quarta-feira, 13 de novembro de 2013

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.




  • TRÊS VELHINHOS ESTAVAM CONVERSANDO:
  •  
  • - Tenho 75 anos - disse o primeiro - mas estou em plena forma.
  •  
  • Só o meu estômago é que anda rateando um pouco. Outro dia comi uma feijoada, acompanhada de umas e outras caipirinhas. E depois me senti meio pesado, sonolento. . .
  •  
  • - Pois eu tenho 78 - disse o segundo - e também estou legal, mas acho que minhas pernas andam fraquejando. Ontem eu joguei uma pelada na praia, depois nadei uns três quilômetros. À noite, minhas pernas estavam um pouco doloridas.
  •  
  • - Já eu, que tenho 80 anos - disse o terceiro - não sinto esses problemas. Mas, minha memória está começando a falhar: ontem, de madrugada, eu bati na porta do quarto da empregada; ela acordou assustada e falou:
  • - "QUE É ISSO, SEU JOSÉ ? QUER DAR MAIS UMA?!"

.

.
OLÁ AMIGOS













Escreva-nos para:
 "apxxdxdocorreio@gmail.com"

OBRIGADO

.
.


O QUE NÓS



APRENDEMOS!



 FRASES INSPIRADORAS 
DE DITADORES E CRIMINOSOS

"Palavras constroem pontes em regiões inexploradas" 
»» Hitler

"Aquele que é verdadeiramente forte não tem necessidade de provar isso aos falsos"
 »» do assassino Charles Manson

“É melhor viver um dia como um leão 
do que cem anos como uma ovelha”
»» Benito Mussolini

“Impossível é uma palavra encontrada 
somente no dicionário dos tolos” 
»» Napoleão Bonaparte

“Acredito numa coisa apenas:
 o poder da vontade humana” 
»» Joseph Stalin

“É preciso menos coragem para criticar as decisões
 dos outros do que para defender as suas” 
»» Átila, o Huno

"Quem não é por nós é contra nós"
»» Salazar     


.
.

O PAÍS BLOQUEADO




CLIQUE EM "Programa OLHOS NOS OLHOS"


Se no dia indicado acima não teve oportunidade de ficar mais esclarecido sobre "O PAÍS BLOQUEADO", dispense-se tempo para se esclarecer agora, este  programa é extenso mas terrívelmente claro e polémico.
Fique atento às declarações do Director do jornal Expresso, o jornalista Ricardo Costa


.
.
HOJE NO

"A BOLA"

Mike Tyson utilizava um pénis falso
 para escapar nos testes antidoping

O antigo campeão mundial de pesos pesados Mike Tyson revelou, na sua autobiografia colocada no mercado na terça-feira, que utilizou muitas vezes um pénis falso para passar nos exames de urina.

Mike Tyson revelou que o pénis falso ia cheio de urina «limpa» e assim não acusava nada nos exames.
«Iron Mike» reconheceu que passou grande parte da sua carreira sob a influência de cocaína e marijuana.
«Eu era completamente dependente», admitiu a antiga estrela do boxe norte-americano na autobiografia «A Verdade Incontestável: A Minha Autobiografia».

*

Aguardamos com tranquilidade que Monica Lewinsky se contradiga e afirme ter votado nos Democratas.


.


CHRISTIAN


DIOR

OUTONO INVERNO
ALTA COSTURA
2013/2014




.
.

HOJE NO
"PÚBLICO"

Credor vai poder saber se devedor tem bens antes de intentar acção executiva

Informação consta do relatório do Fundo Monetário Internacional divulgado esta quarta-feira, que elogia as mudanças feitas na área da Justiça.

Os credores vão poder saber se os devedores possuem bens antes de intentarem uma acção de cobrança de dívidas, também conhecida como acção executiva. O Ministério da Justiça está a preparar um projecto de lei que será apresentado ao Parlamento no início do próximo ano e onde se prevê um “mecanismo de triagem pré-julgamento especial para os casos de execução”.


