quinta-feira, 20 de junho de 2013

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.







.


É JÁ AMANHà



A VOZ DE LISBOA
21/06/13

Os sons de sinos, embarcações, eléctricos e corporações de bombeiros vão criar um concerto inédito Mais de 15 igrejas, 25 embarcações, 6 eléctricos, 2 comboios e 6 corporações de bombeiros, com a interpretação a cargo de cerca de 100 músicos, vão dar um concerto inédito de sete minutos, com início às 22h00, no dia 21 de Junho.

Trata-se da iniciativa ?Lisboa em Si ? - Concerto inédito com os sons da cidade, organizada pela Câmara Municipal de Lisboa e pela Cooperativa Fora de Si. O objectivo é explorar as possibilidades musicais do anfiteatro natural de uma cidade à beira rio, recorrendo ao aproveitamento dos sons característicos da cidade, como os apitos de embarcações, viaturas de bombeiros e comboios, sinos de igrejas e campainhas de eléctricos.
 Cerca de cem músicos irão interpretar uma peça original em directo, coordenados entre eles via rádio e espalhados pela zona ribeirinha da cidade. Pela cidade, existirão diversos pontos de escuta privilegiados: miradouros da Graça, Santa Luzia e São Pedro de Alcântara, Castelo de São Jorge, Praça Camões, Praça do Comércio e passeio ribeirinho da Ribeira das Naus. No entanto, a organização assegura que o concerto será audível dentro do perímetro onde o evento vai decorrer, isto é, em toda a zona ribeirinha da cidade de Lisboa, delineada a este pela igreja de Santo Estêvão, a oeste pela igreja de Santa Catarina e a norte pelo Miradouro de S. Pedro de Alcântara. 
 O principal impulsionador do projecto, Pedro Castanheira, da Cooperativa Fora de Si, confidenciou que "a ideia nasceu há muitos anos, soprada pelo rio, quando passeava e ouvi um barco a apitar". Reconhecendo que se trata de uma iniciativa "megalómana" e de um "sonho", o jovem autor afirma, no entanto, que "hoje em dia é o absurdo que nos salva". Por isso, há mais de um ano atrás, decidiu apresentar a ideia ao presidente da autarquia. Já foram mobilizados centenas de colaboradores, desde músicos, técnicos e responsáveis por diversas instituições que vão operacionalizar o evento. 

Pedro Castanheira destacou ainda a vertente do "exercício da cidadania e da política", como seja a recuperação de sinos com 300 anos e de todo um vasto património que é de todos". Agora, na expectativa de que nenhuma peça montada para a vasta operação venha a falhar, o autor, músico e sociólogo, espera, com o auxílio de "centenas de outros sonhadores", poder "dar ordem ao caos dos sons do quotidiano". Porque, afinal, "tudo isto é fé".

VIVA LISBOA
 ENVIADO POR  J. COUTO

.
.


2-BRASÍLIA
O SONHO VIÁVEL



FONTE:Jackson7ification

.
.
HOJE NO
" JORNAL DE NEGÓCIOS"

Autoridade da Concorrência: 
SportTV explorou posição dominante
 no mercado televisivo

O comunicado em que a AdC dá conta de multa aplicada à SportTV diz que a autoridade concluiu que a dona de direitos televisivos da Primeira Liga explorou o domínio que tem no mercado de canais desportivos codificados.
A Autoridade da Concorrência (AdC) emitiu um comunicado em que anuncia a aplicação de uma coima de 3,73 milhões de euros à SportTV, por ter abusado de posição dominante no mercado de canais desportivos codificados.

A decisão já fora anunciada pela SportTV mas o comunicado da AdC justifica a decisão tomada pelo regulador no seguimento de queixa apresentada pela Cabovisão. Ao dar conta da multa que lhe foi aplicada, a SportTV disse que vai recorrer da decisão já que vem “sancionar uma prática comercial que validou, de forma ininterrupta, durante mais de 10 anos”.

Os operadores de telecomunicações queixavam-se do modelo contratual da SportTV, que estabelecia mínimos, significando que os operadores tinham de pagar por um mínimo de subscritores, ainda que não os tivessem.

