quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


.
 DE LADO TAMBÉM 
SÃO LINDAS/4


OLIVIA WILDE

Jasmine Dustin

Sophie Reade


 Jennifer Nicole Lee

 Lucy Pinder

 Mariana Davalos

 
Ashley Salazar



Nicky Whelan


Gemma Atkinson

 Nina Moric

 Alicia Witt


.
.

HOJE NO
"i"

Amor cedeu ao poder, a palavra mais procurada em 2012 no dicionário Priberam 

O amor cedeu ao poder, a palavra mais pesquisada no ano passado pelos portugueses, no dicionário de Língua Portuguesa "online" Priberam, anunciou hoje a empresa, que o edita e disponibiliza gratuitamente.
 Em 2012, foram efetuadas, no dicionário, mais de 220 milhões de consultas e cerca de 66 milhões de visitas.
Enquanto os portugueses pesquisaram mais pela palavra "poder", os brasileiros procuraram por "nostalgia", repetindo o feito de 2011.

A palavra "amor", que há dois anos ocupava a segunda posição nas pesquisas, em 2012 desceu ao 20.º lugar (Portugal) e ao 8.º (Brasil).
Segundo a Priberam, empresa que edita o dicionário de Língua Portuguesa na Internet com o mesmo nome, as pesquisas refletem, muitas vezes, acontecimentos com impacto: em fevereiro do ano passado, a busca da palavra "piegas" disparou, depois de o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, a ter pronunciado num discurso.

Tal como em 2011, no ano passado o maior número de acessos ao dicionário foi feito a partir do Brasil, de Portugal e dos Estados Unidos, sendo que "cresceram significativamente" os realizados de Angola, Macau e Moçambique.

Pela primeira vez, de acordo com a Priberam, o Chrome derrubou o Internet Explorer, em termos de navegadores de Internet.
A empresa registou igualmente, em 2012, um "forte aumento" de consultas efetuadas a partir de "smartphones" e "tablets", na sequência da "disponibilização de aplicações gratuitas", para estes equipamentos móveis.
O sistema operativo mais usado foi o "iOS", seguido do "Android", "SymbianOS", "Blackberry" e do "Windows Phone".
Já nos acessos através das redes sociais, o Facebook foi o mais utilizado, à frente do Twitter.

Fundada em 1989, a Priberam é uma empresa especializada na conceção e no desenvolvimento de "software" e conteúdos digitais, cedendo produtos e serviços em quatro áreas: processamento computacional da língua, sistemas de gestão de conhecimento jurídico, motores de pesquisa semânticos e saúde.
 Além do dicionário "online" de Língua Portuguesa, que a empresa apresenta como o mais consultado pelos cibernautas, a Priberam edita o FLiP, ferramenta linguística para a escrita correta da Língua Portuguesa, e o LegiX, portal de pesquisa de legislação, jurisprudência e doutrina.
Recentemente, a Porto Editora anunciou "entroikado", numa associação à "troika", como a "palavra do ano" de 2012.

* Cada vez mais o "poder" vai comprando amores...

.
.
 II- O UNIVERSO


  1- VIAJAR NO ESPAÇO




.
 .
HOJE NO
"A BOLA"
. 
Fernando Gomes admite final da Taça 
fora do Estádio Nacional
 

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, admitiu esta quinta-feira que a final da Taça de Portugal, agendada para 26 de maio, possa não ser disputada no Estádio Nacional.
«Ainda esta semana tivemos uma reunião com os responsáveis da segurança do Estádio do Jamor. É o local mítico para a disputa da Taça de Portugal, mas não podemos exigir que os jogos dos campeonatos nacionais se realizem em estádios com um determinado tipo de condições de segurança e na final da Taça de Portugal, em que há muito público, não existam essas condições de segurança», referiu Fernando Gomes, que falava no final de uma reunião levada a cabo na Associação de Futebol de Leiria.

