segunda-feira, 1 de outubro de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


.

REABILITAÇÃO DE 
AMPUTADOS 

  

Num hospital norte-americano reabilitam-se doentes vítimas de grandes traumatismos, guerra e acidentes violentos, são na sua grande maioria amputados que tratados por incansáveis terapeutas podem regressar a uma vida quase normal. Aprenda e comova-se.

. .
 .

HOJE NO 
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Alberto João Jardim propõe "separação"
. se Portugal recusar mais autonomia 

A moção "Realizar a Esperança" de Alberto João Jardim ao XIV Congresso Regional do PSD-M defende a "separação" da Madeira de Portugal se não for ampliada a autonomia da Região.

"Esclarecemos que ante a recusa de uma maior autonomia no seio da Pátria Portuguesa, que desejamos fortemente, optamos pela separação", realça o documento tornado público na internet, citado pela Lusa.

O XIV Congresso Regional do PSD-M que se realiza a 24 e 25 de Novembro será antecedido por eleições internas a 2 de Novembro que terão como candidatos Alberto João Jardim, líder do partido desde 1976, e Miguel Albuquerque, presidente da Câmara Municipal do Funchal.

A moção lembra que o PSD-M só é "derrotado através da divisão interna" e acusa, sem mencionar o nome, Miguel Albuquerque como o "testa-de-ferro dos inimigos do partido.

"Cabe perguntar à consciência dos filiados no PSD, vamo-nos suicidar politicamente só para seguir as leviandades e oportunismos? Vamos entregar o PSD-M a um testa-de-ferro dos nossos inimigos políticos? Depois de conseguirmos estar a enfrentar a presente situação e a resolver o problema financeiro, vamos entregar o povo madeirense e o PSD a oportunistas que só pensam nos seus interesses pessoais?, pergunta o autor da moção.

A moção espera que "quando derrotados, os que provocaram tudo isto ao partido que os propôs, ajudou e trabalhou para os eleger, se demitam dos cargos para que foram eleitos em nome do PSD" porque, em 2013, o "PSD-M tem de enfrentar as dificuldades da conjuntura, trabalhar tranquilamente para preparar e ganhar as eleições autárquicas e preparar o Congresso Regional de finais de 2014, princípios de 2015".

"Também tem de ficar muito claro que se os derrotados agora continuarem depois a tentar rebentar o PSD por dentro, devem ser afastados nos termos estatutários", acrescenta.

Acusa os partidários de Miguel Albuquerque de "deslealdade" e de "facas nas costas" apesar de reconhecer que "têm todos o direito de discordar e de se candidatar", mas não promovendo "espectáculo na praça pública para destruir o PSD", de "mãos dadas" com os "inimigos de sempre".

"Devem fazê-lo, sim, nos órgãos internos do partido e no tempo próprio", pode ler-se.

"O PSD que o propusera (Miguel Albuquerque), o ajudara e trabalhara para a sua eleição, mas que agora quer suicidar", acusa a moção.

No documento de 76 páginas, é defendida uma Revisão Constitucional que alargue os poderes e as competências das assembleias legislativas regionais e a extinção do cargo de Representante da República.

No que diz respeito à Madeira, a moção estabelece como prioridades - consolidar as finanças regionais para a defesa da autonomia política evolutiva; não transigir na luta por mais autonomia; continuar o investimento possível no quadro das atuais condições financeiras; reforçar o apoio às pequenas empresas privadas; a preparação das eleições autárquicas e a blindagem do PSD face à ofensiva da direita tradicional para destruir o partido por dentro.

Desafia ainda o "Estado português para, em caso de dúvidas, ter a coragem de assumir uma decisão democrática e permitir um referendo na Madeira que, de uma vez por todas, demonstre a vontade do povo madeirense, reforce a coesão nacional e finalmente encerre o "contencioso das autonomias".

No que diz respeito às políticas sectoriais, o documento assume as propostas contidas na moção "Rumo ao Futuro" do XIII Congresso Regional por "não haver qualquer razão para as modificar". 

* Se Alberto João Jardim separar a Madeira de Portugal vai chular quem???

.
.

