quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA



  
4/NÃO FORAM



APANHADAS

 DESPREVENIDAS




Sophie Reade

 Morena Baccarin



 
Nina Moric


Isabeli Fontana




Cindy Crawford


 Dania Londono Suarez


Erin Wasson


 Edita Vilkeviciute


 
Doutzen Kroes


Kaya Scodelario



 Naomi Campbell

.
.
HOJE NO
"RECORD"

Michael Rasmussen assume 
doping entre 1998 e 2010 

O ciclista dinamarquês Michael Rasmussen, que foi despedido da holandesa Rabobank quando estava perto de vencer a Volta a França de 2007, admitiu ter-se dopado durante 12 anos, entre 1998 e 2010, e anunciou o abandono.

Em conferência de imprensa, Rasmussen, de 38 anos, disse que contou às autoridades dinamarquesas e internacionais todos os detalhes da sua experiência com o doping e que aceitou uma suspensão de dois anos, mas recorreu a um acordo de confidencialidade para agora não dar mais detalhes.

O ciclista dinamarquês, que até hoje sempre negou ter recorrido ao doping, foi suspenso por dois anos pela União Ciclista Internacional (UCI) por mentir sobre o seu paradeiro antes da edição de 2007 da Volta a França em bicicleta e assim escapar a controlos inopinados. No regresso à competição, em 2009, Rasmussen venceu o prólogo da Volta a Chihuahua, no México.

Em 26 de julho de 2007, uma etapa da "Grande Boucle" iniciou-se pela primeira vez na história sem camisola amarela, na sequência da retirada de Rasmussen, a pedido da Rabobank, quando, a quatro tiradas do final, liderava a corrida com 3.10 minutos de vantagem para o espanhol Alberto Contador e depois de ter vencido duas etapas de alta montanha nessa edição da corrida, nos Alpes e nos Pirenéus.

Recentemente, em dezembro de 2012, Rasmussen exigiu 5,8 milhões de euros [ME] à equipa Rabobank por alegados danos morais e prejuízos de imagem na sua carreira, alegando, num tribunal de Arnhem, na Holanda, que os responsáveis da equipa tinham tido conhecimento de que o atleta estaria a preparar a participação no Tour em Itália e não no México, como estava anteriormente previsto.

Em outubro de 2012, o banco holandês Rabobank anunciou o fim do acordo de patrocínio de 17 anos à equipa masculina de ciclismo, porque a confiança na modalidade tinha desaparecido no rescaldo da condenação da Agencia Antidopagem Norte-Americana no caso do ciclista Lance Armstrong.

Entretanto, vários ciclistas admitiram ter recorrido a substâncias dopantes quando alinharam na Rabobank, entre os quais o holandês Thomas Dekker e o norte-americano Levi Leipheimer. 


* O desporto de rastos

.
 II- O UNIVERSO
    
4- VIAJAR NO ESPAÇO





.
.


HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Rajoy terá beneficiado 
de contabilidade secreta do PP

Centenas de pessoas estão concentradas, na noite desta quinta-feira, em frente à sede do Partido Popular (PP), em Madrid. Os manifestantes, convocados através das redes sociais, exigem a queda do Governo.
A Imprensa espanhola divulgou, esta quinta-feira, documentos que confirmam a existência de uma contabilidade secreta no PP da qual terá beneficiado Rajoy.

O PP nega as acusações, mas nas ruas já se pede a demissão do Governo. O escândalo de corrupção em torno do PP, que nas últimas semanas tem sacudido a atualidade política em Espanha, ganhou esta quinta-feira novas proporções.
As revelações do "El País" indicam que o próprio líder do partido e presidente do Governo, Mariano Rajoy, terá recebido comissões provenientes de financiamento irregular no valor de 25 mil euros anuais, durante 11 anos.
Os manuscritos elaborados pelos tesoureiros do partido - que registavam os pagamentos secretos -, envolvem os nomes de diversos altos cargos no partido, incluindo a atual secretária-geral, Maria Dolores de Cospedal.

