quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


.
ATRACÇÃO NO 
INVESTIMENTO/2

"Programa OLHOS NOS OLHOS"
TVI24 - 28/01/13




 

Se no dia indicado acima não teve oportunidade de ficar mais esclarecido sobre o investimento em Portugal, dispense-se tempo para se esclarecer agora, este fabuloso programa é extenso mas terrívelmente claro.
Fique atento às declarações do gestor Alexandre Patrício Gouveia


.
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Santana Lopes surpreendido com documento de ex-adjunto jurídico 

 O provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Pedro Santana Lopes, foi surpreendido pelo Ministério Público, esta quarta-feira, no julgamento da permuta dos terrenos da Feira Popular pelos do Parque Mayer, quando percebeu que Remedido Pires, o seu ex-adjunto jurídico quando presidiu à Câmara de Lisboa, elaborou um esboço do negócio que provocou a queda do Executivo municipal em 2007.

Na terceira sessão deste processo, no "Campus da Justiça", em Lisboa, ao ex-presidente da Câmara da capital [2002-2004 e alguns meses de 2005] foi mostrada uma proposta "muito bem elaborada" - segundo palavras de Santana Lopes -, que estabelecia as bases da permuta entre o município e a empresa Bragaparques, detentora do Parque Mayer, sem que Pires tivesse sido mandatado para o fazer.
Remédio Pires é um dos seis dos arguidos que respondem por várias infracções de normas legais no exercício das suas funções, além de Carmona Rodrigues, ex-presidente da Câmara (2004-2005, durante a ausência de Santana, e de 2005 a 2007), Fontão de Carvalho, ex-vereador das Finanças, Eduarda Napoleão, ex-vereadora do Urbanismo, e ainda dois técnicos municipais, Rui Macedo e José Azevedo.

Esta quarta-feira de manhã, a perplexidade do social-democrata surgiu depois de ter garantido, ao longo de mais de duas horas de declarações muito intensas, que, quando saiu da autarquia em 2004, para rumar ao Governo, deixou o processo estagnado e apenas com a indicação que ou se avançava para a expropriação do Parque Mayer ou o município optava por um fundo imobiliário.
O QUE RESTA DA FEIRA

