terça-feira, 24 de setembro de 2013

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


.
SEXO NÃO É 
ACIDENTE/4



LEVA A CAMISINHA DE BOLSO?

.
.
8-ELEIÇOEIROS


.
.
T-SHIRTS
SORRIDENTES/17





















.
.
HOJE NO
" CORREIO DA MANHÃ"
.
Fraude fiscal de cinco milhões

A JP Sá Couto está entre os 32 arguidos acusados de fraude e associação criminosa.

A JP Sá Couto, criadora do computador Magalhães, e outros 32 arguidos começaram a ser julgados ontem, em Lisboa, por associação criminosa e fraude fiscal superior a cinco milhões de euros.
O PIRATA DO IVA

A defesa da empresa e do seu vice-presidente, João Paulo Sá Couto, reclamou a inocência dos seus clientes. "As compras e as vendas feitas pela JP Sá Couto são absolutamente normais. O que está aqui em causa são presunções dos funcionários do Fisco, os mesmos que sempre passaram declarações de que a empresa não tem dívidas fiscais", disse a advogada Paula Lourenço.

Em causa está um suposto esquema fraudulento, conhecido por "fraude carrossel", envolvendo 20 empresas informáticas, que tinha como objetivo evitar o pagamento do IVA. O Estado reclama da JP Sá Couto 72 mil euros relativos a alegada fuga ao Fisco entre 2001 e 2002. No total , as empresas são acusadas de desviar cinco milhões.

A acusação entende que a empresa foi contactada por um dos arguidos "para que assumisse a posição de elo final no esquema". Em contrapartida, a JP Sá Couto receberia um lucro de 4% sobre o total de mercadorias faturadas. Segundo o Ministério Público, João Paulo Sá Couto conhecia os objetivos da rede. 

* E Jorge Jesus é que noticiado como quase um bandido...

.
.

  
4.A arte 




da guerra







.
.
HOJE NO
" O PRIMEIRO DE JANEIRO"
.
Na Universidade de Lisboa
 Cerca de 12% dos alunos sentem-se deprimidos ou sozinhos 

Cerca de 12% dos alunos de licenciatura ou mestrado integrado da Universidade de Lisboa no ano letivo de 2012-2013 sentem-se frequentemente deprimidos ou sozinhos, segundo dados sobre consumos e estilos de vida no ensino superior. 


 O Estudo Consumos e Estilos de Vida no Ensino Superior, hoje apresentado e realizado em conjunto pelo Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e Dependências (SICAD), Observatório Permanente da Juventude do Instituto de Ciência Sociais da Universidade de Lisboa e Conselho Nacional da Juventude, procurou aferir os hábitos na prática de desporto, alimentação, lazer, ingestão de bebidas alcoólicas e consumo de substâncias psicoativas, inquirindo através da Internet mais de três mil alunos. 

Vítor Ferreira, investigador do ICS e coordenador do estudo, disse à Lusa que o objetivo do trabalho, que se pela primeira vez, teve como ponto de partida um facto pouco considerado em outros estudos, que é o de que “a vida universitária não se resume à sala de aula e que há uma série de eventos com efeitos na vida dos estudantes”. 

 O estudo revela que uma grande maioria (84%) dos alunos que afirma sentir-se sozinho declara também não ter hábitos de convivência social, como sair à noite ou ir a concertos, preferindo atividades individuais como a leitura, a escrita ou a pintura. Sobre os indicadores de bem-estar, Vítor Ferreira destacou ainda os 35,4% de alunos que admite ter sintomas de stress e ansiedade com muita frequência, com maior incidência nos alunos com notas elevadas de entrada na universidade; os 25,6% que reconhecem dificuldades de concentração recorrentes; e os mais de 50% que admitem ter dificuldades em adormecer. 

 Sobre os hábitos de sono, Vítor Ferreira revelou que “guardar tempo para descansar não é tão frequente quanto o desejável”, sendo que apenas 38% admitem dormir as oito horas diárias recomendadas. No entanto, continuou o coordenador do estudo, “há uma estratégia de compensação”: 61% dos jovens dorme nove horas ou mais durante o fim de semana". 

