sábado, 16 de março de 2013

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


. . .
6.BOCAS D'HOJE

CAVACO SILVA

“Corte de 4 mil milhões? É apenas “uma intenção do Governo”

  

IN "JORNAL DE NEGÓCIOS"

.

BACK SIDE STORY





























.
. .
5.BOCAS D'HOJE

EUGÉNIO 

FONSECA   

Presidente da Cáritas  

“O Governo  que reforce com urgência o orçamento do Ministério da Solidariedade e Segurança Social”, para responder aos casos de pobreza que, inevitavelmente, vão acompanhar o anunciado crescimento da taxa de desemprego para 19%. Se tal não for feito, a situação tornar-se-á ainda mais dramática”

  

IN "PÚBLICO"

.
4.DEFENDENDO

OS OCEANOS
O ÁRTICO



Procurámos com afinco uma cópia deste vídeo dobrado ou legendado em português, não conseguimos.
Reproduzimos o original em lingua inglesa, não editar é que era mau.

 .
. .
4.BOCAS D'HOJE

ALBERTO JOÃO JARDIM

“ "Não vou falar como presidente do Governo da Madeira, porque como presidente do Governo da Madeira tenho que ter um relacionamento institucional com o Governo da República, mas, pessoalmente, o Alberto João Jardim, que ajudou a fazer o PSD e que é dirigente do PSD, entende que, se por um lado seria loucura mergulhar o país em eleições outra vez, por outro lado, neste quadro parlamentar, o PSD tem que rapidamente encontrar um outro Governo, que dê outro tipo de respostas aos portugueses"

  

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"

.


A VIDA PRIVADA



DE SALAZAR
  

8º Episódio




 .
. .
3.BOCAS D'HOJE

ANTÓNIO COSTA

“O renascer pressupõe ruturas”

  

IN "i"

ANA RITA GUERRA

.

Twitter, Rock e Texas 

Em 2007, uma start-up praticamente desconhecida pagou onze mil dólares para pôr uma imagem do seu serviço em todos os ecrãs dos corredores no South by Southwest, em Austin. O seu lançamento oficial acontecera nove meses antes, em 2006, mas foi neste magnético evento no Texas que o sucesso começou a acontecer. Essa start-up chamava-se Twitter. 

Na edição deste ano do SXSW, evento anual que mistura música, filmes e tecnologia, há coisas muito interessantes, mas nenhuma start-up com o calibre do Twitter. Ou do Foursquare, empresa que foi mesmo lançada durante o evento, em 2009, e conseguiu a primeira ronda de financiamento seis meses depois. A rede social da comida, Foodspotting, também teve o seu início no evento: chegou à final do SXSW Accelerator em 2010, dias depois de ter lançado a sua aplicação para iPhone. 

Nem todas as edições do SXSW Interactive (a parte do evento onde são apresentadas novas tecnologias) produzem grandes hits. Diz quem está em Austin que as start-ups mais interessantes são a Speakerfy, uma plataforma social para ouvir música usando múltipos aparelhos; a Hyperactivate, que cria promoções inteligentes e sociais para as marcas; e a LeadRocket, uma ferramenta social para vendedores.
Entre os gadgets, os ténis falantes da Google (sim, pode usar-se o termos ténis para designar sapatos de desporto) foram dos que atraíram maior atenção, embora a marca tenha dito que não pretende vendê-los comercialmente.

Mas entre tudo o que aconteceu nos últimos dias no Texas, uma conversa pareceu-me particularmente interessante. Jared Leto, actor e vocalista da banda Thirty Seconds to Mars, mas também um empreendedor – criou uma agência de marketing de guerrilha, The Hive, uma empresa de bilhetes com experiências para concertos, Adventures in Wonderland, e uma plataforma de transmissão de eventos ao vivo pela internet, VyRT. 

Leto, de 41 anos, falou especificamente de como usar o Twitter para promover uma marca, uma banda, um serviço. E, segundo ele, uma das coisas que é necessário fazer no Twitter é prestar atenção. “Muitas pessoas esquecem-se de ouvir." Ou seja, pensam que é uma plataforma onde podem expor-se e não precisam de comunicar a sério. 