"Num ano e meio, elaborou-se uma proposta, que foi sendo acompanhada pela Bragaparques. De um lado, tínhamos 45500 metros quadrados em Entrecampos (Feira Popular), do outro 46500 metros quadrados do Parque Mayer", lembrou Santana Lopes sobre a primeira tentativa de permuta entre a empresa liderada por Domingos Névoa e o município, ainda que então o próprio autarca se mostrasse desconfortável com aquilo que quando chegou à Câmara "se mostrava uma prática muito corrente, que era o recurso às "Operações Y" (permutas)".
Porém, já depois da proposta de acordo ter sido aprovada em reunião camarária e pela Assembleia Municipal, Domingos Névoa terá dado o dito por não dito. "Faltou ao respeito à Câmara de Lisboa, quando acompanhou todo o processo. A minha primeira reacção: vamos expropriar estes senhores e vamos revogar o que se aprovou", prosseguiu Santana. "Era o que me apetecia desde o início (expropriar). Se há terreno que deveria ser público era aquele", acrescentou.
A recuperação do Parque Mayer nas suas funções culturais era uma das promessas eleitorais, nos finais de 2001, quando o PSD ganhou o município ao PS, liderado por João Soares. Mas Santana Lopes admitiu hoje desconhecer o alegado imbróglio em que se encontrava a propriedade e os planos para o local.
"Assim que fui eleito, o Domingos Névoa apareceu-me no gabinete, mas não reuni sozinho com ele. Aliás, procurei nunca receber promotores sozinho. Ele contou-nos como tinha sido contactado pela Câmara anterior (PS) para contratar o arquitecto Norman Foster (autor de uma polémica torre de 25 metros para o Parque Mayer), por causa de um projecto do João Soares", explicou.
Daí que, a primeira tentativa foi a de chegar a um acordo com o empresário especializado em parques de estacionamento. "Não havia nada assinado, apenas coisas apalavradas, como, pelos vistos, era habitual. Posso dizer que o meu antecessor (João Soares) foi ao lançamento da primeira pedra do novo Estádio da Luz sem haver um único papel assinado entre o clube e o município", adiantou.
Quando se lançou mãos à informação disponível ter-se-á descoberto determinados cenários que pareciam não serem possíveis em 2002: "tanto a Feira Popular como até a área do edifício da Câmara (em Entrecampos) não estavam em nome da Câmara Municipal de Lisboa".
"Havia até um hectare no terreno da Feira Popular que tinha sido cedido pela Câmara 60 anos antes ao Ministério das Finanças, para a construção de uma central de camionagem", revelou, adiantando que diligenciou junto da então ministra de Estado e das Finanças, Manuela Ferreira Leite, o retorno do terreno à posse do município.
Segundo o ex-presidente da Câmara, a recusa de Domingos Névoa quanto àquela primeira permuta surgiu nas vésperas da saída de Durão Barroso da liderança do Governo. E por ali terá permanecido o processo. Daí a surpresa de Santana Lopes quando esta manhã o Ministério Público o confrontou insistentemente com um documento, apreendido em 2007, no gabinete de Remédio Pires, onde o ex-adjunto elaborava uma extensa proposta a apresentar à Bragaparques.
Mais: no mesmo documento aludia-se a uma alegada reunião entre o então presidente da EPUL, Sequeira Braga, e Domingos Névoa, que terá contado com a participação de Remédio Pires, sem que Santana Lopes tivesse tido conhecimento de tal.
Santana Lopes, que continuará a ser ouvido na próxima quarta-feira, 6 de fevereiro, concluiu as suas declarações quando se preparava para relatar o contacto que teve com a permuta dos terrenos quando regressou à presidência da Câmara, após uma permanência no Governo.
Aliás, foi partir desse momento, a 14 de Março de 2005, que Santana - de acordo com a acusação - terá sido confrontado com um negócio, de que depois recusou assumir a autoria, remetendo quer para Carmona Rodrigues, quer para Fontão de Carvalho a defesa de tal permuta.
O PARQUE

Naquele meio ano, e antes de se chegar à permuta com a Bragaparques, já como presidente, Carmona ainda propôs ao Executivo, em Outubro de 2004, a transferência dos terrenos da Feira Popular para a EPUL, que em contrapartida deveria ceder os espaços culturais a construir no Parque Mayer, com base num projecto do arquitecto Frank Gehry, que substituiu Norman Foster.
O social-democrata terminou o seu testemunho quando lembrava o regresso à Câmara. "Senti que era a minha obrigação. Nessa semana saíram várias notícias de que os funcionários municipais nem queriam que regressasse, que não gostavam de mim....", contou, perturbado, Santana, recusando lembrar alegados problemas que ocorreram entre si e Carmona Rodrigues, quando este teve de descer ao lugar de vice-presidente, e com toda uma máquina municipal que tinha sido reformulada pelo segundo.
Porém, o ex-primeiro-ministro fez questão de lembrar que Carmona (que entrou nas listas vencedoras do PSD por Lisboa em 2001, mas que Durão Barroso foi buscar para ministro das Obras Públicas em 2002), apenas foi presidente de Câmara na sua ausência porque assim o quis. "Ele (Carmona Rodrigues) quando foi para ministro pediu a renúncia do mandato na Câmara. Fui eu que lhe disse que deveria apenas suspender. Mas sem imaginar o que aconteceria mais tarde", explicou.

 *  Nós é que nos surpreendemos com o sr. Provedor surpreendido

 .
.

American Contemporary Ballet 

Suite para Violino e Piano




Suite para Violino e Piano

Music: Benjamin Britten, Suite for Violin and Piano, Op. 6
Choreography: Lincoln Jones
Dancers: Theresa Farrell, Zsolt Banki, Marie Buser, Regina Park Suh, Sara Stockwell, Abby Avery
Violin: Jana Vonášková-Nováková
Piano: Petr Novak


.
 .
 HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

72% dos portugueses têm dificuldades  
.em pagar as contas no final no mês 

A grande maioria dos portugueses tem dificuldade em conseguir pagar as contas no final do mês. Portugal é dos países com maiores dificuldades, só ultrapassado pela Bulgária e pela Grécia. 

