quinta-feira, 23 de maio de 2013

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.
 COMANDO

video



Numa guerra perdida a favor de uma causa anónima, um soldado é enviado para a zona de combate para entregar uma mensagem do Comando ao oficial da unidade.

 In a losing war for a nameless cause, a soldier is sent to the combat zone to deliver a message from high above to the officer in charge.




Lingua/Language: Portuguese
Legendas/Subtitles: English

Data da produção/Production date: March 2010

Prémios/Awards:
Best National Film (Arouca Film Festival 2011)
Best Production (Shortcutz Lisbon Annual Awards 2010)
Best Directing (CAL - Algarve Short Film Festival 2011)
Short of the month (Shortcutz Porto 2011)
Honorable mention (Bragacine 2011)

Selecção Oficial/Official Selection:
New York Portuguese Film Festival, 2011
Porto7, 2010
ShortCutz, 2010
FEST 2011
Festival XI SÉVIDEO, 2010

Visualizações/Screenings:
London Film Academy, London, UK
Anthology Film Archives, New York, USA
University of Texas, Austin, USA
3ª Mostra de Cultura Fílmica, Faro, Portugal
Auditório Carlos Paredes, Lisbon, Portugal
Auditório da Universidade Lusófona, Lisbon, Portugal
Clube Ferroviário, Lisbon, Portugal
Music Box, Lisbon, Portugal
Hard Club, Porto, Portugal
Cineclube de Faro, Faro, Portugal
Escola EB 2,3 de Almancil, Portugal

Dirigido, produzido e editado por/
Directed, produced and edited by
Patrício Faísca and Sonat Duyar

Roteiro e Som Original de/
Screenplay and Original Soundtrack by
Sonat Duyar

Directores de fotografia/
Directors of photography
Patrício Faísca and Rúben Botelho

Som e Efeitos Visuais por/Sound and Visual Effects by
Patrício Faísca

Elenco/
Cast
Nuno Custódio




.
.
 HOJE NO
" RECORD"

UEFA nomeia Fernando Gomes

O Comité Executivo da UEFA decidiu, na reunião desta quinta-feira, em Londres, nomear Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, para o grupo de coordenação do Campeonato da Europa de 2016.

O grupo de coordenação da prova que irá disputar-se em França, sob a presidência de Jacques Lambert, presidente da EURO 2016 SAS, é o órgão responsável por traçar as orientações gerais relativas à organização do Europeu. Reúne os principais decisores da UEFA (incluindo o presidente da UEFA, Michel Platini), a Federação Francesa de Futebol, o estado francês e as cidades anfitriãs.

A experiência e competência de Fernando Gomes é mais um trunfo importante na preparação e organização deste grande evento do futebol europeu. Fernando Gomes também foi nomeado conselheiro especial para as relações com as outras confederações e, nessas funções, será convidado a participar nas reuniões do Comité Executivo.

* Uma questão de prestígio pessoal

.
.
VI- O UNIVERSO


  1- SEGREDOS 

DO SOL



video


O Universo, inovadora série de The History Channel, utiliza imagens criadas por computadores de última geração para nos aproximar de planetas e estrelas, permitir a observação de buracos negros e cometas e testemunhar o nascimento e a morte de galáxias e sistemas solares. Uma fantástica viagem pelo cosmos...

FONTE:Gustavo Carvalho
.


.
HOJE NO

" JORNAL DE NOTÍCIAS"

Avião a energia solar bate novo recorde

 Solar Impulse, o primeiro avião a energia solar, bateu um novo recorde. A sua segunda travessia durou 18 horas entre Phoenix e Dallas, nos Estados Unidos. O objetivo é demonstrar as capacidades da energia solar.

