sexta-feira, 5 de outubro de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


.
ATLÂNTICO NORTE

  

  .
.
 
HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Pinto Monteiro garante que sai dia 9 
"Fiz o que podia" 

O Procurador-Geral da República (PGR) garantiu que não ficará no cargo para além de 09 de outubro, se até lá não for escolhido um sucessor, e defendeu um Ministério Público “longe da política” e “fora dos sindicatos”. “Fiz o que podia. Umas coisas resultaram bem, outras não”, frisou Pinto Monteiro. 

Pinto Monteiro falava aos jornalistas no final da sessão de lançamento da obra “Ministério Público: Que Futuro?”, livro que, nas suas palavras, junta opiniões diversas e até opostas sobre o que deve ser o Ministério Público (MP). Quanto ao facto de ainda não ser conhecido o nome do seu sucessor, Pinto Monteiro garantiu que “já comunicou que o seu mandato termina dia 09” de outubro e que não ficará mais tempo, mas observou que, caso haja algum atraso na escolha do novo PGR, a atual vice-PGR, Isabel São Marcos, assumirá interinamente as funções máximas do MP. 

Pinto Monteiro recusou-se a falar novamente de algumas das suas expressões mais polémicas, como a de que os poderes do PGR são equivalentes aos da Rainha de Inglaterra, mas voltou a apontar a necessidade de o país manter um MP “democrático, hierarquizado, com autonomia e longe da política”. “Fora dos partidos e dos sindicatos é que se consegue um MP realmente democrático”, enfatizou, dizendo, acerca do seu mandato e em jeito de balanço: “Fiz o que podia. Umas coisas resultaram bem, outras não”. 

Questionado sobre a corrente que defende que o PGR futuramente devia ser indicado ao Presidente da República pelo parlamento e não pelo Governo, Pinto Monteiro disse acreditar que o melhor modelo é o que atualmente vigora, observando que o parlamento evidenciou muitos problemas ao escolher o último Provedor de Justiça. 

 O livro “Ministério Público: Que Futuro?" foi apresentado pela antiga primeira dama Manuela Eanes e contou com uma intervenção do antigo bastonário da Ordem dos Advogados e membro do Conselho Superior do MP Júlio Castro Caldas, tendo ambos aproveitado para elogiar a carreira, a integridade e o perfil moral de Pinto Monteiro. 

Entre as figuras conhecidas do mundo judicial, político e académico presentes na sessão, esteve o antigo primeiro-ministro e atual responsável da Santa Casa da Misericórdia Pedro Santana Lopes, que se escusou a comentar as recentes medidas de austeridade do Governo PSD/CDS, que vieram aumentar a carga fiscal dos trabalhadores portugueses. 

O também antigo presidente da Câmara Municipal de Lisboa apontou, contudo, "situações lancinantes” de casais desempregados e de pessoas sem recursos financeiras e com necessidades urgentes de cuidados médicos e sociais que são crescentes e que isso tem sido sentido na instituição que dirige.

 * Ninguém dúvida da sua seriedade mas também ninguém dúvida que vários poderes políticos lhe criaram obstáculos que não soube ultrapassar.
Alguns elementos da Procuradoria adoram os holofotes da comunicação social quando deviam trabalhar com a maior discrição. E nas intervenções nunca "partiram a louça", excepto Maria José Morgado, falavam a olhar para o umbigo. 
Pinto Monteiro foi muito permissivo quanto a isso.

.

.
.

INTERIORES
















.
 .
HOJE NO 
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS/
/DINHEIRO VIVO"

Moody's alerta: resgate português 
pode prolongar-se além de 2013 

Portugal poderá precisar de prolongar o programa de resgate além dos três anos, avança o Financial Times citando a agência Moody's. 

