sexta-feira, 7 de setembro de 2012

UMA GRAÇA PARA O FIM DO DIA


.
 JUST IN TIME/2




.
.

AS MAMAS VALEM UMA VIDA





.
.
 JUST IN TIME/1





.M
.

VOTAR
DÁ CÁ UM GOZO!





.
.


 ESFUZIANTE/2






.



HOJE NO
"DIÁRIO ECONÓMICO"

Conheça as principais medidas anunciadas por Passos Coelho 

Saiba quais as principais medidas anunciadas hoje pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. 

Privado
  • Aumento da Taxa Social Única (TSU) paga pelos trabalhadores do sector privado de 11% para 18%. O que equivale a menos um salário anualmente.
  • Redução da contribuição das empresas para a Segurança Social de 23,75% para 18%. Uma folga financeira para as empresas que o Governo espera que contribua para a criação de emprego e estímulo à economia. 
Público
  • O Governo vai manter corte de um dos subsídios. E vai repor o outro distribuindo-o por 12 meses de salários, montante sob o qual é aplicado o aumento da TSU em 7 pontos percentuais (também para 18%). Na prática continuam a receber menos dois salários anuais. 

Pensionistas
  • Mantém-se o corte dos dois subsídios de Natal e Férias, para os reformados do sector público e privado, enquanto vigorar o Programa de Assistência Económica e Financeira.
IRS 
  • Será criado um crédito fiscal (devolução) em sede de IRS para proteger os trabalhadores com rendimentos mais baixos do agravamento da TSU para 18%.

*  A partir daqui vale tudo para este governo, até tirar olhos. 
- A redução da TSU para as empresas é uma armadilha, o valor que "poupam" não dá para mandar cantar um cego e portanto não ficarão habilitadas a aumentar os postos de trabalho e o desemprego vai aumentar.
- No sector público e nos pensionistas mantém-se o assalto a dois salários por ano devido a este artifício financeiro.
Vai aumentar a chamada economia paralela e devido a isso a diminuição de receitas, o dinheiro em espécie vai circular mais em detrimento do movimento com cartões e por muita fiscalização que haja o controlo  da fuga.é residual.
-Grave é que a criminalidade vai crescer na razão directa do empobrecimento do Estado e não se pode excluir a hipótese de  grandes sublevações com violência, a Grécia é um bom exemplo.

Este governo anda a "arrelvar" o país com a falácia do crédito fiscal, mas a erva é daninha.

.
.


 ESFUSIANTE/1




 .
.

2. EXPLICANDO OS CHAKRAS



 * O primeiro episódio desta série foi editado no dia 27/07/12 à mesma hora


.


HOJE NO
"CORREIO DA MANHÃ"

Guardas em peça de teatro 
exoneram comandante

O comandante-geral da GNR, tenente-general Newton Parreira, exonerou nesta manhã de sexta-feira o comandante do comando territorial de Braga, coronel Francisco Manuel Mota Gonçalves, por o mesmo ter autorizado a participação de militares fardados daquela força de segurança numa encenação teatral, intitulada ‘O Funeral de Portugal’, e realizada no âmbito da Guimarães, Capital Europeia da Cultura.

Mota Gonçalves foi chamado ao quartel do Carmo, em Lisboa, depois de nesta quinta-feira à tarde o comando-geral da GNR ter ordenado a abertura de inquérito de averiguações à entrada dos guardas na peça de teatro de rua, pela qual foram pagos de acordo com a tabela de serviços gratificados em vigor na GNR.

Para substituir o coronel Mota Gonçalves, que ocupava o cargo desde 2010, foi nomeado o até aqui 2.º comandante da GNR de Braga, o tenente-coronel Pedro Tinoco Ferreira.



* Nós achamos que os soldados da GNR devem ser castigados. Atão eles não sabem que Portugal não pode ser enterrado, como é que os políticos, as altas patentes militares, os banqueiros e demais apaniguados viviam??? 
Só quando chegarem ao osso, está quase, é que Portugal pode ir para a cova, mas com buracos no caixão para os vermes poderem vir vomitar cá fora!!!