A AdC anuncia ter condenado a SportTV por esta ter “definido e aplicado” um sistema de remuneração “discriminatório” nos contratos de canal codificado, tendo “por objecto e como efeito a restrição da concorrência no mercado” no mercado de televisão em que detém uma posição de domínio. As consequências também se verificaram “no mercado a jusante: o mercado retalhista de televisão por subscrição”, refere o comunicado.

Dá-se como provada a prática de abuso de posição dominante de que é acusada a arguida no mercado de canais de acesso condicionado, com conteúdos desportivos Premium.

Para o regulador, a SportTV é culpada de ter determinado um sistema de remuneração “do qual resultou favorecimento de uma das empresas presentes no mercado retalhista de televisão por subscrição, em detrimento das concorrentes”, lê-se no comunicado.

* Ganância excelentíssima...

.
.
VI- O UNIVERSO


  5- SEGREDOS 

DO SOL





O Universo, inovadora série de The History Channel, utiliza imagens criadas por computadores de última geração para nos aproximar de planetas e estrelas, permitir a observação de buracos negros e cometas e testemunhar o nascimento e a morte de galáxias e sistemas solares. Uma fantástica viagem pelo cosmos...

FONTE:Gustavo Carvalho

.
.
HOJE NO
"DESTAK"

"A Galilei não passa de gordura do Estado para mascarar dívidas da SLN" -- Juíza 

 Uma das juízas do coletivo que julga o caso BPN considerou hoje que a Galilei, antiga dona do banco, só mantém a atividade devido ao prejuízo de mil milhões de euros que resultaria para o Estado caso a empresa falisse.


 "Na minha opinião, a Galilei não passa de uma gordura do Estado para estar a mascarar as dívidas da SLN (Sociedade Lusa de Negócios)", afirmou a responsável, que integra o coletivo de três juízes, durante nova sessão do julgamento no Palácio da Justiça, em Lisboa. 

A juíza acrescentou que "todos os portugueses estão a pagar essa empresa, de uma forma ou de outra".

* Nós queremos aplaudir!!!!

.
.

Rita Pierson

Cada criança precisa
de um herói

  .


 Rita Pierson, professora há 40 anos, ouviu uma colega dizer: "Não me pagam para gostar dos alunos." A sua resposta: "Os miúdos não aprendem com pessoas de quem não gostam." Uma estimulante chamada aos educadores para acreditarem nos seus alunos e para se ligarem a eles a um nível real, humano e pessoal.

 .
.

HOJE NO
"i"

Banco condenado por "phishing" 
em conta de cliente

O Tribunal da Relação de Guimarães condenou um banco a indemnizar um cliente que terá sido alvo de “phishing”, uma burla informática através da qual foram indevidamente levantados da sua conta 13 mil euros.


