terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.


.


O QUE NÓS


SOFREMOS!








.
.



PENITÊNCIA





























.
.


 SENSUAIS


PAIXÕES














.
.

HOJE NO
"AÇORIANO ORIENTAL"

95% dos portugueses que usam
 redes sociais têm Facebook

Noventa e cinco por cento dos portugueses que usam redes sociais têm conta de Facebook, sendo a rede com maior número de utilizadores em Portugal, segundo um estudo da Marktest: "Os portugueses e as redes sociais".
 
Já com perfil no Youtube, rede que surge em segundo lugar, estão 38,9 % dos utilizadores destes sites, enquanto no Google+ - que muitos apontam estar a “roubar” utilizadores à rede de Zukerberg - estão 34,1%.

Um estudo divulgado este ano por um gurpo de investigadores da universidade norte-americana de Princeton compararam a rede social a uma doença infeciosa que se espalhou e que estaria agora em vias de desparecer, podendo perder até 80% dos utilizadores até 2017.

O Facebook apressou-se a comentar o estudo, divulgando uma pesquisa realizada usando os métodos semelhantes dos investigadores de Princeton (pesquisa no Google), que revelava que a universidade norte-americana iria deixar de existir em 2021.

De acordo com a rede social, nem o Facebook, nem a Universidade de Princeton deverão acabar tão cedo.

Segundo o estudo da Marktest, o Facebook é indicado pelos inquiridos como a página de internet de referência dos sites das redes sociais e aquele mais credível, a uma larga distância dos outros, considerando-o como “mais credível” e que “informa melhor”, sendo que, em termos médios, os detentores de conta nesta rede têm uma rede de 346 amigos.

Os utilizadores justificam que criaram a sua conta de Facebook para “manter contato com pessoas que estão longe”, ao mesmo tempo que consideram ser a rede “mais viciante”.

Já de acordo com o estudo Bareme Internet, igualmente da Marktest, que compilou dados entre 2008-2013, o número de utilizadores que acedeu ao Facebook tem vindo a crescer desde 2010. O site que analisa as redes sociais, o 'socialbakers.com', revela na sua página que em Portugal os utilizadores masculinos e femininos ocupam a mesma percentagem, 50%, sendo que a faixa etária que mais frequenta a rede situa-se entre os 25 e 34 anos.

 A marca que mais fãs tem no Facebook em Portugal é a Missão Sorriso, com 1.011.263 “gostos”, seguida da Samsung Portugal (894.106), da MEO (820.088), do Chef Online (777.360) e em quinto aparece a TMN, com 56.032.
A página de Cristiano Ronaldo lidera o 'ranking' nacional de páginas com maior número de fãs (1.024.413 “gostos”), enquanto em celebridades a apresentadora Cristina Ferreira (TVI) lidera a lista, com 780.750 gostos.

O presidente dos Estados Unidos Barak Obama lidera a lista dos políticos que em Portugal tem mais “likes”, com 248.616, com Aníbal Cavaco Silva a surgir em segundo, com 161.158.

Entre os marcos mais importantes da rede desde a sua criação encontra-se o dia 18 de maio de 2012, com a entrada no mercado de ações da Nasdaq, arrecadando 16 mil milhões de dólares na sua oferta pública inicial de ações, tornando o sétimo maior lançamento em bolsa de valores do mundo.

Apesar da entrada em bolsa, Mark Zuckerberg é dono de 533,8 milhões de ações (cerca de 28% do total), ficando com 56,9% dos direitos de voto total do Facebook.

A rede social Facebook garantiu em 2013 um lucro de 1,5 mil milhões de dólares (1,09 mil milhões de euros), resultados mais substanciais do que os previstos e que confirmam um amento dos rendimentos, em particular na publicidade móvel.

* Os tugas do Facebook estão tramados, a privacidade é tanta que até podem saber o número de pelos do olho do.... pois, desse.


.
,

VI-OS SETE


PECADOS CAPITAIS



1- A IRA


video



,
.

HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Secretário de Estado 
emitiu despacho “ilegal”

O Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa decidiu rejeitar a providência cautelar apresentada pelo Ministério Público para suspender a venda das obras de Joan Miró num leilão marcado para hoje em Londres, porque quem adquiriu as 85 pinturas, desenhos e colagens foram "duas sociedades anónimas de capitais exclusivamente públicos, concretamente, a Parvalorem, S.A. e a Parups e não o Estado".

No despacho citado pela Lusa, o juiz escreve ainda: conclui-se que "a decisão de alienação das 85 obras de Miró ora em apreço, não foi tomada pelo Estado, mas sim pelo conselho de administração da Parvalorem".
Acrescenta que a Parvalorem e uma "empresa pública, cujo único accionista é o Estado, através da Direcção Geral do Tesouro e Finanças, ou seja, não estamos perante uma decisão administrativa, mas sim um acto de gestão de uma sociedade anónima alheio ao uso de qualquer poder de autoridade, pelo que não pode tal acto ser imputado à 1.ª entidade requerida, o Ministério das Finanças, enquanto entidade pública administrativa".

Por isso mesmo, o tribunal não pode "emitir qualquer ordem dirigida a qualquer membro do Governo, relativa à forma de exercício dos seus poderes da sua função accionista", conclui-se ainda no despacho.

Apesar de indeferir o pedido que foi remetido pelo PS à Procuradoria-Geral da República, o Tribunal conclui que o despacho do secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, do final de Janeiro "que declara extintos os procedimentos administrativos de autorização de expedição das obras é manifestamente ilegal".

Essa ilegalidade é sustentada com o argumento de que o secretário de Estado permitiu "a concretização da venda das obras, na data anunciada, não obstante a ilicitude da sua expedição, nos termos anteriormente explicitados, ilicitude esta que é reconhecida por este membro do Governo, na medida em que ordena que se proceda em conformidade com uma situação de ilicitude, apontando para a sua censura enquanto contra-ordenação".

As 85 obras de arte do pintor espanhol Joan Miró que se encontram na posse do Estado português desde a nacionalização do Banco Português de Negócios (BPN), anterior proprietário da colecção, têm leilão marcado para hoje e quarta-feira em Londres, pela Christie's.
O pedido do PS à PGR contra a venda das obras de Joan Miró, avaliadas em 35 milhões de euros, era fundamentado com a falta de classificação das obras.

* Um caso onde a justiça é cega e não pondera que empresas de capitais exclusivamente  públicos são Estado, que Estado é o povo que meteu mais de 500 milhões no BPN e foi vendido por 40 e as obras de Miró não devem ser vendidas por serem património artístico de muito maior valor que os 35 milhões anunciados, porque é património para o futuro.
As ilegalidades do governo são triviais.


.
.


8-SOBRE AS 


 DROGAS
  SNIFADOS

video



NR: Quando o tráfico e a tóxico dependência atiram tanta gente para a degradação e miséria, apresentamos-vos uma nova série sobre este melindroso tema. Cada um que tire as ilacções que achar por bem.



.
.
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Operadores móveis com 
práticas discriminatórias

Clientes com tarifários pré-pagos têm acesso limitado a números começados por 760.

A Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) teve conhecimento de que operadores móveis estão a adotar práticas que limitam o acesso dos seus clientes com tarifários pré-pagos a chamadas para números começados por 760. Neste contexto, já notificou as operadores em causa para que se pronunciem.

É através daquela numeração que os consumidores podem habitualmente participar em concursos ou reclamar prémios em passatempos lançados pelas televisões, rádios e jornais. Estas chamadas têm um preço fixo de 60 cêntimos mais IVA, qualquer que seja a sua duração e a hora do dia a que sejam feitas.
O regulador não indica quais as operadoras em causa, mas em comunicado indica as práticas de três.
A Anacom considera haver indícios de que as práticas violam a Lei das Comunicações Eletrónicas, por serem restritivas da realização deste tipo de chamadas por clientes de pré-pagos, assim discriminados face a clientes de tarifários pós-pagos ou do serviço telefónico fixo e que, além disso, têm impacto negativo na concorrência, por afetarem outros operadores.
O regulador diz mesmo que a sua intervenção poderá culminar com a imposição da cessação das práticas adotadas pelos operadores móveis envolvidos.