.
.


8.1-A IGREJA CATÓLICA

CONSTRUTORA DA CIVILIZAÇÃO


 

A CARIDADE CATÓLICA





Série da EWTN apresentada por Thomas E. Woods, autor do livro Como a Igreja Católica Construiu a Civilização Ocidental. 

NR: Há muito que somos zurzidos por muitos amigos e alguns visitadores, pela nossa atitude agreste, alguns dizem agressiva, em relação à igreja católica, nos vários comentários que por vezes dirigimos à estrutura ou a alguns dos seus intérpretes.
Lá nos vamos defendendo destas "vis" acusações referindo que só zurzimos em quem se põe a geito...
Mas, como apreciamos a imparcialidade decidimos editar uma série longa em defesa acérrima da igreja católica, não para nos redimirmos ou ganharmos o céu mas por respeito aos nossos amigos e visitadores que professam esta religião.
A Redacção

 .


HOJE NO
"O PRIMEIRO DE JANEIRO"

Governo quer multiplicar contas 
no espaço de dois anos 

Doze mil com acesso a serviços bancários 
Alterações passam por regulamentar aspetos operacionais e criar um regime sancionatório para incumprimentos ou práticas abusivas. 

O Governo quer multiplicar por dez as atuais 1200 contas ao abrigo dos serviços mínimos bancários, no espaço de dois anos, tendo ontem aprovado em Conselho de Ministros um decreto-lei que regula este sistema. 'Hoje em dia, em Portugal, só existem 1200 pessoas que utilizam este serviço, num universo bastante mais alargado, já que há 10% da população portuguesa ativa que não tem conta bancária', explicou o secretário de Estado adjunto da Economia e do Desenvolvimento Regional, António Almeida Henriques, à margem de uma reunião com empresários portugueses para preparar uma nova missão empresarial à Venezuela. 

As alterações ontem aprovadas, que passam por regulamentar aspetos operacionais e criar um regime sancionatório para incumprimentos ou práticas abusivas, 'visam democratizar o acesso (a estes serviços) e levar a que mais bancos venham a aderir a este novo protocolo dos serviços mínimos bancários', explicou o governante, acrescentando que a meta é 'multiplicar por dez, nos próximos dois anos, os seus utilizadores', para um total de 12 mil pessoas. Os serviços mínimos bancários são direcionados para os consumidores vulneráveis, com riscos de exclusão financeira e social (idosos, cidadãos de baixos rendimentos e info-excluídos). 

O objetivo do Executivo é 'promover uma adesão efetiva das instituições bancárias a este sistema, ainda modesta, garantindo a sua relevância social e económica, reforçada no atual contexto de crise', refere uma nota do gabinete do secretário de Estado adjunto da Economia e Desenvolvimento Regional. 

O custo máximo de manutenção de uma conta bancária deste género terá de ser inferior a cinco euros por ano, dando direito ao consumidor de ter uma conta à ordem, um cartão de débito, acesso a caixas automáticas, homebanking [banco pela Internet] e balcões, e realização das respetivas operações de depósito, levantamento, pagamentos, débitos diretos e transferências. 'As contas existentes podem ser transformadas em contas ao abrigo deste sistema, sem quaisquer custos associados', refere a nota do Governo. Com o novo decreto-lei ontem aprovado, 'é criado um modelo de adesão das instituições bancárias e um regime sancionatório para incumprimentos ou práticas abusivas, e procede-se à regulação de determinados aspetos relativos à operacionalização do sistema, nomeadamente, no que respeita ao acesso à informação e a algumas obrigações da instituição de crédito para o consumidor', Para tal, o Ministério da Economia irá promover, até ao final do ano, junto das instituições bancárias a celebração de protocolos de adesão ao sistema, que se traduza num incremento do número de novas contas de serviços mínimos bancários e da uniformidade e eficiência do sistema. 
OS BANQUEIROS E O POVO

Adicionalmente, o Governo irá promover através das suas estruturas públicas de defesa do consumidor, envolvendo a Direcção-Geral do Consumidor, mas também o Banco de Portugal, a divulgação de forma continuada deste regime jurídico, 'com o objetivo desta medida poder contribuir também para uma melhor gestão do orçamento familiar, permitindo a redução das despesas dos consumidores, particularmente daqueles que se encontrem em especial situação de endividamento'.