Após 18 horas e 21 minutos de viagem, com partida em Phoenix, Arizona, o avião acabou por aterrar em Dallas, no Texas, após uma viagem de 1541 quilómetros sem escalas.
O anterior recorde de distância percorrida era de 1116 quilómetros, registado há um ano entre Suíça e Espanha.
Esta foi a segunda etapa em território norte-americano. A primeira viagem foi entre São Francisco e Phoenix, numa jornada que durou 19 horas, no início do mês de maio.
A travessia sobre os Estados Unidos, que irá terminar em Nova Iorque, vai contar com cinco etapas. Depois de Dallas, o avião irá voar até Saint Louis, Missouri e depois até Washington DC. O último destino será o aeroporto JF Kennedy em Nova Iorque em meados de julho.
video

As viagens não são simultâneas para permitir aos curiosos verem o avião e falarem com os pilotos Bertrand Piccard e Andre Borschberg, que voam alternadamente. O voo desta quinta-feira foi conduzido por Andre Borschberg.

O Solar Impulse tem como principal objetivo promover e encorajar políticas desenvolvimento e adoção de energias e tecnologias sustentáveis, que evitem o desgaste de recursos.
O aparelho em fibras de carbono tem 1600 quilos e 63,4 metros de comprimento, o equivalente a um Boeing 747. O avião pode atingir até 8500 metros de altitude e viaja a uma velocidade de cerca de 70 quilómetros por hora, dependendo da força do vento.
Este avião revolucionário possui quatro motores elétricos alimentados a energia solar. O aparelho é composto por 12 mil painéis fotovoltaicos capazes de produzir energia suficiente para carregar baterias em lítio com 400 quilos, que possam ser usadas tanto durante o dia, como durante a noite.

* Se este projecto tiver viabilidade técnica e económica o meio ambiente agradece.

.
.
ShaoLan Hsueh

Aprenda a ler chinês...
com facilidade



Para os estrangeiros, aprender a falar chinês é uma tarefa difícil. Mas aprender a ler os lindos e frequentemente complexos caracteres da língua chinesa escrita pode ser menos difícil. ShaoLan dá-nos uma lição simples em como reconhecer as ideias por trás dos caracteres e o seu significado — construindo a partir de algumas formas simples para conceitos mais complexos. Chamem-lhe "chinês fácil". 

.
.

HOJE NO
" JORNAL DE NEGÓCIOS"

Quanto vale o novo apoio ao investimento? Veja as contas

O novo crédito fiscal extraordinário ao investimento (CFEI), aprovado esta quinta-feira em Conselho de Ministros, permite às empresas que realizem novos investimentos entre 1 de Junho e 31 de Dezembro, abaterem ao seu IRC 20% do investimento até um máximo de 70% da colecta.
A poupança no IRC dependerá do investimento (só são aceites até cinco milhões de euros, no máximo) e do IRC que a empresa teria a pagar sem a consideração deste benefício fiscal.

Quem não aproveitar tudo este ano, pode abater o remanescente à factura fiscal durante cinco períodos.

Veja aqui algumas simulações efectuadas pela Secretaria de Estado dos Assuntos Fiscais, cedidas ao Negócios por Paulo Núncio, o responsável pela pasta.

Exemplo 1:
Uma empresa que em 2013 tenha uma matéria colectável de €45.000, se realizar um investimento elegível, entre 1 de Junho e 31 de Dezembro, no valor de €40.000, poderá beneficiar de uma taxa geral de tributação de 7,5% em 2013, nos termos seguintes:
- Crédito de imposto de 20% do montante do investimento elegível, ou seja, €8.000.
-Por referência a 2013, este crédito será dedutível até 70% da colecta, ou seja, até €7.875 (70% de €11.250).
-Deste modo, este sujeito passivo apenas pagará €3.375 de IRC em 2013, o que corresponde a uma taxa geral efectiva de 7,5%.
-Os €125 de crédito não utilizados poderão ainda ser utilizados contra as colectas apuradas nos cinco exercícios subsequentes.