A informação consta num relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgado esta quarta-feira, na sequência da oitava e nova avaliação da troika. O documento faz um balanço das medidas levadas a cabo pelo Governo português no âmbito do memorando de entendimento acordado com o FMI, o Banco Central Europeu e a Comissão Europeia, elogiando as mudanças feitas na área da Justiça.

Contactado pelo PÚBLICO, o Ministério da Justiça adianta que o mecanismo será conhecido como procedimento extrajudicial pré-executivo . Neste momento, está a ser compilada uma nova versão do projecto, que já incluirá as propostas resultantes da discussão pública.

A consulta de bens do devedor será feita pelos agentes de execução, através do acesso a bases de dados que já são utilizadas no âmbito das acções de cobrança de dívida. Esse trabalho dará origem a um relatório que enumerará os bens identificados. "Mesmo que não haja bens, o credor pode decidir avançar com a acção executiva", explica uma fonte do Ministério da Justiça, que precisa, contudo, que o objectivo é evitar acções sem viabilidade. 
“A maior parte das reforma-chave do sistema judicial foram concretizadas com sucesso”, lê-se no relatório. A avaliação positiva contrasta com o momento conturbado que se vive no sector com várias classes profissionais, incluindo magistrados, a protestarem contra os novos cortes salariais previstos no Orçamento do Estado para 2014 e com os quadros de pessoal previsto na reforma do mapa judiciário.
O FMI opta por destacar a extinção, desde Novembro de 2011, de 344 mil processos executivos pendentes e a diminuição de novas acções de cobrança de dívida. “As autoridades aumentaram as taxas de justiça para certo tipo de casos e para grandes litigantes para desincentivar a litigância sem sentido”, lê-se no relatório. 

Essa justificação é bastante diferente dos objectivos assumidos pelo Ministério da Justiça com a mudança do Regulamento das Custas Processuais, em Março do ano passado, preferindo então o Governo realçar a simplificação e a uniformização do regime de custas.

O novo Código Processo Civil, que entrou em vigor em Setembro, e a aprovação, em Junho, da Lei de Organização do Sistema Judiciário, que serve de base à reforma do mapa judiciário, são etapas realçadas pelo FMI. 

O organismo adianta que a reorganização do funcionamento dos tribunais estará no terreno no próximo ano, sem precisar o mês, dando conta que fecharão “cerca de 54 tribunais”. Esse número foi avançado na segunda versão do mapa judiciário, conhecida em Junho do ano passado, e parece ter sido afastado no último documento, que esteve até esta semana em discussão pública e prevê o encerramento de 47 tribunais, sendo 25 substituídos por balcões judiciais.

* Fantástico, sabemos notícias de Portugal através do relatório do FMI, não pelas autoridades portuguesas.

.
.
II-OS SUPER
HUMANOS
1-INDESTRUTÍVEIS





.
.
HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Produção industrial 
subiu 1,3% em Setembro

Dados ficam acima das médias da zona euro e União Europeia mas abaixo dos 11,7% registados pela Irlanda.

A produção industrial subiu 1,3% em Setembro em Portugal quando comparado com o mesmo período do ano passado, de acordo com dados do Eurostat. O aumento fica acima das médias da zona euro e da União Europeia que se situaram nos 1,1% e nos 1,2%, respectivamente.


No entanto o país que mais se destaca pela positiva é a Irlanda cuja produção na indústria cresceu 11,7%, seguido pela Roménia com um acréscimo de 8,9%. Pela negativa, o Luxemburgo apresentou uma quebra de 4%.

Ao nível da zona euro, a produção de bens não duradouros, bens intermediários e os bens de capital justificam os ganhos, enquanto a produção de bens duradouros sofreu a maior queda.

Mas se os dados forem comparados com o mês anterior, então Portugal lidera as quedas com a produção industrial a descer 11,2%, seguido pelo Luxemburgo, com um decréscimo de 4,1%.