O líder da Federação falou ainda sobre a nova lei do policiamento, revelando que vai reunir com o Ministério da Administração Interna para poder agilizar algumas modificações.

Na reunião levada a cabo na AF Leiria também foi discutido a recente resolução do Totonegócio, que levou a Federação a saldar dívidas dos clubes na ordem dos 11 milhões de euros.
 

* Se não tem condições...

.
.
Doris Kim Sung
O metal que respira 



Os edifícios modernos com janelas panorâmicas de chão ao teto proporcionam vistas espetaculares, mas exigem muita energia para refrescar. Doris Kim Sung trabalha com placas térmicas bimetálicas, materiais inteligentes que se assemelham à pele humana, de forma dinâmica e responsiva, podendo proteger um quarto da luz do sol e de se autoventilar.

 .
.

HOJE NO
"PÚBLICO"

Escolas de Elvas passam a servir 
jantar a alunos carenciados 
A partir de sexta-feira, os pais das crianças 
mais necessitadas do concelho vão poder 
ir buscar o jantar à escola. 

A Câmara de Elvas decidiu passar a fornecer o jantar a 540 alunos do 1.º ciclo e jardins-de-infância do concelho que já tinham direito a almoço e lanche na escola. 

Apesar da substancial melhoria para o bem-estar das crianças que uma refeição quente ao almoço já proporcionava, Rondão de Almeida, presidente da autarquia, concluiu que era preciso fazer mais alguma coisa, depois de constatar que o almoço era, para muitas delas, a única refeição completa a que tinham acesso.

A refeição será entregue nas escolas que as crianças frequentam entre as 17h e as 17h30, a partir do dia 18. O autarca precisou que os alunos beneficiados com mais este reforço alimentar — os que pertencem aos escalões A e B dos subsídios — poderão levar para casa sopa, prato de carne ou peixe, assim como fruta e pão.
“As crianças passam a ter as duas refeições normais, o mais elementar direito que deve assistir a qualquer cidadão”, diz Rondão de Almeida.
Os pais terão de se deslocar à escola frequentada pelas crianças e levar a refeição para casa. “Estou convicto de que pela quantidade atribuída a cada criança, a refeição até poderá dar para mais do que uma pessoa”, adianta, escusando-se a falar sobre os encargos que esta medida trará à autarquia. Apesar disso, o autarca garante que o município tem verbas suficientes para “fazer face a 24 programas na vertente social”.

Na noite desta quinta-feira, o executivo municipal reuniu-se no cineteatro local com os pais e encarregados de educação dos alunos carenciados do pré-escolar e do 1.º ciclo para que ficassem a conhecer as condições em que vai ser prestado este novo apoio social. A decisão, que foi aprovada pelo executivo municipal na passada quarta-feira, vai ser votada na próxima semana pela assembleia municipal.

* Um verdadeiro trabalho autárquico.

.

JORGE FIEL

.






Cavaco fez-se ao penálti 

Tenho para mim que, no futebol, num lance de penálti, a única verdade objetiva e incontestável é a paixão subjetiva de quem emite um juízo. Tal como o reformado algarvio que preside à nossa nação, nestes casos eu raramente me engano e nunca tenho dúvidas. Sempre que o árbitro assinala um penálti a favor do Porto está carregadinho de razão. 

E todos os penáltis marcados a favor do Benfica são, no mínimo, duvidosos, para não dizer escandalosos ou até verdadeiros "roubos de igreja", como diria o saudoso Pedroto, opinião que creio ser partilhada pela reformada transmontana que é a segunda figura do Estado e portista encartada.

