segunda-feira, 26 de novembro de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


NEM NO INFERNO


Fidel morre e vai para o céu. Mas, como o nome dele não constava das listas, São Pedro mandou-o para o inferno.
Quando chegou ao inferno Satanás foi recebê-lo e disse-lhe:

- Olá Fidel! Já estava à tua espera. Entra que aqui serás tratado como em tua casa!

Fidel responde-lhe:
- Muito obrigado Satanás, mas há um pequeno problema. Ao passar no céu esqueci-me lá das minhas malas...
- Não te preocupes. Eu mando lá dois diabretes para as irem buscar!
Quando os dois diabretes chegam ao céu encontram as portas fechadas. São Pedro estava a almoçar...
- Não faz mal (diz um diabrete ao outro) saltamos os portões, levamos as malas e não incomodamos ninguém....
Assim fizeram. Mas mal começam a saltar os portões, são vistos por dois anjinhos que por ali passavam.
Então um dos anjinhos comenta com o outro:
 - O Fidel nem há 10 minutos está no inferno e já começaram a chegar refugiados...!!!
 

.

E se um dia nos
arrependemos... 











  .



HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Provedor de Justiça alerta para atendimento a portadores de deficiência

O provedor de justiça alertou a Comboios de Portugal (CP) para a necessidade de a empresa melhorar os serviços de bilheteira no que respeita ao atendimento prioritário a cidadãos portadores de deficiência, informou esta segunda-feira a provedoria.

O alerta surgiu após uma queixa recebida pelo provedor, Alfredo José de Sousa, que concluiu que o procedimento da CP é "insuficiente e desadequado" no que respeita às regras que devem pautar o bom relacionamento da empresa com utentes, deixando ao critério e à boa vontade do funcionário no local a concessão de facilidades de atendimento aos portadores de deficiência quando estes pretendem adquirir títulos de transporte nas estações.
A CP acolheu favoravelmente o alerta do provedor de justiça e reviu a posição que inicialmente havia assumido sobre o assunto, tendo comunicado que vai aprovar regras internas e colocar sinais necessários e adequados ao atendimento prioritário de cidadãos com deficiência.
Por esse motivo, o provedor arquivou o processo, por acreditar que as medidas adoptadas pela CP possam evitar situações de conflito em matéria de atendimento de portadores de deficiência.
No dia 16, o provedor fez uma recomendação semelhante ao Metropolitano de Lisboa (ML) e aos Correios e Telecomunicações de Portugal (CTT), embora se reportasse a situações diferentes.
No que respeita ao Metropolitano de Lisboa, um relatório referia que a empresa não dispunha de um plano específico de evacuação de passageiros em cadeiras de rodas nem previa a retirada de passageiros a partir do interior das carruagens ou galerias. O relatório baseava-se nos resultados de uma inspecção feita em Outubro e Novembro de 2011 às 46 estações do Metropolitano.

* A título de exemplo o metropolitano de Lisboa tem sempre elevadores inactivos por longos períodos de tempo, nas estações de Baixa-Chiado e Alameda  é frequente a situação apontada.

..
.

DSEXO OPOSTO

 LOREN CAMERON




Loren Rex Cameron  é um fotógrafo americano, autor e activista transexual. Os seus trabalhos incluem auto-retratos e retratos de corpos de lésbicas e de transsexuais. Documentou a sua própria transformação



.
 .
HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Governo 
Receita do IVA da restauração aumentou 106 milhões de euros até Agosto 

 O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais afirmou hoje que o IVA da restauração subiu 106 por cento até agosto e defendeu um maior combate à evasão fiscal, mas a oposição acusou o Governo de "farsa". 

No debate da especialidade do Orçamento do Estado para 2013, na Assembleia da República, Governo e maioria PSD/CDS não deram quaisquer sinais de abertura em relação às propostas das bancadas da oposição para que o IVA da restauração seja reposto nos 13 por cento, em vez dos 23 por cento. 