* Trocando por miúdos para não ficarmos baralhados, relativamente a Setembro/2012 a produção subiu os tais 1,3%, mas em relação a Agosto/2013 a produção industrial desceu 11,2%, esta engenharia de números e o modo como eles se apresentam tem que se lhe diga...
O título da notícia devia ser assim:
ESTE ANO, DE AGOSTO PARA SETEMBRO, A PRODUÇÃO INDUSTRIAL DESCEU 11,2%! 

.

BÁRBARA WONG

.


O que está por 
detrás dos números?


Analiso os resultados dos exames dos alunos do 6.º ano e não me surpreendem. Tal como acontece no 4.º, no 9.º e no secundário, são os colégios que estão no topo da tabela, por isso desço até à base para descobrir as escolas que revelam os piores resultados. Note-se, não são as piores escolas, são as que tiveram os piores resultados nos exames nacionais.

Se nas primeiras edições dos rankings me dava prazer conversar com as escolas que ficavam bem colocadas – perceber o que faziam de diferente, com a intenção de conhecer as boas práticas e de as poder partilhar com os leitores e com as escolas que podiam replicá-las; hoje, gosto de falar com as que ficam no fundo do ranking e descobrir que, na maior parte das vezes, fazem um trabalho exemplar.
 .
No final de uma destas tardes, ligava insistentemente para várias escolas que ficaram mal posicionadas e fui descobrindo, nas conversas com as suas direcções, que têm mil projectos e que, antes mesmo de poderem ter a preocupação sobre como ensinar melhor, têm de preparar o terreno, têm de os ensinar a sentar-se, a estar atento nas aulas, a gostar de estar na escola, a não abandonar.
 .
São escolas onde as preocupações ultrapassam o cumprimento dos programas porque há crianças que passam fome e que não comem durante o fim-de-semana uma refeição quente, dizia uma directora; porque há pais que abandonam a casa; porque há outros que saem do país à procura de melhores condições; porque há quem tenha de ir viver com uma avó ou uns tios; porque os pais não sabem ler, mesmo que tenham 30 anos de idade; porque…

São escolas que lutam diariamente não por um lugar melhor no ranking, mas por encontrar um lugar melhor para os seus alunos, na tentativa de que estes tenham mais conhecimentos do que os pais, que possam ser mais empreendedores, que possam romper o ciclo da pobreza e do insucesso escolar.
 .
Gosto de falar com pessoas que me transmitem esperança, que falam com entusiasmo dos seus projectos, da sua escola, mesmo que esta tenha ficado mal posicionada, mesmo que existam dias em que põem tudo em causa.

Embalada que estava em falar com tanta gente válida e conhecedora da sua realidade e da realidade dos outros – daqueles que podem escolher os seus alunos, daqueles que convidam os estudantes a sair ou a não fazer os exames na 1.ª fase para que a escola não fique mal colocada no ranking, daqueles que recebem os filhos dos pais escolarizados –, fui surpreendida por um subdirector que se recusou a falar.

Informo-o sobre os resultados da escola, que o responsável conhecia, e digo-lhe em que posição se encontra face ao resto nacional, que o docente decerto teria uma ideia. Terminada a explicação, pergunto: “O que gostava de saber é o que está por detrás destes números. Quem são estes alunos? Em que condições trabalham os professores?” Depois de um pequeno silêncio, o subdirector responde-me: “As explicações, devemo-las à comunidade educativa e não à comunicação social, como certamente compreenderá.”

“Não, não compreendo. E o seu director não quererá falar?” “Não.”
Não compreendo que as escolas se fechem, que não partilhem. Será que o senhor subdirector explica, de facto, alguma coisa à sua comunidade educativa? É porque, segundo os dados do ministério, os pais dos seus alunos têm pouco mais de seis anos de escolaridade e uma boa parte recebe Acção Social Escolar; e só metade do corpo docente pertence ao quadro. Além disso, as escolas do agrupamento, por vezes, são notícia por problemas disciplinares, com professoras agredidas por alunos e famílias. É por isso que não fala? Pois eu defendo que é por isso que deve falar.
 .
Depois de o subdirector me desligar o telefone, não desanimo e marco o número de outra escola que, sistematicamente, fica mal posicionada, confirmando que as antigas escolas comerciais e industriais ficam pior na fotografia do que os antigos liceus. “Sim, podem vir, temos um projecto único no país e a ele se devem os nossos resultados”, responde-me outro subdirector, um homem enérgico e entusiasmado.