De acordo com a agência, a evolução fraca da economia e a reação pública às medidas de austeridade recentemente anunciadas podem atrasar os planos de Lisboa para recuperar o acesso aos mercados. "O recente surgimento de agitação social" sugeriu aos mercados que a recuperação seria lenta, prevendo a Moody's que a talvez "seja exigida uma ampliação do apoio financeiro" além de setembro de 2013. 

Também a agência de rating Fitch alertou para o possível prolongamento do plano de resgate nacional: numa nota enviada ontem à noite, a agência alertava para o facto de Portugal ir receber nova ajuda financeira da União Europeia ainda antes do regresso aos mercados. 

O programa de resgate financeiro no valor de 78 mil milhões de euros deveria terminar em junho de 2014 mas Portugal deveria recuperar lentamente e regressar aos mercados em setembro do próximo ano. 
Esta semana Vítor Gaspar garantia que as datas seriam cumpridas e que a troika sairia do país até meados de 2014.

* As garantias dadas são falaciosas, Vitor Gaspar desconhece, a não ser que seja bruxo, o comportamento futuro das economias  de Itália, Espanha, Irlanda e Grécia, cujas, tem impacto directo na economia portuguesa. Ele não mente, não engana, nem ludribia mas não cumpriu o défice para este ano e não cumprirá o do próximo, mesmo com a vaga de assaltos fiscais que lidera.


 

9.2-A IGREJA CATÓLICA


CONSTRUTORA DA CIVILIZAÇÃO



A MORALIDADE OCIDENTAL




Série da EWTN apresentada por Thomas E. Woods, autor do livro Como a Igreja Católica Construiu a Civilização Ocidental.

 NR: Há muito que somos zurzidos por muitos amigos e alguns visitadores, pela nossa atitude agreste, alguns dizem agressiva, em relação à igreja católica, nos vários comentários que por vezes dirigimos à estrutura ou a alguns dos seus intérpretes.
Lá nos vamos defendendo destas "vis" acusações referindo que só zurzimos em quem se põe a geito...
Mas, como apreciamos a imparcialidade decidimos editar uma série longa em defesa acérrima da igreja católica, não para nos redimirmos ou ganharmos o céu mas por respeito aos nossos amigos e visitadores que professam esta religião.
A Redacção 

.
 .
HOJE NO 
"RECORD"

Alvalade devora treinadores 

Sá Pinto foi o 36.º treinador do Sporting desde que, em 1981/82, o inglês Malcolm Allison ganhou o título de campeão.

 No entanto, ao longo destas quase três décadas após a passagem do inglês por Alvalade, apenas nove outros técnicos conseguiram completar, pelo menos, uma época de princípio ao fim sem ser despedidos e, entre estes, apenas dois lograram estar dois campeonatos seguidos: Laszlo Bölöni e Paulo Bento. Manuel José (1985/86), Marinho Peres (1990/91), Bobby Robson (1992/93), Carlos Queiroz (1994/95), Mirko Jozic (1998/99), Fernando Santos (2003/04) e José Peseiro (2004/05) foram os outros treinadores que estiveram uma época completa, mas todos eles, à exceção de Jozic, também conheceram o amargo sabor do despedimento pouco depois de iniciar as temporadas seguintes.

Pode dizer-se, por isso, que o Sporting tem sido um triturador de treinadores nas últimas décadas, havendo casos quase caricatos de épocas com 3 e mesmo 4 responsáveis técnicos diferentes. 

Em 1997/98, Octávio Machado esteve 8 jornadas à frente da equipa, deu o lugar a Francisco Vital, este foi rendido por Vicente Cantatore (entrou à 13.ª jornada e fez apenas mais uma...), acabando por ser Carlos Manuel a terminar a temporada. 

Até mesmo Augusto Inácio, que quebrou o jejum de 18 anos após o título de Allison, começou por render o italiano Giuseppe Materazzi, à 6.ª jornada da época 1999/2000, acabando também ele por ser despedido depois da 13.ª ronda da seguinte. O melhor registo desde Allison é de Paulo Bento, que esteve três épocas completas e duas incompletas à frente do futebol do Sporting.