Exemplo 2:
Uma empresa que em 2013 tenha uma matéria colectável de €250.000, se realizar um investimento elegível, no valor de €220.000, poderá beneficiar de uma taxa geral de tributação de 8,2% em 2013, nos termos seguintes:
-Crédito de imposto de 20% do montante do investimento elegível, ou seja, €44.000.
-Por referência a 2013, este crédito será dedutível até 70% da colecta, ou seja, até €43.750 (70% de €62.500).
-Deste modo, este sujeito passivo apenas pagará €18.750 de IRC em 2013, o que corresponde a uma taxa geral efectiva de 7,5%.
-Os €250 de crédito não utilizados poderão ainda ser utilizados contra as colectas apuradas nos cinco exercícios subsequentes.

Exemplo 3:
Uma empresa que em 2013 tenha uma matéria colectável de €550.000, se realizar um investimento elegível, entre 1 de Junho e 31 de Dezembro, no valor de €500.000, poderá beneficiar de uma taxa geral de tributação de 7,5% em 2013, nos termos seguintes:
-Crédito de imposto de 20% do montante do investimento elegível, ou seja, €100.000.
-Por referência a 2013, este crédito será dedutível até 70% da colecta, ou seja, até €96.250 (70% de €137.500).
-Deste modo, este sujeito passivo apenas pagará €41.250 de IRC em 2013, o que corresponde a uma taxa geral efectiva de 7,5%.
-Os €3.750 de crédito não utilizados poderão ainda ser utilizados contra as colectas apuradas nos cinco exercícios subsequentes.

Exemplo 4:
Uma empresa que em 2013 tenha uma matéria colectável de €1.100.000, se realizar um investimento elegível, entre 1 de Junho e 31 de Dezembro, no valor de €1.000.000, poderá beneficiar de uma taxa geral de tributação de 7,5% em 2013, nos termos seguintes:
-Crédito de imposto de 20% do montante do investimento elegível, ou seja, €200.000.
-Por referência a 2013, este crédito será dedutível até 70% da colecta, ou seja, até €192.500 (70% de €275.000).
-Deste modo, este sujeito passivo apenas pagará €82.500 de IRC em 2013, o que corresponde a uma taxa geral efectiva de 7,5%.
-Os €7.500 de crédito não utilizados poderão ainda ser utilizados contra as colectas apuradas nos cinco exercícios subsequentes.

Exemplo 5:
Uma empresa que em 2013 tenha uma matéria colectável de €2.250.000, se realizar um investimento elegível, entre 1 de Junho e 31 de Dezembro, no valor de €2.000.000, poderá beneficiar de uma taxa geral de tributação de 7,5% em 2013, nos termos seguintes:
-Crédito de imposto de 20% do montante do investimento elegível, ou seja, €400.000.
-Por referência a 2013, este crédito será dedutível até 70% da colecta, ou seja, até €393.750 (70% de €562.500).
-Deste modo, este sujeito passivo apenas pagará €168.750 de IRC em 2013, o que corresponde a uma taxa geral efectiva de 7,5%.
-Os €6.250 de crédito não utilizados poderão ainda ser utilizados contra as colectas apuradas nos cinco exercícios subsequentes.

* ESCLARECIDO COM ESTE EXCELENTE TRABALHO???

.

ANA SÁ LOPES

.



Dos rituais 
e dos confortos em família


Precisa Cavaco de um respaldo para o respaldo que deu ao governo?

Boa parte dos rituais não serve para mais nada senão para conjugar o sentimento de fazer parte de uma comunidade. É assim com 99,1% dos rituais políticos, como a inauguração, a apresentação, a convocação e a reunião. O conclave de Estado do fim da tarde de ontem significa, para o futuro do país, a mesma coisa do que um almoço de domingo em família. Varre-se a sala do Conselho de Estado, limpam-se as pratas, areja-se e o Presidente, formalmente, dá início ao convívio. Não será mais do que isto que estará em causa.
O Presidente sabe o que pensam todos os conselheiros de Estado para que não lhe faça falta nenhuma reunião formal para o saber. Uma boa parte deles afirma com grande frequência e sem medos as suas opiniões em variados órgãos de comunicação social. Um dos conselheiros, Marcelo Rebelo de Sousa, chegou mesmo a admitir que o Presidente escolheu este tema - o futuro pós-troika - para se poupar a falar do triste presente e não contribuir para aumentar as "tensões". Quando é um conselheiro a admitir que o Presidente convoca uma reunião do Conselho de Estado para não falar da crise - com o argumento de proteger o governo ou a sua "coesão" - está tudo dito sobre a real importância do dito órgão.
O Conselho de Estado foi criado quando o Conselho da Revolução - uma herança dos tempos revolucionários incompatível com uma democracia civilista - foi extinto, na revisão constitucional de 1982. Depois inventou-se isto - um órgão de consulta do Presidente da República para usar em situações tão graves como uma declaração de guerra ou a demissão de um governo. 

