sexta-feira, 10 de maio de 2013

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.


.
D E R O S I R E



.

HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Greve nacional dia 7 de junho 

Os trabalhadores dos CTT vão fazer “greve geral nacional”, no dia 07 de junho, contra a privatização da empresa e “em defesa de um serviço público de qualidade”, anunciou hoje, em Coimbra, o dirigente sindical Henrique Santos. 


O coordenador da Secção da Beira Litoral do Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Correios e Telecomunicações (SNTCT) falava aos jornalistas, hoje, à tarde, durante uma manifestação, na Praça 8 de Maio, na Baixa de Coimbra, contra o encerramento do Centro de Produção e Logística (CPL) dos CTT na região Centro, instalado em Taveiro (Coimbra). A paralisação de 07 de junho visa protestar “contra a privatização dos CTT” e “defender um serviço público postal de qualidade”, adiantou Henrique Santos, salientando que os serviços dos correios em Portugal – que são “dos melhores do mundo” – se estão “a degradar todos os dias”, designadamente em relação à “entrega de correio”.

 O encerramento do CPL de Taveiro, que “está em curso”, e de estações de correios e a redução de marcos de correios são medidas que degradam o serviço e o afastam cada vez mais dos utentes, ao “contrário daquilo que a administração da empresa” pretende fazer crer, afirmando que quer, com estas medidas, aproximar os Correios das populações, sublinhou Henrique Santos. Várias dezenas de trabalhadores do CPL dos CTT na região Centro, em Taveiro (onde trabalham cerca de 140 funcionários), manifestaram-se, hoje, em Coimbra, “contra o encerramento da central”, em “defesa do serviço público” e “contra a privatização” da empresa. A administração dos Correios assegura que aquela "central não vai encerrar”, mas “está a deslocalizar serviços para Lisboa, com a intenção de “retirar” de Taveiro “toda a central”, disse, aos jornalistas, o dirigente da SNTCT. 

A manifestação, durante a tarde de hoje, coincidiu com o dia de greve dos trabalhadores do CPL de Taveiro, convocada por aquele sindicato, igualmente para protestar contra a alegada intenção de deslocalização do centro para Lisboa, contra a privatização dos CTT. A empresa sustentou, na quinta-feira, que a paralisação afetaria apenas a central logística, "não se estendendo ao Centro de Distribuição Postal a ele adjacente (de onde saem os carteiros)", mas Henrique Santos afirma que “diversas áreas da região” foram afetadas, atrasando a distribuição do correio, parte da qual não terá sido feita hoje. A greve no CPL de Taveiro e a manifestação de hoje marcam “o início da luta contra a privatização”, contra a degradação dos serviços de distribuição dos CTT, sublinhou o dirigente sindical. 

Durante a sua intervenção, na manifestação desta tarde, o dirigente do SNTCT António Pereira desafiou o líder do PS, “António José Seguro, a dizer se é a favor ou contra a privatização dos CTT, mas de forma clara e não com um ‘nim’”. O vereador e candidato à Câmara de Coimbra, pela CDU, Francisco Queirós, também participou no protesto, manifestando a sua solidariedade com os trabalhadores dos CTT e contestando a política que a empresa tem vindo a adotar, designadamente em relação ao encerramento de estações de correio, “como está a acontecer em Coimbra”. O grupo parlamentar do Bloco de Esquerda entregou hoje um requerimento na Assembleia da República, questionando o governo sobre o anúncio da administração dos CTT, revelando estar a “estudar o encerramento de quatro estações de correios em Coimbra: Rossio, Celas, Cernache e Souselas”.

* Nenhum dos governantes que hoje assinam as privatizações estará cá quando se perceber a degradação da qualidade do serviço, estarão a gozar os resultados da sua política. Os CTT dão muito lucro, é uma empresa apetecível, não faltarão tubarões amigalhaços do poder para dar a dentada.

.
.
O MELHOR DANÇARINO



.





