quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.



 O QUE NÓS
.


 INSISTAM





.
.

PARCERIAS
PÚBLICO/PRIVADAS






CLIQUE EM "Programa OLHOS NOS OLHOS"


Se no dia indicado acima não teve oportunidade de ficar mais esclarecido sobre "PARCERIAS PÚBLICO/PRIVADAS", dispense-se tempo para se esclarecer agora, este programa é extenso mas terrívelmente claro e polémico.
Fique atento às declarações do Dr. Sérgio de Azevedo



.
.

HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS 
DA MADEIRA"

Coelho denuncia agressões 
de empresário a trabalhadoras

Miguel Mendonça interrompeu os trabalhos na ALM, depois de José Manuel Coelho subir à trinbuna para denunciar o diz serem agressões de um empresário hoteleiro, Marco Rebelo, a trabalhadoras de unidades hoteleiras do Funchal.

O deputado do PTP acusa o empresário de agressões e assédio do empresário às trabalhadoras. Miguel Mendonça cortou o som a José Manuel Coelho, mas o dpeutado continua a falar, mesmo com os trabalhos interrompidos.

Coelho considera que uma "pouca vergonha" destas não pode continuar e acusa os juizes que absolveram o empresário de serem "bandidos" cúmplices.

A trabalhadora em causa, segundo o deputado do PTP, processou o patrão por agressões, mas perdeu o processo por falta de provas. O empresário terá processado a trabalhadora por difamação tendo sido condenada a pagar uma indemnização.

* Na Madeira a democracia está carunchosa.


.
.


DIANE VON


FURSTENBERG 

   SPRING/SUMMER

WOMEN'S FASHION
2013/2014






.
.

HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Obras de Miró regressam
 a Portugal “até final do mês”

As 85 obras de Miró que têm estado em Londres vão regressar a Portugal "até ao final do mês", garantiu hoje o presidente da Parvalorem.

Numa audição na Comissão de Educação e Cultura, o administrador explicou que a sociedade chegou a acordo com a leiloeira Christie's "para realização de novo leilão logo que condições comerciais o permitam" e garantiu que já foram sanados os procedimentos administrativos alegadamente irregulares na expedição das obras.


Nogueira Leite explicou também que no final de 2014, o valor que a Parvalorem e Parups "não tiverem obtido em resultado da venda das obras de Miró, será pago com o seu próprio dinheiro e terá impacto no défice". E deixou claro que a intenção sempre foi vender as obras para diminuir os encargos dos contribuintes com a nacionalização do BPN.

Se isso não acontecer, diz Nogueira Leite, os contribuintes serão chamados a suportar o valor em causa, uma vez que existe uma dívida a pagar à Caixa Geral de Depósitos.

Numa audição tensa, com o PS a acusar Nogueira Leite de "embuste" e de não responder a perguntas pertinentes (nomeadamente quem autorizou a saída das obras e de que forma foram expedidas paraLondres), o administrador da Parvalorem alegou estar vinculado a "confidencialidade contratual" e ter como " única limitação ao esclarecimento pretendido" aquilo que "diminuir a nossa capacidade de defesa em tribunal".

"Os activos adquiridos pela Parvalorem foram feitos com empréstimo obrigacionaista, não correponde à verdade a ideia de que [as obras] já se encontram pagas", esclareceu o responsável pela sociedade constituída para gerir os activos tóxicos do BPN.


Nogueira Leite explicou ainda que a Parvalorem optou por um contrato chave na mão, tendo em conta que não é "especialista" em venda de obras de arte e que o contrato foi adjudicado à Christie's por 0,14% de diferença em relação aos seus concorrentes. E sublinha que a empresa esperava com esse contrato chave na mão para que todos os procedimentos necessários fossem tratados pela Christie's.

O administrador deixou ainda uma crítica dura à actuação da Procuradoria-Geral da República em todo este processo, sublinhando o facto de o Ministério Público ter requerido de um "dia para o outro" duas providências cautelares sobre este tema, "esperando-se a mesma diligência e empenho venha a ser seguido nas múltiplas queixas da Parvalorem a propósito de burla".