Um estudo divulgado pela TNS, esta quarta-feira, com base nos dados do Eurobarómetro para a Comissão Europeia, conclui que 72% dos cidadãos nacionais têm dificuldades em pagar as contas ao final do mês. O valor é superior em 31 pontos percentuais à média europeia, que se situa nos 41%.

Com dificuldades piores que Portugal só a Grécia e a Bulgária, com 89% e 73% dos cidadãos, respectivamente, com dificuldades em pagar as contas no final do mês. A Grécia é o país europeu onde a percentagem de cidadãos com dificuldades no final do mês mais aumentou nos últimos três anos, uma diferença de 26%. Em 2009, 63% dos gregos afirmava ter dificuldades com as contas.

Dos 27 estados-membros, aqueles que pediram resgate financeiro são os que apresentam uma percentagem maior de cidadãos com dificuldade em pagar as despesas ao fim do mês, ou seja, Grécia, Portugal, Chipre, Irlanda e Espanha, com 89%, 72%, 68%, 59% e 46%, respectivamente. Dos países com mais dificuldades, mas que não pediram resgate, destacam-se a Bulgária e a Itália.

No total, existem 11 Estados-Membros da União Europeia em que mais de metade dos inquiridos no estudo revelam ter dificuldades em pagar as contas ao fim do mês.

Contrariamente, a Suécia é o país onde os cidadãos têm menor dificuldade em pagar as despesas do mês. Apenas 10% dos suecos diz ter essa dificuldade. Seguem-se a Holanda, com 22%, a Alemanha, com 23%, o Reino Unido, com 31% e a Áustria, com 32%. A Áustria é o país com melhor evolução em relação a 2009, com uma descida de 12 pontos percentuais, passando de 44% para 32%.

No entanto, a situação tem piorado em termos gerais desde 2009, registando-se ao nível da UE um aumento de 3 pontos percentuais, de 38% para 41%, actualmente. Foi precisamente em 2009 que estalou a crise financeira, que deu origem a uma crise de dívida e que levou a subidas do desemprego um pouco por toda a Europa.

* É para esta realidade que o governo olha com infiferença, o governo nada ignora antes  menospreza a precaridade em que o cidadão está atolado.

.
.
PAULO GUSTAVO

  'MINHA MÃE É UMA PEÇA' trecho





.
 .
HOJE NO
"DESTAK"

Lei que proíbe venda de drogas em "smartshops" em Conselho de Ministros em fevereiro - Leal da Costa 

A lei que proíbe a venda de drogas, até agora consideradas legais, nas "smartshops", deverá ir a Conselho de Ministros em meados de fevereiro, informou hoje o secretário de Estado adjunto do ministro da Saúde. "Penso que, dentro de 15 dias, três semanas, no máximo, estará em condições de poder ser apresentada e discutida em Conselho de Ministros", declarou Fernando Leal da Costa, apontando março como prazo possível para a sua publicação em Diário da República. 

O secretário de Estado falava à agência Lusa, no final da sessão de encerramento do "workshop" Avaliação de Impacto na Saúde, no Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge, em Lisboa.

* Vale mais tarde do que nunca, mas jamais percebemos porque é que estas "lojas espertas" geridas por "xicos espertos" abriram, para drogar a nossa juventude.

.

ANTÓNIO TAVARES TELES

.