O banco foi condenado a restituir aqueles 13 mil euros e a indemnizar o cliente em mais 20 mil euros, pelos prejuízos e danos morais sofridos com aquela situação.
O cliente, uma empresa de importação, exportação e representação de produtos nacionais e internacionais, em especial produtos de limpeza industrial e mobiliário, com sede em Braga, tinha firmado com o banco em questão, em julho de 2004, um contrato de homebanking, para poder realizar toda uma série de operações pela internet.
Para a celebração desse contrato pesaram as “garantias de segurança” dadas pelo banco.
Tudo correu bem até meados de 2008, ocasião em que a cliente constatou que tinham sido retirados indevidamente 13 mil euros da conta da empresa.
Segundo o tribunal, “tudo parece indicar que a cliente terá acedido a uma página web falsa a imitar” a página do banco, “onde terá introduzido dados necessários de acesso à conta bancária”.
O tribunal sublinha que as páginas web falsas construídas com o propósito de se apropriarem de dados de acesso a contas bancárias “são, muitas vezes, exatamente iguais às páginas do banco e identificadas como ligações seguras”.
“Até pessoas com conhecimentos técnicos avançados podem ser ludibriadas. Em termos de aspeto, as páginas falsas são altamente credíveis”, enfatiza o acórdão.
Para o tribunal, a segurança anunciada pelo banco “ficou seriamente comprometida com a falsa página criada por um terceiro, que iludiu a representante da autora [empresa] e a levou a divulgar dados confidenciais, contra a sua vontade”.
O tribunal acrescenta que, da factualidade apurada, não é possível concluir que a divulgação daqueles dados “tenha resultado de uma conduta imprudente, descuidada ou negligente e que essa imprudência tenha, efetivamente, possibilitado a operação bancária efetuada por terceiros”.
“Pelo contrário, apesar dos anúncios previamente efetuados, foi a ré quem não logrou desenvolver todas as ações que se impunham em ordem a garantir a segurança do depósito bancário da autora”, acrescenta.
Diz ainda que cabia ao banco provar que o acesso de terceiros, em via eletrónica, à conta do cliente não se ficou a dever a qualquer vulnerabilidade do sistema de segurança implementado pelo banco, relativamente à movimentação online dos clientes aderentes ao serviço, mas aquela prova não foi conseguida.
O banco alegou que não tinha responsabilidade no caso, uma vez que o “phishing” ocorreu no computador do cliente e não em qualquer sistema informático seu ou por si dominado.
Na altura do levantamento indevido dos 13 mil euros, a empresa tinha emitido um cheque que ficou sem cobertura, passando a figurar na “lista negra” do Banco de Portugal e perdendo um “importante” cliente”.
Pelos prejuízos e danos morais decorrentes desta situação, nomeadamente em termos de bom-nome, o tribunal condenou o banco ao pagamento de uma indemnização de 20 mil euros ao cliente.

* Os portugueses têm o direito a saber o nome do banco que dá este "apoio" aos clientes, é uma questão de esclarecimento, nenhuma entidade tem de estar protegida pelo anonimato quando é condenada.
Quem encobre, a justiça ou a comunicação social?

.

TERESA RUEL

.

“Silly season”

No próximo dia 29 de Setembro, caberá aos eleitores fazer o balanço da sua circunstância

Aproxima-se a “silly season”, expressão que caracteriza o estilo ligeiro das notícias no período de verão. Quis o contexto, que a “silly season” ganha-se outro enquadramento e dimensão temporal.
Arranca a pré-campanha eleitoral autárquica, momento repleto de atividades onde uma multiplicidade de intervenientes e agentes (contraditórios entre si) esgrimem argumentos; convocam e mobilizam os eleitores; apresentam propostas; desdobram-se em jantares, comícios e arruadas cumprindo a liturgia da competição política.
A grande novidade deste ciclo eleitoral resulta da alteração institucional das “regras do jogo”: a limitação de mandatos autárquicos e a reorganização administrativa (Portugal Continental). Aparentemente surge uma forte correlação entre a limitação de mandatos e a multiplicação de candidaturas de grupos de cidadãos eleitores. São vários os exemplos: Amadora, Oeiras, Cascais, Sintra ou Porto. A abertura do “mercado eleitoral” aos grupos de cidadãos eleitores privilegia o alargamento da capacidade eleitoral activa (ser eleito) aos cidadãos, retirando o monopólio da democracia representativa aos partidos políticos.
Mas na prática, a teoria é outra. Pervertendo e contrariando os desígnios constituintes, a maioria dos grupos de cidadãos eleitores que publicamente já demonstraram a sua intenção de apresentar candidatura aos órgãos autárquicos, não são nem mais nem menos, do que dissidentes partidários, que pretendem garantir a sua “sobrevivência” politica sob uma nova roupagem.
A credibilidade mais uma vez, não é, uma questão semântica. Subvertendo o funcionamento do sistema político, a opção de conservar o “status quo”, alimentar esquemas e desejos de poder, conduzindo, mais uma vez à indigência da comunidade politica, é um valor maior.
Candidatos e candidaturas perfilam-se na “boca de cena” assumindo distintivos ténues (muitos deles disputam o mesmo espaço político e os mesmo eleitores), onde o “fingidor e o dissimulador procuram quem se deixe enganar”, na tentativa de fazer esquecer os dois anos de austeridade, desemprego e pobreza, onde os “pecadores” continuam à sombra da impunidade, e o soberano-eleitor, apenas é convidado à resignação!
No próximo dia 29 de Setembro, caberá aos eleitores fazer o balanço da sua circunstância, avaliar, protestar e decidir, libertar as amarras e evitar o definhar da nossa vida colectiva. É sim, uma “silly season” decisiva!

