sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

O Joãozinho contra-ataca


O professor pergunta ao Joãozinho :
- Qual vai ser a sua profissão Joãozinho ?
- Vou ser Engenheiro !
- E o que é que um Engenheiro faz ?
- Bebe cerveja, anda de moto e come gajas ...
- Joãozinho ! Vais imediatamente ao Director !

Depois de uma conversa dura com o Director, o Joãozinho vai para casa e a mãe pergunta :

- Porque é que chegaste mais cedo, meu querido ?
- Porque na aula eu disse que vou ser Engenheiro ...
- E então, o que é que um Engenheiro faz de mal ?
- É... o professor perguntou-me a mesma coisa e eu respondi que bebe cerveja, anda de moto e come a mulherada ...
- Joãozinho, seu malcriadão ! Já para o quarto de castigo !
O Joãozinho fica de castigo, pensa, pensa e volta para falar com a mãe.
- Mãe ... então, acho que vou ser Engenheiro Júnior !
- E então, o que é que um Engenheiro júnior faz ?
- Bebe sumol, anda de bicicleta e masturba-se ...




.
.


 O QUE NÓS



REPUDIAMOS!

 


QUANDO A INTELIGÊNCIA SE TORNA
IMBECIL E SENIL


.

.
.

 EXPLICA AÍ!!!





.
 .
PRECALÇOS SEM  
IMPORTÂNCIA 


 JULIANNE MOORE


 MIRANDA KERR

 JENNIFER LAWRENCE

 EVA LONGORIA

 IGGY AZALEA


 ROSIE HUNTINGTON


 GEMMA CHAN

 MILLIE MACKINTOSH


 ZOE SALDANA

 SARA JESSICA PARKER


 AMBER ROSE



.

.

HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Exportadoras têm reembolso
 de IVA em oito dias

Certificado de exportação electrónico reduziu o prazo de reembolso em 34 dias.

Em 2013, mais de 22.500 empresas exportadoras viram reduzido o prazo de reembolso de IVA em 34 dias. Um reembolso mais célere que deu uma ajuda na tesouraria de milhares de empresas após a entrada em vigor no início do ano passado do novo regime simplificado de prova de exportação.


 É o chamado ‘simplex das exportações‘ que inaugurou a emissão electrónica dos certificados comprovativos destas operações, antes emitidos manualmente. A desmaterialização levou à redução do prazo médio de emissão de 42 para oito dias. 

* Um mecanismo simplificado que benificia as empresas mas por favor tirem o nome de "simplex" estamos fartos de "socratex".


.
.
SHe



.
.
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Ministério pede mais tempo para 
vincular professores contratados

Comissão Europeia dá mais dois meses à tutela.

O  Ministério da Educação pediu à Comissão Europeia mais tempo, para dar resposta à intimação de vincular todos os professores contratados com pelo menos três anos de contrato.


O prazo dado pelas instância europeias terminava na próxima semana, mas foi prolongado por mais dois meses. A Comissão Europeia já está, inclusive, a preparar a queixa para entregar no Tribunal de Justiça da União Europeia.
A Associação Nacional dos Professores Contratados foi contatada pela comissão, para fornecer dados relativos ao recurso do Ministério da Educação aos docentes contratados para suprir as necessidades do sistema. 
Segundo as expectativas da associação são cerca de 11 mil professores que têm de ser vinculados aos quadros. 

* Nunca vimos um ministro da Educação tão empenhado em destruir o ensino público, já recuou nos cheque ensino e agora leva bordoada da Comissão Europeia, talvez ganhe vergonha.


.
.


A HISTÓRIA DA 


FALÊNCIA







.
.
ONTEM NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"


PSP do Porto não parou nos ultimos dois anos 
Mais de 50 pessoas detidas
 por furto de cobre 

 Um juiz de Instrução Criminal decretou prisão preventiva a um suspeito do furto de cobre, o 53º que a PSP do Porto deteve desde 2012 no âmbito do combate a este tipo de crime, disse hoje fonte policial. 