.
.
 HOJE NO
" DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Queixa-crime na PGR contra 'swaps' 
nas empresas públicas

O advogado Garcia Pereira entregou hoje na Procuradoria-Geral da República (PGR), em Lisboa, uma queixa-crime, a pedir que o Ministério Público apure responsabilidades, na assinatura de contratos financeiros de risco, "swaps", nas empresas públicas.
Questionado pela Lusa sobre o que pretende com a iniciativa, Garcia Pereira disse querer que o "Ministério Público investigue e leve até ao fim o apuramento das responsabilidades, por uma série de negócios absolutamente ruinosos e especulativos [em empresas públicas], que se traduzem em perdas de três mil milhões de euros".

O advogado disse ainda que, "uma vez mais, se vai tentar que sejam os trabalhadores portugueses a suportar [estas perdas], pelos impostos e pela redução dos seus salários e pensões,".
"Os tribunais não devem deixar impunes os ladrões e os corruptos e devem perseguir implacavelmente aqueles que cometeram essas irregularidades", disse Garcia Pereira.

"Uma participação deste tipo simboliza que os cidadãos deste país não estão mais dispostos a tolerar que coisas dessas possam ser feitas e sair impunes", prosseguiu o advogado.
Garcia Pereira realçou ainda que alguns daqueles contratos "ruinosos" foram feitos na Carris, onde "agora os trabalhadores estão a passar fome" e onde "os sindicatos estão a lançar campanhas de recolha de alimentos".

* Assinamos por baixo, temos o direito de saber quem roubou.

.
.
D-A HISTÓRIA DA CIRURGIA

2- RECONSTRUINDO ROSTOS





.
.
HOJE NO
" RECORD"

Homenagem no aniversário 
da morte de Joaquim Agostinho
Desaparecimento aconteceu há 29 anos

Esta sexta-feira uma delegação, composta por membros da União Desportiva do Oeste e da comissão organizadora do Grande Prémio Internacional de Ciclismo – Troféu Joaquim Agostinho, depositou uma coroa de flores junto ao monumento Joaquim Agostinho, em Torres Vedras, como forma de homenagear o ciclista português passados 29 anos do seu prematuro desaparecimento.
Joaquim Agostinho envergava a camisola amarela na Volta ao Algarve quando foi vítima de uma queda, envolvendo um cão, que se revelou fatal passados 10 dias.

O ciclista torriense nunca chegou a participar no Grande Prémio de Torres Vedras, no qual estava inscrito nesse ano integrando a equipa Sporting Lisboa-Raposeira. No ano seguinte, a organização da prova associou ao nome também a designação de Troféu Joaquim Agostinho, como forma de perpetuar a sua memória. 

* Morreu porque não lhe fizeram um trépano...

.

PEDRO MARQUES LOPES

.



Tudo normal

Temos um ministro que faz uma comunicação ao País informando quais as medidas aprovadas em Conselho de Ministros que considera boas e más. 

Um ministro que nos informa ao vivo e a cores das medidas que aprova ou desaprova nas reuniões com os seus colegas. 
Um ministro que diz que toma conhecimento de possíveis medidas governamentais pelos jornais. 
Um ministro que dá conselhos ao Governo de que faz parte enquanto discursa aos cidadãos. 
Um ministro que manda piadas aos seus colegas e denuncia as dissensões no Governo em prime-time. 
Um ministro que nos quer convencer que se não fosse ele isto era uma catástrofe. 
Esse ministro é o líder dum dos partidos da coligação e vai continuar a sentar-se no Conselho de Ministros. 

O Governo está, portanto, coeso e em condições de fazer apelos ao consenso. A coligação está, obviamente, sólida e o Governo concentrado na tarefa de enfrentar os terríveis problemas que enfrentamos. O primeiro-ministro sem rigorosamente nenhuns problemas de liderança. E nós vamos ter de continuar a aturar estes números de circo de Paulo Portas e Passos Coelho. E nós teremos de continuar a assistir da forma mais serena possível ao espectáculo levado a cabo por gente sem o mínimo sentido de Estado, sem o mínimo respeito pelos sacrifícios dos portugueses e que se entretém com brincadeiras e joguinhos de baixa política.

Está tudo normal, não é, sr. primeiro-ministro? É preciso evitar a todo custo uma crise política, não é, sr. Presidente da República?