Ela própria encarregou-se de vir a público negar todas as acusações, garantindo que no PP só há "uma contabilidade, clara e transparente, que todos os anos é submetida a auditoria do Tribunal de Contas".
Também o ex-tesoureiro do PP, Luis Bárcenas, que chegou a ter 22 milhões de euros em contas na Suíça, negou a existência de uma contabilidade secreta no partido.

As anotações dão conta, no entanto, de numerosas doações ao PP da parte de importantes empresários espanhóis, nomeadamente pertencentes ao setor da construção (alguns deles processados por corrupção), e que sugerem um possível financiamento irregular do partido.
Evitando comparecer em público, o chefe do Governo espanhol fez saber que convocou para amanhã uma reunião urgente do Comité Executivo do PP.

Recorde-se que quando as primeiras denúncias de pagamentos ocultos foram conhecidas, Rajoy garantiu que "não lhe tremeria a mão" na hora de apurar responsabilidades. As garantias, contudo, não convenceram Oposição, que pede a sua demissão.
A devolução gradual do valor concedido foi também anotada nos documentos paralelos do partido que o "El País" publicou esta quinta-feira.
Questionada sobre o tema, Dolores de Cospedal afirmou que a informação referente a Escudero "será verdade", mas adiantou que isso "não valida totalmente o que se publicou".

*  Podridão europeia

.
.
A.J.Jacobs
Como a vida saudável
quase me matou




.
.
 HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

1,6 milhões de utentes há mais de 
três anos sem ir ao centro de 
saúde estão a ser notificados 

 Cerca de 1,6 milhões de utentes estão há mais de três anos sem utilizar os centros de saúde onde estão inscritos e a ser, por isso, notificados por carta, para informar a instituição, caso pretendam manter a inscrição activa.

De acordo com a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), estas cartas começaram a ser enviadas a estes utentes no final de Janeiro, esperando este organismo que o processo termine no início de Março.

Este contacto insere-se no processo de reorganização e actualização das listas dos utentes dos médicos de medicina geral e familiar e dá, desta forma, cumprimento a um despacho do secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde, de Outubro do ano passado.

O despacho classifica os utentes dos Agrupamentos dos Centros de Saúde (ACES) com três categorias: utente com médico de família atribuído, utente a aguardar inclusão em lista de utentes de médico de família, utente sem médico de família por opção e utente inscrito no ACES, sem contacto nos últimos três anos.

São estes últimos que estão agora a ser contactados pelas Administrações Regionais de Saúde (ARS), para se pronunciarem sobre a intenção de manterem, ou não, a sua inscrição activa no centro de saúde.

Só a ARS de Lisboa e Vale do Tejo conta enviar 752.720 cartas, segundo fonte do organismo. O envio destas cartas começou na semana passada, prevendo a ARS de Lisboa e Vale do Tejo que o processo esteja concluído na próxima semana.

Uma carta da ARS de Lisboa e Vale do Tejo a um utente que há mais de três anos não frequenta o seu centro de saúde, à qual a agência Lusa teve acesso, explica que este tem até 90 dias para "manifestar a sua intenção de manter a sua inscrição activa".
Tal poderá ser feito "presencialmente ou por contacto telefónico", através da referência de um código que é atribuído na carta.

No caso de o utente optar por ser classificado como "utente inscrito no ACES sem contacto nos últimos três anos", este "mantém o acesso às prestações de saúde asseguradas pelo respectivo ACES, nomeadamente vacinação, tratamentos de enfermagem, serviços das unidades de saúde pública, unidades de cuidados na comunidade e das unidades de recursos assistenciais partilhados".

Na carta, assinada pelo presidente da ARS de Lisboa e Vale do Tejo, o utente é informado que pode, "a qualquer momento, requerer a reactivação da respectiva inscrição".

*  Medida pedagógica.

ZURAIDA SOARES

.