“Nos últimos dois anos, a equipa especial de combate ao furto de cobre do Porto desmantelou cerca de uma dezena de grupos que atuavam já a um nível empresarial, com um certo grau de organização e requinte”, explicou Fernando Silva, comissário da Divisão de Investigação Criminal (DIC) da PSP do Porto. Neste balanço, a PSP do Porto indica a detenção de 53 pessoas, a constituição de 146 arguidos, a prisão preventiva de 19 pessoas e a apreensão de mais de 30 mil quilos de cobre “proveniente, em grande parte, de furtos das redes de distribuição de energia elétrica e infraestruturas de telecomunicações”.


 As detenções ocorreram pela suspeita do crime de “furto e recetação de cobre”, subtraído “de infraestruturas de distribuição de energia ou de telecomunicações, de painéis informativos” de estradas e de “edifícios e armazéns”, informa a PSP, em comunicado. Os delitos foram praticados não só no distrito do Porto, mas também nos de Viana do Castelo, Braga, Bragança, Vila Real, Aveiro, Viseu, Guarda, Coimbra e Leiria. O indivíduo agora detido e preso preventivamente, depois de ter sido presente ao Tribunal de Instrução Criminal do Porto, é um desempregado residente naquela cidade que desde setembro de 2012 estava “referenciado” pela PSP “pela prática de diversos crimes de furto de metais não ferrosos, nomeadamente de cobre”, indica a polícia. 

As operações de combate a este tipo de crime, que decorrem sob a direção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto, foram levadas a cabo pela equipa especial de combate ao crime de cobre criada pela DIC da PSP do Porto em março de 2012. Desde essa altura, foram fiscalizadas 22 sucatas, três das quais encerradas, e apreendidos 14 automóveis e 12 armas de fogo. De acordo com a PSP do Porto, quatro pessoas ficaram obrigadas a “permanência na habitação” e 21 a “apresentações periódicas junto das autoridades”. 

A equipa da DIC da PSP do Porto “tem contado com a colaboração de inspetores da Autoridade Tributária e da Brigada de Proteção Ambiental da PSP”, que já aplicou “mais de 800 mil euros em coimas” no âmbito destas diligências. 

* Dêem condições às forças de segurança e de investigação que o crime passa a compensar menos.



.

BAPTISTA BASTOS

.



Uma voz clara contra 
os embustes que circulam


Há quem diga por aí que a troika vai embora dentro de pouco tempo, parece que em Maio. Claro que a afirmação não passa de uma tosca fraude política.

Há quem diga por aí que a troika vai embora dentro de pouco tempo, parece que em Maio. Claro que a afirmação não passa de uma tosca fraude política. A tutela económico-financeira faz parte do todo ideológico com que a Direita europeia (leia-se Alemanha) tende a estender os seus tentáculos. Vai embora, estando, através dos meios, dos mecanismos e dos sicários que vão mantendo a situação. Aliás, o próprio primeiro-ministro já advertiu que as "dificuldades vão continuar" e que a austeridade é um processo longo. As "incongruências problemáticas", a frase imortal do jurista Pedro Lomba, constituem uma endemia nascida dessa incompatibilidade total entre o espírito de missão e o aventureirismo político, de que o próprio jurista Lomba é exemplo liminar. A recente "remodelação" governamental, além de ser uma farsa chilra, é a continuação do jardim-de-infância em que o poder se foi transformando. A manifesta falta de experiência de vida, a ausência de cultura democrática, a carência de leituras e o afastamento da reflexão em favor do tró-la-ró, espelham-se nas próprias frases descosidas e titubeantes dos escolhidos. Repete-se a evidência de que as "jotas" têm sido um manancial de ociosos espevitados que vai "formar" o grosso dos sucessivos governos.