Mais de metade dos inquiridos reconhece ter piorado o estilo de vida desde a entrada para a universidade, mas quase 80% entende que a sua saúde é boa ou excelente quando comparada com a de outras pessoas da mesma idade. 

Quanto à pratica de atividades desportivas, 60% dos inquiridos admite ser sedentário, e as modalidades mais frequentes são as idas ao ginásio. Apenas 13% pratica um desporto de equipa. São também os alunos das áreas da ciência da vida que mais praticam desporto, mas também os que mais evidenciam cuidados com a alimentação. 


Entre os alunos, 58% dizem preocupar-se em ter uma alimentação saudável, mas 69% considera que a sua alimentação é apenas “razoavelmente boa” para a saúde, ou seja, admitem que podiam fazer melhor. A maioria opta por almoçar em casa ou na cantina da universidade, e são 58% os que garantem que comem ‘fast-food’ menos de uma vez por semana. Estão também em maioria os que afirmam não saltar o almoço ou o jantar (57%), mas 13% admite que não toma o pequeno-almoço três ou mais vezes por semana. 

Vítor Ferreira referiu também que há uma relação entre as origens sociais mais desfavorecidas dos alunos e os piores hábitos alimentares identificados. O estudo vai dar lugar a um relatório, no qual serão incluídas recomendações que refletem as preocupações identificadas pelos universitários, entre as quais a variedade e qualidade dos alimentos, o custo excessivo das refeições saudáveis face ao ‘fast-food’, o espaço reduzido nas universidades para quem traz refeições de casa, a prática não regular da atividade desportiva ou a associação do consumo de substâncias psicoativas ao cansaço e sono. 

Os estudantes querem ainda que espaços e eventos académicos como a Queima das Fitas, normalmente associados a excessos, sejam aproveitados para passar mensagens de estilos de vida mais saudáveis.

* As angústias destes jovens têm sentido, estão a poucos anos do mercado de trabalho e o horizonte não é prazeiroso, temos de mudar os políticos.

.
.

  4-JOSÉ SARAMAGO





.
.


HOJE NO
" DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
.
Dois milhões de crianças 
em risco de desnutrição

Mais de dois milhões de crianças sírias estão em risco de desnutrição em resultado do conflito no país, alertou na segunda-feira a organização humanitária britânica "Save the Children" (Salvem as Crianças). 

Esta organização não-governamental (ONG) assinalou, em comunicado, que os afetados pelos confrontos bélicos na síria não têm podido comprar alimentação em quantidade suficiente, além de que os preços alimentares têm subido e há dificuldades para a produção de alimentos.

Nas zonas rurais de Damasco, um em cada 20 menores já está subnutrido, quantificou a ONG, que reuniu testemunhos de pessoas refugiadas nos países vizinhos, que denunciaram as dificuldades das famílias para alimentar os filhos.

A ONG assinala que muitas crianças têm vivido de plantas e pão durante dias e cita ainda o caso de uma família que se alimentou apenas de pão durante quatro dias, depois de se ter refugiado no sótão de uma casa, no seguimento de explosões.

A falta de alimentos disparou os despectivos preços para níveis que chegaram a duplicar os valores iniciais, segundo a organização.
"A comunidade internacional fez muito pouco e muito tarde. Os meninos da Síria têm sido alvejados e bombardeados e vão ficar traumatizados pelo horror da guerra. O conflito deixou milhares de crianças mortas e agora há uma ameaça de escassez de meios para sobreviver", disse o diretor da organização, Justin Forsyth.

Este dirigente acrescentou que as crianças sírias estão "sós e traumatizadas" pela guerra.
"Mesmo que o mundo não consiga colocar-se de acordo sobre como acabar com o conflito, de certeza que pode colocar-se de acordo em que a ajuda deve chegar a cada criança que dela necessite na Síria. Não há espaço para adiamentos ou argumentos. Não se devia deixar que as crianças da Síria passassem fome", insistiu.