Neste ponto, o secretário de Estado Paulo Núncio centrou o seu discurso na necessidade de intensificar o combate à fraude e evasão fiscais para que haja "equidade" e existência de condições de "concorrência saudável" no setor. O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais contrariou também a tese comum à oposição, segundo a qual o aumento do IVA de 13 para 23 por cento, no âmbito do Orçamento deste ano, gerou menor receita fiscal para o Estado, aumentando em contrapartida as falências e o desemprego. "O IVA da restauração entregue ao Estado até agosto passado ultrapassa em 106 por cento o IVA entregue por este mesmo setor em período homólogo de 2011. 

No regime mensal, o IVA entregue ao Estado aumentou 122 por cento relativamente a período homólogo do ano passado", disse. Numa linha de discurso distinta, o deputado do PSD Virgílio Macedo falou na criação de um grupo de trabalho para a prazo equacionar-se "um regime fiscal mais justo e equitativo" no setor da restauração. 

 "O Governo e a maioria estão atentos aos argumentos apresentados pelas associações do setor, mas é preciso que estas associações também compreendam a situação de emergência social do país", declarou o deputado social-democrata. As bancadas da oposição reagiram com palavras duras a esta ideia da maioria PSD/CDS de criar um grupo de trabalho para a reforma fiscal do setor do turismo e restauração.

* Uma ilusão porque o número de restaurantes a fechar vai no futuro demonstrar mais uma previsão de receita falhada do ministério das finanças.

.
..

  4. Os Terramotos Secretos da Europa



.
HOJE NO 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

Prostitutas trocam rua 
por "drive-in" de sexo

 As prostitutas de Zurique vão trabalhar a partir de agosto de 2013 numa espécie de "drive-in" de sexo, um conceito que pretende eliminar a prostituição de rua no centro da cidade, bem como proteger e controlar estas profissionais A medida foi hoje divulgada pelas autoridades da cidade suíça, que informaram que a revisão da lei sobre a prostituição, ratificada pelos habitantes de Zurique num referendo em março passado, vai entrar em vigor oficialmente no início de 2013.
No entanto, o novo espaço, que será localizado na zona industrial, na periferia da cidade, só estará em funcionamento em agosto de 2013. 

As autoridades municipais vão construir uma avenida onde as prostitutas e os clientes, e respetivos carros, podem circular livremente. No espaço, que estará aberto entre as 19.00 e as 03:00, vão ser colocadas uma espécie de garagens onde as profissionais poderão exercer as atividades sexuais.
Estas cabines vão estar equipadas com casas de banho e duches, bem como com um sistema de alarme que será acionado se a prostituta se sentir ameaçada.
As mulheres, que têm de ser maiores de 18 anos e deter uma autorização especial das entidades municipais, vão contar com a assistência permanente de um médico ginecologista e apoio psicológico. O espaço será vigiado pela polícia municipal.

Em março deste ano, os habitantes de Zurique apoiaram, em referendo, a criação destes locais com 46.545 votos a favor, o que representou uma maioria de 52,6%. A taxa de participação no referendo rondou os 41,8%.
Um dos objetivos da iniciativa, que é encarada de forma positiva pelas profissionais do sexo, nomeadamente ao nível da segurança, é eliminar a prostituição da avenida de Sihlquai, uma zona central da cidade perto do rio Sihl.
Durante o dia, carros, ciclistas e peões circulam pela avenida, mas durante a noite a zona, com prédios residenciais e vários escritórios, transforma-se num local de prostituição, onde várias mulheres oferecem os seus serviços aos automobilistas que passam, provocando por vezes longos engarrafamentos.

A prostituição é legal na Suíça e em várias cidades do país são estabelecidos perímetros onde as prostitutas, previamente registadas, podem exercer a profissão.
As autoridades locais vão investir cerca de 2,4 milhões de francos suíços (dois milhões de euros) para a construção da estrutura do "drive-in" e outros 270.000 francos anuais para a manutenção.

* Já andam no gueto da vida, acrescem-lhes mais um gueto.

.

FILOMENA MARTINS


 .