O ano não promete nada de bom. E Paulo Portas, esfuziante de injustificado regozijo, garante que estamos no melhor dos mundos, amparando a aldrabice que Passos Coelho propaga, e a que, inevitavelmente, será chamado a responder. Detesto escrever sobre o mal, a arteirice, a incompetência e o oportunismo. Mas eles aí estão e são as evidências do nosso infortúnio. Lamento é que a esmagadora maioria dos preopinantes na Imprensa, nas rádios e nas televisões vivam de um precaucionismo colaborante, que os encharca de nojo e de vilipêndio. As técnicas de sedução pelo dinheiro e pelo favor têm resultado, lamentavelmente. E é com desolação que assisto às quebras de compromisso moral, com que jornalistas, comentadores e afins soçobram, a troco do estipêndio ou de uma falaciosa por efémera "consideração" do poder.

Mas nem tudo está definitivamente perdido. De vez em quando lá surge uma voz esparsa a contestar as mentiras com que esta gentalha enreda o País. Ainda na quarta-feira, no programa Opinião Pública, da SIC Notícias, o filósofo José Gil, reprovou, com serena veemência, o Executivo e as políticas que têm levado o País ao descalabro. José Gil é um dos mais respeitados intelectuais portugueses, indicado como um dos maiores filósofos europeus e uma das pessoas que não se desvia das responsabilidades inerentes à proeminência do seu estatuto. Ouviu, com manifesta atenção, o que os teleouvintes diziam e, seguidamente, com extrema clareza e um domínio absoluto do pensamento, esclarecia e comentava as opiniões, não deixando nunca de as conectar com a realidade presente. Um grande momento de televisão, sobretudo devido a um intelectual que nunca foi atrás do canto das sereias. Pena é que José Gil não seja mais vezes chamado a participar nos debates sobre o País. José Gil resgata, com grandeza e extrema imperturbabilidade, o silêncio onde a cultura portuguesa se tem resguardado, com cautela a cobardia. Há semanas, na TVI, num programa de Paulo Magalhães, ele foi o desassombro que desassossegou a mansa quietude dos conformados e resignados. Ouvi-o, agora e de novo, com Marta Atalaya, na SIC Notícias, foi um regalo de inteligência e de pedagogia. A antagonizar-se com os peralvilhas habituais que nada dizem, mas dizem-no com a soberba de quem sabe estar no púlpito. Gil arriscou a opinião e, ao fazê-lo, formou opiniões, facto cada vez mais raro nos meios de comunicação portugueses. Uma voz clara e firme contra os embustes e as omissões que por aí circulam.


IN "JORNAL DE NEGÓCIOS"
10/01/14

.

.
.



63.UNIÃO



EUROPEIA

















.
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Centros de saúde abertos
 até às 22:00 durante a gripe 

O horário dos centros de saúde vai ser alargado até às 22 horas, enquanto durar o surto de gripe, "onde tal se revelar necessário e possível", anunciou hoje o ministro da Saúde, Paulo Macedo. 

Paulo Macedo, que hoje à tarde terá um encontro com as administrações regionais de saúde (ARS), disse à Lusa que vai avaliar a medida, que visa descongestionar as urgências hospitalares que visitou durante a manhã.
ATÉ QUE É BONITO

"Na reunião com as administrações regionais de saúde vamos avaliar em conjunto a possibilidade de os centros de saúde, quando necessário e possível, durante o período de surto de gripe, alargarem os horários", disse.

Paulo Macedo, que falava à Lusa no final de uma visita de surpresa à urgência do Hospital de Aveiro, justificou que "há muitos casos que não são graves e que vêm para a urgência e que os centros de saúde podem tratar adequadamente".

De acordo com o ministro, a hipótese que está a ser equacionada com as ARS é do alargamento temporário até às 22 horas, até ao final de fevereiro, período que pode ser prolongado se o surto de gripe persistir.
"Iremos ver as áreas em que isso é possível para este surto de gripe, que ainda está no seu início, mas que queremos precaver", explicitou, admitindo que a medida não se venha a aplicar a todos os centros de saúde do país.

Outro dos temas a discutir com as administrações regionais de saúde é a verificação das condições que a Lei impõe aos lares de idosos, no que respeita a cuidados médicos e de enfermagem.

"Vamos também analisar a questão da afluência de idosos às urgências, provenientes de lares, com pouco acompanhamento. Vamos analisar se está a ser cumprido o que é exigido, quanto aos cuidados médicos e de enfermagem", adiantou.

