terça-feira, 4 de junho de 2013

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


.
 8.O SEXO COMANDA

 A VIDA???






















.
.
HOJE NO
" DESTAK"

Joana Vasconcelos na Comissão Cultura e Desporto do Comité Olímpico de Portugal 

 A artista plástica portuguesa Joana Vasconcelos vai integrar a Comissão Cultura e Desporto do Comité Olímpico de Portugal (COP), juntamente com Elísio Sumaville, ex-secretário de Estado da Cultura, e Guta Moura Guedes, foi hoje anunciado. 


De acordo com um comunicado do COP, vão ainda compor a comissão Paulo Cunha e Silva, ex-presidente do Instituto das Artes e Conselheiro para a Cultura da Embaixada de Portugal em Roma, e Pedro Manuel Cardoso, doutorado em museologia. Na Comissão Ambiente e Desporto surgem Pedro Adão e Silva, docente e investigador do ISCTE, Tiago Craveiro, ex-secretário geral da Liga Portuguesa de Futebol, Alexandre Domingos, Rafael Salgueiro e Alexandra Almeida.

* É justo.

.
.
A-HISTÓRIA 
DO SEXO
  
4- MUNDO ANTIGO


video



.
.
HOJE NO
"i"

Gestores responsáveis pelas 
Swaps recusam demitir-se

A notícia caiu como uma bomba na sexta- -feira. O governo ia demitir os gestores de seis empresas públicas com contratos swap considerados especulativos, isto é, tóxicos, mas a bomba rapidamente se revelou um tiro de pólvora seca. Por duas razões. Os gestores não aceitaram o convite para se demitir e o governo não tem poder para os afastar sem justa causa. E como do ponto de vista legal está longe de se saber quem é o responsável por actos de gestão negligentes, a batata quente está nas mãos do governo. Isto no dia em que a comissão de inquérito parlamentar arrancou, com o PS a excluir os ministros da primeira ronda de audiências.

São seis as empresas públicas envolvidas neste processo - Metro de Lisboa, Metro do Porto, Carris, STCP, CP e EGREP. Os gestores da Transtejo foram poupados porque os seus contratos swap não foram considerados tóxicos. As perdas potenciais do Metro de Lisboa foram calculadas em 1131,4 milhões, as do Metro do Porto em 832,6 milhões, as da EGREP em 174,5 milhões, as da CP em 140,6 milhões, as da Carris em 116,5 milhões e as dos STCP em 107,2 milhões.

Empréstimos reforçados 
A notícia da razia nas seis empresas públicas foi avançada a meio da tarde de sexta-feira pela TSF e pelo "Expresso", no mesmo dia em que o executivo entregou no parlamento o Orçamento Rectificativo, em que se prevê o reforço dos empréstimos e as dotações de capital às empresas públicas que contam para o défice para permitir a liquidação dos contratos de swap subscritos nos últimos anos.

Estado empresta mais 
 O relatório do Rectificativo prevê um reforço da dotação orçamental de activos financeiros por causa de "despesas excepcionais" que vão incluir um "reforço das dotações de capital e/ou empréstimos às empresas públicas reclassificadas" (que entram no perímetro das contas públicas) para "assegurar a liquidação antecipada das operações de derivados financeiros".
O documento não refere quais os valores a emprestar ou a atribuir a estas entidades, explicando apenas que serão "num montante equivalente ao necessário" para denunciar os contratos swap que celebraram.

No entanto, na proposta de lei entregue no parlamento, o governo inscreve uma alteração aos limites dos empréstimos a conceder pelo Estado em 2013: em vez dos 9600 milhões de euros previstos anteriormente passaram a constar 10 040 milhões de euros. O diploma diz ainda que "as empresas públicas não financeiras devem manter as suas disponibilidades e aplicações financeiras junto do IGCP", como está previsto desde o ano passado.

* Estes gestores estão a cuspir na mão que lhes mata a fome à espera duma valente indeminização, um governo fraco cede, é o que acontece.

.