* E não é Cartel, percebem, não é Cartel!


.

PEDRO d'ANUNCIAÇÃO

.









Meco: um crime a investigar

Já aqui expus a minha opinião sobre as praxes, contrariando os que acham haver boas e más: para mim, basta o princípio de humilhação (mesmo que não seja física) de mais novos por supostos veteranos (e, na realidade, os praxistas tendem a ficar veteranos muito tempo, porque obviamente não apreciam o estudo e o saber), para as achar todas más, e incompatíveis com o espírito universitário.

Vou hoje referir-me ao caso do Meco, demasiado tempo em banho Maria de luto, numa total falta de respeito pelas famílias realmente enlutadas. De resto, a princípio podíamos ter dúvidas sobre o caso: mas depois de vermos a resistência do sobrevivente em esclarecer a coisa, e a fuga ao esclarecimento de outras figuras da Universidade (se assim se pode chamar à Lusófona) a que pertenciam as vítimas – tudo indica haver razões suspeitíssimas para medo. E a prova mais evidente foi aparecer um estudante da dita escola na RTP que, apesar de afirmar não ter estado no local, não teve a menor dúvida em desmentir com sobranceira segurança testemunhas que lá estiveram. São demasiados indícios de que alguma coisa de grave se passou, e que deve ser esclarecida. A começar pelo facto de a casa estar demasiado arrumada, logo a seguir aos trágicos acontecimentos, sem se perceber como (pois a maior parte dos inquilinos tinha morrido, e único sobrevivente devia estar no Hospital).


IN "SOL"
03/02/14


.
.


 81.UNIÃO


EUROPEIA






.
.
HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Passos Coelho critica investimento 
público anterior na ciência
 "Governo quer romper com
 as políticas passadas" 

O primeiro-ministro criticou hoje a anterior política de investimento público em ciência, sustentando que falhou nos resultados, mas defendeu que é preciso dar continuidade à aposta nas energias renováveis. 

O chefe do executivo PSD/CDS-PP assumiu estas posições na primeira reunião da "Coligação para o Crescimento Verde", uma entidade criada pelo Ministério do Ambiente que junta organizações de diversos setores, realizada no Oceanário de Lisboa. 
 
ECONOMIA VERDE
Numa alusão ao anterior período de governação do PS, o primeiro-ministro afirmou que, em matéria de ciência e tecnologia, o atual Governo está gradualmente a "romper com as políticas passadas" baseadas na ideia de que "mais dinheiro público" produz "qualidade" em termos de resultados. "De facto, não é assim", alegou Passos Coelho, referindo-se às bolsas atribuídas pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. "Durante vários anos, conseguimos transferir mais recursos para o sistema e atribuir mais bolsas. No entanto, quando medimos depois o número de patentes que são registadas, o número de artigos científicos que são publicados, quando medimos o resultado e a qualidade desse resultado, nós passávamos de indicadores que pareciam comparar muito bem com os países com que gostamos de nos comparar para comparar muito mal sempre que olhávamos à substância dos indicadores", sustentou. Segundo o primeiro-ministro, é preciso "mudar a filosofia das políticas públicas que estavam a ser executadas", assegurando que o financiamento dirigido à ciência, à tecnologia e ao sistema educativo "produz resultados" e "cria valor" na economia. "Temos, portanto, de aprender a medir os resultados e temos de garantir que as bolsas que nós usamos para financiar os doutoramentos, os pós-doutoramentos, a investigação que é feita não corresponde meramente a uma política de recursos humanos de empregar os melhores, mas que possa resultar em ter mais gente do lado das empresas, altamente qualificada, a desenvolver investigação e a fazer a translação de conhecimento que traga valor para essas empresas e para a economia", defendeu. 