 Imagens exageradas

Do que é que estamos a falar quando discutimos a cedência de imagens da RTP à PSP? Se estivermos a falar apenas de imagens editadas/transmitidas, como a polícia ontem afirmou, então este protocaso não passa de um enorme absurdo. Se estivermos a falar de imagens em bruto/não transmitidas, conforme sugere o parecer pedido pelo ministro à PGR, então já se colocam uma série de dúvidas. Seja como for, não entendo tamanha polémica. E não concordo com a maioria das opiniões corporativas aplicando as regras gerais de deontologia e direitos dos jornalistas a este caso específico.
Há uma questão fundamental, e essa é a estrutural. A polícia tem de ter sempre um mandado judicial para ter acesso a imagens não editadas (as transmitidas são outro assunto, estão no domínio público). Só assim fica garantido, pelo menos com o aval de um juiz, que em caso algum - mais ou menos grave, mais ou menos polémico, mais ou menos judicial/político - haverá abusos.
Há outra questão secundária mas igualmente importante. As imagens, quaisquer umas, captadas pelos repórteres, são-no ao serviço de uma empresa. E é à administração dessa empresa que cabe dar a autorização para a sua cedência.
O terceiro ponto é o mais controverso: as imagens captadas são ou não comparáveis a um bloco de notas de um jornalista? Podem até sê-lo em alguns casos. Neste, não vejo como: estavam no arquivo geral (e não nos computadores/arquivos pessoais), não foram transmitidas por não serem consideradas relevantes (quero acreditar que assim foi) e não colocam os jornalistas em causa (os protestos passaram em direto, tudo foi filmado, a reportagem mostrou as agressões dos dois lados).
A missão dos media não é colaborar com a justiça, é informar. E a proteção das fontes é um direito absoluto dos jornalistas. Mas esta é a regra geral. Fazer dela uma doutrina absoluta é um erro. Cada caso é um caso, e deve ser decidido como tal. A polémica em torno deste, em concreto, é um manifesto exagero.
Que houve um erro de alguém da direção/equipa de informação da RTP é um dado adquirido: cederam e permitiram visionar imagens a entidades externas sem mandado e sem aval prévio da administração, a fazer fé em tudo o que já se sabe. Que as polícias estavam obrigadas a levar esse mandado, até para proteção em futuros processos, também é incontornável: se a PGR não considerar assim entraremos no reino do salve-se quem puder. Que Nuno Santos, como diretor, decidiu assumir a responsabilidade dum erro que lhe terá passado ao lado, como o próprio afirma e nada me leva a duvidar, é outro ponto factual: o que se pode questionar é se era caso para tanto ou se era esta a solução. Que esta demissão e os motivos que a provocaram podem ter caído como sopa no mel a muita gente, também podem crer que é verdade. Mas a isso chama-se aproveitar a maré. E são só estes pontos que verdadeiramente interessam. O resto é espuma. Ou talvez política.

O outro caso da RTP

Ainda sobre a RTP, mas agora sobre algo realmente importante: o seu futuro. Disse Alberto da Ponte, presidente do Conselho de Administração, dia 19/11 à tarde: "Não vejo hipótese nenhuma de haver um serviço público completo sem haver os dois canais. E acho que o Governo vai escutar-me." Respondeu Miguel Relvas, o ministro com a tutela do serviço público, duas horas depois: "A RTP não deve ser notícia, deve dar notícias"; Edição de ontem do semanário Sol: "Não me chocam que os dois canais sejam privatizados", diz Alberto da Ponte; "Privatização vai a Conselho de Ministros até ao fim do ano", afirma Miguel Relvas. Tudo está bem quando acaba bem. E não há como uma boa polémica para sintonizar a RTP.

A reforma para reformar

Temo que o bastonário da Ordem dos Advogados tenha razão. Disse Marinho e Pinto sobre a reforma da Justiça, apresentada esta semana, qualquer coisa como (cito de cor): "Não se preocupem que é só mais uma mudança; quando este governo cair, virá o próximo e mudará tudo outra vez." Infelizmente tem sido assim. Infelizmente vai ser assim. Paula Teixeira da Cruz criou um modelo para um sistema que promete ser mais rápido, mais eficiente, mais eficaz, mais pragmático, mais moderno. Mas na Justiça, como na Saúde ou na Educação - e até noutros campos fundamentais - nunca se conseguem pactos de regime que seriam fundamentais. E assim iremos de reforma em reforma, ao sabor de ideias dos governos e até dos interesses de alguns processos.