*  Se apenas existem mil e duzentas pessoas a utilizar estes serviços é porque o cidadão não foi devidamente informado pela tutela nem aos bancos interessa divulgá-lo!
Até parece que o governo que eficazmente teima em empobrecer o  consumidor português, se está a queixar dele.

.

PIEDADE LALANDA




A perfeição imperfeita

O mundo não é perfeito e muito menos as pessoas.
Mas, por vezes, quem se auto intitula de normal, confunde essa pertença normalidade com perfeição.
Na realidade, nem a normalidade nem a perfeição existem de modo absoluto. O que classificamos de normal mais não é do que uma forma padronizada de ser, adaptada a determinadas normas, relativa a um contexto. É sempre num quadro de referências que se é “normal” ou se atinge o grau “excelente”, que roça a perfeição tão ambicionada em avaliações de desempenho.
Não há pessoas nem vidas perfeitas. O ser humano é sempre imperfeito e tudo o que faz, por mais excelente que seja, pode sempre ser superado, melhorado, aperfeiçoado.
Este é o espírito das competições desportivas: superar-se, colocar a fasquia mais alta, o alter mais pesado, diminuir o tempo record numa distância, atingir novas metas.
Superar-se é sem dúvida o que nos ensinam os atletas dos jogos paralímpicos, que não têm a cobertura mediática dos outros, os olímpicos, mas que, nos últimos anos tem permitido a vários atletas portugueses ganhar desafios e conquistar medalhas. Nos jogos de Pequim, foram sete, uma de ouro, quatro de prata e duas de bronze.
Superar-se é mostrar o que as aparências não dizem, é desejar o que os outros dizem ser impossível, é não abalar a esperança nas condições mais adversas.
O maior problema destas pessoas que designamos deficientes, face ao padrão de saúde tido por normal, não está na cadeira de rodas, nas muletas ou na dificuldade de coordenação motora, mas no olhar daqueles que as avaliam por isso, que as classificam por aquilo que consideram serem as suas incapacidades.
A perfeição não está nas aparências, mas na simplicidade com que estas pessoas, mesmo quando vivem num mundo interior que poucos conseguem entender, te dizem bom dia e te oferecem um abraço sem receio. Nessa hora, caem as barreiras, os códigos e os modelos, e a perfeição mostra-se. Vem do mais íntimo dessas pessoas que tu não conheces, que se alegram com o que tu desvalorizas, que ficam contentes só porque tu lhes deste um beijo e lhe tocaste com ternura.
O mundo não é perfeito e muito menos o são as pessoas, que se julgam normais, detentoras do poder para excluir ou esquecer os diferentes. É triste pensar que, ainda hoje, há famílias que se envergonham de ter um filho deficiente, que deixam sozinho, abandonado à sua sorte.
Não há perfeição ou normalidade sem o seu contrário. Sempre que isolamos os diferentes, amputamos a sociedade, tornamo-la, aí sim, deficiente, incapaz, falsa.
A diferença não só traz riqueza às relações, como relativiza os padrões de normalidade, de sabedoria e equilíbrio, quantas vezes forjado e aparente.
Nos jogos paralímpicos, mais importante do que as cadeiras de rodas, as próteses ou a estatura dos atletas, é a força, a tenacidade e a crença que todos afirmam nas suas capacidades. É a ambição, a perfeição, que vem de dentro.
Todas as televisões do mundo deviam transmitir em direto os jogos paralímpicos. Talvez melhorássemos essa visão negativa, que ainda hoje existe, perante aqueles que são a prova, de como a vida humana é uma perfeição imperfeita.•


IN "AÇORIANO ORIENTAL "
04/09/12

.
 .