Tenho uma enorme admiração e algum respeito pelos árbitros. Entre tangíveis (dinheiro) e intangíveis (fama) ganham uma ínfima parte do que é pago aos futebolistas. Sabem que a sua honestidade, bem como a honorabilidade das suas mães, será questionada. E, como agravante, ainda são obrigados a ajuizar logo, no momento, se num determinado lance há ou não lugar à marcação de grande penalidade.
Mesmo depois das imagens terem sido revistas vezes sem conta, em câmara lenta e a partir de diferentes ângulos, é raro gerar-se o consenso entre os peritos na matéria. Deu primeiro na bola ou nas pernas? Tinha intenção de fazer falta? Foi dentro ou fora da grande área? Qual a intensidade do encosto? Bola no braço ou braço na bola? O árbitro estava bem posicionado?

As dúvidas, atenuantes e perguntas sem resposta que a tecnologia potencia são tantas que um penálti deixou de ser o castigo máximo assinalado de acordo com as regras do jogo para se tornar num estado de espírito do árbitro, que tem de ajuizar na hora e incorpora na decisão não só a sua visão do lance mas também o resultado, o peso relativo das duas equipas, e mais uma data de coisas, entre as quais o cadastro do jogador que pede a falta, pois todos sabemos que o que mais abunda são avançados especialistas em simular grandes penalidades.

No caso do pedido ao Tribunal Constitucional para que verifique se três artigos do OE 13 violam a Constituição, parece-me nítido que o reformado Cavaco se está a fazer ao penálti. Trata-se de matéria que o afeta pessoalmente (optou por receber as reformas da Caixa Geral de Aposentações e do Banco de Portugal, por a soma ser muito superior ao salário de 6523 euros que compete ao PR) e de que há um ano se queixou, quando disse temer que o dinheiro não lhe chegasse para as despesas.

Como se isso não bastasse, os juízes do Constitucional vão decidir numa matéria que também lhes interessa pessoalmente. Assunção Esteves reformou-se aos 42 anos, com uma pensão de 7255 euros (por que optou por ser superior ao salário de 5219 euros que compete ao presidente da AR) após dez anos de extenuante trabalho no Tribunal Constitucional. Atendendo a estes óbvios conflitos de interesse, estou curioso de saber a decisão. Será marcado penálti contra Passos?

IN "JORNAL DE NOTÍCIAS"
08/01/13

.
 .
HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Teixeira dos Santos diz que nunca viu indícios de má gestão nas PPP 

O ex-ministro das Finanças tem hoje uma audição na Comissão Parlamentar de Inquérito às PPP para explicar os contratos da Brisa, Oeste e TGV. 

"Nunca tive indicação de que houvesse gestão ou indícios de gestão ruinosa nas PPP [Parcerias Público-Privadas] em questão", assegura o ex-ministro das Finanças dos Governos de José Sócrates, Teixeira dos Santos, em resposta por escrito aos deputados da Comissão Parlamentar de Inquérito às PPP, a que o Diário Económico teve acesso.

 Teixeira dos Santos alude especificamente aos contratos da Brisa (renegociado no seu consulado) e Oeste (Auto-estradas do Atlântico) e da concessão ferroviária para a construção e exploração do troço de TGV entre Poceirão e Caia, sobre as quais terá de responder hoje em audição parlamentar.

Também sobre os estudos de lançamento destas três PPP e concessões, Teixeira dos Santos diz: "ao que sei, foram cumpridas as formalidades legais exigidas nesta matéria", embora advirta que "não disponho de informação pormenorizada que me permita pronunciar-me sobre soluções alternativas analisadas".

* Apatetado e amblíope q.b.

.
.

1-SENTE QUE É



BOM OU MAU?






.
 .
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Mais de 10 mil pessoas já 
assinaram Petição contra abate 
do cão que matou criança 

A população está contra o abate do cão que vitimou uma criança de 18 meses no passado domingo, em Beja. Esta ‘luta’, travada via online, está a fazer sucesso pois mais de 10 mil cibernautas já contribuíram com o seu registo. 