Mas, em tempos recentes, as reuniões do Conselho de Estado transformaram- -se em jantares de família - frugais, a avaliar pela ementa do de ontem, uma "sopinha" e uma sanduíche -, cujo resultado prático para o futuro do país é igual a zero. Quer Cavaco Silva reestabelecer pontes com António José Seguro, previsivelmente o homem que governará o país no pós-troika e inventou um Conselho de Estado para isso? É uma teoria borbulhante. Precisa Cavaco Silva de um "respaldo" do Conselho de Estado para o ?respaldo? que deu recentemente ao governo ainda em funções? É o mais provável. E assim passa o Conselho de Estado de órgão de aconselhamento do Presidente da República para órgão de conforto do Presidente da República. 

Um dia destes, os media em conjunto acabarão por concluir que um Conselho de Estado destes não é notícia - mas ontem não foi a véspera desse dia.

IN "i"
21/05/13

.
.
HOJE NO
" DESTAK"

Despesas com subsídios de desemprego crescem 13,9% até abril - DGO 

 A despesa com subsídios de desemprego até abril chegou aos 972 milhões de euros, mais 13,9% que o registado nos primeiros quatro meses do ano passado, indicou hoje a Direção-Geral do Orçamento. 

Na síntese de execução orçamental com os dados em contabilidade pública (em fluxos de caixa) até abril, o Ministério das Finanças dá conta de um aumento de 118,7 milhões de euros face aos primeiros quatro meses de 2012. 

As contas da Segurança Social acabam por ser ainda influenciadas pelo aumento da despesa resultante do pagamento do décimo terceiro mês, que a lei do orçamento suspendeu no ano passado, que teve impacto no aumento de 10,6% do valor pago em pensões. 

*  Era expectável.

.
.


II-ORIGENS
 
2- INTESTINOS
video


 FONTE: g4mb14rr4

.
.
HOJE NO
"i"

Empresa acusada de escravatura no Luxemburgo recebeu 67 mil euros da UE 

A empresa recebeu 67.822,86 euros de fundos comunitários até 2006 

A empresa portuguesa Açomonta, acusada de praticar "escravatura moderna" no Luxemburgo, recebeu 67.822,86 euros de fundos comunitários até 2006, informou o comissário europeu do Emprego em resposta a interpelações das eurodeputadas socialistas Edite Estrela e Elisa Ferreira.

Num comunicado hoje divulgado, a delegação portuguesa do grupo dos socialistas e democratas no Parlamento Europeu refere que as duas eurodeputadas interpelaram a Comissão Europeia sobre este caso, dando seguimento às denúncias do sindicato luxemburguês OGB-L, que acusou a Açomonta.
Em causa está a acusação, noticiada pela Lusa a 19 de março, de que a empresa recruta trabalhadores portugueses por valores entre 300 e 700 euros por mês em vez do salário legal de 2.400 euros brutos, alguns a trabalhar "sete dias por semana" e "mais de dez horas por dia".