Os piores exemplos

Duas notícias do fim de semana passado. Em Coimbra, os utentes do Metro do Mondego voltaram aos protestos. Não podiam ter mais razão. No Governo de Sócrates, quando as obras públicas ainda brotavam como os cogumelos, aprovou-se a construção de um novo e moderno ramal. E, em força, desmantelou-se o antigo. Acabou-se o dinheiro e nem novo nem velho. As populações ficaram sem nada. Já em Beja, o aeroporto inaugurado também em tempo de vacas gordas prometia um novo futuro à região. Após um investimento de 33 milhões para expectativas de mais de um milhão de passageiros até 2015, vai numa fantástica média de 5 por dia: teve 792 em 2011 e 1223 este ano, nenhum entre julho e setembro e 18 em outubro. Agora - não, não é ironia -, talvez venha a servir para desmantelar velhos aviões. Eis porque chegámos aqui.
.

 DIRECTORA ADJUNTA

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS"
24/11/12

.
 .
HOJE NO
"RECORD"

Sebastian Vettel:
 «Tentaram fazer tudo contra nós» 

O novo campeão do Mundo de Fórmula 1, Sebastian Vettel, fez o balanço de uma temporada "difícil", apontando o papel dos seus rivais que poderá não ter sido o mais correto, segundo o piloto.

"Tentaram fazer tudo contra nós este ano. Mas desde criança que me ensinaram a ser honesto e foi assim que ganhámos este campeonato, com honestidade", declarou o agora tricampeão Vettel, que considera que teve sorte com as condições da corrida [chuvosa] do GP Brasil.

"Corri a prova com um peso muito grande no coração, mas no final tudo correu bem. A chuva ajudou-me a recuperar posições".

O alemão, de 25 anos, agradeceu ainda à sua equipa [Red Bull Renault] e descarta sair da escuderia austríaca.

"Não penso no próximo desafio. Quero aproveitar ao máximo o presente nesta equipa fantástica. Aqui sinto-me mais um na equipa, nem mais nem menos importante. Não conduzo porque preciso de dinheiro, conduzo porque amo o que faço. Estou muito feliz onde estou e é incrível que tenhamos conseguido vencer", terminou.

* Impressionante curriculum. 

.
.


b-Génios da Ciência


  4- GALILEU GALILEI







.
.
HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

PSD e CDS-PP chumbam redução do IVA na restauração para 13%

Os deputados da maioria parlamentar PSD/CDS-PP que suporta o Governo voltaram esta segunda-feira a chumbar a pretensão da oposição de voltar a submeter a restauração à taxa intermédia do IVA de 13%, contra os atuais 23%. 

Os vários partidos da oposição apresentaram propostas para que a restauração passasse novamente a ser submetida, como era em 2011, à taxa do IVA de 13%, mas a maioria parlamentar PSD e CDS-PP chumbaram todas as propostas.
 No seguimento destas propostas, o deputado do CDS-PP e coordenador do partido na comissão de orçamento, finanças e administração pública, João Almeida, afirmou entretanto que irá apresentar uma declaração de voto a título individual sobre a questão do IVA na restauração.
A oposição mais à esquerda tentou ainda recolocar na taxa mais baixa também a eletricidade e o gás natural, que passaram a ser tributados a 23% em sede de IVA em outubro do ano passado, quando antes disso estava em 6%.

Apesar deste chumbo e segundo uma proposta de alteração ao Orçamento apresentada pelo PSD e pelo CDS/PP, o Governo deverá criar um grupo de trabalho interministerial para reavaliar o regime fiscal dos restaurantes.

* Deviam ser proíbidos de entrar até numa casa de  pasto, o voto contra aniquila um sector que já perdeu 100 mil trabalhadores.

.
.

VINICIUS de MORAES, TOM JOBIM, TOQUINHO e MIUCHA




.
HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Warren Buffet:
 Ricos deviam pagar 30% de impostos 
e ultra ricos 35% 

Buffet, dono da Berkshire e o terceiro homem mais rico do mundo, afirmou que os rendimentos entre 1 e 10 milhões de dólares deviam ser pagar 30% de impostos. Valores superiores deviam ser taxados a 35%. 

 O multimilionário norte-americano Warren Buffet sugeriu hoje o pagamento de uma taxa mínima para pessoas que detenham rendimentos acima de 1 milhão de dólares (770,55 mil euros).