* Por acaso vacinou-se ou é campeão???

.
.

GENÉTICAMENTE









.
.
4 - CIENTISTAS E
APOCALIPSE



Este documentário maravilhoso apresentado há alguns anos pelo History Channel, banido de diversos provedores, possui uma pesquisa profunda para uma situação pós-catástrofe. O objetivo do vídeo não é criar pânico algum, mas levar à reflexão de situações que experimentamos sejam elas climáticas, espaciais, sísmicas entre outras. Se puder, mantenha-o nos seus arquivos.



.
.

HOJE NO
"RECORD"

McLaren novo falha testes de colisão

O McLaren MP4-28 não terá passado em alguns dos testes de colisão que são exigidos pela FIA, segundo notícias desta sexta-feira na comunciação social britânica.


A confirmar-se esta informação, a escuderia de Woking poderá retirar-se dos primeiros testes da temporada, em jerez de la Frontera (Espanha).

As notícias surgem depois da McLaren ter anunciado que Ron Dennis volta ao cargo de CEO que tinha deixado nas mãos de Martin Whitmarsh em 2012.

* É um problema que se resolve.


.
.


Perpetuum Jazzile



Africa





.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

EUA vão continuar a espiar, 
mas de forma "controlada"

O presidente norte-americano, Barack Obama, prometeu, esta sexta-feira, que os serviços de informações não irão espiar, de forma rotineira, as comunicações dos líderes dos países aliados dos Estados Unidos. 

"Fui muito claro para os serviços de informação: a menos que a nossa segurança nacional esteja em jogo, não iremos espiar as comunicações dos líderes dos países aliados mais próximos e nossos amigos", disse Obama, durante um discurso sobre a reforma das operações de vigilância governamentais.

"Também pedi à equipa de segurança nacional, bem como aos serviços de informações, para trabalharem com os nossos parceiros estrangeiros para reforçar a nossa coordenação e a nossa cooperação de forma a reconstruir a confiança", acrescentou o chefe de Estado norte-americano.

Barack Obama frisou, no entanto, que os serviços de informações norte-americanos irão continuar a "reunir informações sobre as intenções dos governos do mundo", tal como fazem todos os outros países.
"Não vamos pedir desculpas só porque os nossos serviços são, talvez, mais eficazes", referiu o líder norte-americano.

"Mas, os chefes de Estado e de Governo com quem trabalhamos em estreita colaboração (...) devem acreditar no facto que iremos tratá-los como verdadeiros parceiros", reforçou Obama.

As revelações sobre as escutas realizadas pela Agência Nacional de Segurança (NSA) norte-americana a líderes estrangeiros, tornadas públicas através de documentos divulgados pelo antigo consultor informático norte-americano Edward Snowden, provocaram tensões nas relações entre os Estados Unidos e alguns dos seus principais aliados, com destaque para a Alemanha, e embaraçaram a administração norte-americana.

* Quando se estiver no WC já não se é espiado, a não ser que o papel higiénico tenha informação encriptada. 
 Estão a chamar-nos parvos com todas as letras.

.
.

Cheerleaders dos


Dallas Cowboys



Hula Hoop





.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

E os grandes vencedores da nova lei comercial são… os advogados

Novo diploma que legisla sobre práticas individuais restritivas do comércio, que entra em vigor em Fevereiro, deixa muita margem para interpretações jurídicas. E impugnações.
.
Na aplicação da nova legislação que regulamentará as relações comerciais entre produção e distribuição, o designado PIRC – diploma sobre Práticas Individuais Restritivas do Comércio – vai haver dois vencedores, defendeu hoje Miguel Sousa Ferro, durante uma conferência promovida pela Centromarca.

O académico e jurista, especialista em lei da concorrência, defendeu esta sexta-feira, perante a audiência do evento da associação portuguesa de empresas de produtos de marca, que há dois grandes vencedores da nova legislação: “as empresas estrangeiras a operar em Portugal e os advogados”.