* O Sporting é um clube digno, maus sãos os dirigentes.

.

HELENA CRISTINA COELHO




 Papas e tolos 

Em tempos de prosperidade, a história não passaria de um ‘fait divers’ ou de uma engenhosa estratégia de marketing. A Nestlé, que enfrenta quebras de consumo em vários produtos, viu uma das suas principais marcas de papas contrariar a tendência e aumentar as vendas em 7% no mercado português.

 A explicação? Crise, diz a empresa, que leva os portugueses a optar por uma refeição que lhes custa pouco mais de 23 cêntimos. A crise que, já em 2003, quando o país estava de "tanga", justificou o mesmo fenómeno de consumo, como o responsável da multinacional contou ao ‘Público' esta semana. 

Só que os tempos são de austeridade e uma história como esta pode traduzir bem mais do que uma simples preferência de consumo: pode ser também (mais) um sinal da mudança forçada de hábitos a que os portugueses estão obrigados. Desde que a crise rebentou e os apuros orçamentais em que o país se descobriu levaram à intervenção da ‘troika', os sacrifícios dos portugueses têm crescido a um ritmo sufocante: redução de salários, perda de subsídios, corte de benefícios, sobrecarga fiscal. Uma a uma, as medidas foram apertando o torniquete. E ontem, com o anúncio de mais impostos, o Governo só torceu um pouco mais o já sufocado orçamento das famílias. Talvez por isso não se estranhe que, ao chegar ao final do mês, muitos portugueses levem pouco mais do que um prato de papa à mesa. Uma opção que, para muitos, deixou de ser uma preferência: tornou-se uma emergência.

As propostas que o ministro das Finanças ontem apresentou como uma alternativa, revista e suavizada, à anterior intenção de reduzir a Taxa Social Única - aquela em que os trabalhadores iriam pagar mais 7% do seu rendimento e as empresas, pelo contrário, beneficiariam de uma redução - podem agora ser vendidas como medidas mais benéficas. Uma espécie de papas e bolos para compensar a amargura recente dos portugueses. Só que este país já não é para tolos. E este Governo já não tem margem para iludir mais os portugueses. 

O próximo Orçamento do Estado, que parece insistir em atacar os bolsos das famílias com mais taxas e sobretaxas, não pode esperar por 2014 para revelar e executar o seu plano de combate às despesas do Estado. Não pode retirar um ou dois salários aos trabalhadores e agravar os escalões de IRS quando, ao mesmo tempo, chuta os próprios sacrifícios do Estado para daqui a um ou dois anos. O teste mais duro que o Governo tem de passar já não é da ‘troika': é do país. O mesmo país que olha desconfiado para um Executivo em que o primeiro-ministro anuncia medidas de austeridade como inevitáveis ao lado de um invisível e (aparentemente) acomodado Paulo Portas. Ou que suspeita do futuro de uma coligação em que Passos Coelho dá a cara por mais impostos, enquanto os parceiros centristas exigem coragem para cortar na despesa. Perdido nestas contradições, o Governo arrisca-se a arruinar este Orçamento. Resta saber se não serão os planos do Orçamento a arruinar o Executivo.

Tanto barulho para... nada?
A greve geral que a CGTP agendou para o próximo dia 14 de Novembro tem um alvo: as medidas de austeridade. É legítimo, há razões para o cansaço e para a revolta, há direitos de expressão a respeitar. Um movimento assim, contudo, devia ser consequente. Como o foi a manifestação de 14 de Outubro contra propostas concretas do Governo que resultaram num recuo do próprio Executivo. Parar o país quando empresas e cidadãos precisam de manter a economia em movimento pode ser um protesto legítimo. Mas, se não resultar em mais do que uma suspensão do país, serve exactamente para quê?