* O problema das crianças sírias não advém do conflito armado, antes já eram brutalmente desprezadas pelo bandido Assad. A comunidade internacional tem o dever de ajudar estes meninos independentemente de fazer uma "forçinha" para enfiar um tiro no Hafez.

.

ZURAIDA SOARES

.



Bater sempre nos mesmos

A partir do dia 28 de Setembro, por imposição da maioria PSD/CDS, os/as trabalhadores/as da função pública têm um horário de 40 horas semanais.

Ou seja, para além do aumento de horas de trabalho, vão sofrer uma diminuição real do salário, em 14%.

Para corrigir uma injustiça, relativamente aos trabalhadores do privado, clamam Passos e Portas. Mas, pergunto: porque é que o nivelamento é sempre por baixo, quando se trata dos direitos dos trabalhadores? A verdade é que nas empresas maiores e mais lucrativas, em Portugal (ANA, EDP ou PT), o horário semanal é inferior a 40 horas.

Esta imposição junta-se ao corte dos subsídios e pensões, diminuição das prestações sociais, aumento da carga fiscal e empobrecimento geral da população, para além de um desemprego gigantesco. Tudo, em nome de uma dívida que este ano exige, só de juros, 7,5 mil milhões de euros e que, em vez de diminuir, aumenta: é 131% do PIB, há dois anos, era 97%. Uma dívida impagável que interessa ao PSD e CDS manter, para continuar a satisfazer as rendas da banca nacional e internacional.

Ora, os/as trabalhadores/as da administração regional, podiam ser poupados a mais este desmando.
Mas a maioria parlamentar e o Governo Regional, porque estão amarrados ao acordo que fizeram (ainda no tempo de Vítor Gaspar), não ousam usar a Autonomia para defender os/as trabalhadores/as dos Açores.

Já foi assim, com os subsídios de férias e de natal, com o Código de Trabalho, com o aumento do salário mínimo regional e é, agora, com mais este atentado.

O Partido Socialista derrama para cima dos/as trabalhadores/as Açorianos/as lágrimas de compaixão e aponta o dedo acusador ao PSD e CDS – o que dá bastante jeito, em vésperas de eleições…
Todos/as nós sabemos que, em matéria de direitos dos trabalhadores, nunca se conta com o PSD e CDS: estão sempre do outro lado da barricada, contra quem trabalha.

Contudo, esperava-se do PS/Açores uma postura séria e não a aldrabice com que querem enganar os/as trabalhadores/as da administração regional.

A manobra do PS é simples: finge que nada pode fazer, por imperativos legais. A única solução é pedir que a Assembleia da República autorize o Parlamento Regional a legislar, para manter as 35 horas.

O resultado é antecipável: PSD e CDS, na República, votam contra, como é óbvio. Parece a história do ladrão que vai perguntar ao polícia se pode assaltar a ourivesaria!
É indecorosa esta trapalhada.

Ao PS só cabia assumir as prerrogativas da Autonomia e legislar sobre a matéria. Quanto ao problema constitucional - visto que há opiniões para todos os gostos, sobre esta matéria -, deixemos o Tribunal Constitucional decidir.

É esta a posição que o Bloco de Esquerda vai levar à Assembleia Legislativa dos Açores, já anunciada, em Julho passado.

Mais uma vez o PS/Açores, amarrado ao Memorando regional que assinou com Vítor Gaspar, não afronta o Governo da República. Não defende os/as Açorianos/as, nem defende a Autonomia. Prefere fazer jogos de baixa política, iludindo todos/as, para ganhar uns votinhos.

IN "AÇOREANO ORIENTAL"
20/09/13

.
.
HOJE NO

"RECORD"
.
Van Dijk sagra-se 
campeã do Mundo de contrarrelógio 
Conclui 22,05 km em 27,48 minutos

A holandesa Ellen Van Dijk conquistou esta terça-feira o seu primeiro título de campeã do Mundo de contrarrelógio, em Florença, onde decorrem os Campeonatos do Mundo.

