quinta-feira, 3 de abril de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.


.
.

 
 O QUE NÓS



ACELERAMOS








.
.

 BOLA DE BERLIM




















.
.


O QUE ELE TERIA


QUERIDO DIZER...


video


Este vídeo é uma montagem malvada de excertos de discursos do primeiro ministro, há comentários despropositados, mas tem alguma graça.



.
.
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Cinco mil agricultores 
manifestam-se em Lisboa 

Cerca de cinco mil trabalhadores manifestaram-se, esta quinta-feira, no centro de Lisboa. Em causa estão as novas imposições fiscais "que levarão à ruína de muitas dezenas de milhar de explorações agrícolas". 


Numa espécie de galinheiro ambulante estavam fotografias de políticos como o primeiro-ministro, o Presidente da República, com a legenda: "culpados pela miséria da lavoura e sofrimento das populações durienses". 

Antes de a manifestação rumar ao parlamento, onde terminará, o dirigente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), Alfredo Campos, referiu à agência Lusa esperar entre quatro a cinco mil manifestantes, que irão contestar as novas imposições fiscais "que levarão à ruína de muitas dezenas de milhar de explorações agrícolas". 

 O dirigente lembrou que 2014 é o ano internacional da agricultura familiar, lamentando que o Governo, em vez de avançar com incentivos, esteja a contribuir "para a desertificação do país, por tornar inviável a atividade de muitas famílias na agricultura". 

Outros dos problemas que trazem hoje os agricultores à rua são "a especulação em adubos, sementes e combustíveis", assim como a nova reforma da Política Agrícola Comum (PAC). 

 O mesmo dirigente destacou a presença, no protesto de hoje, de um grupo específico de compartes [pessoas que gerem baldios], para contestarem "a tentativa de roubo dos baldios aos povos". 

* Os agricultores portugueses aceitaram susídios para serem explorados, muitos dos produtos que compram e usam  já custam 10 vezes mais do tempo em Cavaco Silva iniciou o desmantelamento da terra e do mar, os ministros da tutela nunca  os protegeram da chuva, da seca ou dos incêndios, sugerem-lhes modalidades de seguros que funcionam mal. 
A agricultura não tem um plano decente de desenvolvimento integrado, continua na mão dos ricos.


.
.
XV- O UNIVERSO


  1- MISTÉRIOS

INEXPLICÁVEIS


video



.
.
HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Van Rompuy destaca lema da IV Cimeira UE-África 
"Investir nas pessoas, na 
prosperidade e na paz" 

O presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, considerou que a IV Cimeira UE-África, que decorreu entre quarta-feira e hoje em Bruxelas, mostrou a "vitalidade" desta parceria, cada vez mais "entre iguais". 

Na conferência de imprensa final após o encerramento dos trabalhos, Van Rompuy disse que essa vitalidade ficou demonstrada pela riqueza do diálogo mantido ao longo dos dois dias, como como pelo "elevado nível de participação" na cimeira, o maior evento alguma vez organizado nas instituições europeias, que juntou chefes de Estado e de Governo de 40 países africanos e 21 Estados-membros da UE, além de líderes de instituições europeias, africanas e o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. 

Referindo-se ao lema da IV Cimeira - "Investir nas pessoas, na prosperidade e na paz" -, o presidente do Conselho considerou que foi possível passar em revista os progressos feitos ao longo dos últimos anos, mas sobretudo projetar iniciativas futuras, nos mais diversos domínios. 


 No campo económico, sublinhou as discussões sobre como "promover investimento recíproco" entre os continentes, o papel das Pequenas e Médias Empresas, acesso ao crédito, combate à corrupção e a boa governação, tendo comentando que se está perante uma grande mudança, "from aid to trade", ou seja, "de ajuda ao comércio". 

 Apontando que foi, no entanto, o investimento nas pessoas que foi "o fio condutor de todas as reflexões da cimeira", sublinhou o consenso em torno da necessidade de promover a defesa dos direitos humanos, incluindo das minorias, e de desenvolver competências para desbloquear todo o potencial do capital humano, e anunciou que foi estabelecido um plano de ação de cinco pontos a nível de política de imigração, "para evitar tragédias como as de Lampedusa". 

Portugal esteve representado na cimeira pelo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, que regressou hoje de manhã a Lisboa para participar no Conselho de Ministros.

