segunda-feira, 9 de setembro de 2013

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


.



O QUE NÓS

APRENDEMOS! 

EUROSTAT:DESEMPREGO




.
.
2.ACHTERLAND
 COREOGRAFIA DE 
ANNE TERESA DE KEERSMAEKER





Achterland, filmé par le chorégraphe flamand Anne Teresa De Keersmaeker, est une nouvelle manifestation de son intérêt pour les différences entre hommes et femmes. Elle se concentre sur la diversité et la multiplicité du concept de la féminité. Dans Achterland, la chorégraphe fait appel pour la première fois à des musiciens qui, en plus de jouer en direct, prennent également part au jeu théâtral. Des caractéristiques récurrentes de son travail peuvent être observées dans sa chorégraphie: références à des travaux antérieurs, mouvements maintenus jusqu’à la limite de l’endurance, répétitions, courses en rond rapide, ainsi que les rencontres intenses entre hommes et femmes.

.
.




HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Aviso para chá e mel nos bebés

Crianças com idade inferior a dois anos não devem ingerir mel nem chá de camomila.

Os especialistas do Instituto Doutor Ricardo Jorge desaconselham o uso de mel e chá de ervas na alimentação infantil. Este aviso surge depois de ter sido detetado, em novembro de 2009, o primeiro caso de botulismo infantil em Portugal. Um bebé com um mês de idade, natural de Cascais e filho de pais imigrantes da Moldávia, recusava-se a comer há 3 dias e foi levado para o Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental. Após inquérito, determinou-se que era alimentado com leite materno, ingerindo também mel e uma infusão de folhas de camomila, provenientes da Moldávia.

Frequentemente, em livros, revistas e em sites da internet encontram-se conselhos, dirigidos às mães, no sentido de darem chá de camomila às crianças, caso necessitem de os acalmar, para aliviar dores de dentes ou tratar cólicas infantis.

Neste sentido, os especialistas do Instituto Dr. Ricardo Jorge alertam para uma "desinformação" que pode contribuir para o aumento do número de crianças em situação de risco e aconselha os pais a não disponibilizarem mel e chá de ervas na alimentação das suas crianças. O botulismo infantil é considerado uma doença neuroparalisante, rara e grave para as crianças com idade inferior a dois anos. 

* No que respeita aos hábitos alimentares de crianças há supinos hábitos que só acabam com  enxertos de porrada nos pais. Não é por falta de informação que as pessoas não aprendem, por exemplo, quem disse a estas "bestas" que fast food e bolas de Berlim  são boa comida?

.
.


 AMIGAS DO 


PEITO!


Aviso aos Srs. Visitadores

Este vídeo tem um linguagem imprópria e grosseira para ouvidos sensíveis. No entanto temos todo interesse em divulgá-lo pois tanto o texto como a interpretação dos actores são de bom nível. 

Oxalá a vossa curiosidade 
seja mais forte que o pudor




.
.
HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Nos primeiros seis meses do ano CTT atinge os 31,6 milhões de euros

 O lucro dos CTT – Correios de Portugal atingiu os 31,6 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, uma subida de 2,8% em relação aos 30,8 milhões de euros registados no mesmo período de 2012. 

No comunicado em que divulga os resultados dos primeiros seis meses deste ano, a empresa adianta que o lucro se traduziu num “resultado líquido por ação de 1,81 euros e numa margem líquida sobre os rendimentos operacionais consolidados de 9,1%”. O EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) atingiu os 52,7 milhões de euros, uma subida de 5,9% relativamente aos 49,7 milhões de euros registados no primeiro semestre de 2012, “não obstante em 2013 estar incorporado o pagamento do subsídio de Natal, não pago à maioria dos trabalhadores em 2012”. 


Os resultados operacionais (EBIT) subiram 4,8% para 38,9 milhões de euros. Os gastos operacionais consolidados ascenderam a 296,4 milhões de euros, menos 15,6 milhões de euros em relação ao valor registado no primeiro semestre de 2012, "refletindo as medidas tomadas pelos CTT para redução dos custos que superaram o custo da reintrodução do subsídio de Natal em 2013". 