Em seguida, Passos Coelho falou da "economia verde", considerando que, "desde que os incentivos sejam os adequados, continuar a apostar nas energias renováveis não é um erro", mas antes "uma necessidade estratégica" de Portugal. Ressalvando que é preciso "medir bem os incentivos que são criados", acrescentou: "O facto de termos muitas vezes contratualizado benefícios excessivos nas renováveis não significa que a aposta nas renováveis não seja uma aposta fundamental".

 A este propósito, o primeiro-ministro afirmou ainda que "a União Europeia precisaria de manter uma maior ambição nas metas que vem definindo" e que a "economia verde" não deve ser encarada pelos agentes económicos como "um ónus". 

* A economia verde é um grande carrocel.



.
.


OH ZÉ!!!




.

.

2- O MISTERIOSO MUNDO

DAS COBRAS E SERPENTES

video


.
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

PS exige a Passos Coelho 
explicações sobre o BPN

O PS insistiu hoje no esclarecimento sobre o montante "do perdão fiscal" resultante do processo de regularização de dívidas ao Estado e sobre a "injeção" de 510 milhões de euros nas empresas que gerem ativos do BPN. 

Estas questões dirigidas ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e à maioria PSD/CDS foram colocadas por António Galamba, membro do Secretariado Nacional do PS, em conferência de imprensa.

De acordo com António Galamba, o primeiro-ministro e a maioria PSD/CDS "continuam sem esclarecer qual o montante do perdão fiscal realizado em 2013, que permitiu um encaixe de 1277 milhões de euros e que transformou este Governo no recordista de receitas extraordinárias".

Da mesma forma, ainda segundo o dirigente socialista, Pedro Passos Coelho e a maioria PSD "continuam sem esclarecer qual o motivo da "injeção de 510 milhões de euros nas empresas que gerem os ativos tóxicos do Banco Português de Negócios (BPN), quando este foi vendido por 40 milhões de euros".

* O BPN parece a gruta do Ali Bábá.... . O PS anda a fazer perguntas interessantes.


.
.


 Pete Seeger


Guantanamera


video



.
.
HOJE NO
"RECORD"

Xadrez: 
Kasparov pede nacionalidade croata

O russo Gary Kasparov, antigo campeão mundial de xadrez e conhecido crítico do presidente Vladimir Putin, requereu a nacionalidade croata, anunciou o jornal Slobodna Dalmacija, de Split, citando o Ministério do Interior desse país.

Kasparov, que visita frequentemente a zona de Makarska durante o verão, está a passar pelos habituais procedimentos legais para estrangeiros determinados pelas autoridades croatas e brevemente deverá ter o seu pedido concedido. 

De acordo com a publicação, o antigo campeão mundial também já tinha pedido a nacionalidade letã em outubro do ano passado, tendo na altura explicado que isso iria facilitar o seu trabalho contra a violação dos direitos humanos e das normas democráticas na Rússia.

Atualmente, Kasparov está em campanha para ser eleito presidente da Federação Internacional de Xadrez (FIDE), numa corrida em que o seu adversário é atual líder da federação russa, Kirsan Ilyumzhinov.

O russo, de 50 anos, tem sido uma dos maiores críticos de Vladimir Putin e já foi detido várias em manifestações contra as políticas do atual presidente russo. 

* Um homem de coragem, lutar contra o ex-chefe do KGB é obra.


.
.