* A cimeira da hipocrisia, a cimeira dos cafres europeus com os africanos, em nome dos povos explorados e gamados.


.
.

Lizzie Velasquez


A mulher mais 

feia do mundo

e sua lição de vida


video



Lizzie Velasquez tem 24 anos de idade, mede 1,57 metros, pesa cerca de 26 quilos e é cega de um olho. Pode comer de tudo que não engorda. Na realidade, costuma fazer cerca de 60 refeições por dia sem controlo das calorias ingeridas. Mesmo assim, não consegue obter massa gorda devido ao síndrome que a impede de ganhar peso.
“Eu como a cada 15 ou 20 minutos para manter os meus níveis de energia elevados. Consumo pequenas doses de batatas fritas, doces, chocolates, pizza, frango, bolos, gelados, massas e tortas durante todo o dia”, revelou.


.
.

HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Portas quer exportar pintos e 
falcões para Arábia Saudita

O Governo português pediu hoje autorização para exportar carne de aves, bovina, pintos e falcões para o mercado da Arábia Saudita, num encontro entre o vice-primeiro ministro, Paulo Portas, e o ministro da Agricultura local. 

No último dia da missão a Riade, o vice primeiro-ministro português e o secretário de Estado da Alimentação, Nuno Vieira e Brito, entregaram um dossiê técnico completo para solicitar autorização de exportação para o mercado da Arábia Saudita de carne de aves e bovina, pintos do dia e falcões, adiantou à Lusa fonte oficial do gabinete de Paulo Portas.

Também hoje, a Agrolex, empresa agroindustrial portuguesa, fechou contratos de exportação de rações e maquinaria agrícola produzida em Portugal com o príncipe Turki AlSaud Est e a NADEC, uma das maiores empresas agroalimentares do Golfo, com um valor potencial de 11 milhões de euros.

Esta parceria prevê o investimento do grupo saudita em terrenos rurais em Portugal com o objetivo de produzir e exportar para os mercados do Golfo, segundo adiantou a mesma fonte.

Paulo Portas chefia a delegação oficial à comissão bilateral Portugal-Arábia, que está acompanhada por uma missão empresarial de 45 empresas, sobretudo dos setores da engenharia e construção, energia, agroindústria e tecnologias de informação.

Neste âmbito, a Prébuild estabeleceu um acordo de cooperação com o grupo DNANIR nas áreas de construção civil e obras públicas de edifícios e infraestruturas, indústria e serviços da Arábia Saudita, com um valor potencial de cerca de 7,8 milhões de euros.

* E que tal exportar preservativos e fios dental para o Irão.


.

PEDRO BACELAR DE VASCONCELOS

.





Desventuras de 
um "aprendiz de feiticeiro"

Não sei quem assim o crismou, mas é o próprio chefe do Governo que vem justificar a pertinência da alcunha que lhe atribuíram ao anunciar, agora, o fim do ciclo da "miséria" que até aqui veio promovendo com tão esforçada determinação. 
 .
Na ocasião festiva da abertura do congresso de uma associação empresarial, Pedro Passos Coelho prometia combater as desigualdades e a injustiça, garantindo um fôlego renovado na promoção das políticas sociais que, segundo alegava, teriam sido prejudicadas pelo "contexto de emergência dos últimos três anos"! Tais propósitos eram anunciados um dia depois da publicação pelo Instituto Nacional de Estatística dos resultados de um inquérito que expunha as cifras negras do aumento da pobreza em Portugal. 

As eleições para o Parlamento Europeu no próximo mês de maio, ao ritmo da contagem decrescente para a conclusão do programa de resgate, marcam o arranque de uma nova era de soberania "plena" e de "merecida" prosperidade. E assim, sob a pressão de tão prementes constrangimentos eleitoralistas, se quebrou a tremenda maldição: o povo "socrático" - preguiçoso, esbanjador e perdulário - tinha-se esfumado por encanto.

A verdade é que essa ficção fora construída apenas com o intuito de justificar a "singularidade" grega - e dessa forma ocultar a reiterada conivência da União Europeia no "embelezamento" das finanças helénicas. Mas nunca chegaria a ser aplicada à Irlanda, Malta, Itália, Espanha ou França. E se foi aplicada a Portugal, devemo-lo sobretudo a Pedro Passos Coelho e às forças "vivas" - académicas, económicas e financeiras - que viram nessa fórmula um oportuno potencial "encantatório". 

