quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


.
P'RÁ NOITE DO VALENTIM
















.
.
 HOJE NO
"RECORD"

Jorge Jesus: «Falta a segunda parte» 

Depois de ver a sua equipa ganhar por 1-0 em Leverkusen, na primeira mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa, Jorge Jesus surgiu bastante satisfeito no “flash interview” da SIC. Contudo, embora confiante no sucesso na eliminatória, fez questão de salientar a qualidade da formação germânica e o facto de ainda existirem 90 minutos por disputar.

“Foi um bom resultado, ainda por cima poupando alguns jogadores já a pensar no jogo de domingo com a Académica. Alcançámos objectivos que tínhamos previsto. Estivemos muito fortes tacticamente, nomeadamente a defender. Defrontámos uma equipa muito forte, mas soubemos estar à altura. É preciso relembrar que este Bayer é a única equipa alemã que ganhou ao Bayern esta temporada. E em Munique! Tentámos marcar primeiro, sabendo jogar com o tempo. Depois do golo, procurámos defender essa vantagem. Ganhámos um jogo, mas falta a segunda parte da eliminatória”, resumiu.

Apesar da satisfação da vitória, Jesus não entra em euforia. “Este resultado dá tranquilidade, mas qualquer outro que não fosse perder também já seria bom. Isso, claro, é melhor, como até poderia ter sido ainda mais saboroso se tivessemos conseguido marcar mais alguma vez. Mas, atenção, esta equipa pode fazer o mesmo em Lisboa que nós fizemos aqui”, disse.

A lesão de André Gomes foi a única nota negativa da partida. E segundo Jesus, dificilmente o jovem médio poderá ser opção para a partida com a Académica, domingo, em embate respeitante à 19.ª jornada da Liga.

“O André Gomes tem uma entorse e dificilmente estará em condições para domingo. E o Matic está castigo. Hoje voltou a fazer um jogo espectacular é um elemento preponderante na equipa. Quem viu o onze antes da partida começar, provavelmente pensou noutro resultado, mas como viram foi positivo.E para isso muito contribuiu a força da equipa, mas também a dos adeptos. Os emigrantes foram notáveis. Para todos os portugueses que nos vieram ajudar o nosso obrigado. Felizmente conseguimos dedicar-lhes uma boa prenda”, finalizou.

* Como portugueses saudamos as vitórias de qualquer clube luso nas competições internacionais.
Jorge Jesus esteve bem ao ser parco nas palavras, parabéns.

.
.

 III- O UNIVERSO

  1- COLISÕES CÓSMICAS
 .
.




.
.
HOJE NO

"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Rui Pedro Soares nega ter pedido
 a Figo para apoiar Sócrates 

O arguido do processo Taguspark, Rui Pedro Soares, disse hoje nunca ter pedido a Luís Figo para apoiar a candidatura de José Sócrates às legislativas e que espera ser absolvido do crime de corrupção passiva para ato ilícito. "Nunca tive essa conversa com Luís Figo. 

Nunca esteve presente no meu espírito", disse Rui Pedro Soares aos jornalistas à saída do tribunal de Oeiras. Rui Pedro Soares, ex-administrador não executivo do polo tecnológico de Oeiras, Américo Tomatti, à data dos factos presidente da comissão executiva do Taguspark, e João Carlos Silva, antigo administrador do polo, estão acusados de corrupção passiva para ato ilícito e começaram hoje a ser julgados. 

Em causa estão alegadas contrapartidas que a Taguspark terá dado, por intermédio do ex-administrador Rui Pedro Soares, ao ex-futebolista Luís Figo para este apoiar a campanha de José Sócrates a primeiro-ministro nas legislativas de setembro de 2009. Rui Pedro Soares adiantou aos jornalistas que espera ser absolvido e que está satisfeito por, ao fim de três anos, poder estar em tribunal onde hoje respondeu "a todas as perguntas" colocadas quer pelo coletivo de juízes quer pelo procurador do Ministério Público. A sessão da tarde foi maioritariamente dedicada à audição de outro arguido, Joao Carlos Silva, que afirmou considerar que, ao ter aceitado o cargo no Taguspark, estaria a desempenhar funções numa empresa privada e não numa de maioria de capitais públicos. 