Aos 26 anos, Van Dijk foi a mais rápida na especialidade, ao concluir os 22,05 quilómetros do percurso em 27,48 minutos, depois de no domingo já ter conquistado o título no "crono" por equipas, com a Specialized-Lululemon.

Na corrida de hoje, Van Dijk, que sucedeu no historial à alemã Judith Arndt, campeã em 2011 e 2012, gastou menos 24 segundos do que a neozelandesa Linda Villumsen e menos 28 do que a norte-americana Carmen Small, que conquistaram as medalhas de prata e bronze, respetivamente.

Na quarta-feira, Tiago Machado e Nelson Oliveira vão enfrentar os 57,9 quilómetros da prova de contrarrelógio em elites. 

* Uma excelente média.

.
.
 4-AVES
MIGRATÓRIAS




.
.
HOJE NO
" JORNAL DE NOTÍCIAS"

Famílias que peçam ajuda serão acompanhadas por gestor do Estado

As famílias em situação de pobreza ou exclusão e que peçam ajuda à Segurança Social vão passar a ter um gestor que irá planificar e definir os diferentes apoios, no âmbito da nova Rede Nacional de Intervenção Social. 
A medida foi publicada esta terça-feira, em Diário da República e só deverá estar no terreno em finais de novembro, depois de passados os 60 dias que o Instituto de Segurança Social tem para definir as regras de operacionalização e funcionamento, bem como as formas de financiamento das entidades aderentes.

De acordo com informação do Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social (MSESS), a Rede Nacional de Intervenção Social (RNIS+) pretende ser um "apoio técnico para um acompanhamento efetivo das famílias em situação vulnerável".
Dentro desta rede haverá equipas que "realizarão um acompanhamento de proximidade ajustado às características de cada família, tendo por base um plano de intervenção contratualizado e definido com a família".

Significa isso que, a partir do momento que a RNIS+ esteja operacional, quando uma família pedir ajuda à Segurança Social será reencaminhada para um gestor, ou seja, um "técnico planificador e responsável pela execução dos diferentes apoios prestados a cada família".
Em causa estão equipas multidisciplinares, constituídas não só por técnicos da Segurança Social, mas também instituições e outros agentes da comunidade.

"Pretende-se que cada interveniente no processo (família, técnicos e setores especializados) assuma as responsabilidades com vista a uma plena autonomia das famílias", explica o MSESS.
Por outro lado, a rede pressupõe uma "cultura de direitos e obrigações", pretende ser transversal, já que abrange vários setores, e próxima, chegando mais facilmente aos cidadãos.
No entender da tutela, a RNIS+ exige uma "parceria estratégica que canalize com maior eficácia e eficiência os recursos de resposta às necessidades das populações".

Será, por isso, "alargada e articulada com as diferentes intervenções que estão já organizadas no terreno e que de forma especializada têm intervenções subsidiárias no âmbito da proteção social".
De acordo com o despacho publicado, são objetivos da RNIS+ o acolhimento social imediato em situações de crise e/ou emergência social, o atendimento das situações de vulnerabilidade, o que pressupõe a disponibilização de recursos financeiros; a coordenação eficiente de todos os meios e recursos e o reforço da plataforma de cooperação definida com as instituições que atuam localmente.

* Se esta medida for levada a sério ainda bem , mas já se sussurra que é uma "nova rede" para dar emprego  à nova fornada de meninas e meninos "jotas" do covil da governação.

.
.

 QUEM LHES DISSE
 
QUE SABIAM CANTAR?


MINNIE DRIVER


Antes de ser actriz divagou por algumas bandas, após o filme que a colocou na ribalta, Good Will Hunting, tentou uma carreira a solo com  Everything I've Got In My Pocket em 2004 e um outro album em 2007 Seastories, mas como a dela existem milhões de vozes que não são para estrelar.

BELOVED


 


.
.
HOJE NO
" JORNAL DE NEGÓCIOS"

Receita fiscal sem folga 
para o resto do ano

Encaixe com IRC e IRS está a compensar o desempenho negativo do IVA. As receitas com a tributação do consumo estão a recuar 2,3%.
As administrações públicas arrecadaram 22.848 milhões de euros em receita fiscal nos primeiros oito meses do ano, o que representa um crescimento homólogo de 4%, um valor igual à meta anual estabelecida no orçamento rectificativo, calcula o próprio ministério das Finanças.