"É bom que os artistas tenham a capacidade de lidarem directamente com as suas audiências. Penso que o poder mudou de mãos, para a audiência", referiu o empreendedor. E, se a audiência achar que o que está à sua frente é único e criativo, então estará disposta a pagar por isso. 

É essa a experiência que Leto tem com as empresas que montou, associadas ao consumo da sua música. Se as pessoas não compram CD, é possível vender-lhes bilhetes para concerto que custam 250 euros. Se as pessoas pirateiam o MTV Unplugged da banda, é possível vender-lhes bilhetes para concertos em directo no VyRT. A experiência, em directo, é a única coisa que nenhuma tecnologia torrent consegue piratear.  

IN "DINHEIRO VIVO"
12/03/13

.
.
2.BOCAS D'HOJE

JORGE JESUS

"Vamos põr a carne toda no assador"

  

IN "CORREIO DA MANHÃ"

.
 1-A BATALHA
DE ALJUBARROTA




Fonte: Sérgio Mota

.
.
1.BOCAS D'HOJE

SILVA LOPES

"Extorsão é o rendimento que tem Filipe Pinhal"

  IN "DINHEIRO VIVO"



.



MADREDEUS 


AMANHÃ



Do Album Essência (com Beatriz Nunes no lugar de Teresa Salgueiro)


.
 
SEXO NÃO É 
ACIDENTE



 USE CAMISA

 .

HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Noruega é o país com maior 
qualidade de vida do mundo 

O "Índice de Desenvolvimento Humano" (Human Development Index), eleborado pela Organização das Nações Unidas (ONU) revela que a Noruega é o país com a maior qualidade de vida do mundo e a República do Níger o pior. Portugal caiu dois lugares em relação ao ano passado, da 41ª posição para a 43ª.

Segundo avança o jornal espanhol "ABC", a Noruega ocupa o primeiro lugar no "Índice de Desenvolvimento Humano" da ONU, seguida da Australia e dos Estados Unidos da América, segundo uma lista apresentada pelo organismo na capital do México, e que fecha com a República do Níger que apresenta os piores resultados a nível mundial. 

O estudo foi elaborado pelo "Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento" com os datos mais atuais, e reflete as grandes diferenças sociais entre as nações mais ricas e as nações mais pobres do planeta. Os noruegueses têm uma esperança média de vida de 81,3 anos, uma média de escolaridade 12,6 anos e a sua receita bruta per capita foi no ano passado de 48.688 dólares. 

Ao contrário, na República do Níger, a esperança média de vida é de 55,1 anos, a média de escolaridade é de 1,4 anos e a sua receita bruta per capita foi de 701 dólares. A classificação teve em conta três factores: Vida longa e saudável, conhecimentos e nível de vida digno. Foi o estudo mais completo feito até hoje para se conhecer o desenvolvimento humano de cada nação. 

A lista é composta pela avaliação de 187 países, divididos em quatro grupos, segundo o seu desenvolvimento humano, desde o índice mais elevado até ao mais baixo. Assim, os países mais privilegiados a nível de desenvolvimento humano são a Noruega,a Australia, os Estados Unidos da América, a Holanda, a Alemanha, a Nova Zelândia, a irlanda, a Suécia, a Suiça e o Canadá. No final da lista surgem dez países africanos: Burundi, Guiné, República Cento africana, Eritreia, Mali, Burkina Faso, Chade, Moçambique, República Democrática do Congo e, no final da lista, a República do Níger. Portugal surge na 43ª posição, tendo caído dois lugares em relação ao ano passado (2011) quando se encontrava na 41ª posição.

* A Noruega é um belo país de gastronomia horrível, mas qualidade de vida há com fartura.

.
.
 Desenvolvimento
Sustentável


 Excerto do discurso do Presidente do Uruguai, José Pepe Mujica, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, Rio+20. Um combate à demagogia.


.
.
HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Partidos unidos para evitar vaia a Cavaco   

CDS-PP, PS e PSD lançaram apelo para que Cavaco Silva fosse bem recebido.

