sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.


Gourmetices



"Hoje fui a um restaurante gourmet!"

"Ai sim e então?"
 


"O meu almoço foi camarão envolvido em molho bechamel, com pequenos apontamentos de salsa frisada australiana, em cama de massa fina banhada em pão ralado crocante e confitada em óleo vegetal ..."


"O quê ???... Mas afinal o que é que tu comeste, pá ?"


 "Comi um Rissol……."




.
.
.


O QUE NÓS



RELEMOS!





NR: As páginas deste blogue sempre estiveram abertas a todo o tipo de opinião, excluíndo a calúnia e a grosseria. Esta carta, parece-nos um misto de raiva e mágoa merecedora do nosso maior respeito, foi-nos enviada pelo Luís Arriaga, a quem agradecemos.



.

.

INCURÁVEL

 




















.
.

ATRACÇÃO

FATAL/11



















.
.
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Aumento do preço do álcool 
previne dependência

Aumentar os impostos na venda de bebidas alcoólicas é uma das medidas aprovadas que visa a diminuição do consumo e a prevenção de casos de adição.

Limitar os locais de venda do álcool no período noturno, como nas áreas de serviço, as novas regras do limite do consumo a novos encartados e o aumento dos impostos na comercialização de bebidas alcoólicas são algumas medidas apontadas pelo ministro da Saúde, Paulo Macedo, de combate ao consumo excessivo do álcool no nosso país.

As declarações de Paulo Macedo foram proferidas esta sexta-feira, na sessão de abertura da conferência do lançamento da Ação Comum para apoiar os Estados-Membros na minimização dos efeitos nocivos do álcool, que decorre em Lisboa.
"Portugal é um país produtor de vinho e de outras bebidas alcoólicas mas não nos podemos esquecer que é necessário o combate do consumo exagerado do álcool e já foram tomadas medidas que visam a prevenção", sublinhou o governante.
Segundo o ministro da Saúde, outra medida aprovada que visa o combate da adição do consumo do álcool é a proibição da venda de bebidas espirituosas a menores de 18 anos. "Uma alteração da legislação que não tinha sido feita nos últimos dez anos", referiu Paulo Macedo.
João Goulão, diretor-geral do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD), afirmou que o consumo "excessivo do álcool é responsável por um conjunto considerável de doenças e comportamentos que fazem vítimas como, por exemplo, os acidentes de viação". 
Portugal vai coordenar o projecto da Ação Comum, que envolve e mobiliza 32 entidades da União Europeia, que participarão como parceiros associados e 28 outros parceiros com o estatuto de colaboradores, que representam os 27 Estados-Membros.
Segundo uma das recomendações em análise da Ação Comum passa por aumentar a prevenção do consumo do álcool, em especial no local de trabalho, limitar a publicidade do álcool e aumentar as intervenções precoces no tratamento dos doentes.

SETOR DAS EMPRESAS DE BEBIDAS ESPIRITUOSAS REAGE
Como reacção, a Associação Nacional das Empresas de Bebidas Espirituosas manifestou-se contra a atual lei do álcool, que permite a venda de cerveja e vinhos a menores a partir dos 16 anos. A venda de bebidas espirituosas só é permitida a partir dos 18 anos.
Mário Moniz Barreto, secretário-geral da associação, afirmou ao CM que a lei faz com que haja uma “uma transferência dos hábitos de consumo das bebidas espirituosas para as cervejas e vinhos”.
“Esta lei não é eficaz porque vai contra os princípios de toda a evidência científica ao permitir o consumo de cerveja e vinhos a partir dos 16 anos”, afirmou o responsável.
De acordo com Mário Moniz Barreto, a atual lei transmite mensagens erradas aos jovens de que “há álcool para adultos e álcool para jovens”.
A associação defende a proibição da venda de bebidas alcoólicas até aos 18 anos.

* O aumento dos preços das bebidas não é solução, pode provocar tráfico de bebidas alcoólicas "marteladas" autênticos venenos para a saúde.
O consumo de bebidas alcoólicas em jovens tem de ser controlado pelas famílias, se estas se desresponsabilizam então deverá haver penalização sobre quem tem responsabilidade parental. 
Na Suiça se um jovem em idade escolar for encontrado na rua dentro do período das aulas, a polícia aborda-o e contacta a família, se houver reincidência os pais são levados a tribunal de família.
O álcool ou outra droga qualquer têm a primeira linha de combate na família.
A Associação Nacional das Empresas de Bebidas Espirituosas tem razão no que respeita à proibição de venda de álcool, nós defendemos a idade de 21.