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS DA MADEIRA"
14/06/13

.
.

HOJE NO
"A BOLA"

«Temos um sonho e vamos lutar por ele» 
- Edgar Borges

O selecionador nacional de sub-20, Edgar Borges, fez esta quinta-feira a antevisão da partida de estreia de Portugal no Mundial da categoria, frente à Nigéria.
«Espero um grande jogo, entre duas equipas muito competitivas, frente a uma seleção muito forte fisicamente. Esperamos começar com uma vitória, para começarmos da melhor forma. Pressão de sermos vice-campeões do mundo? Estamos felizes por termos essa pressão. Faz parte do contexto e significa que temos um nível alto. Temos muita honra e orgulho por estarmos aqui presentes. Temos um sonho e vamos lutar por ele», afirmou o selecionador nacional em conferência de imprensa.

Portugal defronta a Nigéria às 19 horas de Portugal desta sexta-feira, no estádio Kadir Has, em Kayseri. Duas horas antes tem lugar o jogo de abertura, Coreia do Sul-Cuba. 

* Força Selecção, dêm-nos alegrias !

.
.

IV-ORIGENS  
  RAÇA



Fonte : ReVCieN

.
.

HOJE NO
"PÚBLICO"

Jardim propõe proibir greves na saúde, justiça, forças armadas e transportes

O presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, defende a proibição da realização de greves nos sectores das forças armadas, forças de segurança, saúde, justiça e transportes.

“Hoje, continua a ser 'politicamente incorrecto' tratar o direito à greve não como direito absoluto – só são direitos absolutos os inerentes à natureza da pessoa humana –, mas como um direito que tem de estar subordinado ao bem comum”, escreve nesta quinta-feira Jardim no seu habitual artigo de opinião publicado no Jornal da Madeira, propriedade do governo regional.
Segundo Jardim, “é insustentável o direito à greve” não só nas forças armadas, nas forças de segurança e nas instituições de socorrismo, como no aparelho de justiça, “pois os tribunais são considerados órgãos de soberania”. Igualmente considera “insustentável a paralisação grevista” dos transportes.
Os portugueses, escreve o governante madeirense, “estão desesperadamente sobrecarregados, mas sucedem-se greves atrás de greves nos transportes pagos com os impostos do povo, inutilizando muito do dinheiro arrecadado à custa dos sacrifícios da população”.
Em relação ao sector da saúde, sustenta que “a vida é o direito supremo da pessoa humana”, por isso “não se brinca com a vida”.

No seu projecto, aprovado pelo PSD na Assembleia Legislativa da Madeira, Jardim propõe uma alteração ao artigo 57º da Constituição da Republica (Direito à greve e proibição do lock-out). Ao ponto 1 que diz que “é garantido o direito à greve”, o governante e membro do Conselho de Estado acrescenta: “excepto nas forças de defesa nacional e de segurança interna, nos transportes, no âmbito do funcionamento dos Tribunais, no sector da Saúde”.

À limitação constitucional do direito à greve nas referidas áreas “deve corresponder, por parte do Estado, uma compensação material e social aos trabalhadores desses sectores, visto que, embora a respectiva carreira resulte de uma opção pessoal, têm de ser ressarcidos por não beneficiarem da totalidade dos direitos laborais”, defende Jardim no Jornal da Madeira.

* Igual a si próprio, a mesma boçalidade com adubo de primavera.

.
.
BEATRIZ COSTA

ALDEIA DA ROUPA BRANCA






.
.
HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Esforços de Portugal a combater corrupção são “baixos”

A posição da OCDE consta de um relatório sobre a implementação da convenção anti-corrupção em Portugal.