Os presidentes de três concelhias partidárias da região de Torre de Moncorvo, do PS, CDS-PP e PSD, lançaram um comunicado conjunto para pedir à população para não vaiar o Presidente da República, no início da sua visita ao Nordeste Transmontano, na sexta-feira passada.
Apesar da tentativa, o pedido surtiu o efeito contrário, com a população da região transmontana a julgar que os líderes das respetivas freguesias estavam a condicionar a sua liberdade.
Leia abaixo um excerto do comunicado:
"Deixamos portanto à consciência dos Moncorvenses o modo como as atitudes pessoais poderão melhor contribuir, ou não para a imagem do Concelho, que é de todos nós"

* Ao que isto chegou, implora-se ao povo para não vaiar quem já não  considera  seu representante.

.
.

ESTRANHOS NOMES
DE ALUNOS 














.
.
HOJE NO
"RECORD"

Ana Cabecinha campeã nos 20km marcha

Ana Cabecinha sagrou-se este sábado campeã nacional dos 20 km marcha, no Montijo, e garantiu, desde já, um lugar na seleção portuguesa que em agosto estará no Campeonato do Mundo de atletismo, em Moscovo.
A atleta algarvia do Clube Oriental de Pechão ganhou em 1:30.49 horas, derrotando Inês Henriques, do Clube de Natação de Rio Maior, segunda, que gastou 1:31.25, e Vera Santos, do Sporting, terceira com 1:34.56.

Segundo os critérios federativos, serão selecionadas as vencedoras do campeonato nacional e do Grande Prémio de Rio Maior, a realizar a 6 de abril. A terceira representante será apurada com base na Taça da Europa, em maio.

João Vieira, do Sporting, sagrou-se campeão nacional de 20 km, no setor masculino, mas ficou aquém do mínimo de 1:23.30 horas, ao fazer 1:26.36. Derrotou o seu irmão Sérgio Vieira (1:26.57) e Pedro Isidro (1:26.58), ambos do Benfica.

A prova de 50 km, que contava também como campeonato de Espanha, foi ganha por Cláudio Villanueva, com 3:55.13 horas, e dominada pelos atletas espanhóis.

O campeão nacional foi Luís Gil (Marítimo), com 4:12.31 horas, seguido de Pedro Martins (CA Seia), com 4:18.39, e de Dionísio Ventura (Ferreira do Alentejo), com 4:25.34.

* É do Atletismo que vêm alegrias para atenuar as agruras da incompetência governativa

.
. .

ARTE INTERACTIVA




.
.
 HOJE NO
"i"

Seguro defende mudança de política, 
mas recusa-se a falar de moção 
de censura ao Governo 

O secretário-geral do PS recusou-se hoje a falar numa moção de censura ao Governo, apesar de defender uma mudança de política face ao agravamento de indicadores económicos e sociais anunciado na sexta-feira pelo executivo.
Questionado pelos jornalistas à margem de um encontro com empresários em Castelo Branco sobre se vai apresentar uma moção de censura ao Governo, António José Seguro refutou esse cenário.
"Faço oposição construtiva e séria: escuto os portugueses, os seus problemas e apresento soluções", respondeu, considerando desempenhar o papel "que se exige ao líder da oposição, que apresente alternativas", o que o PS tem feito.

Seguro exemplificou com propostas para apoio à tesouraria de pequenas e médias empresas que tinha apresentado minutos antes, num encontro com empresários.
"Eu não gostaria que fosse este o Governo do país, não votei nele e estou convencido que muitos dos que votaram querem uma mudança rápida", referiu, mas recusa a instabilidade política: "A minha preocupação é encontrar soluções e bater-me para que sejam aprovadas".
Seguro classificou como "notícias negras" os dados de sexta-feira da apresentação do ministro das Finanças, Vítor Gaspar, sobre a sétima avaliação do Programa de Assistência Económica e Financeira a Portugal.

O Governo anunciou que vai lançar um programa de rescisões por mútuo acordo na Função Pública já em 2013, mas não adiantou ainda detalhes.
As metas para o défice orçamental deste ano foram novamente revistas, sete meses depois, passando para os 5,5% do PIB, superior ao objetivo para 2012.
O Governo também reviu em alta as projeções para o nível da dívida pública nos próximos anos.
"O que eu ouvi foram notícias negras, com aumento de desemprego: quando é que isto para?", questionou, considerando que "um país que está a caminho de mais de um milhão de desempregados precisa desesperadamente de emprego".