Bitaites
Opus Dei e Opus Night

1. Em entrevista à "Sábado", Henrique Raposo afirma (sem rir) que "não há uma relação de causa-efeito entre a ditadura salazarista e o atraso português". Acrescentando: "E não sou eu que o digo, são os números que o provam. Em 1970, 71 e 72 registaram-se taxas de crescimento chinesas".
Ponto um: é preciso ver donde vínhamos (tal como os chineses, de resto): de um extremo atraso, de uma extrema penúria.
Ponto dois: a que ficou a dever-se esse crescimento? Às remessas de milhão e tal de emigrantes, é claro, que mandavam o que conseguiam poupar (e era quase tudo do que ganhavam) para a "santa terrinha". Ora assim, também eu ...
Ponto três: os anos que HR cita (como provas) já não são propriamente do salazarismo, mas do caetanismo. O que, apesar de tudo, não é exactamente a mesma coisa. Mas defender Salazar foi, que ele o admita ou não, a sua "missão". Ou, se quiserem, a sua omissão. Só que não precisava de omiti-lo.

2. Opus Dei (e já não lhe chamo uma "seita secreta", como outros lhe chamam) é o poder e o dinheiro, obras de Deus, pelo visto ... Pelo que já estou como um célebre advogado desta praça (cujo sogro pertencia à Obra), que ao chegar a casa tarde e a más horas, encontrou o sogro, que saía para o trabalho. O sogro: Não tem vergonha? Ele, de pronto: Que quer, o senhor é da Opus Dei, eu sou da Opus Night. Boa malha.

3. Duas excelentes fotos no "Público" do dia 26. Uma, ilustrando uma matéria sobre a Universidade Católica, a outra sobre Lance Armstrong. Duas excelentes fotos - que digo- duas excelentes obras de arte.

4. Desde 1978, sempre tive cães. Aliás, cães e gatos. Mas vamos aos cães: uns extraordinários companheiros e, para quem fala com eles como eu falo - como se fossem gente - uns espantosos interlocutores, porque compreendem tudo o que se lhes diz, para além de compreenderem igualmente os movimentos, os gestos, os timings, quase até diria as intenções do amigo com quem vivem e que, bon gré, mal gré, é o líder, tem de sê-lo. Sobretudo quando se trata de um cão grande, de matilha (um pastor alemão, por exemplo, ou uma pastora alemã, que é o que tenho agora) Mas não o "dono", o líder. E, desde o primeiro até este último, ou esta última, todos me trouxeram idêntico conforto e idêntico prazer, que procuro devolver-lhes na medida da minha amizade e ternura por eles. Aliás, tirando o entra, o sai, o pára, o espera, o junto, o larga, o muito bem e o muito mal, nunca lhes ensinei nada: eles sabem. E no fundo todos me conheceram e conhecem muito melhor até do que a maior parte dos meus amigos. Por outro lado, acho que, salvo algumas consanguinidades perigosas, quero dizer, alguns cães que, por excesso de consanguinidade, são talvez inatamente desequilibrados e agressivos, nunca conheci nenhum que o fosse sem que esse desequilíbrio e agressividade não lhe tenham sido praticamente "impostos", não pelo pai ou pela mãe, mas pelo chamado "dono". O que não me impede de ter ficado com os cabelos em pé quando, a propósito de um ataque de um pitbull a uma criança, li (numa matéria da revista do "Público" sobre o tema), da boca de uma senhora que se considera "mãe dos (seus) cães" e é contra o abate do referido pitbull, que "é tão triste a morte da criança como a do cão"; e que, no caso de ter de escolher entre salvar um desconhecido ou o seu cão, escolheria "salvar o seu cão"! Porque - vamos lá ter juízo - há que ter a noção das proporções e um cão, por muito que se goste dele e ele goste de nós, não é uma criança, muito longe disso. E digo-o, mesmo sendo eu próprio contra o abate do animal. Mas, repito, há que ter noção das proporções. 
PS. Um dia, há muitos anos, ia eu com o meu pai a caminho das Minas de Jales quando, de súbito, um homem de uns 60 e tal anos, armado de uma caçadeira, saltou da berma para a estrada e meteu-se à frente do carro. O meu pai parou e perguntou-lhe o que é que se passava. Respondeu-lhe o homem: Olhe, já vi que não é o senhor que eu procuro, mas o que se passa é que, há uns dias, um fulano passou por aqui e, de propósito, atropelou o meu cão, matou-o e fugiu. Ora, eu estou à espera que ele passe por aqui outra vez, para matá-lo. Para vingar o cão? Para punir o acto, em boa verdade miserável, do automobilista assassino? Não sei. Mas lá que o homem estava ali para fazer justiça, mesmo errada, pelas próprias mãos, isso estava. E, se o dito automobilista ali voltou a passar, mesmo que tenha escapado com vida, levou com toda a certeza para contar, e a sério. Moralidade? Nenhuma, é claro, esta é apenas uma história de vida. Mas lá que fiquei com muito mais simpatia pelo "dono" do cão do que pelo automobilista, isso fiquei.