Para já, Nogueira Leite não esclareceu quem deu autorização para a saída das obras de Portugal e como decorreu o processo de expedição das obras para Londres.

* Concluíndo, o sr. Nogueira Leite que gosta de se armar em sabichão em tudo quanto é comunicação social, não percebe de arte, portanto acha natural que um conjunto de quadros de Miró, avaliados inicialmente em 150 milhões passa nun estantinho para 35 milhões. O sr. Nogueira Leite, ícone incontornável  da arrogância deslumbrada deste país, não sabe explicar de que modo os quadros aterraram em Londres sem as devidas autorizações regulamentares. O sr Nogueira Leite só sabe o que lhe interessa, que deve ser muito, mas que não é de todo o que interessa aos portugueses.


.
.

 VI-OS SUPER
 HUMANOS 
3-DEDO DE AÇO





.
.


HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Crise promove curso intensivo
 para ser prostituta

Face ao aumento do número de mulheres interessadas em dedicar-se à prostituição, foi criado um curso de "profissionalização".

Para fazer face ao desemprego, são cada vez mais as mulheres espanholas interessadas em fazer parte do mundo da prostituição. 
Foi em resposta a este facto que a associação de trabalhadoras sexuais, Aprosex, decidiu proporcionar, às mulheres interessadas, um curso intensivo de "profissionalização" na área. 

O objetivo da iniciativa pretende ajudar as mulheres a superar todas as dificuldades iniciais. Sejam elas relacionadas com a sexualidade, saúde ou finanças. Durante a formação, as mulheres vão aprender a refletir sobre a necessidade de tratar bem os clientes ou não mentir nos anúncios sobre a sua fisionomia.
Conxa Borrel, presidente da Aprosex, confirmou ao diário espanhol 'El Periodico' que são, na maioria, mulheres jovens, entre os 18 e os 23 anos, aquelas que têm optado pela prostituição, sobretudo ao não encontrarem saída profissional ou outra forma de pagar as despesas da universidade. A somar a esta faixa etária, mulheres desempregadas com mais de 50 anos recorrem também à prostituição. 
O curso intensivo tem o nome "Prostituição: noções básicas para a profissionalização" e contará com o apoio de uma psicóloga clínica.
A inicativa justifica-se pelo facto de "ser prostituta não ser algo vocacional. Contudo, quando se toma essa decisão, é necessário saber umas quantas coisas para que não se sintam perdidas, como aconteceu comigo no início", explicou Conxa Borrell, presidente da associação e prostituta de luxo. O curso realiza-se no próximo sábado, em Barcelona. 

 * Uma notícia triste, reveladora de tragédia social.


.

ZURAIDA SOARES

.



Remendinhos e medidinhas

No processo de discussão do Orçamento do Açores para 2013, o BE apresentou um conjunto de medidas com vista à dinamização da economia e combate ao desemprego, que incluía a reabilitação urbana pública e privada, o aumento do salário mínimo regional em 10 euros, o aumento do complemento regional de pensão em 15 euros a quem recebesse pensões abaixo do salário mínimo, medidas de proteção e estímulo à agricultura regional, entre outras.

Fizemo-lo porque, no quadro das prerrogativas autonómicas, é possível dotar a Região de políticas anticíclicas que minimizem os efeitos nefastos da austeridade do Governo da República.

Fizemo-lo porque os pacotes de medidas de apoio às empresas que tinham sido aprovados no nosso parlamento não estavam a resultar: apoiar empresas que não tinham, nem têm, quem compre os seus produtos ou serviços, é prolongar um estertor e um desbaratar de dinheiros públicos.

Assim não entende o Governo Regional, nem o PS, que chumbou todas as propostas do BE para o Orçamento de 2013 e a mesma linha de propostas para 2014.

Contudo, o desemprego na Região continuou a subir, e as tais 60 medidas salvadoras, propagandeadas aos sete ventos, mostraram – como, em devido tempo, apontei – os fracos resultados que são hoje notórios.