HOJE NO
"DIÁRIO DE NOTÍCIAS/
/DINHEIRO VIVO"

INE: Exportações com o pior registo 
desde finais de 2009 

As exportações portuguesas de bens e serviços registaram, no segundo trimestre deste ano, o pior desempenho desde finais de 2009, indica o Instituto Nacional de Estatística (INE).

As vendas para o exterior cresceram apenas 4,3%  em termos homólogos, valor que reflete uma travagem a fundo face aos trimestres anteriores.
Nos primeiros três meses de 2012, as exportações estavam a subir 7,9%. No mesmo período do ano passado tinham acelerado para 8,8%.
O abrandamento do chamado "motor da economia" condicionou a economia como um todo. O PIB real (descontada já a inflação) recuou 3,3% no segundo trimestre, como ontem tinha sido já avançado pelo Eurostat. É preciso recuar três anos, até 2009, ano de recessão, para encontrar um trimestre pior.
Em termos trimestrais, confirma-se também a contração de 1,2% do PIB em cadeia, o que significa que o país está em recessão técnica há sete trimestres consecutivos, isto é, desde o final de 2010.
O INE torna evidente que a recessão está mais cavada e que a conjuntura se agravou no período agora em análise.

Exportações de serviços iniciam queda

De acordo com o INE, as exportações de serviços começaram a cair, algo que também não acontecia desde final de 2009. As exportações de mercadorias resistiram em terreno positivo, mas com uma travagem de quase 10% de crescimento no primeiro trimestre para 6,1% no segundo trimestre.
Do mesmo modo, também as importações refletiram o encerramento da economia relativamente ao exterior e à rutura nos fluxos comerciais. As compras de bens e serviços a estrangeiros sofreram uma quebra de 8,1%, o que fez com que a procura externa líquida até ajudasse a tornar as coisas menos graves.
Internamente, é o descalabro. O consumo privado caiu 5,9%, o consumo público recuou 3,9% e o investimento afundou 18,7% face ao segundo trimestre de 2011.


* ... e o governo está de consciência "arrelvada"...

.
.
MENTES BRILHANTES/4




 NR:Os episódios anteriores foram editados nas três últimas sextas-feira de Julho às 19h00

.

HOJE NO
"RECORD"

Europeu: Rui Neto diz que Portugal 
tem tudo para ser campeão 

O selecionador nacional de hóquei em patins, Rui Neto, admitiu que "o objetivo é ser campeão da Europa" e acredita que "Portugal tem todas as condições para o alcançar".

Rui Neto quer acabar com a hegemonia espanhola, que prevalece desde 2000 e que permitiu aos espanhóis conquistarem seis títulos europeus consecutivos.

"Falta-nos ganhar à Espanha, que tem dominado nos últimos anos o hóquei, quer a nível mundial quer a nível europeu. Falta-nos ultrapassar esse obstáculo", esclareceu o técnico nacional.

O selecionador diz estar consciente de que a Espanha vai ser o principal adversário na conquista do título europeu, mas garantiu que não se esquece das restantes equipas.

"Portugal e Espanha são os candidatos ao título. Mas não podemos depois esquecer equipas como a França e Itália que poderão complicar as contas", alertou o selecionador que defendeu ainda.

Para Rui Neto, jogar em casa acaba por não conferir favoritismo à formação lusa, dando apenas "as mesmas hipóteses que a Espanha para ganhar".

A vitória da prova poderá representar, segundo Rui Neto, "um novo impulso à modalidade", mas assume que, acima de tudo, o importante é dar continuidade ao trabalho que está a ser feito".

"É fundamental continuar este trabalho. Comigo ou com alguém que venha. É importante aproveitar a maioria destes atletas, como outros que poderão estar aqui presentes e dar seguimento ao trabalho que tem sido feito", explicou.

Além de quebrar a hegemonia espanhola, Portugal pretende voltar a conquistar um título em casa, depois de ter perdido apenas um Europeu em solo luso:

"Espero que essa exceção não confirme a regra e que continuemos a vencer em casa."