5. Mais umas prosas sobre Israel na imprensa portuguesa. E, de repente, revejo o tempo em que os dirigentes desse país se chamavam Shimon Pérès, Yitzhak Rabin, e sinto uma enorme nostalgia ... (Ah, o Yitzhak Rabin foi assassinado por israelitas da laia do senhor Naftali Bennett e Shimon Pérès continua vivo, vá lá saber-se porquê).

6. O Sporting não ganhou ao Guimarães mas já está sem dúvida a jogar muito melhor, com os centrais a perceberem finalmente como devem funcionar, com um bom lateral (Luisinho) e outro (Miguel Lopes) apenas suficiente, um excelente médio defensivo (Rinaudo), um bom médio de cobertura e até de ataque (bom remate à distância) de seu nome Adrien, três putos com jeito no ataque (um deles é mesmo um craque - Carrillo), só lhe faltando, e com urgência, um médio ofensivo já não digo da qualidade de um Lucho, um Aimar, um Deco, mas lá perto: maduro, criando espaços, fazendo o último passe e susceptível até de marcar golos. Se conseguir algo parecido, Jesualdo fica bem. Se não, terá ainda muito mais trabalho pela frente.

7. Treinadores-"sensação", esses sim, mesmo sensação: Marco Silva (do Estoril) e sobretudo Paulo Fonseca, do Paços de Ferreira.

8. Bom jornalismo no "Público" (a propósito dos resultados da Liga espanhola: "Hat-trick de Ronaldo pela manhã, 'póker' de Messi para acabar a tarde". Jornalismo assim-assim, d' "O Jogo": em destaque, "Furacão Ronaldo"; e, praticamente sem destaque nenhum, "Messi marca quatro golos e chega aos 200 na Liga". Mau jornalismo ("Correio da Manhã"): "CR7 dá mais um recital". Referência ao Barcelona-Osasuna ou a Messi: zero.

9. Vão bem as coisas, para os meus clubes: FC Porto na frente, embora com o Benfica à ilharga; Manchester United na frente, igualmente, tal como a Juventus e o Bayern; o Ajax apenas a 1 ponto do líder (Twente) e o Marselha a 3 (do PSG). Nada mal.

10. Grande matéria (na "Sábado") sobre Mourinho. Uma matéria no entanto séria, apesar de publicada num órgão de comunicação português onde, quando se trata do caro Mou, é tudo elogios, lambe-botices, patrioteirismos pegados. Alguns extractos agora, retirados de afirmações sobre o auto-proclamado "special one": "Mourinho é um inimigo do futebol"; "Nos dois anos em que esteve em Itália insultou toda a gente"; "Mourinho é um canalha"; "É um bebé chorão"; "Devia levar um murro nos dentes"; "Está a destruir o futebol espanhol"; "É o típico personagem que se poria em fuga depois de causar um atropelamento"; etc. etc. etc. Ah, e Beckenbauer: "Lá porque usa fatos de caxemira não deixa de ser uma pessoa rude"; e German Burgos: "Arranco-lhe a cabeça". Belo retrato!

11. Voz-off: "A troika fez uma avaliação péssima da situação portuguesa" (João Ferreira do Amaral).


Bicuaites


1."Público": "Ministério das Finanças falha avaliação ao plano de resgate da Madeira".É o velho silogismo: Gaspar falhou todas as avaliações, avaliou a Madeira, logo falhou também. Tinha de ser. Ou então a lógica dedutiva seria uma batata.

2. "Correio da Manhã": "Governo altera tabela dos salários".Para cima ou para baixo? É a pergunta a mil euros ...

