sábado, 4 de janeiro de 2014

UMA GRAÇA PARA O FIM DO ANO

.

.


 O QUE NÓS


APRENDEMOS!







Este é um excelente trabalho da equipa redactorial do "JORNAL DE NEGÓCIOS", absolutamente imperdível.



.
.


6.PROTEJA-SE


EM TODA A PARTE PODE ACONTECER
 .
.
.



É ASSIM





.
.


 Porta dos Fundos



ESPECIAL DE NATAL



video



.
.


5.PROTEJA-SE


EM TODA A PARTE PODE ACONTECER

.
.


 DISFUNÇÃO



ERÉCTIL

15-  
TRATAMENTO/2


video

16- 
TRATAMENTO/3


video


ÚLTIMOS EPISÓDIOS


.
.


4.PROTEJA-SE


EM TODA A PARTE PODE ACONTECER





.
.


 18.OS MESTRES


DO DINHEIRO



video



Como uma série de 1996 está tão actual, à parte algumas afirmações "datadas" tudo o resto ensina-nos a compreender o espírito da Troika. 

 FONTE: lucas84doc



.

.


3.PROTEJA-SE


EM TODA A PARTE PODE ACONTECER



.

HELENA CRISTINA COELHO

.


O que (ainda) falta 
para chegar a 2015

Daqui a precisamente um ano estaremos de novo a fazer contas ao que pedimos agora, nestes primeiros dias de 2014, e ao que desejamos que se cumpra no ano que se segue.

É assim todos os anos. Os sonhos são revistos, as metas reavaliadas, as prioridades definidas, os projectos reinventados, os desejos renovados. E a resistência testada - uma vez mais, até ao limite. E assim se arranca para um novo ano, a esperar sempre mais do que no ano que fechou. E esperar mais, num ano como 2014, quer dizer que se espera muito. Há um país inteiro que espera ver a ‘troika' pelas costas daqui a menos de seis meses, que espera ver nessa saída um sinal de que o Estado recuperou o equilíbrio financeiro e pode caminhar nos mercados pelo seu próprio pé e cumprir os seus encargos financeiros sem perder a mão nas suas contas.

Há um país que acredita que a economia vai crescer, pouco, mas ainda assim crescer, porque já tem pouco por onde encolher, que acredita que vai exportar mais e importar menos. Há um país que deseja que os 120 mil empregos líquidos criados no ano que fechou não tenham sido uma miragem e que este ano se continue a criar mais trabalho do que aquele que se destrói. E que o esmagamento salarial, que muito ajudou às margens de lucro de empresas, se inverta e os rendimentos voltem a crescer em vez de minguar. Há um país que gostaria de ver o torniquete dos impostos aliviar, de se livrar da austeridade, de ter um Estado mais eficiente, de destruir proteccionismos injustificados, de acabar de vez com desequilíbrios sociais, de ser poupado a caprichos políticos e instabilidades governativas. Ah... e há ainda um país que sonha regressar do Brasil com um título de campeão mundial nas mãos para reavivar uma auto-estima nacional que anda de rastos.

É isto que o país espera. Mas este não pode ser o retrato de um país à espera. A ‘troika' não nos deixará tão cedo enquanto houver notas de cobrança de milhões para pagar e o país não garantir formas sustentáveis de o fazer - e que vão muito para além de 2015.

A economia não crescerá como se deseja se o consumo esfriar, o investimento fugir ou as exportações arrefecerem - e esses riscos estão todos aí. Os empregos não vão cair do céu, porque dependem de tudo isto e de um mercado onde as empresas possam respirar e pagar menos impostos - e os salários não vão aumentar enquanto a austeridade obrigar a apertar cintos e a fechar carteiras. O Estado continuará obeso e ineficiente enquanto resistir a cortar nos seus próprios abusos (que custam dinheiro), a reduzir os privilégios intocáveis de alguns grupos (que empatam dinheiro) ou a resolver de vez o que é mal gerido (e que perde dinheiro). A inquietação social continuará a minar as empresas, os sindicatos e as ruas se falhar tudo o que se planeia.