Perante a falência das suas medidas, o Governo Regional adapta uma das propostas apresentadas pelo BE, que, meses antes, o mesmo Governo considerava irrealista. Falo da proposta de apoio à reabilitação urbana privada, que consistia em dois pontos fundamentais: 1 - criação de uma linha de crédito no valor de 50 milhões de euros, negociada pelo Governo com a banca e colocada ao dispor de quem pretendesse reabilitar o seu património. 2 - Esta linha de crédito teria carência de dois anos e estaria isenta de juros.

Era, e é, uma medida excepcional, cujo objectivo, pelas suas características atractivas, é estimular o sector da construção civil – principal gerador de desemprego –, através de pequenas obras, por todas as ilhas, que permitiriam criar trabalho.

Com esta medida, não haveria dinheiro desbaratado, desde logo, porque, ao ser um processo controlado, há a garantia de que o IVA seria todo arrecadado pelo erário público, e também porque a criação de emprego gera receitas de IRS, e, talvez até, alguma receita de IRC. Além disso, a criação de emprego diminui a necessidade de apoios socais.

Numa mera lógica contabilística, o erário público não seria lesado, mesmo assumindo o peso total dos juros. Os ganhos socais, que assumimos como fundamental, seriam evidentes.
Mas a implementação desta medida pelo Governo foi de tal forma desastrada que, em dois meses, já teve que ser recauchutada. Por outro lado, ao impor juros – mesmo que bonificados – e o não financiamento a 100%, o Governo põe em risco a bondade da própria medida, pois a falta de confiança, a penúria das pessoas, e mesmo das empresas, é um facto.

Mais uma vez, perante a desgraça social que varre as nossas ilhas, o Governo não tem a coragem e a ambição de tomar medidas sérIas e fortes, tomando antes, medidinhas, remendos, meias políticas... Enfim, tudo em pequenino, para ficar tudo na mesma.

Esta maneira de fazer política não serve os Açores.

IN "AÇORIANO ORIENTAL"
14/02/14 

.



96.UNIÃO



 EUROPEIA








.
.

HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Presidente da Cáritas Portuguesa alerta 
para "injustiças e interesses instalados"
 "Aumento das desigualdades sociais 
tem vindo a acentuar-se em Portugal" 

 O presidente da Cáritas Portuguesa defende que a justiça social está ainda muito longe de ser posta em prática: "A justiça ainda está muito longe de ser posta em prática e basta verificar o aumento das desigualdades sociais que grassa pelo mundo e que se tem vindo a acentuar em Portugal”. 

Para Eugénio Fonseca, que falou a propósito do Dia Mundial da Justiça Social, que se assinala quinta-feira, a falta de justiça tem como “grande consequência” as pessoas perderem o acesso de “forma igual” a oportunidades, que, “por direito alienável, deveriam ter e que fazem parte da sua subsistência e do respeito que lhes é devido pela sua dignidade”. Mas, sublinhou, “a justiça para ser implementada tem que pôr em causa interesses instalados e nem sempre há quem esteja motivado a mexer nesses interesses”.


 “A justiça é dar oportunidade a que todos acedam aos seus direitos em paridade de circunstâncias e não dar mais privilégios a uns do que a outros”, lembrou, acentuando: "Tem faltado vontade efetiva para que possam ser criados mais critérios de justiça social”. Para serem criados, tem de fazer-se “uma opção honesta, séria, decidida e sem medo de grupos que estejam instalados, que defendem os seus interesses, muitas vezes corporativos”. Eugénio Fonseca advertiu que a “injustiça gera sentimentos de revolta interiores” nas pessoas, que vivem em sofrimento por falta de acesso a um emprego, à alimentação, à habitação. 

 Sofrem uma “revolta contida” por verem que “alguns são sobrecarregados com medidas que estão fora da justiça social”, enquanto outros grupos, com quem também deviam ser “partilhados esses sacrifícios”, ficam de fora. No entanto, os portugueses são “um povo que se resigna perante essas condições”, acrescentou.