O líder da oposição disse estar "concentrado" em apresentar propostas para que Portugal "saia deste caminho: se o Governo não tem soluções, que aceite as do PS".
"O que é que falta para a Governo e o primeiro-ministro perceberem que é preciso mudar de caminho, apostar no crescimento económico e no emprego", perguntou.
O secretário-geral do PS iniciou hoje em Castelo Branco a iniciativa "As Pessoas Estão Primeiro", que vai passar também pelos distritos de Viseu, Guarda e Bragança.

* O líder da oposição a dizer trivialidades como é hábito.

.
.
 ACREDITE, 
NÃO É
FOTOMONTAGEM

 Dean Potter, conhecido pelas suas loucuras e arrojo "passeia-se" em Taft Point noYosemite, nas montanhas da Serra Nevada, USA


 Um espelho de gelo e o resto a grande sensibilidade do fotógrafo




 Uma nuvem, uma criança teatreira e a visão de quem bate o boneco.


 Um salto acrobático e o click no momento exacto



 Cataratas de Vitória, Zimbabwé, uma piscina tranquila 
á beira da ravina, já lá estivemos


 A Fonte Mágica situada num parquie em Aqualand, Espanha




 Um excelente ginasta, um bom fotógrafo e muita maluqueira



 Paris, um tapume pintado num edíficio em reconstrução, 
o Hausmannian building


O Homem Voador , Rick Rojatt em cima dum DC-8, provavelmente propriedade particular de alguém absolutamente doido, 
fazia parte dum espectáculo dos Marvel Comics.



O cavalo coloca a cabeça em ângulo recto e dá este belo efeito.


Uma alteração genética fez nascer este exemplar de zebra


.
.
HOJE NO
"A BOLA"

João Pereira vence 
Taça Continental de Sarasota

O português João Pereira conseguiu a primeira vitória numa prova de categoria Elite da Federação Internacional de Triatlo, ao terminar a Taça Continental de Sarasota, na Flórida, em primeiro.
O atleta do Benfica venceu ao “sprint”, batendo o norte-americano Tommy Zaferes, segundo classificado, e o compatriota Miguel Arraiolos, em terceiro.

Bruno Pais foi sétimo e Hugo Ventura 14.º, pontuando pela primeira vez numa prova ITU.


* Evolui porque trabalha muito.

.
.
 PASSAGEM DE PEÕES





.
.
HOJE NO
"PÚBLICO"

O dobro da austeridade resultou em 
quase o dobro dos défices previstos 

Questionado por um jornalista sobre se reconhecia algum erro na forma como o Governo e a troika definiram a estratégia de ajustamento para Portugal e a passaram à prática, Vítor Gaspar não foi capaz de identificar um. Preferiu falar antes de um "grande desapontamento": a subida do desemprego. Mas se há coisa que é difícil ao olhar para os resultados da sétima avaliação da troika a Portugal, apresentados na sexta-feira, é deixar de ver erros, erros de previsão.
 Depois de 18 dias de encontros e debates, Governo e troika apresentaram aos portugueses um cenário totalmente diferente para a evolução da economia e da política orçamental. Para a economia a mudança é, tal como aconteceu nas avaliações anteriores, claramente para pior. A contracção da economia neste ano será, em vez de 1% como estava previsto, de 2,3%, uma previsão que ainda é pior do que os 1,9% que a Comissão Europeia, um dos membros da troika tinha apresentado há apenas três semanas atrás. Para 2014, continua agendado o crescimento, mas agora já de apenas 0,6%, contra 1,2% esperados anteriormente. Como consequência, o desemprego será mais elevado, chegando aos 19% no final deste ano.

Vítor Gaspar voltou a justificar a deterioração da conjuntura exclusivamente com a redução verificada a partir do final do ano passado na procura externa. No entanto, olhando para as novas previsões, verifica-se que não serão apenas as exportações (crescimento de 0,8% em 2013, contra os 3,6% antes previstos) a apresentarem um desempenho pior. O consumo privado vai cair 3,5% este ano, deixando para trás a anterior previsão de 2,2%. E o investimento mantém uma queda acentuada de 7,6%, não confirmando a descida de 4,2% que era prevista.