.
.
2.RUSH

video


RUSH é um filme independente e experimental português que aborda o tema da toxicodependência, explorando também um variado leque de autores cinematográficos e literários, dedicando várias referências aos mesmos ao longo do filme.

Bia sustenta o seu vicio com a prostituição, desprezando a sua gravidez.
Samuel inutiliza a sua única vocação escolhendo um estilo de vida libertinário.
Matilde vive num mundo solitário onde o real e o irreal andam de mãos dadas.
Dina tenta resgatar-se a si mesma isolando-se das drogas.

Ao longo de 24 horas, a vida das 4 personagens mudará completamente enquanto exploram os cantos mais íntimos dos seus sentimentos e vulnerabilidades.




.
.
HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Acima da estimativa do Governo 
no Orçamento do Estado para 2014
Dívida pública termina 
ano nos 130% do PIB 

A dívida pública vai terminar o ano de 2013 perto dos 130% do Produto Interno Bruto (PIB), acima da estimativa do Governo no Orçamento do Estado para 2014, onde se esperava que não superasse os 127,8% do PIB. 



 De acordo com o discurso que secretário de Estado do Orçamento, Hélder Reis, proferiu na sua intervenção inicial na audição na comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública, a dívida pública terá ficado nos 129,4% do PIB no final de 2013. 

"Estes esforços [de consolidação orçamental], contudo, ainda não permitiram a redução da dívida pública, que se terá cifrado em cerca de 129,4% do PIB no final de 2013", afirmou Hélder Reis. 

O Governo tinha como meta no Orçamento do Estado para 2014 que a dívida pública não ultrapassasse os 127,8% do PIB no final de 2013, de modo a que reduzisse para 126,7% em 2014.

* As previsões do governo que temos.

.
.

A HISTÓRIA 


DO CAPE 


& TRADE


video



.
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Trabalhadores da RTP
têm vergonha de Alberto da Ponte

A Comissão de Trabalhadores da Rádio Televisão Portuguesa reage com desagrado às declarações do presidente da estação pública que afirmou à publicação do DN e JN que "Há gente na RTP que não faz puto" 
A Comissão de Trabalhadores da Rádio Televisão Portuguesa (RTP) emitiu, esta sexta-feira, um comunicado em reação às declarações de Alberto da Ponte, presidente da estação pública, dadas à Notícias TV, acusando que Alberto da Ponte "falta à verdade".

Em comunicado, intitulado de "Lamentável", os representantes dos trabalhadores da RTP afirmam que "Depois de dizer que a RTP precisa de sossego e de não estar permanentemente nas páginas dos jornais, encarrega-se ele próprio de o fazer, numa estratégia que apenas revela sede de protagonismo mas que utiliza uma estratégia de comunicação ultrapassada e trauliteira de muito mau gosto".

A Comissão de Trabalhadores critica ainda o discurso de Alberto da Ponte defendendo que "a um gestor de uma empresa pública tão escrutinada como a RTP é exigido um mínimo de decoro e pudor, características indispensáveis que Alberto da Ponte já deu bastas provas de nunca ter ouvido falar".
A Comissão de Trabalhadores de Rádio e Televisão afasta, porém, a tomada de posição com um pedido de demissão. "Nem sequer pedimos a demissão de Alberto da Ponte.

O presidente do CA, como qualquer ponte de alicerces frágeis, um dia vai cair. Dizemos apenas que gostaríamos de ver o Serviço Público de Rádio e Televisão servido por alguém de referência na gestão de um bem que é de todos os portugueses. Se o país quer um Serviço Público de excelência que seja referência nos órgãos de comunicação em Portugal, terá que ter gestores de excelência".

* Ponte que não une e envergonha.

.

JOÃO MARCELINO

.


Passos e Marcelo


1-Passos Coelho não estava a referir-se a Marcelo Rebelo de Sousa (MRS) na definição do perfil para o candidato do partido às próximas presidenciais, contido na moção ao próximo congresso do PSD. E Passos Coelho também não teve nada a ver com a proposta de referendo à coadoção apresentado pela JSD, a qual interrompeu, por agora, um processo legislativo iniciado pela aprovação de alguns deputados do partido.