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) está "seriamente preocupada" que os esforços feitos por Portugal no combate à corrupção internacional têm sido "extremamente baixos". A posição da OCDE consta de um relatório sobre a implementação da convenção anti-corrupção em Portugal.


No relatório, a organização afirma que "apesar das fortes ligações de Portugal a países contagiados por corrupção severa, desde 2001 surgiram apenas 15 queixas de corrupção internacional", acrescenta o mesmo relatório.
O trabalho dos técnicos da OCDE foi complementado com a presença de equipas em Portugal em Fevereiro deste ano. A OCDE acrescenta que das queixas apresentadas não resultou uma única acusação, recordando que várias investigações foram encerradas "prematuramente" e que as autoridades internacionais não procuraram ajuda internacional.

Por este motivo, a OCDE sugere que Portugal adopte medidas para assegurar que as investigações não encerram cedo demais e que procure ajuda internacional quando apropriado. A organização revela que algumas das queixas de corrupção internacional envolvem funcionários e ou grandes empresas portuguesas e os seus executivos.

* Poque será serem os esforços "baixos"?

.
.

OH QUERIDA 

MÃEZINHA!



.
.
HOJE NO

" CORREIO DA MANHÃ"

Autarcas de Portimão detidos 
por alegada corrupção

 O vice-presidente da Câmara de Portimão, Luís Carito, o vereador Jorge Campos e outras três pessoas foram detidos esta quarta-feira por suspeitas de corrupção, entre vários crimes na gestão da empresa municipal Portimão Urbis, disse fonte policial.

"Estão em causa contratos celebrados pela empresa municipal [Portimão Urbis] com outras empresas. Há suspeitas de corrupção, entre outros crimes de cariz económico", explicou a mesma fonte, acrescentando que uma das situações investigadas prende-se com o projeto Pictures Portugal - iniciativa privada para a criação da cidade do cinema em Portimão.
Luís Carito e Jorge Campos faziam parte, à data dos alegados factos (2011), do conselho de administração da empresa municipal Portimão Urbis.

Os dois autarcas e mais três suspeitos foram detidos no âmbito de uma investigação da Polícia Judiciária que culminou com a realização de buscas na autarquia e nas instalações da empresa municipal.
Segundo a fonte policial, além do vice-presidente e do vereador, foram também detidos Lélio Branca, administrador da Portimão Urbis, Artur Curado, da Algarve Film Comission, e Luís Marreiros, funcionário autárquico. Os suspeitos estarão ainda ligados à Sin Pictures.
Os cinco suspeitos vão ser na quinta-feira a primeiro interrogatório judicial no Tribunal Central de Instrução Criminal de Lisboa, no Campus da Justiça, uma vez que a investigação está a ser coordenada pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal.
A Câmara de Portimão informou que as buscas efetuadas pela Polícia Judiciária (PJ) nas instalações da autarquia decorreram no âmbito de uma investigação que envolve o vice-presidente Luís Carito e o vereador Jorge Campos.
Num curto comunicado enviado à comunicação social, a autarquia indicou que as buscas estão relacionadas com diligências processuais de que são alvo os dois autarcas, eleitos pelo Partido Socialista.
As buscas, segundo o município, "estão relacionadas com um processo que teve origem em denúncias anónimas em 2011, que envolvem a empresa municipal Portimão Urbis".

* Autarcas com pedigree de mais qualidade não são presos tão facilmente, alguns nem são presos.

.
.

DOUTRO SÉCULO



AS PALAVRAS


DE CARNE E OSSO

















* Não sabemos se há verdade na atribuição das frases aos autores indicados, se fomos enganados não nos importa porque as frases são bonitas e os homens foram brilhantes.
.
HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

"Presidente age como mais 
um membro do Governo"

 O PCP, pela voz do deputado Jorge Machado, criticou a promulgação pelo Presidente da República da lei de reposição do subsídio de férias, acusando-o de cumplicidade com o Governo e de agir como se fosse mais um ministro. 