O sindicato referiu também que estes trabalhadores não estão a ser pagos pelas horas extraordinárias e que são alojados em “condições desumanas”, em armazéns em França, na fronteira com o Luxemburgo.
Contactado pela Lusa, a 19 de março, o diretor comercial da Açomonta no Luxemburgo, Mounir Hnida, rejeitou as acusações do sindicato.
A Lusa confirmou os relatos do sindicato junto de trabalhadores e visitou instalações da Açomonta transformadas, “sem a devida autorização” – segundo a polícia luxemburguesa -, em locais de habitação.
Na sequência destas notícias, Edite Estrela interpelou a Comissão sobre as medidas que o executivo comunitário pensa tomar para melhor garantir a aplicação da Diretiva 96/71/CE relativa ao destacamento de trabalhadores no âmbito de uma prestação de serviços, enquanto Elisa Ferreira perguntou se a Açomonta recebeu apoios comunitários, com que fins e que compromissos a empresa assumiu aquando da concessão dessas ajudas.
Na resposta citada no comunicado, o comissário do Emprego e dos Assuntos Sociais, László Andor, afirmou que o acompanhamento e o cumprimento das condições de trabalho e da remuneração efetiva são competências dos Estados-Membros.
Reconhecendo que os projetos executados com o apoio do financiamento da UE devem estar em conformidade com a legislação nacional e com a legislação da UE, o comissário disse que a Comissão "não está em posição de avaliar os factos".

Cabe às autoridades nacionais assegurar que a legislação é aplicada correta e eficazmente pelo empregador, afirmou László Andor.
O comissário assinala ainda que, de acordo com as autoridades portuguesas, a empresa Açomonta recebeu um financiamento do Fundo Social Europeu no montante de 67.822,86 euros no período de programação 2000-2006.
"As operações selecionadas destinavam-se a reforçar o potencial dos trabalhadores e, de acordo com as autoridades portuguesas, cumpriram as regras da UE e as regras nacionais ao longo de todo o período de execução", pode ler-se no mesmo comunicado.
Em abril, também os eurodeputados comunistas Inês Zuber e João Ferreira questionaram a Comissão Europeia sobre a “inadmissível situação de exploração de trabalhadores” realizada pela empresa Açomonta.

* Esta empresa é bem conhecida pelas piores razões. Os malandros dos donos desta empresa tiveram há algum tempo, não muito, um sério problema na Covilhã, quando realizavam uma sub-empreitada para a PT, as instalações para os operários eram piores que estábulos.
Não percebemos porque esta empresa ainda está autorizada a laborar e os donos à solta.

.
.


CARLOS MENDES


AMÉLIA DOS OLHOS DOCES





.
.
HOJE NO
"A BOLA"

Gonçalo Carvalho conquista 
segundo lugar em prova alemã
 

O cavaleiro português Gonçalo Carvalho, juntamente com o cavalo Rubi, conquistaram o segundo lugar na prova de dressage no concurso da localidade alemã de Wiesbaden.
O cavaleiro de Cascais somou 74,525 pontos e só perdeu para a alemã Isabel Werth, quatro vezes campeã olímpica (em Barcelona, Atlanta, Sidney e Pequim).

* O hipismo nacional a evidenciar-se. 

.
.

Há dias aziagos...



video


.
.
HOJE NO
"PÚBLICO"

Projecto cria plástico biodegradável adaptado à agricultura em Portugal

O agricultor ficou maravilhado. “Isto é mágico, o plástico desaparece. É um milagre”, disse à investigadora.

O “milagre” é um produto biodegradável, feito de amido de milho, que pode ser uma alternativa aos plásticos cada vez mais em voga na agricultura em Portugal e no mundo. É o resultado de um projecto de investigação e inovação financiado pela Comissão Europeia, liderado por uma empresa portuguesa, e cujos resultados foram apresentados esta semana.

O uso de plásticos na agricultura tem crescido de tal forma, que já há um termo novo para designar a combinação de ambos: plasticultura. Além de cobrirem estufas, embalarem fardos ou acomodarem plantas em viveiros, os plásticos são cada vez mais empregues directamente no solo, para proteger determinadas culturas. É uma forma de isolar as plantas de ervas daninhas e de controlar a humidade e a temperatura, aumentando a produtividade.
Mas uma vez utilizado, o plástico – normalmente feito de polietileno, um derivado do petróleo – torna-se um problema. A melhor hipótese é reciclá-lo. Mas muitas vezes é enterrado no solo ou mesmo queimado.