O FISCO
Isto significa que nos restantes quatro meses do ano não há margem para falhar nem execução das receitas, nem na das despesas. A preocupação nesta frente aumenta pelo facto da taxa de crescimento homóloga da receita fiscal ter caído em dois meses consecutivos (foi de 6,5% em Junho).

O encaixe fiscal está a beneficiar de um aumento homólogo de cerca de 19% da receita com impostos directos, um valor que supera a taxa de 15,9% orçamentada para o total do ano. Só a receita de IRS cresceu 30% ou 1700 milhões de euros nos primeiros oito meses do ano, a tradução do aumento de impostos decretado para este ano.

O IRC também está a evoluir a bom ritmo, crescendo 6% em termos homólogos, o que equivale a 150 milhões de euros, e ultrapassa em muito a meta de 3,1% para o total do ano.
Piores notícias chegam do lado dos impostos indirectos que, segundo a DGO, registaram um recuo de 5,2% em termos homólogos, o qual temer pela meta de uma queda de 4% inscrita no orçamento rectificativo.

Considerando apenas os impostos indirectos cobrados pelo subsector Estado (isto é, excluindo serviços e fundos autónomos e institutos), as receitas com a tributação do consumo estão a recuar 2,3%, puxada por quedas de 2,1% no IVA e de 3,6% no ISP, os dois impostos indirectos com mais peso. O Governo explica em parte o mau desempenho do IVA por um aumento de reembolsos, e sublinha bons desempenhos noutros impostos menos relevantes, como Selo, IABA, ISV e IUC.

Também a penalizar as contas do lado da receita estão as contribuições para a Segurança Social que, entre Janeiro e Agosto, ascenderam a 11.943 milhões de euros, mais 6,3% que no ano anterior, mas aquém dos 9,5% de meta anual. O crescimento expressivo é em parte explicado pela devolução de um salários aos funcionários públicos que se traduz também em mais receita da CGA.

Considerando apenas os contratos individuais de trabalho, que incluem essencialmente o sector privado, conclui-se que a receita com contribuições e quotizações cresceu 0,2% em termos homólogos.

* A felicidade da ministra face às receitas fiscais, é directamente proporcional à pobreza dos portugueses.

.
.


O CICLO



DO CÓCÓ 






.
.
HOJE NO
"DESTAK"

Dores que se prolongam 
para além da escola

 Cadeiras e mesas escolares pequenas contribuem para dores que se prolongam durante a idade adulta. 

 Que o peso a mais transportado nas mochilas causa dores nas costas dos mais pequenos é certo e sabido. Mas o que um estudo realizado por uma equipa do Laboratório de Biomecânica e Morfologia Funcional da Universidade de Lisboa agora comprova é que as mesas baixas e cadeiras escolares subdimensionadas, onde os alunos passam cada vez mais horas sentados, são também determinantes para as dores lombares sentidas por cada vez mais crianças em idade escolar e adolescentes.


O trabalho, que terá honras de publicação na revista International journal of human factors and ergonomics, conclui que quase dois terços dos alunos estudados (138), comidades entre os 12 e os 15 anos, sofrem de dor nas costas, sendo a grande diferença entre a altura da mesa e a altura do cotovelo associada a uma maior probabilidade de sofrerem com este problema. 

Por isso, os especialistas reforçam «a importância de estudar o ambiente escolar para estabelecer programas preventivos para a dor nas costas em jovens». Até porque é reconhecido que quem sofre na infância tem tendência a sofrer também na fase adulta, a não ser que o problema seja adequadamente tratado.