Há mais de uma década, o PÚBLICO lutou pelo acesso aos resultados dos exames nacionais. O objectivo é o mesmo de hoje: conhecer as escolas, saber por que razão têm aqueles resultados e não outros. Conhecer o país através dos resultados escolares – confirmarmos as disparidades Norte/Sul, litoral/interior, público/privado, escolas públicas que recebem o mesmo tipo de alunos que os colégios, etc.

Os rankings obrigaram as escolas a reflectir sobre os seus resultados – hoje, os directores sabem exactamente por que tiveram aqueles resultados; nos primeiros anos, os nossos telefonemas deixavam-nos atrapalhados e havia mais quem não quisesse falar porque não devia contas à comunicação social. Cada vez mais, os directores abrem as portas das suas escolas com orgulho, transparência e realismo: "Trabalhamos com os alunos que temos."

IN "PÚBLICO"
09/11/13

.
.


 3.UNIÃO


 EUROPEIA






 .
.
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Google quer ‘tatuar’ 
detetor de mentiras nos utilizadores

Gigante tecnológico está a desenvolver 'tatuagens' revolucionárias.

A Google, através da sua subsidiária Motorola, registou a patente de uma tecnologia que será ‘tatuada' nos utilizadores para servir de microfone e que, ao limite, poderá funcionar como detetor de mentiras.

A pelicula, colada na zona da garganta, vai integrar um pequeno processador, microfone e sensores. Depois de conetado a um telemóvel, este dispositivo registado pela Motorola – fabricante que é propriedade da Google –, funciona como microfone.

O objetivo é melhorar as comunicações de voz em ambientes ruidosos. De acordo com o documento de registo divulgado na passada semana, o dispositivo será capaz de "reduzir o ruído ambiente, ao captar o som diretamente na zona da garganta"
 .
Estádios, ruas apinhadas, restaurantes ou até situações de emergência são alguns dos exemplos onde esta tecnologia pode ser útil. Nestes casos, "o ruído pode ser incrivelmente elevado e com várias frequências acústicas", lê-se no documento. 
 .
Para além de permitir uma comunicação mais nítida, este dispositivo poderá ainda funcionar como um detetor de mentiras, já que vai ter a capacidade de analisar as reações da pele do individuo, enquanto comunica. Depois, é possível determinar se os resultados são associados a alguém que diz a verdade ou a alguém que está a mentir. Esta funcionalidade, de acordo com o documento de registo, será opcional.
 .
O registo foi divulgado pelo departamento de registos e patentes do governo norte-americano, no dia 7 de novembro. Não há ainda uma data prevista para o início da produção e comercialização do dispositivo.

* Um Google pidesco? Promotor inquisitorial? É este motor de busca que desejamos?

.
.

MISTÉRIOS FANTÁSTICOS

2.A PIRÂMIDE PERDIDA



.
.

HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Secretário de Estado das Florestas
 e Desenvolvimento Rural avisa
Governo vai intervir em 
"propriedades visivelmente abandonadas"

O secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Francisco Gomes da Silva, disse hoje, em Coimbra, que o Estado vai intervir nas “propriedades aparentemente sem dono e visivelmente abandonadas” para as “colocar sob melhor gestão”.

Já está concluída uma proposta de lei que “procura operacionalizar” o artigo do Código Civil determinando que “qualquer propriedade abandonada pertence ao Estado”, anunciou o governante, que falava na sessão de abertura de um seminário sobre “Grandes incêndios florestais: causas, consequências e propostas de prevenção e minimização de impactos”, que decorre hoje numa iniciativa da Ordem dos Engenheiros (OE).
“Não é objetivo do Estado apoderar-se da propriedade privada”, assegurou Francisco Gomes da Silva, sublinhando que o projeto de lei visa permitir ao Estado dar “o destino que entender melhor” às “propriedades aparentemente sem dono e visivelmente abandonadas”, isto é, sem “uso agrícola, florestal ou silvopastorícia”.

