sábado, 28 de setembro de 2013

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


.


6-XXL



 .
 Ademilton dos Santos - Um brasileirão de 8kg nascido em Salvador da Baía, na Brazilian Gynaecological Association.

.
.

 O QUE NÓS 

APRENDEMOS!


GRATIDÃO


video



.
.


OS NORMAIS

Sexo, só semana que vem


video



video

.
.


5-XXL



 .
Stephon Hendrix Louis-Jean- Um nome grande correspondente ao tamanho, 23 polegadas nascido no William W. Backus Hospital, USA.

.
.

6.CAMINHANDO 
COM AS BESTAS


2. A JORNADA DO MAMUTE



video




.
.


4-XXL




Nadia Khalina - Nascida na Siberia é a 12ª filha do casal e nasceu com 7,75Kg

.
.
4.OS MESTRES
DO DINHEIRO

video


Como uma série de 1996 está tão actual, à parte algumas afirmações "datadas" tudo o resto ensina-nos a compreender o espírito da Troika.

FONTE: lucas84doc

 .
.


3-XXL


.
 George King- é o maior bébé inglês com 15 libras de peso, quase o dobro dum recém nascido padrão.

.

SOFIA N. SILVA

.



Exigências materiais dos filhos:
 “Não, não compro!... Está bem, leva...”

É sexta-feira, Tânia vai buscar Mafalda (5 anos e 6 meses) à escola e vão as duas ao supermercado fazer as compras do mês lá para casa, como já vem sendo habitual.
Tânia: Então, querida correu bem o dia?
Mafalda: Sim! Vamos ao supermercado? Vais comprar aquelas gambas para comermos com a massa preta?
Tânia: Meu Deus, Mafalda! Tens tudo programado! Sim, querida. É o que fazemos sempre, não é?
Mafalda: Mãe, podemos ir ver se já chegaram mais bonecos da nova colecção dos Little Pet Shop?
Tânia: Podemos, mas sabes que mesmo que já tenham chegado…
Mafalda: O quê?
Tânia: Hoje não vamos trazer nenhum. É só de 15 em 15 dias, como combinámos.
Mafalda: Oh, mãe vá lá… Só hoje! Prometo!
Tânia: Querida, então? O combinado não era que a mãe te comprava um de 15 em 15 dias? E se pudesse? A semana passada comprámos um agora é só na próxima semana. Ok?
Mafalda: Sim…
Já no supermercado:
Tânia: Vá querida, vai pondo as cenouras aqui para o saco enquanto a mãe escolhe os tomates.
Mafalda: São quantas?
Tânia: Dez.
Mafalda: Já está! Podemos ir agora ver se há?
Tânia: Vamos! Mas já sabes não é?
Mafalda: Já chegaram! Não é tão querida a joaninha, mãe?
Tânia: É, querida. É um amor! É esse que queres levar para a semana?
Mafalda: Por favor, mãe. Só hoje!
Tânia: Mafalda, já falámos sobre isto.
Mafalda: Oh mãe, mas a mãe da Constança compra-lhe sempre um todas as semanas! Porque é que eu não posso?
Tânia: Porque a mãe e o pai não têm dinheiro para te dar um boneco todas as semanas e porque eu não acho que seja um bom hábito, e porque tenho a certeza que não é por isso que a Constança é mais feliz!
Mafalda: Mas pelo menos tem uma colecção maior que a minha! E vai acabar mais rápido!
Tânia: Tu também vais fazer a colecção toda. Só que mais devagarinho. Até acho que assim brincas mais com cada boneco.
Mesmo ao lado Tânia e Mafalda assistem a uma discussão entre uma mãe e um filho, de aproximadamente três anos de idade:
Mãe: António, já te disse que não vale apena pedires mais carros! Ainda ontem te comprei um!
António: Então quero um lego!
Mãe: Já te disse que não te compro mais nada!
António atira-se para o chão a chorar e a espernear enquanto grita:
António: Tu não gostas de mim! Eu quero! Ninguém gosta de mim!
Mãe: Pára com isso António! Está toda a gente a olhar para ti! Estou tão cansada!
A partir daqui, António ainda chorava e gritava mais alto captando todas as atenções. A mãe permanecia imóvel ao comportamento do filho e com um ar esgotado.
Mãe: … Está bem, leva…
António, levanta-se rapidamente e vai buscar o lego que queria. Com um leve sorriso na cara.
António: Obrigada, mãe! És a melhor mãe do mundo!
Tânia e Mafalda ficaram paradas, caladas e também imóveis enquanto António e a mãe se afastavam.
Tânia sentiu pena daquela mãe, que parecia muito cansada e sem capacidade para conseguir dizer que não ao filho que reagiu com descontrolo e chantagem emocional face à “ameaça” da mãe perante a sua ausência de tolerância à frustração.