* Uma informação que pode dar geito:
- O ser humano é o único  mamífero que se senta em cima do rabo, cócix. Qualquer pessoa sentada está a exercer uma compressão em toda a coluna vertebral no sentido de baixo para cima.
- Se tiver paciência faça o seguinte: pegue em duas toalhas de rosto enrole-as uma na outra de modo a fazer um "chouriço" e antes de se sentar coloque-o no tampo de modo a ficar sensivelmente sob a linha média das coxas. Deste modo o cócix fica suspenso do assento por um pequeno vão que evita a pressão acima mencionada. Ajuste a posição do rolo consoante o comprimento das coxas e não se esqueça de se encostar ao espaldar. Ao fim de poucos dias sentirá diferença na sua coluna.

.
.

HIPPIES DO 



SEC XXI










SERÃO MESMO?

.
.
HOJE NO
"i"

Deco considera que "serviços ilimitados" das operadoras de telecomunicações 
são "publicidade enganosa"

A Deco classifica de “publicidade enganosa” os anúncios das operadoras de telecomunicações em Portugal, que anunciam “serviços ilimitados”.

A Associação de Defesa do Consumidor avançou com uma queixa junto da Direcção-geral do consumidor, onde apresentam os dados publicados na peça “Tarifários ilimitados mas só na publicidade”, que foi publicada na revista Proteste.

"Apesar de apresentados como 'ilimitados', a maioria dos serviços não podem ser usados sem restrições", além de que "as operadoras não são claras a informar o consumidor", refere o artigo. A associação exige ainda a proibição da expressão “ilimitada” ou equivalente, quando, “na verdade, o serviço apresenta limites”.

“As operadoras definem regras, que apelidam de política de utilização responsável ou aceitável, por exemplo, mas que apenas servem para lhes dar o direito de administrar os limites das chamadas, mensagens e/ou Net a seu favor”, acrescenta ainda a Deco.

* Existem operadoras que afirmam ser a entidade reguladora a impor a política de utilização responsável, desconfiamos ser falsa essa afirmação!

.
.
DANÇANDO




.
.
HOJE NO
"A BOLA"

Federação abriu inquérito 
disciplinar a Jorge Jesus

O Conselho de Disciplina da federação abriu um inquérito disciplinar ao treinador do Benfica, Jorge Jesus, na sequência dos incidentes registados no final do encontro em Guimarães, no passado domingo.
ARMOU-SE EM VARINA
O processo segue para a Comissão de Instrução e Inquéritos, que tem 15 dias para remeter o caso para o CD para depois ser deduzida, ou não a acusação. Recorde-se que Jorge Jesus arrisca uma suspensão desportiva que pode ir de três meses a três anos.

Entretanto, a Polícia de Segurança Pública já enviou o auto de notícia dos factos ocorridos após o encontro no Estádio D. Afonso Henriques para o Tribunal Judicial de Guimarães. O Ministério Público deverá determinar a organização do inquérito para juntar provas e julgar o arguido.

* Já aqui considerámos Jorge Jesus bom treinador mas cenas patéticas francamente...

 
.

EXTREMOS

 Cathie Jung
A cintura mais pequena do mundo-15polegadas
Tirou costelas?!


 Svetlana Pankratova 
As pernas mais compridas do mundo
Que belo horizonte


 Vivian Wheeler 
A mulher mais barbuda
Um bom anúncio para máquina de barbear 


 Lui Hua
Mão disforme
A cirurgia plástica não resolve???


 Annika Irmler
A mais linguaruda 
Huummm!



 Radhakant Baijpai
Orelhas cabeludas
Que tal uns laçarotes?


 Mehmet Ozyurek
A maior penca
Em caso de necessidade...


 
Devendra Harne
Seis dedos
A cirurgia resolve 


.

.
.


HOJE NO
"PÚBLICO"

17 países europeus declaram apoio
a ministra italiana alvo de racismo

Cécile Kyenge tem sido alvo de frequentes insultos desde que foi nomeada ministra para a Integração do Governo de Enrico Letta.

“Stop ao racismo, é preciso reafirmar os valores europeus”: num gesto inédito, 17 países europeus, incluindo Portugal, deram o seu apoio à ministra italiana Cécile Kyenge, alvo frequente de insultos racistas, numa “Declaração de Roma” assinada nesta segunda-feira.