 Essa resignação, segundo Eugénio Fonseca, leva a que, muitas vezes, “a revolta perante as injustiças se faça mais no íntimo de cada um”, o que pode gerar “doenças do foro mental”, mas também situações de violência doméstica ou “comportamentos antissociais mais radicais”, como, por exemplo, a prática de assaltos. Sobre o que é imperativo fazer para uma maior justiça social, o responsável afirmou que é necessário “uma consciência maior no sentido do bem comum”, mas, “para já”, deve haver um conjunto de “políticas em que se pratique uma redistribuição mais justa da riqueza que é produzida”. 


 Eugénio Fonseca disse estar “satisfeito por ver que o país está a sair das agruras em que estava em termos de recessão”, mas não esquece que esta saída “foi feita, sobretudo, à custa dos sacrifícios de quem já fazia muitos sacrifícios para viver”. “É bom que nos alegremos por Portugal estar a sair finalmente de uma situação tão difícil (…), mas também é preciso dizer que deixou pelo caminho muita gente sofrida”, comentou. Agora, é preciso “olhar de forma especialíssima para essas pessoas a ver se ainda as recuperamos em termos daquilo que são as condições de vida que Portugal quer criar ao libertar-se das condições muito negativas em que vivia”. Para assinalar a efeméride, Eugénio Fonseca deixa uma mensagem: “Sem maior justiça social, jamais teremos desenvolvimento humano e nunca teremos coesão social e harmonia social”.

* E temos um governo optimista...

.
.


"COMPARANÇAS"





.
.


7.O MELHOR
 DA ARTE
ARTE DO LEVANTE

A taça da caça (1984)


Cada episódio é dedicado a um grande trabalho de arte da coleção dos museus do Louvre, Antiquities Museum of Saint Germain, Orsay, Rodin e Guimet. A série mostra obras como a Monalisa e os tesouros do budismo. Um trabalho único sobre história da arte. 

 .

.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

NASA quer produzir água 
na Lua e oxigénio em Marte

A NASA está a planear missões à Lua e a Marte em 2018 e 2020 para realizar provas que poderão demonstrar como produzir água e oxigénio. 

A NASA, juntamente com a CSA (Agência Espacial do Canadá), planeia enviar um robô todo-terreno à Lua em 2018 e a Marte em 2020. Estas experiências são denominadas ISRU (exploração de recursos no local). Este seria provavelmente o mais importante avanço científico desde que Armstrong pisou a Lua pela primeira vez em 1969.
ÁGUA NA LUA...

Na Lua, o objetivo da missão será analisar o constituinte do solo lunar e realizar experiências de extração de água e outras substâncias voláteis como o hidrogénio e o oxigénio. Em Marte, o veículo enviado procurará extrair Oxigénio da atmosfera.

Até hoje, apenas doze homens pisaram a superfície lunar; todos eles entre 1969 e 1972. Luísa Lara, astrofísica do Instituto de Astrofísica de Andaluzia, explicou ao jornal espanhol El Mundo que "pôr um quilo no espaço custa mais de um milhão de euros". Assim, a carga enviada nas missões é a mais reduzida possível para que se possam transportar todos os dispositivos eletrónicos necessários, evitando-se o envio de grandes quantidades de água e combustível.

Obter água e oxigénio para auxiliar na sobrevivência dos astronautas em missão no Espaço e combustível para a viagem de regresso diminuiria os custos e permitiria realizar viagens espaciais de maior duração. 

* Paradoxos da ciência, no terceiro mundo morrem cinco crianças por hora por desidratação.


.
.


 Ute Lemper


Jonny, wenn du Geburtstag hast




.
.

HOJE NO
"RECORD"


Seat Leon Carro do Ano 2014

O SEAT Leon foi o vencedor do "Carro do Ano/Troféu Essilor Volante de Cristal", no ano em que esta iniciativa promovida pelo semanário EXPRESSO e pelo programa Volante, da SIC Notícias, festeja 30 edições.