* Se tem tudo para ser campeão então porque se submete à hegemonia espanhola desde 2000? Se calhar só parece que tem tudo...
Mas estamos com a selecção, sempre!!!

.
.

ANA MOURA

FADO LOUCURA




ao vivo e sem microfone

m

HOJE NO
"JORNAL DE NOTÍCIAS"

Eurodeputados portugueses unidos 
na defesa do bacalhau

Os eurodeputados portugueses contestam, numa carta dirigida ao comissário europeu das Pescas, John Dalli, a proposta que permite a adição de químicos no processo de salga de bacalhau, que está em análise na Comissão Europeia.
 "Desconhecemos objetivamente o fundamento e os objetivos desta proposta apresentada pela Noruega, Dinamarca e Islândia, mas não podemos deixar de estranhar e denunciar que, nos termos em que é feita, afeta exclusivamente o bacalhau pescado no Atlântico Norte destinado a Portugal, uma vez que este é o único peixe que, depois de salgado pela cura tradicional portuguesa, apresenta um teor de sal superior a 18 por cento (entre 18 a 22 por cento), precisamente o valor especificado na proposta", denunciam os eurodeputados, no documento a que a Lusa teve acesso.

Os parlamentares estranham, por outro lado, "que se pretenda trocar um produto 100 por cento natural, com séculos de processamento absolutamente seguro para o consumidor, por um produto adulterado com químicos, os quais a própria Comissão reconhece que apenas 'a maior parte dos polifosfatos será removida juntamente com o sal aquando do processo de demolha'".

A proposta está a ser analisada pela Direção-geral da Saúde e Consumidores (Sanco).
Os polifosfatos em causa são o E-450, E-451 e E-452, cuja utilização, "no que diz respeito à saúde dos consumidores", não é consensual na comunidade científica.
Os deputados argumentam ainda que, segundo a proposta de Bruxelas, "a adição de polifosfatos teria como objetivo evitar a oxidação da gordura no pescado salgado o que, dado o bacalhau ser um peixe magro (teor de gordura da ordem dos 1-2%), não tem justificação tecnológica ou prática".

"A proposta da Comissão acarreta igualmente graves prejuízos para a economia portuguesa, afetando fortemente a sua indústria transformadora do bacalhau", denunciam os parlamentares, numa carta que será entregue em mão, na terça-feira, pela autora da iniciativa, Maria do Céu Patrão Neves (PSD), e a que aderiram os restantes 21 eurodeputados.

A carta reitera que Portugal "assume uma posição de enorme destaque ao nível do consumo mundial de bacalhau, o qual atinge cerca de 250.000 toneladas por ano".
A indústria nacional de transformação do bacalhau contabiliza 83 empresas responsáveis por cerca de 2.000 empregos diretos e muitos outros indiretos, e por um volume de exportações de 85 milhões de euros por ano.

"Os deputados portugueses ao Parlamento Europeu exprimem assim a sua indignação perante uma proposta objetivamente injustificada e explicitamente prejudicial para Portugal, pelo que apelamos à Comissão Europeia que retire definitivamente a proposta em questão", concluem os signatários.


* Os povos do norte da europa são na sua grande maioria excelentes pessoas mas têm um péssimo defeito, não sabem cozinhar. Têm bom peixe e boa carne mas a trapalhada na cozinha é de meter medo a um susto. assim, é natural que salgar bacalhau duma maneira ou doutra lhes seja indiferente.
Além do protesto dos deputados portugueses, se este governo tivesse iniciativas que não fossem só para nos tramar, enviaria uma brigada de donas de casa para ensinar os nórdicos a confeccionar boa comida. Mas a grande prioridade do governo é empobrecer os portugueses.

,
.
 MANOBRAS MILITARES


















.
.

HOJE NO
"JORNAL DE NEGÓCIOS"

Funcionários públicos que sejam
. bombeiros podem ter dispensa
.até 15 de Outubro 

A urgência da medida é visível com a publicação já nesta sexta-feira da resolução do Conselho de Ministros que aprova a dispensa de serviço público dos trabalhadores do Estado que sejam bombeiros voluntários. A medida vigora entre 4 de Setembro e 15 de Outubro. 