E, mesmo no Mundial de Futebol, que ninguém espere vitórias fáceis, se cada um dos jogadores não vestir a camisola, ‘comer a relva' e lembrar-se que não depende apenas de si quando entra em campo. É isso que 2014 vai exigir, se o país quiser chegar ao final do ano com alguns triunfos. Vai ter de trabalhar (mais) por um emprego e um salário, vai ter de investir (mais) para criar mais projectos e ver a economia crescer, vai ter de sofrer (mais) para reformar a gestão do Estado, vai ter de resistir (ainda mais) para sobreviver à austeridade, vai ter de confiar (mais) para saber para que lado deve remar. Daqui a um ano, seria bom estar a fazer contas ao que fizemos e conseguimos - e não ao que esperamos e não aconteceu.

IN "DIÁRIO ECONÓMICO"
02/01/14

..
.



50.UNIÃO



EUROPEIA




























.
.


2.PROTEJA-SE


EM TODA A PARTE PODE ACONTECER




.
.
 O VERDADEIRO VENCEDOR






















.
.


 II- COMO TUDO



FUNCIONA
2-LIXO

video




.
.


1.PROTEJA-SE


EM TODA A PARTE PODE ACONTECER



.
.


Paulo Gonzo e India Martinez



Vencer ao amor


video



.
.
HOJE NO
"i"

Conheça a teia de relações entre governantes e empresas

Pedro Cruz, designer de 28 anos, foi eleito em 2013 um dos embaixadores do novo mundo da informação no “Corriere della Sera”: os sistemas de visualização de dados. A sua última ideia promete torná-lo conhecido cá dentro: transformou em animação a teia de relações entre governantes e empresas detalhada no livro e documentário “Donos de Portugal”. Numa semana o ecossistema, que mais parece um insectário, teve 25 mil visualizações

A uns parecem formigas, a outros baratas. Mal se começa a explorar a animação, avançam para círculos e rodeiam-nos velozmente. Cada uma é um político que integrou o governo entre 1975 e 2013. Cada círculo é uma empresa e serve esta deambulação para mostrar quem passou por onde e em que companhia. Quanto mais políticos, maior é o círculo da empresa. Quanto mais empresas, mais cheio é o bicho. Pedro Cruz o autor da animação em que é possível interagir com 119 políticos e 350 empresas portuguesas, que dá um novo formato à investigação publicada em 2010 no livro "Donos de Portugal" - adaptada a documentário em 2012 -, rejeita uma classificação taxonómica, mas admite que a "forma abstracta" que escolheu como anatomia do político se presta a essa análise e a outras: já lhe falaram de vermes e chatos. "Eu digo que são organismos vivos, com uma determinada forma abstracta que pode induzir uma série de interpretações que acho legítimas. A multiplicidade de interpretações é que é interessante", diz. O ecossistema de políticos com ligações a empresas é o 12.o trabalho que publica na internet e o que mais depressa começou a circular nas redes sociais. 
Publicado a 23 de Dezembro, numa semana superou as 25 mil visualizações.


Aos 28 anos, Pedro Cruz já não é um anónimo no meio das artes visuais: em 2013 foi mesmo eleito no "Corriere della Sera" um dos embaixadores deste "novo mundo" da informação, como lhe chamou o diário italiano, por transformar grandes quantidades de dados em sistemas visuais apelativos. Por cá, explica, a arte das "visualizações" - nome que prefere a infografia pois são mais dinâmicas e não tencionam comunicar um resultado, mas deixar margem para interpretações e "subnarrativas" - ainda tem pouca saída e poucos representantes. 

Até aqui, o seu trabalho com mais sucesso - mais de 100 mil visualizações desde que foi publicado em 2009, fasquia que o novo ecossistema facilmente baterá - versava o declínio dos impérios marítimos no século xix e xx e valeu-lhe a primeira distinção da carreira, com a selecção para o festival de animação computacional SIGGRAPH, em Los Angeles, onde obteve o primeiro lugar numa competição para estudantes. Nos últimos anos já tinha feito alguns trabalhos mais abstractos sobre Portugal, como visualizações sobre tráfego em Lisboa, mas admite que interessou mais a pessoas com gosto pela área do que a lisboetas. 

