terça-feira, 23 de abril de 2013

.


GNR 


MUITO CALMO


"Digo-lhe senhor Guarda que
já vi por três vezes no porta-luvas
e não encontro a carta de condução..." 

"Veja bem mais uma vez Minha Senhora,
tenho a certeza que está aí !!!



.
 

.

BARTENDERS

















 .
.
HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Angola é um país 
"governado por criminosos"

O antigo embaixador de Angola junto da ONU em Genebra, Adriano Parreira, considerou esta terça-feira, em Bruxelas, que o país é "governado por criminosos" e as vítimas da corrupção são os angolanos.
"Angola é governada por criminosos", disse Adriano Parreira, num debate promovido pela eurodeputada portuguesa Ana Gomes (PS), nas instalações do Parlamento Europeu, sobre o relatório ‘Deception in High Places', que denuncia um alegado negócio de corrupção entre Angola e a Rússia.
"As vítimas são os angolanos, que continuam a ser empobrecidos pelo seu próprio Governo", salientou o ex-embaixador, que interveio no debate, referindo-se às indicações do relatório das organizações não-governamentais Corruption Watch e a Associação Mãos Livres.


Segundo o relatório, altos responsáveis de Luanda - incluindo o Presidente - terão estado envolvidos num contrato de restruturação de dívida à Rússia, nos anos 1990, que terá lesado Angola em mais de 700 milhões de dólares.
"É chocante a facilidade dos negócios sujos, de como são feitos aos olhos de todos", salientou, reiterando que foi já apresentada uma queixa junto da Procuradoria-Geral da República em Luanda, da qual é um dos autores.
De acordo com o relatório, em causa está um acordo para restruturar a dívida de Angola à Rússia que data dos anos 1990 e que terá beneficiado várias figuras do regime e intermediários.

"Como partes centrais do contrato estiveram Pierre Falcone e Arcadi Gaydamak", dois empresários envolvidos no escândalo Angolagate, sobre venda ilícita de armamento francês a Angola nos anos 1990, um caso julgado em 2009 em França, refere um comunicado da organização anticorrupção com sede no Reino Unido e da Associação Mãos Livres, defensora de direitos humanos, composta por advogados e com sede em Luanda.

Angola entregou à Rússia notas promissórias no valor de 1,5 mil milhões de dólares, que tencionava pagar ao longo de 15 anos, mas a Rússia envolveu no negócio a intermediária Abalone Investments (constituída pelos empresários Arcadi Gaydamak e Pierre Falcone) também envolvidos no escândalo Angolagate, de venda ilícita de armas) que viria a comprar essas notas à Rússia a metade do preço, com pagamento durante sete anos.
Luanda, no entanto, pagou à Abalone os 1,5 mil milhões de dólares para liquidar as 'notas promissórias', pagamentos que eram provenientes da petrolífera estatal angolana, Sonangol, e envolveram o banco suíço UBS.


Segundo o relatório divulgado pelas ONG, o negócio terá beneficiado o Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, em 36 milhões de dólares, enquanto cerca de 38 milhões de dólares terão sido distribuídos por quatro outros altos funcionários públicos angolanos.

* Cada vez são mais a dizer o mesmo.

.
.
10-RACISMO

 A HISTÓRIA


video


BBC - Racismo A História. 


O filme aborda o cruel legado deixado pelo racismo ao longo dos séculos. Iniciando pelos EUA, berço da Ku Klux Klan, onde o pesquisador James Allen, possuidor de vasta coleção de material fotográfico e jornalístico sobre linchamentos, defende que há um movimento arquitetado para apagar a mácula racial da memória do país. A seguir, remonta à colonização belga do Congo, por Leopoldo II, onde os negros que não atingiam a quota diária de borracha tinham a mão direita decepada. O documentário trata ainda da problemática racial na África do Sul (Apartheid) e Grã-Bretanha, abordando a luta do Movimento pelos Direitos Civis nos EUA e a desconstituição do mito da existência de raças.

 FONTE:Jackson7ification


.
.
 HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Crimes sexuais 
prescrevem por lei permissiva

 Rede de cuidadores estranha satisfação 
da Conferência Episcopal.

A Associação Rede de Cuidadores estranha a posição da Conferência Episcopal Portuguesa, que se congratula pelo arquivamento dos crimes sexuais levados a cabo por padres durante a década de 90.