O O M P H


video


from Gene Geter on VIMEO

.
.
HOJE NO
"A BOLA"

Pré-selecionados para o 
Campeonato da Europa de Equipas

Francis Obikwelu, Nélson Évora e Naide Gomes, que regressaram recentemente à competição após lesão, integram a lista de pré-selecionados para o estágio da Seleção Nacional para o Campeonato da Europa de Equipas.
A seleção final será divulgada até 17 de junho, com as escolhas a basearem-se, além das competições já realizadas, nas observações das Finais da 1.ª e 2.ª Divisões do Campeonato Nacional de Clubes (8 e 9 de Junho em Lisboa), dos meetings Internacionais, nomeadamente Huelva e Salamanca (ambos a 12 de Junho) e do meeting Cidade de Leiria, para o qual a Federação pode, caso considere necessário, convocar atletas para participar.
O Campeonato da Europa de Equipas vai decorrer em Dublin, na Irlanda, nos dias 22 e 23 de junho.


Eis a lista completa de pré-selecionados, dominada por atletas do Benfica e do Sporting:

MASCULINOS

100 metros, 200 metros e 4x100 metros:

Yazaldes Nascimento, Arnaldo Abrantes, Ricardo Monteiro e Diogo Antunes (Benfica),
David Lima, Francis Obikwelu, Carlos Nascimento, e Pedro Bernardo (Sporting).
400 metros e 4x400 metros:

Vitor-Ricardo dos Santos, André Marques e Ricardo Lima (Sporting), António Rodrigues, Arnaldo Abrantes e Jorge Paula (Benfica), João Ferreira (Individual).
800 metros:

João Brás (Sporting), Miguel Moreira e Emanuel Rolim (Benfica).
1500 metros:

Hélio Gomes (Benfica)
3000 metros e 5000 metros:

Rui Pinto e Rui Pedro Silva (Benfica), Bruno Albuquerque e Rui Silva (Sporting)
3000 metros obstáculos:

Alberto Paulo (Benfica).
110 metros barreiras:

Rasul Dabó (Benfica).
400 metros barreiras:

Jorge Paula (Benfica), Ricardo Lima (Sporting) e João Ferreira (Individual).
Altura:

Paulo Conceição e Tiago Pereira (Benfica), Roman Guliy (Sporting).
Vara:

Edi Maia (Sporting).
Comprimento:

Marcos Chuva e Marcos Caldeira (Benfica).
Triplo Salto:

Nelson Évora e Marcos Caldeira (Benfica).
Peso:

Marco Fortes (Benfica).
Disco:

Jorge Grave (Benfica).
Martelo:

Dário Manso (Sporting).
Dardo:

Tiago Aperta (Benfica).

FEMININOS:

100 metros, 200 metros, 4x100 metros:

Carla Tavares e Andreia Felisberto (Sporting), Eva Vital, Tânia Duarte e Susana Santos (Benfica), Sónia Tavares (Beira-Mar), Rute Limpo (JOMA).
400 metros e 4x400 metros:

Vera Barbosa, Cátia Azevedo, Carolina Duarte e Joceline Monteiro (Sporting), Dorothe Évora e Rivinilda Mentai (Benfica).
800 metros:

Sandra Teixeira e Joceline Monteiro (Sporting).
1500 metros:

Sandra Teixeira (Sporting)
3000 metros e 5000 metros:

Jéssica Augusto (Individual), Dulce Félix (Maratona), Carla Salomé Rocha (Sporting).
3000 metros obstáculos:

Clarisse Cruz e Carla Salomé Rocha (Sporting).
100 metros barreiras:

Eva Vital (Benfica), Andreia Felisberto (Sporting).
400 metros barreiras:

Vera Barbosa (Sporting), Nádia Gaspar (Benfica), Andreia Crespo (NDC Gouveia).
Altura:

Liliana Vieira (Benfica).
Vara:

Maria Leonor Tavares e Marta Onofre (Sporting), Cátia Pereira (JOMA).
Comprimento:

Naide Gomes e Shaina Mags (Sporting).
Triplo Salto:

Patrícia Mamona (Sporting), Susana Costa (Individual).
Peso:

Sílvia Cruz e Irina Rodrigues (Sporting).
Disco:
Irina Rodrigues (Sporting).
Martelo:

Vânia Silva (Sporting).
Dardo:

Sílvia Cruz (Sporting).

* A todos desejamos uma boa preparação para que obtenham resultados superiores.

.

MARIANA VIEIRA DA SILVA

.




Unidos no não, e agora?

 Mário Soares encheu a aula magna, encheu mais uma sala de gente, encheu sala de diversas esquerdas e até atribuiu o epíteto de “nosso camarada” a Pacheco Pereira.