A população de Beja entrou em choque com a notícia de que um canino, arraçado de pitbull – raça considerada perigosa -, com nove anos de idade, atacou fatalmente o pequeno Dinis na sua própria habitação. ‘Zico’, pertencente ao tio do menino, estaria a dormir no chão quando a criança ”lhe caiu em cima”, alegadamente devido ao local onde o canino se encontrava “estar escuro” – declarações do avô, Jacinto Janeiro. 

 Tal facto terá feito com que o animal reagisse violentamente e atacasse a criança com mordidelas localizadas maioritariamente na zona da cabeça. A gravidade dos ferimentos resultou, posteriormente, na morte do menino de apenas 18 meses de idade. Os subscritores da petição defendem que que "um cão que nunca fez mal durante 8 anos e atacou é porque teve algum motivo" e, como tal, "o abate não é solução!". 

Acrescentam ainda que "nestes casos há que investigar o que causou a reação do cão (foi provocado ou não está a ser bem tratado, por exemplo) e pode optar-se pela reabilitação/treino do cão", referem. Apesar do choque da notícia da morte da criança que não deixou ninguém indiferente, o certo é que esta petição já conta com 10 mil assinantes na luta pela absolvição de ‘Zico’. 

A viabilidade desta luta está ainda por conhecer pois tal como determina a lei, o cão ficará isolado e em observação numa “box” específica do canil durante oito dias – ou seja, até ao próximo domingo - e depois "irá ser abatido", tal como explicou a veterinária, referindo tratar-se de "um cão perigoso", uma vez que "atacou uma criança" e, por isso, a única solução será “a eutanásia".

* Estes 10 mil assinantes são uns patetas, assinam uma petição para que uma fera possa viver e ainda ter a possibilidade de matar mais alguém. 
O que é importante é incriminar também o dono do cão, responsabilizá-lo por homicídio por negligência.

.
.


DAVID BOWIE 
  

HEROES









.

HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Marques Guedes 
“Reforma do Estado pode resultar em despedimentos na função pública” 

 O secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros recordou que o executivo PSD/CDS-PP já tem reduzido anualmente o número de funcionários do Estado. Marques Guedes não excluiu futuros despedimentos na função pública e considerou que o debate da reforma do Estado poderá resultar na saída de funcionários públicos.

 Em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros, e interrogado se os despedimentos na função pública vão ser uma realidade em 2013, o secretário de Estado da Presidência considerou que “essa não é uma questão que possa ter uma resposta concreta, de sim ou não” e que o debate sobre a reforma do Estado será determinante. 

 Marques Guedes recordou que o executivo PSD/CDS-PP já tem reduzido anualmente o número de funcionários do Estado, de acordo com o Programa do Governo e com o Programa de Assistência Económica e Financeira a Portugal. “Do debate nacional sobre as funções do Estado poderão, depois, também resultar algumas outras medidas a tomar relativamente a essa dimensão no plano dos recursos humanos por parte do Estado, mas esse é um debate que vamos travar”, destacou o governante. 

Marques Guedes reiterou que “ver-se-á, de acordo com as que forem as conclusões desse debate nacional, o que há a fazer também relativamente aos recursos humanos”. “A redução tem sempre de ser feita por recurso à saída de pessoas do Estado. Se chama a isso despedimento, se chama a isso rescisão por mútuo acordo, se chama a isso outra coisa qualquer, eu acho que é uma questão de linguagem. 

O que está aqui em causa é a redução dos encargos do Estado com pessoal, ou seja, a redução do peso dos recursos humanos nas várias administrações públicas”, completou. 

* Vão de certeza alguns milhares para a rua. 

.
 DIVIRTA OS AMIGOS




.
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

 "Há médicos proibidos 
de prescrever medicamentos" 

O bastonário da Ordem dos Médicos denunciou que há situações de clínicos que estão a ser proibidos de prescrever os medicamentos que consideram adequados para os seus doentes. 