  MODELOS TRANSEXUAIS

Isis King




Nascido em 1985 como  Darrell Walls, a modelo americana Isis King tornou-se famosa por ter sido a primeira concorrente transexual a aparecer no reality show de modelos da America's Next Top Model. Ela competiu em duas temporadas do show.




,
 .

HOJE NO 
"DESTAK"

Vendas de carros caem 42% 
até setembro e ACAP exige 
reintrodução de incentivos ao abate 

As vendas de automóveis caíram 42 por cento nos primeiros nove meses do ano, face ao homólogo, de acordo com a Associação Automóvel de Portugal, que exige a reintrodução de incentivos ao abate de veículos em fim de vida. 

No comunicado sobre o mercado em setembro, a Associação Automóvel de Portugal (ACAP) realça que "esta contínua queda do mercado é dramática para as empresas do comércio automóvel", exigindo que "o Governo reintroduza o plano de incentivos ao abate de veículos em fim de vida". "Em Espanha, com uma queda de mercado inferior à nossa, este plano foi reintroduzido a partir de hoje, dia 01 de outubro", acrescentou a ACAP. 

* Os portugueses precisam de pão, paz, saúde e habitação. Os automóveis têm de vir necessáriamente depois.

.


O Degelo do Glaciar/1



 

.Iniciamos esta série no DIA NACIONAL DA ÁGUA, reflita na maneira da poupar.

É UM BEM PRECIOSO


.

HOJE NO 
"i"

Governo quer criar tarifa social
 no preço da água 

A ministra do Ambiente, Assunção Cristas, revelou hoje que o Governo pretende criar uma tarifa social no preço da água a nível nacional, que será fixada pela entidade reguladora do setor depois de 2013.

Durante uma cerimónia para assinalar o Dia Nacional da Água, que se comemora hoje, a ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território salientou a necessidade de introduzir benefícios sociais na água, no seguimento de uma medida da Empresa Pública de Águas Livres (EPAL) para atribuir um desconto a famílias carenciadas de Lisboa.

"É intenção do Governo, na proposta da lei orgânica da entidade reguladora que irá mandar para o Parlamento, prever que se passe a considerar um tarifário social dentro de todas as tarifas que venham a ser fixadas ou recomendadas pela entidade", disse Assunção Cristas aos jornalistas à margem do evento.
A ministra considerou ser importante em altura de crise "acomodar as situações de maior dificuldade", tendo uma "sensibilidade social nas tarifas", uma vez que a água "é um bem imprescindível" e que "as pessoas não podem deixar de ter água de qualidade nas suas casas".

Assunção Cristas admitiu que a introdução desta tarifa social "ainda não será possível para o próximo ano", uma vez que o desenho da medida "precisa de ser avaliado, sinalizado e desenvolvido pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos [ERSAR]", tendo a EPAL como precursora do tarifário.

O presidente da EPAL, Luís Sardinha, disse à Agência Lusa à margem da cerimónia que a empresa está a "estudar uma tarifa social genérica" a propor à tutela em breve, que funcionará com base num desconto "significativo" a ser aplicado na fatura final da água consoante as necessidades do agregado familiar.

 Questionada sobre se o preço da água vai aumentar em 2013, Assunção Cristas respondeu que se "vai ver", esperando ser o último ano em que cabe ao ministro do Ambiente fixar as tarifas.

"Depois a partir do próximo ano, com o reforço dos poderes da ERSAR, já será a ERSAR a fazer essa fixação e cumpre-nos a nós - Governo - dar as linhas gerais que devem depois orientar a fixação dessas tarifas", explicou.

* "Benefícios sociais na água" é uma aldrabice da sra ministra. A tarifa que têm intenção de acrescentar às muitas que existem na factura da água é mais uma receitazinha para o orçamento de estado e não para beneficiar pessoas carenciadas, é um imposto!!!

.