Hossanas aos mercados 

Tenho a alma cheia, cheia, cheia, cheia de alegria infinda! Sinto-me, assim, na eminência de rebentar de exultação e euforia! Portugal foi aos mercados e os mercados – qual lobo mau vestido de avozinha do Capuchinho Vermelho – estenderam a passadeira vermelha e abriram os cordões à bolsa. Num rebate de consciência fictício, resolveram apostar em Portugal, não porque confiem na nossa capacidade de regeneração económica, mas porque sabem que, em última análise, outros assumiram pagar a factura que nós não vamos ser capazes de pagar: o BCE e as autoridades europeias. O encaixe está garantido, à partida e, por isso, o facto de nos continuarem a considerar “lixo”, em nada altera o negócio em curso. Desenganem-se aqueles/as que pensam que esta abertura poderá ser a inauguração de uma austeridade menos estúpida, menos castradora, menos desumana – coisa que, aliás, não existe. Bem pelo contrário. Quem nos (des)governa, por via das dúvidas, já se apressou a explicar que a ida aos mercados não significa mais dignidade, mais respeito e menos sacrifícios. Se, agora, devemos ainda mais do que devíamos – e Portugal já é, proporcionalmente, o país mais endividado da União Europeia, com mais de 120% do PIB - a austeridade tem que ser mantida e intensificada, em nome do bom nome do nosso país. Por isso, muita atenção a mais este golpe. Deixem lá os foguetes e as hossanas e pensem no seguinte: o desemprego vai continuar a aumentar, todos os dias; os salários e as pensões vão continuar a ser esmifrados, até serem uma sombra do que foram; os impostos colossais são para continuar; as falências são cada vez mais inevitáveis, porque ninguém tem dinheiro para comprar o que elas vendem; a saúde, a educação e a segurança social estão sob a ameaça de um definhamento sem precedentes. Os mercados não são ‘amigos’, são bancos, nacionais e internacionais, que sabem bem o que nós também sabemos: quanto mais pedirmos emprestado para pagarmos o que devemos, mais eles ganharão, à custa das nossas vidas. A austeridade mata a economia mas engorda a banca. Festejar o quê, afinal?!

 IN "AÇORIANO ORIENTAL"
29/01/13

.
.
HOJE NO
"DESTAK"

 Parque de Ciência e Tecnologia 
da Universidade do Porto vence 
prémio europeu

O Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC) foi distinguido hoje, em Bruxelas, com o prémio europeu RegioStars 2013, na categoria "Crescimento Inteligente".

O projeto português "bateu" os restantes finalistas, da Alemanha, Áustria, Espanha, Reino Unido e Suécia, de acordo com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região do Norte (CCDR-N), que apresentou a candidatura ao prémio europeu.

O UPTEC, atualmente cofinanciado pelo "ON.2 - O Novo Norte" (Programa Operacional Regional do Norte) em 15,4 milhões de euros, está organizado em quatro polos: tecnológico, biotecnologia, indústrias criativas e mar.

* A ciência de Portugal no topo do mundo


.
.
1.O CLÃ CURIE



.
.
HOJE NO
"i"

Buraco do ozono provocou alterações 
na circulação dos oceanos na Antártida, refere revista Science 

O buraco do ozono na zona da Antártida provocou mudanças na forma como se mistura a água dos oceanos do sul do planeta, uma situação que pode ter impacto nas alterações climáticas, alerta um cientista norte-americano.

Num estudo publicado hoje na revista 'Science', a equipa de Darryn W. Waugh, do departamento de ciências planetárias e da Terra na Universidade de John Hopkins, mostra que as águas intermédias subtropicais nos oceanos do sul têm ficado 'mais novas', enquanto as águas mais próximas do polo têm ficado 'mais velhas'.

Estas mudanças, explicam, são consistentes com o facto de os ventos à superfície terem ficado mais fortes à medida que a camada do ozono foi ficando mais fina.
"Isto pode parecer muito académico, mas acreditem, não é", disse Waugh. "Isto importa porque os oceanos do sul têm um papel importante na absorção de calor e de dióxido de carbono, por isso qualquer mudança na circulação dos oceanos do sul tem potencial para alterar o clima global".

A equipa comparou medições feitas entre o início dos anos 1990 e meados da década de 2000 de um químico chamado "chlorofluorocarbon-12" (CFC-12) nos oceanos do sul.
O CFC-12 foi inicialmente produzido comercialmente nos anos 1930 - era usado em produtos como pulverizadores de aerossol, refrigerantes e sistemas de ar condicionado - e a sua concentração na atmosfera aumentou rapidamente até aos anos 1990, quando foi progressivamente retirado do mercado pelo protocolo de Montreal sobre as substâncias que destroem a camada do ozono.
Destas medições, a equipa de Waugh percebeu que havia mudanças na rapidez com que as águas superficiais se misturavam com as águas profundas naqueles oceanos.