 VENTANIA NO OREGON


video



.
.
 HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Partido Livre entregou mais de nove mil
. assinaturas para concorrer às Europeias

Membros do recém-formado Partido Livre entregaram, esta terça-feira, 9111 assinaturas no Tribunal Constitucional com vista à sua legalização a tempo das eleições europeias de 25 de maio e já com as "mais importantes" legislativas debaixo de olho.
"Conseguimos recolher 9111 assinaturas até este momento, o que é um esforço notável para um grupo que começou sem uma base partidária, organizacional. O Rui Tavares está a cumprir o seu dever no Parlamento Europeu, o seu dever de eurodeputado", esclareceu Ricardo Alves, um dos 15 porta-vozes da nova força política, referindo-se ao antigo militante do Bloco de Esquerda. 

O rol de assinaturas de cidadãos, para lá das 7500 exigidas por lei, será agora analisado no Palácio Ratton sem que haja um prazo específico para uma decisão final.

"Este não é um partido unipessoal. Há um grupo de contacto que é o executivo do partido e somos todos igualmente porta-vozes. A sociedade portuguesa, neste momento, é muito mais evoluída dos que os partidos que tem. Merece um partido mais democrático, mais aberto, mais atento às pessoas e que lhes dê mais voz", continuou.

Ricardo Alves mostrou-se convencido de que o Livre poderá "tirar votos à abstenção e dos outros partidos" porque "ninguém é proprietário dos votos", exceto "cada cidadão", com o objetivo de "mudar a política" e, como tal, "as legislativas são também muito importantes se não mesmo mais importantes" do que as europeias.

Segundo o porta-voz, mesmo que haja demora ou algum problema na legalização do partido, o Livre propõe-se fazer campanha já nas semanas antecedentes às eleições para o Parlamento Europeu, com debates e outras ações.

* Oxalá seja uma lufada de ar fresco



.
.


2/PINTURAS
LEGENDADAS





























.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

ACAP: Vendas de automóveis 
devem crescer 3,9% em 2014

A Associação Automóvel de Portugal prevê um crescimento de 3,9% nas vendas de automóveis ligeiros em 2014. 
A Associação Automóvel de Portugal (ACAP) prevê um crescimento de 3,9% nas vendas de automóveis em 2014, traduzindo-se assim num total de 129 mil veículos. "A previsão que fazemos para 2014 (...) é de que o mercado poderá crescer na ordem dos 3,9%", afirmou Jorge Rosa, presidente da instituição, numa conferência de imprensa em Lisboa.

"Há muitas variáveis, que têm de ser tidas em conta. A evolução económica no País e na Europa não é de somenos importância. Com os dados que a associação tem neste momento, com os 'inputs' que recebemos das marcas, o crescimento que apontamos para o ano de 2014 situa-se na ordem dos 3,9%", acrescentou o presidente da ACAP.

Esta segunda-feira, 3 de Fevereiro, foram revelados os dados relativos ao primeiro mês de 2014.

Estes números apontam para um crescimento próximo de 32% na venda de automóveis em Portugal em Janeiro

À margem da conferência de imprensa, Hélder Pedro, secretário-geral da ACAP, assinalou que "o mercado automóvel ainda não recuperou da grave recessão" de 2009 e da queda registada em 2012. "O crescimento que temos tido é comparável com o período homologo mas permanece cerca de 30% abaixo daquilo que é o volume normal de mercado para o nosso País. É esse número que importa de facto reter", destacou Hélder Pedro.

Quando questionado sobre o crescimento de Janeiro de 2014, o responsável defendeu que o facto de "indicadores como o índice de confiança das famílias e das empresas estarem a recuperar paulatinamente" ajuda a explicar esta evolução. Além disso, os sinais do consumo interno para este ano e uma evolução menos negativa da taxa de desemprego, podem ser importantes para o sector.

Durante a conferência de imprensa, os responsáveis assinalaram que o sector continua a atravessar um período negativo e que para superar esta situação é necessário que as vendas atinjam as 150 mil unidades. "Pensamos que se se mantiverem as perspectivas de recuperação da economia, [esse valor não será atingido] antes de 2016", afirmou Hélder Pedro.