Para os pais a questão da gestão dos pedidos dos filhos é um constante desafio! Sobretudo, nas últimas décadas em que a nossa sociedade passou a assumir o lema do consumo criando necessidades reais ou não para pais e filhos. A facilidade de acesso ao crédito fácil mergulha muitas famílias numa ilusão de que se pode ter tudo, levando-as a adoptarem estilos de vida e de consumo muito superiores às suas reais capacidades e necessidades.

Os pais devem gerir os pedidos dos filhos com muita contenção. Actualmente, vivem-se tempos de crise onde temos visto famílias que de um momento para o outro perdem os seus empregos. Outras, veem os seus rendimentos diminuídos ou sentem uma clara quebra no seu poder de compra. Este é um tempo difícil para todos. Por isso, é errado transmitir às crianças que é possível comprar tudo. Porque isso é uma ilusão.

É uma ilusão que depois elas transpõem para os outros planos da vida, além do consumismo. Como nas próprias relações com os outros, onde o "ter" passa a ter uma importância superior ao "ser". Que sentido tem para os nossos filhos crescerem habituados a utilizar bens materiais como intermediários ou como forma de afirmação na relação com os outros? Esta é uma questão fundamental que nos devemos colocar. Pelo menos temos a garantia que não terão tantas oportunidades de desenvolver as suas próprias capacidades de empatia e de afirmação social perante o grupo, e que mais tarde ou mais cedo sofrerão estas consequências.

É importante que as crianças cresçam com a noção da realidade e das dificuldades. Uma criança que acha que pode ter sempre tudo o que quer cresce sem limites e com um sentido de omnipotência. E quando não tem limites também desenvolve sentimentos de insegurança noutras situações, como aquelas que o dinheiro não compra. Cresce sem resistência à frustração.

A negação de alguns pedidos por parte dos pais além de permitir à criança confrontar-se com a realidade pode constituir boas oportunidades para aprender a lidar com a sua frustração. Como já dissemos anteriormente esta é uma importante função parental. Dar oportunidades para experimentar e vivenciar sentimentos de frustração vai ajudá-la a sentir-se mais segura e confiante para lidar com outros momentos de frustração que a vida inevitavelmente proporciona.

Há muitas famílias que sentem que quanto maior número de presentes ou pedidos satisfizerem às crianças melhor e mais forte se tornam as suas relações. Isto está longe de ser verdade, além de que constitui um enorme perigo no desenvolvimento das relações familiares.

Quando as crianças passam a olhar com expectativa para a visita dos avós, por exemplo, porque sabem que daí irá resultar o ganho de um presente ou algo material está a perder-se a essência do que deveria representar essa alegria ou expectativa. As próprias relações perdem parte da sua essência pois passam a depender de factores externos para lhe atribuírem significado.

É fundamental entendermos que mais do que termos a garantia de que os nossos filhos podem ter tudo importa que os ajudemos a crescer com um sentido da realidade, da partilha, da solidariedade nas relações o que passa essencialmente pela construção do ser, onde o ter não deverá assumir qualquer primazia. Este é mais um dos grandes desafios da parentalidade!

Mas como as crianças fazem essencialmente aquilo que vêem fazer mais do que o que ouvem dizer, os pais devem eles próprios reflectir sobre a forma como gerem os seus desejos e vontade de consumo.

As crianças têm que aprender a dar valor às coisas que têm e recebem. Não ceder no imediato aos pedidos permite-lhes desenvolver a capacidade para aguardar receber determinado presente, esforçarem-se para ter determinada coisa, que o seu bom comportamento pode representar maior valorização por parte dos pais sem que tenha que implicar receber algo.