“O plástico biodegradável é a solução do futuro”, afirma Paulo Azevedo, coordenador do projecto e director-geral da Silvex, empresa de Benavente que fabrica filmes plásticos e que lidera a iniciativa. A empresa desenvolveu um produto próprio, a partir de uma matéria-prima já existente no mercado, à base de amido de milho.
O plástico é aplicado sobre as culturas e, depois da colheita, misturado à terra, acaba por decompor-se ao longo de alguns meses, digerido por microorganismos. “É incorporado no solo, junto com o que resta das culturas. Não há qualquer impacto ambiental”, afirma a investigadora Elisabeth Duarte, do Instituto Superior de Agronomia, uma das entidades que também participaram do projecto.

A existência de um filme plástico biodegradável para a agricultura não é novidade em si. “A novidade é que tentámos adaptá-lo às condições de Portugal e Espanha”, diz Elisabeth Duarte. Não só há diferenças óbvias de clima entre pontos distintos da Europa, como a composição do solo é muito variável – normalmente com mais matéria orgânica no Norte e menos no Sul.

No projecto Agrobiofilm, foram estudadas várias formulações para o plástico e o produto foi aplicado em ensaios experimentais ao longo de três anos, em culturas de melão, morango e pimento, com resultados satisfatórios. Também foi testado em vinhas, que revelaram crescer mais depressa, se plantadas com o filme biodegradável do que em solo nu.


Um dos objectivos centrais do projecto é quebrar as barreiras comerciais ao plástico biodegradável, que responde actualmente por apenas 1% do total utilizado na agricultura. “Até agora, não se conseguiu impor, porque está pouco divulgado”, diz Paulo Azevedo. Um dos problemas é o preço, dado que as matérias-primas são mais caras do que o petróleo. O director-geral da Silvex chama a atenção, porém, para a existência de uma comparticipação de um terço dos custos com os plásticos biodegradáveis, numa linha de apoio europeia dirigida a organizações de produtores.


O projecto Agrobiofilm envolveu também empresas, instituições de investigação e agricultores da Noruega, França, Espanha e Dinamarca. “É o primeiro projecto de grande dimensão a nível mundial nessa área”, diz Paulo Azevedo.

*  INTELIGÊNCIA PORTUGUESA!

.
.


DOUTRO SÉCULO



CARROS DE ANTANHO


MODELOS FALHADOS















.

 HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Banif nega ligação entre prémio 
a gestora e ajuda do Estado

Banco liderado por Jorge Tomé esclarece que prémio pago em 2012 diz respeito a 2011, altura em que não tinha ainda ocorrido ajuda estatal.

O Banif assegura que "as regras de limitação dos vencimentos dos gestores e de proibição da atribuição de prémios de gestão" decorrentes da ajuda de 1,1 mil milhões de euros recebida pelo Estado "estão a ser escrupulosamente cumpridas".

O comunicado divulgado esta tarde surge depois de, no último sábado, o jornal Expresso ter publicado uma notícia intitulada "Banif paga a gestora no Brasil mais do que os banqueiros ganham cá". Na mesma era referido que Maria da Conceição Leal, ex-administradora do Banif Investimento no Brasil, recebeu 982,3 mil euros no ano passado e mencionava o facto de o banco ter recebido auxílio estatal no final desse mesmo ano.
No esclarecimento hoje prestado, o Banif diz que "a notícia foi transmitida dando a entender à opinião pública que tal atribuição teria sido feita por um banco recapitalizado com dinheiros públicos, infringindo as regras e os princípios que são impostos às instituições recapitalizadas". O banco lembra que foi recapitalizado "no dia 25 de Janeiro de 2013" e que o prémio pago "diz respeito ao desempenho no ano 2011 e está exclusivamente relacionado com (...) um banco que opera no mercado brasileiro, um mercado que tem regras completamente distintas".
"Qualquer ligação entre a atribuição do referido prémio de gestão e a recapitalização, ocorrida já em 2013, é um exercício artifical, sem correspondência com a realidade concreta", conclui o comunicado.