 Subdirectora

IN "DIÁRIO ECONÓMICO"
04/10/12

.
 .
HOJE NO 
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Mais de 3.500 novos 
desempregados por mês em Aveiro 

O distrito de Aveiro registou em média mais de 3.500 novos desempregados por mês, nos primeiros oito meses do ano, informou, esta sexta-feira, a União dos Sindicatos de Aveiro, afeta à CGTP.

"O número de trabalhadores que atualmente recorre à inscrição nos centros de emprego no distrito é angustiante", descreve a USA em comunicado, acrescentando que de janeiro a agosto inscreveram-se 28.207 novos desempregados, o que dá uma média mensal de 3.525 desempregados.
Segundo a USA, que cita dados do Instituto de Emprego de Formação Profissional (IEFP), em agosto havia 43.283 pessoas inscritas nos centros de emprego do distrito, mais 1.058 que no mês anterior.
Esta variação representa um aumento de cerca de 22%, comparativamente a igual período do ano passado.

A União dos Sindicatos de Aveiro (USA) destaca o facto de se registar um aumento do número de desempregados em agosto, apesar de este mês se inserir na época sazonal, em que, normalmente, aumenta o número de ocupações temporárias.

Ainda segundo aquela estrutura sindical, dos 43.283 desempregados registados em agosto no distrito de Aveiro, apenas 21.047 estavam a receber proteção social de desemprego (48,63%), sendo que os valores médios destes apoios são "extremamente baixos".

"Em julho de 2012, a média do subsídio de desemprego no distrito era de 497,65 euros, o subsídio social de desemprego inicial 346,21 euros e o subsídio social de desemprego subsequente 368,71 euros", lê-se na mesma nota.
A USA diz que a situação do desemprego no país e no distrito está a evoluir de forma "galopante", mas realça que as perspetivas são ainda "mais dramáticas", em resultado das novas medidas de austeridade anunciadas pelo Governo.

 De acordo com os dados avançados pela União dos Sindicatos de Aveiro, o número de desempregados registados em agosto no distrito de Aveiro representa 11,70% da população ativa do distrito.
Em termos de variação mensal, o desemprego registado aumentou praticamente em todos os concelhos do distrito, com exceção de Estarreja, Ílhavo, Murtosa, Ovar e Vagos.
As mulheres continuam a ser as mais afetadas, totalizando mais de metade dos desempregados no distrito (56,47%).

O desemprego de longa duração (pessoas que estão no desemprego há mais de um ano) atinge 17.776 pessoas, ou seja, quase 41,07% do desemprego do distrito.
Aveiro continua a ser o quinto distrito com mais desemprego registado.

* Os números da desgraça...

.
.

I.SEGREDOS DO OCULTO

1- OS CIENTISTAS




Neste documentário do Discovery Channel é admitido que os antigos "magos e bruxos" eram na verdade cientistas, e que mesmo os actuais podem ser ainda considerados "Magos". Pois o concepção de "magia" dos antigos ao ser usado para avaliar um cientista vai qualificá-lo como ocultista também.

O documentário deixa claro que a ciência nasceu nos laboratórios dos alquimistas e ocultistas, foi ali em meio a livros de invocação de anjos e demônios, de escritos que falavam de poções mágicas para o amor, ou para o ódio que a ciência nasceu. 

Este documentáro  é difundido por um canal que nos merece toda a credibilidade.
.

  HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Professores portugueses entre os docentes europeus com salários 
mais afectados pela crise

 Os professores portugueses estão entre os docentes europeus cujos salários foram mais afectados pela crise económica, segundo um relatório divulgado hoje, em Bruxelas, pela Comissão Europeia 

De acordo com o relatório sobre os salários e subsídios dos professores e directores de escolas na Europa, em 2011/2012, elaborado pela rede Eurydice, 16 dos 32 países analisados reduziram ou congelaram os salários dos professores, como consequência da situação económica.

Os professores da Eslovénia, Espanha, Grécia, Irlanda e Portugal foram os mais afectados pelas restrições orçamentais e as medidas de austeridade, segundo o documento, divulgado por ocasião do Dia Mundial dos Professores.