 "Há médicos que estão, neste momento, a ser proibidos de prescrever aquilo que acham que devem para os doentes. Isso é, obviamente, inaceitável. Devemos combater as situações de discriminação", declarou José Manuel Silva na quarta-feira à noite num debate promovido pela Ordem dos Médicos sobre racionamento e racionalização de medicamentos. 

O bastonário deu o exemplo da hepatite C, relatando que os novos medicamentos antivirais estão a ser usados de forma diferente consoante os hospitais, havendo algumas unidades que não estão a permitir a sua utilização. Tratam-se, segundo o bastonário, de fármacos que aumentam a taxa de cura da hepatite C em 30 % a 40 % e que foram aprovados com rapidez pela Agência Europeia do Medicamento devido ao seu "espetacular benefício na terapêutica" da doença. 

Também o presidente da Associação Portuguesa de Bioética lamentou que haja em Portugal "hospitais com políticas diferentes" no que se refere ao acesso aos medicamentos. "Não podemos permitir que dois hospitais separados por uma rua tenham políticas diferentes. 

Um dá um medicamento num determinado cancro e o outro não dá. Mas afinal quem é que manda neste país?", insurgiu-se Rui Nunes, que tem contestado o parecer do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida sobre racionamento de medicamentos.

* Nesta "guerra" corporativa quem paga é o doente, às vezes com a vida.

.  
.
DOUTRO SÉCULO
   
QUASE OU MESMO
 
 
DESAPARECIDOS


 FOTÓGRAFO DE RUA


 VARINA


 ABEGÃO
(ferrador e ferreiro)


 PETROLINO
(vendedor de petróleo e azeite)


 AMOLADOR


 TRAPEIRO

 AGUADEIRO


 ALMOCREVE
(transportador de mercadoria)



 LAVADEIRA



 ENGRAXADOR


LINOTIPISTA

DACTILÓGRAFA



.
 .
HOJE NO
"RECORD"

 Dakar'2013: 
Ruben Faria continua em alta
 Português foi 2.º na 6.ª etapa 

Ruben Faria (KTM) continua em grande forma na edição de 2013 do Dakar. O piloto português terminou a 6.º etapa da prova, já em solo chileno (ligou Arica a Calama), no 2.º lugar, atrás do vencedor, o chileno "Chaleco" López. Faria está no 5.º posto da classificação geral.

Paulo Gonçalves (Husqvarna) ainda liderou a tirada durante algum tempo, mas acabou por perder minutos devido a um problema na moto. O piloto de 33 anos é 27.º na geral.

A KTM oficial continua em grande, com Rúben Faria, Cyril Desprès e Kurt Caselli nos lugares da frente. Hélder Rodrigues foi 8.º na etapa e, na geral, está em 9.º, a 25.23 minutos do líder, o francês Olivier Pain (Yamaha).

Nos automóveis, a vitória na etapa foi para o francês Nasser Al-Attiyah (Buggy). No dia em que o espanhol Carlos Sainz (Buggy) desistiu devido a problemas mecânicos, Carlos Sousa (Great Wall) conseguiu terminar em 12.º, subindo para 9.º na geral.

O francês Stéphane Peterhansel (Mini), campeão do Dakar em título, lidera com menos 1.18 minutos do que Al-Attiyah.

* Um português valente.

.
.
 NAS RUAS DE 
PRAGA ACELERA-SE






.


HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Vendas de Rolls-Royce 
bateram recorde em 2012 

O fabricante de automóveis de luxo Rolls-Royce informou, esta quinta-feira, que bateu um recorde de vendas em 2012, noticiam as agências internacionais. 

A marca detida pelos alemães da BMW disse que vendeu 3.575 veículos em 2012, "o que representa um terceiro recorde consecutivo e o melhor resultado de vendas na sua história de 108 anos". 
COM MOTORISTA

Este desempenho é atribuído ao aumento da presença internacional, que foi alargada a 40 países e incluiu a abertura de 30 concessionários, o que permite à empresa ultrapassar os cem centros de distribuição. As vendas de 2012 superaram as de 2011 em 1%. 