O momento que vivemos dá sentido à reunião magna, por mostrar que somos muitos, mais do que nós, a olhar à volta - um pouco à esquerda, um pouco à direita - e a pensar o mesmo. Pensar que não suportamos mais decisões tão desesperadas quão desesperantes, que não aguentamos mais um orçamento de Gaspar, que não toleramos nem mais um discurso alienado de Passos. Juntos, para dizer que o Governo tem que sair, e que tem que ser já. E, para este efeito, a união à esquerda é útil, mas já não chega, porque são muitas as vozes imprescindíveis de outras áreas _políticas que se juntam a este protesto.

António Nóvoa dizia no seu discurso -antecipando as reações - que sim, isto é apenas um encontro, mas se for um encontro de união, de reunião e de vontades poderemos agir em conjunto.
E este é o ponto essencial.
Há uns meses, o PS e o BE de Caminha reuniram-se e decidiram passar das palavras de união ao ato de coligação. Conciliaram divergências, identificaram _o adversário comum, definiram políticas concretas em torno das quais fariam campanha, primeiro, e governariam a cidade, depois. Semanas mais tarde, a mesa nacional do BE chumbou essa proposta.

À esquerda, não se trata tanto de resolver a equação se é mais o que nos une ou aquilo que nos separa. Une-nos muito, sempre que a direita governa. Separa-nos muito, também: a visão do Estado Social, ora como conquista, ora como vítima dos últimos 39 anos; a Europa, ora como projeto ora como fatalidade; uma agenda económica que ora nada quer reformar, ora nem sempre soube ser uma alternativa às direita (e convive demasiado bem com uma regulação fraca, com paraísos fiscais). Resolver estes bloqueios: o da visão do Estado social, o da Europa, o de uma agenda alternativa e progressista seria essencial para passar da união no protesto, para a união no projeto.

Mas talvez fosse mais fácil começarmos numa qualquer Caminha.

IN "DIÁRIO ECONÓMICO"
03/06/13

.
.


O CONSELHO


PATERNO





 .
.

HOJE NO
"PÚBLICO"

Grupo que detém o DN, JN e TSF negociado com fundo angolano

Um fundo de capital de risco, liderado pelo empresário angolano António Mosquito, está em negociações para a compra do grupo que detém o Diário de Notícias, o Jornal de Notícias, O Jogo e a TSF. Caso se concretize a operação, o fundo passará a deter mais de 50% do capital da Controlinveste. 
 
O DENGUE COR DE ROSA
A notícia foi avançada nesta terça-feira pelo jornal i e confirmada pelo PÚBLICO.
O restante capital será dividido em duas parcelas: uma para o BCP e BES, os principais credores da Controlinveste que reconvertem dívida em capital, outra para Joaquim Oliveira, actual presidente do conselho de administração.
António Mosquito M’Bakassy, 56 anos, é um dos grandes investidores do Banco Caixa Geral Totta Angola, detido pela Caixa Geral de Depósitos e pelo Santander. O empresário detém 12% da instituição bancária e está à frente do grupo António Mosquito, com interesses em áreas como o automóvel, petrolífero e diamantes. É da província do Huambo.

O jornal i adianta ainda que os novos donos do grupo de comunicação social ponderam a saída de 200 trabalhadores. A criação do fundo pode ainda implicar a venda de activos como o Jornal de Notícias, O Jogo e a TSF, para amortizar a dívida, continua o diário. Quanto ao DN, será alvo de uma “profunda reestruturação”.

O PÚBLICO tentou, sem sucesso, contactar Joaquim Oliveira e Rolando Oliveira, administradores da Controlinveste.

*  Mosquito é um "insecto" de estimação de José Eduardo dos Santos.

.

VI-TABU

AMÉRICA LATINA

2.BRUXARIA


video



.
.
HOJE NO

" DIÁRIO ECONÓMICO"

Salários nos conselhos de administração não podem superar o de Passos

A estrutura remuneratória da proposta de lei de reguladores é "desajustada", defende o Tribunal de Contas.