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
06/05/13

.
.
HOJE NO

" JORNAL DE NOTÍCIAS"

Planos de construção de 
arma de plástico proibidos

O Governo norte-americano obrigou uma empresa com sede no Texas a retirar da Internet os manuais sobre como fazer uma pistola de plástico através de uma impressora 3-D. O "download" dos planos já foram feitos por cerca de 100 mil pessoas em todo o mundo. Veja o vídeo.
A proibição foi ordenada pelo Departamento de Estado dos EUA, alegando o direito internacional de controlo de armas, após a companhia ter mostrado imagens da primeira pistola do mundo feita com êxito através de uma impressora 3-D.

De acordo com o jornal "The Guardian", a companhia que fez o protótipo da "Liberator" - assim se designa a arma - explicou que o seu projeto tinha ficado "obscurecido" por iniciativa do Governo.
A divulgação dos planos de construção da arma foram um verdadeiro sucesso em todo o mundo, com mais de 100 mil "downloads". Espanha liderou o "top" dos "downloads" apenas nos primeiros dias em que os planos foram disponibilizados.
A arma é composta por 16 peças de plástico ABS, o material mais utilizado pelas impressora 3-D, que permitem disparar balas de difirentes calibres. A "Liberator" tem apenas um pequeno componente de metal com o único objetivo de fazer com que a arma possa ser detetada por "scanners" nos aeroportos.

* Do país arauto dos direitos humanos, uma empresa  espalha a morte pelo mundo.
Como é óbvio não editamos o vídeo.

.
.

O CÓDIGO TEMPLÁRIO


5. A BUSCA do TESOURO TEMPLÁRIO




.
.
HOJE NO

" JORNAL DE NEGÓCIOS"

Serviços contraem pelo
 27º mês consecutivo

O sector de serviços continua a registar quedas, ainda que, em Março, tenha abrandado o ritmo. Os dados do INE revelam que este sector de actividade está em contracção desde Janeiro de 2011.

O índice de volume de negócios dos serviços recuou, em Março, 8,65% quando comparado com igual período do ano passado, de acordo com os dados disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Esta quebra foi menor do que a verificada em Fevereiro (10,45%), mas representa o 27º mês consecutivo de contracção neste sector. Não há registos nos dados do INE, que recuam até 2005, de um período tão longo de contracção.

“Esta evolução resultou, sobretudo, do comportamento do índice da secção de comércio por grosso e reparação de veículos automóveis e motociclos, que registou, em Março, uma diminuição homóloga de 9,9%, após uma redução de 12,7% no mês anterior”, realça o INE.

Quebra do emprego foi a menor desde Novembro de 2011

O índice de emprego também verificou um abrandamento na queda, registando uma descida homóloga de 5,1%, esta é, inclusivamente, a menos pronunciada desde Novembro de 2011. Já em termos mensais, verificou-se mesmo um aumento de 0,92%, o que é a maior subida mensal desde que há dados (2005). Esta subida mensal surge após cinco meses de queda.

Já o “índice de remunerações diminuiu, em termos homólogos, 5,1%”, verificando reduções homólogas desde Junho de 2011, segundo os dados do INE.

“O índice de volume de trabalho, medido pelo número de horas trabalhadas, ajustado dos efeitos de calendário, apresentou uma diminuição homóloga de 7,1% em Março (redução de 8,5% no mês anterior)”, adianta a mesma fonte.

*  Um serviço limpinho, limpinho deste governo.

.
.


UTE LEMPER


MACK THE KNIFE





.

HOJE NO
" DESTAK"

Renegociação com concessionárias não põe em causa qualidade das estradas 
- Sérgio Monteiro 

O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro assegurou hoje que a renegociação dos contratos com as concessionárias das ex-SCUT não põe em causa a qualidade e segurança das estradas, apesar de deixar de ser obrigatória a realização de obras. 

"Nunca estará em causa a qualidade das estradas ou a segurança dos passageiros" afirmou hoje o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Silva Monteiro, aludindo à renegociação dos contratos acordada hoje com as concessionárias das antigas SCUT. 