Os pais podem sentir que já dedicam pouco tempo aos filhos no dia-a-dia e que todo o tempo que lhes resta é para passarem em ambiente de calma e tranquilidade cedendo aos muitos pedidos que lhes fazem e evitarem assim momentos que possam ameaçar todo este clima que desejam manter. No entanto, como já dissemos saber dizer não faz parte de uma educação que se quer equilibrada e responsável. Além de ser um grande acto de amor por todas as boas consequências que se reflectirão ao longo do crescimento dos filhos!

 Psicóloga clínica e terapeuta familiar.

IN "PÚBLICO"
26/09/13

.
.



2-XXL



.
 Maxime Marin - Mãe de uma menina com 6,2kg que nasceu no Hospital Marina Salud, em Denia, Espanha.

.
Hospital Marina Salud in the Mediterranean city of Denia
Read more at http://www.oddee.com/item_98716.aspx#1tomCtosPTi3AJKj.99
Hospital Marina Salud in the Mediterranean city of Denia
Read more at http://www.oddee.com/item_98716.aspx#1tomCtosPTi3AJKj.99
Hospital Marina Salud in the Mediterranean city of Denia
Read more at http://www.oddee.com/item_98716.aspx#1tomCtosPTi3AJKj.99
Hospital Marina Salud in the Mediterranean city of Denia
Read more at http://www.oddee.com/item_98716.aspx#1tomCtosPTi3AJKj.99
.


I.HISTÓRIA DA


ELECTRICIDADE 



3-FAÍSCA



video


 FONTE:videoaulamil


.
.


1-XXL























Jasleen - Nasceu no University Hospital in Leipzig, Alemanha, 6,1kg, 57cm.

.
.

 QUEM LHES DISSE
 
QUE SABIAM CANTAR?


Zooey Deschanel


Deschanel mostrou que é muito mais do que uma pessoa com vários empregos quando formou com o músico M. Ward a banda SHE and HIM.


WHY DO YOU LET ME STAY HERE?


video




.
.
HOJE NO
"PÚBLICO"

Caixa de medicamentos vale prémio europeu a alunas portuguesas 

Três alunas da Escola Profissional de Rio Maior distinguidas em Praga com o projecto Smartkit.

Para já é uma caixa em acrílico, de aspecto modesto, mas que pode vir a desempenhar um papel importante para quem tem problemas de mobilidade e tem de tomar diariamente vários medicamentos. Chama-se SmartKit e foi o projecto levado por três alunas da Escola Profissional de Rio Maior ao concurso para jovens cientistas da União Europeia. Resultado: a caixa de medicamentos “inteligente” recebeu o prémio de originalidade e pode vir a ser comercializada em breve.


Em Junho deste ano chegou o primeiro prémio para o projecto SmartKit. Ficou em segundo lugar no 21.º Concurso Nacional para Jovens Cientistas e Investigadores, organizado pela Fundação da Juventude, e aberto o caminho para uma candidatura à 25.ª final europeia do EUCYS 2013 – European Union Contest for Young Scientists, que se realizou entre 20 e 25 passados.
Considerado “inovador” na primeira competição, voltou a receber o elogio em Praga pelo júri do EUCYS 2013, que considerou o projecto de Jéssica Marques, Jéssica Santos, ambas com 17 anos, e Soraia Gaspar, de 20, na área de Medicina, o mais original entre os 85 de várias áreas que foram a concurso e lhe atribuiu o prémio do European Patent Office, o gabinete europeu de patentes.
O SmartKit ainda é um protótipo. Feito em acrílico, permite guardar medicamentos para sete dias. Para cada dia existem seis compartimentos para as várias fases do dia, desde o jejum até ao deitar. É possível programar os alertas para as tomas manualmente, mas também por computador, tablet ou telemóvel, através de uma aplicação. Chegada a hora do medicamento é lançado um alerta sonoro e visual. O utilizador acciona um botão verde, a caixa abre e o medicamento é “entregue” ao doente num copo que se ergue através de um pequeno sistema elevatório. Se o doente falhar uma toma, o SmartKit permite o envio de uma mensagem ao cuidador, médico ou enfermeiro da pessoa a informar que não foi feita.

