familiar o motor do seu empenho contra a extrema-direita e é, agora, a figura de proa de uma campanha sueca hoje lançada contra a ascensão dos neonazis na Europa, quando se aproximam as eleições europeias (22 a 25 de maio).

* Dignidade!


.
.

PARLAMENTO EUROPEU

ELEIÇÕES 2014


CABEÇA DE LISTA DO PSD/CDS



.
.


19.O MELHOR
 DA ARTE
MAÇÃS E LARANJAS



PAUL CÉZANNE



video

Cada episódio é dedicado a um grande trabalho de arte da coleção dos museus do Louvre, Antiquities Museum of Saint Germain, Orsay, Rodin e Guimet. A série mostra obras como a Monalisa e os tesouros do budismo. Um trabalho único sobre história da arte.




.
.
HOJE NO
"i"

Tribunal suspende anulação do governo do programa certificado iECR

A decisão surge “na medida em que existem fundados indícios de utilização fraudulenta do referido programa e o mesmo não cumpre com os requisitos de certificação legalmente previstos”
 .
O Tribunal Administrativo de Lisboa decidiu hoje suspender a decisão do Governo em anular, com efeitos imediatos, o programa iECR, para gestão e faturação em espaços comerciais, como bares, restaurantes, hotéis, farmácias e supermercados.

A empresa Time Return Unipessoal, responsável pelo programa certificado iECR, sublinhou hoje, em comunicado enviado à agência Lusa, que "foi, em consequência, ordenada citação com expressa menção de que não pode ser executado aquele ato de revogação do iECR", até que seja decidido o processo de impugnação e anulação da decisão governamental.

"Assim, e até eventual desenvolvimento processual de sentido contrário, do qual imediatamente se daria conta, não pode opôr-se, nomeadamente aos utilizadores do iECR, nenhum efeito do acto de revogação do respectivo certificado", esclareceu a empresa.

A empresa, que desenvolveu o iECR, o sistema informático para gestão e faturação para bares, restaurantes, hotéis, farmácias ou supermercados, recorreu para o tribunal para impugnar e anular o despacho, datado de 24 deste mês, do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio.
O governante emitiu um despacho a anular, com efeitos imediatos, o programa de faturação iECR "por existirem fundados indícios de utilização fraudulenta de uma versão adulterada daquele programa certificado".

A utilização de programas certificados de faturação era obrigatória para os sujeitos passivos de IRC, IRS e IVA que tivessem um volume de negócios anual superior a 100 mil euros e o Autoridade Tributária e Aduaneira anunciou que as faturas emitidas após a data do despacho do Governo serão consideradas ilegais, passíveis de coima.

A Autoridade Tributária e Aduaneira revelou que foi apresentada no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) uma participação crime contra a empresa responsável pelo dito programa certificado de faturação por "alegada prática de crime de falsidade informática".

De acordo com a informação disponível no ‘site’ das Finanças, os sujeitos passivos que possuam este programa (com o número 1194) devem cessar a sua utilização a partir de 24 de abril – data do despacho emitido pelo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio – “para todos os efeitos legais”.

A decisão surge “na medida em que existem fundados indícios de utilização fraudulenta do referido programa e o mesmo não cumpre com os requisitos de certificação legalmente previstos”, refere a informação.

Nos termos da lei atual, os programas e equipamentos informáticos de faturação dependem da prévia certificação pela Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), sendo a utilização de programas certificados de faturação obrigatória para os sujeitos passivos de IRC, IRS e IVA que tenham um volume de negócios anual superior a 10 mil euros.

Em declarações à agência Lusa, o bastonário dos Técnicos Oficiais de Contas, Domingues de Azevedo, disse hoje desconhecer o processo que deu origem à decisão, mas explicou que a revogação do certificado de um programa de faturação, apesar de inédita, é um ato administrativo, cuja competência pertence ao Governo.

* Não percebemos muito bem, houve fraude ou não, se houve a fraude tem a cumplicidade da Time Return Unipessoal ou é uma lucubração do governo? Porque o tribunal revoga a decisão de Paulo Nuncio?



.
.


A Naifa


A Verdade apanha-se com enganos


video


.
.