No editorial desta segunda-feira do "New York Times" o proprietário da Berkshire Hathaway, Warren Buffet, sugeriu que o Congresso norte-americano deveria instituir uma taxa mínima, para rendimentos elevados. O terceiro homem mais rico do mundo, segundo a lista da Forbes apontou para uma taxa de 30% para rendimentos entre 1 e 10 milhões de dólares e 35% para valores mais altos.

“Uma regra simples como esta bloquearia os esforços dos grupos de interesse, advogados e legisladores famintos para manterem os ultra ricos a pagarem taxas bem abaixo das pagas por pessoas com rendimentos [que correspondem] a uma pequena fracção do nosso”, afirmou Buffet no texto de opinião e acrescentou que “apenas uma taxa mínima sobre os rendimentos muito elevados impedirá que os impostos declarados de serem esviscerados por estes guerreiros pelos ricos”.

Na opinião do multimilionário, o governo norte-americano deve obter 18,5 do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA em receitas, níveis que como explica já foram obtidos no passado. A mediada não parará o défice orçamental dos Estados Unidos, mas manterá dívida estável em relação ao produto, explica o executivo no “New York Times”.

Em 2011, Buffet causou polémica, quando sugeriu que os ricos deviam pagar mais impostos e se usou a si mesmo e à sua secretária como exemplo da disparidade entre rendimentos e impostos.

* Um dia destes um amigo dá-lhe um tiro para acabar de vez com o discurso proletário.

.
.
 OOOPS...





















.
 .
HOJE NO
"DESTAK"

18 deputados do PSD desistem de
. declaração de voto sobre matéria fiscal 

Os 18 deputados do PSD que tinham assinado uma declaração de voto sobre a matéria fiscal do Orçamento do Estado para 2013 desistiram dessa iniciativa, em favor de um documento conjunto de toda a bancada social-democrata. 

Esta decisão foi anunciada hoje aos jornalistas pelo deputado e vice-presidente da bancada social-democrata Miguel Frasquilho, que era o primeiro subscritor dessa declaração de voto e que hoje tinha anunciado essa iniciativa em plenário. 

  Segundo Miguel Frasquilho, os 18 deputados do PSD que tinham assinado essa declaração de voto decidiram não a entregar por se reverem numa outra declaração de voto que foi entretanto elaborada e que compromete todo o grupo parlamentar social-democrata. 

* A isto chama-se o cagaço do chefe ou quem tem cú tem medo, é que não há muitos empregos tão bons  como o de deputado e o povo também já não pensa que eles estão lá por patriotismo.

.
.
 ASSÉDIO
NO TRABALHO




 UM EXCELENTE TRABALHO DA SIC NOTICIAS EM 2011


.
.
HOJE NO
"i"

Antigas Scut portajadas em Dezembro registaram quebras de movimento 
de até 42,2% no Verão

 As antigas Scut (vias sem custos para o utilizador) do Interior e Algarve registaram quebras na utilização, este verão, que chegaram aos 42,2 % comparativamente com o tráfego verificado antes da introdução de portagens.

Os dados constam de um relatório do Instituto Nacional de Infraestruturas Rodoviárias (INIR) relativo ao movimento no período entre julho e setembro de 2012, refletindo os primeiros efeitos da introdução de portagens nestas vias no período de verão.

Segundo o documento, consultado hoje pela agência Lusa, a Via do Infante (A22) movimentou diariamente, no terceiro trimestre de 2012, em termos médios, 13.451 viaturas, correspondente a uma quebra, face ao ano anterior, de 42,2 %.
Aquela antiga Scut do Algarve, portajada desde 08 de dezembro, contabilizou menos 9.809 viaturas por dia nos três meses de verão, quando, em 2011, registava um Tráfego Médio Diário (TMD) de 23.260 viaturas.

A A23, da concessão da Beira Interior, registou igualmente quebras acentuados no tráfego neste período e que, na média dos três meses, chegou aos 32,4 %.
Após a introdução de portagens, aquela via passou de um TMD, entre julho e setembro de 2011, de 11.532 para 7.803 viaturas (menos 3.729) em 2012.
No caso da A24, da concessão Interior Norte, foi registada, naquele período, uma quebra no movimento diário médio de 29,9 %.