Miguel Macedo, ministro da Administração Interna (MAI), anunciou, no início desta semana, que o Estado iria dispensar do serviço os seus funcionários que fossem bombeiros voluntários, quando chamados para combater os fogos. A medida foi justificada pelo elevado número de incêndios que têm estado activos.

Anunciado esta semana, a medida foi aprovada, quinta-feira, em Conselho de Ministros e hoje surge já publicada em Diário da República.

Em comunicado do Conselho de Ministros, o Governo dizia que se trata de um procedimento "muito expedito".

De acordo com a Resolução hoje publicada, os funcionários públicos da administração directa e indirecta do Estado, incluindo da administração autónoma, que sejam bombeiros voluntários podem ser dispensados para ajudarem no combate aos fogos.

Para que os funcionários possam ser dispensados, o comandante do corpo de bombeiros tem de informar o superior hierárquico do trabalhador sobre o dia e hora a partir do qual será chamado, informação que tem "logo que possível" de ser confirmada por escrito e assinado. Terminada a chamada ao serviço dos bombeiros, o comandante confirma junto do chefe do funcionário público "por escrito devidamente assinado".

Caso o funcionário público esteja em gozo de férias, "estas consideram-se interrompidas, sendo os correspondentes dias gozados em momento a acordar com o dirigente do serviço".

Na resolução determina-se, ainda, que a medida vigora desde 4 de Setembro (dia em que Miguel Macedo anunciou a medida) e até 15 de Outubro.


* "EXTRORDINÁRIO", finalmente uma medida acertiva do MAI,!!!

.

.
.

PERÍCIA


Um helicóptero pousa no mar e levanta voo, uma operação delicada.

 .

.

HOJE NO
"DESTAK"

Tribunal agendou hoje cinco novas
. audiências do julgamento 

O Tribunal Criminal de Lisboa agendou hoje cinco novas audiências, para inquirição de testemunhas e produção de prova, no âmbito da repetição de parte do julgamento do processo Casa Pia, que envolve factos ocorridos em Elvas.
As novas audiências vão realizar-se nos dias 24 e 28 de setembro, 01, 12 e 22 de outubro.
Durante a audiência de hoje, a segunda do processo, que durou menos de uma hora, a juíza presidente Ana Peres respondeu aos pedidos dos advogados de defesa dos arguidos Carlos Cruz, Carlos Silvino, Hugo Marçal e Gertrudes Nunes, dona da casa de Elvas, para inquirição de novas testemunhas, aceitando algumas das propostas e recusando outras. 


* A saga continua porque quem tem dinheiro consegue ir adiando o julgammento até prescrever. Mas neste caso há sentenças proferidas sobre partes do processo e os acusados continuam na rua...

.
.
 MONSTRÁTUAS/2






















.

HOJE NO
"i"

Secretário de Estado favoreceu mulher 
de ex- -ministro Alberto Martins 

 DIAP arquivou processo. Todas as testemunhas, incluindo João Correia, disseram não saber com quem a magistrada era casada 

No mesmo dia, sobre o mesmo assunto, o ex-secretário de Estado da Justiça, João Correia, proferiu dois despachos com “orientações contraditórias”: num caso, uma magistrada teria de apresentar um Documento Único de Cobrança (DUC) e contestar; noutro caso, a magistrada não precisava de apresentar contestação. A segunda magistrada era a mulher do ex-ministro da Justiça, Alberto Martins.