 O melhor destino para as terras naquela situação – que o governante não sabe se “são muitas ou poucas”, sendo certo que “as estimativas apontam para números muito diversos” – é associá-las à necessária correção da “estrutura fundiária” em Portugal, que “é deficiente” e “impede uma maior geração de valor”, afirmou o secretário de Estado.

“Não se trata de expropriação, trata-se de um procedimento de procura de donos”, sublinhou o governante, adiantando que se os proprietários “existirem ser-lhes-ão pedidas responsabilidades”, se “não existirem o Estado tem obrigação de encontrar forma de colocar [essas propriedades] sob melhor gestão”.

Este cenário constitui uma “oportunidade de atuar sobre as parcelas pequenas, tornando-as maiores, do ponto de vista da sua utilização exclusivamente”, sustentou. Francisco Gomes da Silva anunciou, também, que “estão a ser preparadas” iniciativas de “âmbito fiscal, fundamentalmente no que diz respeito aos impostos sobre o património e de maneira muito concreta sobre o IMI [Imposto Municipal sobre Imóveis], que na propriedade rural é muito pouco eficaz”. “É essencial que, do ponto de vista dos interesses da floresta em Portugal, as questões ligadas à propriedade rural possam ser revistas rapidamente”, defendeu o governante, revelando que “estão a ser trabalhadas propostas” neste sentido.

O seminário, que decorre, até ao final da tarde de hoje, no auditório da OE em Coimbra, conta com a participação de especialistas de diversas áreas, que debatam a “problemática dos incêndios florestais”, procurando “identificar as suas causas e as suas consequências” e apontar soluções, sobretudo no plano da prevenção.

 O encontro, cuja sessão de encerramento está agendada para as 18h30, é uma organização conjunta dos colégios regionais da OE do Centro das engenharias Florestal, Agronómica, do Ambiente, Mecânica e Geográfica.

* E que vai o sr. Secretário de Estado fazer  àquela gente latifundiária que recebe do Estado há anos,  para não produzir, é só ir ao Ribatejo.


.
.


Janita Salomé


Ronda das Mafarricas





.
.
 
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Procurador adverte que máfia
 pode tentar matar o Papa

Perito na luta contra o crime organizado adverte que a "operação de limpeza" que o Papa está a fazer nas finanças do Vaticano está a incomodar as máfias italianas que, se tiverem oportunidade, poderão atentar contra a vida do Sumo Pontífice. 

A "operação de limpeza" que o Papa Francisco está a levar a cabo nas finanças do Vaticano pode estar a prejudicar os interesses da máfia italiana, e levar as organizações criminosas a tentar acabar com ela através de um atentado ao Sumo Pontífice. A advertência vem de um especialista na luta contra o crime organizado em Itália numa entrevista ao diário italiano "Il Foglio Quotidiano": o Procurador adjunto de Reggio Calabria, Nicola Gratteri.

A máfia calabresa, a 'Ndragheta', é menos conhecida fora de Itália no entanto, é mais poderosa e violenta que a siciliana ou a 'Camorra' napolitana e nas últimas décadas, estendeu os seus tentáculos económicos por numerosos países como a Alemanha, Reino Unido ou Austrália. Em conjunto, as quatro máfias do país, incluindo a mais pequena, a de 'Puglia', controlam uma atividade económica equivalente a quase um quarto do PIB (Produto Interno Bruto) italiano.

Segundo o jornal espanhol "ABC", o Procurador adjunto de Reggio Calabria e perito na luta contra o crime organizado adverte que "o Papa está num caminho correto e o seu objetivo é a limpeza total nas finanças do Vaticano. Quem se tem aproveitado até agora do poder e da riqueza que deriva de negócios ilegais através da Igreja está a começar a ficar nervoso". Segundo Gratteri, "o Papa Francisco está a desmontar importantes centros de poder económico do Vaticano e se os chefes mafiosos puderem acabar com isso não irão vacilar".