Os rendimentos operacionais, por sua vez, baixaram 3,5% para 349,1 milhões de euros, com os rendimentos do Correio a recuarem 3,9% e os de Expresso e Encomendas a caírem 3,1%, enquanto os dos serviços financeiros cresceram 1%. “A par das pressões estruturais sobre o setor e da liberalização gradual do mercado, o ambiente económico adverso colocou pressão para a redução de gastos nos grandes clientes empresariais e originou um menor nível de atividade económica, contribuindo todos estes fatores para a redução dos rendimentos verificada”, justificam os CTT.

 No que respeita ao número de trabalhadores, foi registada uma redução de 6,7%, por reformas e não renovação de contratos a termo certo, segundo os CTT. “Em consequência da necessária política de ajustamento dos recursos humanos à evolução do mercado, que obriga a uma forte orientação para a redução continuada de custos, no final do primeiro semestre de 2013 o número de trabalhadores dos CTT (efetivos do quadro e contratados a termo) ascendia a 13 156, menos 939 (-6,7%) do que no final do primeiro semestre de 2012”, afirma a empresa. 

No final de junho de 2013, os CTT tinham 2518 lojas, sendo 625 lojas próprias e 1893 em parceria (Postos de Correio), 310 centros de distribuição postal e operavam 3018 veículos.

* Compreende-se que os partidos do governo queiram vender aos amigalhaços esta empresa.

.
.
2.O CRISTAL A DROGA
MAIS PODEROSA




.
.
HOJE NO
" DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Arranca fiscalização cintos
 de segurança e cadeirinhas

A GNR arranca hoje, em todo do país, com uma operação de fiscalização do uso de cinto de segurança e de sistemas de retenção para crianças, anunciou a força policial.
Num comunicado hoje divulgado, a GNR refere que, no âmbito da Operação Tispol, "militares dos comandos territoriais e da Unidade de Nacional de Transito, num total de 5.374, levam a efeito 2.506 ações de fiscalização especialmente orientadas para as vias onde as infrações por falta de uso de dispositivos de retenção são mais frequentes, designadamente nas localidades e nas imediações dos estabelecimentos de ensino e vias situadas no interior das localidades".
A operação termina no domingo, 15 de setembro.


A GNR refere que, entre janeiro e junho, foram contabilizadas 13.173 transgressões por falta de uso de cinto de segurança e 829 por falta de sistemas de retenção para crianças (SRC).
Em 2012, a GNR "registou 26.993 infrações relacionadas com a falta de uso do cinto de segurança e 1.438 relativamente aos SRC", pode ler-se na nota.


Esta operação de fiscalização faz parte do plano definido pela European Police Network (TISPOL), organismo que congrega todas as polícias de trânsito da Europa e no qual a GNR é o representante português. 

* A verdade é que existem milhares de energúmenos que arriscam a vida dos filhos.

.

FERNANDO SANTOS

.






As castanhas à porta da guerra

"Cheguei à guerra eram sete horas da manhã. Estava a guerra ainda fechada. E estava uma mulherzinha a vender castanhas à porta da guerra. E eu perguntei: Minha senhora, faz favor, pode dizer-me se aqui é que é a guerra de 1908? Não, é mais acima, aqui é a guerra de 1906. Subi dois andares, cheguei mais acima, estavam a abrir as portas onduladas da guerra já eram 9 e tal". 
Fez rir gerações esta parte de um "sketch" famosíssimo, interpretado por Raul Solnado, nome maior do teatro português. Hoje, adaptadas as datas, caricatura bem o barril de pólvora instalado no Médio Oriente - e o cinismo da comunidade internacional.

Esquecido dos resultados desastrados da guerra no Afeganistão, no Iraque e na Líbia, um conjunto de românticos exultou há dois anos com o surgimento de movimentos populares aparentemente adeptos do derrube de um naipe de regimes ditatoriais, substituindo-os por democracias. E, afinal, a Primavera Árabe rapidamente se transformou num movimento cascata, travestido, de substituição de dirigentes facínoras por outros facínoras.

Se os sinais de extremismo saídos do Egito são eloquentes, a guerra civil instaurada na Síria aponta ao limiar do erro de análise. E a um lamentável aproveitamento (outra vez) das grandes potências, exercitando-se o cúmulo do cinismo.