Pelo caminho passou pelo Instituto de Tecnologia do Massachusetts (MIT), onde foi ganhando gosto pelo título de designer e "explorador de visualização" em vez de engenheiro informático - esteve no laboratório de Carlo Ratti, referência na área, a par de Jer Thorp (ambos jurados na votação do jornal italiano ). 

Depois de um mestrado em Visualização da Informação, está a fazer o doutoramento na Universidade de Coimbra e foi a braços com esse novo projecto que quis experimentar outros temas, que encontraram uma incubadora no projecto "Donos de Portugal". "Queria fazer visualização em assuntos que importem às pessoas, explorando tecnologias que cheguem a mais gente e apresentando a informação de forma lúdica, interactiva e que usando metáforas visuais adequadas possa envolver o interessado na exploração dessa visualização", explica. 

O interesse público no tema do documentário "Donos de Portugal" foi evidente - em ano e meio de divulgação, superou meio milhão de visualizações. Como a recolha em que participaram Jorge Costa, Luís Fazenda, Francisco Louçã ou Fernando Rosas terminava em 2010, completou os percursos dos governantes até 2013 e incluiu informação de um estudo sobre as ligações políticas das empresas cotadas em bolsa, de Maria Teresa Bianchi. 

O objectivo para o futuro é ir actualizando o ecossistema político-empresarial com outros nomes e ligações.
Ângelo Correia, ex-dirigente do PSD, é por agora o nome do ecossistema com mais ligações a empresas, num total de 51 - onde ocupou 55 cargos. Ex aequo em segundo lugar surgem o ex-dirigente do PSD Luís Todo Bom e o advogado Daniel Proença de Carvalho, ambos com 20 empresas. Pedro Passos Coelho passou por 11. Do actual executivo, aparecem no ecossistema Rui Machete (12 empresas) e José Pedro Aguiar-Branco (seis). Já entre as empresas retratadas, as que têm mais ligações são CGD, PT, Banco de Portugal, BCP, grupo Mello ou Champalimaud. O sistema de visualização de Pedro Cruz é interactivo, por isso quando se clica numa destas empresas os organismos com alguma ligação à instituição dirigem-se prontamente para a empresa em causa, o que permite ver como se cruzam percursos, mas também cores: os insectos social-democratas são laranja, os socialistas rosa, os centristas azuis e os independentes (poucos) cinzentos. 

Nos comentários nas redes sociais não faltam elogios ao "serviço público" e também tiradas com humor. "O diagnóstico está feito. Tratamento: desinfestação", lê--se no Facebook. No doutoramento, Pedro Cruz quer explorar o potencial de retrato e caricatura nestes sistemas, mas por agora garante que a imparcialidade foi palavra de ordem, até porque deve ser essa a natureza das visualizações, a menos que se assuma o contrário. Mesmo a escolha de insectos foi neutra: bichos pelos quais não se nutre muita simpatia? "São organismos vivos", insiste Pedro Cruz, enviando um link para um vídeo no YouTube sobre cozinha gourmet com esta proteína. "Sobre insectos, há quem goste", contrapõe. Até à data, conta que as reacções foram todas boas. "Ainda estou à espera das más, Nunca mais vêm. Se calhar pode ajudar-me nisso, não?" Olhar muito para o ecossistema (em http://pmcruz.com/eco) comichão pelo menos dá. 

Entrevista a Jorge Costa, autor do documentário "Donos de Portugal"
Este trabalho acrescenta alguma coisa ao vosso projecto?
  Vem divulgar a recolha que já tinha sido feita no “Donos de Portugal”, e que explorámos no documentário, de uma maneira mais viva e interactiva. Torna a chamar a atenção para a promiscuidade  entre políticos e o poder económico e isso é positivo. 

Como se explica o interesse tão expressivo neste tema?
 É um sinal de que as pessoas querem saber mais sobre relações que podem  influenciar as suas escolhas democráticas e as políticas. A experiência de crise propicia esse interesse, até por poderem estar na sua origem. O documentário já teve mais de meio milhão de visualizações, é mais o visto de sempre no país. 