Nicola Gratteri afirma ainda que "não sei se o crime organizado está em condições de atentar contra a vida do Papa mas, certamente, estará a colocar essa opção e isso pode ser muito perigoso".

* Há uns meses atrás, nas páginas deste blogue salientámos o facto de o Papa Francisco ficar com a cabeça a prémio tal é a "limpeza" que pretende fazer no Vaticano. 
Este blogue é laico, somos muito críticos em matéria de religião, mas este papa não pode morrer.

.
.
 POR VEZES


LAMENTAMOS-NOS


POR NADA



.
.
HOJE NO
"RECORD"

A terceira oportunidade 
de Vanessa Fernandes

Vanessa Fernandes e o Benfica formalizaram ontem a renovação de contrato. Ao que Record apurou, o vínculo é válido apenas por mais um ano, sendo esta a terceira vez que a atleta e o clube selam o compromisso. A primeira foi em 2005, a segunda em 2009, sendo que agora, aos 28 anos, a vice-campeã olímpica em Pequim’2008 vê o vínculo ser prolongado só até ao final de 2014.

A filha de Venceslau Fernandes está aos poucos a regressar à alta competição e através apenas do atletismo. Há mais de dois anos que Vanessa não sabe o que é competir ao mais alto nível, sendo que já este ano esboçou aquilo que poderá significar em definitivo a sua volta ao desporto. Em setembro, foi 4.ª na Corrida do Tejo. “É um posso em frente”, disse na altura. Face a este cenário, o Benfica quis também, ao renovar com Vanessa, colmatar a saída da equipa de atletismo de Marisa Barros, que passou a individual.

Os objetivos de Vanessa nesta sua segunda vida no desporto passam, em primeiro, por apostar apenas no atletismo, onde pretende ganhar confiança e nível competitivo, e só depois pensar de novo no triatlo, a modalidade que fez dela uma das melhores desportistas nacionais. Refira-se a propósito que a vice-campeã olímpica não é federada na Federação de Triatlo de Portugal (FTP) há dois anos (2012 e 2013).

“O atletismo pode abrir-me várias portas. O triatlo tem atletismo e é uma base para aquilo que sempre fiz. Daqui a uns tempos posso ter várias portas para decidir por aquilo em que quero focar-me e vir a fazer um dia mais tarde”, disse à Benfica TV.

Ordenado
A renovação de vínculo com as águias vai permitir a Vanessa voltar a receber um ordenado do clube. Face ao seu “desaparecimento”, o Benfica acabou por suspender-lhe os honorários há dois anos, que rondavam os 4 mil euros mensais. Ao que Record também apurou, a atleta vai agora auferir um valor muito abaixo do indicado – pouco mais de mil euros por mês.

* Como ansiamos que esta menina retome a competição com o sucesso que merece, pelo muito que já fez no desporto nacional. Trabalhe, trabalhe.

.
.

Dicas para fazer sexo 
na 3ª idade:
1. Ponha os óculos.
2. Certifique-se de que sua companheira está realmente na cama.

3. Ajuste o despertador para tocar daí a 3 minutos, para o caso de adormecer durante a 'performance'.

4. Acerte a iluminação: apague todas as luzes.

5. Deixe o tlm programado para o número da EMERGÊNCIA MÉDICA.

6. Escreva na mão o nome da pessoa que está na cama, para o caso de não se lembrar.
7.Tenha um analgésico à mão, para o caso de conseguir cumprir a 'performance'.
8. Não faça muito barulho
: nem todos os seus vizinhos são surdos como você.
9. Se tudo der certo, telefone para seus amigos para contar as boas novas!
10. Nunca, jamais, pense em repetir a dose, mesmo sob efeito de VIAGRA.
11. Não esqueça de levar dois travesseiros para colocar sob os joelhos, para não forçar a artrose.
12. Se for usar camisinha, avise antes o pirilau 'que não se trata de touca para dormir', senão ele pode se confundir.