O Tribunal de Contas sublinhou hoje que a estrutura remuneratória prevista na proposta de lei-quadro dos reguladores "esta desajustada" e defendeu que os salários dos membros dos conselhos de administração não devem ultrapassar o vencimento do primeiro-ministro.
"O Tribunal de Contas concluiu que a estrutura remuneratória afigura-se desajustada, porque a comissão de vencimentos é uma estrutura que é muito familiar e próxima das pessoas a quem vai fixar as remunerações", explicou o vice-presidente do Tribunal de Contas (TC), Carlos Antunes.
O responsável, que falava numa audição do TC sobre a proposta de lei-quadro das entidades reguladoras, sugeriu por isso que seja aplicado o regime de remunerações dos gestores públicos, que não podem ultrapassar o vencimento do primeiro-ministro.

"Não vemos que estes membros [dos conselhos de administração dos reguladores] se diferenciem em termos de remuneração dos gestores públicos. Era mais transparente e equitativo aplicar este regime já previsto no nosso ordenamento jurídico", frisou.
A proposta de lei-quadro dos reguladores cria comissões de vencimentos que serão compostas por dois elementos do Governo e um do regulador e vai definir as remunerações dos membros do Conselho de administração.

Em resposta a uma pergunta do deputado socialista Eduardo Cabrita, o vice-presidente do Tribunal de Contas sublinhou ainda que a Assembleia da República deve ter "um parecer vinculativo no que toca à nomeação dos membros do conselho de administração".

O deputado comunista Bruno Dias questionou o responsável do Tribunal de Contas sobre o facto de os membros do conselho de administração terem direito a uma compensação de metade do vencimento mensal durante os dois anos seguintes à cessação de funções, segundo o atual texto da proposta de lei.

Carlos Antunes frisou que o TC não se pronunciou sobre o assunto, mas em termos pessoais afirmou discordar dessa compensação.
Quanto ao papel da Assembleia da República, o responsável do Tribunal de Contas frisou que aquela "deverá estar sempre presente" em matéria de reguladores, nomeadamente ter iniciativa na criação ou extinção das entidades reguladores, que a atual lei prevê que esteja dependente da iniciativa do Governo.

"Porque não permitir que a Assembleia da República tenha iniciativa neste domínio e este esteja dependente da iniciativa do Governo?", questionou.

* Alguém acredita que esta ideia não seja peregrina, pois se o grande objectivo de boys e girls é estarem na administração de empresas públicas, sejam elas quais forem, pois as mordomias são muitas.

.
.

ANA MOURA 

DESFADO




.
.
 HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

 Apenas quatro testemunhas foram aceites pelos serviços jurídicos da TVI.

Das dez testemunhas propostas por Ricardo Sá Fernandes, que representa Ana Leal, "apenas quatro foram aceites" pelos serviços jurídicos da TVI, para falarem a favor da jornalista, revela ao CM o advogado.


"Só aceitaram ouvir testemunhas sobre dois factos. Tratando-se de matéria restrita, só serão ouvidas quatro", explicou ao CM Sá Fernandes, sem contudo especificar a que factos se refere. 

Hoje vai ser ouvida a primeira testemunha, Maria José Garrido, jornalista da TVI e uma das 65 pessoas que subscreveu o abaixo-assinado sobre o processo disciplinar de Ana Leal, no âmbito do pedido de esclarecimento da jornalista sobre uma peça sua que não entrou no ‘Jornal das 8’ de Judite Sousa, sobre o SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal).

José Eduardo Moniz, ex-diretor-geral da TVI, Alfredo Maia, presidente do Sindicado de Jornalistas, e Óscar Mascarenhas, provedor do ‘DN’, são as testemunhas que se seguem.
Ricardo Sá Fernandes já havia dito ao CM que a defesa de Ana Leal assenta no argumento de que esta "exerceu o direito à liberdade de expressão e nunca pode ser sancionada por isso". Opinião partilhada por 65 profissionais da TVI, que o manifestaram em abaixo-assinado. 

A jornalista continua suspensa e sem poder entrar nas instalações da TVI, mas o seu advogado acredita que o caso "será arquivado", caso contrário, "recorremos às vias judiciais".

* Como um bom pivot, Judite de Sousa, atinge rapidamente o "Princípio de Peter" e se espalha no lodo da incompetência. 
Ana Leal se ficar na TVI irá para a prateleira, a menos que a espanholesa dê de frosques.

.
.

COMO CHATEAR NO ESCRITÓRIO


video



.

HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

PGR informa Parlamento 
Quatro inquéritos 'swap' 

 A Procuradoria-Geral da República (PGR) comunicou à Assembleia da República que estão em curso quatro inquéritos aos contratos de risco, ´swap', todos em fase de investigação, comunicou hoje o presidente da comissão de inquérito parlamentar aqueles contratos. 