VERA LÚCIA RAPOSO




Decisões em fim de vida: 
    a resposta pedida 
         por médicos e pacientes 

No passado mês de agosto entrou em vigor o diploma que regula as diretivas antecipadas de vontade. A Lei n.º 25/2012, de 16/07, vem permitir que qualquer um de nós (desde que maior de idade e não interdito nem inabilitado por anomalia psíquica) manifeste de antemão a sua vontade quanto aos tratamentos que deseja, ou não, receber em situações de fim de vida, mediante um documento escrito (testamento vital), ou a nomeação de alguém da sua confiança para tomar essa decisão quando o momento chegar (Procurador de Cuidados de Saúde).

Com isto o legislador dá resposta aos anseios há muito sentidos pelos profissionais de saúde. Um dos grandes dilemas com os quais os médicos se debatiam prende-se com a decisão a tomar com doentes incapazes de manifestar a sua vontade, defrontando-se o profissional de saúde com a incerteza, e mesmo angústia, de ter que tomar uma decisão que não lhe compete a si e que representa um fardo demasiado pesado para carregar.Será que, estando consciente, quereria o doente ser submetido a reanimação cardiopulmonar, a medidas de ventilação mecânica, ou alimentação e hidratação artificiais?Será que aceitaria um tratamento experimental, ainda incerto e perigoso, mas que se revela a sua única solução cientificamente existente?

A situação torna-se ainda mais complexa quando os familiares pressionam neste ou naquele sentido, sobretudo sabendo o médico que se arrisca a ver-se envolvido num processo judicial por não ter atuado ou por ter atuado sem consentimento do paciente.

O contributo da lei consiste em fornecer aos médicos uma base segura de atuação, na medida em que a decisão fundada na diretiva se considera conforme à decisão do paciente eo isenta de responsabilidade por este motivo (porém, não afasta a responsabilidade por outras violações das legesartis). Recorde-se que o Código Penal comina, no seu artigo 156.º, uma pena que pode ir até 3 anos de prisão para profissionais de saúde que atuem sem o consentimento livre e esclarecido do paciente, só permitindo presumir o dito consentimento quando “não se verificarem circunstâncias que permitam concluir com segurança que o consentimento seria recusado”, uma salvaguarda demasiado vaga para conferir ao médico a necessária tranquilidade. 

Sobretudo tendo em conta que é o próprio Código Deontológico da Ordem dos Médicos que prescreve o respeito pela vontade do paciente (artigo 49.º) e, por outro lado, considera contrários à boa prática médica“meios fúteis de diagnóstico e terapêutica que podem, por si próprios, induzir mais sofrimento, sem que daí advenha qualquer benefício” (artigo 58.º/1).

Contudo,e de maior alcance ainda, é o reconhecimento legal de que cada cidadão dispõe do direito de decidir sobre matérias tão íntimas e decisivas para a sua existência como aquelas que se prendem com o bem-estar, o corpo e a saúde. 

Não se trata da legalização do suicídio assistido, muito menos da eutanásia, mas apenas da constatação de que a medicina tem limites que por vezes a tornam incapaz de salvar a vida do paciente, e mesmo de lhe atenuar as dores ou lhe conferir algum conforto, limitando-se a prolongar a sua existência física, mas quantas vezes totalmente dependente de máquinas. 

Quando assim suceda deve ser o próprio paciente a decidir se prefere continuar a submeter-se a medidas de escasso ou incerto resultado ou, pelo contrário, se prefere deixar o processo de morte natural seguir o seu curso. Nem os médicos, nem a família, nem um juiz, se podem substituir ao próprio nesta decisão, sob pena de negarmos a réstia de dignidade que assiste àqueles que mais sofrem.

* Vieira de Almeida e Associados/ Associada/Consultora

IN "DIÁRIO DE NOTÍCIAS DA MADEIRA"
26/09/12

 .
 
HOJE NO
"A BOLA"
 
João Sousa a um lugar do top 100, 
Koehler com melhor posição de sempre

O português João Sousa subiu um lugar na atualização do “ranking” ATP desta semana e ficou a apenas uma posição de se tornar no quarto tenista luso a inscrever o nome entre a elite mundial.

O tenista vimaranense, de 23 anos, ocupa agora o 101.º posto na hierarquia, o melhor registo no circuito profissional. Na tabela seguem-se Frederico Gil (-1), no 132.º lugar, Gastão Elias (+4), 172.º, Rui Machado (-13), 195.º, e Pedro Sousa (-3), 235.º.