Dois milhões de deslocados e 110 mil mortos depois, os pretensos polícias do Mundo - Estados Unidos, França, Inglaterra e mais uns acolitozitos - espreitaram em 1300 assassinatos por armas químicas a hipótese de se fazerem notar moralistas, escondendo no conceito o despique geoestratégico e as altas negociatas, do armamento ao gás e ao petróleo. 

O anúncio de um ataque ao arsenal do ditador Bashar al-Assad está por um fio. Barack Obama, o Nobel da Paz, deverá receber luz verde do Congresso americano na segunda--feira e a partir daí seguir-se-á o fogo à peça - o veto também geoestratégico da Rússia e da China no Conselho de Segurança da ONU vale zero. Um cenário repetido.

Não nos enganemos: a escalada armamentista no conflito sírio só agravará fúrias do enorme vespeiro em que está transformado o Médio Oriente. A passagem da ideia de uma intervenção destinada a repor patamares mínimos de dignidade da condição humana naquela região do Mundo é falaciosa. E tão perigosa quanto a tese da necessidade de dar uma lição a um regime repugnante - mas, apesar de tudo, sem cercear o convívio entre comunidades religiosas diversas. E todos sabem estar a Oposição fragmentada, constituída por extremistas de sinal contrário e grupos de bandoleiros e terroristas de quilate semelhante - ou pior. 

Perante o comportamento dos senhores do Mundo, é difícil compreender como ainda nos admiramos com o exército de hipócritas mais próximos das nossas vidas - estejam eles nos locais de trabalho ou no bairro em que habitamos.

A Barack Obama, François Hollande, David Cameron e acólitos devia ser passado o som de Solnado sobre a guerra de 1908. Seria difícil, mas talvez o riso os desarmasse da ganância.

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
07/09/13

.
.
HOJE NO
"RECORD"

Lutas amadoras: 
Hugo Passos e Ruben Moniz nos mundiais

Hugo Passos (-66 kg) e Ruben Moniz (-60 kg) vão representar Portugal na competição de luta greco-romana dos Campeonatos do Mundo de lutas amadoras, que vão decorrer entre os próximos dias 16 e 22 em Budapeste, na Hungria.

"Esperamos o melhor possível, bater-nos de igual para igual com qualquer adversário que nos toque em sorteio. Se as coisas correrem pelo melhor - sabendo que é difícil e tivemos limitações na preparação - não será descabido esperar, pelo menos para o Hugo Passos, um diploma, ou seja, um lugar nos 10 primeiros", disse à Lusa o presidente da Federação Portuguesa de Lutas Amadoras.

Pedro Silva lamentou, no entanto, a impossibilidade de dar aos atletas as melhores condições de trabalho. "Com os cortes ao financiamento que o movimento associativo sofreu nos últimos anos - e principalmente este ano - não tivemos possibilidade de conseguir a preparação ideal para estes mundiais. Ainda assim, e tendo em conta a experiencia e qualidade dos lutadores presentes, esperamos um bom desempenho", referiu.

Hugo Passos, que competiu em Atenas'2004, sagrou-se no fim de junho tetracampeão surdolímpico, sendo que o atleta conta no seu currículo três títulos mundiais e dois europeus em greco-romana, tendo sido ainda vice-campeão europeu júnior e ganho mais de 10 torneios da federação internacional.

Passos compete a 22 de setembro, um dia depois de Ruben Moniz.

* Trabalhadores quase anónimos que honram o país, um bom exemplo para os políticos que teimam em não aprender.

.
.
ALIENÍGENAS DO
 PASSADO

2. TECNOLOGIA ALIENÍGINA





.
.

  HOJE NO
" JORNAL DE NOTÍCIAS"

Cortes poupam pensões de sobrevivência abaixo dos 419 euros

As pensões do Estado inferiores a 600 euros e as pensões de sobrevivência inferiores a 419 euros vão ser poupadas aos cortes de 10% que o Governo pretende aplicar no inicio do próximo ano.
De acordo com a nova proposta de diploma de convergência dos regimes de aposentação da Caixa Geral de Aposentações e da Segurança Social, que o Ministério das finanças enviou esta segunda-feira aos sindicatos da Função Pública, os pensionistas que recebem menos que o valor do Indexante de apoios Sociais (IAS), 419,23 euros, não serão abrangidos pelos cortes.
Esta é a principal novidade da nova versão do projeto de lei que o secretário de Estado da Administração pública tem estado a negociar com as estruturas sindicais do setor.
 