O SEAT Leon mereceu a preferência da maioria dos 22 jornalistas que compõem o júri e que representam os mais importantes orgãos de Comunicação Social do nosso país, nos quais se inclui RECORD. O familiar da SEAT destacou-se entre os outros modelos que passaram à ronda final de votação - Audi A3 Limousine, Citroen C4 Picasso, Mazda6, Peugeot 308 e Skoda Octavia.

Esta foi uma das edições mais concorridas de sempre, com um total de 21 gamas a concurso, que ao longo de meses foram submetidos a milhares de quilómetros de testes pelos jurados, que ponderaram qualidades tão diversas como consumos, segurança, performances, comportamento dinâmico, conforto, preço, habitabilidade ou ecologia.

Nas classes do Carro do Ano - prémios atribuídos para o melhor produto a concurso de cada segmento - a BMW foi a grande vencedora, com um total de três estatuetas para Desportivo do Ano, Executivo do Ano e Ecológico do Ano.

O SEAT Leon venceu ainda as classes reservadas a Familiar do Ano e Carrinha do Ano, enquanto a Nissan e a Honda dividiram entre si os troféus para Citadino do Ano e Crossover do Ano.

A Comissão Executiva do Carro do Ano decidiu ainda atribuir à ACAP (Associação Automóvel de Portugal) o prémio Personalidade do Ano.

Este prémio visa homenagear as mais de 2000 empresas do setor automóvel, representadas por esta associação, que nos últimos anos têm demonstrado a sua resiliência a uma crise que tem fustigado com particular violência o setor automóvel.

* PARABÉNS

.
.

 SOBRE SEGURANÇA




.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Referendo sobre coadoção 
é inconstitucional

O Tribunal Constitucional julgou esta quarta-feira inconstitucional a proposta do Parlamento para a realização de um referendo sobre a coadoção e adoção de crianças por casais homossexuais. 

Em comunicado, o Tribunal Constitucional (TC) anunciou que "julgou não verificadas a constitucionalidade e a legalidade do referendo proposto" na resolução aprovada pelo Parlamento no dia 17 de janeiro.

O TC considerou que a cumulação no mesmo referendo das duas perguntas propostas "dificulta a perfeita consciencialização, por parte dos cidadãos eleitores, da diversidade de valorações que podem suscitar, sendo suscetível de conduzir à contaminação recíproca das respostas".

Por essa razão, o TC entendeu que não estava garantida uma "pronúncia referendária genuína e esclarecida".
Por outro lado, o TC entendeu que a proposta de referendo "restringia injustificadamente o universo eleitoral" ao prever apenas a participação dos cidadãos eleitores recenseados no território nacional.

Segundo o TC, impunha-se a abertura do referendo aos cidadãos recenseados residentes no estrangeiro".
A decisão, cujo relator foi o juiz conselheiro Lino Ribeiro, foi tomada esta quarta-feira em sessão plenária, na sequência do pedido de fiscalização entregue pelo presidente da República no passado dia 28 de janeiro.
De acordo com o comunicado, o acórdão será publicado esta quarta-feira no "site" do Tribunal Constitucional.

A resolução propunha que fossem colocadas aos portugueses as seguintes questões: "1. Concorda que o cônjuge ou unido de facto do mesmo sexo possa adotar o filho do seu cônjuge ou unido de facto?" 2. Concorda com a adoção por casais, casados ou unidos de facto, do mesmo sexo?".

A proposta foi aprovada no dia 17 de janeiro por maioria apenas com os votos favoráveis do PSD, a abstenção do CDS-PP e de dois deputados do PS. As bancadas do PS, PCP, BE e PEV votaram contra.
O presidente da República submeteu a proposta de referendo à fiscalização preventiva da legalidade e da constitucionalidade no dia 28 de janeiro.

* Este governo está recheado de "inconstitucionalistas" é um inconseguimento visceral de competência. 
Sempre que pudermos aplicaremos  o léxico de S. Exa. a Presidente da A.R.


.
.