A Rolls-Royce Motor Cars reivindicou a renovação da liderança no segmento de veículos ultra luxuosos que custam mais de 200 mil euros, acrescentando que os EUA regressaram ao primeiro lugar nos países compradores, que era ocupado pela China. 

Os mercados onde o crescimento foi maior foram os da Arábia saudita (63%), do Médio Oriente (26%), da Europa (21%) e da Ásia-Pacífico (18%), se bem que os de maior volume foram os dos EUA e China. 

* Por esta notícia se constata com são semelhantes o capitalismo liberal americano e o capitalismo monopolista de estado chinês.

.
.
 MAIS PARA  OS OLHOS
  DO QUE PARA 
O TEMPO















.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Tribunal de Contas culpa 
administradores por situação 
da Parque Expo - Gestão Urbana

A situação financeira deficitária da Parque Expo- Gestão Urbana é da responsabilidade da gestão da empresa e da sua accionista, a Parque Expo. O Tribunal de Contas também não isenta de culpas os governos que tutelam a empresa. 

O Tribunal de Contas aponta o dedo às várias administrações da Parque Expo pela situação de debilidade financeira da subsidiária Parque Expo – Gestão Urbana (PE-GU) e por nunca terem conseguido resolver os litígios com as autarquias de Lisboa e Loures. Mas também não deixa de fora as críticas aos governos que tutelaram a Parque Expo.

Numa auditoria à Parque Expo – Gestão Urbana (empresa do universo Parque Expo que faz a gestão urbana do Parque das Nações), o Tribunal de Contas não tem dúvidas de que “a responsabilidade pela situação económico-financeira da PE-GU  só pode ser apontada directamente à actuação dos órgãos da empresa e ao respectivo accionista único, a Parque Expo, na medida em que foi assumida a continuidade da gestão urbana do Parque das Nações sem a participação dos Municípios de Lisboa e de Loures e, bem assim, as consequências desta continuidade nas respectivas contas”.

Desde 2008, ano em que a PE-GU foi constituída (com o voto contra do município de Lisboa e sem posição de Loures), que “nada foi concretizado pelo conselho de administração da PE-GU e pelo seu accionista único”, acrescenta o Tribunal de Contas, lembrando que em todos estes anos o revisor oficial de contas da PE-GU referia a situação na sua certificação legal de contas.

Além dos administradores da PE-GU, o Tribunal de Contas aponta o dedo à Parque Expo, accionista único da PE-GU, que nas várias assembleias gerais anuais “nunca tomou posição sobre a situação, comprometendo, assim, a sustentabilidade do serviço público de gestão urbana pela PE-GU e, uma gestão eficiente da despesa pública”.

Para o Tribunal de Contas não apenas as administrações foram responsáveis por não terem sanado a situação, como também o foram pela constituição de uma empresa, a PE – Gestão Urbana, por conta e risco, sem terem acautelado, logo, a participação dos municípios.

Mas o Tribunal de Contas não fica por aqui. E fala também do papel dos governos nesta situação. “Os membros do Governo que tutelaram a Parque Expo e a PE-GU até 2011 tiveram conhecimento do desenvolvimento da situação da PE-GU ao longo dos anos sem porem um termo à situação”.

As culpas estão atribuídas, ainda que o Tribunal de Contas assuma que os municípios também não foram capazes de chegar a acordo para pagar as dívidas pelos investimentos em infra-estruturas e pela gestão urbana suportadas pela PE-GU.

A estas conclusões do Tribunal de Contas, a actual administração da Parque Expo sai em defesa dos seus antecessores, garantindo que foram promovidas pelas administrações da empresa “várias diligências, designadamente reuniões com representantes das autarquias versando esta temática”.