O MALANDRO DA DIREITA NÃO DESCONTA!
A versão anterior garantia que o valor bruto das pensões de aposentação, reforma e invalidez não ficaria abaixo dos 600 euros e que o das pensões de sobrevivência não ficaria abaixo dos 300 euros.
Além da diferenciação em função do valor da pensão, a proposta do Governo diferencia ainda os cortes em função da idade dos beneficiários da Caixa Geral de Aposentações, protegendo de forma progressiva os pensionistas acima dos 75 anos. 
 
COITADO ESTE DESCONTARÁ?
Os pensionistas que completem esta idade até à entrada em vigor da lei, não sofrem corte na pensão de aposentação, reforma ou de invalidez se esta for inferior a 750 euros.
Este valor é progressivamente revisto em alta em função do aumento da idade do beneficiário, sendo que um pensionista com pelo menos 90 anos só sofre cortes se receber uma pensão acima dos 1.200 euros.
De fora dos cortes, ficam ainda as pensões de reforma extraordinária ou de invalidez dos deficientes das Forças Armadas. 

De acordo com a informação estatística do Governo serão abrangidas pelos cortes 302.268 pensões de aposentação e não serão abrangidas 134.302 pensões de aposentação.
Quanto às pensões de sobrevivência pagas pela Caixa Geral de Aposentações, 44.000 vão ser abrangidas por cortes e 84.480 não terão cortes.
UMA INJUSTIÇA SE DESCONTAR

Os cortes nas pensões do Estado vão variar progressivamente entre os 9,87%, para as pensões obtidas antes de dezembro de 2005, e os 7,87%, para as pensões obtidas este ano.
Segundo dados facultados pelo Governo aos sindicatos, a CGA paga pensões a 436.570 pensionistas, que totalizam 589.665.384 euros. A pensão média é de 1.350 euros. 

* Extraordinário, este governo é mesmo bonzinho.

.

.

OS 12 PIORES TITULOS DE CANÇÕES




6-JOHNNY CASH




Era parte do famouso album de 1968 'At Folsom Prison'. Não é defenitivamente a melhor canção de Johnny Cash.


I've Been Flushed from the Bathroom of Your Heart





.
.


HOJE NO
" JORNAL DE NEGÓCIOS"

Comissão Europeia apresenta plano 
para eliminar o “roaming”

Na próxima quarta-feira, Bruxelas apresentará as suas propostas legislativas para obrigar as operadoras a eliminarem os encargos tarifários que cobram pelo uso de telemóvel dentro da União Europeia, tanto para telefonemas como para navegação na Internet.
ROABING!
A vice-presidente da Comissão Europeia e comissária responsável pelas Telecomunicações, Neelie Kroes (na foto), quer que as operadoras eliminem o “roaming” para membros da União Europeia que viagem para um país da região, justificando a proposta com a necessidade de acabar com uma das últimas fronteiras que ainda existem no mercado interno europeu, avança o “Expansión”. “Os gastos com o ‘roaming’ são irritantes, injustos e caducos”, declarou num discurso recente.

Estes planos têm a oposição de grandes operadoras europeias, como a France Télécom, a Deutsche Telekom ou a Telefónica, que alegam que a supressão do “roaming” reduzirá consideravelmente as suas receitas, levando a uma diminuição do investimento necessário nas novas redes de fibra óptica, refere a mesma fonte. Bruxelas admite que esta proposta representará perdas de receitas no valor de 1.600 milhões de euros para as operadoras, mas responde que este dinheiro poderá ser recuperado em parte devido a uma maior utilização do telemóvel no estrangeiro por parte dos clientes.

O Executivo comunitário pretende assim que as operadoras ofereçam aos seus clientes, até Julho de 2014, planos tarifários que cubram pelo menos 21 países da UE e 85% da população em encargos de itinerância.