Como sabem que as concentrações de CFC na superfície dos oceanos aumentam em paralelo com as da atmosfera, deduziram que quanto mais altas as concentrações de CFC-12 no fundo do oceano, mais recentemente essas águas tinham estado à superfície.
As mudanças na idade das águas - 'mais novas' nos subtrópicos, 'mais velhas' perto do Pólo Sul, são consistentes com a intensificação observada nos ventos à superfície, que têm ocorrido primariamente devido ao buraco do ozono na Antártida, o que leva a crer que a perda do ozono estratosférico é a principal causa das mudanças na ventilação do oceano.

À medida que o ozono estratosférico recupere nos próximos 50 anos, as mudanças na ventilação poderão diminuir ou inverter-se, embora seja preciso ter também em conta o impacto do aumento continuado dos gases com efeitos de estufa na atmosfera.
O impacto combinado destes dois fatores na ventilação dos oceanos do sul e na absorção de calor e carbono ainda é uma questão em aberto.

* Situação grave que os donos do dinheiro desprezam.

.
.

EMILY LOIZEAU


PAYS SAUVAGE




.
.
HOJE NO
"A BOLA"
Daniel Sampaio agredido

O vice-presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting, Daniel Sampaio, foi esta tarde agredido na sessão de esclarecimento aos sócios do Sporting sobre a realização da reunião magna extraordinária na bancada poente do Estádio José Alvalade.
A sessão decorria há cerca de 20 minutos quando alguns elementos presentes na plateia atiraram ovos que atingiram Daniel Sampaio e os restantes elementos da Mesa da Assembleia Geral.
A PSP identificou 15 de 70 elementos presentes no auditório do estádio de Alvalade, segundo disse a A BOLA fonte que presenciou o ocorrido. Registaram-se ainda insultos entre sócios.
A sessão estava a ser transmitida em direto no site oficial do Sporting. Aquando dos incidentes a transmissão foi interrompida.
 

* Uma vergonha

.
.
CRIANÇAS do  SEC. XXI




fantástico


.
.
HOJE NO
"PÚBLICO"

Editora da Tinta da China 
constituída arguida por publicar
 livro que denuncia abusos em Angola 

 Rafael Marques, arguido no mesmo processo, é o autor de Diamantes de Sangue: Tortura e Corrupção em Angola, que a editora publicou em 2011. 

Quando soube da investigação do jornalista e activista angolano Rafael Marques sobre crimes contra populações nas zonas de extracção de diamantes das Lundas, em Angola, Bárbara Bulhosa, responsável da editora Tinta da China, não teve dúvidas de que queria publicar esse trabalho em forma de livro. Fez as diligências para verificar factos e ficou convicta da sua veracidade. Relatórios internacionais e testemunhos de vítimas apontavam num mesmo sentido: graves violações de direitos humanos estavam, há vários anos, a ser cometidas por empresas de segurança contra as populações indefesas com a conivência de generais em Angola. Publicou. E, por ter publicado, foi constituída arguida, por difamação e injúria, no mesmo processo em que também Rafael Marques é arguido.

Diamantes de Sangue: Tortura e Corrupção em Angola, que vendeu até agora cerca de sete mil exemplares, traça um retrato implacável da vida nas zonas de exploração diamantífera das Lundas, no Nordeste esquecido do país. Por isso mesmo, o assunto interessou a Bárbara Bulhosa, enquanto editora. Esta quinta-feira, quando foi ouvida no Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, perguntaram-lhe como tinha conhecido Rafael Marques e por que se interessara pelo seu trabalho.