Este arguido explicou aos juízes que o Taguspark estava a desenvolver um plano de promoção internacional quando o polo tecnológico convidou Luís Figo e José Mourinho para participarem numa ação publicitária. Adiantou que as duas figuras ligadas ao futebol aceitaram participar nesta campanha a troco de 250 mil euros por cada um dos três anos de contrato. Joao Carlos Silva disse ao coletivo de juízes que a mediatização deste processo, iniciado com buscas policiais, pôs em causa o plano de promoção do polo tecnológico que tinha como objetivo arrendar os cerca de cinco mil metros quadrados de espaços disponíveis no polo a empresas, que se traduziria no aumento de 900 mil euros de receitas. 

De acordo com a acusação, o Ministério Público considera que Rui Pedro Soares "pôs em execução uma estratégia para obter o apoio à candidatura do PS" através do contrato de cedência de direitos de imagem do ex-futebolista ao Taguspark, no valor de 750 mil euros. "A formalização destes negócios era, nos termos genericamente acordados entre Rui Pedro Soares e Luís Figo (...) determinante da concretização do apoio deste ultimo à referida campanha político-partidária", refere a acusação. 

 Na sessão de hoje, a presidente do coletivo de juízes adiou para o fim do julgamento a resposta a um requerimento apresentado pela defesa de Américo Thomati para despronúncia dos arguidos do processo por considerar que a sociedade Taguspark é uma sociedade de capitais mistos e não maioritariamente de capitais públicos. A presidente do coletivo de juízes justificou que esta questão só pode ser apreciada depois de produção de prova em julgamento.

* Nunca se mentiu tão bem em Portugal como agora.

.
Munir Virani
 O porquê de adorar abutres





.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Ministro da Economia atribui quebra no 
PIB português a desempenho da Europa

Álvaro Santos Pereira atribuiu hoje a queda do PIB português acima das previsões do Governo ao impacto do desempenho da economia europeia, que se revelou inferior ao esperado.
Álvaro Santos Pereira falava, em Trás-os-Montes, à margem de uma sessão de apresentação do programa "Portugal Sou Eu", no dia em que foi conhecida uma quebra no Produto Interno Bruto (PIB) nacional de 3,2% em 2012, superior às previsões do Governo.
BUFANDO P'RÁ EUROPA
Para o ministro da Economia, "como a Europa está em crise e muitos países europeus estão em recessão" e "mais de 70% das exportações portuguesas vão para a Europa, é natural que haja um impacto significativo". "Foi o que aconteceu", afirmou.

Álvaro Santos Pereira lembrou que a previsão do Governo para a quebra na riqueza nacional "rondava os 3%", mas reiterou que "as previsões macroeconómicas são sempre sujeitas a um grau de incerteza que depende obviamente de circunstâncias que muitas vezes são externas à economia portuguesa".

"Nos últimos meses é sabido que a economia europeia teve um comportamento bastante inferior ao que estava a ser esperado e isso reflectiu-se nas nossas exportações, ou seja na procura externa e obviamente teve um impacto no PIB nacional ", declarou.

O ministro considerou "importante referir que ao nível da procura externa Portugal teve um desempenho bastante bom no ano passado, principalmente para os mercados extracomunitários". "As nossas exportações cresceram quase a 20% para os mercados extracomunitários. O que se passou no ano passado também foi um movimento importante dos nossos exportadores, não só de reforço das exportações, mas também de diversificação dos nossos mercados externos", concretizou.

O ministro da Economia admitiu que a procura externa "teve também impacto ao nível do desemprego no país" e contribuiu para a taxa recorde de 16,9% registada em 2012, mas escusou-se a perspectivar que a quebra no PIB possa ter impacto nas previsões do Governo para a taxa de desemprego em 2013.

"Existe uma relação muito directa entre o desempenho económico e a criação de emprego, ou seja, quando uma economia está em recessão sempre destrói mais emprego do que cria, é isso mesmo que está a acontecer em Portugal", afirmou.

Álvaro Santos Pereira acrescentou que o Governo fará tudo o que estiver ao seu alcance para que Portugal "volte a crescer rapidamente, trabalhando com os parceiros sociais, melhorando a eficácia das políticas activas de emprego e principalmente apostando na requalificação e na formação profissional".

* Um habilidoso a sacudir a água do capote.