Que melhor personificação para tão deploráveis vícios do que esse arcaísmo inútil, gordo e ocioso, que dá pelo nome de "Estado"? Desta forma, o projeto de lei de revisão constitucional anunciado há quatro anos no penúltimo congresso partidário tornar--se-ia dispensável e viria a ser substituído, já em 2011, pela antecipação das eleições e a imposição do "pedido de resgate". 

O "memorando de entendimento" com a troika, sucessivamente revisto e adaptado a um projeto de mudança constitucional isento dos procedimentos formais de revisão, transformou-se na poção mágica "contrarrevolucionária". 

A pretexto da "soberania limitada", simultaneamente, pelos "legítimos" direitos dos credores e pelos "poderes de facto" dos mercados, criou-se o desejado estado de exceção por onde desfilaram impunemente ao longo de três anos a supressão "extraordinária" de direitos fundamentais, a negação do pluralismo político, o desmantelamento de serviços públicos, a desqualificação do trabalho, do rendimento social de inserção, da proteção no desemprego ou da proibição constitucional do despedimento sem justa causa. 

Sem o Tribunal Constitucional, o projeto restauracionista consubstanciado nesta governação teria sido ainda mais flagrante.
Aalegação do "contexto de emergência dos últimos três anos", como desculpa para a desoladora pobreza que, "doravante", Passos Coelho se lembrou de combater, equivale à confissão do fracasso de uma estratégia que nenhum golpe de ilusionismo pode ocultar. 

Um "contexto de emergência" em que tanto confiaram que pelo caminho deixaram esquecidas a reforma do Estado e do sistema político que tanto os parecia preocupar. As eleições para o Parlamento Europeu serão o primeiro teste de que não pode sair-se bem quem andou todos estes anos a apregoar que não havia alternativa para estas políticas de austeridade, quem acusou de antipatriotismo aqueles que ousaram debatê-las publicamente, quem se demitiu de discutir nas instâncias da União e com os outros estados-membros condições mais justas e realistas para o cumprimento das nossas obrigações.

 Em contraponto, o principal partido da Oposição não se limitou a apresentar agora uma lista de candidatos competente e renovada. Como critério das escolhas feitas, aponta a importância de uma articulação eficaz entre o futuro Governo e os deputados, nas áreas estratégicas que ali especifica: a economia e o emprego, a união monetária, o mar e a sustentabilidade energética. Um tiro certeiro.

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
28/03/14


.
.


139.UNIÃO



EUROPEIA






















.
.
HOJE NO
"RECORD"

Sucessor de Luís Horta será 
escolhido diretamente pelo governo

O sucessor de Luís Horta na presidência da Autoridade Antidopagem de Portugal (AdOP) será escolhido pelo governo até junho, afirmou, esta quinta-feira, o secretário de Estado do Desporto e Juventude. 

"Cabe ao governo encontrar uma solução para suceder a Luís Horta. Ele sairá em junho e daqui até lá iremos trabalhar com ele no 'achamento' da pessoa que terá condições para poder continuar o trabalho que ele fez, com outro ritmo, com o seu próprio cunho", disse Emídio Guerreiro, em declarações à agência Lusa.

O governante explicou que a escolha será feita de forma direta, uma vez que já foram realizados, pela Comissão de Recrutamento e Seleção Para a Administração Pública (CReSAP), dois concursos públicos que não tiveram candidatos.

 Emídio Guerreiro, que falava à margem da assinatura do protocolo de criação da Conta Satélite do Desporto, destacou o "trabalho fantástico" de Luís Horta na AdOP, organismo no qual trabalha há 18 anos. "O rosto da luta contra o doping em Portugal há muitos anos chama-se Luís Horta e muito daquilo que é a qualidade do nosso laboratório e da nossa agência deve-se ao trabalho dele, mas são ciclos de vida pessoais e das instituições", disse.

O secretário de Estado mostrou-se convicto de que Luís Horta "irá fazer um excelente trabalho no Brasil, onde também tem a vantagem da língua". Emídio Guerreiro reconheceu que o ainda presidente da AdOP "teve um convite irrecusável por parte do Estado brasileiro para ir liderar a estrutura do controlo do doping no Brasil num momento particularmente interessante na história do desporto brasileiro, ano de Mundial futebol e futebol e a dois anos dos Jogos Olímpicos".