3. Voz-off: "O regresso aos mercados é um trunfo para Portugal e um não-acontecimento para os portugueses" (Fernando Madrinha).

4. "Expresso": "Relvas: 'Privatização da RTP não será nesta legislatura'"."Público": "Um compêndio de asneiras". Acrescentar o quê?

5. "Público": "Ministério da Defesa confirma pedido dos chefes militares para mais 5 mil promoções".
De facto, com a guerra aí à porta ...

6. António José Seguro: "Sou o líder de todos os socialistas".
Ou mais ...

7. "Correio da Manhã": "Sócrates manda Costa avançar".
Sócrates: Avança!
Costa: Mas eu ...
Sócrates: Avança, é uma ordem!

8. Fernando Seara, ao "Diário de Notícias": "Estarei com os pés e a cabeça em Lisboa".
É quase a mesma coisa ...

9. Ainda Fernando Seara: "Digo-o aqui: eu não quero ser líder do PSD. Comigo, estão descansados".
Uff! (Suspiro de alívio vindo da São Caetano).

10. Luís Filipe Menezes: "Quero receber votos da direita conservadora à esquerda radical".
Uns votitos aqui, outros ali ...

11. "Expresso": "Nova lei apaga três freguesias em Barcelos".
É, parece que os ânimos estavam muito incendiados ...

12. Henrique Raposo: "Salazar não promoveu a ignorância".
Atenção, não confundir analfabetismo com ignorância: o analfabetismo (mesmo que só com a 3ª ou 4ª classes), pode passar, a ignorância (mesmo com a 3ª ou 4ª classes) fica.


"La casada infiel" 
de Federico García Lorca

Y que yo me la llevé al río
creyendo que era mozuela,
pero tenía marido.
Fue la noche de Santiago
y casi por compromiso.

Se apagaron los faroles
y se encendieron los grillos.
En las últimas esquinas

toqué sus pechos dormidos,
y se me abrieron de pronto
como ramos de jacintos.

El almidón de su enágua
me sonaba en el oído,
como una pieza de seda
rasgada por diez cuchillos.
Sin luz de plata en sus copas
los árboles han crecido,
y un horizonte de perros
ladra muy lejos del río.
........................................
Aquella noche corrí
el mejor de los caminos,
montado en potra de nácar
sin bridas y sin estribos.
No quiero decir, por hombre,
las cosas que ella me dijo.
La luz del entendimento

me hace ser muy comedido.
Sucia de besos y arena
yo me la llevé del río.
Con el aire se batían
las espadas de los lírios.
Me porté como quien soy.
Como un gitano legítimo.

La regalé un costurero
grande de raso pajizo,
y no quise enamorarme
porque teniendo marido
me dijo que era mozuela
cuando la llevaba al río.

IN "EXPRESSO"
29/01/13


.
.
HOJE NO
"i"

Lisboa tem 1500 táxis a mais 
que deveriam “estar fora de serviço” 

O vereador da Câmara Municipal de Lisboa Nunes da Silva disse hoje, em Coimbra, que 1.500 táxis da capital deveriam “estar fora de serviço”, adequando a frota deste transporte público ao número de habitantes.

No entanto, “é muito complicado” resolver este problema, dado que um número significativo dos taxistas de Lisboa tem a expectativa de negociar o alvará com o profissional que lhe suceder no lugar, referiu.
“Eles têm na transmissão do alvará, por baixo da mesa, a sua reforma”, disse Fernando Nunes da Silva, ao intervir num painel promovido pela Ordem dos Engenheiros (OE), no auditório da delegação regional do Centro da instituição, em Coimbra, subordinado ao tema "Políticas de gestão de tráfego rodoviário em meio urbano".
 Na fase do debate, o vereador independente da Câmara de Lisboa, que detém o pelouro da Mobilidade, Infraestruturas e Obras Municipais, disse que circulam atualmente 3.500 táxis na cidade.
Lisboa tem 500 mil habitantes e “uma frota de táxis que foi dimensionada” para 850 mil pessoas, afirmou.
Por outro lado, designadamente “devido à subida dos combustíveis”, os táxis estão atualmente “muito mais parados”, segundo o professor do Instituto Superior Técnico (IST), que na sessão dissertou sobre “Gestão da mobilidade urbana – dificuldades e soluções”.