Maria Conceição Correia Fernandes foi a única, de sete magistrados que apresentaram uma acção administrativa, a receber um suplemento remuneratório por acumulação de funções em 2010.
As incongruências não ficam por aqui: o seu processo foi também apreendido no gabinete do ministro com “uma referência ao ano de 2011”, embora dissesse respeito a acções administrativas instauradas em 2009 e 2010. Em nenhum dos outros caos aconteceu o mesmo. E no processo, uma testemunha adiantou que o processo tinha sido “mexido” e “alterado”. No fim, a procuradora recebeu o dinheiro no espaço de apenas cinco meses – “a acção em causa foi proposta em Fevereiro de 2010, e a interessada recebeu os valores relativos ao pedido que nela formulou em Julho do mesmo ano” –, passando à frente de outros magistrados que alegadamente terão feito primeiro o pedido.
Apesar de ter ficado claro que a mulher do ex-ministro da Justiça saiu beneficiada, o Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa arquivou, esta segunda-feira, o processo. O caso teve origem em notícias de que a procuradora do Ministério Público teria recebido indevidamente 72 mil euros de suplemento remuneratório – que entretanto já teve de devolver.
Os procuradores da 9ª secção do DIAP de Lisboa decidiram pelo arquivamento por não se terem recolhido “indícios suficientes da prática de conduta susceptível de integração nos tipos criminais referidos e analisados nem de quaisquer outros”. Ainda assim mandaram extrair duas certidões: uma para o Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto para que seja “apreciada a legalidade administrativa” e outra para o Tribunal de Contas, porque “os factos analisados são susceptíveis de configurar responsabilidade financeira sancionatória”.

O Ministério Público não conseguiu provar que a magistrada tenha sido beneficiada com intenção. “Não existe modo de comprovar realidade diferente, para que se conclua que ocorreu manipulação de procedimento para benefício ou prejuízo de interessados”, escrevem os procuradores no despacho de arquivamento.
Chamadas a depor, todas as testemunhas disseram desconhecer que a magistrada era casada com o então ministro da Justiça. Inclusivamente João Correia. O ex-secretário de Estado declarou que “nunca reparou nos nomes dos interessados nos processos que despachava” e disse até “ter conhecimento de que a mulher de Alberto Martins era magistrada do Ministério Público” mas não sabia que era aquela, pois desconhecia “o seu nome próprio”.


* Afinal a Justiça existe...principalmente p'rós ricos, políticos e magistrado.

.
.
ERRORISM




 .
 
 
 
HOJE NO
"A BOLA"
 
«Responsabilidade existe sempre» 
- João Pinto
 
O diretor da Federação Portuguesa de Futebol fala em tranquilidade no seio da Seleção Nacional para conseguir hoje a primeira vitória na fase de apuramento para o Mundial-2014 e dar uma «semana alegre» aos emigrantes portugueses no Luxemburgo.

«Esperamos todos ganhar. Paulo Bento foi claro nas declarações - os exemplos do passado devem servir para agora. Vamos tentar facilitar o jogo», disse João Vieira Pinto em declarações aos jornalistas, vincando que a polémica Cristiano Ronaldo-Real Madrid não afetou o ambiente na Seleção:

«O ambiente tem sido como no Campeonato da Europa: tranquilo, alegre, com vontade e seriedade. Estamos confiantes. Estão reunidas todas as condições para fazermos um bom jogo. O relvado, que era uma coisa que receávamos, é novo tudo e é bom.»

O dirigente considerou que não existe pressão acrescida para os jogadores pelo facto de existirem muitos emigrantes portugueses no Luxemburgo: «A responsabilidade existe sempre. Mas pelo respeito que temos pelos portugueses, vamos fazer tudo para ganhar, até pela satisfação que sabemos que isso lhes dá. Vamos fazer tudo para que tenham uma semana alegre e, claro, darmos continuidade à posição que temos no ranking, que é importante para nós.»

O jogo diante o Luxemburgo está marcado para as 19.45 horas desta sexta-feira, no Estádio Josy Barthel, precisamente onde João Pinto se estreou, em 1991, com a camisola da Seleção A: «Lembro-me vagamente desse dia. Ontem, quando entrei no estádio para o treino, é que me lembrei que tinha sido ali. É uma marca importante, foi a primeira internacionalização A e isso marca sempre.»

João Pinto falou com os jornalistas à porta do hotel onde se encontra instalada a comitiva lusa, à qual já se juntou o presidente da Federação, Fernando Gomes.