E explicou porquê. Primeiro pelo “âmbito da aplicação” da legislação, porque, na opinião de Miguel Ferro, no novo diploma “estou a discriminar negativamente as empresas com sede em Portugal”. O âmbito da lei remete desde logo para a aplicabilidade da lei “às empresas estabelecidas em território nacional”. Depois, continuou, porque a aplicação da lei é extra-territorial, deixando espaço para que se aplique portanto a empresas nacionais na sua actividade fora de País.

A constitucionalidade colocou-se no quarto ponto da apresentação do professor da faculdade de Direito de Lisboa, que assumiu desde logo ter feito uma leitura “académica” do diploma durante vários dias. É que recordou, as coimas agora previstas no novo diploma do PIRC permitem que a mais alta coima praticada seja 600 vezes mais elevada do que a mais baixa. Ora, o Tribunal Constitucional já se pronunciou no passado que uma diferença de 500 vezes “viola o princípio da legalidade”, afirmou.

O quinto problema detectado pelo especialista em Concorrência durante os “três a quatro dias” em que se debruçou sobre o novo diploma, disse, decorre do facto da designação de “agente económico” ser “substituída por empresa”, o que na prática afirma, defendeu Miguel Ferro, que “não está proibida a venda com prejuízo a uma cooperativa”, por exemplo.

“O grande desafiado”, afirmou assim Miguel Ferro, “é a ASAE” [Autoridade de Segurança Alimentar e Económica], entidade que passa a associar à sua actividade de investigador a de instrutora única do processo (por oposição ao actual diploma, em que a Autoridade da Concorrência é que fica com a responsabilidade de instrução). O jurista considera que, ao reforçar competências, a ASAE “vai ter de ser uma especialista em Direito da Concorrência”.

Também por esse facto, de passar a caber só a ASAE competências que até agora – e na lei actualmente em vigor – eram divididas com a AdC, poderá ocorrer o “concurso efectivo” entre este diploma e a lei da concorrência que se mantêm e que regulamenta o mercado interno. Na prática, caso a leitura resulte em sobreposição, os operadores poderão sofrer “coimas astronómicas”, ressalvou.

Miguel Ferro enumerou ainda várias dúvidas, que a sua leitura do diploma não desfez: “o legislador manda cessar a validade dos contratos findo um ano” de vigência? “O que é que está abrangido pelo segredo comercial” quando se fala em negociação entre as partes?

Só no artigo artigo 5.º, relativo à “venda com prejuízo”, “vamos ter muitas teses de mestrado e doutoramento”, defendeu Miguel Ferro. Como, exemplificou, “vamos calcular o preço de venda” quando a definição exige que este seja líquido dos pagamentos ou descontos que se relacionem directa e exclusivamente com a transacção dos produtos em causa”?

Ainda sobre o mesmo artigo, Miguel Ferro assumiu: “não consegui perceber como é que se consegue aplicar de forma útil” o clausulado sobre os descontos com cartão. “Não sei o que o legislador queria dizer, mas sei que não disse o que queria dizer”, ironizou.

Finalmente, na enumeração das suas dúvidas de interpretação do novo diploma alertou a plateia, público na sua essência representativo do lado da produção agro-alimentar, que “uma empresa pode ter que pagar uma contra-ordenação por um erro numa factura de um fornecedor”.

Manhã de debate passada, a conclusão de Miguel Ferro foi clara: “não devíamos ter um labirinto [jurídico] deste”.

“No labirinto jurídico” poderá haver um terceiro vencedor

“Não sei se serão apenas dois, os grupos vencedores do diploma”, contra-argumentou Gonçalo Anastácio, advogado da SRS Advogados. “Mesmo no seio da grande distribuição”, defendeu, “pode haver algum equilíbrio” entre quem terá mais ou menos possibilidade de suportar vendas com prejuízo.

Sobre a constitucionalidade das coimas, ao contrário de Miguel Ferro, Gonçalo Anastácio não vê que esta seja “uma questão”. Se fosse inconstitucional o que está agora espelhado na nova lei, então também o seriam as coimas aplicadas até hoje pela AdC, que exigem o pagamento de 10% do volume de negócios dos operadores infractores.