Para a Rede, que denunciou os abusos através da vice-presidente Catalina Pestana, "o Ministério Público não afirma que os alegados crimes não tenham ocorrido mas que -  por o Código Penal em vigor na data apurada como sendo a da efetivação dos citados comportamentos criminosos, só aceitar a sua denúncia pelas vítimas, ou seus legítimos representantes, até 6 meses após completarem os 16 anos de idade- os mesmos foram arquivados".

"Estranha-se por isso (e lamenta-se) que o porta-voz da Conferência Episcopal se congratule com o arquivamento, por pessoas concretas terem sido ilibadas apenas... porque a lei aplicável era mais permissiva do que a atualmente em vigor", acrescenta o comunicado assinado pelo presidente Álvaro de Carvalho.

* Esta é a verdadeira  igreja do papa Francisco.

.
.


L U Í Z A



video

 
Luiza é o Curta produzido pelos alunos da Oficina de Curta Metragem na 15a Mostra de Tiradentes, que estreiou a 28 de janeiro de 2012, no Cine Tenda. 
O Coordenador Geral foi o Cineasta Luiz Carlos Lacerda, "Bigode".


.m

HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Estratégia para o crescimento 

O ministro da Economia anunciou hoje que o Governo pretende iniciar na próxima semana encontros com os parceiros sociais e políticos para debater a proposta de estratégia para o crescimento aprovada em Conselho de Ministros extraordinário. 

Em conferência de imprensa, no final de um Conselho de Ministros, o ministro da Economia e do Emprego, Álvaro Santos Pereira, apresentou as linhas gerais e algumas medidas da "proposta de estratégia para o crescimento, o emprego e o fomento industrial" para o período 2013-2020, sem indicar estimativas do seu impacto macroeconómico. 

Álvaro Santos Pereira apelidou o documento hoje aprovado de "memorando de crescimento e emprego para os próximos anos", acrescentando: "Tencionamos, na próxima semana, encetar uma série de encontros, quer ao nível político, quer ao nível dos parceiros sociais, por forma a podermos consensualizar esta estratégia". 


Antes, o ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares salientou que o plano do executivo PSD/CDS-PP "será enviado em primeiro lugar aos parceiros sociais e aos partidos políticos, exprimindo a intenção do Governo em promover o consenso necessário a uma estratégia de crescimento sustentada e de longo prazo", remetendo a sua divulgação pública para quarta-feira. Marques Guedes afirmou que o executivo PSD/CDS-PP aprovou "uma proposta aberta - abertura que igualmente se coloca para a definição de diferentes formas de participação, através das quais estas contribuições, quer dos parceiros sociais, quer dos partidos políticos, possam ter lugar e os entendimentos possam ser promovidos". 

Sobre a descida gradual do IRC, uma das medidas propostas pelo Governo para o crescimento, o ministro da Economia não entrou em detalhes, e defendeu que "é importante chegar a um acordo em relação à magnitude da taxa de IRC, mas também para acertar o prazo em que tal irá acontecer", através do diálogo com os parceiros políticos. Álvaro Santos Pereira apontou como um entrave ao investimento em Portugal as mudanças frequentes da legislação e da fiscalidade. "Penso que um dos grandes erros que têm sido cometidos ao longo dos últimos anos em Portugal tem sido exatamente não gerarmos os consensos necessários ao nível da política económica, por forma a darmos estabilidade fiscal, estabilidade legislativa, estabilidade ao nível de prioridades económicos", considerou. Na sua intervenção inicial, o ministro da Economia referiu que a estratégia hoje aprovada foi feita "ouvindo a sociedade civil" e que o executivo passou "os últimos sete meses a ouvir os parceiros sociais". 

Quanto à possibilidade de haver reduções de outros impostos, declarou: "Em relação aos outros impostos, eu não sou ministro das Finanças, não posso responder, mas gostaria de dizer que existe uma sintonia muito grande ao nível Conselho de Ministros sobre a necessidade de termos maior competitividade fiscal". Questionado se a aplicação desta estratégia levará o Governo a rever as suas previsões de crescimento, Álvaro Santos Pereira respondeu: "Nós temos metas muito concretas para esse crescimento, e temos metas também para outras variáveis, mas, mais do que discutir essas metas, eu penso que é muito mais importante falar sobre as políticas, falarmos e discutirmos com a sociedade portuguesa, com os outros partidos e com os parceiros sociais quais são os consensos que nós podemos obter". 