Estes dois episódios podem ter sido uma casualidade. Provavelmente radicam numa nova atitude do PSD e do seu líder, agora mais confiantes com alguns indicadores económicos e sociais e no que eles podem representar na preparação das próximas eleições. Mas encerram um grande perigo político.
Explico.

Pedro Passos Coelho foi sempre visto até agora, por parte significativa da opinião pública, mesmo no auge da contestação às convicções com que tem guiado o Governo, como um homem capaz de olhar a direito e dizer o que pensa sem subterfúgios. Depois daquela fase inicial, em que rompeu com promessas da campanha e se desdisse em vários temas (o que infelizmente é comum em Portugal depois de se ganhar eleições), o primeiro-ministro sempre se esforçou por ser visto como um homem sem medo de assumir as suas ideias e preferências, capaz de olhar em frente e dizer o que pensa, sem subterfúgios. Em certa medida conseguiu esse objetivo.

Ora o que Passos Coelho fez esta semana foi começar a delapidar este património de frontalidade e coragem política.
Para toda a gente resultou claro que a carapuça presidencial era, pelo menos, para MRS (pode ser para mais comentadores...). E só os crentes podem acreditar que numa matéria social tão fraturante como a da coadoção, com um congresso (de reeleição) à vista, o líder e primeiro-ministro não tivesse dado o aval à ação de Hugo Soares e da JSD.

Se continuar assim, rapidamente vai ser um político "como os outros" - que, como esses outros, obviamente não desdenha exercitar a hipocrisia.
2-É óbvio que o perfil traçado na moção ao congresso pretende identificar MRS e exclui-lo da corrida presidencial (assim como parece esperar por Durão Barroso ou... Rui Rio). Outra coisa é MRS voltar-se para trás e reconhecer que aquelas palavras não só o pretendem definir como, retirando-lhe o eventual apoio do PSD, excluem liminarmente as suas ambições tantas vezes percebidas.

De uma só vez, para se colocar no centro das atenções, MRS enfiou o barrete e abdicou da vontade própria que um candidato a presidente da República deve possuir. No passado, Mário Soares, Jorge Sampaio e Cavaco Silva não deixaram de marcar o terreno perante os respetivos partidos. Primeiro avançaram. O partido definiu-se depois.

Desse ponto de vista, MRS cometeu um erro. Tantas vezes no passado exerceu a sua capacidade crítica em relação à atividade governativa e do partido para acabar nesta posição disciplinada de funcionário que espera uma bênção? Não faz sentido.

Mas também Passos Coelho pode vir a arrepender-se desta pequena vingança em relação a uma voz que tem, às vezes, sido crítica. Se, no futuro, precisar de recuperar MRS, porque mais ninguém (nem Durão) venha a querer afrontar umas eleições favoráveis à esquerda, vai ter de engolir um sapo.
Quanto a MRS, tudo é mais simples. Voltar atrás na palavra é coisa que não o atrapalha especialmente. Por ele, Cristo pode vir até cá mais uma vez...

Finalmente, nesta legislatura, Portugal cumpre um défice. Pagámo-lo todos, com os impostos. Resta saber como, no futuro, o Governo devolverá todas as contribuições especiais sem prejudicar as contas públicas. Só pode ser com crescimento económico e uma verdadeira reforma do Estado. Esse desafio falta ganhar.

Director

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
25/01/14

.
.



77.UNIÃO


EUROPEIA
















.
.
HOJE NO
"RECORD"

McNamara "conduz" Mercedes no mar

O havaiano Garrett McNamara está de volta à Nazaré e traz novidades. Depois de uns meses em casa, o surfista que detém o recorde mundial de uma onda apanhada na Praia do Norte, em novembro de 2011, vai desta vez entrar nas águas portuguesas com novas pranchas que prometem maior velocidade. E tudo pode acontecer já no domingo, em que, de acordo com as previsões, se esperam ondas gigantes.

“Mal posso esperar para ver o que a Mercedes fez com a prancha. Quando surfamos as ondas gigantes da Nazaré, vamos a grande velocidade. A prancha vai ter componentes 100% revolucionários e eu penso que todos vão ficar contentes com o resultado”, disse Garrett a Record. 

Desenvolvido pela Mercedes-Benz especialmente para o big rider havaiano, o MBoard Project consiste em quatro pranchas intituladas “The Silver Arrow of the Seas”. O projeto resulta numa parceria entre Portugal e Alemanha e contou com a colaboração do próprio surfista que se submeteu aos mais diversos testes.