O presidente da comissão, Jorge Lacão, abriu os trabalhos da comissão referindo que, na sequência da comunicação à PGR pela presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, da existência da comissão, a PGR indicou, por sua vez, que "estão abertos quatro inquéritos, todos os em fase de investigação, em matéria conexa com o objeto de inquérito". 

Jorge Lacão questionou os deputados sobre a continuação dos trabalhos da comissão, sublinhando que a lei determina que, face à abertura de inquérito pela Justiça, a comissão parlamentar pode decidir suspender os trabalhos. 

 Nenhum deputado se pronunciou sobre esta hipótese, tendo Jorge Lacão afirmado que, nesse caso, "a comissão desempenhará normalmente a sua função de acordo com o mandato que recebeu".

* Que a PGR e a comissão de deputados esclareçam o povo que lhes paga os salários.

.
.
   6/O DESPORTO É MARAVILHOSO




















.
.
HOJE NO
" DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Número de casais desempregados aumenta 67,3%

O número de casais em que ambos os cônjuges estão desempregados aumentou 67,3% em abril face ao mesmo mês de 2012, para 13.176, divulgou hoje o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP). 
De acordo com os dados do IEFP, o número de casais registados como desempregados decresceu ligeiramente em relação ao mês de março (menos 139 casais).

Dos 691.128 desempregados registados nos centros de emprego do Continente no final de abril, 49% eram casados ou viviam em situação de união de facto (338.970 pessoas).

O desemprego registado pelo IEFP em abril aumentou 11,8% em termos homólogos e decresceu 0,8% em relação a março.

* E o ministro da tutela distribui sorrisos nas conferências que profere e deverá ter um sono tranquilo...

.
,
B U N R A K U



Extrato de um show em Kyoto

Bunraku é o nome do teatro de marionetas profissional japonês. Desenvolveu-se principalmente nos séculos 17 e 18 e é um dos quatro tipos de teatro clássico japonês, sendo os outros três o Kabuki, o Noh e o Kyogen. O termo bunraku deriva de Bunraku-za, o nome do único teatro comercial bunraku a chegar aos nossos dias.
Bunraku também é chamado de ningyo joruri, um nome que  transmite as suas origens e a sua essência. Ningyo significa 'boneca' ou 'marionete', e joruri é o nome de um estilo de narrativa dramática cantada e acompanhada pelo shamisen de três cordas.


.
.
 HOJE NO
" RECORD"

Governo vai avançar com 
Tribunal do Desporto

O secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, afirmou esta terça-feira que o Governo vai alterar o "necessário" no Regime Jurídico das Federações Desportivas (RJFD) e avançará com a criação do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD).
Na sessão de encerramento do 1.º congresso da Associação Portuguesa de Direito Desportivo (APDD), que decorreu na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, o governante recordou a constituição de um grupo de trabalho para avaliar os quatro anos de vigência do RJFD, que vai permitir a "introdução das alterações necessárias" e cujas conclusões vão ser apresentadas "a breve trecho".

"É este o meu entendimento, no que respeita à política legislativa desportiva. Legislar apenas na medida do necessário e para conformar aspetos específicos do mundo do desporto que não podem ser ajustados de outra forma", referiu Emídio Guerreiro, salientando "a extensa consulta" que está a ser feita nesse sentido pelo grupo de trabalho.

De acordo com o governante, esta estrutura está a "identificar corretamente quais os desajustamentos que o próprio movimento desportivo nacional" encontra no diploma, para "atender à realidade das federações desportivas".

Emídio Guerreiro revelou ainda que "o Governo entende que persiste a necessidade de o desporto possuir um mecanismo alternativo de resolução de conflitos, que se coadune com as suas especificidades, de uma justiça célere e especializada", apesar de, em 24 de abril, o Tribunal Constitucional ter declarado inconstitucional o diploma de criação do TAD, por estabelecer que as suas decisões são "insuscetíveis de recurso".

"Concordando-se ou não com a apreciação efetuada, a verdade é que esta decisão existe e é com base nos limites que a mesma estabelece que caberá agora procurar a melhor forma de dar vida a um projeto que faz parte do programa do Governo e no qual acreditamos", rematou.

* Desnecessário, ainda se transforma num famigerado "tribunal plenário"

.
.
 CABEÇORRAS
























.