O governante garantiu ainda que a AdOP continuará a ser uma referência mundial e a trabalhar com o objetivo de manter o estatuto de laboratório acreditado, numa lista restrita de 30 existentes em todo o mundo. A saída de Luís Horta para ingressar na Autoridade Brasileira de Controlo de Dopagem (ABCD) foi noticiada hoje.

* 18 anos de bom trabalho polvilhado de algumas polémicas desnecessárias.


.
.
O MÊS QUE SOBRA



.
.

   
4-FILOSOFIA


video

 ÉTICA PARA QUEM?

O assunto desta teleaula é a Ética. Você vai aprender que ela tem a ver com a discussão dos valores e da moral, e saberá que ser ético não consiste apenas em seguir a moral dominante da sociedade.

Programa de educação mantido pela Fundação Roberto Marinho e pelo sistema FIESP, SESI/SP, SENAI/SP e IRS.


.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Governo define investimentos 
prioritários em 59 infraestruturas

O Governo aprovou, esta quinta-feira, um conjunto de 59 investimentos prioritários a concretizar nos próximos oito anos, que envolvem um investimento global de 6.067 milhões de euros, a maioria dos quais nos setores marítimo-portuário e ferroviário.
 .
As prioridades estão estabelecidas num relatório elaborado pelo Grupo de Trabalho para as Infraestruturas de Elevado Valor Acrescentado (GTIEVA) que o Governo vai enviar sexta-feira para Bruxelas e cujas linhas gerais foram apresentadas hoje pelo Ministro da Economia numa conferência de imprensa.

António Pires de Lima anunciou que o investimento será comparticipado por fundos comunitários e por privados.
"É um plano ambicioso, mas 6.067 milhões de euros por oito anos mostra também critério e prudência", disse o ministro.

Inicialmente, o relatório elaborado pelo GTIEVA definia um total de 30 projetos prioritários até 2020, num investimento global de 5.103,8 milhões de euros.

* A ver vamos como diz o invisual. António Pires de Lima sabe ser ministro.

.
.

Mariene De Castro
Ijexá

video



.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Portugueses desenham torre de 
66 andares na Arábia Saudita

A Promontório assina esta quinta-feira o contrato para a concepção do projecto de uma torre de 66 andares, em Riade, cuja construção está avaliada em 80 milhões de euros. 
O ateliê português de arquitectura, Promontório, assina esta quinta-feira na Arábia Saudita o contrato para a concepção do projecto de uma torre de 66 andares em Riade, capital da Arábia Saudita.

A construção desta torre está avaliada em 80 milhões de euros. O promotor da obra é a empresa Rafal, que pertence ao grupo Al Muhaidib, um dos maiores do Médio Oriente. Esta torre será ocupada pela Kempinski, uma cadeia hoteleira internacional.

O contrato entre a Promontório e a Rafal será assinado na presença do vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, que lidera uma missão empresarial portuguesa que se encontra na Arábia Saudita.

A Promontório esteve envolvida, entre muitos outros projectos, na concepção do Aspire Park Mall, um centro comercial em Doha, Qatar, porto de Tânger, Pestana Tróia Eco-resort e desenvolvimento da frente marítima de Maputo, Moçambique. A torre destinada à Kempinski será a terceira mais alta da capital saudita.

Paulo Portas, que esta quinta-feira cumpre o último dia da sua visita à capital saudita, presenciou ainda a assinatura de outros contratos de parceria entre empresas portuguesas e sauditas. Assim, a Agrolex, uma empresa agro-industrial, irá exportar rações e maquinaria para a Arábia Saudita. O potencial deste contrato, assinado com o príncipe Turki AlSaud e a Nadec é de 11 milhões de euros. Por sua vez, a Prebuild fechou um acordo de cooperação com a Dnanair, nas áreas da construção civil e obras públicas, o qual poderá atingir os 7,8 milhões de euros.

Na quarta-feira, o vice-primeiro-ministro já tinha testemunhado um acordo entre a Vivafit e o grupo saudita Gift Garden para instalação de 100 ginásios neste país e um outro entre o fabricante de mobiliário de luxo Frato e a Dai International Trading, um grupo de armazéns da Arábia Saudita. Os dois contratos correspondem a negócios estimados de 30 e 20 milhões de euros, respectivamente.