* Fantástico, uma oportunidade para os nossos surfistas de topo aprenderem.

.
.

 BUGIGANGAS



.

.


 6 - CIENTISTAS E
APOCALIPSE

video


Este documentário maravilhoso apresentado há alguns anos pelo History Channel, banido de diversos provedores, possui uma pesquisa profunda para uma situação pós-catástrofe. O objetivo do vídeo não é criar pânico algum, mas levar à reflexão de situações que experimentamos sejam elas climáticas, espaciais, sísmicas entre outras. Se puder, mantenha-o nos seus arquivos.


.



.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Nanotecnologia no combate ao cancro

230 novos produtos estão a ser desenvolvidos e 49 já estão comercializados, no âmbito da investigação de combate ao cancro, na área da nanotecnologia. 

Na próxima segunda-feira, assinala-se o "Nano World Cancer Day", no âmbito do Dia Mundial de Luta Contra o Cancro, dando enfoque à investigação que procura conhecer melhor as razões que fazem dos tumores entidades eficazes, para desenvolver nano-partículas que permitam atuar especificamente sobre as células tumorais. 

Neste momento, no Instituto Ibérico de Nanotecnologia, sediado em Braga, estão em curso projetos que procuram "utilizar nano partículas acopladas a sistemas de transporte que leva fármaco, através do sistema sanguíneo, sendo libertado no local apropriado", explicou Paulo Freitas, diretor-geral adjunto do INL.

Maria José Oliveira, Investigadora do INEB (Universidade do Porto) representante da Plataforma Tecnológica Europeia para a Nanomedicina (ETP-N-European Platform of Nanomedicine), destaca a importância que está subjacente a este projeto e que "junta clínicos, investigadores e empresas, merecendo investimento que permite avançar na investigação".

Rafael Lopez, Diretor do Serviço de Medicina Oncológica, no Hospital Clínico Universitário de Santiago de Compostela assinalou aquele que era o principal problema da Europa. "As plataformas centralizadas que agora aparecem na Europa, há 30 anos que existem nos Estados unidos".

Nuno Sousa, do Instituto Português de Oncologia do Porto (IPO-Porto), lembra que o cancro é a segunda causa de morte na Europa, registando-se novas incidências, em média, de três milhões por ano. "Estamos numa fase de transição para drogas mais seletivas, poupando, dessa forma os tecidos saudáveis".

* A Nanomedicina é a esperança para muitas doenças incuráveis.



.
.


Maria João e joe zawinul


Bimoya


video




.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

UTAO: 
Receita de taxa especial sobre 
as pensões sobe quase 60%

Com CES a ser aplicada às pensões superiores a 1.000 euros brutos, Governo tirará 856 milhões de euros aos pensionistas, mais 316 milhões que em 2013.
A receita total de Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) rendeu aos cofres públicos 540,3 milhões de euros em 2013 avançou esta sexta-feira, 31 de Janeiro, a Unidade Técnica de Apoio Orçamental, revelando ainda que, para este ano, a receita prevista aumente quase 60% para os 856,4 milhões de euros.

O aumento de receita deve-se essencialmente à reformulação da CES, prevista no Orçamento Rectificativo que está em debate no Parlamento, e que prevê que esta taxa passe a abranger as pensões superiores a mil euros brutos – as quais até aos 1.350 euros sofrerão um corte de 3,5%. No ano passado a CES foi aplicada apenas a rendimentos superiores a 1.350 euros.

Os números revelados pela unidade de apoio técnico a funcionar no Parlamento vêm trazer luz sobre uma das principais medidas de consolidação orçamental para este ano sobre a qual o Governo tem até agora dado pouca informação.

Em 2013, a CES arrecadou 152,8 milhões de euros com os pensionistas da Segurança Social e 387,5 milhões de euros com os da Caixa Geral de Aposentações (CGA). Este ano, e segundo a UTAO, o Governo espera arrecadar 212,4 milhões de euros entre os beneficiários de pensões do sector privado e 644 milhões entre os do sector público, o que traduz crescimentos de 39% e 66%, respectivamente.

Hoje, no Parlamento, Agostinho Branquinho, o secretário de Estado da Segurança Social, afirmou que a nova CES afectará cerca de 200 pensionistas da Segurança Social, mas não avançou dados para a CGA.

* Um roubo 60% mais elevado!


.
.