Na divisão de tarefas entre ASAE e AdC, foi o próprio inspector-geral da Autoridade que levantou outra questão, de eventual sobreposição. Não de coimas, como questionou Miguel Ferro, mas de quem julga o quê. É que antes os visados pelas coimas, quando em processos instruídos pela AdC, recorriam para o Tribunal da Concorrência. Agora a impugnação irá para tribunal comum – o que levanta dúvidas sobre jurisdições distintas.

Ainda assim, Pedro Portugal Gaspar está preparado para que a Autoridade irá ser “inundada por impugnações” com o novo diploma. O inspector-geral da ASAE afirmou contudo que a organização que lidera e a AdC estão a “trabalhar intensamente na transferência de processos”.

Gonçalo Anastácio, que reconheceu que “tem trabalhado como advogado do lado da produção”, está contudo convicto que “este diploma em concreto terá uma série de questões jurídicas para derimir”, defendendo que “a auto-regulação seria conveniente para evitar excesso de litigância”.

Mais consensual é Eduardo Diniz, director do Gabinete de Planeamento e Políticas do Ministério da Agricultura: ainda que a litigância aumente, é melhor do que ter uma legislação que tem mais de 20 anos a vigorar, como a actual. Para já, defendeu, “está toda a gente mais atenta” às relações entre distribuição e produção.

A própria lei que vigora sobre as PIRC, que entrará em vigor a 25 de Fevereiro próximo, prevê uma avaliação intercalar da aplicação do diploma dois anos após a sua entrada em vigor.

* Os pequenos fornecedores continuam bem lixados e advogados a esfregar as mãos com boas prespectivas de negócio, as omissões da lei são um imenso pantanal. 
Este parlamento não dignifica a política.


.
.



 6.BEM NO TOPO



Casa de Pernas para o Ar no topo da sede do Edifício Strabag  (Slovakia)

A sede da Strabag, em Bratislava, é um edifício que utiliza o calor e o frio geotermal e está cheio de arte, na fachada o artista Erwin Wurn colocou o seu trabalho 'House Attack' que consiste numa casa de pernas para o ar



A sede da sociedade Strabag, em Bratislava foi desenhada pela firma Vienense MHM Architecs, que tentou reflectir o trabalho da sociedade de construção, assim como o seu interesse nas artes. 
De facto o edifício exibe a extensa colecção de arte da sociedade, com obras de artistas consagrados. Sendo o  mais notável o de ErwingWurm "House Attak".


De facto o edifício exibe a extensa colecção de arte da sociedade, com obras de artistas consagrados. Sendo o  mais notável o de ErwingWurm "House Attak".




.
.
HOJE NO
"DESTAK"


António Mosquito torna-se dono de 
66,7% da Soares da Costa a 12 de fevereiro

A conclusão da venda ao empresário angolano António Mosquito de 66,7% do capital da Soares da Costa Construção será feita a 12 de fevereiro, anunciou hoje a construtora. 


Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Soares da Costa informa que, "por acordo estabelecido com o investidor, foi designado o dia 12 de fevereiro de 2014 para a conclusão da operação comunicada ao mercado em 13 de agosto de 2013 e 26 de novembro de 2013", data em que será aferido "o cumprimento das declarações e garantias constantes dos acordos celebrados entre as partes". 

A 13 de agosto, a Soares da Costa informou que tinha chegado a acordo com António Mosquito para um aumento de capital na Soares da Costa Construção, no valor de 70 milhões de euros, a subscrever e realizar integralmente em dinheiro pelo empresário.

* Ficava melhor se se chamasse António Vampiro.

.
.
Um dia na vida duma rede de apanhar caranguejos






.
.

HOJE NO
"i"

Teresa Leal Coelho demite-se 
da direcção da bancada do PSD 

A deputada esteve no debate quinzenal, mas ausentou-se no momento da votação do referendo

Na sequência da votação do referendo à coadopção e à adopção por casais do mesmo sexo, Teresa Leal Coelho demitiu-se da direcção da bancada social-democrata. Além de ser vice-presidente do grupo parlamentar, Teresa Leal Coelho é ainda vice-presidente do partido, mas a demissão é apenas da bancada. Pelo menos para já. 