* FORÇA SELECÇÃO, não "arrelvem"!

.
.
FÁCIL . . . FÁCIL



M
 .

HOJE NO
"PÚBLICO"

Crato diz que há professores a mais 
e que “redução é inevitável” 

Uma semana depois de se saber que 40 mil docentes ficaram sem lugar nas escolas, o ministro da Educação, em entrevista ao semanário Sol, defende que há profissionais a mais e que a “redução de professores é inevitável nos próximos anos”, perante a queda de 14% no número de alunos.

Contudo, Nuno Crato entende que os números não têm a proporção avançada, porque muitas das pessoas que concorreram já tinham dado aulas pontualmente mas não eram sempre professores. Por outro lado, o titular da pasta da Educação frisa que ainda há vários horários por preencher.
O REI VAI NU

“O que se está a passar é o resultado de várias coisas que são mais fortes do que nós. A primeira delas é a redução da população escolar, em cerca de 200 mil alunos nos últimos anos (cerca de 14%). É uma diminuição brutal. O que temos sempre dito é que os professores do quadro são necessários e que, além disso, há algumas necessidades mais”, explica. E acrescenta: “No futuro imediato vamos continuar a assistir a necessidades muito limitadas de contratação”.

Na passada sexta-feira, o Ministério da Educação e Ciência anunciou em comunicado que dos 51.209 candidatos sem vínculo à função pública que se candidataram ao concurso, para contratação inicial e renovação de contrato, ficaram colocados apenas 7600. São menos 5147 do que o número de professores contratados no ano passado, quando entraram nas escolas, nesta fase, 12.747 docentes sem vínculo.

A mesma fonte indicou que ficaram colocados 1999 professores do quadro que tinham concorrido devido à ausência de componente lectiva nas respectivas escolas e 801 docentes, que foram a concurso para aproximação à residência. Segundo a nota, as escolas solicitaram a colocação de docentes para o preenchimento de 12.114 horários, dos quais 1714 horários (completos e incompletos), ficaram por preencher.

Na entrevista, Nuno Crato promete, porém, estudar ao longo do ano lectivo formas de vincular extraordinariamente professores que estão a preencher necessidades definitivas do sistema e não apenas temporárias – sublinhando, ainda, que em termos de rácio de número de alunos por professor “estamos mais do que ricos em relação a muitos países”, o que justifica o aumento do número de alunos por turma.

Questionado sobre se é difícil governar com a troika (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu), na mesma entrevista ao Sol, Crato diz que o problema é “governar com as dificuldades financeiras que temos”, insistindo que o sistema público de educação tem de ser sustentável. Mas, para já, o governante rejeita a ideia de discutir possíveis co-pagamentos, como já acontece no sector da saúde.

No que diz respeito ao descontentamento, Crato afirma que fala com professores e acredita que a “contestação de rua não vai acontecer”, já que os profissionais estão sensibilizados para o projecto da tutela, que define como “uma política para o essencial” e que se centra em dar objectivos curriculares mais exigentes em vez de dar apenas mais recursos. O ministro defende também a importância das avaliações externas e, em termos do ensino profissional, diz que o objectivo é dar mais escolha aos alunos e não obrigar os mais fracos a esse caminho.

A propósito do programa Novas Oportunidades, entende que “a certificação pela certificação tem resultados muito diminutos”, pelo que reitera que pretende orientar o programa “para que a parte da simples certificação seja residual”. Da mesma forma, no ensino superior quer rever a legislação sobre Bolonha – “que não pôs limites nenhuns às universidades” – mas, para já, não adianta possíveis conclusões da auditoria que está a ser feita à Universidade Lusófona após o caso das equivalências dadas a 36 das 40 cadeiras da licenciatura do ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas.

Sobre a imagem que gostaria de deixar depois de deixar de ser ministro diz: “Alguém que pôs em prática algumas medidas que melhoraram a Educação no sentido real, de as pessoas saberem mais e de estarem mais preparadas para enfrentar a vida.”


*  Este ministério "arrelva" muito

.
.

 TÊM PAIS???












.