6 ANOS

video



.
.
HOJE NO
"DESTAK"

Teatro das Comédias do Minho chega a
. quase um quarto da população da região 

 O grupo de teatro Comédias do Minho vai dedicar a programação de 2014 à região do Vale do Minho, onde quase um quarto da população passou a ter acesso a ofertas culturais após dez anos de atividade regular. 


Aquela associação cultural foi criada em julho de 2003, nos municípios de Paredes de Coura, Monção, Melgaço, Valença e Vila Nova de Cerveira e, de acordo com o diretor artístico, entre os projetos âncora de 2014 conta-se a realização de espetáculos de teatro, musica e dança nos espaços culturais de cada concelho. 

No entanto, explicou hoje à Lusa João Pedro Vaz, o primeiro projeto da companhia até será a realização do filme "555", retratando cinco histórias passadas nos cincos municípios, protagonizadas por cinco atores da Comédias do Minho. 

* Um exemplo.


.
.


2.TORRES




FANTÁSTICAS


  Logistic City
 by JDS Architects

Deve um prédio com 1000 metros de altura ser considerado uma torre ou uma cidade?


Babel,Metropolis, Blade runner, o 5º elemento...
O futuro deve ser vertical.
Maior, mais alto... o tamanho importa.
No mundo da arquitectura o termo cidade vertical é um cliché. Nós todos (arquitectos, realizadores, cartonistas, escritores...)  tivemos um dia  este desejo de criar um urbanismo vertical.

Não há muito tempo foi-nos proposto, na JDS,  fazermos uma parte da cidade em Shenzhen, China.
Shenzhen é uma zona fabril, equivalente a Hong Kong, situada no continente. Éum centro urbano com uma quantidade impressionante de fábricas.

Devido à construção de uma ponte a ligá-la a Hong Kong este cenário em breve vai mudar. As empresas de Hong Kong vão-se mudar para o continente, onde os terrenos são muito mais baratos, e construir as suas sedes.

Devido a estas condições foi-nos encomendado o projecto de um novo quarteirão em  Shenzhen.
Tinha de ter  2,5 mil metros quadrados
Ter 666 metros de altura e/ou 888 metros de altura
De facto ter 1111 metros de altura
De ser retorcido
Feng Shui

Estes termos e condições são muito abstratros, para ocidentais, imbuídos de ciência, como são os nossos arquitectos. Mas o que importava era o tamanho, tinha de ser enorme! E é!


A CIDADE INTERNATIONAL
NOS ÚLTIMOS 30 ANOS, SHENZHEN FOI DE UMA ALDEIA PISCATÓRIA E DE FRONTEIRA A UM CENTRO INTERNACIONAL DE NEGÓCIOS E CIDADE METROPOLITANA DE 13 MILHÕES DE HABITANTES. DEPENDENDO DA LOGISTICA E DO MERCADO DE HONG KONG,  SHENZHEN TEM O PORTO MAIS INTERNACIONAL DA CHINA E OCUPA O 4º LUGAR NA TABELA DOS PORTOS MAIS MOVIMENTADOS DO MUNDO.

De1986 a 1996 a região de Shenzhen mudou de uma paisagem de montanhas e florestas para a de uma cidade! O cimento tomou o lugar de tudo, não subsistiu nenhuma natureza. 
Pareceu-nos então óbvio que esta aventura vertical fosse acerca da reintrodução do mais icónico elemento natural chinês: a montanha.  


.
.
HOJE NO
"i"

Ainda há amianto nas escolas, intervenções prioritárias atrasadas

As coberturas em fibrocimento que contêm amianto devem ser removidas sempre que o material não está em bom estado, uma vez que o amianto é um material cancerígeno, proibido desde 2005

Ainda há escolas com telhados com amianto, apesar de integrarem uma lista prioritária do Ministério da Educação que, no ano passado, prometeu substituir as coberturas de fibrocimento por conterem aquela substância cancerígena. 

COBERTURA DE AMIANTO
Em março do ano passado, o Ministério da Educação e Ciência (MEC) anunciou um programa de remoção de placas de fibrocimento, tendo apresentado uma lista de 52 escolas prioritárias. 

Na altura, a intenção do MEC era ter as intervenções nestas escolas prioritárias concluídas até final das féras de verão. 

A Lusa contactou alguns desses estabelecimentos e encontrou situações diversas, desde casos de substituições integrais dos telhados até histórias de diretores que ainda aguardam o arranque das obras. 