A ideia para a caixa partiu de uma das professoras da Escola Profissional de Rio Maior, médica de profissão. Ouvia queixas dos doentes a reclamar que era difícil tomar tantos medicamentos e às horas certas. Jéssica Marques, Jéssica Santos e Soraia Gaspar, na altura no 10.º ano do Curso Técnico Auxiliar de Saúde, pegaram na deixa e idealizaram o projecto, com o apoio de Maria João Maia, professora de Gestão e coordenadora de projectos de alunos, dos professores Anabela Figueiredo e Cristóvão Oliveira, e de Eusébio Almeida, colega do 11.º ano do Curso Técnico de Electrónica, Automação e Instrumentação.

Seguiu-se um estudo para saber se o kit teria espaço no mercado. “Tentámos perceber o que já existia nesta área. Descobrimos que a oferta existente era de produtos inseguros, frágeis”, conta a professora Maria João Maia.

Essa conclusão foi reforçada quando pediram a ajuda de idosos a cargo da Santa Casa da Misericórdia de Rio Maior para testarem as caixas de medicamentos que já existiam. Fizeram um vídeo e “foram muitas as dificuldades demonstradas pelos idosos e fragilidades pelos produtos”, diz a coordenadora.

Escola quer o SmartKit no mercado
Numa conversa telefónica com o PÚBLICO, alunas e professores envolvidos no projecto deixaram transparecer o entusiasmo de terem criado o SmarKit e recebido uma distinção a nível internacional.
Jéssica Santos sublinhou que é um produto que “pode ajudar a melhorar a forma como os cuidados de saúde são prestados” e quando apresentado nos dois concursos nacional e europeu “recebeu uma boa resposta”.

Anabela Figueiredo, arquitecta e professora de Geometria Descritiva na escola profissional, explica que a caixa vai continuar a ser melhorada. A equipa está a “testar diferentes sistemas” de funcionamento e o seu tamanho final não será o que levaram a concurso. O design também é outro. “O SmartKit no final terá cerca de 20 centímetros de comprimento e vai ser ergonómico, de fácil manuseamento. Queremos que seja o mais leve e mais barato possível para chegar ao maior número de pessoas”. Para já, a escola profissional não possui os meios tecnológicos para produzir um produto mais pequeno que o protótipo.

Com os prémios conseguidos e confiança no SmartKit a escola contactou alguns laboratórios farmacêuticos para a possível produção da caixa. “Houve interesse no que levámos”, admite Maria João Maia, que não quer, para já revelar se dentro em breve poderemos ver a caixa de medicamentos comercializada.
“Segurança, autonomia e produto inovador” são já as garantidas da equipa, diz Anabela Figueiredo. O slogan também já está criado “SmarKit, vale uma vida”.

Jéssica Marques, Jéssica Santos e Soraia Gaspar estão agora no 11º ano. Eusébio no 12º. Os projectos para uma futura vida profissional não se cruzam para todos. A Jéssica Marques quer seguir algo na área da Educação quando for para a universidade. Jéssica Santos e Soraia querem ser enfermeiras. Eusébio quer seguir Engenharia Electrotécnica. Prometem continuar a trabalhar no SmartKit qualquer que sejam as suas escolhas profissionais.

Enquanto partilham algumas visões do seu futuro, a conversa com o PÚBLICO é interrompida. "Acabou de chegar um email do ministério!", alguém diz do outro lado da linha. A mensagem, assinada por Daniel Oliveira, chefe do gabinete do secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, é de felicitação à alunas, professores e escola. Serve também para sublinhar a atribuição de um prémio europeu a "alunos de uma escola profissional" e a "relevância do ensino e formação profissional".

* A forte inteligência da mulher estudante portuguesa a contrastar com a inteligência débil do governo.

.
.

 O ANÃO QUE SE
TORNOU GIGANTE


video



.
.

HOJE NO
" DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Zonas afetadas pelos incêndios 
Quercus alerta que chuva 
pode contaminar água

A Quercus alertou hoje para o risco de erosão devido à chuva dos últimos dias que, através do arrastamento das cinzas e do solo, pode pôr em risco a qualidade da água nas zonas afetadas pelos incêndios florestais. 