De acordo com o governante, "as regras que obrigavam que houvessem pagamentos anuais para que a manutenção corrente ou grandes reparações, independentemente de serem necessárias ou não" foram agora revogadas, passando as concessionárias a "só as efetuarem se e quando forem necessárias".

* Promessas, quando as estradas tiverem crateras o sr. Sérgio Monteiro já não estará no governo.

.
.

O AUTOCARRO DO FUTURO!!!





.
.

HOJE NO
"i"

Carlos Abreu Amorim 
"Tempo político de Vítor Gaspar terminou"

O vice-presidente da bancada parlamentar do PSD Carlos Abreu Amorim defendeu hoje que “o tempo político de Vítor Gaspar terminou” e que o governo deve ponderar a sua substituição.


“Vítor Gaspar restabeleceu a confiança dos mercados e teve sucesso nas suas políticas de voltar a inserir Portugal nos mercados financeiros mas, neste momento, eu julgo que o país precisa de uma nova etapa neste combate tremendo à crise económica financeira e social em que estamos e que o tempo político de Vítor Gaspar terminou”, afirmou à Lusa Carlos Abreu Amorim, à margem do início da apresentação dos candidatos do PSD às juntas de freguesia de Gaia.

Para Carlos Abreu Amorim, que se candidata à câmara de Gaia pelo PSD, “é preciso pedir o regresso da política, é preciso que os problemas sejam tratados através de uma perceção dos anseios e necessidades das pessoas e isso é muito mais vasto do que a visão tecnocrática afunilada com que muitos dos problemas do país têm vindo a ser tratados até agora”.

O deputado disse deixar a substituição do ministro das Finanças “à consideração de Pedro Passos Coelho e Paulo Portas”, lembrando que, “neste momento, o país precisa de uma nova etapa” e “que os seus problemas [sejam] enfrentados com outra determinação e (…) eventualmente com um outro ministro”.
“Porque, na minha opinião, e na opinião de muitos portugueses, (…) o tempo político de Vítor Gaspar terminou”, reiterou Abreu Amorim.

O vice da bancada parlamentar do PSD lembrou ainda que “as pessoas que confiaram e continuam a confiar em Pedro Passos Coelho e Paulo Portas exigem, neste momento, que esses dois líderes políticos tratem dos problemas do país como problemas políticos e não exclusivamente como problemas orçamentais e financeiros”.

Abreu Amorim salientou por fim que “Vítor Gaspar não é, de modo algum, a pessoa indicada para dar esperança a Portugal e aos portugueses”.

“Já cumpriu a sua missão, estamos-lhe agradecidos por isso mas, neste momento, é preciso virarmos a página e passarmos para uma nova etapa”, sublinhou.
Questionado sobre a existência de problemas no interior da coligação PSD/CDS, o deputado respondeu que “quer Pedro Passos Coelho quer Paulo Portas são grandes políticos e são homens com uma enorme capacidade de resolver problemas”, acreditando que os problemas “serão certamente ultrapassados”.

* O PSD com uma gasteroenterite, acompanhada de gases.

.
.


A COMPANHIA 
DOS CICLISTAS















.
.
12/MENSAGENS
SEM DÓ
































.
.
 HOJE NO
"A BOLA"

PSP destaca 1000 polícias 
para o clássico
 
O Comando Metropolitano do Porto da PSP informou esta sexta-feira que o dispositivo policial para o FC Porto-Benfica, de amanhã, terá cerca de «1000 elementos policiais, integrando diferentes valências das quais se destacam a Unidade Metropolitana de Informações Desportivas, Pelotões Operacionais, Equipas de Intervenção Rápida, Equipas da Divisão de Trânsito e Força Destacada da Unidade Especial de Polícia, fazendo uso de equipamento adequado ao cumprimento da missão, nomeadamente com o recurso a meio aéreo de apoio, assim como à gravação de imagens durante o evento.