Por sua iniciativa, a Câmara Municipal está a elaborar, após audição das organizações representativas dos taxistas, “uma espécie de guia para a boa circulação em Lisboa”, de modo a intervir nos “circuitos e tarifas”, criando novas regras neste domínio.
“Há problemas de controlo do verdadeiro valor que é pago” pelos clientes nas deslocações de táxi na capital, admitiu.
Uma “redefinição das praças” existentes em Lisboa é outras das iniciativas da autarquia ao nível da mobilidade urbana, indicou Nunes da Silva, revelando que neste ponto “já houve acordo” com as associações dos taxistas.

Noutro contexto, na sua intervenção inicial, o vereador admitiu que as câmaras, em geral, enfrentam dificuldades "em tudo o que tem a ver com a alteração de hábitos quotidianos" das pessoas.
Na sua opinião, "é muito complicado" fazer vingar algumas medidas e obras de intervenção na gestão do tráfego rodoviário urbano. "Só com o tempo e com persuasão", concluiu.
Por outro lado, o "mapa viário" que muitos automobilistas de Lisboa têm em mente já não existe há décadas, o que os leva a percorrer maiores distâncias, apesar de nos últimos anos terem sido construídas alternativas viárias que permitem chegar mais rapidamente a um determinado ponto da cidade, afirmou Nunes da Silva.

* O sr. vereador apenas falou na quantidade de táxis em Lisboa, faltou-lhe falar da qualidade dos carros, da higiene do habitáculo e do pouco profissionalismo de alguns taxistas.
Já agora quantos táxis a mais existem no país??
E clandestinos??


.
.

5.VIDA SINTÉTICA



último episódio



Para assistir à 4ª parte desta série utilizar o seguinte URL http://www.youtube.com/watch?v=3


.
.
HOJE NO
"A BOLA"

«Seleção em Guimarães para começar 
um ano memorável» - Fernando Gomes
Fernando Gomes enfatizou a necessidade de «começar bem o ano e preparar da melhor forma a caminhada para o Mundial- 2014», adiantando esperar que «Guimarães, cidade que adora futebol e sempre tem apoiado a Seleção, marque o início de um 2013 que se quer memorável».
TAMBÉM DEITARAM FOGUETES
A escolha de Guimarães para a partida com o Equador é explicada «respeito pelo compromisso de levar a Seleção A a vários pontos do País. Guimarães é uma cidade que tem demonstrado grande dinamismo, recebendo eventos de enorme responsabilidade e envergadura, como se viu com a capital europeia da Cultura. Este ano, Guimarães é a cidade europeia do Desporto. Faz todo o sentido que um jogo da Seleção faça parte dos eventos a realizar na cidade.»

Mas o particular com o Equador encerra ainda uma vertente social, especialmente pertinente em tempos de crise. «Sempre defendemos que o Futebol, além do aspeto lúdico e cultural, deve ter um papel a desempenhar na sociedade, ainda mais em altura de dificuldades económicas», diz.

«Foi com esse propósito que nos tornámos patrocinadores da Missão Sorriso, juntando a FPF ao actual alto patrocínio da Primeira-dama, Maria Cavaco Silva», disse Fernando Gomes. Os benefícios garantidos são, na palavra do presidente da FPF, «além dos descontos de 50% em cartão Continente, que já são uma ajuda para aqueles que querem ver a nossa Seleção ao vivo e assim recuperam metade do preço dos bilhetes, cada ingresso vendido significa 2 euros para a Missão Sorriso», «no total»,concluiu Fernando Gomes.

«Vamos doar cerca de 50 mil euros a este projeto e continuar a apoiar e participar em várias ações de solidariedade. Este espírito está enraizado não só na estrutura da FPF mas também nos próprios jogadores e técnicos que têm participado e vão continuar a participar em várias campanhas.