Para a editora, o importante, no momento de publicar o livro, foi dar a conhecer uma situação “de extrema gravidade, que não era conhecida e que estava a acontecer”. “Para mim, [a opção de publicar o livro] não tem nada a ver com Angola. Podia ser noutro país qualquer”, disse ao PÚBLICO. “O que me interessava era a questão dos direitos humanos e a denúncia de situações terríveis para as populações.” Considera que este é “um processo político de intimidação” e uma “pressão sobre todos os editores a quem possam chegar manuscritos sobre questões sensíveis e em que estão envolvidas pessoas com muito poder”.

A editora fica com termo de identidade e residência até o Ministério Público (MP) decidir se deduz ou não acusação. Mas, tal como explicou o advogado Manuel Magalhães e Silva, quando Rafael Marques, seu cliente, soube em Dezembro que era constituído arguido, também o advogado de Bárbara Bulhosa, José Manuel Mesquita, explica que, na abertura de um processo, os visados são sempre constituídos arguidos, não resultando essa designação de nenhuma apreciação do caso.

“Um erro”, segundo a defesa
Seja como for, diz o advogado: “Este processo parece-me um erro.” Um erro, no sentido em que poderá vir a confirmar com maior alcance público os factos expostos no livro. E um erro, considera, de quem interpôs a queixa-crime: nove queixosos, sete generais e as duas empresas de segurança de que são accionistas e que operavam nas zonas diamantíferas em Angola – Sociedade Mineira do Cuango e TeleService (esta última, entretanto, abandonou a zona de extracção de diamantes).
BÁRBARA BULHOSA

O advogado do escritório PLMJ, de José Miguel Júdice, que representa os generais angolanos e as duas empresas de segurança, João Medeiros, confirmou ao PÚBLICO que a queixa-crime foi interposta em Março de 2012, em Portugal, país onde o livro foi editado, e que, entre os queixosos, está o general Hélder Vieira Dias “Kopelipa”, ministro de Estado e chefe da casa militar da Presidência da República. (É uma das mais influentes figuras em Angola e do círculo mais íntimo do chefe de Estado, e uma das figuras visadas por um inquérito-crime aberto na Procuradoria-Geral da República em Portugal, por branqueamento de capitais e fraude fiscal.)
Entre os queixosos, estão também o general António dos Santos França “Ndalu”, deputado do MPLA no poder e presidente da empresa sul-africana de diamantes De Beers em Angola, e dois generais, Armando da Cruz Neto e João de Matos, que ocuparam o cargo de chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas.

Com uma acusação, haverá julgamento
Pela defesa, José Manuel Mesquita não arrisca antecipar uma decisão do MP, mas lembra que a difamação não é punível desde que os factos imputados sejam verdade ou mereçam credibilidade por parte do autor ou do editor. E isso está garantido, assegura. Existem relatórios internacionais e testemunhos locais a confirmar a realidade descrita no livro, que, por outro lado, “merece toda a credibilidade do autor e da editora”, acrescenta. Pela acusação, João Medeiros limita-se a dizer: “Vamos ver.”

No caso de o MP deduzir acusação, o advogado de Bárbara Bulhosa não pedirá a instrução do processo (que ainda daria hipótese ao arquivamento do mesmo). “Vamos logo para julgamento.” Será uma forma de expor a verdade, sugere: “Se querem questionar a veracidade dos factos, vamos ver a veracidade dos factos."

* Bárbara Bulhosa uma portuguesa de coragem que merece o nosso profundo respeito.

.

DOUTRO SÉCULO
 
COMPUTADORES



Eram assim há menos de trinta anos o equipamento informático nas empresas,
 salas amplas com  equipamentos gigantes para terem memória de 2 megas.


Provávelmente um computador pessoal "estiloso" próprio para pessoas requintadas para quem o aparelho  conferia "status".




Um monitor de televisão impróprio para 
os olhos, por causa dos raios gama, 
o que provocou um aumento significativo 
de inflamações oculares e até 
patologias mais graves.


Outra imagem duma empresa apostada 
na modernidade da técnica mas com 
a necessidade de ter mais de um 
funcionário para operar com o bicho.

Um peso pesado com uma memória infantil.



Mais um televisor acoplado a um processador


Um aparelho mais modernaço com impressora 
ao lado, revolucionário



Repare no teclado jurássico tendo 
ao lado o gravador onde o chefe 
ditava a correspondência

Será mesmo da Apple ou é brincadeira???