As novas metas
A conjuntura mais negativa forçou a troika a aceitar mudanças significativas nas metas orçamentais. De tal forma que se ficou agora a perceber que, apesar da dose de austeridade posta em prática durante os últimos dois anos ter sido muito mais forte do que a prescrita no início do programa, os défices orçamentais que serão atingidos vão ficar distantes das metas traçadas.

De acordo com os números disponibilizados pelo ministro das Finanças na sua apresentação, as medidas de consolidação orçamental (que incluem subidas de impostos e cortes de salários e pensões, por exemplo) executadas em 2012 e 2013 (os dois anos em que o Governo apresentou um orçamento para a totalidade do ano) ascenderam a 15.400 milhões de euros. Ou seja, um valor que é mais do dobro dos 7600 milhões de euros de austeridade previstas no memorando inicial assinado com a troika.

No entanto, com as revisões agora acordadas, o objectivo para o défice público deste ano passou para 5,5% do PIB, o que compara com a meta de 4,5% definida a partir de Setembro de 2012 e com os 3% projectados no início do programa. Para 2014, aponta-se agora para um défice de 4%, contra os 2,5% exigidos desde Setembro de 2012 até agora e os 2,3% do programa inicial. O défice de 2012 também ficou claramente acima do previsto, mas também pelo efeito de alterações impostas pelas autoridades estatísticas a algumas operações.

Para explicar estas revisões tão profundas nos objectivos do défice - que dão a Portugal mais tempo para consolidar as finanças públicas e que surgem a par de um alongamento até 2015 da aplicação do pacote de cortes nas despesas públicas - Vítor Gaspar assinalou novamente os "reflexos significativos para Portugal" das novas perspectivas para a economia europeia. E assinalou que o motivo para que as negociações com a troika tivessem sido mais longas do que o habitual foi a dificuldade "encontrar o equilíbrio" entre duas questões fundamentais.

De um lado, o custo económico e social da consolidação orçamental, de outro, a necessidade de efectuar um ajustamento orçamental para garantir o acesso a financiamento e a sustentabilidade da dívida pública.

O ministro das Finanças insistiu ainda na ideia de que, para medir o nível de esforço orçamental que está a ser feito pelo país, o indicador mais usado deve ser, não o défice nominal, mas o défice estrutural, que, destaca Vítor Gaspar, tem sido reduzido a um ritmo muito forte nos últimos anos.

Os dados apresentados para este indicador (que não inclui receitas extraordinárias e leva em conta os efeitos da conjuntura económica) confirmam a existência de uma melhoria do saldo (de -8,8% em 2010 para -3,3% em 2013), mas mostram também que nem nos saldos orçamentais estruturais, Portugal se livrou de revisões em alta.

Para o saldo estrutural primário, por exemplo, previa-se no passado mês de Outubro, que chegasse aos 2,2% em 2013, mas agora a aprevisão é apenas de um saldo positivo de 1,1%.

Troika elogia
Apesar da revisão em alta dos objectivos do défice e da deterioração acentuada das condições económicas, a troika fez um comunicado bastante elogioso ao programa português, dizendo que a sua implementação "continua no bom caminho".

A Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional afirmam que "o objetivo estabelecido para o final de 2012 em matéria de défice orçamental foi cumprido, a estabilidade do setor financeiro foi preservada e a execução de um vasto leque de reformas estruturais está a avançar", salientando ainda que "o ajustamento externo continua a exceder as expectativas".

A troika revela ainda que as receitas de privatizações vão ser uma das formas encontradas pelo Governo para garantir que, apesar de os défices serem mais elevados, não será preciso reforçar o envelope financeiro previsto no programa. "As autoridades estão empenhadas em cobrir as necessidades de financiamento suplementares resultantes dos objetivos em matéria de défice orçamental revistos, incluindo através das receitas das privatizações", afirma o comunicado da troika.

Apesar dos elogios, para que a avaliação seja considerada positiva e seja dada autorização para a entrega de mais uma tranche do empréstimo (de cerca de 2000 milhões de euros), a troika diz que irá ainda esperar pela apresentação, até Maio, do relatório com a estratégia orçamental detalhada de médio prazo, o documento onde o Governo dará a conhecer quais as medidas de redução permanente da despesa que irão ser implementadas em 2013, 2014 e 2015.

* Estamos lixados à espera da falha absoluta de Vítor Gaspar.




 OOOPS!!!!



























.