domingo, 10 de março de 2013

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA

.

.
.

12.ARTE ERÓTICA

DE PICASSO

 .

.
ESQUELETOS ASSAZ
VAIDOSOS
















.
.

11.ARTE ERÓTICA

DE PICASSO

  .

.

REFORMADOS

INDIGNADOS

video

 Uma vergonha para Pinhal e seus resinosos seguidores

.
.

10.ARTE ERÓTICA

DE PICASSO

 .

.
MASPOXAVIDA
 
50 Tons de Cinza


video


.
.

9.ARTE ERÓTICA

DE PICASSO

  .

ANA CATARINA VIEIRA

. .


 A questão das holdings


Há muita incerteza sobre o regime tributário das "holdings". Tanto na quantificação e aplicação nos próximos exercícios, como na necessidade de uma maior flexibilização.
O Orçamento do Estado para 2013 veio introduzir um incremento significativo da tributação em Portugal. No entanto, está a ser estudado um conjunto de alternativas que possibilite o regresso de Portugal a um patamar positivo.

A introdução de um regime de tributação das sociedades gestoras de participações sociais ("SGPS") em linha com as grandes praças europeias, nomeadamente Holanda e Luxemburgo, tem vindo a ser objecto de discussão. Apresentamos algumas considerações sobre o tema.

O Estatuto dos Benefícios Fiscais estabelece um regime de tributação nos termos do qual as mais-valias e as menos-valias realizadas com a alienação de partes de capital de que as SGPS sejam titulares, desde que detidas por período não inferior a um ano, não concorrem para a formação do lucro tributável.

Os dividendos auferidos podem ser eliminados de tributação, desde que a sociedade que os distribui seja residente em Portugal ou num país da UE e a entidade beneficiária detenha uma participação não inferior a 10% e esta tenha permanecido na sua titularidade, de modo ininterrupto, durante o ano anterior à data da sua colocação à disposição.

Os encargos financeiros inerentes às participações adquiridas não são considerados como dedutíveis para efeitos fiscais, devendo esta limitação ser conjugada com a norma relativa à dedutibilidade dos encargos financeiros suportados, limitados ao maior dos seguintes montantes (i) três milhões de euros (ii) 30% do resultado antes de depreciações, gastos de financiamento líquidos e impostos (EBITDA). De notar que ainda não é claro como proceder à articulação destes dois normativos.

Apresentado, de forma simplificada, o regime português, pincelo abaixo um brevíssimo sumário do regime aplicável na Holanda e no Luxemburgo.

O regime holandês permite a não tributação das mais-valias apuradas e dos rendimentos de dividendos auferidos, desde que cumprida uma percentagem de participação mínima de 5%, não existindo qualquer requisito temporal. Caso esta participação não seja cumprida, poderá ainda assim aplicar-se o mesmo, desde que o seu titular detenha pelo menos 5% dos direitos de voto da sociedade. Existe, ainda, uma limitação inerente aos encargos financeiros suportados até € 750.000.

No Luxemburgo existe um requisito mínimo de 10% (detenção superior a 1 ano) ou, em alternativa, um montante de participação de € 1.200.000 relativa aos dividendos e de € 6.000.000 relativo às mais-valias.

Os regimes apresentados (Holanda e Luxemburgo) não estabelecem limitações territoriais.
Um dos aspectos mais importantes e que tanto tem vindo a ser discutido, prende-se com a introdução, no regime português, de um montante mínimo de participação como alternativa a apenas a percentagem de participação. Com esta alteração um maior número de entidades poderia beneficiar deste regime, com particular relevância para as participações em grandes Grupos que apesar de significarem um avultado montante de investimento poderão, ainda assim, não atingir o limite de participação mínimo de 10% e por este facto ficariam excluídas do regime em análise.

Importa também chamar a atenção para a estabilidade de um regime tributário, a qual apresenta em si um importante factor de análise, sendo condição essencial à escolha de um país de investimento, na medida que os custos de implementação de uma estrutura são significativos e a serem alterados em curtos períodos de tempo, acarretariam um nível de custos incomportável.

Efectivamente, existe ainda muita incerteza em torno do regime tributário aplicável às sociedades holding em Portugal, tanto na sua quantificação e aplicação do mesmo nos próximos exercícios, como acima de tudo na necessidade de uma maior flexibilização, nomeadamente ao nível territorial e exigências participativas, contribuindo estas modificações, certamente, para o aumento do nível de investimento estrangeiro em Portugal.