* Foguetes antes da festa

.
CAMILLE

AU PORT






.

HOJE NO
"PÚBLICO"

Portugal ultrapassa Espanha e torna-se
 o quarto maior exportador mundial 
de tomate transformado

 Alguns dos principais destinos são o Reino Unido e o Japão
Portugal tornou-se em 2012 o quarto maior exportador internacional de tomate transformado, ultrapassando Espanha e ficando apenas atrás de Itália a nível europeu, segundo a Associação dos Industriais de Tomate (AIT).

Portugal exporta 95% do total da produção e processou, no ano passado, 1,2 milhões de toneladas de tomate, correspondentes a um volume de negócios superior a 250 milhões de euros.
A Itália é o principal exportador europeu de tomate transformado, seguindo-se Portugal, com quase 20% do total.

A produção nacional tem como principal destino a Europa, sendo o Reino Unido o maior mercado, seguido de Espanha, Holanda e Alemanha.

Fora das fronteiras europeias, o Japão é o maior cliente, representando cerca de 10% do total exportado.
Outros grandes importadores são o Kuwait, a Rússia e a Austrália, com cerca de 7500 toneladas cada.
Portugal produz pasta de tomate e outros produtos, como molhos e ketchup.

* Uma boa notícia que emana duma boa atitude de alguns empresários portugueses.

.
.
E se o Príncipe HARRY fosse 
personagem da Disney???



.
.
HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Seguro e Costa reúnem hoje para 
"delinear uma estratégia comum" 

Depois da acalorada Comissão Política de ontem à noite, os dois socialistas vão hoje sentar-se à mesma mesa, apurou o Económico. 

O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, que ontem, contra a expectativa dos seus apoiantes, recuou e não anunciou uma candidatura à liderança do PS vai reunir hoje com o secretário-geral do partido, António José Seguro. O objectivo da reunião é "delinear uma estratégia comum", avançou ao Económico fonte socialista.

O autarca lisboeta ameaçou ontem candidatar-se à liderança do PS, mas no final da reunião que demorou cerca de seis horas, António Costa recuou e acabou por dizer que irá trabalhar para a unidade e evitar a confrontação.

Durante a reunião da Comissão Política vários elementos próximos do presidente da Câmara de Lisboa garantiram aos jornalistas que o autarca da capital se iria candidatar ao cargo de secretário-geral do PS. A notícia foi mesmo avançada por vários meios de comunicação social.

No final da reunião, António Costa disse então que iria trabalhar para um clima de unidade e evitar a confrontação. "O secretário-geral do PS [António José Seguro] foi receptivo à proposta que apresentei e acho que vamos poder trabalhar nos próximos dias para poder tentar construir uma alternativa forte, que fortaleça o PS nas candidaturas autárquicas e que permita unir o partido, evitando uma confrontação que, neste momento, a todos os títulos era indesejável".

Por outro lado, o secretário-geral do PS garantiu que vai propor à Comissão Nacional a marcação do congresso para um período "o mais breve possível" e expressou a sua satisfação por António Costa recandidatar-se à Câmara de Lisboa.

Para o líder dos socialistas, a Comissão Politica do PS "esteve à altura das suas responsabilidades, colocando em primeiro lugar os interesses de Portugal e os interesses dos portugueses". António José Seguro expressou ainda sua "satisfação pelo anúncio que António Costa fez na Comissão Política Nacional do PS de recandidatura à Câmara de Lisboa". "Tive a oportunidade de dizer no sábado passado que Lisboa está em boas mãos e vai continuar de certeza absoluta em boas mãos", acrescentou.

* Os fazedores de opinião mais os efrvescentes socretinos levaram ontem uma grande banhada vinda do Largo do Rato.O anúncio desta reunião demonstra bom senso de ambas as partes. É líquido que António Costa virá a ser líder do PS e quiçá 1º ministro mas é de pessoa inteligaente não arriscar agora.
Também Francisco Assis tem estado bem, antes aliado de Costa do que testa de ferro de Silva Pereira e Vieira da Silva que continuam a perder posição.

.