A PSP deixou ainda, através da sua página no Facebook, conselhos para quem se desloque ao Estádio do Dragão, nomeadamente antecedência na chegada ao recinto, utilização preferencial de transportes públicos, estacionamento em local afastado das imediações do estádio e não adotar comportamentos proibidos por lei.
«A PSP apela a que todos os adeptos participem no evento num ambiente de fair-play, com total respeito pelos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos acatando as indicações das Autoridades Policiais e da organização, colaborando assim na sua própria segurança e contribuindo para a natureza festiva do acontecimento desportivo», pode ainda ler-se. 

* Mil polícias para controlar a selvajaria clubística, vai assim o país.

.
.

ACORDANDO A SOGRA




DELICADAMENTE ...

.
.
HOJE NO
"PÚBLICO"

Ministro manda investigar entrega 
de cartões de desconto a doentes

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, considera que a entrega de cartões de descontos, efectuada por médicos aos seus doentes, para que estes possam comprar medicamentos caros a preços mais baixos nas farmácias, configura uma prática comercial que “não é salutar” e já pediu à Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) para avaliar a situação.


Questionado sobre a notícia avançada nesta sexta-feira pelo PÚBLICO, Paulo Macedo disse que se trata de uma prática “alheia” ao Ministério da Saúde. “É uma prática comercial que não deve ser exercida pelo profissional de saúde que está a prestar apoio ao doente”, defendeu o ministro, citado pela agência Lusa. O presidente do Infarmed já está a averiguar a situação, acrescentou.
A estratégia é recente e o objectivo é tornar mais acessíveis fármacos de receita médica obrigatória, sem baixar os valores de venda ao público em Portugal, o que teria reflexos nos preços a nível internacional e estimularia a chamada exportação paralela.
Uma campanha deste género, lançada pela empresa farmacêutica que comercializa uma das vacinas contra o papilomavírus humano disponíveis em Portugal, a Sanofi Pasteur, foi nesta semana posta em causa no fórum do Facebook da Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiares. No fórum, há uma médica que questiona a campanha que "oferece 25 euros de desconto na farmácia a quem apresentar cartão (entregue pelo médico de família) junto com a receita". Cada dose (e são necessárias três) desta vacina custa 119 euros.
"Na minha opinião, as USF não são hipermercados onde se distribuem cartões de desconto", defende a médica, que diz que há "utentes a recorrer à unidade para pedir o cartão de desconto... Disseram-lhes na farmácia para ir ter com o médico de família, que este lhe daria o cartão dos 25 euros". Um médico lembra que se passa o mesmo com um medicamento antidepressivo comercializado por outro laboratório. "Os psiquiatras também têm cartões da AstraZeneca para dar aos doentes crónicos, que lhes conferem desconto na farmácia", sublinha.
Contactada pelo PÚBLICO, a Sanofi Pasteur esclareceu que disponibiliza, desde o final do ano passado, cartões de desconto aos médicos porque a vacina tem de ser tomada em três doses e, assim, fica a 95 euros cada (em vez de 119). "Através do cartão, o desconto que a farmácia faz ao doente é reembolsado", afirmou um responsável do laboratório, notando que não "há qualquer contrapartida para o médico ou para a farmácia, mas apenas para os doentes". Já a AstraZeneca explicou, por escrito, que desde Dezembro de 2012 tem em curso um programa que "facilita o acesso ao medicamento de doentes com patologias crónicas, especificamente a esquizofrenia, a perturbação bipolar e a perturbação depressiva major, quando prescrito pelo seu médico psiquiatra". O programa Ser+ consiste em descontos efectuados nas farmácias que variam "entre 6,47€ no regime geral [de comparticipação] e 3,46€ no regime especial.
Para o bastonário da Ordem dos Médicos (OM), José Manuel Silva, que desconhecia este tipo de campanhas, a questão deve, em primeiro lugar, ser avaliada pelo Conselho de Ética e Deontologia da instituição. "Fere a sensibilidade que o médico seja o veículo [do desconto]", considera o bastonário, que acredita, porém, que a situação poderá "não levantar questões éticas" porque "quem beneficia é o doente, não o médico". Além disso, nota, "o médico tem a obrigação deontológica de levar em conta o factor custo quando prescreve o medicamento".
Já Miguel Oliveira e Silva, presidente do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida, não tem dúvidas. "Não sei se esta prática é legal, mas ética não é com certeza", sentencia. "Esta é uma forma pouco transparente de baixar os preços e que põe em causa a equidade [porque só alguns doentes beneficiam desta redução]. Por que é que [os laboratórios] não diminuem então os preços para toda a gente?", pergunta. 