Era preciso fazer “qualquer coisa rapidamente para dizer ‘basta, isto é inaceitável’, explicou à AFP a vice-primeira-ministra belga Joëlle Milquet, que foi a promotora da iniciativa.

Depois de ter sido nomeada ministra da Integração do Governo de Enrico Letta, Cécile Kyenge (que é originária da República Democrática do Congo) já foi chamada de orangotango por um ministro da Liga Norte, partido xenófobo que é contra a imigração, foram-lhe atiradas bananas durante um comício, e é alvo frequente de todo o tipo de insultos racistas nas redes sociais.

“Estou completamente chocada, enquanto mulher e democrata, de ver que em 2013 ainda se pode insultar uma ministra legitimamente eleita”, disse Milquet , que acumula a vice-presidência do seu país com a pasta do Interior. Para a responsável belga “era urgente reafirmar os valores da Europa” antes das eleições europeias de Maio de 2014.
Aos jornalistas, Cécile Kyenge disse apreciar o gesto dos seus colegas europeus, mesmo que “o problema não diga respeito apenas a mim”, mas também “às instituições”. Segundo a ministra italiana, o seu caso fez “ressurgir questões que pareciam enterradas mas que estão agora a ressurgir.”

“A Europa é feita de pessoas com cores de pele diferentes, com religiões diferentes, é feita de gente que nasceu no estrangeiro mas que escolheu este continente”, disse Kyenge.
O ministro grego do Interior, Ioannis Michelakis, que viajou até Roma “para apoiar a ministra”, sublinhou o empenho do seu país contra o racismo, a xenofobia e as descriminações”. Atenas, recordou o ministro, está actualmente a travar uma luta para “ destruir o partido neonazi Aurora Dourada, por detrás do qual se esconde uma organização criminosa do tipo paramilitar”.

“A Grécia não é um país racista”, sublinhou Michelakis, apelando à Europa para intervir rapidamente face a este “mal-estar social criado pela crise e pelo aumento em flecha do desemprego”.

A ministra Milquet relembrou que “em todos os países europeus, os partidos de extrema-direita têm vindo a crescer, sejam eles assumidos ou escondendo-se quando defendem a ‘preferência nacional’ ou quando estigmatizam as pessoas de origem estrangeira ou a sua confissão religiosa”.

A Declaração de Roma sublinha que os políticos têm “uma responsabilidade particular” em dar o exemplo na luta contra o racismo e a xenofobia, e pede-lhes que “mostrem determinação nessa luta, tanto nas palavras como nos gestos”.

 * A mãe do nazismo, do fascismo ou outra qualquer ditadura é a xenofobia.

.
.
C H I Ç A




.
.

 HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Apostas em catástrofes 
rendem 60% em cinco anos

As “obrigações catástrofe” são uma das classes de activos que mais ganhos dão aos investidores.

Há uma nova classe de activos a seduzir investidores e a proporcionar ganhos aparentemente descorrelacionados do andamento geral dos mercados financeiros. Tratam-se das obrigações catástrofe, instrumentos de dívida emitidos por seguradoras ou por entidades que queiram proteger um determinado activo e cujo desempenho está dependente da ocorrência de catástrofes naturais.
UM GRANDE NEGÓCIO

De acordo com um dos principais índices que mede o desempenho destes instrumentos, desenvolvido pela Swiss Re, as obrigações catástrofe rendem 8,8% desde o início do ano. Nos últimos cinco anos são mesmo um dos instrumentos mais rentáveis nos mercados de capitais, com uma valorização de 62,5%. As acções mundiais, medidas pelo MSCI World, rendem 16,4% desde o início do ano e 24,5% nos últimos cinco anos. E as obrigações catástrofe têm um desempenho bastante superior ao das obrigações de alta rendibilidade, com o índice de dívida ‘high yield' a avançar 1,9% desde o início do ano e 18% nos últimos cinco anos.

* A mórbida economia... 

.
.

1-SABORES 

EMBALADOS














.