Um PET, marca falecida há já algum 
tempo, com gravador incorporado.




Inovação, um portátil com rato



Talvez a máquina mais moderna desta lista, já com a ranhura para a diskete.

.



HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

"Não tenho intenção de vender 
qualquer activo em Angola" 

O CEO do BPI reafirmou hoje a intenção de manter e até expandir a actividade do banco em Angola. 

Fernando Ulrich garantiu que vai manter a sua participação de 50,1% que detém no Banco de Fomento de Angola (BFA), sublinhando que "esta é uma história de sucesso que queremos continuar a desenvolver". 

 O CEO do BPI falava durante uma 'conference call' com analistas, citado pela Bloomberg. "Não tenho intenção de vender qualquer activo em Angola", acrescentou ainda. Na mesma ocasião, Fernando Ulrich afirmou estar "muito feliz" com os outros accionistas do BFA e que faz mesmo parte dos planos multiplicar, "gradualmente, os balcões da instituição no país". 

Actualmente, o BFA tem 167 balcões em Angola. Em 2012, a actividade em Angola e Moçambique representou cerca de um terço dos resultados reportados pelo banco (34,7%). O BPI revelou ontem que garantiu um lucro de 249 milhões de euros em 2012, impulsionado sobretudo pela recompra de passivo e pela venda de dívida pública. 

 No ano anterior o banco tinha reportado um prejuízo de 284,9 milhões. As contas do BPI mostram ainda que os lucros de operações financeiras subiram 94,6% no ano passado, o que também beneficiou a instituição. Na sessão de hoje as acções do banco seguem a perder (-1,09%) na praça lisboeta, a acompanhar a tendência dos pares europeus.

* O dinheiro nunca se deu bem com os direitos humanos.



  FANTASMA MIJÃO





.
.
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

PSD e CDS juntos por Fernando Seara 

O PSD e o CDS-PP assinam amanhã, sexta-feira, o acordo de coligação de apoio à candidatura de Fernando Seara (PSD) à Câmara de Lisboa, que enfrentará António Costa (PS) na capital nas autárquicas de outubro.

As distritais dos dois partidos já definiram os prinícipios da coligação, mas ainda não se debateram nomes. 
Ao CDS caberá, em princípio, o quatro e oitavo lugar da lista para o executivo camarário, tal como nas eleições de 2009, aquando da candidatura de Pedro Santana Lopes.
O CM apurou que até ao final do fevereiro ou no início de março serão apresentados os principais nomes da equipa.

* Excelente notícia para António Costa e Relvas vai conseguir anular o crescimento de Seara dentro do PSD.

.
.

 TANTO PARA  OS OLHOS
  COMO PARA 
A CABEÇA















.
.

HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

"Rei Ghob" ... 
Relação mantém condenação 
de 25 anos de prisão 

O Tribunal da Relação de Lisboa rejeitou o recurso de Francisco Leitão, conhecido por "rei Ghob", e manteve a condenação de 25 anos de prisão, determinada pela primeira instância, pela prática de três homicídios. 
CURRICULUM SANGRENTO

A decisão do recurso de Francisco Leitão, distribuído ao juiz desembargador Rui Rangel, foi comunicada hoje pela secretaria da 9.ª Secção do Tribunal da Relação de Lisboa. A Relação tinha de decidir a diligência de "Rei Ghob", antes de terminar o prazo máximo da prisão preventiva de um ano e seis meses, fixado na lei para os casos em que há condenação transitada em julgado, como é o caso de Francisco Leitão. 

"Rei Ghob" foi julgado no Tribunal Criminal de Torres Vedras por quatro homicídios, mas foi condenado apenas por triplo homicídio, a 29 de março de 2012, não tendo sido ficado provada a acusação referente ao homicídio de um idoso sem-abrigo. 

 O tribunal deu como provados quase todos os pontos da acusação, mas registou-se um voto vencido do coletivo de juízes, presidido por Rui Teixeira. Além da condenação a 25 anos de prisão, a pena máxima em Portugal, "Rei Ghob" foi condenado a pagar 350 mil euros de indemnização às famílias da vítimas. 