A Escola Básica e Secundária Professor Mendes dos Remédios, no Alentejo, pertence ao grupo dos estabelecimentos onde ainda não aconteceu nada: “Fazemos parte da lista apresentada pelo ministério, mas não fomos alvo de nenhuma intervenção. Nunca ninguém nos veio visitar”, contou à Lusa Teresa Mendes, sub-directora da escola frequentada por alunos do 5.º ao 12.º ano.
Também no Alentejo, a Básica Bernardim Ribeiro não teve ainda qualquer intervenção. Segundo a Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap), este estabelecimento em Évora está "todo coberto de amianto". 

À Lusa, a Confap apontou ainda a Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes, em Portimão, e a Escola Secundária Damião de Góis, em Alenquer, como outros dois exemplos sem obras, apesar de constarem da lista. 

As coberturas em fibrocimento que contêm amianto devem ser removidas sempre que o material não está em bom estado, uma vez que o amianto é um material cancerígeno, proibido desde 2005. 

O vice-presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), Filinto Lima, disse à Lusa que fez uma ronda pela lista do MEC e encontrou um “pouco de tudo”: “Vi escolas que não tiveram qualquer intervenção. Vi escolas que foram parcialmente intervencionadas e escolas onde foi tudo substituído”, contou à Lusa. 

Entre os estabelecimentos com obras já realizadas, surge a Escola Básica 2/3 Gonçalo Nunes, em Barcelos, que é atualmente frequentada por 750 alunos, do 5.º ao 9.º ano. 

"Foram feitas intervenções parciais nos passadiços de acesso aos pavilhões, mas o pavilhão gimnodesportivo, por exemplo, ainda tem os telhados de amianto", contou à Lusa Cassiano Silva, adjunto do diretor do estabelecimento de ensino. 

Também existem escolas com o problema resolvido, como a Escola Secundária com 3º ciclo Adolfo Portela, em Águeda, ou o Agrupamento da Batalha. 

Além dos 52 casos urgentes do MEC, Filinto Lima lembrou todos os outros estabelecimentos que ainda têm estruturas de fibrocimento. A escola qur dirige, por exemplo, foi uma das intervencionadas, “mas ficou metade por fazer”. 

Segundo o responsável da ANDAEP, o orçamento disponibilizado pelo MEC (27 mil euros) não era suficiente para substituir todas as telhas e, por isso, foram mudadas apenas as mais degradadas: "Agora temos zonas com telhados novos e zonas que ainda têm placas de fibrocimento. Optámos por mudar as que estavam mais velhas”, explicou, garantindo que esta situação "mista se repete em muitos outros sítios". 

Além das escolas a cargo do MEC, existem ainda os estabelecimentos de ensino do 1.º ciclo da responsabilidade das autarquias. 

Só na Maia, por exemplo, Filinto Lima diz que a câmara municipal já se comprometeu a acabar com os telhados de fibrocimento das cerca de 100 escolas até ao final do ano letivo. 

Até lá, as associações de pais vão tentando chamar a atenção dos governantes. O presidente da Federação Regional das Associações de Pais de Viseu (Frapviseu), Rui Martins, alertou para o caso da escola primária da Ribeira, que “tem mais de 400 alunos e telhados de fibrocimento, apesar de andar há vários anos a pedir obras". 

A Lusa contactou o MEC para saber qual o ponto de situação das 52 escolas prioritárias, mas até ao momento não obteve resposta. 

* Dizem as más línguas  que os neurónios do sr ministro estão revestidos com amianto, que adquiriu enquanto estudante, nas escolas por onde passou, por isso está renitente em retirar o amianto das coberturas.



.
.

AVÓ RADICAL


video



.
.

HOJE NO
"A BOLA"

«Não somos favoritos à vitória em
. nenhuma competição» - Mourinho

José Mourinho considera que o Chelsea não é favorito em nenhuma das competições que disputa esta época mas deixa o aviso: na próxima temporada tudo será diferente.
«Não somos favoritos à vitória em nenhuma competição. Mas o discurso vai mudar completamente na próxima temporada, e não apenas o discurso. Na próxima pré-temporada, no primeiro dia, eu direi que somos candidatos a ganhar a Premier League. Nesta temporada, não digo isso. Não é o que sentimos ou não é para isso que estamos a trabalhar», afirmou o treinador português em conferência de imprensa.

Na próxima segunda-feira, o Chelsea joga no terreno do Manchester City para a Premier League. Mourinho diz que os blues não são candidatos, quer ganhem, quer percam. 

* Um homem, claro.


.