 ÚTEIS E


REVOLUCIONÁRIOS






































.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Santa Maria: 
A troika cortou no pessoal do 
hospital e no dinheiro dos doentes




Três anos de troika deixaram marcas no Hospital de Santa Maria. O número de trabalhadores caiu, e o orçamento mais magro obrigou a uma nova gestão. A do fazer mais com menos. Já os doentes são os mesmos, mas chegam com mais carências.

* Um dos nossos pensionistas teve em 2013, uma passagem pelo Hospital de Sta Maria com direito a Serviço de Urgência, consulta externa, internamento e cirurgia. 
"- Não podia ser melhor", afirma e continua, "- Em todos os sectores onde passei fui tratado com profissionalismo, educação e eficácia",  registou toda esta informação  numa carta que enviou à Direcção do Hospital, porque, no seu entender, o livro de reclamações pressupõe existência de um suporte de papel onde se lavre a satisfação de ser muito bem tratado e com dignidade. 
Aconteceu no serviço de Urologia!


.
.


VÔVÔ CORREDOR.




.
.
HOJE NO
"DESTAK"

Desempregados de Valongo 
desenvolvem site de trilhos de montanha 

O novo website do evento desportivo Trilhos do Paleozoico, desenvolvido por um grupo de 40 desempregados de Valongo, foi hoje colocado online. 


A utilização de tecnologia tridimensional e a apresentação da mascote são as principais inovações desta página de Internet, criada para divulgar não só as corridas de montanha, mas também as potencialidades turísticas do concelho de Valongo.

 Este projeto resulta de uma parceria entre a Câmara de Valongo, o Centro de Emprego de Formação Profissional do Porto e do Centro de Emprego de Valongo, tendo sido desenvolvido por 40 desempregados e alunos de um curso de formação em multimédia 

* Excelente iniciativa, oxalá resulte, o evento aconteceu também em 2013!


.
.

 REGRESSO AO
FUTURO











.
.

HOJE NO
"i"

Presidente da República elogia novo 
mapa que mostra que "Portugal é Mar"

Por isso, continuou, "é fundamental que os mais novos compreendam que Portugal é um país enorme e que este Portugal mar tem enormes potencialidades"

O Presidente da República elogiou hoje o novo mapa "Portugal é Mar", uma carta que representa a realidade territorial do país e que permitirá aos jovens compreenderem que Portugal "é enorme" e que o "Portugal mar" tem "enormes potencialidades".

"É uma iniciativa de um grande valor pedagógico, na medida em que vai dar às nossas crianças e aos nossos jovens a perceção da verdadeira dimensão de Portugal, que Portugal não é apenas uma estreita faixa costeira a ocidente da Península Ibérica, é também uma grande zona económica exclusiva", afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva.
COM ESTES "MARINHEIROS" É AFUNDANÇO PELA CERTA

O Presidente da República - que falava depois da ministra da Agricultura e do Mar e do ministro da Educação terem feito uma breve apresentação do mapa "Portugal é Mar", uma carta que retrata a realidade territorial do país, nomeadamente a sua dimensão marítima e inclui a proposta de Extensão da Plataforma Continental - sublinhou a dimensão da zona económica exclusiva portuguesa, que corresponde mais ou menos a 15 vezes o território do continente.

Por isso, continuou, "é fundamental que os mais novos compreendam que Portugal é um país enorme e que este Portugal mar tem enormes potencialidades".

"Nas escolas agora este Portugal imenso pode ser estudado nas mais variadas perspetivas", acrescentou, adiantando que será "este Portugal azul" que levará na próxima semana à cimeira mundial dos oceanos, que terá lugar em São Francisco, nos Estados Unidos da América.
Antes, a ministra da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas, explicou que a criação do ‘slogan' "Portugal é mar" inscrito no mapa tem como objetivo a interiorização de que, quando for aprovada a candidatura às Nações Unidas para a extensão da plataforma continental, Portugal será um país em que "97% é mar".

O ministro da Educação, Nuno Crato, revelou ainda que todas as salas de aula terão este novo mapa, que se tornará numa referência para discutir aspetos diversos relacionados com o mar.
"No Plano Nacional do Mar a educação tem um papel decisivo, nós temos introduzido conteúdos sobre o mar numa série de disciplinas. Este mapa permite-nos ver como esses conteúdos podem ser muito variados e que tem a ver com a história, geografia, geologia, matemática", referiu.