* Estão de parabéns os arquitectos portugueses, o folclore ministerial era dispensável.


.
.
ESCULTURAS
AO SABOR DO VENTO

video



.
.

HOJE NO
"DESTAK"

PSD e CDS-PP recusam 
diminuir IVA da energia 

 A maioria PSD/CDS-PP recusou hoje baixar o IVA sobre a eletricidade e o gás, acusando PCP e BE, que apresentaram as propostas, de "populismo inconsequente". 
ESTÃO A ROUBAR-NOS
"Sabem qual é a diferença entre a compra de um anel de diamantes, a compra de um iate ou a compra de eletricidade para aquecer a casa ou para produzir, no que diz respeito a impostos? Nenhuma, não há nenhuma diferença. 
Pagamos tantos impostos de IVA quando compramos um anel de diamantes, um iate ou eletricidade", disse a deputada do BE Mariana Mortágua, que abriu o debate. 

O Bloco de Esquerda apresentou um projeto de lei para repor o IVA na eletricidade para 6% (está atualmente na taxa máxima de 23%) e o PCP apresentou um projeto de lei mais abrangente, para aplicação dos 6% na eletricidade, gás natural, gás butano e propano. 

* O governo acusa os partidos de esquerda de "populismo inconsequente"mas pratica "capitalismo delinquente", interessava-nos saber a opinião do PS.

.
.


DOUTRO SÉCULO


BRASIL COLONIAL























 COMO FOI POSSÍVEL?


.
.
HOJE NO
"i"

Peixe em Lisboa desde hoje até 
dia 13 no Pátio da Galé com 
grandes chefes mundiais

A 7ª edição do evento Peixe em Lisboa foi hoje inaugurada pelo presidente da CM de Lisboa, António Costa. Este festival vai decorrer até domingo, dia 13, no Pátio da Galé – Terreiro do Paço, funcionando em contínuo, do meio-dia à meia-noite, com apresentações de cozinha por conceituados chefes nacionais e internacionais, um mercado com produtos gourmet para prova e aquisição, restaurantes com degustações de peixe e mariscos portugueses, aulas de cozinha, harmonizações enogastronómicas, debates e concursos temáticos. 


Entre os chefes de cozinha convidados nesta edição, destaque para o belga Lionel Rigolet (restaurante Comme Chez Soi, Bruxelas, duas estrelas Michelin, 10 abril), o italiano Moreno Cedroni (restaurante Madonnina del Pescatore, Ancona, duas estrelas Michelin, 9 de Abril), o espanhol Josean Alija (restaurante Nerua do Museu Guggenheim, em Bilbau, uma estrela
Michelin, 8 de Abril) e o brasileiro Thiago Castanho (restaurante Remanso do Peixe, em Belém do Pará, 4 de Abril). No dia 6 de Abril, também estará presente o chefe Leandro Carreira, que ao longo dos últimos anos tem sido o braço direito de Nuno Mendes, no londrino Viajante. 

O cartaz de apresentações de cozinha ao vivo terá ainda a participação de nomes consagrados da cena gastronómica portuguesa, como João Rodrigues (Altis Belém, Lisboa, uma estrela Michelin, 11 de Abril), Miguel Laffan (restaurante L’And, Montemor-o-Novo, Alentejo, uma estrela Michelin, 12 de Abril), Pascal Meynard (hotelhotel Four Seasons Ritz Lisboa, 6 de Abril), Hélio Loureiro (chefe da Seleção Portuguesa de Futebol, 7 de Abril), Kiko Martins
(restaurante O Talho, Lisboa, 12 de Abril) e Vitor Sobral (Tasca e Cervejaria da Esquina, Lisboa, 13 de Abril). 

Realce ainda para a apresentação “Sangue na Guelra”, dia 5, pelas 18h, em que subchefes de grandes restaurantes aceitam o desafio de apresentar inovadoras criações à base de polvo: o italiano Alessandro Negrini (Aimo e Nadia, Milão, duas estrelas Michelin), João Oliveira (The Yeatman, V.N. de Gaia, uma estrela Michelin), o português radicado na Dinamarca, Leonardo Pereira (Noma, Copenhaga, duas estrelas Michelin), e o sueco Sven
Wassmer (Focus, Suíça, duas estrelas Michelin). O cicerone é o chefe Nuno Barros (1300 Taberna, Lisboa). 