 O ministro da Economia contestou a ideia de que este plano chega tarde: "Era essencial fazer o programa de reformas primeiro, para podermos chegar a este ponto".

* Já nem com papas e bolos se enganam os tolos. 

.

.

FERNANDA PALMA

.


Terror e paixão

Em Alenquer e em Oeiras, duas mães mataram os filhos, recentemente, num quadro de conflito conjugal ou de regulação da responsabilidade parental.

Na Maratona de Boston, há poucos dias, dois jovens irmãos de origem chechena, de 19 e 26 anos, fizeram detonar engenhos explosivos, matando e ferindo inocentes. Haverá algo em comum entre estes crimes?
Numa das suas ficções, Graham Greene narra a situação de um homem que, depois de gerar um conflito existencial entre a mulher e a amante, acaba por se suicidar, por ser ele "o nó do problema" (título da obra, na tradução portuguesa). Contrariando esta lógica de responsabilidade, são hoje frequentes os conflitos passionais que acabam por atingir pessoas inocentes. 
Na verdade, repetem-se as situações em que mulheres abandonadas pelos companheiros decidem matar os próprios filhos, imitando a Medeia de Eurípedes (que, precisamente, matou os filhos para se vingar do pai, que a traiu). A crueldade de Medeia, que põe a vingança acima do amor, constitui um verdadeiro arquétipo que ressurge nos grandes conflitos passionais. 
Nestes casos, os protagonistas não se limitam a optar pelo suicídio, pois não lhes basta acabar com a sua própria história – precisam de fazer sofrer intensamente quem causou a sua dor e de "apreciar" esse sofrimento, mesmo com o sacrifício de vidas inocentes. Desataram os laços que os prendiam à normalidade e preferem a tragédia a qualquer outra solução. 
Em muitos atos terroristas existe uma lógica similar. Há uma necessidade de destruir um mundo "insuportavelmente injusto", em que até os inocentes se tornam culpados pelo simples facto de existirem. Neste caso, o sacrifício desses inocentes constitui o único modo de fazer sofrer o Mundo, pelo qual os autores dos atentados se sentem atraiçoados.
Certos atos de extrema violência e maldade revelam como as motivações éticas deixam de funcionar em situações de grave crise existencial. Estes homicidas procuram na destruição de outros seres humanos a solução para os seus problemas de vida. Também na nossa vida coletiva as crises sociais nos empurram, por vezes, para a guerra e o sacrifício de inocentes.
Há sempre algo que funciona como o "nó do problema" e que, se não é desfeito a tempo, conduz a uma tragédia inexorável. Vivemos num tempo em que é necessário desfazer o nó que produz desemprego e recessão, estrangula a comunidade e põe em causa a coesão social. Talvez esse nó seja, em parte, o "responsável" pelo aumento dos crimes passionais.


 Professora Catedrática de Direito Penal

IN "CORREIO DA MANHÃ"
21/04/13

.
.
HOJE NO
" DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

França adota casamento homossexual

A câmara baixa do Parlamento francês adotou esta tarde o casamento entre pessoas do mesmo sexo. 331 deputados votaram a favor e 225 contra. O Governo socialista anunciou que os primeiros casamentos poderão realizar-se em junho. Opositores indicaram que vão contestar a lei junto do Conselho Constitucional.

O assunto está a provocar polémica na sociedade francesa com a realização de manifestações contra o Governo nos últimos dias, que têm reunido milhares de pessoas em Paris contra a promessa eleitoral do chefe de Estado, François Hollande.Para esta tarde, estão previstas mais manifestações, contra e a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo.
Nos últimos debates parlamentares realizados em abril, os deputados conservadores apresentaram mais de 700 propostas de alteração da lei, enfrentando acusações, por parte de François Hollande e dos deputados socialistas, de "discurso homofóbico".
Na segunda-feira uma ameaça foi mesmo dirigida ao presidente da Assembleia Nacional pelo autodenominado grupo "Interação das Forças Armadas" (IFO na sigla em francês).