As companhias de telecomunicações que não cumpram este requisito continuarão sujeitas às normas da UE que regulam o preço do “roaming” e que as obrigam a reduzir em 67% o valor deste serviço. Além disso, os seus clientes, quando viajarem para o estrangeiro, terão direito a contratar serviços mais baratos de uma companhia local ou de um operador rival no país de origem, sublinha o “Expansión” citando os planos de Bruxelas.

A nova legislação, que deverá ser aprovada pelos governos e pelo Parlamento Europeu, proíbe também que as operadoras cobrem aos clientes por receberem chamadas do estrangeiro. No caso das linhas fixas, o custo das chamadas internacionais não poderá ser superior ao das chamadas nacionais de longa distância.

No que diz respeito à neutralidade da rede, Neelie Kroes pretende proibir as operadoras de bloquearem ou tornarem mais lentos serviços rivais, como o Skype ou o Whatsapp.

Por último, a Comissão Europeia quer reforçar os direitos dos clientes: as operadoras deverão informar sobre a velocidade média real que oferecem aos seus clientes, tanto em horas de maior tráfego como em períodos normais. Os reguladores nacionais terão de controlar a qualidade do serviço e os utilizadores poderão rescindir o contrato se a velocidade for, de forma persistente, inferior à contratada.

Como contrapartida, Bruxelas propõe às operadoras reduzir a burocracia e acelerar a liberalização do espectro, de modo a facilitar a consolidação do sector, acrescenta o jornal espanhol.

Em matéria de burocracia, as operadoras apenas necessitarão da autorização do Estado-membro na qual estão sedeadas para operarem em todo o território da UE, sem terem de pedir 28 licenças, como acontece neste momento. No que diz respeito ao espectro, Bruxelas pretende que os leilões se celebrem ao mesmo tempo em toda a União Europeia e com critérios similares.

* Um execrável "roabing"

.
.

 HOMOFOBIA NÃO!






.
.

HOJE NO
 "DESTAK"

Juros da dívida de Portugal a dez anos mantêm-se acima dos 7% 

Os juros da dívida soberana de Portugal a 10 anos continuavam hoje acima dos 7%, depois de terem terminado na sexta-feira acima desta barreira pela primeira vez desde 18 de julho. 


 Às 9:35, os juros a dez anos estavam a ser negociados a 7,104%, depois de terem fechado a 7,106% na sexta-feira.

 Durante a crise política, os juros a 10 anos subiram até aos 7,508% a 12 de julho. Os juros da dívida a dois anos estavam hoje a ser negociados a 5,341%, a subir face a sexta-feira, dia em que terminaram a 5,318%.

* O sinistro Teixeira dos Santos dizia que 7% era um descalabro, se calhar a culpa é do Constitucional.

.
.

PINTURAS
LEGENDADAS












.
.

HOJE NO
"i"

Portugal apresentado como caso "peculiar" em termos de 
investimento estrangeiro

A forte variação nos valores de Investimento Direto Estrangeiro, motivado pela transferência da sede das maiores empresas nacionais para a Holanda, é apresentada pelas Nações Unidas como um caso "peculiar" no relatório World Investment Report.
As empresas portuguesas investiram apenas 1,9 mil milhões de dólares no estrangeiro em 2012, sendo que boa parte desta verba foi para a Holanda através das maiores empresas portuguesas, segundo o relatório da ONU.

De acordo com o World Investment Report, Portugal é um caso peculiar no âmbito dos investimentos diretos estrangeiros devido à relaçaod e proximidade que as maiores empresas mantêm com a Holanda, um paraíso fiscal dentro da União Europeia: "O Investimento Direto Estrangeiro (IDE) de Portugal [das empresas portuguesas] registou um desinvestimento recorde de 7,5 mil milhões em 2010 e depois disparou para 15 mil milhões em 2011, caindo para 1,9 mil milhões em 2012".

Este movimento pouco habitual, escreve o relatório, "foi devido ao IDE para a Holanda, que passou de -7,5 mil milhões em 2010, para 8,9 mil milhões em 2011. A relocalização do capital das empresas portuguesas para a Holanda é, provavelmente, a causa deste padrão peculiar de IDE", nota o relatório, que cita o caso da Jerónimo Martins, que opera uma das maiores redes de supermercado em Portugal, mas cuja holding está sedeada na Holanda desde 2011, o mesmo acontecendo "com a maioria, se não todas, as empresas do PSI20".