* Aguém já viu um banqueiro português ter dificuldade para justificar o sórdido??? Qual???

.
.


STREET ART


video



.
.
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

"Saúde Mais Próxima" de 13 mil pessoas 

Durante um ano, as unidades móveis percorreram 73 bairros de lisboa e atenderam 13 mil pessoas

No primeiro ano do programa Saúde Mais Próxima, uma iniciativa da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa destinada a rastrear as principais doenças crónicas, foram atendidas 13 mil pessoas.
Exatamente um ano após o lançamento do programa, a administradora de Saúde da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Helena Lopes da Costa, afirma que balanço destes 12 meses "é extremamente positivo". 

Durante um ano, duas unidades móveis e uma tenda andaram pelos 73 bairros de Lisboa, a fazer rastreios e sessões de aconselhamento sobre várias doenças crónicas.
Helena Lopes da Costa explicou que os diagnósticos de doença "foram feitos em parceria com as sociedades médicas e científicas, como a Sociedade Portuguesa de Pneumologia, de Cardiologia, a Associação de Diabéticos, a Associação Portuguesa de Osteoporose e a Sociedade Portuguesa para o Estudo da Obesidade".
O programa Saúde Mais Próxima, vai-se alargar a novos tipos de doença. Já no próximo dia 24 de Junho, vai lançar o diagnóstico de outra patologia: o cancro da pele.

* EXCELENTE

.
.
MAIS PARA CHORAR
DO QUE PARA 
  TROÇAR
(patologia do photoshop)
 
 EU QUERO PARECER MAIS PERIGOSO!

 
 QUERIA PARECER O FILHO DUM POLÍTICO PODEROSO
 TRANSFORME-ME NUM  
HOMEM QUENTE
 .
 O MEU AMIGO ATRÁS DE MIM 
TEM UMA POSE AMORFA, PODE 
PÔ-LO MAIS DRAMÁTICO?



 GOSTAVA DE SER RETRATADO 
COMO UM HOMEM DE CORAGEM

 
 CELEBRO A MINHA LICENCIATURA 
PODE SER MAIS FESTIVA?
 .
.

HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Início da greve dos professores antecipado para 7 de Junho 

Com este pré-aviso de greve ficam assim marcados cinco dias de paralisação às avaliações – 7, 11, 12, 13 e 14 de junho. 

A Fenprof entrega amanhã o pré-aviso de greve, acrescentando mais um dia de paralisação e antecipando para 7 de junho o início da greve às avaliações. Ao marcar uma greve para 7 de junho, último dia de aulas, a Fenprof afirma que pretende evitar que após o fim das atividades letivas desse dia as escolas possam ainda realizar avaliações e lançar notas. 


Com este pré-aviso de greve ficam assim marcados cinco dias de paralisação às avaliações – 7, 11, 12, 13 e 14 de junho – além de um dia de greve geral a 17 de junho primeiro dia dos exames nacionais do ensino secundário. A informação foi avançada pelo secretário-geral da Federação Nacional dos Professores, Mário Nogueira, à saída da reunião no Palácio das Laranjeiras com os secretários de estado da Administração Escolar e da Administração Pública, Casanova de Almeida e Helder Rosalino, respetivamente. Membros do executivo reuniram-se hoje com diversos sindicados de professores para negociar a proposta de mobilidade especial, com os sindicalistas a ameaçar fazer greve geral e a reafirmar que não existem docentes a mais nas escolas. 

Os dirigentes sindicais querem promessas do Ministério da Educação e Ciência (MEC) em como nenhum professor será colocado em mobilidade especial e já contestaram fortemente propostas como a que permite que os docentes com horário zero possam ser colocados em qualquer escola do país sem a realização de concurso.

* Já existem demasiadas corporações no país, desejamos que os professores não constituam mais uma.

.