 “Consideramos que o Presidente da República age como mais um membro do Governo, mais como se fosse um ministro que funciona de acordo com a agenda e os interesses do Governo, do que como Presidente da República”, afirmou Jorge Machado, momentos após Cavaco Silva ter promulgado a proposta de lei que regula a reposição do subsídio de férias para 2013 dos funcionários públicos e pensionistas. 

 O diploma estabelece o pagamento dos subsídios de férias em novembro aos funcionários, reformados e pensionistas do setor público que recebem vencimentos acima dos 1100 euros. Abaixo dos 600 euros de salário mensal, os subsídios serão pagos em junho e entre os dois valores, uma parte é paga em junho e a restante em novembro, segundo a proposta de lei, cujo histórico publicado no ‘site’ do Parlamento indica ter sido enviada hoje para Belém. Para o PCP “este diploma tem, claramente, problemas de constitucionalidade discriminatórios em função da classe de rendimentos dos trabalhadores.”

 “O Presidente da República, com esta promulgação, é claramente cúmplice com o não-pagamento do subsídio de férias [e] tinha razões para o veto político, tinha razões para o veto até do ponto de vista constitucional”, frisou Jorge Machado.

 O deputado considerou ainda que, com esta proposta de lei, está criada no país “uma confusão” e uma “situação verdadeiramente obtusa por responsabilidade do Presidente da República e do Governo”, uma vez que “há câmaras municipais que já pagaram o subsídio de férias na totalidade a todos os trabalhadores, porque a lei assim o obrigava”. O PCP acredita ainda que o adiamento para novembro do pagamento “é uma manobra do Governo para não pagar o subsídio de férias, porque vai encontrar formas de cortar por outra via”.

 “O Governo pretende, pela janela, conseguir aquilo que não conseguiu pela porta, e que foi vedado pelo Tribunal Constitucional”, concluiu.

* Temos de ajudar o sr. Presidente a acabar o mandato com a dignidade possível, ainda nos faltam dois penosos anos.

.
.
VENI VIDI VICI



.
.
 HOJE NO
" DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Professores e investigadores
 protestam junto a Ministério

Os professores do ensino superior e investigadores vão manifestar-se no sábado em frente ao Ministério da Educação, em Lisboa, contra os cortes nas instituições e a "instável" situação laboral dos docentes, anunciaram hoje os sindicatos. 

Representantes do Sindicato Nacional do Ensino Superior (SNESup) e da Fenprof apresentaram hoje "um conjunto de ações em defesa do emprego, da dignidade das carreiras e em defesa do ensino", explicou Rui Salgado, coordenador do departamento do Ensino Superior e Investigação da Federação Nacional de Professores. 

"Quando as duas principais organizações sindicais se juntam pelo ensino superior e pela ciência é porque algo de muito grave se está a passar. Estes recentes cortes ao financiamento colocam muito seriamente em causa o trabalho das instituições e a qualidade do ensino e investigação", alertou António Vicente, presidente da direção do SNESup, sublinhando que o ensino superior.

Os professores e investigadores começam hoje uma "Semana pelo Ensino Superior e Ciência" e, no sábado, vão sair à rua para chamar a atenção para o que se passa.
Professores que vivem sob a ameaça de serem despedidos, a investigação em risco, as dificuldades de alguns docentes conseguirem acabar os seus doutoramentos e a divulgação das vagas para o próximo ano são algumas das razões que levam os docentes a manifestarem-se.
Os professores estão contra a proposta de lei sobre o sistema de requalificação dos trabalhadores da função pública (a antiga mobilidade especial) apesar de reconhecerem que o documento já salvaguarda especificidades da carreira docente dos professores do ensino superior e de investigador. 

No entanto, o documento "deixa no ar a ameaça de despedimentos" e é "uma provocação aos docentes do ensino superior: Querem requalificar as pessoas mais qualificadas do país?", criticou António Vicente, durante a conferência de imprensa realizada hoje em Lisboa.
A fixação de vagas para o próximo ano letivo é outro dos "problemas" identificados pelos dois sindicatos, que lamentam que "apenas no passado dia 11 o secretário de estado tenha assinado o despacho com as vagas", lembrou António Vicente.