13. Não esqueça de tirar a parte de baixo do pijama, mas fique com uma camisolão para não apanhar gripe.

14. Não tome nenhum tipo de laxante nos dias anteriores; nunca se sabe quando se tem um acesso de tosse...

PS: (Estas dicas foram escritas com letras grandes para facilitar a leitura...!

Um abraço para L.F.A.
.
.


HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Parlamento discute "cheque-ensino"
 a 5 de dezembro

A Assembleia da República debate no próximo dia 5 de dezembro apreciações parlamentares do PS e do PCP sobre o novo Estatuto do Ensino Particular e Cooperativo, que abre portas ao chamado "cheque-ensino". 

"A preterição do investimento no ensino público em prol de um financiamento infundado e irrazoável no ensino particular e cooperativo merece toda a atenção, preocupação e reflexão por parte do grupo parlamentar do PS pelo que urge perceber os moldes em que assenta o novo Estatuto", justifica o PS, na apreciação parlamentar.

No mesmo dia será discutida uma apreciação parlamentar apresentada pelo PCP, que contesta a utilização de dinheiros públicos para alimentar "negócios privados".

O diploma, que entrou em vigor no dia 05, prevê a concessão de apoios financeiros do Estado a alunos que queiram frequentar uma escola privada, embora o financiamento careça de regulamentação.
O decreto-lei que define o novo estatuto "abre portas" ao chamado "cheque-ensino", que o Governo pretende aplicar como projeto-piloto, apesar da contestação dos sindicatos dos professores e de associações de pais.

O debate foi marcado para o dia 5 de dezembro, em conferência de líderes, que agendou para o mesmo dia um projeto de lei do PSD que altera o Código Penal "qualificando os crimes de homicídio e de ofensas à integridade física cometidos contra solicitadores, agentes de execução e administradores judiciais".

No dia 6, serão debatidas seis petições públicas, entre as quais uma que reuniu 89 mil assinaturas, para a "defesa das funções sociais do Estado" e outra, com cerca de 40 mil, para a aprovação de uma nova lei de proteção dos animais.

Duas propostas de lei do Governo vão ser debatidas no dia 4, uma sobre "infrações rodoviárias transfronteiriças" e outra que visa o reforço da "luta contra formas graves de criminalidade" no âmbito do Eurojust, um órgão da União Europeia criado em 2002 para a coordenação das investigações judiciais e procedimentos penais dos Estados-membros.

*  O cheque ensino ou outro subsídio tenha o nome que tiver, é um investimento descarado aos colégios privados, se são privados têm que estar no mercado como outra qualquer actividade. Não tem cabimento colégios de cidades e vilas onde existem escolas públicas com as mesmas valências estarem a ser subsidiados de maneira encapotada.
Se os papás querem os meninos no ensino privado paguem ou então escola pública, porque isto de estar a andar em topo de gama e "mamarem" subsídio é um roubo.
Cheque ensino é para quem precisa.

.
.

GUILHERME TELL




.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Novo modelo regulatório das estradas
. seguirá “standards” da UE

Final de Outubro foi a data referida pelo Governo ao FMI, no âmbito da oitava e nona avaliações, para a conclusão da revisão do quadro regulamentar do sector rodoviário e ferroviário, que forma parte da estratégia para alcançar a sustentabilidade nesses sectores.
As alterações, diz, serão no sentido da redução das exigências de operação e manutenção e grandes reparações, em linha com os “standards” da União Europeia. Ou seja, serão aligeiradas algumas das exigências ao nível do serviço, adequando-as aos padrões europeus.

O IMBRÓGLIO
Até agora, o Executivo não divulgou as alterações ao modelo regulatório do sector rodoviário, que pretende que passe a vigorar ainda este ano.

Relativamente às PPP, o Governo adianta terem sido tomadas medidas adicionais para conseguir um modelo de PPP responsável.

“O objectivo é gerar poupanças permanentes através da racionalização do OPEX , CAPEX e taxa interna de rentabilidade dos parceiros privados”, recorda, acrescentando que no caso de subconcessões, poupanças serão gerados reduzindo também o objecto dos contratos relevantes.