No top-10, destaque para a troca de posições entre Juan Mocano e John Isner, com o argentino a atirar com o norte-americano para fora dos dez melhores cotados. Roger Federer continua na liderança, seguido por Novak Djokovic e Andy Murray.

No ranking feminino, Maria João Koehler ascendeu ao 130.º posto e também conseguiu a melhor posição de sempre na hierarquia mundial. Michelle de Brito continua a ser a portuguesa melhor posicionada, no 112.º lugar, numa tabela liderada pela bielorrussa Viktoria Azarenka.

* Para quando um atleta nos dez primeiros??? 

.
.

 5.LOCOMOTIVAS A VAPOR



 

 Encontrámos esta interessante série sobre máquinas de caminho de ferro a vapor, mas apenas com som e legendagem em língua castelhana, não é difícil entender.

 .
.

HOJE NO
"PÚBLICO"

Professores portugueses com mais stress do que população norte-americana 

 Os professores portugueses têm um nível de stress superior à população norte-americana, considerada uma das sociedades mais stressadas, conclui um estudo sobre o esgotamento físico e mental dos docentes portugueses. 

Alexandre Ramos, autor do estudo sobre burnout (esgotamento físico e mental) entre os docentes portugueses, explica que, com base nas suas conclusões, “a grande maioria dos professores encontra-se em níveis médios e baixos de burnout, mas nenhum se encontra no estado de ausência [de burnout], o que parece ser preocupante”.

“Se queremos preservar a qualidade de ensino nas escolas, é indispensável preocuparmo-nos seriamente e imediatamente com a saúde dos professores”, alerta o especialista, que considera o problema preocupante por causa da qualidade de ensino nas escolas.

O especialista realçou ainda que “os professores portugueses têm um nível de stress superior à população norte-americana”, considerada uma das sociedades mais stressante e onde o valor (de burnout) é de 13,02.

O psicólogo clínico e de aconselhamento explicou que o burnout tem três dimensões: a exaustão emocional, a despersonalização e a perda de realização pessoal no trabalho.

O nível de burnout detectado por Alexandre Ramos era baixo em 35,8 % dos professores, médio em 43,8% e alto em 20,4%.

“Nenhum dos professores inquiridos apresentava ausência de burnout, ou seja, condições nulas em exaustão emocional e despersonalização, nem pontuações elevadas na realização pessoal no trabalho”, referiu.

Os factores que o psicólogo clínico e de aconselhamento aponta como contributos para a situação de burnout são “a indisciplina dos alunos, as más relações com os colegas de trabalho e com a direcção, a carga objectiva de trabalho e a burocracia”.

O investigador recorda que “um nível muito elevado de burnout está altamente associado a problemas de saúde e absentismo no trabalho”.

Os sintomas de mau estar ocupacional mais relatados são a falta de tempo para a família e amigos, dores musculares, de coluna e de cabeça, perda de energia e cansaço, irritabilidade e perda de paciência com facilidade, esquecimentos e sentimento de falta de reconhecimento profissional.

Alexandre Ramos realizou dois trabalhos: um estudo na Escola Secundária de Camões (com 26 dos 140 professores) e outro abrangendo dez escolas a nível nacional. Quando comparou o nível de stress dos professores com dados obtidos em 2002, o investigador verificou, contudo, que se regista uma ligeira descida, passando de 19,17 para 17,45%.

O investigador também concluiu que os professores menos propensos a burnout são os de informática e avança uma possível explicação: “Talvez os níveis de indisciplina sejam menores nessas aulas, pois os alunos estão mais ocupados a trabalhar no computador”.

Por outro lado, as professoras tendem a apresentar níveis de “stress percebido” e alguns sintomas de mau estar ocupacional, físicos e emocionais significativamente superiores aos homens.

Já os professores do sexo masculino “tendem a revelar níveis mais altos de despersonalização ou cinismo, o que significa olhar para os alunos e vê-los como meros objectos”, acrescenta. 


* Alguém se admira com os resultados desta investigação? O docente está submerso em burocracia, em obrigações para cumprir estatística porque o objectivo do governo não é educar mas mostrar números.