* Entenda "peculiar" como "roubo vergonhoso", traduz-se numa fuga brutal aos impostos, só falta dizer que a culpa é dos funcionários públicos.

.
.


HABILIDOSO





.
.


 HOJE NO
"A BOLA"

«É uma honra estar ao mesmo nível de Federer» - Serena Williams

São 17 ao todo os títulos conquistados por Serena Williams em torneios de Grand Slam, contabilizando a vitória deste fim de semana no Open dos Unidos, o mesmo número de vitórias de Roger Federer nos principais eventos de ténis.

«É uma honra estar ao mesmo nível de Federer. Foi um grande campeão durante muitos anos e é um desportista incrível. Continua a jogar e, quem sabe, pode ganhar ainda mais. É bom saber que estou ao mesmo nível de alguém como ele», disse a número um do Mundo, descartando, porém, comparações às lendárias Crissy Evert e Martina Navratilova: «Não estou nesse patamar, não posso comparar-me a elas.»

Sobre o facto de poder superar o número de títulos conquistados por Steffi Graf: «Não penso nisso. Em relação à minha idade (31), nunca me senti melhor, sinto-me em forma. Estou entusiasmada com as minhas oportunidades mas não sei o que pode acontecer. Vou continuar a jogar da melhor forma que puder.»

* Uma enorme jogadora. 

.
.


1-OS CARICATOS























.
.
HOJE NO
"PÚBLICO"

Portugal perde pontos no ranking
 da felicidade mundial

País ocupa 85.ª posição, menos 12 que no ano passado. Instabilidade económica apontada como causa.

Os países mais felizes do mundo estão no Norte da Europa. Esta é a conclusão, e pelo segundo ano consecutivo, do Relatório Mundial sobre Felicidade, elaborado pela Universidade de Columbia para a ONU, e que coloca a Dinamarca, Noruega e Suíça nos primeiros três lugares do ranking. Também sem alterações, o Togo, Benim e República Centro-Africana estão no fim da lista. Há novidades para Portugal e não são as melhores - desceu da 73.ª posição para a 85.ª, entre 156 países classificados. Segundo o estudo, a queda de 12 lugares deve-se ao “impacto da crise na zona euro”, que afectou de forma idêntica a Grécia, Itália e Espanha.
FELICIDADE?

Lançado pela primeira vez no ano passado, o Relatório Mundial sobre Felicidade de 2013 apresentado esta segunda-feira faz uma leitura de dados recolhidos entre 2010 e 2012. Aos inquiridos em mais de 150 países foi pedido que medissem numa escala de 0 a 10 factores como a família, educação, saúde, esperança de vida, liberdade de escolha, ou ainda capacidade económica e relações com a comunidade e instituições públicas. Em 2012, Portugal teve uma avaliação de média de felicidade de 5,4. Um ano depois, essa média caiu 0,305 para 5,1, o que concluiu que os portugueses mantêm-se num estado de bem-estar moderado onde as incertezas provocadas pela instabilidade económica impedem uma variação mais positiva da felicidade.

Portugal foi um dos 41 países analisados onde se registou uma descida do nível de felicidade, enquanto em 60 outras nações os inquiridos mostraram-se mais satisfeitos com a vida.

No topo está a Dinamarca, Noruega, Suíça, Holanda, e Suécia e nos últimos lugares o Ruanda, Burundi, República Centro-Africana, Benim e Togo, todos países da África subsariana. O Canadá entra no sexto lugar, os Estados Unidos em 17.º e a Alemanha em 26.º, por exemplo. Em termos de União Europeia, Portugal continua atrás de países como a Roménia, Hungria e Bulgária.

Felicidade comprometida com crise económica
Apesar de o “mundo se ter tornado ligeiramente mais feliz e generoso nos últimos cinco anos”, o relatório concluiu que problemas económicos e políticos comprometeram a felicidade em alguns países. É o caso de Portugal. Colocado lado-a-lado com a Grécia (70º lugar no ranking), Espanha (38º) e Itália (45º) é um dos países mais afectados pela crise na zona euro onde foram registadas descidas significativas de felicidade devido à redução do poder económico. 
 