A PE-GU foi criada em 2008 para gerir as infra-estruturas urbanas do Parque das Nações, tendo, na altura, ficado estabelecido que essa gestão seria transferida para os municípios de Loures e Lisboa. No entanto, as autarquias não reconheceram a dívida. A PE –GU teve de assumir os encargos, sem que os municípios devolvessem as verbas, pelas taxas que cobram aos munícipes, para esses serviços urbanos.

“Os Municípios de Lisboa e de Loures recusaram sempre a assunção da responsabilidade da gestão urbana do Parque das Nações, não permitindo uma repartição equitativa dos encargos entre a Parque Expo, PE-GU e os Municípios. Tal como é explicitado no corpo do relatório, as receitas inerentes à gestão do território do Parque das Nações foram, na sua maioria, recebidas directamente pelos Municípios, através da cobrança das taxas e impostos devidos, mas nunca reverteram directamente para o financiamento da prestação de serviços de gestão urbana do Parque das Nações”.

Com isso, a PE-GU foi obrigada a endividar-se para cobrir os défices de exploração. E chegou ao final de 2011 com um passivo financeiro de 20,341 milhões de euros, sendo 15,471 milhões de euros relativos a empréstimos bancários e os restantes 4,870 milhões de euros a um empréstimo accionista. “Ou seja, para manter a continuidade da gestão do espaço urbano do Parque das Nações, a sociedade recorreu ao crédito bancário e a suprimentos”, acrescenta o Tribunal de Contas, lembrando que existia, ainda, dívidas a fornecedores, no final de 2011, de 3,6 milhões de euros.

A PE-GU sempre foi imputando, no seu balanço, a dívida às duas autarquias. O que resultou que, de Julho a 2008 a Julho de 2012, Lisboa surgia com uma dívida para com a empresa de 24,6 milhões de euros e Loures com um ”débito” no valor de 6,2 milhões de euros.

Entretanto foi alcançado um acordo com o município de Lisboa, que já está, aliás, desde 1 de Dezembro último, a assumir a gestão urbana do Parque das Nações e assumiu a existência da dívida a 2008. “Já quanto à Câmara Municipal de Loures, não se dispõe de evidência de que a respectiva dívida tenha sido reconhecida por aquele Município”.

Na auditoria o Tribunal de Contas reafirma que “embora se aproxime a resolução definitiva da assunção das responsabilidades da gestão urbana do Parque das Nações,  o Tribunal sublinha que, no cômputo final, o défice da empresa pública PE-GU é relevante e teve origem na actuação inadequada dos órgãos sociais da PE-GU e nas opções do seu accionista único, a Parque Expo”. 

* Imbróglios criados pelos boys partidários...

.
.
 A MELHOR CANÇÃO
DE EMBALAR





.
.
HOJE NO
"DESTAK"

CIPquer reduzir indemnizações para
. menos de 12 dias e adiamento do 
Fundo de Compensação 

O representante da Confederação Empresarial de Portugal - CIP, Gregório Novo, defendeu hoje a redução das compensações por despedimento para um número inferior a 12 dias e reivindicou a criação do Fundo de Compensação apenas quando as empresas tiverem equilíbrio financeiro. 
 "Os 12 dias era o leque que estava desenhado no memorando de entendimento - de 8 a 12 - e optou-se pela ponta máxima quando expectável era que, eventualmente, se devesse ter optado por um número situado entre o mínimo e o máximo", afirmou Gregório Novo depois de uma reunião conjunta com os grupos parlamentares do PSD e do CDS-PP, no parlamento. 

Segundo o representante dos patrões "foi com uma expectativa gorada que a CIP viu o Governo, quando confrontado com os 8 a 12 dias, colocar-se no patamar superior desse leque". 

* Portugal tem um patronato da idade média e portanto opta sempre por reivindicações feudais. 

 .
.
MONA LISA















 Só as obras de génios é que possibilitam outras "interpretações artísticas" sem faltar ao respeito ao genial criador, desta vez Leonardo Da Vinci.


.