.

SOFIA CANHA

.


Aos pais, 
encarregados de educação e população 

Esta luta não diz respeito apenas aos professores e educadores, mas a todos os cidadãos que acreditam num País melhor e mais desenvolvido 

A Educação, a Escola Pública e os Professores vivem um período de grande complexidade, sem dúvida o mais difícil de sempre no pós-25 de Abril de 1974.
Face a tais políticas e às medidas que as concretizam, a FENPROF decidiu promover uma "Semana de Luto e de Luta pela Profissão de Professor e em defesa da Escola Pública".
O luto que os professores decidiram fazer na próxima semana é de protesto pelas políticas que estão a comprometer a qualidade do ensino e a própria escola pública.

Uma escola pública democrática, gratuita e com acesso para todos é essencial para o desenvolvimento humano e, consequentemente, do País.
Nos últimos dois anos, sobretudo, o sentido das políticas desenvolvidas, os fortíssimos cortes orçamentais e as medidas impostas pela tutela educativa, Ministério da Educação e Ciência e Secretaria Regional da Educação e Recursos Humanos, agravaram problemas existentes e criaram novos:
- As condições de trabalho nas escolas deterioraram-se; - Os encargos das famílias com a educação aumentaram; - O aumento de propinas no ensino superior; - Os horários de trabalho dos docentes ficaram sobrecarregados, constituindo uma das principais causas de desgaste físico e psicológico; - A estabilidade dos docentes, quer profissional, quer de emprego, sofreu sério revés; - A redução de professores nas escolas; - A escola desumanizou-se e desorganizou-se pedagogicamente com os mega-agrupamentos a nível nacional; - A concessão de escolas públicas à gestão privada.
Esta situação criada com a aplicação de tais medidas é potenciadora de elevados e preocupantes quebras da qualidade do ensino, com efeitos que, não sendo imediatamente visíveis, constituirão, para muitos jovens, irreparáveis perdas na sua educação e formação.

Todavia, sujeito a imposições exteriores e, simultaneamente, revendo-se em políticas de desinvestimento nos serviços públicos, desvalorização do rendimento de trabalho e eliminação de direitos laborais e sociais, o Governo, em conveniente parceria com o FMI, vem tornando pública a intenção de cortar ainda mais na Educação (entre 800 e 1.000 Milhões de euros) no âmbito de uma violenta redução de 4.000 Milhões nas funções sociais do Estado.
Por tudo isto, esta luta não diz respeito apenas aos professores e educadores, mas a todos os cidadãos que acreditam num País melhor e mais desenvolvido, assente numa educação integral e de qualidade, não só ao nível científico, mas também humano. 

Coordenadora do SPM

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS DA MADEIRA"
13/02/13

.

HOJE NO
"DESTAK"

Núncio em Damasco diz que se caminha sobre sangue e o mundo lava as mãos 

O núncio apostólico (embaixador) em Damasco afirmou na quinta-feira, na Rádio Vaticano, que na Síria "caminha-se sobre o sangue das vítimas" e tem-se a impressão de que a comunidade internacional "lava as mãos". "Estamos a viver uma Sexta-Feira Santa [comemoração da crucificação de Jesus] que dura, dura, e não deixa antever a luz da Páscoa (...). 
 Receio que o gesto da Sexta-Feira Santa [do governador romano Pôncio Pilatos durante o processo de Jesus] se repita: o de lavar as mãos", afirmou Mario Zenari. Durante a sua intervenção, o núncio apelou ao socorro e fez uma crítica severa à inação da comunidade internacional.

* Um drama sobre o qual os políticos coçam a micose.

.
.
 3.O CLÃ CURIE




.
.
 HOJE NO
"i"

O Butão quer ser o primeiro país do mundo a ter uma agricultura totalmente biológica.

Para o efeito, o país pretende banir a venda de pesticidas e herbicidas, usando apenas o estrume dos animais e os desperdícios como fertilizantes.
Com estas medidas, o governo espera que a produção agrícola aumente e que permita ao Butão exportar produtos para países como a Índia e China.
A decisão de tornar aquela nação totalmente orgânica, do ponto de vista da agricultura, prende-se com razões práticas mas também filosóficas.