Reintrodução do incentivo ao abate
O grupo de trabalho que a associação tinha em 2003 foi "reactivado". A associação participou num grupo de trabalho na Assembleia da República  onde apresentou três pontos principais: a reintrodução do incentivo ao abate de veículos no fim de vida, a criação de um grupo de trabalho para a fiscalidade automóvel no ministério das Finanças e uma linha de crédito específica para as empresas do sector.

A ACAP estima que a renovação do programa de incentivos ao abate pode permitir aos cofres do Estado uma receita de 50 milhões de euros, contando que são abatidos 15 mil veículos. Além disso, permitiria uma poupança energética de 3,2 milhões de litros de combustível por ano, o que equivale a 33.200 barris de petróleo.

* Um indicador positivo.


.
.

PENSE NOS OUTROS


video



.
.


 Cinedrones a Filmar


video



.
.
 HOJE NO
"DESTAK"

Mais de 146 mil cheques distribuídos
 no primeiro mês do ano

No primeiro mês do ano foram distribuídos cheques-dentista a mais de 146 mil utentes do Serviço Nacional de Saúde, segundo dados da Ordem dos Médicos Dentistas, que espera que as escolas sejam céleres na distribuição destes cheques aos alunos.

Segundo o bastonário Orlando Monteiro a Silva, o número de cheques-dentista distribuídos entre 1 de janeiro e os primeiros dias de fevereiro é adequado, até porque os cheques podem ser usados até ao final de outubro.

 Dos 146 mil cheques distribuídos a crianças, idosos com complemento solidário e grávidas, só foram usados pouco mais de oito mil cheques.

* Excelente notícia.


.
.


SOCHI


2014


NOVAS MODALIDADES













AUTOR: David Wong

.
.
 HOJE NO
"i"

Cientista português usa jogo de
 telemóvel e ciência cidadã para 
investigar cancro da mama

O português é investigador e professor na Universidade de Cambridge

O cientista português Carlos Caldas vai recorrer à "ciência cidadã" - pesquisa com colaboração de pessoas comuns - para o ajudar na investigação do cancro da mama, através de um jogo de telemóvel hoje lançado, anunciou a fundação Cancer Research UK.
De acordo com esta entidade britânica, que investe milhões de euros na investigação sobre o cancro, este jogo é o primeiro do género a nível mundial e vai ajudar "pessoas de todo o mundo a auxiliar os cientistas a decifrar dados genéticos" de modo a "encontrarem respostas a algumas das perguntas mais difíceis sobre o cancro".

O jogo, chamado "Play for Cure: Genes in Space" ("Jogue para Jogar: Genes no Espaço"), consiste na condução de uma nave em alta velocidade entre asteróides, com o objetivo de recolher um material chamado "Elemento Alfa".

Ao mesmo tempo, ajuda os cientistas a analisarem informação gerada por uma tecnologia chamada "microarray" de genes, que é usada para tentar identificar, nos nossos genomas, regiões anormais como as encontradas em diferentes cancros.

O espaço recriado no jogo são amostras de cancro, e o percurso da nave tem por objetivo detetar alterações genéticas, que possam contribuir para decifrar as causas do cancro e ajudar os cientistas a desenvolver melhores medicamentos.

Mais do que prevenção ou sensibilização do tema para o público jovem, Carlos Caldas considera este jogo um exemplo de "ciência cidadã", em que pessoas comuns ajudam investigadores a analisar informação importante para a ciência.

O português, investigador e professor na Universidade de Cambridge, disse à agência Lusa esperar que os resultados de outros projetos de "ciência cidadã" se repitam e contribuam para o seu trabalho sobre o cancro da mama.

Carlos Caldas já está envolvido num outro projeto de "ciência cidadã" chamado "Google Cell Slider", lançado em outubro de 2013 e que já permitiu reduzir de 18 para apenas três meses, o tempo gasto por investigadores na análise de um subconjunto de amostras de cancro da mama, ao pôr mais de 200 mil pessoas a classificar perto de dois milhões de imagens de cancro.

* Excepcional inteligência.



.
.

O SONO PESA

video



.