 Uma carta de uma página, que continha pólvora, dirigia-se ao presidente do parlamento como presidente da "República Socialista Soviética" e continha igualmente ameaças contra os socialistas que "correm perigo" caso se vote a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo.
"Os nossos métodos são mais radicais e expeditos do que as manifestações. Vocês quiseram a guerra e é o que vão ter", conclui a ameaça dirigida ao presidente da Assembleia Nacional.
Esta última ameaça contra o Parlamento francês surge numa altura em que se regista um aumento das agressões e ataques contra homossexuais denunciados por associações de gays e lésbicas.

* Pior que os franceses xenófobos só mesmo os parisienses xenófobos, muitos e perigosos. Lembrem-se de Pétain e Raoul Salan.

 .
.
IV-TABU

BRASIL


3.DIETAS EXÓTICAS


video


.
.

HOJE NO
" RECORD"

Portugal Open: 
Kuznetsova garantida

A tenista russa Svetlana Kuznetsova, vencedora de Roland Garros de 2009 e do US Open de 2004, vai estar na 24.ª edição do Portugal Open, revelou esta terça-feira o diretor do torneio, João Lagos.

"A Kuznetsova é uma vencedora de Grand Slams. Esteve lesionada durante um determinado período, mas voltou em grande forma e vai certamente fazer grandes resultados este ano e provavelmente já aqui no Portugal Open", disse João Lagos à Lusa.
A 42.ª tenista mundial, que em setembro de 2007 foi número dois do ranking WTA, recebeu um "wild-card" da organização para participar no Portugal Open, anteriormente designado Estoril Open, que decorre entre 27 de abril e 5 de maio.

Kuznetsova tem 13 títulos na carreira em singulares, nos quais se incluem os dois Grand Slam, dos quais também foi finalista em 2009, no caso do Open dos Estados Unidos, e em 2006, no caso de Roland Garros.

No currículo, a tenista russa conta ainda com 15 títulos em pares, um deles no Open da Austrália ao lado de Vera Zvonareva em 2012. João Lagos revelou ainda que o derradeiro convite para o quadro feminino será entregue a uma "top 20" mundial.


"Temos um "wild card" atribuído à Maria João Koehler, a nossa jogadora número um, que bem o merece. Teríamos outro à disposição da Michelle Brito, mas que insiste em não atuar em Portugal. Os outros três wild cards vão para três excecionais jogadoras estrangeiras", explicou, referindo-se a Kuznetsova, Julia Goerges, que terminou 2012 na 18.ª posição do ranking, e a uma terceira tenista, ainda por revelar.

As escolhas, de acordo com o diretor do principal torneio de ténis disputado em Portugal, fazem desta a edição a "mais forte de sempre"do quadro feminino.

Do lado masculino, o Portugal Open ainda não atribuiu qualquer "wild card", algo que João Lagos justificou com a necessidade de esperar até ao último instante na eventualidade de algum grande nome vir a solicitar o convite.

"Tenho uma dúvida relativamente ao melhor português, que teria naturalmente um 'wild card' de reserva para ele, que é o João Sousa, que tem estado no 'top 100' nos últimos meses e é um jogador cheio de mérito, mas que teve a infelicidade de se magoar num dedo do pé e está sem jogar há algumas semanas", assumiu, dizendo que caso o luso estiver em boas condições físicas estará no Portugal Open. '

O diretor da prova assegurou ainda que tem planeado entregar dois convites a dois portugueses, sendo que, caso nenhum jogador de topo mostre interesse em entrar no quadro principal, o último "wild card" será para um terceiro representante nacional. 

* Virá para discutir a vitória.

.
.

ZECA AFONSO


CANÇÃO DA PACIÊNCIA





.
.
HOJE NO
" JORNAL DE NOTÍCIAS"

Despesa com subsídios de desemprego 
subiu 14,5% no primeiro trimestre

O Estado gastou 732,9 milhões de euros em subsídios de emprego e apoio ao emprego no primeiro trimestre deste ano, face ao mesmo período de 2012, um aumento de 14,5% em termos homólogos, segundo dados divulgados esta terça-feira. 

De acordo com a síntese da execução orçamental de março, divulgada pela Direção Geral do Orçamento (DGO), no mesmo período de 2012, o Estado tinha gastado 640,3 milhões de euros.
Em janeiro de 2013, a despesa do Estado com subsídios de desemprego e apoio ao emprego tinha registado um aumento homólogo de 33,2%, uma evolução que tem vindo a cair (apesar do aumento da taxa de desemprego), uma vez que, em fevereiro, esta despesa tinha disparado 21,1%, em termos acumulados e homólogos. 