.
.
 7-LIBERDADE




.
.


MUSICALBI

VÁ DE BINGA





,
..
HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

 "Vão-se os anéis, fiquem os dedos" 

As privatizações não estão a ser feitas ao desbarato e visam garantir a sobrevivência da rede de protecção social do Estado, disse hoje a secretária de Estado do Tesouro, Maria Luís Albuquerque 

A NOVA BANDEIRA
"Não é por acaso que o povo diz 'vão-se os anéis e fiquem os dedos'", afirmou Albuquerque na cerimónia do 40.º aniversário da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas. "E os dedos que estamos a trabalhar para salvar são os cuidados de saúde, a proteção social dos mais desfavorecidos, o acesso à educação de qualidade para todos." 
Está cheio de anéis nos dedos

 A secretária de Estado repudiou a crítica de que o governo está "a vender as jóias da coroa a preço de saldo, de que este não é o momento para vender, que num futuro, indefinido, poderíamos fazê-lo em condições adequadas". 

A secretária do Estado argumenta que as empresas privatizadas "continuam em Portugal, a dar trabalho a portugueses, a pagar impostos no país e a projetar a nossa capacidade técnica além-fronteiras", e que as privatizações fazem com que os investidores estrangeiros tenham interesses próprios no "sucesso" da economia portuguesa. "Porque parece assumir-se que o valor que representam ultrapassará incólume uma das crises mais profundas que o país já atravessou?", disse ainda a secretária de Estado. 


* A senhora secretária de Estado do Tesouro tem música mas não alegra, quem quer ela enganar? 
Quando o povo diz "vão-se os anéis e fiquem os dedos" refere-se a bens próprios não aos bens nacionais que os políticos desbarataram para "comprar" anéis para os seus dedos e amputar os do povo. 
Os políticos continuam com os anéis e o povo sem dedos, esta é a verdade que a dialética governativa pretende esconder. 
Os políticos foram eleitos para governar e não para assaltar eleitores indefesos.

.
.
6-LIBERDADE




.
-
     FEITOS UM 
         PARA O OUTRO
















.
.
HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Consumo de anti-depressivos
 em Portugal subiu 7,1% 

Os portugueses compraram mais 329 mil unidades de anti-depressivos nos primeiros oito meses deste ano que em igual período de 2011, o que representa uma subida de 7,1 por cento, revelam dados de uma consultora farmacêutica.

Entre Janeiro e agosto de 2012 já foram vendidas em Portugal quase cinco milhões de unidades de anti-depressivos (4.970.062), mais 329.292 unidades - ou 7,1 por cento - do que em igual período do ano passado (4.640.770), segundo dados revelados à agência Lusa por ocasião do Dia Europeu da Depressão, que hoje se assinala.
Segundo a consultora IMS Health, entre Janeiro e Agosto de 2010 foram vendidas um total de 4.573.778 unidades.
Um estudo da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental (SPPSM), divulgado na semana passada, revela, por sua vez, que um em cada quatro dos portugueses admite já ter sofrido de depressão. 
Na opinião dos portugueses, a melhor opção para tratamento da depressão é o acompanhamento psicológico/psicoterapia (35%) e os medicamentos anti-depressivos (34 por cento), estes últimos conhecidos por 91 por cento da população, mas ainda vistos de uma forma muito negativa.
Relativamente às causas da doença, 96% dos inquiridos no estudo acreditam que a crise fez aumentar os casos de depressão em Portugal. Contudo, os problemas familiares e financeiros continuam a ser apontados como sendo as principais causas.
A propósito do Dia Europeu, que este ano é dedicado ao tema "Depressão em meio laboral", a psiquiatra Lucinda Bastos, do SPPSM, lembra que na população laboral, como na população geral, a depressão é duas vezes mais frequente nas mulheres do que nos homens.
Em Portugal estão previstas várias iniciativas para assinalar a efeméride. Em Lisboa, Matosinhos, Faro, Évora e Coimbra, por exemplo, será lançada, em simultâneo, a nova campanha nacional sob o mote "Saia do escuro. A depressão tem tratamento". 