A decisão da deputada foi confirmada pelo líder da bancada parlamentar, Luís Montenegro, numa declaração aos jornalistas. Montenegro diz que "respeita" a decisão da deputada. "A senhora deputada teve a ocasião de me transmitir que não iria participar nesta votação. Como sabemos ela tinha uma posição contrária à decisão do grupo parlamentar e apresentou o seu pedido de demissão da direcção do grupo parlamentar", confirmou Montenegro. O presidente do grupo de deputados sociais-democratas, disse ainda: "Não desejava que isso acontecesse, mas respeito essa decisão porque ela revela a lealdade com que exerceu essas funções". 

A deputada esteve no debate quinzenal, mas ausentou-se no momento da votação do referendo. No projecto do PS para legislar a coadopção, Teresa Leal Coelho foi dos deputados que votou a favor. 

* Coerência


.
.


 INVOLUÇÃO


HUMANA

























.
.
HOJE NO

"A BOLA"

Slater conquista prémio 
«onda do inverno»

O norte-americano Kelly Slater venceu o prémio para a melhor onda do inverno para o mês de dezembro, após ter assinado um impressionante tubo em Pipeline.

«Foi realmente uma onda incrível. Provavelmente uma das melhores ondas que apanhei ali. Estava no sítio certo, fui um pouco lento no “drop”, mas consegui ganhar velocidade. Ainda assim, pensava que ia cair e estava pronto para saltar», afirmou Slater.

O ícone do surf mundial recebeu ainda um prémio de mil dólares por ter conquistado mais um troféu.

* Classe.


.
.
 PATINANDO ARTISTICAMENTE





.
.

HOJE NO
"AÇORIANO ORIENTAL"

Transplantes de órgãos aumentam
 entre janeiro e novembro de 2013

Entre janeiro e novembro de 2013 houve 684 transplantes de órgãos em Portugal, mais 50 do que no mesmo período do ano anterior, com os transplantes cardíacos e hepáticos a aumentarem a níveis superiores a 2011.
 
Segundo o resumo da atividade de colheita e transplantação até final de novembro do ano passado, registaram-se mais dadores, mais órgãos colhidos e mais transplantes do que em igual período de 2012.


Comparados os onzes meses de cada um dos anos, registou-se em 2013 um aumento de 24 dadores e um crescimento de 52 órgãos colhidos, num total de 763.

De acordo com o último relatório do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST), o aumento do número de transplantes cardíacos e hepáticos permitiu superar os níveis de 2011.

Ao nível cardíaco foram feitos 47 transplantes até fim de novembro de 2013, bem acima dos 28 registados no mesmo período de 2012.

Já no que se refere aos transplantes hepáticos, alcançaram os 209, quando em 2012 se tinham ficado pelos 174.

Os transplantes do pâncreas e do pulmão recuperaram para níveis semelhantes aos de 2011, enquanto os transplantes renais continuam a diminuir.

Em dezembro de 2012, o secretário de Estado Adjunto do ministro da Saúde tinha criado um grupo de trabalho para avaliar as possíveis causas para a diminuição de transplantes de órgãos em Portugal e propor medidas que alterassem a situação.

A falta de transparência e as desigualdades na atribuição de incentivos financeiros à colheita de órgãos e transplantação foi um dos motivos apontados, com o grupo de trabalho a concluir que Portugal estava “globalmente aquém da capacidade de utilização de possíveis dadores, existindo assimetrias regionais significativas”.

Em 2009, Portugal tinha atingido valores máximos ao nível dos transplantes, com um total de 928 realizados. Foi a partir de 2010 que se assistiu a um decréscimo do número de dadores e sobretudo de transplantes efetuados.

*Para os transplantados significa ressurreição.


.
.
VIDA DE FÊMEA EM 3 FOTOS




SOLTEIRA



CASADA



DIVORCIADA


,