 Numa conferência recente sobre desenvolvimento sustentável, Pema Gyamtsho, o ministro de Agrícultura, explicou que, além da contaminação a que a água e os solos estão sujeitos com o uso de fertilizantes químicos, o país é regido pela filosofia budista.
“Também somos budistas e acreditamos em viver em harmonia com natureza. Os animais têm o direito de viver, e nós gostamos de ver as plantas e os insectos felizes”, afirmou Gyamtsho.

* A agricultura biológica não existe, é um engodo. Tal como engodo foi quando há uma vintena de anos  se vilipendiava o azeite para enobrecer o óleo.
Ainda há pouco tempo a Organização Mundial de Saúde inventou a gripe das aves para beneficiar laboratórios...

.
.

ZARAH LEANDER

NUR NICHT AUS LIEBE WEINEN




as canções de Pedro Almodovar


.
.
 HOJE NO
"A BOLA"

Pistorius acusado de homicídio

O atleta Oscar Pistorius foi acusado de homicídio no caso da morte de uma mulher em sua casa esta madrugada, a sua namorada, Reeva Steenkamp. A polícia disse que já tinha havido investigações em casa do atleta, dando pouco crédito à alegação de que Pistorius teria confundido a namorada com um intruso.
De resto, a polícia - que vai opor-se em caução - diz em conferência de imprensa estar «surpreendida» com essa justificação, que não partiu das autoridades. Apenas um suspeito de 26 anos (a polícia, de acordo com a lei, não nomeia o suspeito) e a manequim, estariam em casa, não havendo sinais de entrada forçada.

Pistorius foi detido para investigações assim que a polícia foi chamada ao condomínio onde aconteceu o tiroteio - uma arma de 9mm foi encontrada no local e os paramédicos já não conseguiram salvar a mulher, atingida com quatro tiros.

A polícia disse que já tinha havido problemas domésticos em casa do atleta e quem chamou a polícia não foi Pistorius, mas sim outra pessoa.

Oscar Pistorius já deixou a esquadra de Boschkop e será conduzido a tribunal.

* Um pirata da perna de pau.

.
.
 DESAFIANDO LARÁPIOS




.
.
HOJE NO
"PÚBLICO"

Portugal é dos países onde mais austeridade significa mais pobreza infantil 

Relatório da Cáritas Europa parte de estatísticas da Comissão Europeia e alerta governantes para o risco de uma ou várias “gerações perdidas”. 

Portugal, Grécia, Irlanda não têm apenas em comum estarem incluídos num programa de assistência económica e financeira para reduzir drasticamente o peso da dívida pública e reconquistar a confiança dos mercados nas suas economias. Esses – mais Espanha, onde vigora um plano de assistência à banca, e Itália – incluem-se no grupo de países sobre o qual a Cáritas Europa lança um alerta especial para os riscos das políticas de austeridade sobre as crianças e os jovens.
Nestes cinco países, o número de crianças próximas da linha da pobreza ou em risco de pobreza e exclusão aumentou todos os anos, a partir de 2008, atingindo já quase de um terço nos países listados. A conclusão consta de um relatório lançado nesta quinta-feira na Irlanda, O Impacto da Crise Europeia – A Resposta da Cáritas à Austeridade, que será apresentado em Portugal a 6 de Março.
 “A pobreza infantil é um sintoma da pobreza crescente. Mas é inaceitável”, considera Deirdre de Burca. A responsável pelas políticas sociais da Cáritas Europa fala ao PÚBLICO a partir de Dublin, onde o relatório começou por ser publicado, antes do lançamento em cada um dos cinco países analisados, por ser a Irlanda que preside actualmente à União Europeia (UE). "Inaceitável” e “preocupante”, se olharmos para o futuro, diz a especialista, que evoca o risco de uma ou várias gerações perdidas nestes cinco países. É sobre isso que a Cáritas Europa quer pôr os governantes e as instituições que impõem a austeridade a reflectir.
“As políticas económicas aplicadas estão a criar imensos problemas sociais com os quais será muito difícil de lidar no futuro”, sublinha Deirdre de Burca. “Às políticas económicas e sociais tem de ser dado o mesmo peso. E não está a ser. A União Europeia tem de mostrar liderança e reequilibrar o peso entre políticas económicas e sociais.” A responsável junta a sua a outras vozes para dizer: “A austeridade não está a funcionar.”