* Mais um negócio a que as corporações da saúde não são alheias antes beneficiárias. Faz bem o ministro.

.
.
2-URINE IN 
SU SITU


























.
.
 HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Mortos nas estradas municipais aumentaram 22% 

Quase 80% dos acidentes rodoviários registaram-se dentro das localidades em 2012, ano em que o número de mortos nas estradas municipais aumentou 22% em relação a 2011, segundo dados hoje divulgados.

O relatório anual de sinistralidade rodoviária de 2012, hoje apresentado pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), indica que 76% dos acidentes (22.775) e 65% dos feridos graves (1.342) ocorreram dentro das localidades, apesar de terem registado uma ligeira descida em relação a 2011.
O número de vítimas mortais foi idêntico, no ano passado, dentro e fora das localidades, 286 e 287 respetivamente.

O relatório mostra que as vítimas mortais nos acidentes registados em estradas municipais aumentaram 22% em 2012 em relação a 2011, passando dos 58 para 71, apesar do número de acidentes nestas vias terem diminuído quase 14%.
Em contrapartida, adianta o mesmo documento, os acidentes nas autoestradas diminuíram 23% em 2012, bem como o número de mortos (menos 35%) e de feridos graves (menos 18).
O maior número de acidentes ocorridos em 2012 aconteceu em arruamentos (60%) e em estradas nacionais (22%).
Segundo o relatório, que apenas contém dados estatísticos sobre as vítimas mortais no local do acidente ou a caminho hospital, em 2012 registaram-se 29.867 acidentes com vítimas, de que resultaram 573 mortes, 2.060 feridos graves e 36.190 feridos ligeiros.

Em comparação com 2011, registaram-se menos 8,2% de acidentes com vítimas, menos 16,8% de mortos, menos 15,4% de feridos graves e menos 8,9% de feridos ligeiros.
Na apresentação dos dados, Carlos Lopes, da ANSR, referiu que se registou uma diminuição da sinistralidade rodoviária, justificando com a existência de um "sistema rodoviário mais seguro", apesar de em 2012 se ter verificado uma diminuição do consumo do combustível, redução do tráfego nas autoestradas e o parque automóvel com seguro se manter estabilizado.
O relatório adianta também que a colisão é o tipo de acidente mais frequente, representando cerca de metade dois acidentes com vítimas (15.122), 36% do total de mortos e 40% dos feridos graves.
Já os despistes constituíram 39% dos acidentes registados em 2012, que provocaram 46% do total de mortos e 39% dos feridos graves, enquanto os atropelamentos representam 16% dos desastres, 18% dos mortos e 21% dos feridos graves.
De acordo com o mesmo documento, os atropelamentos diminuíram 10,3%, as colisões desceram 26,2% e os despistes também registaram uma redução de 7,4% em 2012 em relação a 2011.

No ano passado, seis em cada dez mortos foram condutores, um quarto foram os passageiros e 14% os peões, tendo os passageiros mortos registado uma descida de 31% em relação a 2011, os condutores menos 17% e os peões menos 8,5%.
Os distritos com mais acidentes foram Lisboa (6.602), Porto (4.905) e Braga (2.669), tendo sido o Algarve o único que registou um aumento em relação a 2011 (mais 29).
Já o distrito do Porto foi o único que registou um aumento de vítimas mortais (mais uma).
O documento hoje apresentado diz ainda que os grupos etários entre os 20 e os 39 anos foram os mais representativos em termos de vítimas mortais e de feridos graves no ano passado, ano em que os idosos com idades iguais ou superiores a 75 anos constituíram 13% do total de mortos.

* As estradas municipais são transitadas à borla, é por isso que nas autoestradas diminuem os acidentes, só por isso, porque a má educação cívica é a mesma.

.