Em termos médios, por dia, utilizaram aquela via apenas 5.688 viaturas, ou seja menos 2.420 por dia face ao verão de 2011.
Na A25 (Beira Litoral/Beira Alta), o terceiro trimestre de 2012 contabilizou um TMD de 11.462, face às 15.073 do mesmo período de 2011, o que representou uma redução de 24 % no movimento diário médio, com menos 3.611 viaturas todos os dias.

* As ex-SCUT podiam ser portajadas com outros preços, os actuais são um assalto, prejudicam o desenvolvimento regional.

.
.
AINDA HÁ 
QUEM PENSE


















.

.
HOJE NO
"A BOLA"

Ronaldo nomeado para os prémios Laureus de 2012

Cristiano Ronaldo faz parte da lista de 16 nomeados para os prémios Laureus de 2012, considerados os «Oscars» do Desporto, inserido na categoria de melhor desportista do ano.

TORCEMOS POR ELE
Além do futebolista português, que já tinha sido nomeado em 2009, estão na corrida ao prémio Usain Bolt (atletismo), Michael Phelps (natação), Mo Farah (atletismo), LeBron James (basquetbol), Bradley Wiggins (ciclismo), David Boudia (salto para a água), Lin Dan (badmínton), Robert Harting (lançamento do disco), Chris Hoy (ciclismo), Teddy Riner (judo), Rory McIlroy (golfe), Sebastian Vettel (Fórmula 1), Sebastian Loeb (Rali), Kumar Sangakkara (criquete) e… Lionel Messi.
MAS RESPEITAMO-LO

O vencedor será anunciado a 13 de março do próximo ano, no Rio de Janeiro, sendo que no próximo dia 13 de dezembro será revelada a lista dos 6 finalistas da categoria. 

* Oxalá ganhe 
.
. .
HIDROPLAINING




.
.

HOJE NO
"PÚBLICO"

Economistas prevêem recessão 
entre 2,2% e 2,6% em 2013 

 No Orçamento de Estado, o Governo prevê uma contracção do PIB de apenas 1%, o que é criticado pelos economistas. 

A economia portuguesa deverá registar no próximo ano uma contracção situada entre 2,2% e 2,6%, calculam os economistas que analisaram o Orçamento de Estado para 2013 no âmbito do projecto Budget Watch, do ISEG e da Deloitte.

"O cenário macroeconómico não é compatível com a o agravamento fiscal que se vai verificar e com aquilo que são as perspectivas de futuro das famílias e das empresas", afirmou Miguel St. Aubin, professor do ISEG, na apresentação da análise ao OE feita durante esta segunda-feira.

No OE, o Governo prevê uma contracção do PIB de "apenas" 1% durante o próximo ano. Em particular, são alvo de críticas por parte dos economistas do Budget Watch as previsões do Governo de contracção de 2,2% e 4,2% para o consumo privado e para o investimento, respectivamente. "Existe uma forte probabilidade de a variação negativa do PIB ser entre 2,2% e 2,6%", diz Miguel St. Aubin.

No relatório de análise do OE feito por economistas inquiridos pelo ISEG e por empresários e gestores inquiridos pela Deloitte, a avaliação continuou este ano a ser negativa, verificando-se mesmo uma deterioração face ao ano passado. A falta de confiança em relação ao cenário macroeconómico é uma das principais razões para este resultado negativo.

Para fazer face a esta falta de credibilidade das previsões do OE, Paulo Trigo Pereira, do ISEG, apresentou como recomendação para os futuros governos que "o cenário macroeconómico passasse a ser discutido com economistas, com o Banco de Portugal, com o INE e com universidades". "Neste momento não sabemos sequer se é usado um modelo e qual é que ele é", criticou.

Outros alertas lançados esta segunda-feira em relação ao OE estão relacionados com a dinâmica de evolução da dívida pública e com a transparência das contas públicas. Manuela Arcanjo, ex-secretária de Estado do Orçamento e ex-ministra da Saúde, diz que "continuamos a ter uma desorçamentação crónica" no sector da Saúde e deixou outros avisos. "O OE é mau, não vai ter boa execução e tem bombas atómicas, como as empresas públicas municipais e regionais", disse.

* Nós vamos errar de novo mas por defeito, a contracção do PIB vai ser de 3%, estamos cá para ver.

.
.

.2.PARA VIVER














.