HOJE NO
"A BOLA"

Adeptos com bilhete barrados à entrada
Várias dezenas de adeptos, tanto do Benfica como do Sevilha, estão a ser barrados à entrada da Juventus Arena, por o seu nome não constar no bilhete que apresentaram aos assistentes presentes no recinto.

A situação já tinha merecido atenção da parte da UEFA, que através de comunicado fez saber que os bilhetes estavam personalizados e não seria permitida a entrada de ninguém no estádio cujo nome não fosse o mesmo que estivesse inscrito no ingresso.

* De quem é a responsabilidade? Há candonga?



.
.

À VOLTA DO MUNDO EM 360º

video


Uma viagem de moto à volta do mundo, Alex Chacon escritor, fotógrafo e orador motivacional lidera esta expedição de beneficiência por mais de 36 países.

.
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS
 DA MADEIRA"

Dono da primeira 'smartshop' 
portuguesa vai a julgamento

O proprietário da primeira "smartshop" a abrir em Portugal, em 2007, vai começar a ser julgado no Tribunal de Aveiro no próximo mês de junho, num processo em que é acusado de tráfico de estupefacientes, disse hoje fonte judicial. 


O julgamento chegou a estar marcado para fevereiro de 2012, mas foi adiado para que fossem realizadas perícias para determinar, entre outras coisas, a quantidade de princípio ativo de cada um dos produtos apreendidos na loja. 

Segundo a advogada Maria Manuel Candal, que defende Carlos Marabuto, o dono da "smartshop", os resultados dos exames periciais solicitados pela defesa só chegaram este ano. 

Carlos Marabuto foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro em 2007, cerca de meio ano depois da abertura ao público da loja "Cogumelo Mágico", que anunciava ser a primeira loja de droga "legal" do país. 

A detenção do empresário ocorreu depois de uma busca ao estabelecimento, que levou à apreensão de produtos alegadamente contendo substâncias proibidas. 

Posteriormente, o empresário foi despronunciado pelo Juízo de Instrução Criminal de Aveiro, mas o Tribunal da Relação de Coimbra deu razão ao recurso interposto pelo Ministério Público (MP) e mandou o processo seguir para a fase de julgamento. 

O "Cogumelo Mágico" abriu ao público em 2007, no Centro Comercial Oita, em Aveiro.
Na altura, Carlos Marabuto explicou que estudou "a fundo" a legislação portuguesa antes de abrir o estabelecimento licenciado para comércio de produtos naturais. 

No "Cogumelo Mágico" eram comercializados produtos naturais contendo substâncias alucinogénicas, o que Carlos Marabuto justificava por alegadamente não figurarem na lista de produtos proibidos pelas leis portuguesas. 

A loja, que, atualmente, ainda se mantém aberta ao público, encontra-se em liquidação total, desde que foi aprovado o diploma que proibiu a venda de 160 novas substâncias psicoativas. 

* Os donos destas lojas precisam de um clister de cogumelos mágicos, chega de intoxicar os filhos dos outros! Foi o governo de Socrates que os legalizou.


.
.



SÓ FÓSFOROS


.













.
.
HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

McDonald’s contrata 
marca portuguesa de ‘ketchup’

Depois de terminada a parceria com a Heinz, os 139 restaurantes da cadeia norte-americana em Portugal passam a ser fornecidos pela Italagro, detida pelo grupo HIT. 

.

Depois da cebola, carne, pão e alface, agora também o ‘ketchup' utilizado nos restaurantes da McDonald's é português. O director-geral da cadeia de ‘fast-food', Mário Barbosa, revela, em entrevista ao Diário Económico, que "temos agora um novo fornecedor nacional, a Italagro, do grupo HIT, para o fornecimento de ‘ketchup' para a McDonald's Portugal, o mais recente parceiro a juntar-se aos já mais de 30 fornecedores portugueses".

Mário Barbosa sublinha que, no âmbito desta parceria - que será apresentada hoje com a presença da ministra da Agricultura -, a empresa sedeada em Castanheira do Ribatejo irá fornecer "mil toneladas de ‘ketchup' para os 139 restaurantes da McDonald's em Portugal". A mesma fonte salienta que esta quantidade "equivale à compra de cerca de 4.500 toneladas de tomate fresco nacional, a produtores locais, num volume de negócios que representa cerca de um milhão de euros".