Jovens sem esperança
A Cáritas Europa parte das estatísticas oficiais da Comissão Europeia (analisados por um instituto científico na Irlanda) e constata que é nos quatro países devedores de empréstimos da UE e do FMI e na Itália que os riscos de pobreza ou exclusão das crianças mais dispararam nos últimos quatro anos.

As crianças são assim identificadas (sob risco de pobreza e exclusão) se viverem em famílias com menos de 60% do rendimento mediano nacional (no meio entre os dois extremos) ou cujos pais têm pouco trabalho ou nenhum emprego ou ainda se não têm satisfeitas as necessidades básicas, como alimentos ricos em proteínas, vestuário e aquecimento em casa.
Sob essa definição, em Portugal, 28,6% das crianças estavam em situação de risco de pobreza ou de exclusão em 2011. Nesse ano, eram mais de 30% na Grécia e em Espanha, mais quatro pontos percentuais do que em 2005. Itália e Irlanda não tinham dados actualizados em 2011, mas, em 2010, contavam-se 37,6% na Irlanda e 28,9% em Itália.
O índice de pobreza infantil em Portugal baixou entre 2004 e 2007, mas está acima da média dos 27 países da UE desde 2005 e registou um aumento considerável entre 2007 e 2008 sem nunca baixar desde então. Em 2010, esse índice (diferente do risco de pobreza e exclusão) era de 22,4% quando a média da UE era de 20,5%.
A organização recomenda às instituições que impõem as medidas de austeridade e aos governos destes cinco países que questionem o significado destas tendências para as crianças no futuro. Crianças que, na pobreza, não terão certamente o mesmo aproveitamento escolar.
Não existem estatísticas para 2012, mas, com as de que dispõe, a Cáritas traça um quadro futuro sombrio em que as políticas de austeridade estão a criar uma geração de jovens sem perspectivas de futuro e sem esperança.
“Os jovens estão a ficar desesperados. Estão sem esperança de encontrar trabalho nos próximos anos, e sem vontade de emigrar por também terem perdido a esperança de encontrar trabalho noutros países”, continua Deirdre de Burca. Mais: ao ficarem desempregados muitos anos, e nos primeiros anos da vida activa, perdem as capacidades adquiridas e a autoconfiança e ganham uma dependência social que pode ser perniciosa. “Por isso falo em risco de uma ou várias gerações perdidas.” É como um ciclo do qual será difícil sair.

A medida da recessão
Tendo uma perspectiva global dos cinco países em análise, a responsável da Cáritas Europa considera que “a medida a que chegou a contracção da economia” é dos aspectos mais notórios da situação portuguesa. “A economia encolheu. Perderam-se os empregos e não se criaram novas oportunidades. Numa economia que se contrai assim, é difícil ver como recomeçará a crescer, quando nenhuma das políticas cria emprego”, avisa.
  
 Contactada pelo PÚBLICO, a Cáritas Portuguesa remeteu os comentários sobre este relatório para a sua apresentação em Portugal no próximo mês. Para já, alerta em comunicado para o facto "de as medidas de austeridade, como solução principal para o combate à crise, estarem a provocar efeitos negativos junto da população, arrastando muitas famílias para novas situações de pobreza". E sintetiza: os efeitos mais negativos da austeridade fazem-se sentir sobretudo nas famílias mais carenciadas e, neste grupo, as crianças são as mais afectadas.

*  Esta notícia dói e mais revolta suscita quando assistimos a jogos palacianos dos nossos políticos com sorrisos, abraços e intrigas, estão-se nas tintas para o povo português.