Tome nota
1.No regime de tributação das sociedades gestoras de participações sociais (SGPS), um dos aspectos mais importantes tem a ver com a fixação de um montante mínimo de participação como alternativa a apenas a percentagem de participação. 

2. Com esta alteração, um maior número de entidades poderia beneficiar deste regime, com particular relevância para as participações em grandes grupos que, apesar de significarem um avultado montante de investimento, poderão não atingir o limite de participação mínimo de 10% e, por este facto, ficariam excluídas do regime em análise.

3. Existe ainda muita incerteza em torno do regime tributário aplicável às sociedades "holding" em Portugal, tanto na sua quantificação e aplicação nos próximos exercícios, como na necessidade de uma maior flexibilização, nomeadamente ao nível territorial e de exigências participativas.


IN "JORNAL DE NEGÓCIOS
07/03/13 

.
.
11 EXPRESSÕES USADAS PELAS MULHERES

( os seus verdadeiros significados)
 
 1 "Chega": Esta é a palavra que as mulheres usam para encerrar uma discussão quando elas estão certas e tu tens que te calar.

2 "5 minutos": Se ela está a arranjar-se significa meia hora. "5 minutos" só são cinco minutos se esse for o prazo que ela te deu para veres futebol antes de ajudares nas tarefas domésticas.

3 "Nada": Esta é a calmaria antes da tempestade. Significa que ALGO está a acontecer e que deves ficar atento. Discussões que começam em "Nada" normalmente terminam em "Chega".

4 "Tu é que sabes": É um desafio, não uma permissão. Ela está a desafiar-te, e nesta altura tens que saber o que ela quer... e não digas que não sabes!

5 Suspiro ALTO: Não é realmente uma palavra, é uma declaração não-verbal que frequentemente confunde os homens. Um suspiro alto significa que ela pensa que és um idiota e que só está a perder tempo a discutir contigo sobre "Nada".

6 "Tudo bem!!!": Uma das mais perigosas expressões ditas por uma mulher. "Tudo bem!!!" significa que ela quer pensar muito bem antes de decidir como e quando vais pagar na mesma moeda pelo que fizeste.

7 "Obrigada": Uma mulher está a agradecer, não questiones, nem desmaies. Apenas diz "de nada". A menos que ela diga "MUITO obrigada"
- Isso é PURO SARCASMO e ela não está a agradecer por coisa nenhuma.
Nesse caso, NÃO digas "de nada". Isso apenas provocará o "Esquece".

8 "Esquece": É uma mulher a dizer "Vai-te LIXAR!!"

9 "Deixa estar, EU resolvo": Outra expressão perigosa, significando que uma mulher disse várias vezes a um homem para fazer algo, mas agora está ela a fazer. Isto normalmente resulta no homem a perguntar; "mas afinal o que é que queres?".Para a resposta da mulher, consulta
o ponto 3.

10 "Sabes, estive a pensar...": Esta expressão até parece inofensiva, mas usualmente precede os Quatro Cavaleiros do Apocalipse.

11 "Precisamos ter uma conversa!": Estás a 30 segundos de levar com um belo par de patins.

.
.

8.ARTE ERÓTICA

DE PICASSO

 .

.
B - CAÇADORES

 DE MISTÉRIOS

4-A ILHA
DO DIABO




o imaginário que nos povoa



.
.

7.ARTE ERÓTICA

DE PICASSO

 .


.
DIANA MONTEIRO

Interpreta BEYONCE



.
.

6.ARTE ERÓTICA

DE PICASSO

 

 .

.

 M A I O N E S E


video



.
.

5.ARTE ERÓTICA

DE PICASSO

 .

. .

2.COMUNICAÇÃO 
SOCIAL



























.
.

4.ARTE ERÓTICA

DE PICASSO

 .

,

NUNCA VIRE AS COSTAS




.
.

3.ARTE ERÓTICA

DE PICASSO

  .

.

OOOPS!!!!























.


.

2.ARTE ERÓTICA

DE PICASSO

 

.

.
MAS QUE
IMPRÓPRIO

video


.
.

1.ARTE ERÓTICA

DE PICASSO

 .

.
8/MENSAGENS
SEM DÓ























.
.