De acordo com os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados em fevereiro, a taxa de desemprego subiu em Portugal para os 16,9% no quarto trimestre do ano passado, face aos 15,8% observados no trimestre anterior, com o número de desempregados em Portugal a ultrapassar os 920 mil. 

* Aos 16,9% que o INE anuncia, juntem-lhe mais 5% dos desempregados não registados e têm o valor aproximado da realidade.

.
.

Os miúdos da EVIAN


video



.
.
HOJE NO
" JORNAL DE NEGÓCIOS"

Optimus lança Internet fixa 
que se liga à tomada: wÖw

A Optimus apresentou a wÖw, marca do sector das telecomunicações que traz Internet que se liga à tomada e que pode transportar-se para outras casas.
A Sonaecom apresentou, esta tarde, a wÖw (leia-se uau), uma nova marca no sector das telecomunicações, “umbrella” da Optimus.
Internet fixa que se liga à tomada, sem necessidade de instalação, e que pode transportar-se até três moradas diferentes com uma velocidade de “download” até 100 Mbps é o conceito da wÖw.

O lançamento é suportado numa campanha multimeios cujo investimento é superior a um milhão de euros, a preços de tabela. Dirige-se a um universo de mais de 1,6 milhões de famílias que não têm televisão por subscrição e que representam 40% do mercado das telecomunicações nacional.

Um espectro alargado de consumidores, de uma camada jovem, que não valorizam a televisão, utilizadores que têm tarifários desactualizados e indivíduos que, devido à crise, são obrigados a reequacionar a necessidade de televisão paga, constituem o público-alvo da wÖw.

A Optimus não divulgou expectativas quanto ao número de clientes que espera conquistar, assegurando apenas que estima conseguir “uma quota de mercado relevante para sustentar a marca”.

Não estando pensada para o sector empresarial, a oportunidade de mercado que levou à criação da wÖw manter-se-á após a fusão entre a Sonaecom e a Zon, segundo a Optimus. A operadora assegura ainda que este projecto estava a ser trabalhado há meses e não se relaciona com os últimos desenvolvimentos do mercado das telecomunicações.

O tarifário de Internet varia entre os 24,99 euros (20 Mbps) e os 36,99 euros (100 Mbps), por mês e pode ser combinado com três pacotes de voz independentes, com mensalidades entre os 2,99 euros e os 6,99 euros.

Os preços do equipamento serão de 49,90 euros ou 59,90, no período de lançamento do serviço. A Optimus ainda não terá definido uma data limite para este período, após o qual estes valores deverão duplicar.

A wÖw estará disponível a partir de amanhã, 24 de Abril, nas lojas Optimus e na Worten.

A cara da marca é Bruno Nogueira, que tem um contrato de exclusividade com a Optimus para campanhas no sector das telecomunicações.

* A guerra no mercado está instalada.

.
.
 AMBIENTES
ABERTOS







Espaço aberto é a tradução para Open Space Technology (OST). Trata-se de uma forma de congregar pessoas  numa conferência,  encontro ou trabalho.


Enquanto  participantes de conferências ou encontros todos são convidados a gerar a agenda do encontro assim como participar liderando pequenos grupos de discussão durante o período desses encontros. Usualmente existe um facilitador mas este não é um líder oficial do encontro, que estabelece regras ou normas.


 Esse modelo é hoje muito usado por membros de ONG ou da blogosfera. Mas as grandes empresas adptaram este conceito de ambiente de trabalho pela grande economia de recursos que gera, paredes a mais, custam dinheiro.


 A metodologia de reunião em Espaço Aberto (Open Space Technology) foi iniciada por Harrison Owen cujo site e livros são uma referência incontornável da metodologia (Ver [site de Harrison Owen]). 






O autor definiu a metodologia como sendo não proprietária e não necessitando de qualquer tipo de "certificação". Não demorou muito que grandes empresários adoptassem este método filantrópico para diminuir as despesas.




 A seguir à ideia original foi só recriar, grandes companhias instalaram espaços que apesar de parecerem informais se exige muito a quem lá trabalha






 Apesar de "abertos" existem espaços que parecem mais claustrofóbicos que escritórios pequenos.