Até agora foram assinados memorandos de entendimento com a maioria das concessionárias, que dão “boas perspectivas de alcançar a meta de poupança de 300 milhões em 2013.

Em segundo lugar, refere, a unidade do Ministério das Finanças para as PPP “está a ganhar um papel fundamental, trabalhando  no sentido de aumentar a transparência orçamental, melhorar a elaboração de relatórios sobre as PPP  e ampliando seu campo de acção a outros sectores, nomeadamente saúde e segurança, e aconselhando a Região Autónoma da Madeira”.

*  A regulação em Portugal só será efectiva quando  se resolver o "cancro" das PPP's rodoviárias e os conluios de políticos com os patos bravos do betão.


.
.
  3.METROPOLITANO











.
.
HOJE NO
"DESTAK"

Governo gasta mais com indemnizações na função pública do que poupa com rescisões - FMI

 O Governo vai gastar mais com indemnizações do que aquilo que vai encaixar com as rescisões voluntárias de funcionários públicos em 2014 e só com as poupanças da mobilidade especial é que consegue compensar os custos da saída de trabalhadores. 


De acordo com o relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre a oitava e nona avaliações ao programa de assistência português, hoje divulgado, as indemnizações a pagar aos trabalhadores da função pública que decidam abandonar os postos de trabalho voluntariamente vão custar o equivalente a 0,1% do Produto Interno Bruto (PIB) no próximo ano. 

Este valor só é compensado pelo encaixe das rescisões amigáveis somado àquele que o Governo pretende conseguir através do regime de mobilidade especial dos funcionários públicos, uma vez que as duas medidas combinadas correspondem igualmente a 0,1% do PIB.

*  Depois de durante anos terem entregue dinheiro ao Estado que este desbaratou, os funcionários públicos vão a caminho da fome.

.
.
 ROBOT JAPONÊS


.
.
HOJE NO
"i"

Médicos que denunciam casos são
. perseguidos e prejudicados, diz sindicato

Na terça-feira, a Ordem dos Médicos garantiu que vai expulsar os médicos que alegadamente desviaram doentes do SNS para clínicas privadas e falsificaram documentos, se estes factos ficarem provados em tribunal

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) disse hoje que existem clínicos perseguidos e prejudicados profissionalmente por denunciarem casos como o desvio de doentes das instituições públicas para as clínicas privadas. 


Em declarações à Lusa, a propósito de uma reportagem da TVI que denunciou que doentes do setor público “são levados, como mercadoria, para as clínicas privadas”, o secretário-geral do SIM classificou este comportamento de “inaceitável”. 

Para Jorge Roque da Cunha, “inaceitável é também o sentimento de impunidade adjacente: aparentemente, funciona como algo perfeitamente normal e tranquilo”. 

“Também não é compreensível que os médicos que fazem essas denúncias acabem por ficar prejudicados na sua carreira profissional. Sub-repticiamente, de uma forma insidiosa, são colocados entraves à sua progressão na carreira, com claros prejuízos da sua vida pessoal e profissional”, disse. 

O secretário-geral do SIM garante que os médicos que denunciam estas situações “são objetivamente prejudicados na sua atividade profissional e na sua carreira”. 

Jorge Roque da Cunha defende que a condenação “não se deve cingir aos médicos que, sendo condenados, terão de pagar pela sua atitude, mas também a quem, com responsabilidades de supervisão e direção, finge ignorar estas situações”. 

Na terça-feira, a Ordem dos Médicos garantiu que vai expulsar os médicos que alegadamente desviaram doentes do SNS para clínicas privadas e falsificaram documentos, se estes factos ficarem provados em tribunal. 

Segundo o Ministério da Saúde, a Inspeção Geral das Atividades em Saúde (IGAS) tem em curso um processo de inquérito e um outro administrativo aos casos de alegado desvio de doentes do setor público para o privado. 

* Até neste feudo existem filhos da mãe e enteados.

.