Em 2013, a McDonald's Portugal utilizou 981 toneladas deste segmento de produto. Mário Barbosa realça que até final de 2014 "perspectiva-se que o consumo atinja as 1140 toneladas, mil das quais já fornecidas pela Italagro/grupo HIT" e garante que "esta quantidade irá crescer progressivamente, acompanhando o plano de expansão da McDonald's a nível nacional".

Oportunidade para exportar
Sobre se o negócio ficará apenas pelo mercado português, Mário Barbosa assegura que há oportunidade de a Italagro vir a exportar para outros mercados do universo da cadeia de restauração. "A partir do momento em que um fornecedor esteja certificado pela McDonald's, está apto a ser fornecedor da McDonald's em qualquer mercado. Dada a qualidade e excelência da Italagro, produtores locais e do produto, estamos confiantes de que essa perspectiva possa vir a concretizar-se".


A McDonald's Portugal prevê que esta parceria levará ao fornecimento de 2.500 toneladas de ‘ketchup', o equivalente a cerca de 15 mil toneladas de tomate fresco, até ao final de 2015, isto se o negócio se estender a outros mercados. Segundo a mesma fonte, "esta aposta na Italagro irá representar a criação de 24 novos postos de trabalho, directos e indirectos".



O director-geral da McDonald's Portugal lembrou que "o nosso trabalho com os fornecedores nacionais é constante e, à medida que introduzimos novidades na nossa ementa, e o negócio da McDonald's cresce, o volume de compras aos fornecedores actuais também evolui". E salientou que o novo ‘McPrego', produto exclusivo para o mercado nacional, que "veio reforçar as nossas parcerias com a Panike, através da aquisição de maior quantidade de pão de água português, e com a Mendes & Gonçalves, através do molho ‘McPrego', dois dos nossos actuais parceiros nacionais".

 
* Queres ketchupe!

.
.
 TILT
video

A última atracção turística de Chicago


.
.


HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Mapa obriga a mudar
 3 milhões de processos 
GNR e Exército vão ajudar a transportar
 os processos entre os tribunais. 

O novo mapa judiciário, que terá de estar pronto até 1 de setembro, obriga ao deslocamento de três milhões de processos, avançou ontem a ministra da Justiça, no Parlamento. 
Paula Teixeira da Cruz garantiu que "o prazo de 1 de setembro é para manter", mas admite um deslizar nos prazos. "Se em nome do interesse maior precisar de deslizar 15 dias ou um mês, deslizo", referiu, acrescentando: "Não vou ser irresponsável e pôr em causa uma reforma." Na reorganização judiciária, que divide o País em 23 comarcas e cria 390 secções de justiça especializadas, Paula Teixeira da Cruz referiu que "não vai haver perda de processos, porque vão manter o número inicial". 

A titular da pasta acrescentou que o "número de transferências vai ser muito menor uma vez que a maior quantidade de processos se concentra nas capitais de distrito e estes não vão sair dali". Nos processos que serão sujeitos a um transporte físico, a ministra da Justiça indicou que há um acordo com a GNR, podendo eventualmente ser necessário o apoio do Exército. 

Paula Teixeira da Cruz recusou que tenha havido inconstitucionalidades, ilegalidades, falta de cumprimento de prazos e outros atrasos e omissões na implementação do novo mapa judiciário. Um diferente entendimento teve o deputado socialista Jorge Lacão, que na sua intervenção considerou que a reforma colide com a exigência constitucional de proximidade dos tribunais dos cidadãos. A reforma estipula o encerramento de 20 tribunais. 

No memorando de entendimento, assinado pelo PS com a troika, estava previsto o fecho de 49 tribunais. Com a reforma serão ainda criadas 27 secções de proximidade e o número de departamentos de investigação e ação penal passa de seis para 14. 

* A sra. ministra pertence a um governo de idoneidade deslizante.  Folclore não lhe falta, enquanto nos põem de tanga vão dançando o tango.

.