"É belo mapa de Portugal em mar", reforçou depois o Presidente da República, que prometeu que irá arranjar um sítio visível no Palácio de Belém para colocar o novo mapa de forma a que "todos vejam este Portugal azul".

* Não há pachorra para tanto folclore.


.
.
 ESCALANDO





.
.
HOJE NO
"A BOLA"

Clarisse Cruz renuncia à Seleção
 

Clarisse Cruz anunciou, em comunicado, que não voltará a representar Portugal em competições internacionais, equacionando mudar de nacionalidade.

«No seguimento da informação enviada pela área administrativa e financeira da FPA e pelo vice-presidente Paulo Bernardo, renuncio e abdico de representar a Federação Portuguesa de Atletismo em qualquer competição internacional», escreveu a atleta do Sporting, olímpica em Pequim-2008 (34.ª) e Londres-2012 - 11.ª na final dos 3000m obstáculos, com recorde pessoal na eliminatória (9.30,06 m) -, referindo-se à comunicação do valor da Bolsa de Formação Desportiva de 150 euros mensais atribuída para 2014.

«É uma decisão irreversível», garantiu o representante da atleta de 35 anos, Hugo Pinto. «A Clarisse não vai aos Europeus [em agosto], mas continuará a competir, para estar nos Mundiais de 2015 e nos Jogos de 2016. Não receia representar outro país. Espanha e França são opções, tal como um país de língua portuguesa.»

Em causa, para a atleta que trabalha na Câmara Municipal de Ovar, está, além do valor da bolsa, uma alegada dívida da federação, relativa a um estágio em altitude realizado em Font Romeu (França), em maio de 2013. «A federação tinha concordado pagar os quilómetros, porque levámos o nosso carro, e o ordenado que a Clarisse perdia nesse mês. Seriam cerca de 1500 euros. Em 2013, a bolsa da Prepol, de 850 euros, esteve quase sempre atrasada, fizemos provas de estrada para ganhar dinheiro e chegámos a ter luz e água cortadas», contou. «Além disso, a Clarisse tem um problema físico que tratava no Departamento Médico da federação. É impossível pagar do seu bolso.»

A FPA reagiu, apelando a que Clarisse «reconsidere» e esclarecendo que a atleta recebia uma bolsa paga pelo Comité Olímpico até dezembro. «A partir de janeiro de 2014, e no âmbito do Alto Rendimento, a direção atribuiu uma Bolsa de Formação Desportiva, paga diretamente pela FPA» e atribuída a atletas que não estão na Prepol. Discrimina valores comparticipados no referido estágio, incluindo «450,90 euros para transportes e portagens», sublinhando que o treinador, António Beça, escreveu «na Ficha de Atividade apresentada a 12 de março»:

«A Clarisse abdica do ordenado durante este tempo, 28 de abril a 27 de maio».
Assegura ainda que a atleta «tem acesso a dois Centros de Apoio Médico da FPA» em Lisboa e na Maia. 
  
* Grande confusão, alguém esclareça.

.
.


 "INCANSATIVOS"

NA SEQUÊNCIA DO "INCONSEGUIMENTO"
DE SUA EXA A PRESIDENTE DA A.R.
LÍDIMA PROVEDORA DO VOCABULÁRIO














.
.
.

 Foram buscar lã


vieram tosquiados





.
.


BURACO NO MUSEU




.
.
76.Senso d'hoje

  CATARINA MARTINS
  COORDENADORA DO 
BLOCO DE ESQUERDA
.

"O Governo tem discutido se há uma saída limpa ou um programa cautelar. O PS entra neste diálogo com PSD e o CDS como se houvesse saída limpa sobre os escombros da economia, como se houvesse saída limpa sobre o mar do desemprego, como se existisse alguma saída limpa sobre a destruição do país. Não há saída limpa

.