FELICIDADE?
Quando analisados países que sofreram grandes perdas económicas nos períodos de 2005-2007 a 2010-2012, Portugal está em 20.º lugar, Itália em oitavo, Espanha em sexto e Grécia em segundo. Os portugueses apresentaram o desemprego como a causa para a descida na média de bem-estar.

Se a questão económica é apresentada como uma das principais razões para a limitação da felicidade dos portugueses, a crise política é avançada como causa principal para a descida no ranking para países como o Egipto, por exemplo, um daqueles em que se registou a “Primavera Árabe” e que no último mês ficou marcado por confrontos violentos entre civis e forças de segurança. Se em 2007, os egípcios tinham uma média de felicidade de 5,4; cinco anos depois situa-se nos 4,3 numa escala de 0 a 10. A redução da liberdade para fazer escolhas de vida, um dos factores analisados pelo relatório, explica essa descida.

O Relatório Mundial sobre Felicidade de 2013 vem reforçar que o bem-estar deve ser um “componente crítico para a forma como o mundo mede o seu desenvolvimento económico e social”. O director do Instituto da Terra da Universidade de Columbia e conselheiro especial para o secretário-geral da ONU, Jeffrey D. Sachs, um dos responsáveis que assina este relatório, sublinha que “existe, neste momento, uma exigência crescente de que a política esteja mais alinhada com o que realmente importa às pessoas”, acrescentando que “cada vez mais os líderes mundiais falam sobre a importância do bem-estar como um guia para as suas nações e para o mundo”.

O relatório defende a importância de “equilibrar medidas económicas para o progresso social com medidas de bem-estar para garantir que o progresso económico leva a grandes melhorias em vários domínios da vida, e não apenas uma maior capacidade económica".

FELICIDADE?
A saúde mental é apontada no relatório realizado a pedido da ONU como um dos factores prioritários a apoiar, mesmo nos países desenvolvidos. “As pessoas podem estar infelizes por muitas razões, desde a pobreza ao desemprego ou a crise familiares e doenças físicas”, sublinha o documento. “Se queremos um mundo mais feliz, precisamos de um novo acordo sobre a saúde mental”, reforça.

* Quem neste país pode almejar felicidade com a desgraça dos políticos que nos governam? Nem eles, stressados que andam com a ambição desmedida  do poder, destilam veneno.

.
.
 GENTE RICA



.
.
HOJE NO
" DIÁRIO ECONÓMICO"

Portugueses vivem menos 
do que a média da UE

Portugal tem a sexta taxa de mortalidade infantil mais baixa da União Europeia, mas, por outro lado, a esperança de vida fica abaixo da média comunitária, de acordo com um relatório sobre «desigualdades na saúde», divulgado esta segunda-feira pela Comissão Europeia e citado pela Lusa.


De acordo com os dados do documento, a taxa de mortalidade infantil em Portugal baixou de 5 crianças por cada 1000 nados-vivos em 2001 para 3,1 em 2011, sendo este o sexto valor mais baixo da UE, onde a média se cifrava em 3,9 mortes por cada 1000 nascimentos.

A taxa de mortalidade infantil mais reduzida foi registada na Suécia (2,1), enquanto a mais elevada foi na Roménia (9,4), que, ainda assim, teve uma das descidas mais significativas no espaço de uma década, já que o valor de 2011 foi quase 50% inferior àquele que se verificou em 2001, quando a taxa era de 18,4%.

Já em termos de esperança de vida, em Portugal os homens podem esperar ter 60,7 anos de vida saudável e as mulheres 58,7 anos, valores que ficam abaixo da média comunitária, respetivamente de 61,8 e 62,2 anos.

O relatório aponta que, apesar de as desigualdades entre os Estados-membros se terem vindo a reduzir ao longo dos últimos anos, persistia, em 2011, uma diferença de 19 anos entre o número de anos que um homem poderia esperar viver de forma saudável (entre os 71,1 anos na Suécia e os 52,1 na Eslováquia), e 18,4 anos no caso das mulheres (entre os 70,7 anos em Malta e os 52,3 anos na Eslováquia).

* Bom resultado é mesmo o da mortalidade infantil.

.

2- FENÓMENOS DA NATUREZA

.