Com esta decisão do Tribunal da Relação, a defesa de Francisco Leitão pode recorrer para o Supremo Tribunal de Justiça, em matéria de direito e não de facto.

* Um assassino tem o que merece neste caso, mas há muitos outros criminosos, corruptos, pedófilos e falsários que se passeiam alegremente pelo país.

.

 UM RELÓGIO
FEITO COM LEGO




Engraçado medidor do tempo



.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Fisco ponderou sortear carros 
e casas aos contribuintes 

O Fisco ponderou sortear automóveis e casas aos contribuintes que registassem as faturas das suas compras, em alternativa à medida que acabou por ser escolhida de deduzir 250 euros no IRS, disse hoje o diretor-geral da Autoridade Tributária (AT).

Azevedo Pereira, numa conferência hoje em Lisboa sobre faturação eletrónica, disse ter equacionado a possibilidade de atribuir a contribuintes sorteados três automóveis por semana e uma casa trimestralmente, uma medida de combate à evasão fiscal que é utilizada no Brasil.
Salientando que o custo desta medida teria um retorno rápido, o diretor da AT salientou que o Executivo acabou por escolher a dedução de 5% das faturas registadas pelos contribuintes, que permite uma dedução até ao máximo de 250 euros, uma medida que pode custar aos cofres do Estado 80 milhões de euros.
Azevedo Pereira fez ainda um balanço da fatura eletrónica, para dizer que neste primeiro mês foram detetados 241 operadores em situação irregular, mas escusou precisares de que setores da economia.
"E quase não cruzamos dados", ressalvou, salientando que o registo das faturas no site da AT não vai permitir erradicar por completo a evasão fiscal, mas permite agora mais meios para a combater.
Azevedo Pereira explicou que estas irregularidades foram detetadas devido aos 61 mil contribuintes que já registaram as suas faturas no portal da AT.
Neste primeiro mês, em que estão em vigor as novas regras de faturação eletrónica, 3.550 operadores económicos inseriram no portal o valor das faturas das suas transações, e destes a maioria (2.821) são pequenos comerciantes. 

* Já estamos a ver Vítor Gaspar a girar a tômbola do contribuínte e anunciar naquela voz característica o número do feliz contemplado.

.
.

Gratinado de tomates 

com cogumelos

 

A alimentação é uma boa forma de prevenir e combater problemas de saúde, senão a melhor, afiançam mesmo vários especialistas. Existem inúmeros livros de receitas com boa sugestões para si. É o caso do livro «Viver Mais e Melhor», da autoria de Filipa Vacondeus e da nutricionista Maria Paes de Vasconcelos.

Nesta obra, editada pela Matéria Prima, encontra receitas variadas. Sugerimos-lhe o gratinado de tomates com cogumelos, uma excelente forma de iniciar ou mesmo completar uma refeição. Experimente!

Ingredientes
(4 pessoas)
1 kg de tomate maduro
1 colher (de sobremesa) de orégãos secos
2 colheres (de sopa) de coentros
30 g de manteiga
50 g de cebola
1 dente de alho
200 g de cogumelos laminados
100 g de fiambre em cubos
2 colheres (de sopa) de queijo ralado
Azeite
Sal e pimenta

Preparação 

1. Depois de bem lavados, corte da parte superior dos tomates uma fatia tipo tampa e esvazie cuidadosamente o interior de cada um. Tempere-os com sal e pimenta, junte orégãos e coentros e introduza uma colherzinha de manteiga em cada um. Coloque-os num tabuleiro untado com manteiga e leve-os ao forno, previamente aquecido a 180º C, durante cerca de 20 minutos.
 2. Entretanto doure a cebola cortada em meias-luas finas, o alho esmagado, os cogumelos e o fiambre numa frigideira com o azeite, durante cerca de dez minutos, sem parar de mexer. Quando a cebola estiver dourada, junte os coentros picados grosseiramente e tempere com sal e pimenta.
3. Tire os tomates do forno, recheie-os com este preparado, polvilhe-os com o queijo ralado e leve-os novamente ao forno para gratinar. Sirva-os bem quentes.


A responsabilidade editorial desta informação é da revista
 
 .