Em Portugal, os salários dos professores foram reduzidos e o pagamento dos subsídios de férias e de natal foi suspenso, tal como aconteceu com os funcionários públicos.

A Grécia reduziu o salário de base em 30% e deixou de pagar subsídios de Natal e Páscoa, a Irlanda cortou os salários dos novos professores em 13% em 2011 e os salários dos nomeados após 31 de Janeiro deste ano sofreram uma redução de 20% e, em Espanha, os salários dos professores e funcionários do sector público sofreram cortes de 5% em 2010 e deixaram de ser ajustados à inflação.

Segundo o relatório, o salário máximo dos professores com maior antiguidade é, regra geral, duas vezes superior ao salário mínimo dos recém-chegados e são necessários, em média, 15 a 25 anos para atingir o salário máximo.

Em Portugal situa-se acima desta média e, juntamente com Espanha, Itália, Hungria, Áustria e Roménia, pertence ao grupo de países onde "são necessários 34 anos ou mais para alcançar o salário máximo".

Na Bulgária, em Chipre, na Estónia, em França, na Hungria, na Itália, na Letónia, na Lituânia, no Reino Unido, na Croácia e no Liechtenstein os salários dos professores permaneceram ao mesmo nível ou sofreram cortes ligeiros.

Já na Eslováquia, na Islândia, na Polónia e na República Checa foi registado um aumento salarial desde meados de 2010, enquanto na Roménia os salários do pessoal docente estão a voltar ao nível anterior à crise.

"Os salários e as condições de trabalho dos professores devem ser uma prioridade para aliciar os melhores a optar pelo ensino e seguir a carreira docente", defendeu a comissária para a Educação, a Cultura, o Multilinguismo e a Juventude, Androulla Vassiliou, em comunicado.

O relatório da rede Eurydice analisa a situação salarial em 32 países (os Estados-membros da União Europeia, Croácia, Islândia, Noruega, Turquia e Liechtenstein) e incluiu os professores com horário completo e habilitação própria e os directores de estabelecimentos de ensino do pré-primário, primário e secundário.

A rede Eurydice é uma rede europeia que compila e difunde informação comparada sobre as políticas e os sistemas educativos europeus.

* Os professores portugueses, com todo o respeito são vítimas conjuntamente com todos os outros profissionais do "assalto à mão armada", segundo `Marques Mendes, perpretado por este governo.

.
.

7.ARTE 


           DE 



              EMBALAR










.
 .

 ANTÓNIO ZAMBUJO


AMOR DE MEL, AMOR DE FEL


.

HOJE NO
"DESTAK"
.
PS vai apresentar ainda este ano uma proposta para reduzir o número de deputados - António José Seguro 

O secretário-geral do PS, António José Seguro, revelou hoje durante um jantar de comemoração do 5 de Outubro que o PS vai entregar ainda este ano uma proposta para reduzir o número de deputados na Assembleida da República.

 "Até ao final do ano [o PS vai apresentar] uma proposta de alteração da lei eleitoral para a Assembleia da República" com o intuito de reduzir o número de deputados, atualmente cifrado em 230. Com essa alteração.
Seguro quer alcançar uma "maior proximidade entre eleitos e eleitores e uma menor dependência dos eleitos face às direções partidárias". 

 *Reduzir o número de deputados é ineficaz, importante é modificar drásticamente o sistema eleitoral que neste momento se transformou numa ditadura partidária. 
Os portugueses não  reconhecem o seu voto na maioria daquelas eminências pardas, das quais nem o nome sabem, e que não fazem mais do que assentar e levantar "a peida" com vossa licença, para aprovar ou rejeitar leis encomendadas a escritórios de advogados que têm elementos dos seus quadros como deputados. 

.
.


6.ARTE 


           DE 



              EMBALAR




.
.

  A ARTE VEGETAL
















.