.
.
.
DOUTRO SÉCULO
 
MULHERES EM 
  

DESTAQUE



Indira gandhi   india opt


Indira Gandhi

Filha de Jawaharlal Nehru; foi a primeira mulher a ocupar o cargo de chefe do governo indiano. Tinha o sobrenome do marido Feroze Gandhi, que havia mudado seu sobrenome para "Gandhi" por razões políticas.[3]
Brilhante política, estrategista e pensadora, possuía grande ambição política. Como mulher e ocupando a mais alta posição do governo numa sociedade, na época, ainda bastante patriarcal, esperava-se que Indira fosse uma líder de pouca relevância, mas as suas acções provaram o contrário[2].
Após a bem-sucedida guerra indo-paquistanesa de 1971, sua popularidade subiu no auge, tendo depois declinado na década de 70. Quando ameaçada com a perda de sua posição por um processo jurídico em função de atividades eleitorais ilegais, declarou estado de emergência (1975-77) e governou a Índia ditatorialmente, auxiliada por apaniguados, como seu filho mais novo, Sanjay.
Após a derrota nas eleições de 1977 para Morarji Desai, sua carreira parecia estar encerrada, mas em 1979 a sua facção no Partido do Congresso reelegeu-a e ela governou até ser assassinada, em 1984, por um extremista sikh.[2] Em (1983-84) foi-lhe atribuído o Prêmio Lênin da Paz. O seu filho mais velho, Rajiv Gandhi (1944-1991) sucedeu-a como primeiro-ministro.




Golda meir   israel opt

Golda Meir


Golda Meir, em hebraico: גולדה מאיר, em árabe: جولدا مائير, nascida Golda Mabovitch, (Kiev, 3 de Maio de 1898Jerusalém, 8 de Dezembro de 1978) foi uma fundadora do Estado de Israel. Emigrou para a Palestina no ano de 1921, onde militou no sindicato Histadrut e no partido trabalhista Mapai. Além de primeira embaixadora israelense na extinta URSS em 1948, ela foi ministra do Bem-Estar Social, ministra do Exterior, secretária-geral do Mapai e foi o quarto primeiro-ministro de Israel, entre 1969 e 1974. Conhecida pela firmeza de suas convicções, estava à frente do Estado de Israel em seu momento mais dramático: a Guerra do Yom Kippur, na qual tropas egípcias e sírias atacaram Israel, cuja população estava distraída pelas comemorações do Dia do Perdão judaico.
David Ben-Gurion certa vez disse dela: "Golda Meir é o único homem do meu gabinete".




Isabel peron   argentina opt

Maria Estela Isabel Martinez 
de Peron


María Estela Martínez, conhecida como Isabelita Perón, (La Rioja, 4 de fevereiro de 1931) foi a primeira mulher que ocupou a presidência da República Argentina.
Martínez contraiu matrimônio em 1960 com Juan Domingo Perón, a quem havia conhecido em um clube no Panamá e o acompanhou em seu exílio espanhol. Em caráter de delegada pessoal de Perón, viajou à Argentina em 1965 para fazer frente ao fenômeno do neoperonismo.
Após o governo de Héctor José Cámpora, Perón regressou à Argentina para apresentar-se às eleições de 1973, em que obteve mais de 60% dos votos, derrotando a chapa Ricardo Balbín-Fernando de la Rúa, que havia sido postulada pela União Cívica Radical.
Isabelita tornou-se presidente após a morte de seu marido, que havia sido eleito numa chapa denominada Perón-Perón, pois ela era candidata à vice-presidência. Perón morreu em 1 de julho de 1974 e Martínez assumiu o cargo este mesmo dia.
Em 24 de março de 1976, foi deposta pela junta militar encabeçada por Jorge Rafael Videla, que deu origem ao chamado Proceso de Reorganización Nacional. Vive na Espanha desde 1981 numa espécie de auto-exílio.




Benazir bhutto   pakistan opt

Benazir Bhutto
  
Benazir Bhutto, em urdu بینظیر بھٹو, (Karachi, 21 de junho de 1953Rawalpindi, 27 de dezembro de 2007) foi uma política paquistanesa, duas vezes primeira-ministra de seu país, tornando-se a primeira mulher a ocupar um cargo de chefe de governo de um Estado muçulmano moderno.
Benazir Bhutto foi morta no dia 27 de dezembro de 2007, durante um atentado suicida em Rawalpindi, cidade próxima a Islamabad, quando retornava de um comício no Parque Liaquat (Liaquat Bagh).[10] O parque é assim chamado em homenagem ao primeiro-ministro paquistanês Liaquat Ali Khan, também assassinado no local, em 1951.
O ataque ocorreu enquanto o carro da ex-primeira-ministra trafegava, seguido por simpatizantes, e Benazir acenava para a multidão, pelo teto solar do veículo. Bhutto foi alvejada no pescoço e no peito, possivelmente por um homem bomba que, em seguida, se explodiu próximo ao veículo, provocando a morte de cerca de 20 pessoas. Um dirigente da Al-Qaeda no Afeganistão reivindicou a responsabilidade pelo ato.