Em comunicado, a associação ambientalista portuguesa acentua que "a preocupação é maior nos casos em que foram afetadas grandes bacias hidrográficas, como no incêndio de Picões, Alfândega da Fé, onde cerca de 15.000 hectares do vale do rio Sabor ficaram reduzidos a cinzas".

Nestes locais, destaca a Quercus, registou-se "a destruição de habitats protegidos, o arrastamento das cinzas e a erosão dos solos, com impacte negativo na qualidade da água e no assoreamento dos rios".

Na Serra do Caramulo, dada a vasta área ardida e os declives acentuados sobre os rios Agadão e Águeda, também "já foram detetados problemas com as primeiras chuvas", devendo as autoridades "estar alerta para as consequências do arrastamento das terras e cinzas, monitorizando a alteração da qualidade da água junto às captações de abastecimento público".

A Quercus explica que os impactes na qualidade da água estão associados ao aumento de nutrientes (azoto, fósforo, potássio, entre outros), metais pesados e hidrocarbonetos aromáticos policlínicos, que são tóxicos.

Nesse sentido, avisa que "deve ser efetuada uma monitorização adequada dos diversos parâmetros que permita aumentar o conhecimento disponível, bem como informação adicional sobre as medidas a tomar para minimizar estes problemas".

De acordo com as estimativas da associação ambientalista portuguesa, a erosão dos solos após incêndio pode atingir, em média, entre 45 e 56 toneladas por hectare.

* Estejamos atentos e em caso de suspeita é importatante alertar as autoridades. A Quercus é uma ONG muito importante na defesa do meio ambiente!

.
.


 1- O ENÓFILO















.
.

HOJE NO

" RECORD"

João Oliveira conquista
 ultramaratona Spartathlon 
Prova grega de 245,3 quilómetros

O ultramaratonista português João Oliveira venceu este no sábado a 31.ª edição da Spartathlon, prova grega de 245,3 quilómetros entre Atenas (Acrópole) e Sparta, com o tempo de 23h29m8s.

Oliveira, 36 anos, bateu o alemão Florian Reus (25h29m54s) no percurso que é apresentado como o mais difícil do Mundo, no qual se inclui uma subida feita à noite, que termina a 1.200 metros de altitude.

A húngara Szilvia Lubics, de 39 anos, foi 12.ª, arrebatando o troféu feminino, com o tempo de  28h3m4s.

* Apesar de considerarmos as ultramaratonas provas absurdas em termos de saúde, não podemos deixar de mostrar muito respeito pelo  sacrifício psico/físico desmedido a que os atletas são sujeitos.

.
.
 SONOPLASTIA

video


Um artefacto utilizado para produzir determinados sons  quando se efectua a montagem sonora de filmes. Existem também suportes magnéticos com efeitos sonoros.


.
.


HOJE NO
" CORREIO DA MANHÃ"

Seis alimentos que melhoram a visão

Investigações revelam que alimentos ricos em vitamina C e E, betacaroteno, zinco e ómega 3 ajudam a prevenir doenças oculares, associadas à idade.
Há seis alimentos que reduzem o risco de doenças oculares crónicas, segundo a revista mensal ‘Reader’s Digest’. 
Mais de 25 milhões de pessoas em todo o mundo são afetadas por este tipo de doenças de visão, frequentemente causadas por oxidação e inflamação dos olhos. 
De acordo com a Associação Americana de Optometria, esta é a principal causa de cegueira em pessoas com mais de 55 anos.

* A notícia  indica por imagens os alimentos que fazem bem: laranja, couve, milho, espinafre, broculos e ovos. 
As notícias "generalistas" sobre bens alimentares nunca são boas! 
Por exemplo o alimento laranja e qualquer citrino não dever ser ingerido por quem sofre de Hiperplasia benigna da próstata e o alimento ovo só dever ser comido bem cozido ou escalfado e com especial cautela para quem tem colesterol elevado. O ómega 3 deve ser ingerido aliado ao ómega 6.
Notícias sobre bens alimentares são fiaveis quando assinadas por médicos especialistas, dietistas ou nutricionistas.

.
.


 OS MAIS FEIOS



DO MUNDO














MAS DÃO A VIDA PELOS DONOS

.
.