 .
HOJE NO
"i"

Morreu a jornalista Margarida Marante 

A jornalista Margarida Marante, 53 anos, morreu hoje vítima de ataque cardíaco, em sua casa em Lisboa.

Iniciou a sua actividade no semanário "Tempo" e dois anos mais tarde entrou na RTP. Esteve 12 anos na estação de televisão pública, onde se destacou em programas de entrevistas, principalmente da área da política. Entrevistou personalidades como Mário Soares, Francisco Sá Carneiro, Álvaro Cunhal, Diogo Freitas do Amaral, Cavaco Silva e António Guterres.

 Paralelamente, fez uma licenciatura em Direito e uma pós-graduação em Direito Comunitário na Universidade Católica de Lisboa. Já nos Estados Unidos da América, fez uma especialização em jornalismo.

Também trabalhou na rádio TSF, no jornal Expressoe na revista Opção. Em 1992, foi convidada para a SIC e nessa estação apresentou programas de informação como "A Hora da Verdade", "Crossfire", com Miguel Sousa Tavares, "Conta Corrente", "Ajuste de Contas" e "Esta Semana".

Em 2003, Margarida Marante voltou a colaborar com a TSF, onde entrevistou personalidades importantes da sociedade portuguesa em "A Entrevista".
Margarida Marante foi casada com Henrique Granadeiro com quem teve três filhos e, mais tarde, com Emídio Rangel.

* Passou  os últimos anos em extrema infelicidade, que descanse em paz.

.
.


5.ARTE 


           DE 



              EMBALAR




 .
.

  3 - ERAM OS DEUSES ASTRONAUTAS ?




Este filme baseia-se no livro cujo título é o mesmo que ficou famoso nos anos 1970 ao descrever como hipótese a suposta vinda de seres extraterrestres, como sendo os deuses que visitavam o planeta Terra no passado.

Däniken passou a ser considerado um dos escritores mais reconhecidos mundialmente, publicando 28 livros, todos traduzidos para 32 línguas e vendido mais de 62 milhões de exemplares.

Uma produtora alemã lançou então em 1972 esse documentário baseado no livro.

Com locações em diversos países, este filme mostra os fundamentos deste marco da ufologia. O escritor Erich Von Däniken procura provar, por meio de descobertas arqueológicas e textos sagrados, que todos os deuses das antigas civilizações eram, na verdade extraterrestres.

NR. Nos anos setenta, quando alguns dos pensionistas andavam pelos 20 anos, este autor e outros editaram muitos livros de ficção que entusiasmavam os jovens adultos da época, já que  em Portugal a censura dava muito pouca possibilidade de boas leituras.
Havia pelas cidades do país alguns livreiros que tinham sempre uma prateleira secreta com livros proíbidos para uma clientela muito restrita.
 
.

 HOJE NO
"A BOLA"

Veja o anúncio de David Villa que o Barcelona... proibiu 

Um anúncio polémico que, dizem em Espanha, terá sido recusado pelo Barcelona para a sua exibição. O protagonista, curiosamente, é David Villa, internacional espanhol e uma das principais figuras dos catalães.

A promoção é a um jogo de vídeo Need for Speed Hot Pursuit, gravado em Los Angeles, no qual o futebolista aparece num carro descapotável a destruir um carro de polícia com uma... bola.

Ainda assim, apesar da polémica, o Barcelona, segundo uma fonte do clube citada em Espanha, não esteve relacionado com a não exibição do anúncio. «Travaram-no porque não estavam de acordo com o resultado, mas o Barcelona não interveio neste processo», disse essa mesma fonte.

Certo é que a última incursão do avançado espanhol David Villa no mundo da publicidade não correu da melhor forma e o anúncio acabou por nunca ser exibido.

* Uma imbecilidade  este anúncio, o desrespeito à autoridade legítima é sórdido


  .


.
.


4.ARTE 


           DE 



              EMBALAR



 .
.

ESPARGATA















.