Margaret thatcher   uk opt 0

Margaret Thatcher


Margaret Hilda Thatcher, Baronesa Thatcher LG, OM, PC, FRS (Lincolnshire, 13 de outubro de 1925) é uma política britânica, primeira-ministra de 1979 a 1990.
Nascida Margaret Roberts na localidade de Grantham, em Lincolnshire, Inglaterra Thatcher estudou ciências químicas na Universidade de Oxford antes de se qualificar como barrister. Nas eleições gerais de 1959 no Reino Unido ela foi eleita parlamentar pela região de Finchley. Edward Heath nomeou Thatcher secretária do Departamento de Educação e Habilidades em seu governo de 1970. Em 1975 ela foi eleita líder do Partido Conservador, sendo a primeira mulher a liderar um dos principais partidos do Reino Unido, e em 1979 ela se tornou a primeira mulher a ser primeira-ministra do Reino Unido.
Ao liderar o governo do Reino Unido, Thatcher estava determinada a reverter o que via como o declínio nacional de seu país.[1]. Suas políticas econômicas foram centradas na desregulamentação do setor financeiro, na flexibilização do mercado de trabalho e na privatização das empresas estatais. Sua popularidade esteve baixa em meio à recessão econômica iniciada com a Crise do petróleo de 1979; no entanto, uma rápida recuperação econômica, além da vitória britânica na Guerra das Malvinas, fizeram ressurgir o apoio necessário para sua reeleição em 1983.
Devido ao fato de Thatcher ter sobrevivido a uma tentativa de assassinato em 1984, de sua dura oposição aos sindicatos e de sua forte crítica à União Soviética, foi apelidada de "Dama de Ferro". Thatcher foi reeleita para um terceiro mandato em 1987, mas sua impopular visão crítica à criação da União Europeia lhe fez perder apoio em seu partido, renunciando aos cargos de primeira-ministra e líder do partido em 1990.



 Sriramavo Bandaranaike


Sirimavo Ratwatte Dias Bandaranaike (Colombo, 17 de abril, 1916 - idem, 10 de octubre, 2000) exerceu política no Sri Lanka.
Bandaranaike, conhecida como a "Sra. B", foi primera ministra do país por três ocasiões: 1960-1965, 1970-1977 e 1994-2000. Foi a primeira mulher do  mundo a assumir o cargo de primeiro ministro de um país.
Foi também líder do partido político Freedom Party por 4 décadas. Asumiu o cargo pela morte do marido assassinado, Solomon Bandaranaike, em 1959.


Mother Teresa

Madre Teresa


Agnes Gonxha Bojaxhiu (Skopje, 26 de agosto de 1910Calcutá, 5 de setembro de 1997), conhecida mundialmente como Madre Teresa de Calcutá ou Beata Teresa de Calcutá, foi uma missionária católica de etnia albanesa, nascida no Império Otomano, na capital da atual República da Macedônia e naturalizada indiana, beatificada pela Igreja Católica em 2003. Considerada, por alguns, a missionária do século XX, fundou a congregação "Missionárias da Caridade", tornando-se conhecida ainda em vida pelo cognome de "Santa das sarjetas".




CAROLINA BEATRIZ ÂNGELO
 Revelou-se uma das figuras mais carismáticas do feminismo e do republicanismo da primeira década do século XX. Em, 1911, Carolina Beatriz ao ler a lei prevista na Constituição de 1911 verificou que esta ao decretar quem tinha direito ao voto, não especificou o sexo e a perspicácia desta médica, levou-a a lutar pelo seu direito ao voto já que era uma cidadã portuguesa. Esta lei, ao definir quem seriam os cidadãos que poderiam votar, não distinguiu o sexo, dizendo apenas que quem poderia eleger o governo seriam os cidadãos portugueses. Carolina Beatriz apresentou um recurso em tribunal a fim de poder votarA 28 de Maio de 1911 torna-se a primeira mulher portuguesa a exercer o direito de voto e a legislação é imediatamente alterada, especificando que apenas os cidadãos portugueses masculinos poderiam votar.

.