Existe um défice na divulgação deste tipo de informação?  
A divulgação da informação e monitorização das empresas e responsáveis políticos tem de resultar de uma mobilização colectiva, numa atitude de vigilância e responsabilização. Claro que a imprensa e entidades fiscalizadoras têm um papel claro, mas, se os cidadãos estão adormecidos, estas teias de poder desenvolvem-se mais sub-repticiamente. 

Tem outro projectos? 
 Estou a trabalhar num novo projecto editorial com Francisco Louçã, que será publicado em breve. O tema é o mesmo, a forma como se organiza o poder da classe política. 

* Muito esclarecedor...

.
.

 SELFISHLY SELFIE




 from Jake Blackstone on Vimeo.


.
.
HOJE NO
"A BOLA"



Jogadores treinam pontaria no rabo de raparigas 

O treinador do Royal Antuérpia, Jimmy Hasselbaink, ex-Campomaiorense, Boavista, Chelsea e Leeds, decidiu que os seus jogadores iriam realizar um treino original, que passava por rematar contra o rabo de raparigas.

video


Na realidade este vídeo serve de promoção para uma partida que irá decorrer este sábado.

* Um treinador com bom gosto, pode ser estimulante.

.
. .


ANÚNCIOS 
MALVADOS









.
.
HOJE NO
"AÇORIANO ORIENTAL"

Região participa em consórcio para
. prestação de serviços à União Europeia

Os Açores, através do Fundo Regional para a Ciência (FRC), são, desde dezembro, parceiros de um consórcio liderado pela International Union for the Conservation of Nature (IUCN), num contrato de prestação de serviços à Comissão Europeia.
 
MACARONÉSIA
Segundo o Governo regional, este contrato, "no valor de dois milhões de euros" tem a duração de "quatro anos" e visa a criação de "uma plataforma" para "partilhar informação sobre oportunidades de financiamento para projetos destinados à conservação e uso sustentável da biodiversidade e dos serviços do ecossistema nas Regiões Ultraperiféricas e nos países e territórios ultramarinos europeus".

Além disso, "pretende facilitar a troca de informação entre os financiadores - Comissão Europeia, Estados Membros, instituições financeiras, entidades não governamentais e empresas - e as entidades promotoras dos projetos" e identificar as "áreas mais carenciadas de investimento".

O Fundo Regional para a Ciência, na dependência da secretaria regional da Educação, Ciência e Cultura, será responsável pela atualização do perfil ecossistémico da Macaronésia e pela constituição do pólo de conhecimento da Macaronésia no grupo de trabalho e por dinamizar a colaboração entre as três regiões autónomas da Macaronésia - Açores, Madeira e Canárias-, para "tornar mais efetivas as ações de conservação e gestão da biodiversidade terrestre e marinha e melhor direcionar o investimento europeu nesta área".

* Ciência, a base  da vida.

.
.

Recorde do mundo


de pesca submarina



video

Garoupas e Lagostas bigalhudas



.
.

HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Orçamento deste ano 
vai ter de ser retificado

O Orçamento do Estado para 2014 está em vigor só desde o início do mês mas já vai ter de ser retificado para compensar o aumento de despesa decorrente do chumbo pelo Tribunal Constitucional da lei da convergência de pensões. 
A questão prende-se com a obrigatoriedade constitucional de quaisquer alterações orçamentais que impliquem aumento de despesa ou redução de receita passarem pela Assembleia da República (a chamada "lei travão", na gíria jurídica).

Após o chumbo pelo Tribunal Constitucional da lei da convergência de pensões, o Governo tem de contabilizar o aumento de despesa com os pensionistas do Estado, o que obrigará à apresentação de um orçamento retificativo na Assembleia da República.

Também a alteração à contribuição extraordinária de solidariedade (CES), que o Governo pretende que seja aplicada a pensões a partir de mil euros, deverá ser incluída nesse documento.

O alargamento da CES para reformas a partir dos mil euros fará com que mais 110 mil pensionistas passem a ser atingidos por este corte.