Recorde de expositores no Mercado Gourmet
O número recorde de expositores, mais de 80, faz do Mercado Gourmet outro dos espaços mais tentadores desta 7ª edição do Peixe em Lisboa. Pela primeira vez, a Sala do Risco do Pátio da Galé será totalmente transformada num outro mar de produtos gourmet, que incluem peixes, conservas, azeites, queijos, doçaria tradicional, gelados, chocolates, vinhos e muitas outras tentações, que os visitantes podem provar e comprar. 

Em funcionamento contínuo, do meio-dia à meia-noite, estarão 10 restaurantes:
Assinatura, José Avillez, O Nobre, Ribamar, Umai / Izakaya e Vitor Sobral – Tasca e Cervejaria da Esquina, repetem a presença; o restaurante Arola regressa e Avenue, Bica do Sapato e Claro, estreiam-se. Nesta edição é introduzida uma terceira senha de degustação, no valor de 2€, que permitirá aos restaurantes a elaboração de menus mais diferenciados, apresentando propostas finais entre os 4€ e os 12€. 

A programação do PEIXE EM LISBOA contempla ainda a realização de aulas de cozinha diárias, em que mediáticos chefes ensinarão truques e dicas, que certamente revelar-se-ão preciosos no dia a dia. 

 Na cozinha Docapesca, receitas exclusivas de peixe com os chefes António Henriques, António Lourenço, Bernard Phister, Bruno Caseiro, Hernâni Ermida, Igor Martinho, João Sá, José Serrano, Luis Figueiredo, Marlene Vieira, Paulo Morais e Sandro Meireles. A cozinha Caçarola contará com Chakall e equipa e a cozinha “Portugal Sou Eu” vai mostrar a nobreza dos ingredientes e produtos portugueses. 

Aliando o melhor de dois mundos, vinho e gastronomia, na cozinha da revista WINE – A Essência do Vinho decorrem harmonizações enogastrómicas e provas comentadas de vinho. 

O Peixe em Lisboa também promoverá três debates: dia 4, a especialista e investigadora gastronómica Paulina Mata convida chefes de cozinha para comprovar as potencialidades culinárias da pele do peixe; dia 7, José Avillez desafia personalidades de diferentes áreas para uma reflexão sobre criatividade; e dia 8, é proposto “Um Olhar Exterior sobre a Cozinha Portuguesa”, a partir das visões do crítico gastronómico espanhol Carlos Maribona (diário “ABC” e blogue “Salsa de Chiles”). Dia 5, o simpósio “Sangue na Guelra” analisa “O Produto e os Produtores” com a jornalista do “Público” Alexandra Prado Coelho, o postrívoro Enrico Vignoli, o designer agricultor João Henriques, o chefe de cozinha Leonardo Pereira, a foodwriter Luciana Bianchi e o produtor Pedro Bastos. 

Já no dia 9, as pastelarias Aloma, Alcoa, Balcão do Marquês, Biarritz, Casinha do Pão, Chique de Belém, Cristal, Fim de Século, HotelHotel Altis, Mafraria, Nilde e Pastel de Nata Seleção Continente vão disputar a grande final da prova “O Melhor Pastel de Nata”. 

As condições de acesso ao Peixe em Lisboa mantêm-se iguais, desde a primeira edição: 15€ por pessoa (que incluem duas degustações de 5€ no período de almoço, de segunda a sexta-feira, e uma senha de degustação de 5€, no restante período do dia e ao fim de semana; no “Dia Económico”, que se repetirá este ano, a 7 de Abril, ao longo de todo o dia, os visitantes
receberão duas senhas de 5€).
O Peixe em Lisboa é organizado pela Associação Turismo de Lisboa, com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e produção da EV - Essência do Vinho. Mais informações em www.peixemlisboa.com

* "Peixe em Lisboa" é uma festa de bem comer peixe cheia de criatividade, não perca, nós não perdemos nenhum dos certames, embora o preferíssemos no Pavilhão de Portugal.



.
.


ROBOTS DANÇANTES


video



.
.
HOJE NO
"A BOLA"

Aprovado fim do roaming na UE
 

O Parlamento Europeu (PE) aprovou uma proposta de reforma do mercado europeu das telecomunicações, que inclui o fim das tarifas de roaming até final de 2015.