* A insanidade do governo é altamente contagiosa.
Há uns anos, o presidente da Sociedade Portugues da Adição referia que era mais fácil desmamar-se da cocaína do que das benzodiazepinas, portanto pense bem antes de optar pela droga.

.
.
 5-LIBERDADE




.
.
 DETECTIV"A" ACTIVA
GISELE BUNDCHEN 
"ENCOSTA"
JENNIFER ESPOSITO





.m
 .
HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

PSD e CDS-PP vão ter jornadas parlamentares conjuntas 

 PSD e CDS-PP decidiram hoje realizar as primeiras jornadas parlamentares conjuntas, nos dias 27 e 28 de outubro, em Lisboa, com a participação de membros do Governo, para debater a proposta de Orçamento do Estado para 2013. 

No que respeita às eleições autárquicas do próximo ano, PSD e CDS-PP decidiram assinar, até 15 de outubro, um protocolo para enquadrar os acordos de coligação que venham a ser celebrados localmente entre os dois partidos. 

Estas decisões foram tomadas na primeira reunião do Conselho de Coordenação da Coligação, órgão constituído com a missão de "melhorar, no plano partidário, os níveis de articulação entre as direções dos partidos, os grupos parlamentares e o Governo", e anunciadas através de um comunicado. 

* Depois da vil traição Portas esforça-se para melhorar imagem, inventou esta jornadas paralamentarmos.

.
 4-LIBERDADE




.
.
 AUTOMÓVEIS


D' OUTRA ERA

















,
.
HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS"

MP não encontrou ilícitos criminais 
após averiguações 

O Ministério Público (MP) anunciou hoje que relativamente aos casos da licenciatura e das alegadas pressões a uma jornalista cessaram as averiguações feitas, não tendo sido instaurado qualquer inquérito. 

"Relativamente aos chamados 'casos Miguel Relvas' não foi instaurado qualquer inquérito, tendo cessado as averiguações feitas por não terem sido encontrados ilícitos criminais", revelou a Procuradoria-Geral da República, em resposta a uma pergunta da agência Lusa sobre os factos envolvendo o ministro Miguel Relvas.
Miguel Relvas surgiu envolvido na polémica relativa às alegadas pressões sobre jornalistas do "Público", no âmbito do caso das secretas, e também no caso da sua licenciatura pela Universidade Lusófona.
A 12 de setembro último, o MP havia anunciado que estava a averiguar o caso relacionado com a licenciatura do ministro Miguel Relvas na Universidade Lusófona e que já tinham sido juntos ao processo "documentos necessários".

O caso da licenciatura do ministro Miguel Relvas começou a dar polémica por causa do número de equivalências que este obteve na Universidade Lusófona.
De acordo com o processo do aluno que a Lusófona disponibilizou para consulta, foram atribuídos 160 créditos ao aluno Miguel Relvas no ano letivo 2006/2007.
No despacho assinado por Fernando Santos Neves, diretor do curso - que em 2006 também era reitor desta universidade privada -, são descritos todos os cargos e funções públicas ou privadas desempenhadas por Miguel Relvas que serviram para justificar as unidades de crédito que lhe foram concedidas para a sua inscrição e matrícula no curso de Ciência Política e Relações Internacionais.
Em meados de julho passado, a reitoria da Lusófona do Porto comunicou a demissão de Fernando Santos Neves.

Também, na altura, o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmou concordar com uma eventual investigação às licenciaturas de 2006 feitas com base em créditos ou validações.

* O MP deve achar que os portugueses são estúpidos. Claro que não há nenhuma ilicitude na licenciatura de Miguel Relvas já que os deputados "cozinharam" uma lei que permitisse a estes cábulas militantes de percurso académico duvidoso, terem uma licenciatura com o mínimo de esforço, esta situação é tranversal à maioria dos partidos. Obtiveram a licenciatura do mesmo modo que se faz vinho a "martelo".

Quanto à jornalista ninguém duvida que houve pressões, só que os fundamentos focados pelo jornal foram expostos, não se sabe se propositadamente, de modo errado para se reduzir a acusação a um fracasso, está nos livros que isto se faz com muita frequência.

.