HOJE NO
"i"


MAI admite "atraso" na divulgação de resultados eleitorais


As eleições de domingo vão ser as primeiras sem governos civis e com junção de freguesias

O ministro da Administração Interna admitiu hoje que possa haver um “atraso” na divulgação dos resultados eleitorais de domingo por causa da forma como será feita a transmissão de dados na sequência da agregação de freguesias.


Numa visita ao Centro de Recolha de Resultados Eleitorais, o ministro disse ser “previsível” que no domingo os resultados comecem a chegar “mais tarde” do que em atos eleitorais anteriores, porque as freguesias mais pequenas, por via da agregação, têm mais eleitores e demora mais tempo a proceder à votação.

Miguel Macedo lembrou ainda que nas freguesias agregadas, as mesas de votos continuam a existir nos dois locais das freguesias e por isso é ainda preciso fazer a agregação das duas mesas de voto para se obter o resultado definitivo dessa freguesia.

“Começarmos a receber os resultados um pouco mais tarde do que era habitual é normal nesta circunstância”, afirmou Miguel Macedo aos jornalistas.

As eleições de domingo vão ser as primeiras sem governos civis e com junção de freguesias, alterações que levam o ministro a reconhecer que possam vir a registar-se alguns problemas.
“Estivemos a trabalhar para que não haja problemas, mas são um volume importante de alterações, quer do ponto de vistas do escrutínio, quer do ponto de vista da organização eleitoral”, acrescentou.

Miguel Macedo explicou que em 259 municípios do país, os dados das freguesias sobre as eleições são enviados para as camaras municipais e são estas que os comunicam depois à base central do apuramento dos resultados eleitorais. Nos outros casos são as freguesias que comunicam directamente os dados à base.

O ministro disse também que o sms 3838 tem sido o meio mais utilizado para os eleitores saberem qual é o seu número de eleitor e reconheceu terem sido identificados alguns problemas na fase de testes relacionados com a comunicação de dados ou a largura da banda, mas minimizou-os explicando que “a fase de testes serve para isso”.

No Centro de Recolha de Resultados Eleitorais, da Direção-Geral da Administração Interna, o ministro visitou a sala onde vão ser monitorizados os resultados das eleições autárquicas de domingo.

* Inépcia total, se tivesse havido planeamento atempado não haveria atraso nenhum por que a informática tem as soluções devidas. Mais uma desmonstração de incompetência da tutela, muito menor que a dos incêndios porque esta foi uma tragédia.

.
.


TRABALHO E



VIRTUOSIDADE 


video


.
.
HOJE NO
" A BOLA"

João Sousa na final de Kuala Lumpur

O tenista português João Sousa venceu este sábado o austríaco Jurgen Melzer em três ´sets`, pelos parciais de 6-4, 3-6 e 6-4, garantindo um lugar na final do torneio de Kuala Lumpur (Malásia).
O vimaranense, número 77 mundial, gastou 2.03 horas para se impor ao 26.º do ranking ATP, escrevendo nova página de ouro na história do ténis português.

João Sousa causara sensação no torneio malaio ao afastar nos quartos-de-final o espanhol David Ferrer, quarto da hierarquia mundial, pelos parciais de 6-2 e 7-6 (8-6).

O tenista luso, de 24 anos, aguarda agora pelo desfecho do encontro entre o francês Julien Benneteau e o suíço Stanislas Wawrinka, segundo pré-designado em Kuala Lumpur, para conhecer o adversário da final.

João Sousa é o primeiro português a atingir uma final de um torneio do circuito ATP, em piso rápido, copiando o feito alcançado por Frederico Gil em 2010, quando atingiu o encontro decisivo do Estoril Open.

João Sousa já amealhou 61.500 euros com a presença na final de Kuala Lumpur, garantindo, pelo menos, 150 pontos para a hierarquia do ATP, que lhe vão permitir escalar lugares na classificação mundial. 

* Temos bons tenistas,precisamos que sejam muito bons, estes ou as gerações vindouras.
Parabéns João Sousa.

.
.


 UM LUXO 


EM SINGAPURA


video

O vídeo não tem legendas mas as imagens são esclarecedoras

.