* O governo sabia antecipadamente do chumbo do TC, se fosse previdente teria evitado o chumbo e agora seria escusada a rectificação, burrocracias para fingir que se trabalha... 

.
.

 A REVOLTA DO
PATINHO FEIO













.
.
HOJE NO
"RECORD"

Sochi'2014: 
Putin levanta restrições a protestos

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, assinou este sábado um decreto que levanta as restrições a protestos de cariz político e social durante os Jogos de Inverno Sochi'2014, cedendo às pressões do Comité Olímpico Internacional (COI). 

A alteração promovida agora por Putin permitirá manifestações em zonas delimitadas nos arredores dos locais das provas do evento, entre 7 e 23 de fevereiro, desde que previamente autorizadas pelas autoridades.

Em agosto do ano passado, Vladimir Putin tinha assinado um decreto que vedava manifestações nas áreas próximas da estância do Mar Negro, uma limitação que deveria entrar em vigor a 7 de janeiro.

Em dezembro, o presidente do COI, Thomas Bach, já tinha revelado que as autoridades russas concordavam em definir "zonas de protesto" durante os Jogos Sochi2014, decisão formalizada hoje por Vladimir Putin.

* Uma "filha de putinisse" e o COI fica satisfeito! 


.
.

NUNCA BATA COM A PORTA


video


.
.

HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Soldado da NATO morto no Afeganistão

Suicida fez explodir o carro em que seguia perto da entrada de uma base militar, na província de Nangarhar.

Um soldado das forças da NATO destacadas no Afeganistão morreu este sábado, na sequência de um ataque suicida múltiplo perpetrado por rebeldes talibã contra uma base militar no leste do Afeganistão, anunciaram fontes oficiais.

Um rebelde fez explodir o carro armadilhado em que seguia perto da entrada de uma base militar na província de Nangarhar. Cinco outros rebeldes foram mortos quando tentavam invadir o complexo, numa ofensiva lançada às primeiras horas do dia, precisou o porta-voz do governo provincial, Ahmad Zia Abdulzai.
A Força Internacional de Apoio à Segurança no Afeganistão (ISAF) confirmou, em comunicado, a morte de um dos seus soldados, sem divulgar a sua nacionalidade.
Os rebeldes talibã reivindicaram a autoria do atentado, através do seu porta-voz, Zabiulá Muyahid, de acordo com a imprensa local, citada pelas agências internacionais.

MEMBROS DOS SERVIÇOS SECRETOS ASSASSINADOS
Um outro atendado reivindicado pelos talibãs vitimou, ontem, quatro membros dos serviços secretos do Afeganistão. De acordo com informação divulgada por uma fonte oficial, o carro em que seguiam explodiu depois de passar sobre uma mina na província de Khost, no leste do país.
Na explosão, morreram o chefe local dos serviços de inteligência e três membros da sua equipa, informou um porta-voz do governo provincial, Baryalay Rawan, em declarações à agência afegã AIP.

* O Afeganistão é o novo Vietname para as super potências, já o foi para a ex-União Soviética é agora para os USA, não consta na história a vitória de exércitos regulares contra organizações de guerrilha.


.
.

A MAGIA DAS DRAG QUEENS

‘Half-Drag’ is a project by photographer Leland Bobbé. It is a fascinating series of portraits that examine the idea of gender fluidity by showing New York City drag queens in half-drag. Bobbe says the project allowed him an insight into how drag queens see the relationship between themselves and their alter ego:  ”One thing I found interesting was that most queens think of their drag persona as another person with a different name. Often they would refer to “her” as another character”.

Read more at http://realitypod.com/2013/12/drag-queens-before-and-after/#zZUbvamrGXwgIO3d.99















.
.

 HÁ ALGUNS ANOS NA TV

  video




.
.


ATENÇÃO AONDE DORME



video



.
.

32.Senso d'hoje

JOSÉ SILVA PENEDA
   
PRESIDENTE DO CONSELHO 
ECONÓMICO E SOCIAL




A crise que vivemos é de tal forma profunda que nunca vamos regressar ao ponto de partida.
 
 
 
.