Em muitos deles, que reunem dezenas de funcionários, é patente o isolamento a que cada um se confina.




 Outros há tão aprazíveis que até apetece mudar de emprego.


 Eco office,



ou da Idade da Pedra?

.
.
HOJE NO
" DESTAK"

PSD e CDS-PP querem comissão 
de inquérito aos contratos de 
cobertura de risco 

 PSD e CDS-PP vão propor a criação de uma comissão de inquérito aos contratos de cobertura de risco (`swaps´) celebrados pelo setor empresarial do Estado, disse à Lusa fonte parlamentar.


 O anúncio será feito cerca das 18:30, em conferência de imprensa conjunta do PSD e do CDS-PP, no Parlamento. Uma análise solicitada pelo Governo aos instrumentos financeiros subscritos por várias empresas estatais revelou que há produtos com características "problemáticas", incorporando estruturas "altamente especulativas", anunciou segunda-feira o ministério das Finanças.

* Onde irão eles, os partidos, colocar os gestores prevaricadores, punidos não serão, talvez nas próximas eleições europeias, vão para Estrasburgo carregados de mordomias.

.

PÃO MULTIUSOS

video



.
.
HOJE NO
"i"

Confap vê com preocupação governo cobrar actividades extra-curriculares

A Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap) vê “com muita preocupação” a hipótese de o Governo passar a cobrar aos pais metade das horas das atividades extra curriculares, que permitem manter as crianças nas escolas até às 17:30.

A Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap) reagia assim à manchete do Diário de Notícias, que hoje que o governo está a ponderar cobrar às famílias metade das duas horas atualmente preenchidas pelas Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) do 1.º ciclo (antiga escola primária).
 “Vejo isto tudo com muita preocupação. Há cada vez menos disponibilidade por parte das famílias para cuidarem dos seus filhos e foi um avanço poder ter numa instituição como a escola um parceiro que colabora na educação e no cuidar das crianças”, afirmou hoje o presidente da Confap, em declarações à agência Lusa.

Jorge Ascensão lembrou que “foi isso que se conseguiu com as atividades de enriquecimento curricular, em que se pretendia ter a escola aberta mais tempo”.
O presidente da Confap afirmou ter tido, da parte do Ministério da Educação, "a garantia” de que a hipótese avançada hoje pelo Diário de Notícias "é especulação” e que “está a ser estudado o novo modelo de funcionamento das AEC”.


“Espero que haja algum bom senso e que essa medida seja apenas uma ideia a estudar. Não me parece ser essa a forma correta, não é aí que o Orçamento do Estado vai folgar”, afirmou.
Jorge Ascensão refere que, caso esta hipótese aconteça de facto, “vai colocar-se uma maior pressão financeira às famílias”.
“Isto é mais um imposto que se está a colocar às famílias, para que elas possam ter a educação e a escola que até agora tinham gratuitamente”, disse.

O dirigente percebe que “há aqui dificuldades financeiras”, mas considera que, a ser seguido, “este caminho é errado”, porque “não está a ver-se a educação como um investimento e estão a ser criadas aqui algumas dificuldades”.
“O que provavelmente vai acontecer a muitas famílias é que as crianças vão sair da escola nesse tempo em que vão ter que pagar”, referiu ainda.


*  Estas horas extra-curriculares são uma excelente oferta do Estado, não deste governo, aos pais.
Entendemos que quem pode pagar deve fazê-lo para minimizar custos, porque não é um direito ter horários prolongados nas escolas. 
E ainda há a questão de meninos que têm telemoveis porque os pais criaram essa necessidade nas crianças, tomam o pequeno almoço na rua e em vez de almoçarem na cantina da escola vão à fast food que fica em frente, dizem os pais destes anjinhos que não têm dinheiro, mas se calhar têm em casa a sport TV, é preciso optar!!!!

.
.
 AO 
MICROSCÓPIO


UM VULGAR PAU DE GIZ



E A SUA ESTRUTURA AUMENTADA








 PEDRAS DE SAL

PARECEM CALHAUS AZTECAS



VAI UM SUMO DE LARANJA?


QUE É MAIS FRUTA CORES


ACABOU O INVERNO MAS A NEVE É BONITA


E SE FOSSE ASSIM À VISTA DESARMADA?


A MANDÍBULA DUM INSECTO, COISA FRÁGIL...



ACHA???


.