Os sindicalistas alertaram ainda para a falta de apoio aos docentes que estão a tirar doutoramentos, referindo-se à mudança legislativa que, em 2009, veio obrigar que todos os docentes do ensino superior fossem doutorados, atingindo particularmente os professores dos politécnicos.
A legislação define que os professores estão isentos de pagar propinas, "no entanto, há um ping-pong entre politécnicos e universidades e muitos colegas estão a pagar propinas. Além disso estão a trabalhar mais horas acima do máximo que deveriam", denunciou António Vicente.
Outro dos problemas que leva os professores a manifestarem-se é a falta de aprovação do regime do pessoal docente e de investigação das instituições privadas. Segundo os dois sindicatos, em algumas instituições particulares reina a "selvageria" por falta de legislação que coloque estes profissionais em situação semelhante à dos que trabalham em institutições públicas.

A proposta de Orçamento Retificativo para 2013 também merece criticas ao "agravar ainda mais a situação do ensino superior com a cativação de 2,5% de dotações. Este é um corte a acrescentar a todos os outros que têm sido feitos na diminuição do financiamento das instituições", referiu Rui Salgado.
"Começa a haver a transformação da indignação em iniciativas e ações concretas", lembrando que os professores e investigadores também vão aderir á greve geral de 27 de junho, acrescentou.

* O ministério de Nuno Crato é a negação da educação, uma grande parte da massa cinzenta deste país é paga a tostões.

.
.
MAIS PARA ARREPIAR
DO QUE PARA 
  PENTEAR











.

.
HOJE NO

" RECORD"

Membros dos Super Dragões condenados

Os 18 membros dos Super Dragões, claque afeta ao FC Porto, acusados da distribuição e venda ilegal de bilhetes foram ontem condenados em tribunal.
Sete adeptos apanharam entre 8 e 15 meses de prisão, tendo a pena ficado suspensa, e os restantes 11 foram multados em valores que chegaram aos 1.200 euros.
Ficou provado que recebiam bilhetes cedidos pelo clube e depois acabavam por vendê-los ilegalmente.
*Com quem terão aprendido a fazer negócios?? 

.
.
 MERECE O
SALÁRIO



.
.
HOJE NO
" JORNAL DE NOTÍCIAS"

Pelé vaiado nas redes devido a declarações sobre protestos no Brasil

 O antigo futebolista Pelé está a ser alvo de muitas críticas nas redes sociais depois de ter defendido, num programa televisivo, que os protestos que se fazem no Brasil deviam ser "esquecidos".

"Vamos esquecer toda esta comoção no Brasil, todos estes protestos, e lembrarmo-nos que a seleção brasileira é o nosso país e nosso sangue", disse Pelé.

O apelo do "Rei do Futebol" foi muito mal recebido pela população brasileira, que já respondeu ao ex-jogador através das redes sociais, criticando as suas palavras.

"Pelé calado é um poeta", foi uma das críticas mais repetidas. Esta frase foi proferida por Romário há já alguns anos, numa das suas polémicas precisamente com Pelé, com quem mantém uma rivalidade pessoal de longa data.

Esta quarta-feira, também Ronaldo, ex-jogador da seleção e agora membro do comité organizador do Mundial, foi insultado em Fortaleza por causa de um vídeo de 2011 onde o internacional dizia "não se faz Copa do Mundo com hospital". O jogador, no entanto, escreveu no Twitter que aquelas declarações tinham dois anos e que foram feitas noutro contexto.

Os protestos no Brasil continuam, principalmente junto aos estádios onde se disputa a Taça das Confederações, e têm causado bastante impacto no país, com a população a exigir melhores condições depois de o governo ter anunciado o aumento do preço dos transportes públicos.

* Lula e Dilma fizeram entender aos brasileiros que o Brasil, uma grande nação, é muito mais que samba e futebol só o Pélé não percebeu...

.
.
 SE OS LOGOS 
FALASSEM VERDADE