Ou seja, quando um cidadão utilizar o telemóvel noutro país da União Europeia para fazer chamadas, enviar SMS ou aceder à Internet deve pagar o mesmo preço que pagaria se estivesse no seu país com a sua operadora.

Além da eliminação das tarifas de roaming a partir de 15 de dezembro de 2015, a reforma do mercado das telecomunicações inclui a proteção da neutralidade das redes em toda a UE.

O pacote legislativo das telecomunicações visa atribuir novos direitos aos consumidores, proteger a Internet aberta, eliminar as tarifas de roaming e garantir um maior acesso às redes móveis 4G e Wi-Fi.

A Comissão Europeia saudou o voto: «Para além do sério obstáculo que o roaming constitui, estamos também muito perto de acabar com vários outros obstáculos, para que os europeus possam beneficiar de comunicações abertas e ininterruptas onde quer que se encontrem», comentou a comissária europeia para a Agenda Digital, Neelie Kroes. 

* O Roaming é um roubo autorizado e legalizado pelas autoridades europeias, deviam responder civil e criminalmente em tribunal por este assalto ao bolso do consumidor, 2015 ainda é tarde.


.
.
TANTO PARA
  ANDAR

COMO PARA

SENTAR OU 
UTILIZAR

















.
.

HOJE NO
"AÇORIANO ORIENTAL"

Dietistas querem portugueses a contribuir para definição de 20 desafios alimentares

A Associação Portuguesa de Dietistas (APD) vai desafiar os portugueses, empresas, associações e instituições a contribuírem para a definição de 20 desafios alimentares, que terão de cumprir até 2020, revelou a presidente da associação.
 
Ainda “há muito trabalho” a fazer na área da saúde alimentar, disse Zélia Santos, que falava a propósito do Congresso Português de Dietética e Nutrição 2014 – Desafios 20/20, promovido pela APD, que decorre sexta-feira e sábado, em Lisboa.

“Já passaram 14 anos desde a entrada no século XXI, muito se tem falado em alimentação e muitos temos vinculado a informação de como é que deve ser feita uma adequada alimentação, mas a verdade é que quem faz clínica nas consultas de dietética e nutrição percebe que, mesmo assim, as pessoas têm muita dificuldade em aplicar” o conhecimento que vão adquirindo, sublinhou.

No congresso, os profissionais de saúde vão debater com a sociedade civil, instituições e empresas do setor “alguns dos desafios importantes a trabalhar na saúde alimentar”, para lançar as “plataformas que alimentam estes desafios”, no Dia Mundial da Saúde, que se assinala na segunda-feira.

O objetivo é apresentar os desafios no Dia Mundial da Família, no dia 15 de maio, avançou a dietista, considerando que é preciso alterar alguns hábitos alimentares que estão enraizados na vida dos portugueses.

Alguns dos desafios passam por aumentar o consumo de fruta e legumes, mas também de produtos lácteos, como o iogurte, avançou.
“É preocupante o facto de o consumo de fruta e legumes estar a diminuir”, apesar das várias campanhas que têm sido feitas na área da promoção da saúde para incentivar este consumo, sublinhou.

A Organização Mundial de Saúde aconselha cerca de 400 gramas de consumo diário de frutas e legumes, mas um estudo recente já recomenda passar para o dobro estes valores para prevenção de doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes tipo II e alguns tipos de cancro.

“Se sabemos que a nossa sociedade sofre cada vez mais destas patologias crónicas não transmissíveis, e se uma das bases da prevenção está nas regras básicas de uma alimentação saudável, então, porque não aplicar aquilo que todos sabemos de cor?”, questionou-se Zélia Santos, considerando que “algo está a falhar”.

Para a dietista, já não bastam apenas campanhas de sensibilização: as entidades governamentais, as empresas, as instituições têm de “adotar alguns comportamentos e práticas nesta promoção de alimentação saudável e sustentável”.

“Há muito ainda por fazer na questão da rentabilização dos recursos, do desperdício alimentar” e as ementas das escolas, das empresas e das instituições “podem e devem ser trabalhadas”, adiantou a especialista.

Perante esta realidade, a APD pretende envolver os portugueses para que desempenhem “um papel ativo e participativo na construção dos Desafios 20/20”.

Para isso, vai realizar ações de capacitação e fomento da literacia alimentar direcionadas a todas as idades durante o congresso.

* Desafio de qualidade


.